"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quarta-feira, julho 31, 2002



MEG não resisti à tentação e...roubei do seu
BLOG

Porque se encontra uma gata beija-a com delicadeza.
Porque quando agarra a presa brinca com ela para lhe dar uma hipóteses.


Porque de todos os seres vivos é o mais rápido à partida.
Porque é tenaz a lutar pelas suas causas
Porque é um misto de gravidade e divertimento.


Porque a sua língua é excelsamente pura, contendo a pureza o que sugere em música.
Porque é dócil e há coisas que pode aprender


Porque sem ele falta qualquer coisa a uma casa,

falta à sua alma uma bênção.

C.Smart

E se estas razões não chegarem para me perdoar...eu dou-lhe muitas mais!!!



TODA A TERNURA DO MUNDO

SOBRE A AMIZADE

Costuma-se dizer que ninguém pode escolher a família em que nasce. Mas é possível selecionar os amigos, que são como a extensão da vida. A amizade, um dos sentimentos mais nobres que existem, nasce de forma espontânea, pura e vai se desenvolvendo até chegar à maturidade. Caracteriza-se por uma afinidade muito grande com alguém, baseada no amor, no carinho, na ternura, no respeito, na compreensão, na troca e na ajuda. É um sentimento muito sincero, que não depende da idade, de dinheiro e de posição social.

O amigo é um dom precioso. A própria Bíblia diz que "quem encontrou um amigo encontrou um tesouro". A amizade é um sentimento limpo, verdadeiro e profundo. Instiga a pessoa ao apoio e ao incentivo, quando as coisas estão bem. E à correção, com muito jeito e carinho, quando estão erradas. Amigo é aquele que está sempre presente, que adivinha o pensamento do outro, sem melindrá-lo; que é sincero e faz da amizade um ponto positivo na vida.

No relacionamento diário, entra-se em contato com muitas pessoas. Mas o amigo torna-se alguém diferente, especial e único. E visto com outros olhos - uma pessoa por quem a gente torce, vibra e sofre. Está presente nos bons e nos maus momentos; é amado e tratado com muita sinceridade. Além da afinidade, a amizade sólida baseia-se no convívio, na compreensão e na manifestação desses sentimentos profundos. . Por essa razão, é um processo. Não nasce pronta. A relação deve ser construída e trabalhada dia a dia, por ambas as partes, porque exige reciprocidade. E como cultivar uma planta que, se não for regada com freqüência, morre.
A amizade, quando não cultivada, desfalece, esfria e acaba.


Quem gosta de outra pessoa não deve ter orgulho. Quando se é amigo, releva-se os defeitos e até o gênio difícil e a impaciência do outro. A compreensão é uma característica da amizade. Os sentimentos são livres e descontraídos, expressos sem cobranças. Numa grande amizade, as pessoas são fiéis. Ao amigo se fazem confidências, que, às vezes, não foram feitas a ninguém. Há uma entrega do que se é, pois não há traição nem mesquinharias. O amigo sempre está pronto para tudo e se pode contar com ele em qualquer momento ou situação de vida.

Mais que um irmão, o amigo é a oportunidade que Deus dá a cada um para encontrar sua metade. Com ele, a pessoa pode se revelar verdadeiramente: dizer não, sem medo de ferir; sim, sem medo de bajular; e as verdades, sem medo de ofender. Isso porque se acredita na amizade, por ela ser isenta de paixão. Num relacionamento assim, não existe inveja, orgulho, rancor ou grandes mágoas. A verdadeira amizade é eterna, como o amor.

Com o amigo, inexiste a censura e o medo de ser por ele conhecido a fundo. Nesse relacionamento, tudo vem à tona: as fraquezas, os limites, os defeitos, mas também as grandezas de alma e os aspectos positivos. Tudo é aceito, partilhado e vivenciado para o crescimento de ambos.

A amizade é uma ligação espiritual, que deixa a impressão de que sempre se conheceu o amigo. Isso ocorre porque ele preenche a outra metade da pessoa. Da mesma forma que se encontra o amor, encontra-se também o amigo. Trata-se de uma preferência de identificação, de carinho, de ternura e de vontades.

Atualmente, existem poucas pessoas que têm amigos e se fazem amigas. Há, também, as que vivem no seu próprio mundo, em que ninguém entra. Outras, por timidez, insegurança ou desconfiança, temem se arriscar, privando-se de uma das melhores coisas que Deus criou. Aqueles que são profundamente infelizes com certeza não conseguiram experimentar a alegria de uma verdadeira amizade. Não se abriram para o outro e morrerão sufocados pelo seu egoísmo.

A infelicidade existente no mundo resulta da incapacidade de as pessoas criarem vínculos de amizade e confiarem nas outras. Elas pensam só em si mesmas, revelando um egoísmo exacerbado. Não se dão ao trabalho de tentar construir uma amizade. Não se arriscam. Preferem ficar sozinhas. Há uma carência de sentimentos positivos relacionados às outras pessoas. Por que é tão difícil alguém encontrar o lado positivo do outro?

Quando os homens descobrirem o valor da amizade, a vida se tornará melhor, porque vale a pena sentir a felicidade de contar incondicionalmente com alguém.

- Maria Helena Matarazzo -


Uma amiga dos gatos me enviou...


Hoje passei a manhã a treinar os Links!!! Espero ter conseguido acertar.
Agradeço a cooperação e a chamada de atenção. Realmente percebo que os links são muito importantes.
Só que eu pensava que bastava ter os links ao lado...onde ainda me faltam muitos que eu aprecio e para quem estou em dívida.
Têm que me dar tempo, pois continuo a sentir-me uma neófita na Internet.
Além disso não quero estar sempre a incomodar a minha Fada Madrinha...


Aproveito para pedir desculpa de alguns textos não estarem traduzidos,
mas nem sempre tenho o tempo e a paciência necessário.
Tenho escrito mais por estar de férias.

terça-feira, julho 30, 2002

O EGO QUE NÃO AGUENTA A SOMBRA

TAMBÉM NÃO AGUENTA A LUZ

Aldegice Machado da Rosa
ART-FOR-ALL


Sobre o Livro da ANA

(...)"A leitura, na tela do computador, pelo menos para mim, não favorece um certo tipo de introspecção. Estou limitada pela posição, preciso estar sempre sentada na cadeira, diante da tela iluminada, que não tem cheiro nem textura. Livro é toda uma outra coisa. E o que a Ana escreve pede livro, pede principalmente o tempo do livro. O virar das páginas, que ás vezes pode ser como uma respiração. O objeto que eu levo para a cama e me acompanha, à noite, em silêncio. A internet é mais imediatista (e não digo isso como crítica: pode mesmo até ser uma ds suas qualidades). A internet dá a idéia, anota, chama a atenção. Guarda as informações, abre caminhos, linka tudo. A internet é de todos, mas o livro é meu. É aquele livro."(...)

Nota: excerto da carta à MEG sobre o livro da ANA, da ROSA, Divina e Graciosa

Também eu espero ansiosa a sua leitura no papel!!!

Le combat des 2 natures



Le combat des 2 natures lors du second oeuvre, où le soufre philosophique, principe masculin, est symbolisé par le lion solaire et le mercure philosophique, principe féminin, par le griffon lunaire.

Au terme de ce combat , naîtra le rebis philosophique.

SALVÉ ANDRÓGINO

O REI E A RAINHA

Quem é este ser, senhora minha?
Teu pagem ou tua aia? Porque te segue como um cordeiro
e ruge como um leão?
Manda-lo embora e ele não vai?


Que quereis que lhe faça, senhor?
É um anjo da guarda que eu torturo por vezes,
Que desmaia de me ver e morre de me amar!


Mas porque nos segue todos os passos e nunca nos deixa sós?

Porque me ama acima do bem e do mal!

Posso mandar matá-lo...

Sim, podeis, mas ele iria levar-me com ele...
Triunfante!


in "Mulher Incesto - Sonata e Prelúdio"


Onde nós aqui, em atropelo, não nos
encontramos nunca: começam os anjos
a notar-se, e pela mais funda vizinhança
se aproximam infinitamente em sacro passo acelerado.


RILKE

PORQUE FOGEM OS SERES DA SUA ESSÊNCIA E AFASTAM OS ANJOS
COM MEDOS MEDONHOS DE FANTASMAS CRIADOS NA SUA MENTE...?

segunda-feira, julho 29, 2002



Eu sou a alma criança que nasce do sorriso de uma mulher mágica...
Vezes sem conta isso acontece.


