quarta-feira, maio 31, 2006

O QUE PENSAVAM DAS MULHERES ESTES "GRANDES" HOMENS DA FÉ
E COMO CONTINUARAM A PENSAR OS HOMENS DURANTES ESTES SÉCULOS...


São Paulo (apóstolo, ano 67 d.C.)

"Que as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque não
lhes é permitido falar. Se querem ser instruídas sobre
algum ponto, interroguem em casa os seus maridos."

«««««««««««««««««««««

Tertuliano (teólogo cartaginês, século III)

"Mulher, tu és a porta do inferno, foste tu a primeiro violar
a lei divina, a corromper aquele que o diabo não ousava
atacar de frente; tu foste, na verdade, a causa da morte de
Jesus Cristo."

«««««««««««««««««««««««

Alcorão (livro sagrado dos muçulmanos, escrito por
Maomé no século VII, sob inspiração divina)

"Os homens são superiores às mulheres porque Deus
lhes outorgou a primazia sobre elas. Portanto dai aos
varões o dobro do que dai às mulheres. Os maridos que
sofrerem desobediência de suas mulheres podem castigá-
las: deixá-las sós em seus leitos, e até bater nelas. Não se
legou ao homem maior calamidade que a mulher."
A DESSACRALIZAÇÃO DA MATER


”A carruagem da masculinização, que trouxe numa mesma braçada o racionalismo religioso e o positivismo científico, provocou a dessacralização da sexualidade e a redução do eros a festim da corporal – se é que ainda é festim!”**

A “pilhagem dessacralizante da Mater”, como disse Natália Correia*, aconteceu há muito, desde os primórdios da nossa civilização; tudo aconteceu em detrimento da mulher e do Princípio Feminino. E é essa pilhagem do seu ser a que assistimos ainda hoje, neste tempo dito moderno…

O Espírito que era a Mãe, a Matriz ou “A raíz do verdadeiro unificante”* perdeu-se e desde então a mulher foi tratada como uma “espécie” inferior. Desde então a mulher passou a perseguida e explorada pelos patriarcas do deserto e pelos padres cristãos, pelos líderes de todas as ideologias e chefes religiosos de todas as seitas e quase sempre objecto de escárnio e ódio por parte dos homens em geral.
A mulher foi ancestralmente classificada como fonte do mal e do pecado, sendo “suja” a sua natureza e fraca e consciente ou inconscientmente é essa perseguição milenar que a torna ainda vítima ou o “bode expiatório” dos homens em todo o mundo e em todas as escalas socias…

E quando os homens “fazem amor” é para descarregar a sua raiva ou a sua frustração sobre a mulher como se o seu corpo fosse um contentor de lixo. Se o “fazer amor” é apenas o extravasar de uma espécie de ódio e frustração social e humana, a mulher é duplamente vítima…É por serem tratadas dessa maneira que as mulheres sofrem das mais variadas doenças nomeadamente o cancro.
Se bebem e ganham mal batem na mulher e nos filhos. Se o seu Club preferido perde é a mulher que paga e paga se corre mal o dia no trabalho e o patrão o afronta...é culpada a mulher se ele é impotente ou se é desgraçado ou pobre. Em todo o mundo é generalizado de uma forma ou de outra, a mulher como culpada dos vícios do homem e é sempre ela quem paga a factura da sua frustração, seja porque a deseja seja porque a odeia. É presa por ter cão e por não ter…

“Reina tanto mais a confusão quanto uma clivagem se cava no coração da humanidade; está em ressonância quase completa com aquela que eu exprimia mais atrás, separando o homem da mulher: de um lado estão aqueles, homens e mulheres, que por enquanto só olham para fora (…), a seu ver normativa em si mesma; do outro estão os que se viram para o oriente. Os primeiros debatem-se num dilúvio de violência e não sabem mais do que sobreviver radicalizando ao extremo, no terror de uma perda de segurança, os velhos esquemas masculinizados das éticas religiosas, políticas, sociais, etc; os segundos, começam a aceitar morrer para esses valores passados, porque aceitam morrer para esses valores passados começam a viver.”**

**Annick de Souzenelle
imagem: artemísia g.
NO DESTAK DE HOJE LIA-SE NA 1 PÁGINA:
HOMENS ESTÃO "MAIS FEMININOS"
"Os homens estão a ter comportamentos cada vez mais parecidos com o das mulheres, diz um estudo ontem divulgado."


Neste artigo foca-se os aspectos positivos dessa parecença que afinal não é mais do que a partilha de responsabilidades em casa na destribuição das tarefas e com os filhos, mas para a ainda maioria dos machos portugueses a mulher é pouco mais do que a "besta de carga" e quanto à sua "feminilidade" a sentí-la é, ao invés dessa partilha, vista como uma falta de virilidade que os leva em represália a cometer violência sobre a mulheres...


"EM PORTUGAL A Comunidade brasileira
é a que mais se queixa de violência doméstica


Duas em cada nove imigrantes que se queixam de violência doméstica têm a nacionalidade brasileira. O seu agressor, contudo, é português, os maltratos são continuados (52,3% dos casos) e usa e abusa do facto de a companheira ser estrangeira ou estar ilegal.
(…)
Os maus tratos vão da agressão física à psicológica, passando por ameaças e difamação. O quadro de queixas é muito semelhante ao apresentado pelas vítimas portuguesas mas o processo de apoio torna-se muito mais complexo, referem Carla Amaral e Frederico Marques, responsáveis pela unidade. "São mais vulneráveis, porque muitas delas estão ilegais e isso constitui um pretexto para as pressionar e elas têm medo de apresentar queixa. Além disso, não têm acesso à justiça", explica Carla Amaral.

O primeiro passo dos técnicos é legalizar as vítimas que estão em situação irregular, o que é difícil. Há casos, sobretudo nos conflitos laborais, em que o agressor fica com os documentos de identificação.
(…)
As vítimas são casadas ou vivem em união de facto (57%), têm o secundário (1,9%) e o superior (6,5%), mas em 87,9% dos casos não referem as habilitações. Entre os agressores, 39,3% são portugueses, têm a mesma idade das vítimas (entre 26 e 35 anos), menos habilitações (o 1º ou 2º ciclos) e trabalham nas mesmas áreas: serviços directos e particulares, de protecção e segurança. 21,5% encontram-se desempregados.


Lido in Diário de Notícias - Céu Neves

terça-feira, maio 30, 2006

A IDADE DE KALI YUGA


Querida Igaci:

É terrível quando nos começamos a aperceber e a saber melhor a actual condição da mulher no Mundo, nomeadamente em África...
Se no Ocidente "civilizado" a vida da maioria das mulheres é trágica, em África é o horror dos horrores, pior ainda do que nos países árabes.
Você diz que fica deprimida e compreendo o que você sente, pois qualquer mulher devia ficar não só deprimida, mas agoniada e revoltada por saber como a sua "espécie" é tratada só porque é mulher...O sofrimento, as humilhações, os abusos, as violações e a prostituição são flagelos horríveis que atingem todas as mulheres do mundo e só uma minoria de mulheres, das quais nós fazemos parte, têm a sorte de estar livres dessa opressão exploração e terror...

Imagino as mulheres de Leste e até do Brasil que são exportados para a Europa a terem de se sujeitar e obedecer a mafias ou a gigolos que as prostituem e exploram em seu benefício e que as mulheres que são livres e algumas com consciência social, as políticas e artistas ou escritoras, já não falo nos Estados nem nos Governos que nada fazem, não empreenderem todos os seus esforços para minorar o sofrimento de milhões de mulheres que são assim tratadas em todo o mundo e continuem a seguir com afinco a sua carreira ou a perseguir a fama, a moda e os desfiles e a comprar perfumes de marca, carros, casas e a ir dançar, rir e beber aos fins de semana para esquecer a rotina e o tédio...

Não sei o que lhe dizer...eu fico doente com tudo isto e as vezes penso que gostaria de voltar a ser uma activista, como fui em tempos ("revolucionária") e poder trabalhar num campo de acção efectiva, mas tudo o que existe é quase só teórico, como o foram as ideologias - as ideias e os ideais em nada mudaram o essencial da condição da mulher, nem do coração do homem...
Nem se consegue chegar a esses Países onde os costumes e a ignorância é tão entranhada, tão abissal ...

Você aí eu aqui que podemos nós fazer pela condição tão dramática das mulheres neste Planeta se a própria Terra é destruída pelos homens da guerra?

Falo então (ou escrevo) sobre a Consciência da Mulher (no Ocidente) como uma possibilidade quase remota de chegar a uma quantidade cada vez maior de mulheres para que possam depois expandir-se em possíveis movimentos e acções, mas receio bem que não passe de mais uma Utopia...É por isso que às vezes me apetece desistir desta Página...Mas, como tenho dito, se houver meia dúzia de mulheres mais esclarecidas e que mudem a sua própria vida a partir de dentro já é muito, pois nada poderemos fazer pelo mundo ou pelas outras mulheres se não mudarmos ou não nos libertarmos nós mesma da opressão social e do medo do “pecado”...
Não se deixe abalar tanto pelo sofrimento atroz dessas mulheres que sofrem a níveis de barbaridade e tente ficar serena dentro de si mesma pensando no que pode mudar na sua vida ou ajudar a sua filha...é assim que se começa...
É verdade que as mulheres são em quantidade e em particular as maiores vítimas; custa-me a dizer isto, mas os homens também sofrem do seu erro e ódio, só que não querem ver pois pensam que detêm o poder, sobretudo sobre as mulheres…

Haverá um momento em que todo este enigma do mundo (o que está por detrás de tudo o que vemos e sabemos LEIS Universais) se nos revele e assim possamos um dia, quem sabe, compreender o porquê de tanta injustiça e inverdade, e como consequência, miséria, fome e sofrimento no mundo, principalmente das mulheres?

Talvez o mundo ainda dê uma volta...e aí é preciso ter Fé no Amor da Deusa Mãe...

Um enorme e fraterno abraço
Rosa leonor

Enquanto isso em África...as meninas são cortadas a sangue frio e depois costuradas, porque "...Uma menina costurada não vai se divertir por aí, pois tem medo da dor e de que a família descubra quando a examinar - o que é feito todas as semanas."
A MULHER NUMA "CULTURA" PATRIARCAL BÁRBARA
A DOLOROSA EXPERIÊNCIA DE UMA MENINA SOMALI


(...)
"Então ela pegou a faca - uma pequena faca, com um gancho na ponta. Puxou meu clitóris com mais força, e aí eu virei o rosto e disse para a outra mulher: "abrace-me forte", e cerrei os dentes. Então, meu Deus, Rahima, tudo aconteceu. Meu corpo foi cortado num segundo, do jeito que Fátima havia dito. Eu pude ouvir um shhhh...como o som de que quando se corta carne. Foi assim que cortaram o meu corpo. Ela cortou tudo - não os grandes lábios, mas cortou o meu clitóris e os dois pequenos lábios, que eram haram (impuros); tudo foi cortado como se se tratasse de um simples pedaço de carne. Minha nossa, Rahima! Eu pensei que fosse morrer. Abri os olhos e olhei para baixo, e o sangue estava jorrando. Uma parte de onde ela havia retirado a carne sangrava muito, e a outra parte estava branca.
Rahima, meu Deus, aquilo era só o começo. Perguntei se havia terminado, e ela disse que não, que iria fazer de novo, e disse outra vez: "só vai levar um minuto", e eu acreditei.

