domingo, junho 30, 2002


(...)
Quero-te terra, deusa e mar
Quero-te vida, oceano e sangue e fogo no meu peito,
Quero-te natureza divina e humana, carne e espírito,
Alma encarnada na forja do tempo,
Dos confins do tempo vinda uma e outra vez...
No teu ventre, Mulher-Deusa, eu quero mergulhar!


in "Mulher Incesto"

SHEKINAH - ASPECTO FEMININO E CRIADOR DA DIVINDADE



"O Espírito Santo (hebr. Shekinah) é o aspecto feminino e criador da Divindade e algumas das suas atuações são o cuidado e a nutrição divinos, e a elevação da consciência para nos tirar da periferia da criação a fim de termos consciência de que somos a Família de Deus. Como Autora da Vida, ela (Shekinah) age como confortadora, guia, inspiradora, motivadora, defensora, repreendedora, vivificadora, reveladora, santificadora, professora, testemunhadora e o verdadeiro modo de adentrar o Caminho Infinito. Os que acolheram e permitiram que estes dons transformadores penetrem nas suas almas receberão o que é conhecido como "Dons do Espírito Santo". (,,,)


"A Hierarquia, à escala mundial, que rege a formação dos Seres-Espelho, é Maria , que se encontra dirigindo a Base de ERKS, e que tem a função de trazer o Céu para dentro da Terra... de reger as iniciações... Esta Base, muito conhecida na Argentina, situada na região de Córdoba, é um dos principais hangares que poderá pôr em movimento o cenário ”Resgate” . No centro de ERKS encontra-se o Templo Esfera. A Regente do Templo Esfera é, como foi dito, Maria, cujo nome cósmico é Thaikuma. E esta Hierarquia Cósmica tem como tarefa activar a função Espelho nos servidores-Espelho. É uma Imaculada Conceição ."

sábado, junho 29, 2002



“Onde encontrar salvação? Enches o mundo. Só em ti posso fugir de ti”

in “Fogos”- M. Yourcenar

“ELA É OUTRO MUNDO”

(...)
E com rubis e rosas, neve e ouro,
Formou sublime e angélica beleza.
Pôs na boca os rubis, e na pureza
Do belo rosto as rosas, por quem mouro;
No cabelo o valor do metal louro;
No peito a neve em que a minha alma tenho acesa.
Mas nos olhos mostrou quanto podia.
E fez deles um sol, onde se apura
A luz mais clara que a do claro dia.

Enfim, Senhora, em vossa compostura
Ela a apurar chegou quanto sabia
De ouro, rosas, rubis, neve e luz pura.


Camões

“A ALQUIMIA DO AMOR”

É o que justifica que idênticos epítetos, tirados do mundo secular, se apliquem por exemplo à Virgem Maria: ”arca, torre, porta, jardim, árvore, fonte, casa, espelho, oceano, lua, estrela, aurora, monte”, como em Angelus Silesius. Sendo a Virgem tanta coisa de tão variada proveniência, o que se conclui é que a sua realidade é “outra”, como Silesius acaba por dizer: “Ela é um outro mundo.” A sua dimensão é espiritual e divina, só por aí por ser entendida.

Toda a dama cantada nestes termos - variados, opostos, não conciliáveis à primeira vista - está a ser espiritualizada e projectada numa dimensão que não é a do mundo. A mulher que o poeta sublima em belos e riquíssimos tesouros, com um corpo que se dilui ora em matérias tão subtis como a luz, esta mulher que se “apura” nos poemas, faz esquecer a amante real que se deseja.
(...)

de Y.K.Centeno



Magia

Quando te vejo, é como se à terra descesse um anjo...
Quando te olho, nem a minha alma crê naquilo que vê!

Como se no deserto estivesse e visse uma miragem,
Ou como se, no delírio da febre, tivesse uma alucinação,
Assim é a tua imaculada imagem no meu coração...

Cúmulo do delírio, por tua graça, no inimigo vejo o amigo,
No outro vejo-me a mim, e por mais que eu queira,
Não consigo desfazer a magia com que o teu olhar me encantou



Feitiço

Sou possessa sim, mas de amor o teu!
Amante de mim sim, mas de tanto em mim viveres, ó deusa.

Sou crente e serva de um só olhar, o teu invisível olhar,
Que me fulminou de magia e ardente nostalgia, mal nasci!


In “MULHER INCESTO”


A ESCRITA

Para mim escrever às vezes é quase rezar... Penso a escrita para mim mesma como um fio que me liga, um cabo magnético invisível, a outro lado de mim mesma, seja o “inconsciente”, seja o supra -consciente. O que busco é um fio condutor, uma orientação interior, uma voz inaudível, um eco de mim própria que se repercuta através do espaço e do éter e que me traga memórias, mas também dê respostas...Algo que me ligue o finito que sou ao infinito a que pertenço, que ligue o céu e a terra, que me una ao Cosmos.

Sinto-me como “uma nómada do cosmos” que aterrou aqui ou caí, não de “pára-quedas”, mas num corpo físico...Portentoso e frágil, sublime e miserável à vez...Um corpo de carne e ossos, nervos e sangue, um corpo que dói e dá prazer, um corpo que tem olhos e chora! Que tem alma e saudades de “casa”, que tem saudades de uma Mãe Original, para além da matéria densa a que estamos presos.

quinta-feira, junho 27, 2002



Não me quero afastar muito da imagem serena de Maria...
Como por acaso encontrei entre os meus papéis um esboço de poema ou oração de há uns anos...