Amo a beleza eterna da Mulher e o seu olhar
transforma o meu coração e ilumina-me.
Não pertenço a nada nem a ninguém deste mundo.
Não tenho sexo.


Sou o pássaro que se escapa da gaiola doirada e pula para a árvore e
morre a cantar a sua liberdade.



Entre os ogres, oprimida e desvastada, sou salva das correntes
a que me amarram por uma Deusa, uma Fada que vem do Mar
sempre que o meu coração esquece que não sou deste mundo...




A ABERTURA DO CAMINHO
Isha Schwaller de Lubicz

Feliz aquele que, para encontrar a sua "Imagem" eterna, ousa queimar sem piedade
os fantoches do seu passado


A dualidade sendo a causa da sexualidade - portanto a afinidade entre os complementos -, é a causa do desejo que os homens chamam amor. O erro está em confundir amor, desejo e necessidade....

Fora dessas excitações sexuais produzidas pelas estações da vida humana e da Natureza, cada indivíduo é o joguete dos seus instintos particulares, que o fazem reagir sexualmente a certos gestos ou circunstâncias que lhes correspondem.
Estas características instintivas, inscritas no fígado, encontram a sua reacção no sexo e no cérebro, e estes que estão sempre ligados, dão-se mutuamente desculpas para explicar e satisfazer o desejo que daí resulta...


TESTE

Não sei o que se passou nas letras do Blog mas estas
aumentaram desmesuradamente...
Que novo erro é este? Será apenas uma ilusão de óptica?
De repente pensei ter postos uns óculos errados...


Alguém sabe o que se passa?!!!


“Vi, Senhora, dias sombrios, meses tristes e anos de ânsia,
Vi, Senhora, catástrofes, desordens e violências”.



Senhora minha,
Mãe misericordiosa,
Neste mundo eu sou todas as mulheres
Que neste planeta sofrem há milénios.
..

Sou a vagabunda, a prostituta, a estrangeira e a louca...
Sou a inválida, a doente, a desgraçada e a histérica;
Sou a mulher árabe condenada a cobrir o rosto
Proibida pelos homens de falar, sorrir e olhar.


Sou todas as mulheres perseguidas e queimadas
Pelos padres nas fogueiras da Inquisição,
e que eu não esqueço!


Senhora dos Oráculos,
dá-me a tua Visão de Paz e Amor
Ouve a minha prece: vem a este Mundo e impera!


Ó vem e salva a Terra e a nós mulheres, desta barbárie.

"Antes do Verbo era o Útero" - (livro ainda não editado)

La différence

''Les hommes et les femmes sont différents. Ce qu'il faut rendre égal, c'est la valeur accordée à ces différences.''

Diane McGUINESS et Karl PRIBRAM, Neuropsychologues à l'Université de Stanford.

La femme libérée



La femme ne doit devenir l'égale de personne. Elle doit s'appartenir. Elle doit se libérer de l'image que lui impose une société dominée par les valeurs masculines. Elle doit surtout ne pas faire de l'homme le modèle de sa libération. C'est ainsi qu'elle va créer une société nouvelle.
Quant à l'homme, qu'il contribue à libérer la femme, d'abord et avant tout en acceptant la part féminine en lui. En reconnaissant les valeurs féminines qui demandent à s'épanouir en lui, comme dans le monde. Afin qu'ensemble nous bâtissions une société nouvelle.
Cette civilisation, ne sera jamais si nous ne permettons pas aux femmes de la créer. L'avenir est l'affaire des femmes, parce qu'elles l'interrogent par les yeux de leurs enfants.

Traducção:

A mulher Livre

A mulher não tem que se tornar igual a ninguém. Ela tem de pertencer-se.
Ela deve libertar-se da imagem que lhe é imposta por uma sociedade dominada pelos valores masculinos. Ela deve, sobretudo não fazer do homem o modelo da sua libertação. Será assim que ela vai criar uma sociedade nova.
Quanto ao homem, que ele contribua para libertar a mulher, primeiro e antes de tudo aceitando o sua parte feminina nele próprio. Reconhecendo os valores femininos que em si mesmo esperam expandir-se assim como no mundo. A fim de que possamos juntos construir uma sociedade nova.
Esta civilização, não se realizará jamais se nós não permitirmos às mulheres de a criar. O Porvir é das mulheres, porque elas interrogam-se pelos olhos das crianças.


Para a Eliane, retribuição pela canção de Gilberto Gil...

...E o desejo de que todas as "Gatas Bandidas" se mantenham fiéis à nossa espécie...

ANALU: já consegui diminuir as fotos com a sua ajuda!


Le principe féminin et la Nature

La compréhension du principe féminin et des valeurs qu'il véhicule suppose nécessairement le respect de la Nature.

Les rapports qu'on entretient avec la Nature sont à l'image des rapports qu'on entretient avec la femme - véhicule privilégié du principe féminin. Notre civilisation ne respecte pas plus la Nature qu'elle ne respecte la femme, le principe féminin et les valeurs qu'il véhicule.


La femme et l'instinct de vie

Notre civilisation est dominée par l'instinct de mort. Si nous voulons survivre, nous devons désormais mettre l'accent sur les valeurs féminines. La femme est profondément liée à l'instinct de vie : elle est du côté des enfants, de la Nature, des autres, des animaux, des plantes et des choses...

Une société qui reconnaîtrait les valeurs féminines reposerait sans doute sur les communautés d'entraide. Non plus sur la domination, la compétition, l'expansion. Pour l'humanité, la morale naturelle est un facteur de survie et d'évolution.



Ó Mãe venerada, curandeira secreta das almas
que alivias os vivos e os mortos,
eu vejo-te a chegar, vinda de outro lugar...
para libertar a minha alma de um pranto antigo,
de todas as dores e penas sofridas durante anos a fio.


Ó Mãe sublime, imploro-te que me digas,
como acordar as mulheres para a tua magia ancestral,
para o teu poder de cura e amor,
nesta terra tão devastada, dividida por ódios e guerras...


Senhora, ajuda-me cumprir o meu destino
a servir-te com todas as forças do meu ser,
a ser-te fiel até morrer e nunca sucumbir...



in "Antes do Verbo era o Útero"

domingo, julho 28, 2002



Nestes dias pensei, mais uma vez deixar de lado esta página aberta aqui na Internet,
mas mais uma vez reconsiderei e achei que pouco importa se se é lido por muitas pessoas ou por poucas...
Se há respostas ou se se tem sucesso. Não creio que qualquer escritor ou poeta pense nos seus leitores ao escrever...
Quem escreve escreve imperiosamente para si mesmo, num solilóquio quase ou num monólogo.
O leitor vem depois por afinidade ou simpatia na intimidade do seu sentir e é isso que é importante para mim no acto de escrever. Aqui escrevo também para mim própria.


Hoje apetecia-me fazer um hino à amizade e à ternura verdadeira que se estabelece entre os seres acima de qualquer noção ou valor, tal como quando essa energia tão rara invade os nossos corações e nos une através da magia de um olhar sereno e profundo e onde a confiança no ser humano vem à superfície espontâneamente porque é essa a nossa verdadeira natureza. Depois é que vêm as dúvidas e as diferenças e começam os julgamentos...que nos afastam uns dos outros e nos ferem de morte, mais do que as lutas e as guerras...



A MÃE - EVOCAÇÃO - SILÊNCIO

AS MULHERES E O SEU PAPEL NUMA NOVA ORDEM UNIVERSAL

Le principe féminin

Redécouvrir le principe féminin, dans la société, comme en chacun de nous. Redécouvrir la femme. C'est une question de survie. Soit que l'humanité se tourne vers les valeurs féminines de coopération, d'entraide, de communauté, ou nous sommes condamnés à disparaître à plus ou moins brève échéance.

''Si les femmes s'unissent dans le but sublime de régénérer l'humanité,
elles gagneront l'estime des hommes.
De nouveau, ils seront obligés de les respecter, de les admirer,
de les estimer, et d'être inspirés par elles...
L'époque qui vient sera celle de l'amour : cela signifie que ce sera l'époque de la femme.''


Omraam Mikhaël AIVANHOV,
propos recueillis par Claydne BRELET IN Question de, numéro 20.

(Tradução)
Se as mulheres se unissem no fim sublime de regenerar a humanidade,
elas ganhariam a estima dos homens.
De novo eles seriam obrigados a respeitá-las e a admirá-las,
a estimá-las, e a serem inspirados por elas...
A época que está a chegar será a do amor: isso significa que será a época da mulher.



Escultura famosa de Santa Teresa d' Ávila em pleno êxtase...

