sexta-feira, maio 30, 2003




FINALMENTE O LIVRO !

“Os Sinais do Medo”

de Ana Zanatti

Nada mais tocante do que a nossa nudez mas as convenções, os tabus, a hipocrisia dos falsos moralismos, fazem-nos às vezes representar papéis que não são nossos, usar máscaras que nos desumanizam e tornam infelizes, apenas pelo medo da reprovação da família, dos amigos, da sociedade. Tememos não ser amados por sermos diferentes do que é suposto ser, Nascemos, vivemos e morremos ao lado de amigos e familiares que se dizem íntimos mas para quem somos e nos são, desconhecidos.
Numa família, raras são as pessoas que se conhecem, amam e aceitam verdadeiramente. Queremos o amor dos nossos pais, mas eles próprios nos entregam no berço, o papel que nos esperam ver desempenhar. Com pouca margem de improviso e criatividade, porque a criatividade faz de nós seres únicos e a diferença paga-se caro. A maior miséria que podemos herdar é o medo que através de gerações, aparece personificado pela incompreensão e desamor, pela guerra, intolerância e ausência de compaixão, de saber estar ao lado de quem sofre. Pela farsa que ele nos leva a representar. As gerações do livro, comungam em gerações diferentes, da mesma mágoa econdida. Cada uma vive à sua maneira, com aceitação, revolta, desânimo, tristeza, impotência ou desespero as consequências de uma sexualidade reprimida porque mal vista ou considerada aberrante.
Um medo disfarçado de juiz da moral e dos costumes, que transforma o amor e o sexo em actos vergonhosos quando deviam ser belos e libertadores.


in "OS SINAIS DO MEDO" de Ana Zanatti
ED. Dom Quixote

"NÃO SOU DAQUELAS QUE RUMINAM RANCOR:
MEU CORAÇÃO É O DA CRIANÇA"


Safo- Fragmentos

>COMENTÁRIO RECEBIDO

Querida Rosa Leonor:

Gostaria de deixar aqui o meu testemunho de admiração e de apoio ao que a publicação do livro da ANA ZANATTI representa por parte da sua autora.
Num mundo em radical transformação, tornam-se insustentáveis, de facto, os contextos de hipocrisia, medos, preconceitos, pseudo-moralidades e julgamento condenatório e implacável do que aparenta ser diferente do pré-estabelecido, que nos condicionou na chamada cultura judaico-cristã em que nascemos.
Chegou a hora, sinto! A hora de falarmos de coração aberto, de tentarmos escutar as vozes quase remotas que do fundo das nossas almas tentam fazer-se ouvir para que nos cumpramos.
Ana Zanatti dominou os seus medos e faz ouvir a sua voz, com desassombro e busca de verdade.
Pela CORAGEM e pela dádiva à comunidade a que pertence, aplaudo a autora de pé, com o meu coração em festa!
Que muitas outras pessoas tenham a coragem de seguir o seu exemplo!

Um abraço muito carinhoso para ti e para todas as mulheres e homens do mundo em demanda da verdade

Mariana Inverno
Fundadora
PROJECTO Art for All

TODA A MULHER

E toda a mulher é uma mãe,  real ou potencial



“Quando se ousa afirmar que todas as relações entre homem e mulher, sejam eles quais forem (conjugais, filiais ou outras) são necessariamente relações incestuosas entre mãe e filho, estamos a provocar as críticas mais ásperas, e fazer-se passar por obcecado. No entanto...

O homem é com efeito um ser incompleto, e ele apercebe-se disso. O seu medo e a sua atracção pela gruta obscura (o vazio de onde vem), o seu medo e a sua vertigem diante da morte(o vazio para onde ele irá), tornam-no um ser frágil que procura a qualquer preço uma segurança. Essa segurança é a mãe, tanto para o homem como para a mulher. (...)

O homem está pois biologicamente sujeito à mulher quer ele queira quer não. E toda a mulher é uma mãe, real ou potencial. Ele é o contido (contenu) enquanto que a mulher é quem contém (contenant): isso constitui um estado de inferioridade muito claro para o homem, que passa por isso o seu tempo a negar esta realidade para se provar a si próprio que é superior. É o que explica a acção masculina, o facto de que os homens sejam dotados para a acção, para a violência, para o combate. Esta acção é o único meio que lhes resta para tentarem se afirmar.
E se o homem é o contido, portanto um ser inferior, ele arroga-se ao direito de ser superior mostrando a todo o preço que a sua força activa é a única capaz de proteger a espécie. Ele soube mesmo convencer a mulher desta superioridade, simbolizada pelo reconhecimento do pénis do rapazinho ao nascer, pela sua mãe, ou por qualquer outra mulher que ajude no parto. O famoso grito: “é um rapaz!”, repetido por gerações, diz bastante do seu significado.

No entanto, a que contém (ou abarca), a mãe, digamos a mulher, é ela própria a realização do Paraíso. Ela o concretiza, esse Paraíso, sob os dois aspectos de uma só realidade: ela “contem” (engloba) a sua criança e o seu amante.”


in "La Femme Celte” de Jean Markale


NOTA PESSOAL (e A MARGEM...)

Podemos então ir um pouco mais longe a risco de provocações maiores, mas eu diria que por todas estas razões e outras, o homem não querendo aceitar essa “inferioridade”, passa a desprezar a mulher, vangloriando-se da sua "virilade", violando-a ou matando-a e fazendo a guerra ao seu vizinho para alastrar assim a sua impotência de macho que se vinga pela sua incapacidade de aceitar e amar a Mãe e a Mulher que o "contem". Cometendo ainda a grande aberração de violar ou agredir as crianças indefesas no seio da própria família ou das suas instituições que as "guardam", como é o caso da pedofilia...

A grande causadora desta “vingança” ancestral foi a “madre igreja” que denegriu a mulher e reprimiu a sexualidade, com padres vestidos de mulher a representar a vontade castradora do pai do céu, exclusivamente! Infelizmente todos os autocratas, ditadores e representantes da violência ou da repressão da vida instintiva-natural, seja ela instituída como “defesa” de território ou da “religião e moral” ou puramente marginal são iguais na falta de amor e de respeito pela vida e pela natureza representada antes pela Grande Deusa e encarnada na Mulher. A destruição do planeta terra é o ódio à Mãe...e a prova da “força” do Homem sobre a natureza!

rlp

quinta-feira, maio 29, 2003

eh, eh, eh eh...

"SEGREDO DE JUSTIÇA?"

...eh, eh, eh eh...

...mas disso eu disse que não falo, disso eu não falo, disso eu não falo...
era uma vez jovem juiz de ténis com muitas testemunhas e telefonemas e escutas ...
esse eu deixei-o engordar...e nem lhe comi o dedinho...nem sei se gosta de chocolate!
Defendo a minha espécie...nós nunca comemos criancinhas, como eles diziam...


A "Justiça" dos homens...eh, eh, eh, eh...é cega ...

A JUSTIÇA SÓ É CEGA PORQUE
VENDARAM OS OLHOS À MULHER ...





"A doutrina dos olhos é para a multidão;
o doutrina do coração para os eleitos."


A VOZ DO SILÊNCIO


"Á força de rejeitar o que a Feminilidade traz como solução à angústia do homem,
cria-se em todo o caso uma humanidade perfeitamente neurótica.
(...)
Suprimindo a noção de Mãe-Divina, ou submetendo à autoridade de um deus-pai,
desarticulou-se o mecanismo instintivo que fazia o equilíbrio inicial: daí advém todas as neuroses e
outros dramas que sacodem estas sociedades paternalistas."


In LA FEMME CELTE - de Jean Markale


"Tudo é orgulho e inconsciência.
Tudo é querer mexer-se, fazer cousas, deixar rasto. "

F.Pessoa

quarta-feira, maio 28, 2003




O SOL E A LUA


"Os homens que se crêem os dominadores do mundo e os reguladores da ordem estabelecida não imaginam nem por um instante que o seu poder não é senão passividade e que o poder da mulher, que eles desprezam (mas de quem também duvidam e invejam), é o poder activo. Assim se explica que em certas línguas que conservaram a memória das épocas anteriores, a germânica, a celta e a semítica, para só falar dessas, o sol seja feminino e a lua masculina.
(...)

É neste espírito que inúmeros cultos atestam uma certa feminização do padre. Ele veste, sobretudo para as cerimónias, um hábito claramente feminino, com adereços que o não são menos.
(...)