Senhora da minha alma fala comigo,
Diz-me o que eu não digo...
Abre o meu coração
e deixa que a Palavra aflore os meus lábios
límpida e serena
e que com ela leve tudo o que me aflige...
Deixa que no Silêncio te escute e seja fiel.
Eu quero tanto estar nesse vazio, contigo!
Ser teu espelho...


**** ****
"Como tem sido aprofundado, a etapa na qual os nossos instrutores, à escala global, se ocupavam da transmissão de uma nova informação, na qual a informação era o fulcro da instrução, essa etapa terminou.

Isso significa que a informação que possa ser veiculada para o planeta, daqui para a frente, essa informação casa com a vibração do ser. Sempre foi assim. Num certo sentido, toda a informação contém a sua parte labiríntica. Toda a informação Espiritual contém o seu nível cristalino e o seu próprio sistema de defesa, que é labiríntico. Toda a informação Espiritual, tanto desvela como vela, tanto amplia como reduz... Depende do que o ser já frutificou da semente anterior. Cada ser só é exposto à vibração que lhe corresponde..."


(Encontros de Belém)

terça-feira, junho 25, 2002


THAIKUMA



O ESPELHO DO SER

Um Ser-Espelho é um ser cuja Aura se aproxima do cristalino. Este ser precisa de renunciar à fascinação de querer fazer o bem. Porque se ele quer fazer o bem, a sua Aura está cheia de cores bonitas (violeta, turquesa, rosa...), mas não é cristalina!... A Energia Cósmica Superior não responde à intenção humana consciente. Responde ao Vazio Sagrado. É preciso renunciar ao fascínio do bem... Quando o indivíduo renúncia ao fascínio do bem, gera-se um Vácuo dentro dele e ele é automaticamente ligado a MARIA... E só é possível contactar MARIA quando ele renuncia ao fascínio do bem. E quando ele renuncia, ele começa a fazer contacto com o Templo da Esfera, ele começa a descobrir o que é a Energia-Espelho. Quando ele supera este estado, ele está em condições de ser visitado por esta Energia muito profunda...
(...)
(Encontros de Belém)



El Gran Camino es un viaje en espiral:
avanzamos dando vueltas y cada día empezamos de nuevo,
sabiendo que el peligro y la muerte pueden estar al acecho,
que tendremos miedo y deberemos cultivar el coraje.
Daremos saltos de Fe, caeremos y volveremos a incorporarnos.


Sam Keem

segunda-feira, junho 24, 2002

SALVÉ O MUSA ETERNA, SAlVÉ



"NÃO SOU DAQUELAS QUE RUMINAM RANCOR:

MEU CORAÇÃO É O DA CRIANÇA"

"Sonho no escuro...
vem, agora que o sono...
doce divindade..."
vem...
entre as sombras
de um sonho antigo...


Sonho composto (ou plágio a Safo)

...onde todas as cores se misturam...

SAFO

A ALQUIMIA DO AMOR

A visão da mulher tem um papel importante na Obra de Alquimia. A mulher que se vê - companheira, amante, ou deusa iniciadora - é a projecção de um oposto a integrar nessa união superior a que se aspira. É a força transformadora, ela mesma transformada - em mineral, vegetal, animal, ou ainda num dos elementos, ou um astro, ou logo em divindade (...).Y.K.Centeno

Vi o teu rosto na lua...
aparecia e sorria entre as nuvens para logo desaparecer...
Ias e vinhas como um Fada e
com as mãos brincavas com as estrelas
dançando entre os raios de luz.

(...)
in "Mulher Incesto"


"O Livro do Desassossego"

"Não sei o que é o tempo.
Não sei qual a verdadeira medida que ele tem, se tem alguma.
A do relógio sei que é falsa: divide o tempo espacialmente, por fora.
A das emoções sei também que é falsa: divide, não o tempo, mas a sensaçõa dele.
A dos sonhos é errada; neles roçamos o tempo, uma vez prolongadamente,
outras vezes depressa,
e o que vivemos é apressado ou lento conforme qualquer coisa do decorrer cuja natureza ignoro."


FERNANDO PESSOA

XVI

No ramo alto, alta no ramo
mais alto, a maçã
vermelha
ali ficou esquecida. Esquecida?
Não, em vão tentaram colhê-la.



XXXI

Um dia estarás morta e ninguém
de ti terá saudades ou memória
pois as rosas de Piétria não colheste.
Desconhecida até na casa de Hades
entre sombras deambularás dos mortos.


SAFO - Poemas e Fragmentos

sábado, junho 22, 2002



AQUI OU NOUTRO LUGAR...

O meu DIÀRIO, o meu sentimento diário, é de consternação pelo Mundo de um lado... e do outro a CONSCIÊNCIA de que podia ser diferente...E sonho ou anseio, desde sempre, como sonhei quando tinha dezasseis anos e agora estou quase com cinquenta e seis...
Era um Mundo melhor, mais justo, mais humano. E quando, em momentos, este sonho cai por terra eu caio com ele...