"A experência interior do ser humano é dada no momento em que rasgando a crisálida, o ser humano tem a consciência de se rasgar a si próprio, e não a resistência oposta de fora. Uma imensa revolução se produz quando se é capaz de ultrapassar a consciência objectiva que as paredes da crisálida limitavam". G.Bataille

Muita gente pensa que o único processo de vivenciar um pleno erotismo, é o excesso vivido no sado-masoquismo, por exemplo, que pode ser moderado ou violento, como expressões extremas dessa tentativa de romper a crisálida, MAS nós sabemos que existem outros meios, menos dolorosos e absurdos, sem violência nem excessos, através de interiorizações e práticas espirituais várias, pacíficas e passivas tais como: devoção e meditação no control da mente etc..
O Oriente sempre preferiu esses processos em vantagens sobre os cristãos cuja tendência para o suplício e sacrifícios se desenvolveu com o catolicismo pregado pelos padres conjuntamente com o medo da mulher e do pecado por ela simbolizado!...


A Importância do Princípio Feminino:

Aujourd'hui, tout est devenu profane. Les fonctions du principe féminin, donner naissance et nourrir, ont perdu leur caractère magique et sacré; le corps de la femme est devenu profane.

À certaines époques, l'érotisme était d'essence sacrée : les attributs de la double fonction du principe féminin - le ventre et les seins - étaient à la fois désirés et respectés comme des attributs sacrés.

Labirintos

Labirintos de chave e saída
cabelos e saias ou seios de veludo
labirintos... de boca em boca caída
desejos escravos, tal beijo agudo

Labirintos em teus contornos... se é vida
lábios de sono cobrindo o peito desnudo
labirintos n'amplidão de alma esquecida
tormenta e ulula quem morre mudo


Ramy



AS TRÊS GRAÇAS

Ramy:
Espero que não se importe que eu publique este seu poema que achei muito bonito e velado...
Eu estava precisamente a escrever a uma amiga que tem um Blogue e acabou de escrever um livro, brasileira, e que é uma poetisa também. Eu dizia-lhe a propósito do meu Blog, que na verdade não gosto de erotismo muito explícito, nem de imagens fálicas ou sexuais agressivas, nem textos demasiado debochados...
Na realidade gosto de poesia e a poesia é sempre um véu de palavras tal como a mulher se vela na antiguidade, não fosse a mulher a Musa por excelência...Gosto portanto de uma sensualidade velada e cheia de subtilezas...de subentendidos e a sensibilidade à flor da pele, mas na qualidade poética e não na expressão fácil...


Em suma não sou apologista de uma sexualidade expressa. De qualquer modo a minha ênfase é no misticismo e na beleza interior...No amor do coração essencialmente e universal, ainda que na tangente passe pelo desejo que é sede da alma ou de outra alma.
E depois o mais insólito...sou uma mulher que fala das mulheres e não dos homens, falo das deusas e não de deus...ah, ah, ah, uma mulher que ama as mulheres e as eleva à condição de deusas! Isto é censurável para as outras mulheres além de suspeito...
eh eh eh... até podem pensar que eu devia fazer uma página "lésbica", mas é precisamente daí que eu me quero desviar com um propósito mais elevado do que me confinar às sexualidades como se mais nada houvesse para falar!...
Portanto minha amiga e meu amigo eu não espero o apoio nem a compreensão de nenhum dos lados...


Eu? sou mística...mas há quem pense que eu apenas mistifico a minha sexualidade...Paciência. O que me dá gozo é a alma e o espírito e o corpo envelhecendo ( tenho 55 anos e não tenho medo de envelhecer...) e perdendo as suas ditas qualidade -desejos o melhor não é interiorizar-me e pensar no verdadeiro prazer do ser inteiro? - a propósito talvez vá escrever uma coisa destas lá no Blog!!!

E aqui está sem rodeios e sem medos a minha alma desvelada...Com toda a ternura...

Deixo-lhe o meu:

Retrato imperfeito

Mística, eu?
Definitivamente...


Sou adversa aos homens,
alérgica às mulheres.


Gosto de Senhoras, sim.
Nossas Senhoras de rosto de marfim...


Amo a alma do Mundo
e juro por Deus que sou fiel a mim!


Do meu livro: "Mulher Incesto - Sonata e Prelúdio"

sábado, julho 27, 2002



As palavras de cada um e as palavras de todos os seres se misturam nos tempos
através dos mesmos sentimentos sempre inalteráveis...
Os modernos e os antigos ou os primitivos são os mesmíssimos seres que nós somos hoje no século XXI.


Todos os seres e todas as raças desde o princípio dos tempos procuram o amor de si mesmos através do "outro",
das crenças ou das causas. Ideologias, religiões e filosofias...uma só razão: a Origem e a Justiça que nos falha ainda...

No Labirinto da vida... a saída, ou a chave...





Se eu fosse uma das suas aias
Sempre às suas ordens
(nunca me afastaria mais do que um passo)
Poderia admirar sempre
A resplandecência do seu corpo inteiro.


...Poemas do Antigo Egipto (excerto)


OS UPANISHADES


Aquele que vê todos os seres no seu próprio Eu,
e o seu próprio Eu em todos os seres, esse perde todo o medo


Quando um sábio vê esta grande Unidade e o seu Eu se tornou todos os seres,
que desilusão ou desgosto se lhe poderão jamais aproximar?




Burgueses somos nós todos
ó literatos
burgueses somos nós todos
ratos e gatos
.

Mário Cesariny

Mário nós não somos todos burgueses
os gatos e os ratos que tu quiseres,
os literatos esses são franceses
e todos soletramos malmequeres.


Da vida do verbo intransitivo
não é burguês é ruim;
e eu nas nuvens vivo
nuvens! o que direi de mim?


Burguês é esse menino extraordinário
que nasce todos os anos em Belém
e a poesia se não diz isto Mário
é burguesa também.


Burguês é o carro funerário.
Os mortos são naturalmente comunistas.
Nós não somos burgueses Mário
o que somos todos é sebastianistas.


(...)

Meu útero pátria emergente
Para nascer e ser saudável;
Amado meu que não foste a meu lado
Encoberto nuvem espectro
Ausência que sulcou meu leito
Único mediúnico tecelão
Entrelelaçados os fios inefáveis
De meus olhos minhas coxas meus cabelos
Minhas carícias país irrevogável
Onde o amor fornece o ar como um pulmão!


Invoco-te, irmão amigo amiga!
Pessoas dispersas da trindade
Que nunca foi pessoa verdadeira
E que fabricas solitária formiga
O tecto a mesa o sorriso a brasa
A rosa do calor de nós dois à lareira;


E a vós também invoco, ó deuses
De religiôes que alegram, as futuras!
Nossos Senhores imanentes seminais
Germinações de criaturas
Com quem depois vos misturais
Para que o óvulo da mistura
Se forme a ave-maria a pura
Entre os mortais


(...) um poema e excerto de outro
de Natália Correia

sexta-feira, julho 26, 2002



Artigo publicado há dois meses na revista "Espaço& design"

“Tuas intenções são excelentes, mas a tua alma não se decidirá jamais a divulgar a verdade, por causa da diversidade das opiniões e das misérias do orgulho”. (Krates)

Já agora tanto faz. Cada um diz o que quer. Ninguém quer saber do que o outro diz, ninguém é objectivo, só se diz o que interessa ou se vende, no grande Mercado das Letras e Intrigas. Cá por mim fico pelo meu Blog
Aí ao menos não tenho que me vender nem bajular editores, directores, meter cunhas ou insinuar-me de “chinelas de prata” no pé à procura de patrocínios de ministros e deputados, firmas e Bancos ou marcas de sapatos! Sabem o que é um Blog? Eu não sabia não, nem na Fnac me informaram; parece que é uma espécie de Página na Internet, estilo “diário de bordo”, para quem navega por lá, mas o melhor é irem lá ver!

No Brasil parece que é o que está a dar...

E eu pus lá assim (sem medo de críticas, nem de análises, sem formalismos, sem cursos e diplomas. Quero dizer, como quando tinha vinte anos e acreditava nas coisas sérias da vida; é como voltar ao meu diário...).
Quando escrevo é quase sempre para mim mesma, para me reflectir no papel e poder ver-me ou sentir-me mais profundamente. Sempre escrevi como forma de interiorização, mas inconscientemente, pensei sempre, que havia alguma luz que me vinha de onde não sabia e, ao mesmo tempo, como se alguém também estivesse por detrás do meu ombro a soprar-me e a escutar-me simultaneamente. Lembro-me de escrever ainda adolescente os meus diários, com a viva sensação de haver alguém para quem eu escrevia e que eu desconhecia ainda e esperava a revelação. Não sei se era a falta de um interlocutor se a intuição de haver um “duplo”. Algo do outro lado...