Descuramos bastante este travestiamento fazendo dele uma componente homossexual. O ritual dessas religiões teria comportado um certo número de actos relacionados ou não com a homossexualidade, sendo os homossexuais considerados como seres intermediários, assim como os loucos e as pessoas “alucinadas”(bêbadas), e portanto dotados de poderes sobrenaturais. Não parece que esta seja uma explicação satisfatória. No entanto não podemos negar que a homossexualidade tenha sido expandida em todo o lado desde a mais alta antiguidade, e que fazia parte de certos rituais, embora sem esquecer antes de mais que se tratavam de religiões de culto da Grande Deusa.
(...)

Com efeito, o homem primitivo invejava à Mulher o seu mistério, a sua ambiguidade fundamental, o seu poder de dar a vida, o homem moderno porém esqueceu, pela sua educação completamente masculinizada, este desejo metafísico da Mulher Divina. Esse desejo encontra-se no estado inconsciente em todos os indivíduos. Os poetas e os artistas os traduzem nas suas obras, os outros nos seus comportamentos aparentemente inexplicáveis ou simplesmente aberrantes como é o caso da imitação fisiológica e do fetichismo do vestuário.
(...)

O padre que oficia nos seus trajes de cerimónia, todos de origem feminina, e o travesti, castrado ou não, obedecem a um mesmo desejo. Destapar uma ponta do véu , descobrir o famoso véu de Ìsis.
(...)

Á força de rejeitar o que a Feminilidade traz como solução à angústia do homem, cria-se em todo o caso uma humanidade perfeitamente neurótica.
(...)

Suprimindo a noção de Mãe-Divina, ou submetendo à autoridade de um deus-pai, desarticulou-se o mecanismo instintivo que fazia o equilíbrio inicial: daí advém todas as neuroses e outros dramas que sacodem estas sociedades paternalistas.
(...)
Esta querela entre o natural-instintivo e a razão, nunca passou de uma falsa questão, sendo responsável pela cegueira desta sociedade que, querendo corrigir o instintivo, castrou o ser humano do que era a sua profunda natureza.


(...)

In LA FEMME CELTE - de Jean Markale
(Excertos traduzidos directamente do francês)



terça-feira, maio 27, 2003




POEMA DE UMA AMIGA DE "INFÂNCIA"
QUE VIVE EM FRANÇA E ME REENCONTROU NESTA PÁGINA...




Les mots Le Verbe
Les idées
Risquent de dévêtir l’Ame :
Agitée,
Solitaire,
Equivoque,
Transie
Et la vident,
Sous un ciel de plomb.

Grotesques les émotions
-Strictement personnelles-
Caricatures du provisoire
Transfiguration entêtée du continu.

Vulnérable geste
Qui vide le temps
Du temps vide!

«Avec des fleuves d’encre…
…Pistolets du silence

Omnipotence du cœur nu,
Saignant sur la main.
Comme la pierre saigne,
Au regard du soleil
Accouplé à la terre.

Mortels les chiens qui se battent !
Bestialité démoniaque à humilier la vies…

Les mots Les Idées
Le Verbe
Habillés de sentiments
Peuvent habiller l’Ame !



Rosário Duarte da Costa
____________________________________

segunda-feira, maio 26, 2003

"CABE ÀS MULHERES REDESCOBRIR O FEMININO,
DAR À LUZ UMA ALMA NOVA,
CAPAZ DE ASSUMIR A SUA DIMENSÃO CÓSMICA."


Antónia de Sousa




UMA NOVA VOZ


Hoje fui a uma entrevista na rádio, mas não sei qual é programa nem quando vai para o ar...
A jornalista era uma jovem com ar determinado e parecia entusiasmada com o tema do livro, sobretudo com o título...
Uma nova Mulher que desejo use a sua profissão para dar voz à Mulher verdadeira e não aos esteriótipos e aos "produtos" plásticos eleitos pela sociedade machista em decadência, onde a mulher é apenas uma espécie de travesti que apenas serve de capa a gostos mais infantis e perversos, como o é no caso alastrada da pedofilia e dos ícones de pés de barro da televisão, corruptora de valores profundos e que vende apenas lixo!


Há tantos anos que sonho com a oportunidade de as mulheres terem uma nova voz, uma voz verdadeira que venha lá do fundo da alma e do coração e desse tempo antigo em que eram sábias e deusas! Não tanto por mim, evidentemente, até porque sou muito céptica...mas gostava que nascesse uma nova aurora para todas as mulheres no Mundo!

domingo, maio 25, 2003

VIOLÊNCIA SOBRE AS MULHERES



AUMENTA 60% EM 2003

A machista Península Ibérica é abalada por crimes e escândalos em que de uma forma ou outra a mulher é a vítima...
Que os homens matem mulheres ou violem crianças é ainda a Mulher a vítima.
Esta incidência história começa coma as invasões bárbaras há milénios...



Notícia sobre o assassínio de mulheres por parte dos maridos em Espanha, com destaque para uma candidata às eleições do PP numa pacata povoação de Huebla de Hijar, morta com 11 tiros pelo marido. O segundo assassínio desta semana foi em Valência o de uma jovem mulher esfaqueada pelo seu noivo.

O poder patriarcal, abalado pelo conflito dos princípios no domínio masculino exclusivo e o sentido de posse ou da sua idéia, mesmo que inconscientemente, da inferioridade da mulher, o homem confronta-se com a sua afirmação social, política ou mesmo no seio da família e assim, quando a não pode simplesmente dominar ou ridicularizar, mata-a, e baseado nesse “direito” de “chefe de família” continua a violar tanto as mulheres como as crianças...

E quanto mais as mulheres lutam pela sua liberdade e dignidade, mais são violadas, atacadas e ridicularizadas por não corresponderem à imagem e aos padrões do domínio masculino que só aceita a mulher que ele domina, travestiou ou prostituiu ou ainda lhe serve de ícone - o modelo ou mesmo as executivas saídas directamente das suas cabeças de Zeus...Aquelas que eles, de uma ou de outra maneira não temem e correspondem aos seus esteriótipos quer “humanos” quer sexuais...
São essas as mulheres que aparecem nos seus jornais e suplementos, as que os adulam e lhes dão o direito de posse absoluta, mesmo a fingir que são livres!...



“A racionalização do sistema androcrático (dominação exclusiva dos homens) é serem os homens como “chefes de família”, quem toma conta das mulheres e crianças. Esta racionalização baseia-se porém num modelo de realidade que, mais uma vez, ignora quantidades maciças de dados, pois estes demonstram sobejamente que uma das principais razões porque tantas mulheres e crianças em todo o nosso globo vivem na miséria mais abjecta é o facto de, tanto em famílias “unidas” como “destroçadas”, os homens NÃO sustentarem adequadamente as mulheres e os filhos.”


“O CÁLICE E A ESPADA” – Riane Eisler


“O livro mais importante desde a Origem das Espécies de Darwin”
Asheley Montagu

sábado, maio 24, 2003




"PLUS PROFOND EST LE COEUR DES FEMMES
QUE LA PLUS VASTE MER DU MONDE"


"É MAIS PROFUNDO O CORAÇÃO DAS MULHERES
QUE O MAIS VASTO MAR DO MUNDO"


Provérbio bretão da Ilha de Batz

A ALQUIMIA DO AMOR


"A visão da mulher tem um papel importante na Obra de Alquimia.
A mulher que se vê - companheira, amante, ou deusa iniciadora - é a projecção de um oposto a integrar nessa união superior a que se aspira.
É a força transformadora, ela mesma transformada - em mineral, vegetal, animal, ou ainda num dos elementos, ou um astro, ou logo em divindade "(...).


Y.K.Centeno


ENTRE POETISAS...


FINAL DE UMA CARTA
de Cecília Meireles a Fernanda de Castro



"Vê se melhoras do teu pessimismo! Si soubesses o que eu dadria para arrancar-te disso! Verei se te convenço em 1940.
Tenho grandes missões a cumprir em Portugal, quando lá fôr!
A vida não é assim tão ruim, Fernanda. É apenas horrível. Mas nós podemos salvar-nos da vida: Como? Perguntarás.
Vivendo do além vida. Se fores uma boa menina, daqui a um ano te explicarei essa e outras coisas.
Adeus, saudades muitas. Lembra-te de mim e escreve-me. Tua, muito amiga, apesar de um pouco pateta...”