E todos que assistiam jogavam ouro e dinheiro sobre mim - nas minhas pernas, na cabeça - e cantavam.
Toda vez que eu queria chorar, olhava em volta para ver se alguém me ajudaria, mas só via sorrisos, então ficava constrangida, abria a boca e fingia rir, mas por dentro estava morrendo.
Ela cortou as bordas dos grandes lábios, e depois, com espinhos parecidos com agulhas, costurou sobre a vagina para fechá-las. Colocou sete espinhos, e cada vez que colocava um, ela o apertava com um fio. Ao terminar, colocou uma pasta negra para cessar o sangramento e apressar a cicatrização, e depois gema de ovo para refrescar. Embrulharam as minhas pernas com um pedaço de pano, do tornozelo aos quadrís, vestiram-me novamente e me carregaram para um quarto que tinham preparado para nós. O mesmo foi feito com as outras garotas.

Eu fiquei doente e tive febre. E quando urinava, parecia que ia morrer. Queimava como fogo, como álcool derramado sobre um ferimento aberto. A urina era quente, e eu gritava de dor. Elas tiveram de me cobrir; meus dentes batiam e meu corpo todo tremia quando minha mãe chegou.

...Os espinhos ficaram em mim por três dias, quando a mulher que fez a circuncisão voltou para retirá-los. Todo esse tempo as suas pernas ficam amarradas, mesmo quando vc urina. Você não toma muito líquido para não precisar urinar muito. Também não come quase nada, para não precisar fazer cocô; elas lhes dão apenas sopa de legumes e pão seco, porque querem que seu corpo fique seco rapidamente. Quanto mais líquido você bebe, mais faz xixi e mais o lugar da operação fica molhado, e elas querem evitar isso. Toda vez que você faz xixi arde muito, então elas jogam água morna com sal sobre os genitais enquanto você está fazendo xixi. O sal é desinfetante, e a água morna ameniza a dor. Depois que vc faz xixi, elas secam a ferida e levam você lá pra fora. Lá fora no daash, elas cavam um buraco no chão e enchem de carvão incandescente coberto com cinzas. Colocam incenso sobre ele e fazem você sentar sobre o buraco, apoiada numa mulher sentada num banquinho. A fumaça com o incenso faz você cheirar bem, e o calor faz o ferimento secar. Depos de fazer isso por três dias, de manhã, á tarde e todas as vezes que fizer xixi, você fica curada.
(…)
Eu fiquei boa em sete dias, mas uma das meninas que foi circuncidada comigo - aquela que tinha quase a minha idade - teve de fazer tudo de novo, pois quando fez xixi pela primeira vez sentiu muita dor, e não fez mais xixi por três dias. Aí, quando a mulher veio para tirar os pontos, ela fez cocô e xixi tudo ao mesmo tempo, e isso fez o buraco abrir todo. Fátima teve de dar pontos de novo - a menina sofreu mais e teve de ficar em casa quase um mês.
O motivo de ás vezes se precisar dar aquele ponto extra é que, quando você se casa, seu marido pode saber se você é virgem. Se ele vir que você tem um buraco um pouco maior, vai pensar que você andou aprontando. Assim, as mulheres - sua mãe e as mulheres que fazem a circuncisão - têm de garantir que o seu buraco tenha o tamanho certo. É por isso que dão todos aqueles pontos e costuram tudo.
...Uma menina costurada não vai se divertir por aí, pois tem medo da dor e de que a família descubra quando a examinar - o que é feito todas as semanas.

(…)
Vocês sabem o que é fístula?
As meninas são prometidas em casamento muito cedo nestes países da África e logo concebem e ficam grávidas. Mas como são meninas, seus corpinhos ainda não estão preparados para levar a termo a gravidez. Na hora do parto, o corpo não consegue expulsar a criança e aí é que o horror acontece. Vi relatos de meninas que foram penduradas em árvores para que a criança saísse, teve uma que ficou 7 dias pendurada na árvore até que a criança nascesse!!! Algumas vezes, tanto a mãe quanto o bebê morrem.
A fístula é uma seqüela que muitas delas adquirem com o parto forçado: a vagina se rompe e a mulher passa a urinar e defecar sem controlo algum. Quando isso ocorre, elas são abandonadas pelo marido e/ou trancafiadas em cubículos escuros, porque o mal cheiro é insuportável.
Quanto relatos como esse e outros, nós mulheres do ocidente precisaremos saber para que nos unamos e lutemos pelos direitos de todas as mulheres do mundo?

(enviado por email)




ENQUANTO ISSO A MODA SEGUE:

COLORIDO
Os adeptos da cor, porém, seguem firmes!
Compare o visual de Manish Arora, um fã de John Galliano, e a foto da mulher na Etiópia (reprodução).

segunda-feira, maio 29, 2006

O TEU REINO VIRÁ MÃE...




Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio
E suportar é o tempo mais comprido.

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
Que um só dos teus olhares me purifique e acabe.

Há muitas coisas que eu quero ver.

Peço-Te que sejas o presente.
Peço-Te que inundes tudo.
E que o teu reino antes do tempo venha.
E se derrame sobre a Terra
Em primavera feroz pricipitado.
________________________________________

Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo

Mal de te amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa


Sofia de Melo Bryner

sábado, maio 27, 2006

ARDE O AZUL... EM MAAT...


A VISÃO

Quem terá visto algo que em realidade existe, mas não se manifesta?
Quem terá visto o que se manifesta no coração, mas não repousa nos lábios?
Quem terá visto aquele que é a realidade do mundo, mas não se encontra no mundo?
Quem terá visto na existência e na não-existência uma tal não-existência?


Rumi
Rubâi’ât
(Paris: Albim Michel, 1993)
Rumi

Vem

Conversemos através da alma.
Revelemos o que é secreto aos olhos e ouvidos.
Sem exibir os dentes, sorri comigo, como um botão de rosa.
Entendamos-nos pelos pensamentos, sem língua, sem lábios.
Sem abrir a boca, contemo-nos todos os segredos do mundo, como faria o intelecto divino.
Fujamos dos incrédulos que só são capazes de enteder se escutam palavras e veêm rostos.
Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que todos somos um, falemos desse outro modo.
Como podes dizer à tua mão : "toca", se todas as mãos são uma?
Vem, conversemos assim.
Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Fecha pois a boca e conversemos através da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo.
Vem, se te interessas, posso mostrar-te.


RUMI


ABRA AQUI...


É FIM DE SEMANA...
DÊ-SE AO TRABALHO DE VER ESTE VÍDEO...
E PENSE...
"Quando a relação homem-mulher se desequilibra, então a relação humana com a natureza também se desequilibra de maneira perigosa. Eles tratam a Terra como a sociedade trata a mulher. Na minha opinião, a crise ambiental do Ocidente baseia-se em modelos de relacionamento"...


(imagem: pereira lopes)

Mulheres & Deusas
Comentários do post 114864131520887383

"O campo dos mortos é o lugar celestial, para o qual os moribundos viajam após sua morte corpórea _ é a esfera do universo masculino. Lawlor diz que a energia masculina está vinculada à força da morte, à caça, ao ato de matar, ao enterro, às cerimônias, à iniciação espiritual com as vozes do tempo de sonhar dos ancestrais. A força feminina, ao contrário, predomina no mundo dos vivos e moribundos, no mundo concreto da natureza, do nascimento da vida, da alimentação, do desenvolvimento e crescimento. Os aborígines dizem que as mulheres nasceram da natureza, mas os homens foram feitos pela cultura. A responsabilidade pelo campo dos não-nascidos _ ¿o mundo das energias potenciais que se reúnem em torno das fronteiras da vida e que se aglomeram depois no limiar¿_ é dividida entre homens e mulheres.

A combinação harmônica dos três campos ao se assumir a responsabilidade dos sexos conduz a uma cultura estável de cerca de 60 mil anos. Segundo Lawlor, os papéis tanto do homem como da mulher são necessários para a continuação do mundo material. Se mulheres e homens se desviam dessa defesa de prioridades e hegemonias originadas cosmologicamente, por causa do patriarcalismo e da agricultura, os resultados são catastróficos.

Lawlor observa que ¿no patriarcalismo ocidental, os homens tentam submeter o campo feminino e o mundo material às suas capacidades e hegemonia. Inoportunamente, eles trazem um procedimento e uma mentalidade desincorporada do tempo ao mundo dos vivos.¿ Quando a relação homem-mulher se desequilibra, então a relação humana com a natureza também se desequilibra de maneira perigosa. ¿Eles tratam a Terra como a sociedade trata a mulher. Na minha opinião, a crise ambiental do Ocidente baseia-se em modelos de relacionamento."

(...)
Autor: Richard Levinton, sobre um estudo do pesquisador Robert Lawlor (Voices of the first Day: Awakening in the Aboriginal Dreamtime) que trata da cosmogenese dos aborígenes australianos. Artigo publicado na revista Planeta, outubro de 1993, traduzido por Virginie Van Prehn da revista Esotera

i.b.v.b. | Email | 26-05-2006 17:17:54

MUITO OBRIGADA IGACI PELO TEXTO!

sexta-feira, maio 26, 2006


"A beleza sente-se de olhos fechados. Quando emigras para a lua, no voo da serpente.” P.Chiziane


Sede de mim...

Desejo-me a mim mesma
no corpo etéreo de uma mulher sublime,
como preciso do ar que respiro.

Desejo ver-me e sentir-me inteira
no meu corpo como se reinventasse outro ser...
E como se os meus sentidos fossem mágicos
desdobrar-me...

E do ar, do éter ou do prana, pela força do meu anseio,
aparecesse esse novo ser que me amasse até à consumação.

Queria que por magia,
eu própria me transformasse em substância etérea
e libertasse a minha alma da escravidão
deste corpo denso de pele e desejo...

Queria ser a Águia e vencer o dragão!


(ANTES DO VERBO ERA O ÚTERO
ROSA LEONOR P.)
Como em todo o mundo o patriarcalismo teme
uma tomada de consciência das mulheres…


Código da Vinci:
Igreja católica contra-ataca


“Na Europa e em locais onde a laicidade do estado impede que a Igreja tenha sequer ilusões sobre o sucesso da sua pretensão de censurar o Código da Vinci, esta pretende uma indiferença (mal conseguida) e opta por supostamente desvalorizar «o fenómeno 'O código Da Vinci'».

Apenas nos locais onde a conjuntura político-religiosa o permite, a verdadeira posição dos responsáveis católicos face ao fenómeno da Vinci é revelada. Já aqui indicámos o desvario católico em relação ao filme na Índia, em tudo análogo ao desvario muçulmano na guerra dos cartoons, agora actualizamos a informação com mais locais onde o poder político da Igreja de Roma impôs a proibição do filme.

Hoje foi noticiado que o presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapakse, ordenou à Comissão Nacional de Espectáculos Públicos (PPB) que proíbisse a estreia do filme nos cinemas do país.
(…)
De igual forma, o filme foi banido na Samoa, o arquipélago considerado o «cinturão biblíco» do Pacífico, por pedido do arcebispo local, Alapati Mataeliga, e restantes dignitários integrantes do Conselho de Igrejas da Samoa.


DIZEM:

«O filme destrói o cerne da crença cristã e o Conselho de Censura, dando luz verde à sua exibição pública, confirma a sua insensibilidade à nossa cultura».”