As pessoas normalmente falam para Deus ou para uma parte luminosa do seu ser. Qualquer criatura por mais embutida que seja tem disso uma clara ou vaga percepção. A oração é isso. A evocação do sagrado em nós recorrendo a uma imagem ou arquétipo que é activado pelo transporte – necessidade individual de atingir essa Parte de nós supostamente inatingível. As experiências místicas situam-se mais ou menos nesses estados que nos transcendem e são respostas ao nosso fervor e sinceridade. Daí que todas as fés e credos accionem as mesmas e idênticas experiências místicas. Tudo depende da projecção que se faz ou a ideia que se tem de um deus ou algo que nos transcenda. Ao longo dos anos eu mudei de perspectiva de “Deus”. E fiquei entre pagã e agnóstica o que não é inconciliável... Mas presentemente a noção ou experiência que mais me faz sentido é sem dúvida a ideia do DUPLO, designado por kA, segundo os egípcios. O meu duplo será, pois, o meu verdadeiro ser interior e que eu desde criança pressenti que me acompanhava e que se calhar é o que o vulgo chama de anjo da guarda... Isto não é tão simples assim, mas o kA é o nosso ser eterno e que nos assiste e a quem devemos a continuidade do nosso ser. É alias muito difícil reter esta ideia para quem se identifica exclusivamente com o seu corpo mental ou físico e sem nenhuma ideia do Espírito que não seja em abstracto, algo fora do corpo e além, no Céu, como Deus, por exemplo, mas o espírito está tanto em nós, alma, como no nosso corpo, só que o nosso intelecto não o abrange! O Espírito tem a consciência toda e nós temos como finalidade evoluir até essa totalidade e à medida que evoluímos e tomamos consciência do nosso Espírito através da nossa alma, nós somos mais Deus. Para isso é preciso unir os dois lados de nós: feminino e masculino. Unir todos os opostos. Antes disso, porém, tem a Mulher de ser inteira e nascer um novo Homem.

"Never doubt that a small, group of thoughtful, committed citizens can change the world. Indeed, it is the only thing that ever has."
-Margaret Mead



«O MON COEUR DE MA MERE TU EST LE KA DE MES TRANSFORMATIONS»

(...) O “eu” é o portador do nome que assiste, impotente, ao julgamento do seu coração. O Nome é o verbo aparente da personalidade humana terrestre; ele devia ser a expressão do seu Ka e da sua natureza, se ele estivesse correctamente atribuído. Ele é sempre a fórmula mágica que conserva a sua imagem na memória dos seres.
Ele é a veste do eu egoísta; é por isso, que quando este eu egoísta se apaga diante do homem consciente do seu fim altruísta, nós modificamos o seu nome para o pôr em harmonia com o seu Ser e a sua função verdadeira.
- Porquê que é que a alma - pássaro (BA) fica à parte na cena do julgamento?
- A alma divina é neutra, impassível e indiferente a esta história pessoal.
Se o homem não cultivou a afinidade do seu KA por esta alma, se ele não estabeleceu, por um apelo constante ao seu ser espiritual, a relação que é a sua consciência recíproca, a alma volta para a sua pátria, e o seu ser unificado não se poderá realizar." In HER-BAK “Disciple”, de Schwaller de Lubicz.
A alma tem de se ligar ao Espírito, não só através da oração (o Nome verdadeiro), como dessa consciência recíproca.


“E, eternos viajantes sem ideal
Salvo nunca parar, dentro de nós,
Consigamos a viagem sempre nada
Outros eternamente, e sempre sós;
Nossa própria viagem é viagem e estrada”.


Fernando Pessoa (e ele disse)

“Portugal é um ente. Esse ente tem de cumprir um destino. Esse destino envolve que as verdades que este livro revela sejam dadas primeiro em português do que noutra língua qualquer.”
BOM DIA!!!



Querida Ana:

Obrigada pela sua paciência e trabalho...e ainda por cima flores...

E a propósito, quando é que você volta?

...Depois de tantos dias sem poder publicar uma só palavra
hoje tenho vontade de invadir todos os espaços e cobrí-los de palavras...

... e por isso quero agradecer explicitamente a mão da minha Fada Madrinha,
princesa amanhã, quem sabe um dia Rainha...da Poesia!!!!


quarta-feira, julho 24, 2002



DOS GATOS E A SUA EXCELÊNCIA

(...) Porque fez excelente figura no Egipo no sector das transmissões.
Porque matou o rato infectado que era uma praga sobre a terra.
Porque tem orelhas tão atentas que estão sempre a prescrutar.
Porque disto decorre a rápida mudança da sua concentração.
Porque foi com um choque seu que descobri a electricidade.
Porque Deus fez passar por ele, que é cera e fogo, a sua luz.
Porque o fogo eléctrico é a subtância espiritual que Deus envia dos céus
para confortar o ser humano e o animal.
Porque Deus o abençoou com a variedade dos seus movimentos.
Porque apesar de não saber voar é um excelente trepador.
Porque os seus movimentos são muito mais vastos
do que qualquer outro quadrúpede à face da terra.
Porque é capaz de dançar conforme a música.
Porque sabe nadar e é para salvar a vida.
Porque sabe rastejar.


Excerto de um longo poema de Christopher Smart

" PORQUE SEM ELE FALTA QUALQUER COISA A UMA CASA,
FALTA À SUA ALMA UMA BENÇÃO"

terça-feira, julho 23, 2002

Experiência...

Os meus postes de vários dias aparececeram, como por milagre, ou pela mão de uma amiga de outro continente...mas o erro voltou a aparecer e não sei se vai integrar na página esta informação...

Experiência ... e suspense!!!

Ó ANA... Isto não funciona deste lado do Mar...

NOTA: isto está fora de qualquer control...

Sem comentários:

sábado, julho 20, 2002

Um poema ao contrário no espelho...falar uma outra língua que ninguém, nem nós percebemos.
E assim que me sinto há dias sem conseguir publicar devido a um error 503 que não entendo.


E em vez da técnica e vem a Fé em qualquer coisa que controla tudo até mesmo a máquina,
o acaso, quem sabe?
Eu posto isto, mas não vai aparecer senão quando os deuses das máquinas quiserem...


MEGAMI AUT A


:oãçaroc uem od odnuf siam on adavarg megami aut a ohneT
.meêv et sovren e sarbif ,sonretni sohlo.

oir mu omoc eugnas uem on erroC
.res uet od etnerroc an ravel em-oxied ue e

em-ogre e avies aut a obeB
ahníar sé euq me olpmet od anuloc a omoc
.ragirba ossop et euq me ratla odargas siam on ahnim e

sohlo suet so amla a em-madrauG
.otseg adac me e oicnêlis adac a meuges em euq
....sép suet a etnemevaus recemroda e ertnev o et-raçarba aireuQ

ajergi amu ed atrop à etnidep o omoC
,anrete é edes ahnim a ,otresed o adamón o uo
!icsan euq me arret ad e uéc od eãm ó

"oidúlerP e atanoS - otsecnI rehluM" ni

É estranho mesmo ver no Espelho o que escrevemos,
tal como nos vimos a nós próprios no espelho sem perceber a diferença...

sexta-feira, julho 19, 2002



Oye mi ruego, Isthar,
Luna de los Amantes.
De quien no sabe dar
enséñame a recibirlo todo.
D e quien no sabe abrirse
hazme llenar...


...llenar qué?, cómo era afinal? Ay, todavía olvidada! algo de un instante, de una copa...

in "LA VIEJA SIRENA" de José Luis Sanpedro


XVIII

Bailarina: ó transposição
em marcha de todo o transitório: como tu a ofertavas!
E o turbilhão no fim, esta árvore de movimento,
não tomava ele posse plena do ano conquistado?


Não floria, para que o teu vibrar de há pouco como enxame o envolvesse,
de repente o seu cume de silêncio? E sobre ele,
não era sol, não era verão, o calor,
este calor inúmero que de ti saia?


Mas também dava fruto, sim, a árvore do êxtase.
Não são seus frutos tranquilos: o jarro,
listrado de maturidade, e o vaso ainda mais maduro?


E nos retratos: não ficou o desenho
que o traço escuro das tuas sobrancelhas
inscreveu na parede do próprio girar?


Raine Maria Rilke


Vinde agora amadas Graças
e Musas de belas cabeleiras!
Safo

SONHO ORIENTAL

Sonho-me às vezes rei, nalguma ilha,
Muito longe, nos mares do Oriente,
onde a noite é balsâmica e fulgente
E a lua cheia sobre as águas brilha...


