sábado, março 31, 2007

É A VERDADEIRA MULHER UM SER EM EXTINÇÃO??


Aquilo que pensamos extinto da sociedade, continua de algum modo latente no inconsciente da humanidade e quer os homens quer as mulheres vivem ainda com esses "fantasmas". Não é na negação ou ocultação destas memórias que nos libertamos, mas enfrentando os nossos medos e atavismos e corrigindo os erros como que extraíndo o verme da ignorância e o medo ancestral do oculto - aquilo que ainda não sabemos! As religiões foram e são a forma mais desastrosa de contaminar pelo ódio, criando a separação dos sexos e todas as atrocidades seculares em nome de um credo...

Em nome de um DEUS único dizimaram-se povos e civilizações, culturas e arte, referências de uma DEUSA, Mãe de toda a humanidade, primeira referência de amor, uma Mulher que foi cindida em duas (a mãe e a prostituta) e cuja divisão originou para o próprio homem uma cisão da sua natureza: em luta contra o seu feminino o homem tem vindo a tornar-se um travesti da mulher em vez de integrar esse feminino no conhecimento da mulher verdadeira, quer em si mesmo quer fora de si.

A Mulher está a tornar-se um ser em extinção... e o homem misógino por consequência da sua atitude histórica e religiosa, num onanista ou pedófilo... Na óbvia crise dos padres, está-lhes ainda empregnada na memória a ideia da mulher satânica e diabólica, a BRUXA, enquanto que as crianças (da sua preferência) são os "anjinhos salvadores" que os levarão para o céu...
Por esta e outras razões a mulher é o seu alvo preferencial de violência social e doméstica...

O resultado dessa ignorância e divisão está à vista... Uma mulher objecto e ridicularizada pelos media em geral, seja ela intelectual ou modelo, deputada ou prostituta, é sempre menosprezada pelas próprias mulheres-homens... RLP
REPUBLICANDO E LEMBRANDO MELUSINE

QUEM SÃO OS NOSSOS CARRASCOS?

“Os vossos carrascos tem o nome de publicidade, medias, política, religião, obrigações e convenções.

Todos obedecem ao Comité Central do Partido do Dinheiro. A constatação é simples e vocês conhecem-na desde há muito, mesmo dizendo que a não suportam! Vocês são os cúmplices das forças que vos alienam pois são vocês que as fabricam e as alimentam continuamente. O que é insidioso nesta situação, é que os vossos guardas saiem do vosso seio e vocês amam-nos com perversidade à semelhante de um veneno.”

in CELUI QUI VIENT Anne et Daniel Meurois-Givaudan

A CAIXINHA QUE CONTROLA O MUNDO

“A nossa cultura de ocidentais é a religião dessa morte de Deus sem tragédia nenhuma, a de todos nós oficiando noite na planetária Las Vegas televisiva que nos serve de vida
Eduardo Lourenço

A TV Como Instrumento Redutor Porque é que a TV foi essa «caixinha que revolucionou o mundo»? Faço a pergunta e as respostas vêm em turbilhão. Fez de tudo um espectáculo, fez do longe o mais perto, promoveu o analfabetismo e o atraso mental. De um modo geral, desnaturou o homem. E sobretudo miniturizou-o, fazendo de tudo um pormenor, isturado ao quotidiano doméstico. (...) Mas a TV é algo de minúsculo e trivial como o sofá donde a presenciamos. Diremos assim e em resumo que a TV é um instrumento redutor. Porque tudo o que passa por lá chega até nós diminuído e desvalorizado no que lhe é essencial. E a maior razão disso não está nas reduzidas dimensões do ecrã, mas no facto de a «caixa revolucionadora» ser um objecto entre os objectos de uma sala. Mas por sobre todos os males que nos infligiu, ergue-se o da promoção do analfabetismo. Ser é um acto difícil e olhar o boneco não dá trabalho nenhum. Ler exige a colaboração da memória, do entendimento e da imaginação.

VIRGÍLIO FERREIRA -

A MANIPULAÇÃO DA MULHER ATRAVÉS DA TV


Uma das coisas que mais me tem custado assistir nos nossos dias é continuada utilização das mulheres pelos homens quer através dos partidos políticos, quer pelas instituições, pelos exércitos ou pelos padres! Claro para não falar das Mafias que as exploram sexualmente nem da sua imagem prostituida pelos media e pela pornografia em geral. Da mais abjecta à mais superficial. O espírito é o mesmo!

A mulher de hoje, como a de ontem alias, revela a maior maleabilidade ou flexibilidade por mera falta de identidade própria, digo de uma consciência de si mesma como Mulher Inteira, e por isso continua a ser presa fácil e facilmente captiva ao acenar-se-lhe com uma pretensa igualdade de direitos usando a bandeira da sua falsa emancipação, quer na legalização da prostituição ou quaisquer outras "profissões" de exposição degradante e risco de vida, como PARA MIM o são o exército e a polícia.