(In DIÁRIO ATEÍTA - http://www.ateismo.net/diario/)

O que os patriarcas temem num simples filme…

A QUEDA DA “CULTURA” DE OPRESSÃO, EXPLORAÇÃO E ASSASSÍNIO DA MULHER…


O único perigo do filme é realçar a eventualidade de um ressuscitar da linha matrilinear e a descendente de Cristo ser afinal uma mulher concebida pelo amor de um Mestre e tendo sido Maria Madalena não a “proscrita e pecadora” – como a fizeram intencionalmente retratar nas Escrituras - mas a Escolhida e sucessora de Jesus…
Ainda o pavor ANCESTRAL do acordar do Arquétipo da Deusa Mãe e do verdadeiro poder interior da mulher enquanto representante das forças cósmicas e telúricas, factor PRINCIPAL E RELEVANTE NO LIVRO que desencandeou pela parte das mulheres uma adesão consciente ou inconsciente ao livro como uma forma de SENTIR restabelecida uma certa justiça por uma anulação e esquecimento sofridos ao longo de milénios…

Mãe é a Terra e a Terra é o grande Útero que abriga toda a Humanidade e os homens fizeram das mulheres os seus “bodes expiatórios”…

Os homens tratam a Terra Mãe como tratam a Mulher…
Tal como a mulher a terra é prostituida, violada e vilipendiada, torturadas as árvores, os animais mortos e escravizados aos seus sistemas de agressão, ganância e violência. A Terra é destruída e dizimada nos seus representates a Flora e a Fauna para usufruto egóico do homem, único animal predador que não respeita nada a não ser o “ouro” o lucro e o dinheiro!

quinta-feira, maio 25, 2006

Luandino Vieira recusa prémio Camões ou seja 50 mil euros…

HOMENAGEM AO HOMEM
(Porque raramente há homens para elogiar…)



Luandido é completamente despojado de bens matriais…” disse um amigo seu, e referiu-se ao autor premiado, dizendo que “ há muito que ele cortou o mundo à sua volta. Diz que já cá não está, que se despediu deste mundo e só fala com animais”…

Recusa este poeta a hipocrisia dos homens (e mulheres) que o promovem por razões políticas em vez de razões literárias e poéticas?
Ou recusa o poeta qualquer coisa dos homens que sabe falsos e hipócritas e prefere a Natureza Mãe e a companhia dos animais, esses sem dúvida mais verdadeiros e amistosos? …

Que exemplo extraordinário de um Homem que os Media vão concerteza denominar de “louco” ao pensarem nos 50 (ou 100?) mil euros…pelos quais eles fariam tudo até vender a alma ao diabo…

É bom sentir que há Homens que não se vendem ao sistema e se tornam incorruptíveis…
É bom saber que há ainda grandes Homens
Nem que para isso seja preciso deixar em vida este Mundo de mentira e vanglória… ou de glória fácil…
If you believe me scream about it!
Do something about it!


Vejo todos os dias acontecer às mulheres o que diz a canção "Woman is the nigger of the world", de John Lennon. Num dos versos ele diz
"Nós fazemos com que ela se pinte e dance [não se quer ver sua verdadeira beleza é preciso que ela seja uma "boneca"] / (...) Insultamo-la todos os dias na TV e depois não entendemos porque são tão inseguras (...) Educamo-la para não ser tão esperta mas a menosprezamos se for burra"...
A música retrata bem o que ainda se faz às mulheres. E ainda apela " If you believe me scream about it! Do something about it! " E ainda temos que ouvir dizer quando dizemos coisas como estas estamos exagerando...
Até quando se vai tapar o Sol com a peneira?

Um grande abraço para todas!
Um abraço, Rosa. Aleiraluz.


Aleiraluz | 25-05-2006 13:35:27
VEM AÍ O MUNDIAL DE FUTEBOL...

”…estima-se que em 40 mil as mulheres “importadas” da Europa Central e de Leste para servir sexualmente os homens.”

(esta imagem faz parte do imaginário masculino que a sociedade machista explora a par da prostituição…)

O PARADOXO PATRIARCAL
E OS FALSOS “DIREITOS DAS MULHERES”:
Os Estados não fazem nada pelas mulheres e os Governos são hipócritas!


“A Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres associou-se à Coalition Against in Woman, na campanha Comprar sexo não é desporto, contra a prostituição e tráfico de mulheres para exploração sexual durante o campeonato do mundo de futebol, na Alemanha. A referida campanha tem como base uma petição, que já conta com mais de 52 mil assinaturas, de modo a alertar os intervenientes no Mundial de 2006 para os atentados contra os direitos das mulheres. Refira-se que são esperados, em solo germânico, cerca de 3 milhões de espectadores, na sua maioria homens, e estima-se que em 40 mil as mulheres “importadas” da Europa Central e de Leste para servir sexualmente os homens." (…)

Pergunto para que servem assinaturas de milhares de pessoas quando os Mídea, nomeadamente a TV faz a publicidade ao contrário, contra os direitos das mulheres e educa os homens na maior vilania e abuso das mulheres assim como promove intensivamente os filmes e as revistas pornográficas …
O paradoxo maior de uma sociedade patriarcalista e falocrática é que elege e defende o sexo como um valor de CONSUMO, que usa a mulher como máquina de fazer sexo (ou de re-produção) e os homens máquinas de fazer dinheiro. Consumir apresenta-se como o único objectivo da vida dos ditos países civilizados - enquanto que em Darfur e outros lugares do mundo se morre de fome e de sede – estes bárbaros apelidados de “civilizados” vão ficar a abarrotar e a arrotar pipas de cerveja enquanto as meninas de Leste e do centro da Europa são exportadas como carne para prazer (antes era carne para canhão) e mais o viagra anunciado nas primeiras páginas dos jornais, para facilitar esse comércio para homens sobre as mulheres…
E é dos países comunistas, os países em que marxismo materializou e abjectivou a mulher destruindo qualquer aspecto da subjectividade feminina em que a mulher ficou entre a miséria do fim da utopia comunista e o autómato pronto para consumir e exportar para o Ocidente rico e “livre”…


(O que a publicidade - masculina e muitas vezes feita por gays - não pode fazer aos homens, faz às mulheres…talvez a pensar nos homens!)>


A quem admira as Máfias e a escravatura de mulheres?…

Assiste-se a esse flagelo que é ver esses países pobres a fornecer mulheres altas magras e louras que se compram e vendem não só pela sua miséria, mas pelo que a ideologia materialista destruí de essencial no ser humano durante décadas. Esvaziou as mulheres (lavagem ao cérebro) de qualquer sentido de vida profunda e interior tal como fizeram aos homens mas as mulheres continuaram as escravas dos camaradas…
(Note-se que a Igreja em geral e os padres não fizeram melhor…só não as usam, mas deitam para o lixo de outra forma!Enquanto que os árabes as cobrem de véus e de pedradas...)

52 OU 100 MIL ASSSINATURAS PARA QUÊ?

Que Campanha é essa em que se fazem assinaturas quando se deviam fazer manifestação de mulheres no mundo inteiro, nas ruas das cidades e frente às Embaixadas? Mas são as mulheres, quase todas coniventes, alienadas de tudo o que verdadeiramente as concerne, anestesiadas pelos Mídea, que vão sim a correr encher Estádios de Futebol para fazer uma bandeira ou pintar a cara das cores da bandeira do País a mando do marido ou do namorado ou de um imbecil qualquer e ver uns não menos imbecis a dar pontapés numa bola…
E que consciência têm as próprias mulheres que defendem os seus direitos que apenas pegam em folhas de papel que para nada servem?
Não é tudo isto uma farsa, hipocrisia da sociedade que alimenta esses mesmos paradoxos?

IRIAM AS MULHERES DESTE PAÍS ENCHER UM ESTÁDIO DE FUTEBOL CONTRA A EXPLORAÇÃO DAS MULHERES DOS PAÍSES DE LESTE???

QUEM PROMOVERIA TAL INICIATIVA,

A INTERNET???

ATÉ OS BLOGUES DE HOMENS OU MESMO MULHERES NA MAIORIA SÃO MACHISTAS E USAM A MULHER COMO ILUSTRAÇÃO, OS “MELHORES” O FAZEM…

quarta-feira, maio 24, 2006

Violência doméstica em Portugal
preocupa Amnistia Internacional


A Amnistia Internacional destaca pela primeira vez o fenómeno da violência doméstica em Portugal como situação grave de violação dos direitos humanos. Em 2005, 33 mulheres foram mortas no seio familiar, 29 pelo companheiro, ex-namorado ou parceiro, e quatro por outros familiares. São 2,5 mais mortes do que em Espanha (70 homicídios) tendo em conta o número de habitantes, segundo dados da Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA).

(in Diário de Notícias - Céu Neves Paulo Spranger)
"Apetece-me dizer a todas estas mulheres: a beleza não está nas cores da tua roupa. Nem na macieza do teu cabelo. Muito menos nas linhas harmoniosas do teu corpo. A beleza sente-se de olhos fechados. Quando emigras para a lua, no voo da serpente.”

(Quem souber o nome do autor da imagem diga...)

"Penso. Quem inventou a moda feminina foi o homem, só pode ser. Inventou sapato de salto alto para que a mulher não corra, e não fuja ao seu controlo. Se pensasse nela, teria inventado umas botas e mocassinos, sapatos do tamanho do chão, para ela poder caminhar, correr e caçar o sustento, como as amazonas. Inventou as suas saias apertadas para obrigar a mulher a manter as pernas fechadas, coladas. Se pensasse nela, teria inventado umas saias bem rodadas, para andar à vontade e refrescar os interiores, nos dias de verão. No lugar disso, inventou as roupas coladas, atrevidas, para poder deliciar a vista na paisagem ondulada de qualquer uma e masturbar-se com o simples olhar.
Em pleno século vinte e um, os homens vestem-nos do tempo de D. Quixote e dizem que estamos belas. Calcinha. Cinta. Soutien. Meia de vidro. Meia saia. Combinação. Saia, blusa, um casaco ligeirinho para acentuar o ar de senhora. Lenço. Cachecol. Colares. Brincos. Pulseiras. Anéis. Puxinhos de cabelo. Rolos. Ganchos, travessões, bandoletes, e a flor dos campos no canto da orelha. Cinto de castidade. Licaho. E os homens? Só cuecas, calças e camisa. Livres para saltar, correr e caçar. Que diferença, meu Deus!

Apetece-me dizer a todas estas mulheres: a beleza não está nas cores da tua roupa. Nem na macieza do teu cabelo. Muito menos nas linhas harmoniosas do teu corpo. A beleza sente-se de olhos fechados. Quando emigras para a lua, no voo da serpente.”


NIKETCHE
UMA HISTÓRIA DE POLIGAMIA

PAULINA CHIZIANE

terça-feira, maio 23, 2006

"Uma mãe celestial nos dava muito jeito, sem dúvida nenhuma."