O aroma da magnólia e da baunilha
Paira no ar diáfano e dormente...
Lambe a orla dos bosques, vagamente,
O mar com finas ondas de escumilha...


E enquanto eu na varanda de marfim
Me encosto, absorto num cismar sem fim,
Tu meu amor, divagas ao luar,


Do profundo jardim pelas clareiras,
Ou descanças debaixo palmeiras,
Tendo aos pés um leão familiar.


Antero de Quintal - "Sonetos Selectos"

OS UPANISHADES

"Quando a mente está silenciosa, para além da fraqueza ou falta de concentração,
então pode penetrar num mundo que em muito ultrapassa a mente: no mais elevado fim."


"A mente devia ser mantida no coração enquanto não alcançar o Mais Alto Fim.
Isto é a Sabedoria, e isto é a libertação. Tudo o mais não passa de palavras."

quarta-feira, julho 17, 2002



"APARTA DE MIM OS TEUS OLHOS QUE ME ENTONTECEM"

in "Cântico dos Cânticos"

L' OUVERTURE DU CHEMIN

de ISHA Schwaller de Lubicz
(...)
"Oh! Bienheureux le simple qui ose, sans respect humain, saluer le Maître à son passage quel que soit son visage: foudre, enthousiasme, honte, terreur ou secousse érotique, miséreux ou artiste. Machiavel ou Jesus. "Cela" qui réveille l'Esprit en toi, est un geste d'appel du Maître de ton âme.
Ses moyens sont multiples: désir, remords, soif d'exces ou d'infini, impulsion créatrice; c'est toujours la brûlure du FEU enseveli, et qui, fusant de temps à autre, transforme ton être en volcan.
On parle toujours de ton âme, on ne parle jamais du feu.
Cependant ton âme d'être imparfait est complexe, si complexe que ses éléments anarchiques peuvent soulever en toi des mouvements sans lien apparent, et tu ne te reconnais plus toi-même.
Mais il n'y a qu'un FEU au monde, dont les manifestations sont multiples."



ESFINGE

De que sono profundo meu amor me acordas,
quando no fundo dos olhos me olhas
e me dá esta vontade louca de chorar e o teu pescoço beijar?...


Que Deusa me lembras, que ritual me recordas,
que a minha alma estremece de mal se lembrar?


Que sede é esta que percorre o meu sangue
e o meu corpo se parece volatilizar?


Que tem a tua presença , ó enigmática figura,
que me lembras a Esfingie, imponente e fria
e, contudo, de te olhar, percorre-me um frémito.


Como se Hatshepsut em pessoa visse
e tivesse instintivamente que a teus pés me ajoelhar.


Como o neófito, trémulo de respeito, à porta do Templo
nem uma palavra conseguisse balbuciar.

terça-feira, julho 16, 2002



POESIA DO ANTIGO EGIPTO
(...)

...Sete dias e eu sem a ver.
A minha doença cresce:
tenho pesados todos os membros!
Já nem me reconheço.


O alto sacerdote não é medicina, o exorcisismo é inútil:
esta é uma doença sem explicação.


Eu disse: Ela fará com que eu viva,
o seu nome fará com que eu me erga...
As suas mensagens são a vida do meu coração
chegando e partindo.


Mas a minha amada é a melhor medicina,
mais do que qualquer mezinha ou remédio.
A minha saúde está em vê-la aparecer...
Ficarei curado mal a veja.


Abra ela os meus olhos
e os meus membros retomarão a vida;
Basta que me fale e a minha força voltará.
Abraçá-la fará desaparecer todos os vestígios da minha doença...


Há sete dias que ela me abandonou...
ESPELHO DE VÉNUS



(...)
A quem estamos servindo, realmente? A que leis obedecemos? De onde vem o discurso que invergamos?
Poderíamos resumir essa conversa com a palavrinha mágica - Matrix ! - e tudo pareceria claro como no cinema, mas não funciona exatamente assim, por causa das anestesias a que fomos submetidos. Sabemos das guerras, dos mecanismos geradores de opressão, das chacinas em massa, da fome que arrasa boa parte da espécie humana, das desigualdades sociais, da ostensiva exaltação ao dinheiro como garantia do bem estar e de todas as formas de peste mantidas sem tratamento para protejer e garantir a sobrevivência de determinados segmentos, bem como somos conscientes do mal trato dispensado ao planeta, cujo desequilíbrio ambiental é gerador de energias erráticas, nascidas desse mesmo desequilíbrio. Vemos nas telas globais a profecia de George Orwell, explicitada na obra 1984, sendo cumprida alegremente e, ainda assim, os índices da imbecilidade geral sobem tanto quanto o Ibope.
Acreditamos piamente em código de barras, tomamos medicamentos para os males da sociedade moderna sem supormos que grande parte dos "remédios" é produzida com o sofrimento de animais em cativeiro e permanecemos alheios aos efeitos colaterais provocados, inclusive, pela forma como estes animais são mortos. Achamos inconveniente refletir sobre o fenômeno de distorção genética referente a altura e largura das crianças e adolescentes de hoje, contumazes consumidores de produtos artificialmente vitamininados e repletos de hormônios.
É bem verdade que nossos amortecedores naturais não nos permitem ir muito além, porque ver não significa exatamente enxergar e, definitivamente, machuca. Ora, amigos... convenhamos que a pasmaceira geral beira o absurdo! A seriedade dessa desconexão é tão grande que a maioria das pessoas sequer se deu conta de uma "estrela" imensa brilhando no quadrante oeste do céu, como tampouco imagina que se trata de uma Estação Espacial em construção e não Vênus, que está um pouco mais distante e agora sem tanto brilho ! Quantos de nós olha as estrelas e os céus, se as luzes da cidade parecem suficientes? Olhamos o relógio, certamente! O relógio que marca um tempo que não existe, um calendário absurdamente adulterado, desconectado das Leis Naturais e que nos fornece um recorte de tempo inexistente, um instante do "Não-Tempo", como diriam os ancestrais Maya.
De alguma forma, entretanto, o despertar está acontecendo lentamente e mesmo enlouquecidos pela orientação enganosa do tempo-espaço, desnorteados em nossos parcos sentidos, algo parece estar acelerando a tomada de consciência e a urgência de reconexão com a Mãe Terra. Há mudanças no ar... e que podem acontecer mais suavemente se cada um realizar, a partir de si mesmo, as micro-transformações necessárias em direção ao acordar definitivo, sem que esperemos debilmente que as trombetas anunciem, em tom apocalíptico e sombrio, que pisamos na bola.


Eu, Pandora do Vale, falei !

segunda-feira, julho 15, 2002



MEMÓRIA

Imagino-te fechada numa cidade de cristal,
num horizonte longínquo de luz
no espaço sideral, onde vives submersa.


Vejo-te de muito longe num mar distante, vindo...
Chamo-te desesperada...Não sei quem és, onde estás,
mas sei que existes e me amas tanto como eu a ti.


Talvez me chames, talvez me esperes,
talvez me queiras dar tudo o que sonhei ou pressenti.
Vejo-te porém de muito longe...
numa câmara ardente, num leito branco de cetim.


Adivinho o teu corpo suave ou translúcido
o teu sorriso doce e profundo, os teus cbelos ondolados,
as tuas mãos aladas que puxam por mim...


Pudesse eu vencer esta distância e lonjura!
Queria tanto estar a teus pés rendida
ser tua escrava e não ser mais nada.


Ah! Quem me dera se éter, volatilizar-me, subir no ar;
ser a a essência que, no espaço infinito te dá alento e forma
ser minha a tua própria vida e eu não ser nada...


in "Mulher Incesto - Sonata e Prelúdio"


"Ton royame unique: ton propre cri!"
F.Cheng

SE, for muito desejado, apreendido é,
o conceito de eternidade,
tem ele, o fulgor da Luz,
ferindo a mente.

Oh dádiva, do ser perfeito
que ao amor se rende, porque
o acende


ALDEGISE

domingo, julho 14, 2002

Em redor da formosa lua os astros
velam seu branco rosto quando plena
inunda de esplendor a terra toda.


in SAFO - Fragmentos



A TUA IMAGEM

Tenho a tua imagem gravada no mais fundo do meu coração:
olhos internos, fibras e nervos te vêem.
.

Corre no meu sangue como um rio
e eu deixo-me levar na corrente do teu ser.


Bebo a tua seiva e ergo-me
como a coluna do templo em que és raínha
e minha no mais sagrado altar em que te posso abrigar.