ROSÁRIO:

Não sei porquê, lembrei-me de ti e de te escrever aqui umas pequenas linhas...
Pela tua luta de mulher profissional e mãe e poetisa também...
Agradecer-te os poemas e as flores que me enviaste...e a aconcelhar-te vivamente
a leitura de um livro em francês e visto estares aí em Lyon,
terras de França é fácil...

"LA FEMME CELTE" - de Jean Markale (ed. Payot)


Depois envio-te os meus livros.
O lançamento correu muito bem, mas apesar de cansativo é muito gratificante pelo reconhecimento e presença de amigos
e das pessoas que nos são queridas. Gostava que tivesses estado. No próximo, quem sabe?
No fim de semana escrevo-te...

Um abraço deste Portugal confuso e agonizante, cheio de preconceitos e medos e talvez um pouco pidesco...
De novo a sombra das escutas e das perseguições?...com ou sem razões (os fins não justificam os meios... ), mete-me nojo!


R.L.

sexta-feira, maio 23, 2003




PESSOA PARA TODOS OS MOMENTOS...

Para antes e depois de tudo e de nada,
antes do pequeno almoço ou de madrugada, depois de uma insónia,
do choro ou do riso, depois de uma viagem ou antes da alvorada...
Pessoa em mim ou em ti é igual porque é o único
que disse tudo sem pretender dizer nada:
põe tudo a nu e espelha-nos completamente a alma...


...e assim...a sua conclusão!

Conclusão a sucata !... Fiz o cálculo,
Saiu-me certo, fui elogiado...
Meu coração é um enorme estrado
Onde se expõe um pequeno animálculo...
A microscópio de desilusões
Findei, prolixo nas minúcias fúteis...
Minhas conclusões práticas, inúteis...
Minhas conclusões teóricas, confusões...

Que teorias há para quem sente
O cérebro quebrar-se, como um dente
Dum pente de mendigo que emigrou ?

Fecho o caderno dos apontamentos
E faço riscos moles e cinzentos
Nas costas do envelope do que sou...



FERNANDO PESSOA

quinta-feira, maio 22, 2003

MAAT






DEUSA DA VERDADE E DA JUSTIÇA


QUERO AGRADECER À

MARIANA INVERNO

E A TODOS OS QUE ME APOIARAM NESTE DIA NO


LANÇAMENTO DO MEU LIVRO


ANTES DO VERBO ERA O ÚTERO






O DIA DE DE ONTEM


Queria agradecer ainda as todas as pessoas que vieram a sua presença e as suas palavras


Aos amigos e aos amigos dos amigos e também aos desconhecidos...



No desejo de um ser inteiro


"O andrógino é um ser inteiro, aquele que já integrou os dois lados de si mesmo
e que pode portanto, em consciência,
escolher plenamente a sexualidade que mais lhe convenha.
A verdadeira androginia é anímica, psicológica, não tem que se notar a nível da
aparência nem dos comportamentos - o sexual, por exemplo."



(excerto da entrevista)
ROSA LEONOR PEDRO

terça-feira, maio 20, 2003



O LIVRO

...a miséria é a do verdadeiro espírito que falta, não o das crenças, sejam elas ideológicas ou religiosas, é a falta da alma, é a falta do feminino no mundo. É a falta da poesia também e da Musa...ou da Deusa Mãe.


Acho que (o ser humano) só pode ultrapassar os seus aspectos sombra, os mais vulgares, pelo recuo de inteligência e da aceitação dos seus dois lados - luz e sombra - um acto, diria, de quase complacência consigo mesmo.

...os místicos cristãos falham por repudiar a mulher e voltarem-se para o pai do céu, contrariando a sua natureza humana e a sua parte feminina e a mulher, tendo-a apenas manifesta numa adoração casta pela Virgem. A sombra representada pela serpente - Lillith - a tentadora da mulher, simbolizando o pecado da Eva...assusta todos os homens, mas também assusta as mulheres que se encontram cindidas na sua natureza de amantes para serem castas esposas ou então condenadas como Lillith a demónios...


Excertos da Entrevista feita a Rosa Leonor Pedro

por Mariana Inverno, Fundadora do Projecto ART FOR ALL



PODE ENCOMENDAR O LIVRO NA:


ART FOR ALL







CONVITE




ROSA LEONOR PEDRO e

MARIANA INVERNO

convidam todos os amigos a assistir ao



LANÇAMENTO DO LIVRO


ANTES DO VERBO ERA O ÚTERO




no PALÁCIO CONVENTO DA TRINDADE

dia 22 DE MAIO DE 2003, PELAS 18H 30

PALACIO CONVENTO DA TRINDADE
Rua Nova da Trindade, 16 - 1º
1200-303
tel: 213223500


Adiamento

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não...
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico...
Esta espécie de alma...
Só depois de amanhã...
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-rne para pensar amanhã no dia seguinte...
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos...
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o rnundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã...
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro...

Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã...
Quando era criança o circo de domingo divertia-rne toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância...
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital...
Mas por um edital de amanhã...
Hoje quero dormir, redigirei amanhã...
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo...
Antes, não...
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.
Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã...
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã...
Sim, talvez só depois de amanhã...

O porvir...
Sim, o porvir...


Álvaro de Campos

segunda-feira, maio 19, 2003



O DESASSOSSEGO DA VIDA...


HÁ MÁGUAS ÍNTIMAS...

"Há máguas íntimas que não sabemos destinguir pelo que contêm de subtil e de infiltrado,
se são da alma ou do corpo, se são o mal estar de se estar sentido a futilidade da vida,
Se são a má disposição que vem de qualquer abismo orgânico - estômago,´fígado ou cérebro.
Quantas vezes se me tolda a consciência vulgar de mim mesmo, num sedimento torvo de estagnação inquieta!
Quantas vezes me dói existir, numa náusea a tal ponto incerta que não sei destinguir se é tédio,
se um prenúncio de vómito! Quantas vezes..."

(...)


SABER DIZER!

Dizer! Saber dizer! Saber existir pela voz escrita e a imagem intelectual!
Tudo isto é quanto a vida vale: o mais é homens e mulheres, amores supostos e vaidades factícias,
subtergúgios da digestão e do esquecimento, gente remexendo-se, como bichos quando se levanta uma pedra,
sob o grande pedregulho abstracto do céu azul sem sentido.


27-7-1930


LIVRO DO DESASSOSSEGO
Fernando Pessoa




MEA CULPA

(...)
A natureza é minha mãe ainda...
É minha mãe... Ah, se eu à face linda
Não sei sorrir; se estou desesperado;

Se nada há que me aqueça esta frieza;
Se estou cheio de fel e de tristeza...
E de crer que só eu seja o culpado!



Antero de Quintal


AFORISMOS - de AGUSTINA BESSA-LUÍS

"Nada há de mais desgraçado como as mulheres; carregam com a miséria e não dão por isso."

"É insondável o coração de uma mulher."

domingo, maio 18, 2003

VAMOS LÁ VER O QUE SE PASSA ....




.....PELO PAÍS ADENTRO...

A cidade do Porto é dirigida pelo presidente do Clube de futebol lá do sítio. O povo inteiro vai para Sevilha, custe o que custar um bilhete para ver a final da taça “não sei quê”, que é uma grande causa nacional, e dormem à porta do estádio para poder comer, perdão, comprar um bilhete, com a promessa solene do dito presidente de conquistarem “Sevilha”?
Enquanto isso, o Rio d’ouro corre lentamente pelas margens da política.



Eis o Portugal do Futebol, das procissões e das velas...e da caça às bruxas...

Contudo, em Felgueiras, deu-se um milagre e a “bruxa” transformou-se numa nova Nossa Senhora de Fátima...

Homónima da Nossa Senhora, Fátima Felgueiras "exilada" no Brasil e tendo dupla nacionalidade (brasileira) é defendida na sua ausência pelo povo da terra dos resquícios mentais "salazaristas" - segundo o advogado brasileiro que a defende no Brasil para onde ela fugiu - que a querem prender (e eu penso o mesmo que ele, por mais que custe aos socialistas e comunistas deste país ou o que quer que sejam - não falo obviamente do Governo que é de direita ) e portanto como ela sofria de claustrofobia e foi para a sua 2º terra natal, o povo de cá ficou solidário e fizeram-se procissões de velas pela nossa Fátima em seu apoio porque ela é bondosa e simpática e as mulheres defendem-na com unhas e dentes, enquanto os homens-polícias-políticos de esquerda ou de direita (sempre iguais entre si ) a perseguem por SUSPEITA de qualquer coisa que todos os "presidentes" desta ou daquela maneira fazem desde sempre...Mas como é mulher andam os machos todos atiçados pela sua fuga. Mais uma bruxa que lhes escapa à inquisição...porque roubar, roubam todos e não venham cá com cantigas como diz a sabedoria popular que é quem mais ordena!!! Nem que seja ao murro. Venham lá eles com a polícia....