É por isso que tenho de continuar a acreditar e a lutar e a viver o dia a dia sem perder a esperança de finalmente um dia poder VER no Horizonte esses sinais de mudança irreversível e sentir que valeu a pena a minha vida e tanto sofrimento humano.


KHEMI

apetece-me a Terra
e com as minhas mãos agarrá-la

apetece-me a paisagem árida
com a Esfingie ao fundo

e no horizonte ao longe
adivinhar o teu rosto

entre as sombras
de um sonho antigo

O Egipto?


R.L.


Paulo Iturra
(...)
"Porquê, mãe, que sabias tu da liberdade feminina, da opção feminina, da autonomia feminina? Não era a mulher a serva do maridos, como Sara de Jacob, como Maria de José e, ainda, Maria de Jesus o seu filho mítico, Raquel de Abraham? E a Judite, servidora do seu povo? E a tua Teresa de Ávila, sabia para o seu povo? E a Madame Curie, companheira sobrevivente do sábio do radium? Sabia ela também? E as mulheres tuas descendentes, da tua geração descendente, empresas autónomas que partilham a vida com o seu hoje companheiro? Como ias tu explicar o que nunca soubeste nem ver nem fazer? Mãe, porque recuperar a força autónoma quando o pai já não pode mexer? Como sobrevives ao teu objectivo de vida? Ao teu definido objectivo de vida?. Ao teu público objectivo de vida? E querias que nos homens, com senhoras senhoras.

Com senhoras de genealogias. Com senhoras graduadas. Querias que tivéssemos senhoras autónomas como as nossas silenciosas escravas?" (...)

in: MULHERES PORTUGUESAS DO SÉCULO XX

sexta-feira, junho 21, 2002


"Tant que nous pratiquerons tous les jours le Tai-chi-chuan, nous ne nous perdrons pas. Comme dit le Maître: “Au centre du Grand Vide, nous saurons capter le souffle que relie Ciel et Terre, ici et ailleurs, et pourquoi pas, passé et futur”
in “Le dit de Tianyi” de François Cheng


“NESTE MALFADADO PAÍS, TUDO O QUE É NOBRE SUICÍDA-SE; TUDO O QUE É CANALHA TRIUNFA” - Manuel Laranjeira - médico e escritor, suicidou-se com 35 anos.
Escreveu:
“Sinto uma grande fadiga moral, um piedoso desprezo, por tudo, pelas coisas e sobretudo pelos homens”
(...) “Eu não sinto o vazio universal como Antero: sinto uma coisa pior - sinto a torpeza universal”
Fim do século XIX...


Princípio do século XXI: A mesma torpeza humana, a mesma canalha, o mesmo estigma de País...
A Nobreza (eu não estou a falar da snobeira aristocrática de meia tigela, mas de carácter próprio!) não a suportamos e temos que destruir tudo o que nos afronta na nossa pobreza mental e megalomania social. Os nossos heróis duram um dia quando marcam “golos” e quando não satisfazem as massas são crucificados de imediato. Porque agora não temos uma identidade própria, nem cultura, nem intelectuais nobres, mas futebol...
”Os Tugas”.
Foi assim que a nós mesmos nos reduzimos ironicamente, e nos alcunhamos a partir de um diminutivo depreciativo, “portugas” com que os brasileiros, “penso eu de que” nos mimavam e predestinámos assim um futuro próximo como salvação do vazio político e cultural sem transcendência possível, nem esperança social. Mergulhados no Pântano do Futebol vamos viver mais dois anos para um cenário em que o País se projecta todo ou seja, o Projecto Por-Tuga por excelência. Uma “Coreiazinha” que não come cães, mas come gato por lebre...
Fico à espera de ver os Ranchos Folclóricos e o nosso Fado, com nossas senhoras de Fátima em plástico para vender aos "hooligans", os desfiles de artistas consagrados, se calhar os “Masterplan”, com o Herman José, versão “Estebes”, a “Academia de Estrelas” e os Zés Ninguém de todos os “Big Brother” a abrilhantar os estádios na exibição patriótica dos novos Monumentos Nacionais , os Campos de Futebol em todos os cantos do País, novas Catedrais do povo muito orgulhoso, com bandeirinhas nas mãos, aos magotes “tal & qual” os coreanos a receber os estrangeiros.
Sim, o País será projectado para todo o mundo e toda a gente saberá de onde vêm os TUGAS!...Esta subespécie que descende de Portugueses que atravessaram os 7 mares há muitos séculos...


quinta-feira, junho 20, 2002



CATFRIEND

"São distantes, discretos, impecavelmente limpos e sabem calar. Falta mais alguma coisa para considerá-los uma excelente companhia? "

O nosso melhor e mais inteligente amigo...

"VIENS, MON BEAU CHAT, SUR MON COEUR AMOUREUX"...
Baudelaire

Evocação a Bastit

São os teus olhos cor de amêndoa que me olham doces,
que me pões tonta de tanto te olhar.

São os teus olhos fixos na imensidão do que sinto
que me fazem estremecer de tanto te amar...

São os teus olhos de gata que pousam brandos nas minhas mãos,
que afagam o meu desejo de te acariciar...

Desejo suspenso no mais íntimo receio de te assustar.
E para que não fujas e me deixes só,
finjo que não sou de carne e osso e evito diante de ti
chorar a imensidão do meu ensejo de te afagar...