QUADRO DE ARTEMÍSIA G.
"Madre nossa que estais no céu, santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino - das mulheres, claro -, venha a nós a sua benevolência, não queremos mais violência. Sejam ouvidos os nossos apelos, assim na terra como no céu.
A Paz nossa de cada dia nos daí hoje e perdoai as nossas ofensas - fofocas, má-lingua, bisbilhotices, vaidade, inveja - assim como nós perdoamos a tirania, traição, imoralidades, bebedeiras, insultos, dos nossos maridos, amantes, namorados, companheiros e outras relações que nem sei nomear...
Não nos deixeis cair na tentação de imitar a loucura deles - beber, maltratar, roubar, expulsar, casar e divorciar, violar, escravizar, comprar, usar, abusar e nem nos deixeis morrer nas mãos desses tiranos - mas livrai-nos do mal,
Amén.


NIKETCHE - uma história de poligamia
Paulina Chiziane

segunda-feira, maio 22, 2006

POESIA NO OLHAR
LENA GAL ESPÕE DIA 8 DE JUNHO A 6 DE AGOSTO
NA GALERIA ARTUR BUAL (CAM. MUNIC. DA AMADORA)


Rosa podes utilizar as minhas imagens do quadros que não me importo, se quiseres mando-te algumas, e nem precisas de por meu nome, a obra falará por si...
Um abraço


lena | 21-05-2006 04:49:35


Obrigada querida Lena

Toda a Arte(que respirar Amor)conspira em conjunto e só a Arte que une o Céu e a Terra é Consciente da nossa Humanidade. Só essa é livre e não precisa de nome pois pertence ao Cosmos, tal como nós...
ONTEM 7 MIL PESSOAS MARCHARAM EM PORTUGAL CONTRA A FOME
E EM MAIS 100 CIDADES DO MUNDO...


Não veio na primeira página de nenhum dos diários.
Quem se importa com a fome dos outros? Quantas mulheres estariam nessa marcha? Eu nem tive conhecimento dela porque ninguém fala senão de futebol e dos craques...

««««««««««««««««««««««

UMA MULHER COM VOZ...

Joana Amaral Dias
Psicóloga genecanhoto@gmail.com
in DN


"Com bolinha"

Portugal está cada vez mais parecido com o seu passado castiço.
(...)
Parece que há mais mulheres que vêem bola, logo é um "sector de mercado a explorar". As mulheres constituírem um sector de mercado a explorar não é propriamente uma novidade. Mas de certeza que continuam a existir muitos mais homens adeptos de bola e que, como em quase toda a publicidade,
mulheres a promoverem produtos para homens resulta. Podem ser carros, whisky ou ceroulas. A mulher lá está.
Os adeptos do futebol de certeza que gostaram de ver. Já no Europeu se notava como, mesmo em bancadas só com meia dúzia de mulheres, as câmaras as filmavam selectiva e insistentemente. Dava a ideia de que estavam muitas mulheres no estádio. Sobretudo, os homens que viam a bola em casa aplaudiam. O complemento certo para o espectáculo, a cerveja e os amendoins.
(...)
Como se não bastasse este dar bandeira, ainda houve a inauguração do Campo Pequeno, num cocktail de marialvismo e muito shopping. Torturam-se animais "just for fun" e porque é "muito típico". E há quem insista que a Igreja Católica não pode deixar de ter lugar no Protocolo de Estado. Para além do argumento histórico, evoca-se a justificação dos privilégios limitados da Igreja Católica em Portugal, quando comparados com outros países - da mesma forma que se pode dizer que a nossa tourada é muito mais branda e aceitável porque não é com touros de morte.

Entre mulheres que apoiam os "seus homens", nacionalismos de pacotilha, a tourada e o clero, Portugal engelha e retoma o seu passado. A tradição ainda é o que era.

sábado, maio 20, 2006


PORTUGAL: FUTEBOL, FÁTIMA E FADO...

BANDEIRA NACIONAL AO SERVIÇO DO FUTEBOL:
DEZ MIL MULHERES POR UMA CAUSA DE NADA…
AFINAL, DIZ A "BOLA" FORAM QUASE 20 MIL...

"As mulheres são as adeptas número um do futebol"


"As mulheres dos jogadores são as primeiras a apoiá-los. As outras mulheres são as adeptas número um do futebol". Esta opinião de Filipa Sabrosa, mulher de Simão Sabrosa, evidencia a importância do apoio feminino à selecção portuguesa que vai estar presente no Mundial da Alemanha.
(..)
As três mulheres vão estar no sábado no Jamor para ajudar a construir a bandeira humana feminina de apoio à selecção portuguesa. O evento começa às 11.00 e prolonga-se até ao final do dia. A organização conta com a presença de, pelo menos, dez mil mulheres."

(Madalena Esteves)

Nota á margem

Estas dez (20)mil mulheres juntar-se-iam se fosse para tratarem dos problemas da sua verdadeira edentidade, da salvação da Terra e do Planeta, dos animais em perigo de extinção ou protestar contra a violência doméstica ou do abuso de que são socialmente vítimas?

NÃO!!!

Estas mulheres pouco ou nada se interessam pela Natureza Mãe, pela ecologia, pelo que acontece às baleias e aos golfinhos, ou com as mulheres prostituidas e vendidas no mundo inteiro. Não se interessam com as meninas mortas nem violadas em África ou na Índia…

>QUEM FEZ ISTO, QUEM ANULA, MANIPULA E "MOTIVA" 20 MIL MULHERES A IR VESTIR UMA BANDEIRA POR UMA DÚZIA DE JOGADORES DE FUTEBOL,
ELEVADOS A HERÓIS NACIONAIS?

CONCERTEZA QUE A TELEVISÃO...E OS MEDIA EM GERAL.


A alienação da mulher é o fim de todas as sociedades falocráticas e o que fazem dela é muito pior do que fazem aos homens em geral. 20 mil mulheres que de si próprias nada sabem e na vida real nada as move por causas nobres nem de consciência cívica!
Nunca em Portugal as mulheres se uniram por uma causa comum!

As mulheres em Portugal jovens ou velhas, tirando as "intelectuais" políticas e deputadas as doutoras e advogadas, que são uma minoria, movem-se pelos maridos, por telenovelas e futebol e mais tarde ou mais cedo acabam sempre por levar pancada quando o Benfica perde…

De tudo isto o que é que fica? Bandeiras esfarrapadas às janelas e a vulgarização do seu significado de rastos, bem rente ao chão, como o propósito mais "elevado" desta Nação...
SE QUISER USAR ESTA IMAGEM PODE USAR À VONTADE PORQUE É "MINHA"...
A LILIT NÃO SE IMPORTA DE VIAJAR LIVREMENTE ATRAVÉS DA BLOGOSFERA ...



AS IMAGENS "ROUBADAS" E O DRAMA DOS SEUS AUTORES...

Lamento que tenha apagado o meu comentário, envergonha-a talvez. Desejo-lhe felicidade com as suas atitudes. Bem haja pela sua consciência, mais uma vez. Cumprimentos.

Joel | Email | 18-05-2006 14:43:53

Meu amigo:

Um dia depois e de repente percebi que você teria achado que eu por vergonha das suas palavras teria apagado um comentário seu para esconder um erro meu? Estou tão longe de me sentir envergonhada que nem me passou tal coisa pela cabeça! Não me envergonho de usar uma imagem "roubada" para fins de uma maior consciencialização ilustrando textos mais importantes do que o ego artístico de alguém e também só uso as imagens sem mencionar o autor se elas não forem de autor identificado. Admiti que o erro vem de trás e que não penso poder saná-lo. Aliás escrevi-lhe a pedir que me dissesse qual era a imagem da sua autoria e não me respondeu. SE me disser para tirar a imagem eu tiro ou coloco o seu nome.
Não faço esta página para benefício do meu ego ou pela minha importância pessoal...Por isso não estou a usar as imagens para meu benefício próprio. Não me pretendo projectar nem ganhar nada com o que escrevo ou divulgo. Sou apenas porta voz da consciência que tenho e uso os autores que tenham a mesma consciência e penso que nos estamos todos a ajudar uns aos outros e em vez de me sentir "roubada" eu sinto-me contente quando se servem das minhas palavras...e já tem acontecido enviarem-me frases minhas como de autor desconhecido. Como evitar isto neste universo tão rápido e sem policiamento? Sem censura nem chefes ou donos do espaço cibernáutico?

Sim, resta-nos a ética e a Consciência individual (o ser dual que cada um é), mas como não há policiamento nem partidos à partida, fica na consciência de cada UM aquilo que faz. E a causa que defende!

Portugal é mesquinho em tudo e até na internet se reflecte, que pena!

RLeonor

sexta-feira, maio 19, 2006

MAGRITE - memória

A VOZ DO SILÊNCIO

Esta terra, discípulo, é a sala da tristeza, onde existem, pelo caminho das duras provações, armadilhas para prender o teu Eu na ilusão chamada “a grande heresia”.

Esta terra, ó discípulo ignaro, não é senão a triste entrada para aquele crepúsculo que precede o vale da verdadeira luz - essa luz que nenhum vento pode apagar, e que arde sem óleo nem pavio.
(...)

Que a tua Alma dê ouvidos a todo o grito de dor como a flor de lótus abre o seu seio para beber o sol matutino.

Que o sol feroz não seque uma única lágrima de dor antes que a tenhas limpado dos olhos de quem sofre.

Que cada lágrima humana escaldante caia no teu coração e aí fique; nem nunca a tires enquanto durar a dor que a produziu.


H.P.Blavatsky
(Traduzido por Fernando Pessoa)
ATENÇÃO:

NÃO SEI COMO MAS ACABO DE ME APERCEBER DE QUE FORAM APAGADOS COMENTÁRIOS DE UM POSTE SEM QUE O TENHA FEITO NEM SAIBA COMO FAZÊ-LO. PRESUMO MESMO QUE NÃO SE POSSA FAZÊ-LO. POSSO TECNICAMENTE APAGAR UM POSTE, MAS NÃO OS COMENTÁRIOS...

PORTANTO QUERIA ESCLARECER AS MINHAS LEITORAS E OS MEUS LEITORES DE QUE EU NÃO APAGUEI NADA DO QUE ESCREVERAM E QUE PREZO TODAS AS INFORMAÇÕES QUE ME SÃO DADAS, ASSIM COMO TODAS AS OPINIÕES.

quinta-feira, maio 18, 2006

O QUÃO TERRÍVEL É AINDA NASCER MENINA NESTE MUNDO


ESTA É A CONSEQUÊNCIA DO QUE AS RELIGIÕES MASCULINAS E MISÓGINAS
ENSINARAM DURANTE MILÉNIOS A DESPREZAR O SEXO FEMININO:


Tão terrível quanto isso, foi assistir no programa da Oprah Winfrey uma denúncia sobre o que estava ocorrendo com bebês meninas na Africa do Sul. Homens contaminados com aids estupravam bebês femininos de menos de 2 anos para serem 'curados' da aids, pois acreditam eles que um bebê menina serviria de veículo para que toda a sujeira da doença deixasse o corpo deles passando, então a aids para o bebê e assim o homem se curaria da doença. Segundo a reportagem milhares de bebês sofreram esse tipo de abuso, algumas morreram e outras ficaram severamente mutiladas e ainda por cima contrairam a doença. Isso me fez pensar, como os homens podem mostrar seu desprezo pelas mulheres ao considerar que bebes meninas seriam 'lixeiras' para uma doença dos seus corpos...

Muito triste o seu post e esse programa. E não é só na Índia que isso acontece, na China a situação do tráfico de mulheres tb é alarmante. Quem irá defender as mulheres?

Um abraço, Igaci

i.b.v.b. | 17-05-2006 15:56:09

NOTA À MARGEM...