Idade Média?? Não!!!!! Portugal é Europa...

Eh, eh, eh, eh...



Vamos é todos de joelhos a Felgueiras rezar a mais uma Mãe da terra...que os homenzinhos "de pés pequenos e a cabeça a condizer" perseguem furiosos e vexados uma mulher esperta que lhes escapa o que eles não suportam...
Quem sabe haja mais um milagre e ela não roubou nada, mas deu tudo ao clube de futebol lá da terra?...



Eh, eh, eh...eh...eh...

lembram-se da filosofia do dinheiro????

sábado, maio 17, 2003



“A FILOSOFIA DO DINHEIRO”
(...)
Quanto mais o dinheiro se torna o único centro de interesse, mais a honra e a verdade, o talento e a virtude, a beleza e a sanidade mental se tornarão uma mercadoria vendível; e uma atitude cínica, escarninha e frívola desenvolver-se-à a seu respeito.
(...)
Tudo é vendívil e o valor de tudo é determinado pela sua “vendilbilidade”, ao ponto de tudo o que não produza lucro no mercado não ter qualquer valor. Isto leva ao poder do dinheiro seduzir indivíduos de talento, honra e criatividade que desejem ganhar reconhecimento e recompensa pelo seu trabalho, vendendo-se ao mercado.
(...)
Os indivíduos resignam-se à sua inevitabilidade, como se fosse uma lei universal; com efeito, verificamos que os chamados valores superiores de verdade, beleza e honestidade intelectual são considerados praticamente inúteis, mera auto-.compaixão.


FIM DA CIVILIZAÇÃO?

In “Os fundamentos da moralidade”
De George Frankl


O MITO AMOR UNIVERSAL...

De Freud para Romain Rolland

"Mas se esta mesma esperança (do amor universal) não
pode ser, pelo menos em parte, realizada, se no curso
da evolução não aprendermos a afastar os nossos
instintos de destruir a nossa própria espécie, se continuarmos a
odiar-nos uns aos outros por pequenas diferenças e a matar-nos
uns aos outros por pequenos ganhos, se continuarmos a
explorar o grande progresso que é feito no controlo dos
recursos naturais para a nossa própria destrução mútua, que
espécie de futuro nos estará reservada?"


( Em 4 de Março de 1923)


NOTA A MARGEM

Passaram oitenta anos, depois que esta carta foi escrita...e o mundo já não tem qualquer moral ou escrúpulos: a corrupção é absoluta tanto na política como na polícia e os ladrões já roubam fardados a exemplo dos próprios polícias e a todos os níveis e no mundo inteiro quase sem excepção; absolutamente tudo se vende: só o dinheiro tem valor na vida das pessoas e a Arte, que seria a salvaguarda dos Valores éticos e da Consciência integra, prostituição ao serviço dos mercados: os editores não passam de “proxenetas”, os livreiros "merceeiros" (vendem ao kilo!) e os autores, gente de jet-set... vendidos pelos artifícios de propaganda - tal como na televisão se faz audiências e as revistas ou jornais se vendem - através da mais rasca ou badalada das imagens de sucesso e quanto mais baixa e estupidificante for a “qualidade”, mais se vende.
Tudo de Caras!!! E a Gente “engole” tudo...

Será que só eu vomito as tripas ou faço das tripas coração para conviver com este mundo?


Será mesmo o fim da Civilização? Ou o fim, apenas, da era patriarcal?

sexta-feira, maio 16, 2003


"As Cárites, as ninfas, as sereias, as musas,
as três graças, as moiras e outras inúmeras figuras,
são as forças melodiosas, dançantes e proféticas dessa mulher inspiradora
e inspirada na qual o masculino, muito mais distante das origens,
busca sabedoria quando impelido pela necessidade"




"O om
pronunciamento primordial da vidência
é a linguagem da água".


"A mulher é, assim, a vidente primordial, a Senhora das águas disseminadoras da sabedoria, oriundas das profundezas; das Fontes murmurantes e das nascentes, pois "o om pronunciamento primordial da vidência é a linguagem da água". Não obstante, a mulher também conhece o sussurro das árvores e todos os sinais da natureza, a cuja vida está tão fortemente ligada. O rumor das águas das profundezas é somente um aspecto externo do murmúrio interior do próprio inconsciente, que nela se eleva espiritualmente como água a um gêiser.

Ela é o centro da magia,
do cântico mágico e enfim da poesia


Ela é o centro da magia, do cântico mágico e enfim da poesia, pois a situação extática da vidente resulta de ela ser dominada por um espírito que irrompe dentro dela, o qual se pronuncia a partir dela , ou melhor, que nela se denuncia e se manifesta, em forma de invocação rítmica e intensa. Ela é a fonte de onde Odin obteve as runas da sabedoria, bem como a Musa, a origem das palavras que fluem do âmago do poeta e sua anima inspiradora.
Como força inspiradora ela pode se manifestar isoladamente, na forma tríplice que já conhecemos, e ainda num contexto plural indeterminado. As Cárites, as ninfas, as sereias, as musas, as três graças, as moiras e outras inúmeras figuras, são as forças melodiosas, dançantes e proféticas dessa mulher inspiradora e inspirada na qual o masculino, muito mais distante das origens, busca sabedoria quando impelido pela necessidade. E vezes e vezes seguidas, encontramos essa mulher mântica ligada aos símbolos do caldeirão e da caverna, da noite e da lua.


Vaso da vida e da morte,
da renovação e do renascimento


Com efeito, o caldeirão não é o só vaso da vida e da morte, da renovação e do renascimento, mas também da magia e da inspiração. O caráter de transformação que lhe é inerente passa pela decomposição e pela morte, para chegar à intensificação extática e ao nascimento do espírito eloquente, o qual conduz sob inspiração extática à palavra, ao cântico e à profeciaa, como sintomas do renascimento.
(...)
ERICH NEUMAN in "A GRANDE MÃE"

quinta-feira, maio 15, 2003




Diante do mar


Oh, mar, enorme mar, coração feroz
de ritmo desigual, coração mau,
eu sou mais tenra que esse pobre pau
que, prisioneiro, apodrece nas tuas vagas.

Oh, mar, dá-me a tua cólera tremenda,
eu passei a vida a perdoar,
porque entendia, mar, eu me fui dando:
"Piedade, piedade para o que mais ofenda".

Vulgaridade, vulgaridade que me acossa.
Ah, compraram-me a cidade e o homem.
Faz-me ter a tua cólera sem nome:
já me cansa esta missão de rosa.

Vês o vulgar? Esse vulgar faz-me pena,
falta-me o ar e onde falta fico.
Quem me dera não compreender, mas não posso:
é a vulgaridade que me envenena.

Empobreci porque entender aflige,
empobreci porque entender sufoca,
abençoada seja a força da rocha!
Eu tenho o coração como a espuma.

Mar, eu sonhava ser como tu és,
além nas tardes em que a minha vida
sob as horas cálidas se abria...
Ah, eu sonhava ser como tu és.

Olha para mim, aqui, pequena, miserável,
com toda a dor que me vence, com o sonho todos;
mar, dá-me, dá-me o inefável empenho
de tornar-me soberba, inacessível.

Dá-me o teu sal, o teu iodo, a tua ferocidade,
Ar do mar!... Oh, tempestade! Oh, enfado!
Pobre de mim, sou um recife
E morro, mar, sucumbo na minha pobreza.

E a minha alma é como o mar, é isso,
ah, a cidade apodrece-a engana-a;
pequena vida que dor provoca,
quem me dera libertar-me do seu peso!

Que voe o meu empenho, que voe a minha esperança...
A minha vida deve ter sido horrível,
deve ter sido uma artéria incontível
e é apenas cicatriz que sempre dói.


Alfonsina Storni
(Tradução de José A. Baptista)

quarta-feira, maio 14, 2003



FÁTIMA, LURDES, MEDUGORJE...