M I -
FINAL DA CARTA DE Cecília Meireles a Fernanda de Castro

"Vê se melhoras do teu pessimismo! Si soubesses o que eu dadria para arrancar-te disso! Verei se te convenço em 1940.
Tenho grandes missões a cumprir em Portugal, quando lá fôr!
A vida não é assim tão ruim,Fernanda. É apenas horrível. Mas nós podemos salvar-nos da vida: Como? Perguntarás. Vivendo do além vida. Se fores uma boa menina, daqui a um ano te explicarei essa e outras coisas. Adeus, saudades muitas. Lembra-te de mim e escreve-me. Tua, muito amiga, apesar de um pouco pateta...”
.

Esta troca preciosa de correspondência entre duas mulheres que marcaram uma época e perduram na nossa literatura como testemunho humano primeiro e depois literário é para mim profundamente significativo do elo que se devia estabelecer e manter entre nós, portugueses e brasileiros... A mim toca-me profundamente! Até porque acredito que o Brasil tem muito mais vantagens culturais e éticas em se virar para a velha Europa e não sòmente para viajar, mas para trocar experiências e sentimentos através da nossa língua Matria ou Matriz, do que se americanizar... Assim como acredito que nós portugueses temos tudo a ganhar nos laços de solidariedade que se possam estender de lá para cá e vice-versa. Na verdade, o Brasil está, de muitas maneiras, empregnado em nós... e é para nós uma extensão, não como "pertença" mas como continuidade. Portugal é fiel às suas raízes de expanção e a nossa língua contém os ingredientes, como que especiarias e aromas que colheu em todas as pontes que estabeleceu no mundo desde a Ásia a África... Mas foi e é em emoção, visível na corrente espontânea de fraternidade popular a favor dos timorense, que estes laços de amor se manifestaram, quando essa pequena nação estava tão longe do nosso pensamente. E assim é na cultura popular e no futebol: uma vez saída a selecção portuguesa do Mundial, Portugal em geral, torce pelo Brasil...
Ademais, a nossa língua Mãe pode ajudar-nos a fugir da cultura de plástico e de consumo americano que invade o mundo...
Porém, aqui para nós, eu acho que o Brasil tem em geral uma ideia demasiado folclórica e anedótica de Portugal...A visão que os brasileiros têm de Portugal é perfeitamente "atrasada" e ainda caracterizam as mulheres portugueseas de bigode...Eu cheguei a comentar isto com as "Artémis"... Aí eu também acho que qualquer vedeta americana é mais bonita (graças ao silicone e às operações de estética)... eh! eh! eh! Certo?

segunda-feira, junho 17, 2002


Ó MUSA A QUANTO OBRIGAS...ESTE NOSSO ESTRANHO FADO...

Usámos os Poetas e a Poesia para enaltecer a nossa estupidez como se fosse a coisa mais legítima...
Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Antero, os mais sublimes e mais lúcidos dos poetas portugueses ao serviço do jogo mais ridículo e embrutecedor que as massas preferem... Sinto a minha alma de luto sim, e triste, porque ninguém pensa a asneira que está a fazer e até Manuel Alegre um poeta e político vivo... faz um poema a Figo...

Não me digam que não é triste...É esta a consciência do Quinto Império?!!!


Serão estas as novas Musas do Portugal de hoje?...

Sim eu também estou triste porque Portugal perdeu o Mundial e a nossa seleção veio de cabeça baixa para casa e foi insultada no aeroporto por pessoas desvairadas que viram o seu sonho ruir...
Mas que sonho? pergunto eu? Que grandeza nos pés?!...Mostrar ao Mundo o quê? A nossa raça?! O nosso País?

Os noticiários em todos os canais abrem com o mundial e o drama nacional da Selecção! Especulam-se as coisas mais ridículas e fazem-se as perguntas mais estúpidas, exarcebando os erros e criando um clima de hostilidade, em vez de de dar a proporção certa às coisas: é só um jogo! Mas a comunicação social que está ao mesmo nível do povinho que vai apupar e gritar as maiores imbecilidades para os jogadores e nomeadamente o treinador, defraudado na sua miséria e inferioridade social, castigados com verdadeiros dramas sociais de solidão e abandono, problemas económicos e psicológicos de identidade...agarram-se deseperados ao "club" a que "pertencem" - são "alguém" através dos seus heróis...

Será que o País é apenas um grande Club de futebol?!!!! E nós cidadãos, apenas adeptos?...

Sim, que Projecção é esta que fazem milhares de seres anónimos e não só, também há intelectuais e poetas da bola, em uma dúzia de jogadores-mercenários (com uma excepção ou outra com amor à camisola...) que só pensam em dinheiro e tem um ego do tamanho dos milhões que ganham? Que identificação é esta de um povo com as suas cores ou bandeira e que chora e grita histèricamente com a vitória e a derrota, sejam africanos, ingleses, espanhóis ou coreanos? O que significa este histerismo colectivo mundial e individual?!

Onde é que o HOMEM tem a cabeça?!

Certamente a rolar aos seus pés, por terra, não como um condenado decepado mas como um atrazado mental que não consegue erguê-la mais para o Céu...nem ver as árvores e o mar e toda a beleza natural que o cerca e ele destrói com raiva.

domingo, junho 16, 2002


O yin e o yang numa bola rolando pelo chão ...