Penso muitas vezes em não publicar coisas tão drásticas como estas, mas o facto de muitas pessoas me acharem exagerada ou tendenciosa e de as mulheres ocidentais julgarem que chegaram a algum lado na sua emancipação ou que vivemos já num mundo civilizado, preocupando-se apenas com moda, estética etc., acabo por fazê-lo pois acho urgente que o mundo se aperceba que tudo o que acontece mum ponto do globo nos afecta a todos mesmo que não saibamos o que se passa...

Adenda

Estando ontem a falar a uma amiga destes casos ela disse-me já saber há muito tempo pois o ano passado quando esteve em Moçambique em casa de um amigo este acabara de despedir um empregado preto porque ele tinha vendido a filha de 3 anos para a Africa do Sul...

quarta-feira, maio 17, 2006

O MUNDO EM QUE VIVEMOS É GOVERNADO POR HOMENS...

NA "NOSSA" MÃE ÍNDIA AS MULHERES SÃO VENDIDAS MENINAS
...NÃO MEDITAM COMO OS SANTOS YOGUIS...



Tráfico de mulheres aumenta infectados com HIV na Índia

No distrito de Sonagachi há pelo menos 10 mil prostitutas
O tráfico de mulheres jovens que são forçadas a trabalhar como prostitutas foi identificado como o principal fator para o aumento da Aids na Índia.
O país já tem cerca de 5,1 milhões de soropositivos – o segundo maior número no mundo depois da África do Sul.
Algumas estimativas indicam que, em apenas seis anos, seriam 20 milhões de infectados.
Em distritos como Sonagachi, em Calcutá, onde há pelo menos 10 mil prostitutas, alguns homens insistem em mater relações sexuais sem camisinha.
As garotas provenientes do tráfico são obrigadas a aceitar. Muitas são originárias de vilas rurais e não sabem o que é Aids antes de serem vendidas.
À medida que elas viajam pelo país, a doença é, inconscientemente, espalhada.
No leste da Índia, Calcutá emergiu como o centro do tráfico de meninas, que também chegam do Nepal, Bangladesh e Mianmar.
Elas são, geralmente, vendidas para bordéis em Mumbai. Algumas vão para o Oriente Médio, África e Europa.


Bordel

Aklina Khatoom, de 15 anos, é de uma vila fora de Calcutá.
Com uma voz suave, ela lembra como, há um ano, uma mulher a drogou, a raptou e lhe vendeu para uma outra mulher em Mumbai.
"Fui então informada que iria me tornar uma prostituta. Eu disse que não faria isso. Mas apanhei muito, todo o meu corpo era coberto de hematomas. Eles usaram varas de ferro quentes para me bater. Eventualmente, tive que concordar", contou.
Aklina não podia escapar, já que era vigiada pela irmã da mulher que a vendeu.
"Meu dia começava às seis horas da manhã e tinha de 12 a 14 clientes diariamente, terminando às três da madrugada."

Sua sorte mudou quando um cliente permitiu que ela usasse seu telefone para ligar para os pais.
(...)
Estigma

Aklina é uma das mais de 300 jovens resgatadas dos traficantes por Swapan Mukherjee e sua organização, baseada em Calcutá, o Centro para Comunicação e Desenvolvimento.
Pobreza e analfabetismo, geralmente, forçam famílias a levarem suas filhas a falsas promessas de trabalho ou casamento, disse Mukherjee.
Em retorno, as famílias recebem menos de US$ 10 (R$ 27).
Mesmo depois que elas são resgatadas, garotas como Aklina enfrentam o estigma de terem sido forçadas a trabalhar como prostitutas.
Mas aquelas que são infectadas com o vírus HIV são completamente ignoradas.

Medo

Quando Swapan Mukherjee permitiu que jornalistas entrevistassem algumas das mulheres resgatadas, suas franquezas tiveram resultados desastrosos.
"Naquela época, eram 34 meninas que tínhamos resgatado. Uma das garotas que era analfabeta simplesmente disse 'sim, eu sou HIV positiva'. Quando isso apareceu nos jornais, os moradores da vila isolaram a família", contou Mukherjee.
"Toda a família estava sendo terrivelmente ignorada, então, para salvar sua família, ela voltou para o bordel em Mumbai."
A menina está agora morrendo. Recentemente, ela chamou Mukherjee, mas ele diz que é muito tarde para salvá-la.

Ainda pode haver tempo para ajudar garotas que estão trabalhando como prostitutas na Índia, mas será uma tarefa difícil.
(...)
A má notícia é que a doença não está confinada apenas aos distritos de prostituição.
O vírus está espalhando-se por toda a Índia – enquanto o tráfico de jovens continuar, haverá pouca esperança de que o número de infectados irá parar de crescer.


Matthew Grant
de Calcutá




>O Grupo que Governa o Mundo e que actualmente influencia o vosso planeta é composto por um grupo de famílias, que rondam alguns milhares de pessoas. Governam as indústrias bancárias, dos média, educação e da distribuição de conhecimento por todo o vosso globo, e são uma mão cheia de gente que desafia a vossa liberdade. Estão ligadas pelo pensamento a outras entidades, tal como vós todos estais. A diferença é que essas pessoas têm disso consciência, e maioria de vós não, assim elas usam os seus instrumentos e técnicas para vos ligar às entidades que pretendem alimentar.
(...)
Os mistérios e segredos escondidos que as famílias mais importantes do Grupo que Governa o Mundo guardam têm de ser expostos e examinados. Entre a actualidade e 2012, todas as cartas serão postas na mesa, os segredos serão revelados. E esses segredos, pistas para um viver multidimensional, ser-vos-ão revelados para que os possais usar na cura.


BARBARA MARCINIAK,
Family of Light, Ed.Bear&Co., 1999


LUTO NACIONAL DIAS 21 E 22?

OS GOVERNOS DOS PAÍSES SÃO OS LACAIOS DOS QUE GOVERNAM O MUNDO:
É por isso que ganham e usufruem de reformas substanciais e milionárias
enquanto que os que trabalham - as massas anónimas e anestesiadas - são explorados até à medula e trabalham até à "morte"...
Sempre foi assim e não há governos socialistas nem comunistas que não tenham feito o mesmo. Os "ismos" são só uma forma de iludir os escravos da sua falsa liberdade...
Só a Consciência Universal a um tempo individual e cósmica liberta o ser humano da escravidão das aparências e do dinheiro, dos Bancos, publicidade, controlo social e religioso através dos mídea.

O Papa vive como um Imperador romano e Fidel de Castro é um dos homens mais ricos do Planeta, enquanto o seu povo vive na maior miséria. Estes são os tremendos paradoxos da nossa era...


imagem de Eric Drooker

terça-feira, maio 16, 2006

O MEDO DA DEUSA E DA MULHER

O CÓDIGO DA VINCE TOCOU UM NERVO NA NOSSA CULTURA...
O MEDO DAS MULHERES ATINGE NÃO SÓ O vATICANO COMO OS pAÍSES ISLÂMICOS;
O PODER PATRIARCAL QUER AS MULHERES SILENCIADAS A TODO O CUSTO.


(The Da Vinci Code has touched a nerve in our culture. As a woman, what does this national dialogue mean to you? Tell us your)
HERCOD.ORG


O código da Vinci



A estreia esta semana do filme baseado no livro de Dan Brown tem sido precedida por veementes protestos de praticamente todas as religiões institucionais, inclusive aquelas para as quais não é blasfémia a negação da virgindade do mitológico Cristo ou para as quais é indiferente a forma como a Opus Dei é retratada.

De facto, mesmo em países islâmicos o filme é polémico, tendo sido proibido em países inesperados como o Egipto, Jordânia e Líbano.
Esta proibição parece à primeira vista deveras estranha, já que não se percebe como o filme pode ser ofensivo ao islamismo. Especialmente considerando que para o islamismo, uma religião que teve a sua origem no cristianismo, o Cristo é apenas mais um profeta e, como os múltiplos casamentos de Maomé indicam, não há qualquer obrigação dos profetas serem celibatários. Assim como é obrigação dos crentes combater os «sistemas» de fé concorrentes, como pode ser apreciado neste texto de um site oficial do governo do Egipto ( o Supreme Council of Islamic affairs integra o Ministery of Awkaf).

Na realidade, a oposição ao filme por parte de cristãos e muçulmanos tem a ver simplesmente com o facto de que o livro levanta questões, essas sim blasfémias execradas por estas religiões misóginas, sobre o papel das mulheres nas respectivas religiões.

Uma das razões do sucesso do livro tem a ver exactamente com a recuperação do papel da «deusa», a «heresia» pagã que mais trabalho deu ao cristianismo irradicar dos territórios conquistados. Em boa parte através da fabricação do culto mariano...

Aproveitando o fascínio despoletado pelo livro de Dan Brown, a autora do livro «Faith and Feminism: A Holy Alliance», Helen LaKelly Hunt, organizou um site, HerCode.org, em que são abordadas e contestadas a misoginia e discriminação das religiões instituídas em relação às mulheres.


# um artigo de Palmira F. da Silva, publicado às 07:26 # 0 comments # comentar este artigo # debater #

IN DIÁRIO ATEISTA: http://www.ateismo.net/diario/

segunda-feira, maio 15, 2006



A RIVALIDADE ENTRE AS MULHERES
O REFLEXO DA SUA FALTA DE AUTO-ESTIMA...


A opressão sobre as mulheres ainda persiste, e por vezes são as próprias mulheres que tornam o mundo ainda mais difícil para as outras mulheres. Mas este fenómeno tende a desaparecer, à medida que essas mulheres opressoras conquistem a sua auto-estima. Do lado oposto a esta selva nasce um dia novo e gloriosos na terra, o dia em que as nossas filhas deixarão de ser julgadas pelas suas paixões ou postas de lado porque terão poder, força e amor."


in O VALOR DE UMA MULHER de
MARIANNE WILLAMSON - 1993
««««««««««««««««««

UMA MULHER DE VALOR
Joana Amaral Dias
Psicóloga genecanhoto@gmail.com



As tomadas de posição do Governo e do partido que o apoia, relativamente à natalidade e à demografia, são sintomáticas dos novos tipos de arcaísmo do centrão.

Qualquer política de natalidade teria que passar, nomeadamente, por apoios concretos ao quotidiano dos (futuros) pais. Contudo, encerram escolas ao mesmo tempo que bradam contra a baixa da natalidade. Fecham maternidades mas gritam contra o envelhecimento da população. Penalizam as famílias que têm apenas um filho - ou nenhum -, enquanto desprezam a imigração como parte integrante e indispensável de uma política demográfica. Por fim, fazem a lei da reprodução medicamente assistida (RMA) reservando o acesso a este direito a casais heterossexuais casados ou em união de facto, enquanto apelam à sustentabilidade da Segurança Social.
Este novo diploma, que ainda terá que ser aprovado e que demorou duas décadas a dar à luz, exclui as "mulheres sós". Uma mulher sozinha - e, convenhamos, sós ou mal acompanhadas no exercício da parentalidade ainda são mais do que muitas - pode educar um filho. Uma mulher sozinha pode adoptar um filho. Mas uma mulher sozinha não pode recorrer à RMA. Porquê? Simplesmente porque, garantindo esse direito às mulheres sozinhas, dá-se esse direito às mulheres lésbicas. A discussão sobre a RMA nunca deveria ter ficado dependente da questão da infertilidade. Mas ficou. E os resultados estão à vista.