Guardam-me a alma os teus olhos
que me seguem a cada silêncio e em cada gesto.
Queria abraçar-te o ventre e adormecer suavemente a teus pés....


Como o pedinte à porta de uma igreja
ou o nómada o deserto, a minha sede é eterna,
ó mãe do céu e da terra em que nasci!


in "Mulher Incesto - Sonata e Prelúdio"
"Eros
do céu desceu em clâmide de púrpura..."




FRAGMENTOS - r.m.rILKE

Sou eu, rouxinol, eu quem tu cantas:
aqui, no meu coração, essa voz faz-se violência
já não evitável.


O que poderia o teu sorriso impor-me que a Noite
me não desse?


...ela que aqui quase com
começo tímido na minha face começa e acaba - onde? onde? Em ti eu cessaria;
mas assim esforço o coração, corro torrencial, e nunca
o espaço tem bastante.




NÃO HÁ SEPARAÇÃO;
NÃO HÁ DIFERENÇA
NÃO HÁ TEMPO NEM ESPAÇO,
NO UNO, SAGRADO E ETERNO LUGAR
EM QUE RESIDIMOS AFECTUOSAMENTE


ALDEGISE MACHADO DA ROSA

A integridade que nasce do carácter
também altera o carácter
A integridade é como uma pedra,
intransigente.
Dá chão à vida afirmando
uma verdade
decisão
E sofrendo-lhe as consequências
A integridade mantem-nos centrados
- não agarrados às nossas dores -
delas não-prisioneiros, sem
oportunidade de transição
para o Eden

dúvida e luta
Esforço e preserverança
fé e escuta


in "MEMÓRIAS DE ALDEGICE"




as elegias a duino e sonetos a orfeu

XXL

Canta, meu coração, os jardins que não conheces;
Jardins como que vazados em vidro, claros, inacessíveis.
Água e rosas de Ispahan ou de Xiraz,
canta-os ditosos, louva-os, a nenhum comparáveis
.

Mostra, meu coração, que nunca deles te privas.
Que os seus figos a amadurecerem pensam em ti.
Que convives c'os seus ares que entre os seus ramos
em flor se sublimam como em faces.


Evita o erro das privações
para a resolução acontecida: de ser!
Fio de seda, vieste entrar na teia.


A qualquer das imagens que no íntimo venhas unir-te
(seja mesmo um momento da vida da dor),
sente que o que se tem em vista é o tapete, inteiro e glorioso.


(poema dedicado a F. L.)
RAINER MARIA RILKE

Fosse essa a minha sorte,
ó Afrodite coroada de ouro!


Safo

sábado, julho 13, 2002



EU E O KIMI - deviamos estar na horizontal

Eu publiquei, em edição de autor, um livro há cerca de cinco anos...
Como não tinha destribuidora, dificilmente o livro iria parar às livrarias. Então, alguns conhecidos e amigos propuseram algumas livrarias de amigos...e assim o livro ficou em três ou quatro livrarias e eu nunca recebi nem reclamei o dinheiro das vendas. Sei que numa delas esgotou. No entanto o meu empemho seria mais a sua divulgação: "a mensagem" - a minha claro!


Ontem deixei o meu livro para apreciação numa livraria, para venda e divulgação...
Só para não ficar com os livros debaixo da cama... Contudo estou curiosa de saber a opinião do analisador da "obra" - o que é que me vai dizer. Aliàs é uma mulher.


Do que é que depende...Da qualidade? Do estilo? Do conteúdo? Quem decide?

Eu sei que na Internet ao menos sou livre e não dependo de ninguém para publicar, mas a paixão do livro enquanto papel e objecto palpável, nas minhas mãos, o seu cheiro...eu gosto de possuir os livros, de os sublinhar, de os ter à cabeceira, de os ver espalhalos, acumulados em todo o espaço que me rodeia. Não consigo imaginar um espaço que não tenha livros...
Agora imaginem: tenho uma amiga que odeia livros em casa e detesta gatos! Coitado do marido, digo-lhe eu...
EU não concebo harmonia possível sem livros nem gatos...Um universo sábio...

sexta-feira, julho 12, 2002






CLARISSE LISPECTOR:

Não vejo no ponto a solidão.
Vejo só infinito


Y.K.Centeno - Reflexões



Não quero rosas, desde que haja rosas

Não quero rosas, desde que haja rosas.
Quero-as só quando não as possa haver.
Que hei-de fazer das coisas
Que qualquer mão pode colher?


Não quero a noite senão quando a aurora
A fez em ouro e azul se diluir.
O que a minha alma ignora
É isso que quero possuir.


Para quê?... Se o soubesse, não faria
Versos para dizer que inda o não sei.
Tenho a alma pobre e fria...
Ah, com que esmola a aquecerei?...


FERNANDO PESSOA



Máscaras

Cada vez que ponho uma máscara para esconder minha realidade,
fingindo ser o que não sou,
faço-o para atrair o outro e logo descubro que só atraio a outros mascarados
distanciando-me dos outros devido a um estorvo:
a máscara.
Faço-o para evitar que os outros vejam minhas debilidades
e logo descubro que,
ao não verem minha humanidade,
os outros não podem me querer pelo que sou, senão pela máscara.
Faço-o para preservar minhas amizades e logo descubro que,
quando perco um amigo,
por ter sido autêntico, realmente não era meu amigo, e, sim, da máscara.
Faço-o para evitar ofender alguém e ser diplomático
e logo descubro que aquilo que mais ofende às pessoas,
das quais quero ser mais íntimo, é a máscara.
Faço-o convencido de que é melhor que posso fazer para ser amado
e logo descubro o triste paradoxo; o que mais desejo obter
com minhas máscaras
é,
precisamente, o que não consigo com elas.

(Gilbert B. Lazan)


quinta-feira, julho 11, 2002


Quadro de Firmino Pascoal - Exposição na Livraria: "Ler Devagar"- Lisboa

GUERRA

"A pior das instituições gregárias chama-se exército. Odeio-o.
Considero digno de desprezo um homem que sente prazer em
desfilar em parada ao som de uma marcha militar. Um homem
assim não merece um cérebro humano, já que uma simples medula
espinal lhe é suficiente. Deveríamos fazer desaparecer o mais
rapidamente possível este cancro da civilização.
Odeio violen-
tamente o heroísmo a pedido, a violência gratuita e o naciona-
lismo idiota. "A guerra é a coisa mais desprezível que existe.
Preferia deixar-me assassinar a participar nessa ignomínia."

Albert Einstein (início anos 30)

Tirado à "GATA DAS PANTUFAS"

“[...] O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesmo compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!”
Florbela Espanca, Carta no. 147, volume V, Lisboa, junho de 1930

tirado da "LEMNISCATA"

A.Rich (V.Woolf)"como mulher, tenho um país; como mulher, não me posso desligar desse país, condenando pura e simplesmente o seu governo, ou dizendo três vezes:"como mulher o meu país é o mundo inteiro.

Portugal: País de Futebol, Fado e “Dondocas”.

Fico impressionada como é que em Portugal se publicam livros os mais inacreditáveis... e nas “melhores” editoras!? Eu não estou a falar por mim, porque sei que o tema dos meus livros não interessa ao grande público, nem certamente aos editores...
Mas quem publica em Portugal, são os treinadores de futebol, jogadores da bola, concorrentes do Big Brother, jornalistas de televisão, protagonistas de escândalos, políticos de todas as espécies e as “dondocas” do jet set nacional."As oferecidas"...Aquelas que viram "feras" perante o "macho latino", ainda que convertido cada dia mais ao "inimigo" eh! eh! eh!


E isto impressiona-me tanto mais por saber de uma amiga, que escreveu um livro maravilhoso de poesia “autobiográfica” e que, apesar de ser considerada uma excelente actriz, não consegue um editor em Portugal... Eu sei que ela, ingenuamente, tem feito contactos sucessivos e persistentemente falado com editoras, mas nenhuma se dispõe a editar poesia...Porque não se vende, porque ninguém lê e a não ser com cunhas e com todo o tipo de subserviências, bajulações e outros meios mais “íntimos” do tráfico de interesses que domina a nossa hipócrita sociedade, vendida aos mais medíocres padrões de domínio de “capelinhas” menos ortodoxas...
Há muitas "igrejinhas" de Culto de Mortos em Portugal...Cada editor, cada jornal, cada canal... E os “padrecos” a dominar...Cada qual senhor da sua “sacristia” e das suas beatas...e beatos, claro!
Este é o Pequeno País das Panelinhas e Cunhas, dos “boys e das “girls”, dos interesses de protagonismo egocentrista e dos “tachos” chorudos. Alguém duvida?
Tudo isto me dá nojo e vontade de chorar... Ou antes, vomitar!