O MUNDO EM QUE VIVEMOS E O FUTEBOL...

Ontem estava a ver um documentário sobre a invasão romana ao Monte Nemrub, há mais de 2 mil anos e as setas e os arcos eram as armas mortíferas da época... e de repente surgiu-me tão claramente a ideia deste absurdo que é pensarmos que evoluímos quando a única coisa que fazemos melhor é MATAR muito mais sofisticadamente pelas mesmas “causas”...
E que DEUS nem o Diabo nada têm a ver com esta humanidade que se mata entre si e por conta própria, reflectindo a sua própria dualidade e ignorância...
Não me venham falar em ciência e técnica, nem em descobertas e curas para o cancro e a sida, quando estas doenças são a causa directa destes monstros que somos e não queremos ver e que continuamos a gerar, no ódio e na ganância de Poder...
Em Angola um povo inteiro morre de fome e doença, trucidado pela carnificina dos seus "heróis", e os seus líderes roubam a sua riqueza natural e guardam milhões de dólares na Suiça; e assim sucessivamente em todos os governos em cada canto do mundo...
Enquanto isso, nós, os “civilizados”, vibramos ridiculamente com o Futebol na Coreia em que se gastam milhões para sustentar um circo de emoções primárias como no circo romano se matavam e trucidavam centenas de gladiadores e animais para gozo das multidões enfurecidas. Agora são mercenários da bola a correr de um lado para o outro sob os apupos e gritos das claques desvairadas...
Enquanto ali mesmo ao lado, se anuncia que neste inverno morrerão de fome mulheres e crianças sem arroz...


Porque o Norte e o Sul estão divididos, assim está toda a humanidade repartida em dois lados de si mesma! Homem e mulher, preto e branco, rico e pobre, bonito e feio e é esta maldita dualidade que nos mata, há milhares de anos!

R.L.

A CONSCIÊNCIA DE SI MESMO...

“Como é que, só no século vinte, os seres humanos tenham morto para cima de 100 milhões dos seus semelhantes humanos? Seres humanos a inflingirem a outros sofrimento de tal magnitude ultrapassa tudo o que possas imaginar. E isso sem levar em conta a violência mental, emocional e física, a tortura, a dor e a crueldade que eles continuam a infligir-se uns aos outrs assim como a outros seres viventes numa base diária.
Agem desta maneira por estarem em contacto com o seu estado natural, a alegria da vida interior? Claro que não. Só pessoas que estejam em estado profundamente negativo, que se sintam muito mal, criariam semelhante realidade como reflexo do que sentem. Agora estão empenhadas na destruição da Natureza e do Planeta que as sustenta. Inacreditável, mas verdade. A espécie humana está perigosamente louca e muito doente.” (...)


In “O PODER DO AGORA” de Eckhart Tolle

Eu pergunto simplesmente o que falta ao Homem para que ele esteja tão doente?

L’AMANTE

“C’est merveille de voir que cette vieille terre dégénérée est encore capable d’engendrer des figures comme celle-la ! C’est peut-être juste ce que pensait un Dante, ou un Goethe : nous serons sauvés par la Femme."
(É maravilhoso ver que esta terra degenerada é ainda capaz de gerar figuras como essa! É talvez justo o que pensava um Dante ou um Goethe: nós seremos salvos pela Mulher!)


in "LE DIT DE TIANY" de François Cheng

Albin Michel

quinta-feira, junho 13, 2002


Tanta grandeza em si mesma é morta!
Tanta nobreza inútil de ânsia e dor!
Nem se ergue a mão para a fechada porta,
Nem o submisso olhar para o amor!


13 de junho de 1888
Dia de nascimento de Fernando Pessoa, dia de Stº António, tendo ele sido baptizado como: Fernando António Pessoa.

FERNANDO PESSOA é e será para sempre, o grande Arauto da língua portuguesa que como ele dizia ser a nossa língua a nossa verdadeira pátria ou mátria como diria certamente Natália Correia, destacando-se a "Mensagem" como expressão do seu sonho ou visão do 5º Império, o Império da Alma e do Ser que tanto falta aos portugueses de hoje...
Contamos com o Brasil para nos avivar essa memórias...


"Mas os laços que os portugueses mantêm com o Brasil na Internet vão além dos jornalistas. Unem-se também num certo prazer literário que leva duas blogueiras lusitanas, Gata de Pantufas e Rosa Leonor, a publicar em seus diários poemas e cartas de Cecília Meirelles."

Que esses laços se intensifiquem e a Ponte entre as nossas almas se faça de mãos dadas por mais uns séculos...

l'Empire Androgyne

(...)
"Or, l’Idée d’Empire, en ouvrant une troisième voie entre l’isolement égotiste et le nivellement collectif, ressuscite aussi une certaine forme d’espoir métapolitique. Diversité ordonnée, hiérarchie au sens étymologique du terme, fondant le principe de l’Autorité sur le Sacré et non plus sur le pouvoir temporel, l’Empire dont rêve Pessoa est à la ressemblance du beau cosmos miroitant, de cette terre clarifiée...
Obscurcie par ses parodies successives, l’Idée d’Empire est devenue aujourd’hui presque incompréhensible. « Tout Empire qui n’est pas fondé sur un impérialisme spirituel est un cadavre régnant, une mort sur un trône » écrit Fernando Pessoa. Il importe ici de retrouver le sens du discernement et ne plus confondre totalité et totalitarisme, unité et uniformité, Autorité et pouvoir, Gloire et réussite, Métaphysique et idéologie, intransigeance et fanatisme, Principes et valeurs."