A procura do ECO da Grande Mãe, da devoção e do princípio feminino de Paz e Amor.
Lugares de ressonância, manifestação da força do Arquétipo da DEUSA_MULHER e esperança do retorno da Deusa
Senhora de si mesma e que cura as almas e alivia os aflitos. Homens e mulheres choram e rezam, rendem-se a seus pés...


EU SOU...A DEUSA

Eu sou a Grande Mãe, fui antes de toda a criação,
antes mesmo de toda a existência.
Sou a força primitiva, ilimitada e eterna.
Eu sou a Deusa pura da Lua, a Senhora de toda a magia.
Os ventos e folhas ondulantes cantam o meu nome.
Repouso sobre a Lua e meus pés dançam nas estrelas do céu...
sou todos os mistérios por desvendar,
O novo caminho.
Eu sou o campo lavrado pelo arado.
Sou a alegria daqueles que atendem o meu chamado
Sou aquela que traz a abundância e força.

Eu sou a Mãe santificada
Sou a senhora das colheitas
Sou a senhora vestida da plena natureza
Sou o perfume da terra fresca
Sou o brilho das sementes douradas dos campos cultivados
Sou aquela que governa as marés
Sou o refúgio e a cura
Sou a vida e que germina em tudo e em todos.
Sou a velha, e a nova o próprio ciclo da morte
e do renascimento
Sou a grande roda
Sou a sombra da lua
Sou eu quem rejo as mulheres e homens
Sou eu quem dá a libertação e a renovação às almas cansadas
Sou a Deusa da Lua, da Terra e dos Mares
Meus nomes são muitos e infinitos
É das minhas mãos que sai a perspicácia, a paz,
a sabedoria e a compreensão.
Sou a eterna jovem
Sou a Mãe eterna
Ainda que me chamem imensos nomes
Sou eu sempre a mesma
Quem envia a minha doce paz sobre cada coração.


(Anónimo)


Mulheres e Deusas, poetisas, poetas...

E políticamente incorrecta, sempre, a minha Bruxa de estimação e amiga do coração,
é tudo o que aqui evoco. Nada mais merece a minha atenção neste mundo em corrupção crescente...
Às vezes é difícil persistir nesta selva política e televisiva em que o futebol é rei e a miséria e a guerra toda a informação...
A caça às bruxas em todas as formas, esquerda e direitas às avessas e os "homens de pés pequeninos cabeça a dar com os pés"
conduzem o mundo para o caos, sempre arrogantes e soberbos no seu orgulho de machos, falam de poder, armas e finanças ...


"É um país carregado de vícios
carregado de velhos

Homens pequenininos
cabeça a dar com os pés"


Y.K.Centeno

DENTRO DO NOSSO PRÓPRIO PAÍS VIVEMOS O...

Exílio

Quando a pátria que temos não a temos
Perdida por silêncios e por renúncia
Até a voz do mar se torna exílio
E a luz que nos rodeia é como grades



Sophia de Mello Breyner Andersen

Memória dividida, Casa Fernando Pessoa, 1999 - Lisboa, Portugal

POESIA EM "MULHERES QUE AMO"

Esqueci o meu gato...




"O poeta superior diz o que efetivamente sente.
O poeta médio diz o que decide sentir. O poeta inferior diz o que julga deve sentir.
Nada disto tem a ver com sinceridade. Em primeiro lugar ninguém sabe o que verdadeiramente sente..."
(continua)

Fernando Pessoa

terça-feira, maio 13, 2003



DIA 13 MAIO DE 2003




" CHAVE Secreta de activação do Véu da Mãe do Mundo ".



A MÃE DIVINA

(...)
Este Éter, meus irmãos, Ele foi levado pela Mãe Divina, e o Centro Intraterreno responsável por reemitir este Vulcão Branco de novo para a superfície, é Lys no coração de Portugal. Então, olha, nós estamos neste Vulcão Branco, que é Portugal! Isto é uma imagem transcendente e telúrica, simultaneamente. Finalmente, conseguimos unir os dois: O Vulcão de Luz Branca. Portugal é um dos orifícios (or - ofícios) de remoção da Mãe Divina - daí se falar do Império do Espírito Santo - de remoção da Mãe Divina para a atmosfera. Esta zona do mundo contém um portal de Éter Primordial.

E o Anjo da Nação, isto é, o Ser que deu Língua, semântica, timbre, tonalidade telepática à nossa Língua - uma Língua é um casamento mágico entre o coração, a laringe e a pineal. Senão, não há Língua. Não há idioma. - o Anjo de Portugal, ao criar o Português - e agora vocês notem a importância da lusofonia... - o Anjo de Portugal, ao criar o Português, colocou aí uma chave secreta de activação do Véu da Mãe do Mundo. E o mantra da Língua Portuguesa invoca, secretamente, o retorno do Éter Primordial, à superfície. A Mãe do Mundo levou este milagre do espaço com Ela e convexionou-o nos grandes alvéolos geológicos, alvéolos com cem quilómetros quadrados, que formam o Mundo Intraterreno. E, aquilo a que se chama a Cintura da Agarta. Esses Mundos já existiam antes da Atlântida.
(...)
E Portugal é este reservatório, este contentor, do Milagre do espaço. Que uma vez incandescendo à superfície do Planeta, cura a humanidade. E com isso plasma o Novo Ser!
(...)
E, ao mesmo tempo que estes nossos Irmãos fazem esse Trabalho Interno, e, portanto, trazem a Energia de Órion para a Terra, a Mãe desperta! E Ela desperta ao começar a girar chaves nas glândulas. A girar chaves nas células. A girar chaves no sangue. A girar chaves na nossa constituição material. E a nossa consciência está no meio a assistir à acoplagem; isto é: a emergência da Mãe, vinda do Profundo, com a sua união com o Fogo do Espaço, que vem do Alto. Quando esta união é completa, os mecanismos de giro do Corpo de Luz são disparados, e a matéria e o Espírito fundem-se! Vou repetir: A matéria e o Espírito fundem-se!!
E o nosso corpo astral, está tendo o seu campo electromagnético removido e com ele, com o velho campo electromagnético, vão todas as antigas tendências astrais. E a Mãe, através da sua emergência, Ela traz um novo campo electromagnético que se está implantando no corpo astral. Uma nova vida de sentimento! O mesmo com o corpo mental."


André Louro



O NEÓFITO

"O neófito tem mais chances de alcançar um determinado modo de ser - por exemplo, tornar-se homem ou mulher - se antes se tornar simbòlicamente uma totalidade. Para o raciocínio mítico, um modo particular de ser é necessáriamente precedido de um modo TOTAL de ser. O andrógino é considerado superior aos dois sexos justamente porque encarna a totalidade e, portanto a perfeição. " M.Eliane



A CIÊNCIA?

A ciência, a ciência, a ciência...
Ah como tudo é nulo e vão!
A pobreza da inteligência
Ante a riqueza da emoção!

Aquela mulher que trabalha
Como uma santa em sacrifício,
Com quanto esforço dado ralha!
Contra o pensar, que é o meu vício!

A ciência! como é pobre e nada!
Rico é o que alma dá e tem.

Fernando Pessoa

domingo, maio 11, 2003



Para a Astrid



sou
eu sou a mãe que escreve
um poema de amor à filha
gerada nos dias estivais
já remotos
do corpo meu aveludado e liso
como uma rosa chá
entreaberta pelo beijo do Amor


sou
eu sou a mãe que fala
hoje dum tempo
em que a terra estremecente se abriu
voluptuosa e magna
no meu ventre prenho do maior sonho
percorrido sem desvios
pela graça infinita da Vida


sou
a Mulher eu sou a Mãe
a que se içou às estrelas
no teu encalço


orei com os anjos
teci com mantras
bordei de ladaínhas
a imbatível escada conducente
à excelsa morada do teu ser


sou assombrada
aquela que beija a tua alma
a que acolhe os teus anseios
enquanto acenas
arrojada e pura
aos longínquos pássaros luzidios
do teu destino


vieste a mim e eu te devolvo à Vida
coroada de poemas de Amor
ó doce Graça Umbral de Luz
amada fresta para Levante


sabes quem sou
e a memória viverá


eu fui será lembrado um dia
a mãe da brisa fresca
na manhã incorrompível


MARIANA INVERNO (1950 - )


"Naître consiste à sortir de la mère et mourrir serait en fait retourner en sa mère.
Alors de quelle mère s'agit-il?
N'est-ce pas le centre, l'omphalos en tant que mère cosmo-tellurique:
conjunction subtil de forces dont toute matière vivante est issue?"


in "L' HOMME ET SON DOUBLE" de Etinne Guillé




Parabéns à Filha e à Mãe ...
“Na ilha de Creta, onde a Deusa ainda era suprema, não havia sinais de guerra.
Aí a economia prosperava e as artes floresciam.”