PORTUGAL:
PAÍS EM QUE O BOM SENSO ESPANTA
PAÍS PEQUENINO
COM GENTE À SUA MEDIDA

y.k. Centeno

O Livro: "A GRANDE DEUSA" - de Jean Markale

"Apesar dos discursos que se pretendem feministas, apesar de importantes concessões feitas ao apostolado das mulheres, a regra é sempre masculina: só um homem pode representar Jesus, e, portanto, Deus pai, pois admitir as mulheres à função sacerdotal seria voltar aos cultos julgados escandalosos anteriores ao cristianismo." - aquando do Culto da Grande Deusa e em que as mulheres foram as detentoras do amor e cura e sacerdotisas por direito e dever, durante milénios de História, antes da "História" dos homens, história de guerra e destruição em que ainda vivemos hoje....



Ela é a virgem eterna, o que não quer dizer intocada, mas sim a que não vive sob o domínio do homem .(Agustina Bessa-Luis)

O poder que os homens exercem sobre as mulheres em todo o lado, poder esse que se tornou modelo de todas as formas de exploração e de controlo ilegítimo? (1978 - Adrienne Riche)

Eu iria ao ponto de afirmar que mesmo antes de existir escravatura ou domínio de classes, o homem tinha feito uma abordagem da mulher que serviria um dia para introduzir diferenças entre toda a gente. (Levi-Strausse)

"Muito do que é de forma limitada designada como "política" parece basear-se num desejo de certeza masmo à custa da honestidade, de uma análise que, uma vez feita, não precisa de voltar a ser examinada. Tal é o beco sem saída - para a mulher - em que se tornou o marxismo nos nossos dias."
Nota à margem:
Isto, eu encontrei já desde 1969 ou 1970 - portanto "esses dias", para a mulher, são de muito antes senão de sempre, desde que o desvio cultural e histórico se deu ANTES da "nossa" História


"E onde quer que a política se tenha exteriorizado, a sensação é, de facto, a de um beco sem saída, divorciada do dia-a-dia das vidas da mulher ou do homem, limitada a uma gíria de elite, a um enclave, definida por pequenas seitas que alimentamos erros uma das outras." ( Adrienne Riche)

quarta-feira, julho 10, 2002

NOTA À MARGEM...

Às vezes fico com este complexo... o meu Blog e chato e sério demais! Ainda por cima "feminista" eletista, intelectual... é o que dizem e parece. Enfim, não interessa aos homens que procuram "mulheres" eróticas na fala... não interessa às mulheres que procuram homens e o símbolo fálico falado...Não tem fofoca social, nem é diário de borddddo...

"QUE FAIRE?"

"AS DEUSAS" são a minha obsessão e cada qual tem direito à sua doença, não? Pois é, convenço-me de que as deusas hão-de um dia voltar. E isto é o meu contributo, mesmo que pareça insanidade... Nem que seja para uma só pessoa igual a mim! Se houver...

QUE LINGUA FALA A MULHER



"GÉNERO, IDENTIDADE E DESEJO"

ANTOLOGIA CRÍTICA DO FEMINISMO CONTEMPORÂNEO

"A escrita da mulher é sempre feminina; não pode deixar de o ser, no seu melhor será tanto mais feminina; a única dificuldade está em defininir o que queremos dizer por feminino. "
Virgínia Woolf


"É impossível definir uma prática feminina da escrita, e isto é uma impossibilidade que permanecerá, pois esta prática nunca será teorizada, cercada, codificadam- o que não quer dizer que não exista. "
Helene Cixous


"As mulheres dizem, a linguagem que falas envenena a tua glote lingua palato lábios. Dizem, a linguagem que falas é feita de palavras que te estão a matar. Dizem, a linguagem que falas é feita de signos que rigorosamente falados designam aquilo que os homens apropriaram. "
Monique Wittig, Les Guérillères


"A questão central em muita da recente escrita de mulheres em França é encontrar e usar uma linguagem feminina apropriada. A linguagem é o lugar por onde se deverá começar: uma prise de conscience deverá ser seguida de uma prise de parole... Nesta prespectiva, a própria forma do modo de discurso dominante revela a marca do domínio da ideologia masculina. Asim, quando uma mulher escreve ou fala, é forçada a falar como que uma língua estrangeira, uma língua com a qual ela pode não se sentir pessoalmente à vontade."
Burke,"Report from Paris"

terça-feira, julho 09, 2002



Há pessoas que neste mundo
têm apenas função reprodutora

Y.K.Centeno

...Outras apenas vivem para o sexo...

...Outras fazem da mulher "un trou", e não são apenas os homens,
mas as próprias mulheres que se reduzem a si mesmas a esgares de "prazer"!



"O olhar de um bicho comove-me mais profundamente que um olhar humano. Há lá dentro uma alma que quer falar e não pode, princeza encantada por qualquer fada má. Num grande esforço de compreensão, debruço-me, mergulho os meus olhos nos olhos do meu cão: tu que queres? E os seus olhos respondem-me e eu não entendo... Ah, ter quatro patas e compreender a súplica humilde, a angustiosa ansiedade daquele olhar! Afinal... de que tendes vós orgulho, ó gentes?..."

FLORBELA ESPANCA - Diário


O Mistério do sexo

(...) "Quando se ama não se ri; talvez se sorria apenas...Durante o espasmo está-se sério como na morte."(1)


Para além da seriedade, o acto sexual comporta um grau de concentração particularmente elevado, mesmo que seja frequentemente uma forma de concentração involuntária, imposta ao amante pelo próprio desenvolvimento do processo. Por este motivo, tudo o que o possa distrair pode ter sobre ele um efeito imediato eroticamente ou até psicologicamente inibitório. Emotiva e figurativamente é isto o que, no acto sexual, implica o "dom" de um ser o outro, mesmo quando tem a o carácter de uma união fortuita e sem continuidade

Essas características, essa seriedade, essa concentração, são reflexos do sentido mais profundo do acto de amor e do mistério que encerra"

(1) PIOBB, Vénus

in "A METAFÍSICA DO SEXO" de jULIUS eVOLA



DO AMOR

Gosto do silêncio e de te contemplar...
Gosto de te acariciar, longamente saborear,
saber a forma, o tacto.
É nas mãos que sei outras mãos,
é na pele que sei o que a outra pele sente.
O corpo é sábio, secreto
E fala por si em cada gesto e olhar...

Ao amar nunca digas nada, sente apenas
o teu ser que se confunde noutro ser.
Ouve o silêncio do teu corpo que se repercute nas esferas
infinitamente, quando faz amor...
Porque o Amor nasce do Silêncio de dentro e não do falar...


IN "ANTES DO VERBO ERA O ´´UTERO"

"EXISTE NO FASCÍNIO DO NU FEMININO UM ASPECTO DE VERTIGEM SEMELHANTE AQUELE QUE É PROVOCADO PELO VAZIO, PELO SEM-FUNDO - COM O SÍMBOLO DE v~wn, SUBSTÂNCIA PRIMEIRA DA CRIAÇÃO E DA AMBIGUIDADE DO SER NÃO-SER. ESTA CARACTERÍSTICA PERTENCE UNICAMENTE AO NU FEMININO"

in "Metafísica do sexo"- J.E.

segunda-feira, julho 08, 2002



"Junto com as cavernas e o corpo-vaso, o portão como entrada do útero é um dos símbolos mais primitivos da Grande Mãe. O conjunto formado pelos pilares cobertos pela pedra transversal, o dólmen, é uma das representações mais antigas da triplicidade do Grande Feminino, a qual se acrescenta frequentemente uma quarta característica, a da pilastra fálica que pertence ao masculino.
(...)
Nos cultos mais antigoa da Mesopotâmia encontramos a veneração do portão alado em conexão com o touro de joelhos, a deusa com o vaso da lua
(...)
O princípio feminino do dólmen e do portão está sempre ligado ao renascimento através do útero feminino." (...)


"A GRANDE MÃE" - DE eRICH nEUMANN
O regaço duma mulher é o melhor túmulo, como o melhor berço.

Agustina B.L. - Aforismos


(...)

É que lá tem uma mulher que é um Dom... e que coloca esse dom, de forma amorosa e cuidada, em cada coisa que faz... então, lá... tudo fica com luz de arco íris e brilho de asa de beija flor... até o sol parece que filtra diferente naquelas nuvens que formam figuras... as flores e as ervas exalam um perfume indescritivelmente bom... e à noite então, parece que o céu se abre em estrelas pra te contar dos mistérios...