(...)
« Inventons, écrit Pessoa, un Impérialisme Androgyne réunissant qualités masculines et féminines ; un impérialisme nourri de toutes les subtilités féminines et de toutes les forces de structuration masculines. Réalisons Apollon spirituellement. Non pas une fusion du christianisme et du paganisme, mais une évasion du christianisme, une simple et stricte transcendantalisation du paganisme, une reconstruction transcendantale de l’esprit païen. »

Luc-Olivier d'Algange
(Lamento o texto em francês, não o traduzi como queria...mas a língua francesa também está guardada no meu coração)

Vou traduzir para o EDU este parágrafo de Pessoa:

"Inventemos, escreve Pessoa, um Imperialismo Andrógino reunindo as qualidades masculinas e femininas; um imperialismo alimentado de todas as subtilezas femininas e de todas as forças de estruração masculinas. Realizemos Apolo espiritualmente. Não uma fusão do cristianismo e do paganismo, mas uma evasão do cristianismo, uma simples e estrita transcendência do paganismo, uma reconstrução transcendental do espírito pagão."

Nota: O que Pessoa não disse é que o Paganismo transcendente tem de ter em conta a Deusa Mãe como Senhora e Centro do culto pagão, anterior a Apolo...R.L.

Agustina Bessa-Luís

DEDICATÓRIA ao SUB ROSA

Querida Meg: você dedicou-nos uma página ao grande poeta da língua portuguesa Luís de Camões, no seu dia e dia de Portugal, poeta que elevou a nossa língua materna ao auge, mas não a Mulher, embora Musa e "Dama de Aluguer"... e é com grande ternura e afecto que lhe dedico em contrapartida estes aforismos da Agustina Bessa-Luís.

O SOFRIMENTO É COMO A LIBERDADE: SÓ AOS CORAÇÕES DE GRANDE FORTALEZA PODE APROVEITAR, AOS OUTROS HUMILHA-OS E CORROMPE-OS, E MAIS NADA.

NUNCA SE SABE QUANDO FERIMOS OS OUTROS ESQUIVANDO-NOS A SOFRER.

MELHOR QUE O VALENTE É O QUE SUPORTA

AGUSTINA BESSA-LUÍS

"AFORISMOS"

O amor é a ordem do universo, a sua lei eterna e que proíbe a emancipação da matéria.

Ninguém pode avaliar o amor humano; do pouco que ele se comunica alimentam-se milénios de fé, rasgam-se caminhos terríveis, edificam-se cidades inteiras. Basta que alguém um dia se anime desse terrível fogo, e toda uma geração reage ao seu esplendor; fica a lembrança dum mundo destruído, na alma pairante do universo; não morre, corre como o vento no interior de toda a matéria, abre as fontes com o seu hábito que, no entanto, ninguém, durante um século mais, poderá exalar dos próprios pulmões.

AMAR NÃO É CLASSIFICAR NEM COMBATER - É CONHECER A MORTE.

AMA TODAS AS COISAS COMO SE AS FOSSES PERDER.

EM AMOR NÃO HÁ INFÂMIAS, HÁ RECURSOS.

O AMOR NÃO TEM NADA A VER COM OS SENTIMENTOS.

Vou ficar por aqui em matérias de Aforismos.

NOTA À MARGEM:

Agustina Bessa-Luís será meia desconhecida para nós e sobretudo para os brasileiros, mas é uma escritora de dimensão única e com uma obra vastíssima capaz de apaixonar e concentrar nela qualquer leitor ávido de sabedoria ETERNA e conhecimento profundo da psique humana. Eu li quase metade dos seus livros, num só fôlego, e de Saramago não consegui ler um único...Talvez simpatize mais com a pessoa de Saramago do que com a sua obra, enquanto que tenho pouca simpatia por Agustina (?) e li mais de quinze livros seus. Porque será não sei! O amor de facto não é um sentimento...

quarta-feira, junho 12, 2002



Luís Vaz de Camões é considerado o maior poeta português de todos os tempos. Em Os Lusiadas, poema heróico que o imortalizou, Camões exalta os Descobrimentos Portugueses, com base na viagem de Vasco da Gama à India.
Camões nasceu provavelmente em Lisboa, em 1524 ou 1525.
A primeira edição de "Os Lusiadas" é de 1572.