In O Cálice e a Espada,
de Riane Eisler


O Submarino amarelo?...

707 MILHÕES DE EUROS PARA COMPRAR SUBMARINOS???



Bom...

...Eu não percebo nada de economia nem de política como poderão perceber facilmente - sou apenas suficientemente lúcida e normal para não entender como é que se gastam esses milhões de euros ou dólares em instrumentos de guerra para a “defesa”!? Mas eu sou apenas mulher, claro...
O País está em crise ou em banca rota, não se pagam ou aumentam salários, há desemprego em barda, toda a gente fala nas Finanças e do déficit, no entanto, gasta-se milhões ou milhares de “contos” (e histórias) em submarinos e a suportar as guerras dos outros ou mesmo sustentar marmanjos que andam a brincar às guerras e aos barquinhos - para defender não se sabe bem o quê - (uma invasão espanhola? Ou árabe?) quando este povo é o mais triste, o mais analfabeto e pobre da Europa a olhos vistos de italianos, ingleses ou franceses e até mesmo os espanhóis olham para nós com pena!... O mais constrangedor que qualquer europeu conhece de facto...E basta ver na televisão o desfile de miséria e desgraças, próprias de um povo subdesenvolvido ou terceiro mundista, que não se sabe exprimir, nem falar e o mais atrasado da Europa e esses “senhores” que governam a “nação” não têm vergonha na cara...compram aviões e submarinos ou helicópteros para a Defesa do Estado? E dizem que Portugal está no topo da História?!



Não, não entendo este país nem este mundo de loucos em que se gastam milhões de dólares para sustentar exércitos e armadas e se inventam armas poderosas e bombas atómicas quando há povos inteiros a morrer à fome enquanto que os seus próprios presidentes gastam milhares de diamantes em bodas para casar as filhas à francesa ou os “trimilionários” americanos gastam “trilhões” para baptizar uma só criança!

E dizem depois que nós as “bruxas” e as mulheres somos histéricas ou estranhas...
E que vivemos no mundo às avessas.
..

Eh, eh, eh, eh......

Estou mesmo a imaginar...

...a imaginar que bom seria...
Se eu mandasse, punha os exércitos a fazer serviço cívico...
Aos quartéis usava-os para educar e abrigar os miseráveis que andam por aí a arrumar carros ou a pedir: a esses sim punha-os a fazer serviço cívico obrigatório...
Sim, dos quartéis e prisões fazia hospitais e escolas de paz...para os prisioneiros e criminosos aprenderem a respeitar o próximo dando-lhes condições de vida cavando a terra e cuidando das flores; dava uma vida digna e ensinava às prostitutas a respeitarem-se como mulheres dando-lhes a dignidade que lhes roubaram à nascença, pela miséria sofrida e pelos abusos fora e dentro da família... Às freiras e aos padres...também os mandava plantar batatas para aprender a respeitar a Mãe da terra e não só o Pai do céu...


...ando aqui na noite para apanhar ar e a refrescar as ideias dos afrontamentos...



ando aqui nesta insónia a pensar como...

Os milhões que servem para os "nossos" parias (note-se, os soldados e exércitos) brincarem às armadas e os seus oficiais e ministros a andarem em paradas cheios de ego a olhar para os galões e medalhas e as fardas...servia para educar um povo inteiro desprotegido e ignorante o mais atrasado da U.E. e que envergonha qualquer cidadão com um mínimo de consciência e integridade!

Mas não, eles mandam e preferem as Paradas e o folclore machista de berloques e franjas, num exibicionismo demente das suas patentes e as estratégias da guerra e da morte de outros seres humanos em nome da defesa de um território que demarcaram como os gatos em cio há centenas de anos...


- Será que Einstein era também burro?
Porque odiava ele os exércitos e as suas paradas? Não foi ele que disse:


"Considero digno de desprezo um homem que sente prazer em
desfilar em parada ao som de uma marcha militar. Um homem
assim não merece um cérebro humano, já que uma simples medula
espinal lhe é suficiente.

Deveríamos fazer desaparecer o mais
rapidamente possível este cancro da civilização. Odeio violen-
tamente o heroísmo a pedido, a violência gratuita e o naciona-
lismo idiota.
.


"A guerra é a coisa mais desprezível que existe.
Preferia deixar-me assassinar a participar nessa ignomínia."



A.Einstein

sexta-feira, maio 09, 2003



Sontag is one of America’s best known fiction writers, essayists, and cultural critics. She received her B.A. at the University of Chicago and did graduate work at Harvard University and Oxford University. Her numerous awards include two fellowships from the Rockefeller Foundation, two fellowships from the Guggenheim Foundation, an Arts and Letters Award from the American Academy and Institute of Arts and Letters, and the National Book Critics Award for On Photography. Sontag teaches philosophy, history of religion and literature at a number of universities.

>SUSAN SONTAG


MULHER DE VÁRIAS LUTAS

- Distinguida com o prémio Príncipe das Astúrias

“Admirada por boa parte da intelectualide americana e européia,
senhora de uma voz respeitada nos meios universitários e literários,
tem recebido muitos outros prêmios”

“Numa entrevista ao New York Times admitiu que tinha amado tanto homens como mulheres.
Uma das suas citações mais conhecidas reza que “o que é mais belo nos homens viris é algo feminino;
o mais belo nas mulheres femininas é algo de masculino”


(Excerto tirado do Diário de Notícias de 8/5/03)


Enquanto isso, nós por cá andamos todos à

DERIVA CULTURAL

“A nossa cultura de ocidentais é a religião dessa morte de Deus sem tragédia nenhuma, a de todos nós oficiando noite na planetária Las Vegas televisiva que nos serve de vida”

“O mundo como deserto convoca os deuses dos espaços abertos, Alá ou Buda que não era um deus mas o mais fantástico dos antideuses.”

Eduardo Lourenço



BLOQUEIO EM MOVIMENTO

"Nem merecemos o que nos acontece de bom, nem o que nos acontece de mau. Nisto consiste a fragilidade da nossa auto-estima, o luso-merdismo, o desfocar das expectativas, tanto negativas como positivas. É por isso que é tão forte, entre nós, o discurso do “bota abaixo”
Como o discurso do “basta de bota abaIxo”


Boaventura de Sousa Santos



DEMOCRACIA E UNIVERSIDADE

“O que chamamos hoje democracia assemelha-se tristemente ao pano que cobre a urna onde já está apodrecendo o cadáver. Reinventemos, pois, a democracia antes que seja demasiado tarde. E que a Universidade nos ajude. Ela pode, vós podeis.”

Joé Saramago

In VISÃO – Edição comemorativa.


NOTA Á MARGEM:

Penso que apesar de Saramago ter uma mulher extraordinária e ser um apreciador da mulher em si não lhe passa pela cabeça que caiba às mulheres e não às universidades dos homens que formam a sua democracia sem o feminino - apesar de haver mais mulheres do que homens a (de)formarem-se...- salvar-nos desse cadáver pestilento que é a chamada democracia dos homens onde a mulher ainda é obrigada a prostituir-se e depois ser, ainda nos nossos dias, perseguida como na Idade Média, quer pelas outras mulherzinhas da tribo, quer pelos políciais, quando já são exploradas pelos chulos e sabe-se lá mais o quê?

Não será que caímos numa Idade Média qualquer “moderna” e podre onde as pestes se alastram como a guerra e as armas aliadas?...