Quanto ao Governo e à maioria que o apoia, a linha é clara. Em nome de uma suposta racionalidade económica, esvaziam-se os direitos dos cidadãos, como o direito à saúde e à educação, mantendo numa penúria legal os que já são discriminados, como os imigrantes e os homossexuais. Na verdade, não é apenas de uma racionalidade económica, já de si discutível, que se trata. Se fosse, estes dois últimos grupos, por exemplo, não seriam discriminados quando, ainda por cima, se lida com a questão da baixa da natalidade enquanto matéria vital. Trata-se antes de um programa político que, em tempos de romaria, timidamente se esconde atrás dos tecnocratas.

Que isto seja preconizado com o título de Governo socialista não deve gerar equívocos. O conservadorismo aliado ao neoliberalismo encontrou aí e afinal a sua melhor barriga de aluguer.


IN dIÁRIO DE nOTÍCIAS
"A Mãe, inicialmente como a própria Terra divina e depois em suas muitas formas como Grande Deusa ou Deusa Mãe, e também em seu papel dirigente, como representante humana ou como rainha que governa com autoridade da Deusa, manteve a raça humana sob o seu domínio até à aurora dos tempos.

Assim aconteceu de acordo com a tradição antiga até que os homens foram superando a sua infantilidade da raça e (...) começaram a usar sua capacidade activa de agressão. No nível transpessoal, os deuses arrebataram o poder da Grande Mãe Mãe e o seu séquito. No nível político, os novos patriarcas substituiram os matriarcados de autrora."

IN ANDROGINIA
Rumo a uma nova sexualidade - JUNE SINGER

sábado, maio 13, 2006

A ENERGIA FEMININA É DOCE E ENVOLVENTE...

Lis/Fátima é um centro de energia feminina extremamente suave, mas forte em profundidade e poderoso na forma como se aproxima de nós. A cor que corresponde à sua energia é o azul-celeste. Trata-se de uma energia com um toque muito suave, doce, que convida a unificar o ser, a viver esse processo de homogeneização. A energia de Lis/Fátima é doce e envolvente.
(...)
Estas sacerdotisas são extremamente subtis e leves, tal como a energia do centro. A nota de Lis, do ponto de vista espiritual, é a consagração, o que significa entregar os corpos ao Ser Interno. A característica vibratória de Lis é uma vida alegre, é o melhor da vida monástica feminina... já que o pior não é leve nem alegre.

Ora, nós estamos a aproximarmo-nos, gradualmente, dessa energia.

ANDRÉ LOURO
"A emergência da Mãe, vinda do Profundo
com a sua união com o Fogo do Espaço, que vem do Alto."


A MÃE DIVINA - MEMÓRIA COLECTIVA A DESPERTAR:
A necessidade profunda e inalienável do Feminino no Mundo


No coração de Portugal, LYS, Fátima:
a "CHAVE Secreta de activação do Véu da Mãe do Mundo ".


(...)
"Este Éter, Ele foi levado pela Mãe Divina, e o Centro Intraterreno responsável por reemitir este Vulcão Branco de novo para a superfície, é Lys no coração de Portugal. Então, olha, nós estamos neste Vulcão Branco, que é Portugal! Isto é uma imagem transcendente e telúrica, simultaneamente. Finalmente, conseguimos unir os dois: O Vulcão de Luz Branca. Portugal é um dos orifícios (or - ofícios) de remoção da Mãe Divina - daí se falar do Império do Espírito Santo - de remoção da Mãe Divina para a atmosfera. Esta zona do mundo contém um portal de Éter Primordial.
(...)
E Portugal é este reservatório, este contentor, do Milagre do espaço. Que uma vez incandescendo à superfície do Planeta, cura a humanidade. E com isso plasma o Novo Ser!
(...)
E, ao mesmo tempo que estes nossos Irmãos fazem esse Trabalho Interno, e, portanto, trazem a Energia de Órion para a Terra, a Mãe desperta!
E Ela desperta ao começar a girar chaves nas glândulas. A girar chaves nas células. A girar chaves no sangue. A girar chaves na nossa constituição material. E a nossa consciência está no meio a assistir à acoplagem; isto é: a emergência da Mãe, vinda do Profundo, com a sua união com o Fogo do Espaço, que vem do Alto.
Quando esta união é completa, os mecanismos de giro do Corpo de Luz são disparados, e a matéria e o Espírito fundem-se! Vou repetir: A matéria e o Espírito fundem-se!!
E o nosso corpo astral, está tendo o seu campo electromagnético removido e com ele, com o velho campo electromagnético, vão todas as antigas tendências astrais. E a Mãe, através da sua emergência, Ela traz um novo campo electromagnético que se está implantando no corpo astral. Uma nova vida de sentimento! O mesmo com o corpo mental."

André Louro
13 de MAIO - LUA CHEIA
Vem soleníssima, Soleníssima e cheia...


Vem soleníssima
Soleníssima e cheia
De uma oculta vontade de soluçar,
Talvez porque a alma é grande e a vida pequena,
E todos os gestos não saem do nosso corpo
E só alcançamos onde o nosso braço chega,
E só vemos até onde chega o nosso olhar.
F.Pessoa.



Todos os anos milhares de pessoas invadem Fátima nestes dias. São milhares de peregrinos, seres humanos que buscam uma esperança ou agradecem milagres nas suas vidas desgraçadas de luta e miséria e guerra. Centenas caminham a pé, alguns de joelhos…São maioritariamente mulheres…as mais devotas, sempre as mais sacrificadas, à família aos filhos, aos maridos…

Cantam milhares de vozes em Fátima...

"OSSANA RAINHA DE PORTUGAL"

Milhares de pessoas, sempre na maioria mulheres, velhas e novas, das cidades e das aldeias, acenando lenços brancos à passagem de uma Imagem Branca da Nossa Senhora, imagem da Mulher Mãe Eterna, traida pelos homens, pelos padres e pelos Governos de todo o mundo...
E os padres ainda rezam por uma Nova Humanidade à Mãe de Deus, quando Uma Nova Humanidade afinal depende totalmente das mães e das mulheres que neste mundo são infamenente exploradas e vendidas como mercadoria, algumas ainda escravas, sem que a Igreja nada nunca tenha feito, tendo ao contrário, contribuído e muito para isso ao renegá-la na sua essência e a essência do feminino.
Em todo o mundo, Mães com filhos que não podem alimentar nem educar, mães desprezadas e mal tratadas, mulheres vendidas e prostituidas neste mundo aos milhares também.

São essas mulheres do mundo inteiro que deviam ser veneradas na imagem da Senhora e elevadas à sua dignidade e isso nenhum padre, bispo ou papa nunca se lembrou e continuam a considerar a mulher impura e indigna e a dividir a mulher em duas: a que se vende nas ruas de Berlim, São Paulo, Lisboa ou Madrid, (ou no Bordel) e a casta esposa que ainda obedece aos preceitos da sua religião, castrada na sua sexualidade, sem identidade.
Hoje apetecia-me gritar bem alto:
Basta de hipocrisia e de mentira e de se servirem da mulher, seja na imagem da Deusa seja da mulher nua no cartaz de publicidade, seja no lupanar!!!
Hoje eu rezo por todas as Mães e mulheres do Mundo sacrificadas e que sofrem este crime secular!

Fátima é o Reino da Deusa Mãe e da Mulher e deveriam ser as sacerdotisas de Lys a celebrar este dia e a Mãe Eterna e a Paz no mundo…e não esses fantoches - padres bispos e papas - homens sem alma que renegam o seu feminino e no entanto se vestem e usam paramentos de mulheres...
AS MULHERES E A IGREJA

Vejo-as em contraste absoluto com a memória viva que me ilumina o espírito das Sacerdotisas da Grande-Mãe, livres e vestidas de branco, ligadas à natureza, com a clausura das freiras de hábitos negros, o seu ar sinistro, longe do culto da natureza, relegadas para os cláustros e afastadas das cerimómias públicas como que ostracisadas pela própria Igreja que elegem, causa-me viva repulsa! Na realidade o catolicismo tem um peso e obscuridade ancestral de castração da alma da mulher reduzindo-a à sua face negra.
Acredito que o culto da Deusa, anterior ao Cristianismo, era um hino à Natureza-Mãe e propício à natureza da mulher - inteira. Uma mulher senhora da sua sensualidade e segura da sua maternidade. O conceito do “pecado original”- falsificada a interpretação do mito e a carga fatal que trouxe à mulher, reduziu-a a uma sombra de si mesma. São tantas e tão nefastas as consequências da pregação religiosa contra as mulheres ao longo dos séculos que eu não sei quando nos libertaremos deste manto de negritude e sofrimento!

Mesmo no Culto Mariano e com a Ascenção da Nossa Senhora e a sua Consagração tardia e um pouco forçada, nunca as mulheres na Igreja desfrutaram ou desfrutam ainda do seu culto, mas só os padres que se “vestem de mulher”, segundo certos autores, a imitar as antigas sacerdotisas da Grande Mãe, ficando as mulheres, neste caso as freiras, longe dos Santuários e dos púlpitos e das festas, castigadas pela sua dupla natureza, o estigma de um pecado que nunca as liberta!

rlp

sexta-feira, maio 12, 2006

SÓCRATES E O MITO DA CAVERNA
OU O ALIBABÁ E OS 40 LADRÕES…



Os nossos ministros e deputados não andam por aí a pé nem de eléctrico. Os intelectuais, os escritores, professores, advogados, magistrados e médicos também têm carro ou motoristas e nunca põem um pé no asfalto, e os jornalistas também correm muito atarefados para os lugares de crime de carro…de modo que a realidade passa completamnte ao lado desta gente toda que é quem discute o estado da Nação… Enquanto que os indígenas, ou o que resta do mítico “povo”, esses andam de qualquer maneira como zombies e aos tombos, nos autocarros e combóios e ainda assim de carros a cair de podres…ou belos carros - uns roubados outros por pagar ou que pagam com o suar do seu rosto como bons cristãos que são…devotos das grandes e Novas Catedrais, os Bancos… Nesses Monstros do lucro o Governo não toca, mas vai reembolsar uma dívida às Finanças de uma pessoa que vive só de uma parca reforma…
As massas, essas estão cada vez mais massificadas e só raramente e mansamente protestam e fazem greves a mando dos sindicatos…
Blá, blá blá…
Somos cidadãos uns de 1ª outros de 3ª num País de maravilhas, dizem um jardim plantado à beira mar, o Pântano do Metro, ali no Cais das descobertas, onde os turistas apanham os eléctricos para ver a cidade, aí mesmo onde estão os sem abrigo com os suas caixas de papelão e o cheiro nauseabundo da urina enquanto os motoristas dos ministros de fato e gravata trocam impressões sobre futebol debaixo das arcadas ou limpam os grandes carros dos senhores doutores e deputados…

ENQUANTO ISSO O SOL BRILHA E AQUECE…

Depois há os ladrões, são mais de quarenta… chulos, rufias e fadistas, novos e velhos, bem vestidos ou disfarçados de turistas também, mesmo ao nosso lado, em grupo de cinco ou seis, apertam as vítimas e actuam mesmo na frente da nossa cara, sem qualquer pudor, desde o Cais de Sodré até ao Castelo, “em serviço” permanente à carreira 15 ou 28.
Eu conheço uma vintena, pelo menos, todos os dias os vejo em acção, mas a polícia quando se telefona, diz só os pode prender se os apanhar em flagrante, ocupada a fazer greves pelos seus direitos…também andam de carro…e fingem que nada vêem ou que nem conhecem os ladrões. Preocupam-se com as multas e os carros mal estacionados enquanto as pessoas são roubadas da forma mais ostensiva como num País de terceiro mundo… Só faltam as pistolas ou as facas que só aparecem de vez em quando, pela calada da noite.