As Mulheres no Tempo de Camões

<CARTAS DE LISBOA (excerto)


(...)
Quanto é ao que toca a estoutras damas de aluguer, há muito que escrever delas. Alguns dirão que, como quer que nestas não há aí mais que pagar e andar, não pode haver engano. Neste jogo digo que é ao contrário, porque vereis estar um rosto que é a castidade de Lucrécia luxuriosa, uma testa de alabastro, uns olhos de mordifuge, um nariz de manteiga crua, uma boca de pucarinho de Extremoz; mas, o pueri, latet...E se vos disserem que estas pelam os que as têm, assentai que é fábula, porque eu vi muitos não ter nada de seu, e agora os vejo com mulas e cavalos.
De algumas conseguintes vossas amigas vos darei novas.
Maria Caldeira matou-a o marido. Grande perda pera o povo, porque reparava muitas orfãs e adubava os pagodes de Lisboa, afora outras obras de grandes respeitos. E, por que esta senhora não vivesse muito tempo no outro mundo só, se partiu pera lá Beatriz da Mota, vossa amiga.
Deste dilúvio houveram algumas destas damas medo e edificaram uma torre de Babilónia, onde se acolheram; e vos certifico que são já as línguas tantas, que cedo cairá, porque ali vereis Mouros, Judeus, Castelhanos, Leoneses, frades, cléricos, casados, moços e velhos.
(...)
E tudo o destas senhoras é brando, rostos novos e canos velhos. São boas pera ninfas de água, porque não deitam mais que a cabeça de fora.
A rezão por que se comem estas mais que as outras em Lisboa, é que, afora seus rostinhos, servem de foliões, que cantam e bailam tão bem que não hão enveja aos que El-Rei mandou chamar.
(...)

por Luís de Camões


Nota: eu fico por aqui sem perceber muito bem este português arcaico mas dá para ver como as mulheres eram tratadas no tempo de El-Rei. Entre "damas de aluguer" e as "barrigas de aluguer", não sei se evoluimos por aí além...




FINALMENTE!!!

Nunca imaginei sentir alguma emoção ao voltar a este espaço...Mas é um facto CURIOSO...Sinto-me não só emocionada como contente por retomar estas linhas ao sabor da minha necessidade...Sim, é a necessidade que aguça o engenho! Preciso de escrever como do ar que respiro...como uma segunda respiração, ao ritmo do coração. Onde quer que escreva, o sentido de tudo é o nosso coração inteligente, Sede de um Saber diferente e de um prazer cósmico, digo-vos muito superior ao orgasmo...
É preciso saber o SEGREDO.


OS SANTOS POPULARES

Hoje, ao descer do Castelo e passando pela Sé Velha tive de contornar ruas porque estava tudo apinhado de gente para ver as Noivas de Santo António, cuja cerimónia se realizava na Igreja de Santo António. Fiquei contrariada porque o que eu mais queria era chegar a casa e de repente apercebi-me de uma enorme e antiga antipatia por este santo casamenteiro. Imaginem, eu passo lá todos os dias a caminho do trabalho e nunca entrei nessa Igreja e olho de lado quando passo pela sua estátua do largo... É claro que eu não sou católica e na minha fidelidade pagã, este santo parece-me mais um travesti da Deusa Mãe...com o menino ao colo, como tudo a ficar só entre os homens, obra de sincretismo cristão que copiou as deusas pagãs tornando-as umas santas e outras putas...
Sim amanhã é dia do Santo e depois vem o São João e o São Pedro e as festas populares que antigamente eram festas pagãs e da Deusa Mãe e agora são cristãs...e masculinas.
Eu fundamentalista?
Não é verdade que se pudessem ainda me queimariam nas fogueiras por ser "bruxa" e hereje?


Quanto ao dia de Portugal e Camões...

Não houve poesia na rua nem evocação do poeta ou coisa que o valha, mas medalhas a políticos e discursos de circunstância, e a Selecção Nacional elevada ao maior grau de grandeza e importância colectiva em Portugal inteiro e nos países onde milhares de emigrantes choram com a nossa glória futebolística...O herói do dia foi Pauleta que marcou três golos...Ninguém se lembra do que é que Camões fala...
Eu estou triste que o Hino Nacional tenha sido usado para "levantar o esplendor de Portugal" na relva... pelos pés dos hérois da bola e com Figo por Dom Sebastião...
Há qualquer coisa de errado nesta globalização do mundo do futebol, nesta histeria colectiva de sentimentos tão básicos como raiva, euforia, alegria selvagem se ganhas ou ainda tristeza profunda ou ódio e destruição se perdes... Ah! não pensem que eu não senti o mesmo... é por isso que o digo, falo da minha experiência, mas preferia ter chorado de emoção com um poema de Camões ou de Pessoa...

sexta-feira, junho 07, 2002

Vou estar mais uma semana sem contacto via Internet... e que difícil é o trato humano nestas burocracias tecnológicas que não têm lógica nenhuma... ? Nem humanidade claro...

Este refúgio do dizer silencioso e do leitor anónimo...faz falta, quando a nossa humanidade está tão desfalcada de ouvidos e palavras sinceras, interessadas. Já não conseguimos comunicar verbalmente...
Será? Então porque me faz tanta falta este encontro virtual?

O que me vale é o meu Gato... que é um gato verdadeiro!

quinta-feira, junho 06, 2002


NOTA À MARGEM

Continuo sem acesso à Internet via netcabo...em casa, onde costumo escrever.
Sinto imensa pena de estar fora "do ar" e não ler os outros blog's para saber notícias deste universo paralelo...


SÓ PARA LEMBRAR...