- O Governo português vai mandar 120 "soldadinhos de chumo" para o Iraque para ajudar a ocupação nazi americana.
Esta dá vontade de rir para impedir um vómito...

quinta-feira, maio 08, 2003




LEMBRAR ANA HATHERLY

RECENTEMENTE PREMIADA PELA SUA OBRA
LÚCIDA E SINGULAR



«A SOLIDÃO E O AMOR»
(...)
Na origem do impulso para a comunicação amorosa estaria, pois, uma consciência da cisão intrínseca do ser humano, da separação dentro de si e em relação aos outros. O corpo é o primeiro sintoma de incomunicabilidade, o corpo é a forma exterior da interior forma hermética do ser humano. Os corpos são entidades, como os seres que transportam e, se por um lado são reflexo, por outro são aquela superfície em que tudo se reflecte. Por isso o corpo é o ponto de partida para o amor. Talvez cessando o corpo também o cesse, mas entretanto tem de ser considerado como o instrumento mais causador da nossa solidão, portanto, o mais imediatamente capaz de nos permitir ultrapassá-la.
(...)
O sexo é a matriz do nexo. O amor pressupõe de facto uma iniciação: o reconhecimento da cisão e a sua ultrapassagem. A Iniciação interessa a todos: homens, mulheres, pessoa, pessoas, espírito, solidão, amor, cisão, fusão: apenas aspiração ao absoluto da comunhão perfeita, impulso para a superação do eu pessoal no eu impessoal superior.


O RISO E O CHORO
(...)
Sendo a condição humana dramática, o seu destino e a sua existência embebidos em dor, o Ser lúcido que possua em alto grau a força de pensar e de sentir, estará mais naturalmente inclinado à tristeza do que ao riso. Assim a tragédia, produto natural de um pensamento-vivência, premente de angústia e de tristeza é, apesar disso, dinamizante na medida em que estimula um progresso. Colocando o ser perante um destino que parece inexorável, aponta-lhe paradoxalmente os caminhos de esperança da transcendência.



IN «AS NOVE INCURSÕES» de Ana Hatherly

Nota: substitui "o homem" por Ser em itálico...


PORQUE O PRANTO NA CASA DO POETA
NÃO É PERMITIDO,
NEM ISSO CONVÉM


Safo - Fragmentos

quarta-feira, maio 07, 2003

O MISTÉRIO FRENTE À OBJECTIVIDADE:

SALTO QUÂNTICO


"A ciência materialista receberá um golpe mortal...um a um, os factos e os processos das oficinas da Natureza encontrarão o seu caminho para as ciências exactas, enquanto alguns raros indivíduos receberão uma ajuda misteriosa para desvendar os arcanos. "


MADAME BLAVATSKY (c.1888)

terça-feira, maio 06, 2003



LADAÍNHAS PAGÃS


Não me apetece escrever mais nada senão uma reza, como uma promessa, uma peregrinação a caminho de Fátima como de Delfos há milhares de anos, ou de um qualquer outro lugar consagrado à Grande Deusa, à Grande Mãe da antiguidade, desde todos os tempos consagrada e a que todos apelamos, eu farta de mundanidade, de exposições e filmes e crueldade, mentiras lutas e guerras, peço á Deusa como o poeta:


Beija-nos suavemete na fronte,
Tão levemente na fronte que não saibamos que nos beijam
Senão por uma diferença na alma.

E um vago soluço partindo melodiosamente
Do antiquíssimo de nós


De uma oculta vontade de soluçar,
Talvez porque a alma é grande e a vida pequena,


Vem e embala-nos,
vem e afaga-nos,


Vem cuidadosa
Vem maternal,


(...) F.P.

PELA PAZ ENTRE AS MULHERES TAMBÉM...

Ó Mãe eterna
Tudo o que mais anseio neste mundo
é tornar-te presente, substancial, alimento.

Tudo o que mais queria era saber se sabes
dos meus passos e os segues...
Como o Anjo segue a criança de cada vez que se encontra à beira do abismo,
e não sabe que corre perigo de cair...


Tudo o que eu queria era ver-te aparecer de novo na Terra,
Luminosa e radiante, cheia de amor e doçura
Virgem e Senhora de ti como na aurora dos tempos,
durante os milénios em que reinaste sem culpa nem pecado!

Queria, converter o Mundo ao teu culto pagão, sem credos nem padres,
sem mais divisões e lutas entre nós... mulheres.

Amen


"ANTES DO VERBO ERA O ÚTERO"
Rosa Leonor Pedro - Lançamento dia 22/5/2003

segunda-feira, maio 05, 2003

" A mulher tem em si uma sabedoria, uma espécie de sabedoria inata,
um catalizador único de realização.
(...)
"A mulher está de si potencialmente ligada ao conhecimento e à sabedoria."
(...)
"A mulher realizada tem a "maitrise" da dualidade e ajuda o homem a transcende-la.
Enquanto que o homem tem acesso ao conhecimento, que é sobretudo, vontade."





"Aimer est une oeuvre de chaque instant qui se construit et se tisse, avec patience et détermination, en tâtonnant et en doutant, illuminé par des rayons de lumière du diamant imaginé. Lámour au sens le plus large du terme est une quête continue, incessante, comparable en ce sens à la quette de la Pierre Philosophal avec en plus le fait que nous avons um compagnon ou une compagne, que nous sommes deux à la faire et que nous savons peut-être mieux où nous allons qu' en étant seul! "

(...)

AMOUR, COEUR COURAGE: COURAGE VIENT DE COEUR ET LE COURAGE DU COEUR C' EST L' AMOUR. Aimer c' est aussi acepter l' autre avec ses limites. Les vrais limites: pas des limites artificielles imposées para l' éducation, le contexte socio-culturel ou les cônes lumineux limitatifs dont je parlais cidessus: Rappelles-toi-le dialogue du couple: tulipe/rose."

Étienne Guillé



Roses du soir

Des roses sur la mer, des roses dans le soir,
Et toi qui viens de loin, les mains lourdes de roses !
J'aspire ta beauté. Le couchant fait pleuvoir
Ses fines cendres d'or et ses poussières roses...

Des roses sur la mer, des roses dans le soir.

Un songe évocateur tient mes paupières closes.
J'attends, ne sachant trop ce que j'attends en vain,
Devant la mer pareille aux boucliers d'airain,
Et te voici venue en m'apportant des roses...

Ô roses dans le ciel et le soir ! Ô mes roses !



RENÉE VIVIEN, (1877-1909)

domingo, maio 04, 2003




SEM MUSAS NÃO HÁ POETAS...


"Através da tradicional veneração da Deusa Branca ela torna-se uma com a mulher real, sua representante humana, sacerdotiza, profetiza ou rainha-mãe. Nenhum poeta que exalte a Musa pode experimentar conscientemente a existência senão na sua experiência da mulher pois temos de considerar que é na mulher que reside a Deusa seja em que grau for.(...) Um poeta que exalte a musa abandona-se absolutamente ao amor e a mulher que ele ama na vida real é para ele a encarnação da Musa.
(...)
Mas o verdadeiro poeta, perpetuamente obsediado pela Musa, faz a distinção entre a Deusa na qual ele reconhece o poder supremo, a glória da sabedoria no amor de uma mulher, e a mulher indivíduo que a Deusa pode tornar seu instrumento por um mês, um ano, sete anos ou mesmo mais. O que é próprio da Deusa fica; e talvez o seu poeta tenha de novo a possibilidade de a reconhecer através da experiência que possa vir a ter de uma outra mulher "


in "A DEUSA BRANCA "
de Robert Graves





`A MUSA E À DEUSA MÃE...


Enlouqueci ou a Musa chama-me?
Não a ouves?
Não a ouves nas folhas que sussurram,
na voz suave do vento, no riso da água?
Não a ouves?

Se é loucura, que eu enlouqueça!
Que eu parta em busca dela, gritando
ao céu brilhante: desce deusa que cantas, desce:
traz-nos a tua música imortal:

O som das flautas que tocam como o vento
sobre a erva que se curva, ao som das cordas tangidas
como a súbita luz do Sol, o som límpido
da tua voz que emociona o mundo inteiro.



in "O CAMINHO DA DEUSA "
de Patricia Monaghan

sexta-feira, maio 02, 2003

DUAS MULHERES E POETISAS QUE FORAM,
EM SÉCULOS DIFERENTES,
CONSIDERADAS A DÉCIMA DAS MUSAS...




SAFO


"Parece como si el espíritu griego hubiera necesitado de Safo para dar el último paso en el mundo de la intimidad
del sentimiento subjetivo.
Los griegos deben haber sentido esto como algo muy grande cuando honraron a Safo, según dice Platón,
como a la décima musa…"
"Al espíritu heroico de la tradición masculina añaden los cantos de Safo el fervor y la grandeza del alma femenina
en la cual vibra el elevado sentimiento de la vida en comunidad.
Entre la casa materna y la vida matrimonial se interpone una especie de mundo ideal intermedio que no podemos
concebir sino como una educación de la mujer de acuerdo con la más alta nobleza del alma femenina".