P.S.
Voltarei à poesia e à mística logo que possivel...
RLP

quinta-feira, maio 11, 2006

PORTUGAL TURÍSTICO...

Lisboa, a caminho do Castelo...

Todos os dias e a toda a hora os assaltos aos turistas na rua e nos eléctricos...
Como nunca a vaga de assaltos quase permanentes à frente de toda a gente sem polícias à vista...Indivíduos isolados ou em grupo atacam as mulheres abrindo as carteiras ou puxando-as de raspão como aconteceu há minutos a duas senhoras francesas na paragem.
Ontem foi um casal inglês em estado de choque que me entrou na loja...

Neste País o importante é "o amor à camisola", como quem diz ao futebol...
O NOSSO MUNDO DE LOUCOS
E OS NÃO MENOS LOUCOS GOVERNOS DESTE MUNDO...


Sabia que a riqueza das três pessoas mais ricas do mundo é superior à riqueza dos 48 países mais pobres? E que o preço de um submarino nuclear equivale ao orçamento anual dos 23 países mais subdesenvolvidos? E que, por incrível que pareça, bastaria apenas 1% do produto mundial bruto para eliminar toda a pobreza?
(Inês Menezes, revista X)

E SABIA QUE FIDEL DE CASTRO É UM DOS HOMENS MAIS RICOS DO MUNDO?

- Fazemos todos parte desta humanidade alienada, completamente adormecida e anestesiada pelos mídea, entorpecidos pela publicidade e pelo consumo exacerbado de filmes, vídeos e drogas tanto nos países ditos civilizados como nos atrazados, com jogos mundias de futebol a promover a prostituição e o álcool, reduzindo as massas a espectadadores fanáticos como em circos romanos, com gladiadores-jogadores multi-milionários, enquanto os governos e países alimentam os seus exércitos e a polícia para controlar as multidões que manipulam à sua vontade, como carneiros! Enquanto isso, milhões de seres humanos morrem à fome e de miséria no mundo inteiro...
Enquanto isso o presidente da União Europeia oferece ao Papa a Nossa Senhora de Fátima, como qualquer presidente de futebol ou de um país do terceiro mundo...
São estes os homens que governam os estados?
A ESPECULAÇÃO RELIGIOSA

"Dessa dualidade - Deus pai ou Deusa mãe - vai nascer uma dupla visão da Deusa dos tempos primordiais: Virgem prudente ou Virgem louca? A questão parece banal, mas ela compromete todos os séculos que irão seguir-se, não apenas no plano puramente estético, mas naquele muito mais carregado de consequências, da especulação religiosa. (...)
Isto denota uma considerável evolução das mentalidades: tudo se passa como se tivesse querido, conscientemente ou não, eliminar a imagem de uma mulher divina forte em proveito de um homem divino todo poderoso, cuja relação com a mulher se limitaria a uma relação filho-mãe. "...


in A GRANDE DEUSA - Jean Markale
“Mais do que nunca, a Virgem Maria ia tomar o lugar de todas as deusas da antiguidade, suavizando os seus traços, abandonando a sexualidade, mas permanecendo sempre aquela que dá a vida e o alimento”.(...)

"A Grande Deusa era adorada em todo o mundo antes da nossa história e já no Egipto, Isis era a Senhora por Excelência e cuja imagem vem a corresponder à imagem adoptada pela Igreja Romana com o menino ao colo e que por volta do séc. VI - no obscurecimento do seu verdadeiro culto e origem – é reencontrada em Maria, mãe de Jesus, e a liturgia bizantina celebrava a "Dormição da Mãe de Deus" - antes era a Deusa! - Mas por hora ela "dormia" e antes que acordasse eles tomaram conta... Na época, o Imperador Maurício fixou a efeméride para o dia 15 de Agosto e até aos nossos dias ficou assim registado. Através de muitas lutas, e petições, o dogma da Assunção Corpória da Nossa Senhora levou muitos séculos a ser aceite até que no séc. XVIII foi assinada a bula que o admitia, embora a Igreja Católica sòmente em 1950 através do Papa Pio XII a tenha oficializado.
(...)
"Substituindo assim, “uma divindade feminina cuja função materna se desdobrava necessariamente numa função erótica. Sabemos muito bem que essa função erótica iria ser escondida desde o início de um cristianismo inteiramente orientado para uma masculinidade triunfante e uma castidade exemplar, resultante a maior parte do tempo de um terror instintivo relativamente aos mistérios da mulher”
(...)
in A GRANDE DEUSA Jean Markale

quarta-feira, maio 10, 2006

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

(alexandre o'neal

(foto Julio Furtado)


Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio
E suportar é o tempo mais comprido.

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
Que um só dos teus olhares me purifique e acabe.

Há muitas coisas que eu quero ver.

Peço-Te que sejas o presente.
Peço-Te que inundes tudo.
E que o teu reino antes do tempo venha.
E se derrame sobre a Terra
Em primavera feroz pricipitada.


Sophia de Melo Breyner
MULHERES QUASE DEUSAS...




Precisão

O que me tranquiliza
é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe
com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.


Clarice Lispector
Obras de Fernanda de Castro
apresentadas em Lisboa


As «Memórias» e a «Poesia completa» de Fernanda de Castro, que morreu em 1994, são apresentadas quinta-feira na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, no âmbito do plano de reedição integral da sua obra.

(…)
Primeira mulher a obter, com o romance Maria da Lua, o Prémio Ricardo Malheiros, da Academia das Ciências, e Prémio Nacional de Poesia, revela-se curioso o diálogo com Ary dos Santos, a propósito dessa sua actividade, registado em Cartas Para Além do Tempo, com prefácio esclarecedor de João Bigotte Chorão. Escreve o poeta: "Não me chame nomes feios, senão eu chamo-lhe comunista." "Comunista? Isso é que nunca ninguém me chamou!", responde a poetisa. Replica ele: "Comunista, sim. Quem deu 40 anos da sua preciosa vida às centenas e centenas de crianças dos Parques Infantis, transformando as crianças em crianças alegres e felizes e mais tarde em pessoas de bem?" , pergunta ele. Remata Fernanda de Castro: "Mas isso, meu caro amigo, não se chama comunismo. Que eu saiba, chama-se cristianismo há, pelo menos, dois mil anos."

Para Aquilino, Fernanda de Castro "não tinha igual no lirismo contemporâneo", afirmando Pascoaes que os seus versos continham o que "de mais eterno há na poesia". Esta mulher não era, porém, nem uma poetisa nem uma ficcionista do desencanto. Em contraste com o peso problemático de uma obra mais tardia como a de Irene Lisboa, a leveza dir-se-ia uma marca dominante da sua narrativa que, num estilo límpido e suave, vivia tanto do eco das realidades abstractas como da tragédia interior, sob o signo da fractura entre a lógica comum e a vida realmente vivida. A obra de Fernanda de Castro - e de algum modo a de Maria Archer, Maria Lamas, com preocupações feministas definidas, e Natércia Freire - centra-se num mundo feminino marcado por uma ética do cuidado, fruto da experiência quotidiana e da rede dos afectos. É uma escrita do pormenor, de perfumes e silêncios, do itinerário de mulheres não alheadas do seu tempo e condição."

(in diário digital)

terça-feira, maio 09, 2006



Há já vários dias, desde que fui ao Alentejo, que sinto um apelo enorme da terra. No caminho de volta sentia uma enorme nostalgia por ter de voltar a Lisboa e já em tempos tinha sentido o mesmo em Sintra...A verdade é que estamos tão afastados do que é natural que o simples contacto com as árvores e o cheiro da terra nos apela para uma vida mais saudável...

Era preciso voltar às origens, voltar ao seio da Mãe...a Terra é o nosso abrigo e o nosso alimento. Esquecemos como é importante ter contacto com a natureza e nem pensamos o quão aberrante é vermos nas cidades as pessoas a andar em recintos fechados, todos a monte em grandes centros comerciais, frustradas por não comprarem mas mesmo assim vidradas nas publicidades e modas, em vez de irem para o ar livre respirar um pouco de ar puro que ainda nos resta...
QUERIA HOJE EVOCAR A TERRA MÃE, ACORDAR OS LUGARES SAGRADOS DOS ANTIGOS MISTÉRIOS, SENTIR VIBRAR DE NOVO A ENERGIA DAS PEDRAS E MENIRES, NOS CÍRCULOS DA MAGIA SECRETA DE UNIÃO DO CÉU E DA TERRA...



Eleusis

Queria tanto ó minha Mãe que neste mundo houvesse
Um lugar de peregrinação e culto
Que ainda não tivesse sido profanado pelos homens...
Onde pudesse pedir ajuda e rezar
A Grande Mãe da antiguidade,

Ela a Grande Deusa venerada pelos nossos ancestrais,
Perseguida pelos cristãos, misóginos judeus, pelos fariseus,
Escondida em grutas e cavernas à espera do novo mundo,
Oculta da sua glória, denegrida pelos padres ao longo de séculos.

Ela, aquela que é tão bela...

Cibele, Istar, Inana, Atargatis, Labbatu, Kali, Anaht,
A Wicca e a eterna sacerdotisa,
A Senhora de todos os nomes, de todos os tempos
A essência da Mulher separada em duas
Na virgem e na prostituta,
Maria a mãe dos homens e a amante proscrita
Maria de Magdala, Sacerdotisa da Deusa...

Mas virá o tempo e Ela será uma só,
A Deusa Primeira, indivisível:
Isis sem Véu.


in "Antes do Verbo era o Utero"
Rosa Leonor Pedro

sábado, maio 06, 2006

Eu sou a tua coroa e o teu diadema,
A Rosa que se abre no meu peito
Quando o ar que pela tua boca respiro
Entra na minha e te beijo...


Margarida Cepeda
ROSA MYSTICA

Já ouviste uma praça criada como uma rosa? Vai-se de fora para dentro atravessando-a pétala a pétala, e de súbito está-se no seu centro. Primeiro, quando dela te aproximas, e só estás ainda nas primeiras pétalas, nas de fora, nada sabes nem compreendes; o enigma não se pôs ainda à tua frente; mas depois vais avançando, penetrando-a (ou desfolhando-a) pétala a pétala, e o enigma (ou símbolo) aparece à tua frente, ou és tu que estás no meio dele, e vês-te com teu corpo, desvendando-o; enigma labiríntico. Uma, outra, até que por final, chegas ao meio, e ele te rodeia por todos os lados.
No meio, então dirás – esta é a rosa mística
.


In A FORÇA DO MUNDO
Dalila L. Pereira da Costa

O CORAÇÃO SABE

Por vezes o teu coração festeja antes do tempo a Presença que já dança no teu sangue; ela anuncia novas pulsações…O teu coração sabe no silêncio que te arde, tudo o que tua alma ainda te oculta…
Mas ela é-te fiel e sabe que tu esperas um sinal na terra.
O sinal virá na música das esferas e o teu corpo dançará em uníssono com ela.

rlp
Escuto Mãe o choro da criança eterna em mim…
Ela espera que a embales com o teu canto e a apertes contra ti.