O ESPÍRITO é uno mas parece individualizar-se para poder executar uma função específica, por exem-plo: tu. Ele opera através de um pequeno ponto, de um foco específico da tua consciência que está con-centrado no interior do teu corpo físico. Isto é aquilo que se conhece a si mesmo como o «tu», como a tua personalidade, e é aquilo a que chamo o «eu-ego».
O teu eu-ego é, evidentemente, uma manifestação do teu eu-espírito, mas possui uma característica particular, própria de todos os eu-ego: desconhece que pertence ao ESPÍRITO. Quero dizer, desconhecia até agora!
Não uso, é claro, o termo «eu-ego» para te diminuir, mas para desviar a tua atenção dessa parte de ti, que olha para fora, e reorientá-la para àquilo que, na verdade, és: um ponto focal que olha para dentro desde o interior do teu eu-espírito.
Isto, por sua vez, é a função do ESPÍRITO. Por outras palavras, tu és o ESPÍRITO em acção.


in MANUAL DE ASCENÇÃO - SERAPHYS

domingo, junho 02, 2002


Novo problema com o Moden de ligação à Netcabo! Vou estar sem comunicação alguns dias...
Espero que ninguém dê pela minha falta. O conveniente aqui é que não fazemos falta a ninguém mas a nós mesmas...
Porquê? Porque isto é viciante...Uma vez que se entra neste universo imprevisível que toca o onírico não mais conseguimos sair...Foi o que me disseram...Será? Vou ver nestes dias como me sinto e dpois conto...


Entretamos fiquemos com a última carta deste livro de Fernanda de Castro...neste caso, a carta de Cecília Meireles a Fernanda de Castro.


CARTAS PARA ALÉM DO TEMPO
Carta de Cecília Meireles a Fernanda de Castro


15 de Junho de 1939
“Minha querida Fernanda:
Recebi a tua carta agora. Contei pelos dedos e vi que se não lhe escrevo hoje mesmo, com o tempo que leva este maldito correio, não a encontro mais em Nova York. E então vim escrever-te uma carta bem sentimental e cheia de profundas confidências. Antes desta, deves receber uma outra, polpuda, em prosa e verso não em homenagem a Mr. Jourdain, mas a ti, Fernanda, a ti, que és uma incrível amiga, tão ingrata como agradável, e tão linda como perversa. Já te ofereci o “Punhal de Prata”.Era a melhor coisa do livro. E parecido contigo.Lembras-te quando te fui esperar aquela tarde em que voltaste pelo Sud-Express? Quando procurava umas flores para levar-te. - e eu crio que estava enamorada de uns crisântmos doirados - disseram-me: “para a senhora D. Fernanda só há uma flor - cravos vermelhos”. E levei-te cravos.Creio que és meio antropófaga. Uma antropófaga bonita, é certo mas...quand même...
Em matéria de penteados, tenho evoluido muito. Agora estou de cachinhos e, em lugar de chapeu, uso um dedal e no alto do dedal um barquinho cheio de flores. Uma gracinha imagina! Essa moda da guedelha pendurada também é muito simpática. Sobrtudo quando se serve com mayonese. Mas não te queixes dos teus cabelos brancos que não devem ser assim tantos! A mim embranquece-me tudo ao mesmo tempo: barba, bigode e sobrancelhas.E como tanto desejas confidências - ah Fernanda, Fernanda!...lá vai: estou apaixonada por um militar. Os militares sempre foram o meu fraco. Nunca to havia dito? Ah! Uma obsessão .Tu sabes: aquele ouro dos almares, dos botôes, das dragonas... e o penacho...desde pequena eu sonhava com um cadete. Veio um general reformado. Já dizia Vigny que a vida é uma sonhoda adolescência realizado na idade madura...O meu cadeteamadureceu, ageneralou e apareceu-me. Um herói, compreendes?Esteve no Paraguai, entrou nas revoluções, tem uma bala no ante-braço, coomo um bocado de óbus. Tudo isto impressiona e comove. E as belas histórias que ele sabe contar do tempo em que o Imperador era menino! Até adormeço ouvindo-º E sinto-me tão feliz! Penso que ele me vai tomar nos braços, astirar-me para a garupa do cavalo, arrebatar-me pela Patagônia afora! Depois lembro-me que isso é pedir muito a um herói aposentado, mas fecho os olhos e sonho que estamos em 1865 e dançamos o Danúbio Azul ( o Danúbiio Azul já existia nesse tempo, não?) e que ele me chamava de Vossa Mercê, que é o tratamento que me põe mais emocionada. Coisas Fernanada, coisas! Como elegância, nem sei o que dizer. Entre as medalhas de campanha ele usa agora o meu retrato em esmalte colorido.Teve a gentileza de explicar-me "“ueueu fui a melhor campanha da sua vida”...Confessa que é gentil! Para alegrar a cadência dos anos passados, usa no cinturão um sininho de ouro como os do poema de Edgar Poe. Caso-me este ano e se estivesses mais perto, ias ser minha madrinha.
Vê se melhoras do teu pessimismo! Si soubesses o que eu dadria para arrancar-te disso! Verei se te convenço em 1940.
Tenho grandes missões a cumprir em Portugal, quando lá fôr!
A vida não é assim tão ruim,Fernanda. É apenas horrível. Mas nós podemos salvar-nos da vida: Como? Perguntarás. Vivendo do além vida. Se fores uma boa menina, daqui a um ano te explicarei essa e outras coisas. Adeus, saudades muitas. Lembra-te de mim e escreve-me. Tua, muito amiga, apesar de um pouco pateta...”


ATÉ QUE PONTO HOJE EM DIA A MULHER AINDA SONHA COM O pRÍNCEPE eNCANTADO E LHE SAI O sAPO?