É lá que a batida do Coração da Mãe Terra te remete a espaços sagrados dentro de você mesmo...
Bom, mas deixa pra lá... é lá que vive a mulher que é um Dom...
Ela é um Dom porque não segue o script, ela vai criando junto com o grande mistério... com aqueles fios mágicos que aprendeu a tecer...
E como uma fada que tem varinha de condão... tudo que ela toca toma ares de aconchego... e também, como as fadas, ela tem muitos talentos e magias...
Mas a sua força é o Dom...

Nesse tempos, em que o Grande Mistério está nos cobrando que sejamos nossos dons... tenhamos a coragem de fugir do script, para manifestar aquilo de mais especial que somos e colocar a serviço do Universo... encontrar alguém assim é quase mais que mágico...

Sejamos então um Dom... como faz tão simplesmente essa mulher.




de Rubia Americano Dantés - Visite o site:VIDA NOVA.com

REFLEXÕES - y.k.cENTENO

A ESSÊNCIA DE DEUS É FEMININA.
DEUS MÃE
PRIMEIRO PRINCIPIO CRIADOR



pORTUGAL
país em que o bom senso espanta
Um país pequenino
com gente á sua medida




Évangile:
Assieds-toi
et sois seul



Quando alguém morre
todos se retraem
todos se retiram




**** *****



DO CÁLICE À ESPADA

As mulheres foram desde a "Pré-história", destituídas dos seus valores próprios, sortilégios e poder de cura ao longo de milhares de anos. Este foi o maior crime cometido na história da humanidade, em que os homens deliberadamente excluiram metada da humanidade da sua História de crimes e horrores, impondo a lei da Espada contra o Cálice e a Sabedoria da Grande Mãe. Daí derivaram todas as desigualdades e outros crimes que se repercutiram até aos nossos dias e ainda hoje são consentâneos... Os homens ao fragmentarem a mulher em duas e relegando-a para posições subalternas, tornaram-se eles próprios filhos sem mãe!

Esses crimes e violações continuam a cometer-se em pleno século vinte e um...

sexta-feira, julho 05, 2002




AS NOTÍCIAS DE HOJE - 5 de Julho de 2002

Uma jovem professora foi condenada pelo tribunal(?!), no Paquistão, a ser violada por quatro homens, durante mais de uma hora, dentro de uma casa, e sem que publicamente (havia gente lá fora) ninguém fizesse nada e aplaudisse como se de um espectáculo se tratasse. A jovem não cometeu qualquer crime, mas sim o irmão que era acusado de ter relações com uma jovem de uma casta superior. Assim, foi escolhida pelo "tribunal", uma mulher da família para ser punida e não o próprio que, apesar de ter sido espancado violentamente ainda tiveram os irmãos da sua "vítima" violar a sua irmã que nada tinha com o assunto: temos assim a mulher como “bode expiatório” de uma sociedade de machos. Instigado pelos movimentos feministas internacionais e pela Imprensa, o Governo ofereceu um cheque à vítima...


Em Timor, onde a violência “doméstica” tem proporções dramáticas, a polícia “estrangeira” interveio num caso em que marido espancava a mulher ameaçando matá-la – uma polícia portuguesa comandava a operação internacional – mas o irmão da vítima defendia o cunhado contra a própria irmã, pois era um assunto particular...

Os homens são donos das mulheres e vendem-nas ou punem-nas arbitrariamente!

Perante estes factos – citados ambos no noticiário das 20 – nada mais me resta acrescentar à notícia. Apenas queria que reflectíssemos que no Mundo, em todo o mundo, as mulheres continuam a ser as vítimas em todos os sectores da sociedade de uma forma brutal ou subtil e que nós, as mulheres ditas evoluídas ou emancipadas não nos devíamos sentir em paz com a nossa consciência sem nada fazer como se tudo estivesse bem...

Em Portugal, o Governo não permite a actualização da lei de interrupção voluntária da gravidez, podendo, uma mulher que faz um aborto, ser condenada e presa, como aconteceu há relativamente pouco tempo. Diferente do Governo paquistanês, não deu nenhum cheque de “indemnização” às mulheres que foram julgadas por decidir da sua intimidade. Tudo isto, porque, de uma maneira ou doutra, os homens se julgam ainda todos donos das mulheres!

Devia haver de todas as formas possíveis e imaginárias manifestações e movimentos contra a violência e abuso da Mulher!

TODAS AS MULHERES DEVIAM SER SOLIDÁRIAS COM AS MULHERES DO MUNDO, PORQUE AS MULHERES SÃO SEMPRE AS PRIMEIRAS VÍTIMAS DA AGRESSÃO DO HOMEM, SEJA EM QUE CONTINENTE FÔR. Só depois vêm as crianças e os animais. Portanto, as mulheres, antes de qualquer outra causa, deviam lutar pela sua PRÓPRIA CAUSA e talvez assim o mundo mudasse a olhos vistos!

Não adiantou de nada no passado, nem adiantará no futuro, os povos do mundo unirem-se, mudarem regimes ou sistemas enquanto as mulheres não forem Senhoras de si mesmas!


TERRA MATERNA - MULHER

"Como terapia para os males da sua alma, doente do "morbio christista", para essa tristeza de que longamente se queixa nos textos de auto-análise, "esse friio da alma"que "quem o tem não o esquece". Compraz-se Pessoa a inventar rituais solares de exaltação da alegria. (...) Ora não esqueçamos que que esta comemoração era, simultaneamente, a do signo de Alberto Caeiro - carneiro - "ESPÍRITO HUMANO DA TERRA MATERNA", de uma terra jovem, fecunda, alegre."
Teresa Rita Lopes - in "Roteiro Para uma expedição"


"Que coisa mais alegre poderá haver do que a fé num deus doméstico?" (Franz Kafka)

Só que o "nosso deus" nunca foi alegre...Cruxificaram-no e nunca mais nos deixaram rir com o peso do pecado e da cruz...Faz parte da escuridão dos homens que pregaram a divisão e o ódio às mulheres...



Cocteau, diria o quê se fosse vivo ainda?

"HORROR. Depois de uma tal desordem domino-me e agarro-me ao destroço de uma realidade que não é de forma nenhuma mais tranquilizante, que procuro nas distraídas faces que me rodeiam. A nossa época de rádio, televisão e magazines é escola de desatenção. Ensina a olhar sem ver, a escutar sem ouvir."

in o "TORO" de Jean Cocteau em 1957


Gilles Lapouge escreve de Paris para 'O Estado de SP':
(...)



Escuridão - A atmosfera terrestre está tão saturada de luminosidades de
todos os tipos, que os grandes observatórios têm cada vez mais problemas
para pesquisar os fundos de uma escuridão absoluta nos quais, como o giz
branco em um quadro-negro, podem ser decifrados os movimentos, o pulsar, as
vertigens do cosmos. Mas, além da astronomia, algumas almas um tanto
sonhadoras juntam suas dores às desses cientistas: a noite é uma das mais
antigas companheiras dos homens.


Quantos mitos cosmogônicos ou familiares relatam o medo ou o encantamento
que moldou os cérebros dos homens diante da sucessão de luzes e sombras - o
azul e o verde fluido da aurora, as fontes de água douradas do meio do dia,
o buraco infinito da escuridão da noite? Ora, a noite, perseguida pelos
arcos eléctricos, pelos bilhões de globos de nossas cidades foi abatida.
Esforça-se em vão a procurá-la, ela sumiu."(...)



Sida vai matar 68 milhões até 2020


Portugal em porcentagem um dos países da Europa mais afectado e faz de conta que não é nada - andam a brincar aos "abraços" e "jet setes"... da Moda!

"A sida vai provocar a morte de 68 milhões de pessoas em todo o mundo até 2020, afirmou o director executivo da Onusida, Peter Piot. A doença matou 20 milhões de pessoas nos últimos 20 anos refere ainda o relatório bianual daquele organismo das Nações Unidas.
A epidemia da sida é a pior sofrida pela Humanidade e está apenas no início, acrescenta Piot.
«A epidemia apenas começou, sabíamos que era assim na Ásia e na Europa de leste, mas não mostra nenhum sinal de abrandamento nos países mais afectados, ou seja na África Austral», considerou.
Nos países mais afectados, caso do Zimbabué, um terço dos adultos são seropositivos, acrescentou Piot.
fonte: Diário Digital."


(Tirei do "SILHUETAS" Blog - peço desculpa eu não ser ainda hábil nos códigos...)

Hoje deu-me para as notícias...