Imaculada Conceição, estás no centro da Terra,
no coração da rosa. À tua volta está o mundo
em círculos e círculos...
Força de vida, enrola-me em ti.
Calada e funda. Violenta e tão docemente.

A noite vai descer sobre a terra
Os montes sobem ao céu.

Dalila L. P.da Costa

OS CEGOS DO MUNDO QUE PENSAM VIVER...

É lamentável o que vemos hoje. Enquanto eu vejo e olho a tv, que de forma absurda tenta vender uma verdade, criada somente para enganar, pessoas que vivem sem nunca enxergar. Os cegos do mundo que pensam viver, apenas transitam de forma confusa, não sabem o destino que lhe é reservado, sempre são tocados, como se fossem gado.
A alma que anima cada ser que transita, que vive no mundo de forma complexa, ouvindo os recados que lhe são dirigidos, recados mandados para serem seguidos.
Assim a tv., de forma cruel, desmorona os últimos pilares da moral pretendida, pois se vende a imagem de toda decência, de uma forma confusa, toda distorcida. E as almas confusas, sem nenhuma razão, não conseguem entender fora da emoção, pois ficaram reféns do sistema criado, um plano montado e bem orquestrado. Somente o espírito ainda é capaz de fugir do sistema que procura vender, a falsa imagem do que foi programado, para manter em currais os pobres diabos. 04/07/03


Vanderleis E. Maia | Email | 05-05-2006 21:28:04

Meu amigo:

É terrível pensar como a cegueira do mundo ou a nossa cegueira ainda permite que a vida virtual e os falsos padrões de vida se sobreponham à realidade humana - e em vez da Terra e da Natureza e das emoções verdadeiras - as pessoas anónimas vivam totalmente alienadas, presas a esses sistemas de controlo, completamente manietadas, seguindo os esteriótipos de heróis abjectos, mesquinhos e degradados pelo sistema e que os mídea lhes apresentam como exemplo de sucesso.
São, como diz muito bem, as pessoas desse modo conduzidas como os animais ao seu curral que é o ecran de televisão onde mergulham sem mais nada ao fim de um dia de trabalho…
Comem “palha”…ou pipocas e cervejas, enquanto vêem filmes de terror e pornográficos…
Terá o nosso Espírito força para libertar a nossa alma desta lamacenta escravidão?

sexta-feira, maio 05, 2006



Na era da informação, sois afastados das fontes naturais de conhecimento:
Os vossos media pertencem e são controlados por aqueles que vos querem ver entretidos e ignorantes.


Vendem – vos versões escolhidas da realidade e completamente ignoram outras. A televisão retarda o processo evolutivo e cria limitações, especialmente no caso das crianças, cujas primeiras impressões e imaginação desempenham um papel crucial na vida mais tarde. A televisão mantém-vos numa banda muito estreita de expressão emocional – basicamente caos e medo.
…existe uma enorme campanha para vender televisões e para levar as pessoas a permanecer coladas ao écran a absorver a mais recente versão dos escândalos e da violência, como se aquilo que é transmitido fosse o que de mais importante existe.

Aprende a observar como te sentes quando vês televisão. É uma forma de controlo de frequência., o qual está a ser tremendamente acelerado pois o medo tem vindo a ser promovido de forma muito rápida em todo o planeta através da televisão.

Queremos encorajá-los a experimentar a vida em primeira-mão – não apenas através das imagens e das ideias construídas por outros. Ao dar tanto do vosso tempo à televisão, prejudicam a vossa consciência e o seu potencial.

A alguns séculos de distância, será compreendido como na última parte do século XX as pessoas eram induzidas em estados de estupidificação, dormência e doença através da televisão.

Não percam o vosso tempo com ela pois afasta-vos da vida real e substitui-se à experiência, a vossa principal fonte de aprendizagem.
Se tiverem uma televisão em casa, mesmo que não esteja ligada, retirem a ficha da tomada. Ondas de frequência são transmitidas através da vossa televisão, mesmo desligada.


Barbara Marciniak,
Gaia - Terra Mãe

"A escolha para a ascensão é uma escolha espiritual, que traz uma ressurreição daquilo que estava decaído ou doente na forma e ancora um paradigma de uma nova unidade de consciência para o corpo humano. A consciência é física e portanto, abraçar um novo nível de percepção requer a transmutação biológica da forma. Este compromisso pode requerer que você rearranje sua vida, colocando sua jornada espiritual acima de outros empenhos aparentes que talvez tenham sido considerados de grande importância em sua vida. Aqueles que estão em ascensão colocarão sua necessidade de mais sono à frente de uma vida noturna ativa e desta forma cuidarão de seu corpo. Há aqueles que foram semeados para ascender através de uma intervenção em minha causa, para auxiliar no despertar da humanidade. Estes indivíduos podem não estar conscientes de que eles se comprometeram com o caminho da ascensão. Tornando-se conscientes, vocês podem entender melhor o processo e tratar os sintomas à medida que eles começam.

Existe um diagnóstico médico conhecido como a "síndrome da fadiga crônica" em sua atual civilização que é na verdade um sintoma de ascensão. À medida que o corpo se eleva em vibração, ele requer mais "chi" (força vital) para sustentar a consciência em cada dia, semana ou mês. Se você não é adepto de coletar "chi" em sua forma, os resultados são uma sensação de cansaço. Uma outra maneira excelente para tratar da fadiga crônica é praticar Tai Chi ou Ioga. Estas práticas, que são diretamente relacionadas aos ensinamentos de ascensão de muito tempo, o ensinarão como coletar "chi" e direcioná-lo no corpo através de certos alongamentos e/ou movimentos. Estas práticas são uma maneira excelente para sustentar sua escolha de ascensão e para reverter os sintomas de fadiga crônica.!


(canais - Karen Danrich, Mila Sinoski -14 de maio de 2000)

quinta-feira, maio 04, 2006

“Podes tu submeter-te à doce influência das Plêiades?”
(imagem: iona miller)


(“No mistério desta influência e no segredo do sol de Sírius estão ocultos os factos de nossa evolução cósmica e, portanto do nosso Sistema Solar.”- in OS SETE CAMINHOS)

01:02:03 - 04/05/06
Isto não irá acontecer nunca mais (seqüência de 1, 2, 3, 4, 5, 6)

Teremos uma energia diferenciada ou algo diferente neste dia e hora SIM. É a hora da constelação Sirius entrar em quadratura para estabelecer o alinhamento com todos os planetas começando por Vênus o planeta do Amor Incondicional e da harmonização. Esse fenômeno raríssimo pode ser bem aproveitado.

Faça a Invocação á luz e não peça nada, apenas destrave energias estagnadas e agradeça tudo o que você conseguiu até agora. Os timoneiros do espaço estarão à postos... não perca a Oportunidade de dar este Salto Quântico.

(enviado por email)

“A poesia será uma forma de aproximação do Ser. É então quando a poesia não se distingue da mística? Quando os dois processos estão unidos? – Aí se dará a sua exultação.
(…)
Por isso, toda a experiência mística ou poética, é pânica. Ela traz em si mesma, como a visão e a participação, coexistência, do absoluto no efémero humano, uma tensão última, a custo suportável.

Por isso, a contemplação e fruição do absoluto que concede a mística e a poesia, é sempre perigosa para um frágil mortal. Ele é o que nesse preciso instante, nítido e imponderável, deve suportar no seu corpo e alma, a junção entre o ser e o cosmos.”

13-V – 1971

In A FORÇA DO MUNDO de Dalila L. Pereira da Costa

terça-feira, maio 02, 2006

>E A ETERNIDADE É SENTIDA COMO ESTE ESTAR, ESTÁVEL, NO MEIO DO MUNDO, ESTA IDENTIDADE, SINCRONIZAÇÃO COM O RÍTMO CENTRAL E PRIMEIRO. O DO CORAÇÃO.

In A Força do Mundo
Dalila L. Pereira da Costa



MARÂNUS

(...)

"Neste íntimo deserto que se estende
Sempre através de mim, apenas vejo
Um delicado vulto de mulher;
Sombra bela e gentil do meu desejo
Indefinido e vago...aparição
Desta melancolia fraternal,
Que me surgiu, à flor do coração;
E beijando, amorosa, as minhas lágrimas,
Dentro delas, espalha o azul do dia..."

(...)

Teixeira de pascoais
"O CORPO DA MULHER, O CORPO DE QUE O HOMEM USUFRUI.
PELO AMOR, QUE NÃO É SENÃO UMA FORMA INDIRECTA DE VIOLÊNCIA"

Yvete Centeno

"Descrevi como a educação dos meninos nos lugares monossexuados (pátios de colégios, clubes esportivos, cafés...,mas mais globalmente o conjunto de lugares aos quais os homens se atribuem a exclusividade de uso e/ou de presença) estrutura o masculino de maneira paradoxal e inculca nos pequenos homens a idéia de que, para ser um (verdadeiro) homem, eles devem combater os aspectos que poderiam fazê-los serem associados às mulheres.

É assim que parece haver atualmente um consenso para designar as relações homens/mulheres como relações sociais de sexo. Dito de outra forma, a dominação não deve ser analisada como um bloco monolítico onde tudo está dado, onde as relações se reproduzem ao idêntico.

Mas a análise, tanto global quanto a que se interessa por um campo específico ou por interações particulares, deve articular o quadro global, societário (a dominação masculina), e as lutas objetivas ou subjetivas das mulheres e de seus aliados que visam a transformar as relações sociais de sexo, logo alogo a modificar a dominação masculina."

Os homens dominam coletiva e individualmente as mulheres. Esta dominação se exerce na esfera privada ou pública e atribui aos homens privilégios materiais, culturais e simbólicos. Um setor dos estudos feministas atuais tende, aliás, a quantificar estes privilégios e a mostrar concretamente os efeitos da dominação masculina.

A política atual, que, em nossa sociedade, visa a diminuir as "desigualdades", não deve nos deixar esquecer que elas perduram, sob pena de tomarmos nossos sonhos por realidade e não compreendermos mais nada.
A opressão das mulheres pelos homens é um sistema dinâmico no qual as desigualdades vividas pelas mulheres são os efeitos das vantagens dadas aos homens. Quando se atribui ao dividir uma torta sete partes aos homens e uma às mulheres, a luta por igualdade deve significar que se divida a torta em porções iguais. Logo, os homens terão menos!

Não somente homens e mulheres não percebem da mesma maneira os fenômenos, que são no entanto designados pelas mesmas palavras, mas sobretudo não percebem que o conjunto do social está dividido segundo o mesmo simbólico que atribui aos homens e ao masculino as funções nobres e às mulheres e ao feminino as tarefas e funções afetadas de pouco valor. Esta divisão do mundo, esta cosmogonia baseada sobre o gênero, mantém-se e é regulada por violências: violências múltiplas e variadas as quais "das violências masculinas domésticas aos estupros de guerra, passando pelas violências no trabalho" tendem a preservar os poderes que se atribuem coletivamente e individualmente os homens à custa das mulheres. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia.


* Daniel Welzer-Lang

i.b.v.b. | Email | 29-04-2006 17:27:52