Werner Jaeger



Arauto da primavera, amada
voz, rouxinol...


Vinde agora amadas Graças
e Musas de belas cabeleiras!


Quem é belo é belo de ver, e basta;
mas quem é bom subitamente será belo


Nem eu sei o que fazer: o pensamento dividido

SAFO - Fragmentos




Sor Juana Inés de la Cruz


Juana de Asbaje, mejor conocida como Sor Juana Inés de la Cruz, nace en Nepantla, en el año de 1651.
Primera feminista de América, y gran nacionalista mexicana, posee un enorme caudal de conocimientos,
que en su época, maravilla a todos. En su corta existencia escribe poemas y obras de teatro cuya perfección
en la forma y el estilo, aún hoy asombran.






Deténte sombra de mi bien esquivo,
imagen del hechizo que más quiero
bella ilusión por quién alegre muero
dulce ficción por quién penosa vivo

Si al imán de tus gracias atractivo
sirve mi pecho de obediente acero
para qué me enamoras lisonjero,
si has de burlarme luego fugitivo?

Mas blasonar no puedes satisfecho
de que triunfa de mí tu tiranía
que aunque dejas burlado el lazo estrecho

que tu forma fantástica ceñía,
poco importa burlar brazos y pecho,
si te labra prisión mi fantasía


Sor Juana

quinta-feira, maio 01, 2003

DIA 1 DE MAIO - BELTANE




DIA DA MÃE? ou um dia da Mulher?

COMO UM DIA DA MÃE?

"Encontramos em Herman Hesse alguns dos melhores exemplos da experiência transformadora da morte e da vida da mulher que a representa. Em Demien, Frau Eva é a iniciadora do herói e revela-se-lhe no fim como uma força cósmica, que ao mesmo tempo que se alimenta da vida (por isso é morte) a transforma e gera de novo. O seu corpo, grande como uma montanha, engole hostes humanas. As estrelas brilham no seu cabelo, e na fronte tem um sinal que a distingue (o sinal dos eleitos). O processo de que ela participa é o da mutação do humano no cósmico, ou divino: absorve os homens, e dá á luz pela fronte (...) milhares de estrelas. Isto é, a matéria humana transforma-se, por obra e graça da morte, em pura energia espiritual.

Em Narciso e Goldmund a morte é dada igualmente por um símbolo feminino. Não a iniciadora, como em Demien, mas a mãe. É a mãe que agora se identifica com a morte. E a morte é cheia de volúpia e amor, é a força que atrai e liberta tanto quanto faz sofrer. É a grande mãe Eva, como lhe chama Goldmund. E conclui: “sem mãe não se pode amar, sem mãe não se pode morrer”

Esta é a Anima, que mesmo como morte pode ser transformadora, se foi bem entendida, e integrada, como acontece aqui com Goldmund. Ou a vida ou a morte, a alquimia conduz à harmonização, à resolução de conflitos e tensões, e o amor a sua verdadeira natureza."


(...)
in “A Alquimia do Amor” de Y.K. Centeno


saudades da SUBROSA

“sem mãe não se pode amar, sem mãe não se pode morrer”


- Deste trecho salienta-se sem dúvida a importância da Mãe iniciadora, da Mãe que dá a vida e a morte...Quando se conclui que sem Mãe não se pode amar nem morrer, está-se a dizer mesmo sem querer que a sociedade patriarcal ao matar a mãe e anular a mulher está a impedir todos os seres de amar e de saber morrer, porque só se pode saber morrer amando a vida e quem nos dá a vida e representa as forças da própria Terra. Quem não ama a mãe, não respeita as mulheres, não pode respeitar a natureza. É por isso que o mundo se encontra neste estado de desequilíbrio e guerra onde os filhos sem mãe ou os filhos da ”puta” que os homens criaram ao dividir a mulher em duas, só sabem odiar e matar e ver no próximo um inimigo a abater. Sem a Grande Mãe, sem a Deusa e sem o princípio feminino o Mundo caminha para um caos em que as sociedades belicosas e falocráticas se armam e recorrem aos exércitos para se defenderem e atacar em vez de se darem e amarem como seres humanos e fraternos. Vivemos num mundo às avessas...em que as mulheres lutam umas contra as outras em vez de se unirem...



"4 MÃES DE BRAGANÇA..."

-OU OUTRA FORMA DE CAÇA ÀS BRUXAS?...

AS MULHERES CONTRA AS MULHERES...

Ontem quatro mulherzinhas de Bragança, juntamente com uma centena de outras mulherzinhas lá do sítio, e "podia ser em qualquer outro canto do País" (dizia o presidente de qualquer coisa com um ar benévolo e cúmplice dos homens claro)...reclamavam contra as prostitutas das boites (por suposto brasileiras, note-se a subtiliza...) que desafiam os seus maridos (ao pecado?) e os fazam perder a cabeça e perder o dinheiro e deixam os filhos e a elas sem comer...tal e qual como na Idade Média, as mulheres "esposas" contra as outras as "putas" e se fosse possível ainda não hesitariam em as queimar nas fogueiras como bruxas...para defender o lar...e o pão...como lhes ensinaram os padres há centenas de anos?

É este o País real onde a ignorância e a miséria toma as mais diferentes formas, enquanto os políticos constróiem um mundo àparte e fictício de economias e intrigas palacianas...tão longe da realidade das pessoas humanas na sua aflitiva miséria...porque este ódio da mulher à mulher é a maior das misérias que impera no mundo...



A PROSTITUIÇÃO O QUE É ? QUEM SÃO AS MAIORES VÍTIMAS?

“Actualmente a exploração comercial da sexualidade feminina, oferece uma ideia superficial, desvinculada do afecto, sustentada em modelos descartáveis, consumistas, estereotipados e preconceituosos, com a imposição da estética e como prerrogativa exclusiva da juventude.

Mas, a quem interessa a permanência desta concordância colectiva? Quem se beneficia de tudo isto? Há interesses económicos na questão? Certamente que sim, e em prejuízo da saúde psíquica de muitas mulheres, divididas em categorias: as que dão lucro, as santas e as outras... Assim, conflituada entre opiniões maniqueístas, onde o bem e o mal se degladiam por um espaço reconhecido, as mulheres geralmente submetem-se às regras do jogo, geridas por poderes seculares diversos.”


- É O SISTEMA SOCIAL PATRIARCAL O CULPADO E NÃO AS MULHERES...mas elas as "santas" do lar preferem defender os maridos também uns "santos" e julgar as "outras" as más da fita...



FREE CLIP ART - CELTIC

A "BOMBA MÃE"...para destruir a Terra Mãe ?

A América autocrata e armada até aos dentes, criando um “Bomba mãe” Mãe de todas a bombas (como é que se atrevem chamar mãe a uma bomba ou não sejam eles os próprios filhos das Bombas?!) e educando seres em competição permanente e ódio e guerra, invadindo e destruindo património da humanidade, enquanto que os ingleses criam uma “sexe bomb”? ou sexo oral...? a África a morrer à fome com os seus líderes a gastar milhões em festas, a Ásia criando seres robotizados e os Europeus a proporem armadas e defesas militares estratégicas, dividem o mundo em sistemas de forças mantendo um espírito de ódio e revanche uns sobre os outros...como há milhares de anos os povos mais bárbaros faziam e ainda se julgam civilizados!

A América invade o Iraque e pune a França...(os americanos nunca mais vão beber champanhe e os franceses deixam de beber coca-cola?), pune quem não lhes obedece e os governos do mundo dividem-se em potências bélicas prontos para se matarem como bestas! O mundo em vez de se unir e se amar e criar instituições de paz e amor e solidariedade mundial, prepara homens para matar e morrer em nome dos seus impérios ou de um deus que inventaram e que se vinga como eles... Gastam biliões de dólares para os sustentar e biliões doutros homens morrem à fome! Este é o seu mundo! O mundo dos homens que adoram um deus de guerra...e se matam em seu nome, seja no Oriente seja no Ocidente.

"A pior das instituições gregárias chama-se exército. Odeio-o." - Albert Einstein

Um mundo em que o princípio da força impera e onde as mulheres são banidas ou subalternas e as mães desprezadas, vive apenas sobre o instinto de morte sem mais hipóteses! A não ser que no mundo inteiro as mulheres despertem e adquiram a consciência do seu poder de paz e amor!