É fácil manipular a mulher tal como os pobres de espírito e todos os que são explorados quer económica quer psicológicamente pela sociedade de consumo através dos media, mas o mais gritante e degradante é flagrantemente o caso da mulher... Nunca a sociedade machista olhou para o problema real das mulheres e sempre aceitou a sua exploração de ânimo leve! E nem sequer o partido comunista por suposto (igualdade...) teve nada para dar ou acrescentar á Mulher e sim reduzí-la - sempre divindo-a - a mero "instrumento de trabalho" como sempre o fizeram os patriarcas. Os homens sempre tiveram imagens estereotipadas das mulheres e assim como a Igreja e o Estado no seu expoente máximo, apenas exploram essa "maleabilidade" (a fragilidade do "sexo fraco" versus a mulher-macho - polícia ou militar - capaz de torturar e matar...) e sempre baseada na exploração da sua ignorância, na sua fragmentação humana que consiste essencialmente na sua divisão em dois tipos de mulher: virgem ou puta! E quanto a estes "atributos", a mulher sofre-os onde quer que esteja - mesmo no exército- porque os homens não mudam de mentalidades...

A verdade é que nenhuma revolução viu isso nem nunca lhe restituiu o seu verdadeiro estatuto nem dignidade, com base no conhecimento de si própria, mas sempre perpetuando a mesma divisão entre dona de casa e trabalhadora ou prostituta.
Sim, agora há muitas mulheres catedráticas, ministras e deputadas, mas a consciência da Mulher em si e da sua totalidade é a mesma das mais pobres e ignorantes. Vivem apenas projectadas nos valores do masculino e dos seus conceitos (filósofos e psicólogos...), à sombra dos patriarcas e dos seus ideais...seja na Igreja seja no Governo, seja no trabalho ou em casa, são, salvo raras excepções, secundárias, descartáveis e manipuladas! rlp

sexta-feira, março 30, 2007

LILITH


Os “prazeres do corpo” negados são a testemunha de uma ofensa arcaica à natureza do homem e é a primeira violência feita à mulher. Lilith, que se “alegrara” indo ao encontro do homem com timidez e amor, olhando confiante no fundo dos seus olhos, recebe em resposta uma rígida projecção defensiva, um desprezo cheio de angustia, um desdém que produzirá raiva e cegueira em relação àquela que tem somente “culpa” de ter feito conhecer o Amor, de ter sido apresentada ao homem como sua igual e semelhante, divina ela também.

O homem portanto, não reconheceu como sua a felicidade de ter corpo e sexo, espírito e alma fundidos numa só entidade. Lilith, corpo e alma, foi julgada “fonte de toda a injustiça” e mensageira do ilícito. A tragédia está nessa falsificação da realidade psíquica. A vida imortal com Deus Pai exigiu um preço: o deslocamento do mal sobre Lilith, a transferência da Dor e da Grande Dúvida para a Mulher. Assim se extinguiu o sorriso nos lábios de Lilith e o seu regozijo de amor se converteu, para sempre em raiva e ódio de Adão “patrão”.
in LILITH A LUA NEGRA - de Roberto Sicuteri
(ler e reler)
Adenda:
Por todas essas razões obscuras o corpo matriz da mulher foi sempre desrespeitado e explorado ...e hoje mais do que nunca, a Internet, usa a imagem da Mulher de todas as maneiras à semelhança dos filmes pornográficos e da publicidade só que de forma mais sofisticada e "moderna"...a propósito de tudo e de nada ou até para ilustrar um texto sobre salazar...estilo "ele merece" levar com as "mamas" (de silicone) da play boy na cara...
Ninguém percebe como essa degradação da imagem da mulher contribui para a violência doméstica e psicológica, ninguém percebe esse ódio secular e culpa inconsciente hoje atribuida aos atributos da mulher.
E neste secular abuso de imagens da mulher-objecto para todos os efeitos toda a gente acha normal mesmo os homens mais inteligentes e intelectuais iguais aos mais vulgares ...
Vulgar a desculpa de que são essas mulheres que se exibem assim...
A propósito de um comentário a um Blog que gosto ...

Sabemos pelos antigos egípcios...


"Sabemos pelos antigos egípcios que a imagem de uma serpente era o hieroglífico para a palavra Deusa, e que a serpente era conhecida como o Olho, Uzait, um símbolo da revelação e sabedoria místicas. A Deusa serpente conhecida como Au Zit era a divindade feminina do Baixo Egipto (norte) nos tempos pré-dinásticos. Mais tarde tanto a Deusa Hathor como Maat eram ainda conhecidas como o Olho. A uréu, uma serpente erecta, é freqüentemente encontrada ornando as testas da realeza egípcia. Além disso, erguia-se na cidade egípcia de Per Uto um santuário profético – possivelmente na localização de um santuário anterior dedicado à Deusa Ua Zit – que os gregos conheciam por Buto, o nome grego para a própria Deusa serpente. O bem conhecido santuário oracular de Delfos erguia-se igualmente num local originalmente identificado com a adoração da Deusa. E mesmo em tempos gregos clássicos, após a sua conversão e à adoração a Apolo, o oráculo falava ainda através dos lábios de uma mulher. Era ela uma sacerdotisa chamada Pítia, que se sentava num banco de três pés, em volta do qual se enlaçava uma serpente chamada pitão. Além disso lemos em Esquilo que neste mais sagrado dos santuários da Deusa era reverenciada como a profetiza primordial. Isto sugere de novo que, em tempos relativamente recentes como a era clássica grega, não fora ainda esquecida a tradição, própria da sociedade de parceria, de buscar a revelação divina e a sabedoria profética através das mulheres.“

ler e reler...
In O CÁLICE E A ESPADA – Riane Eisler
"A NOSSA HISTÓRIA, O NOSSO FUTURO" Via Óptima Editores

quinta-feira, março 29, 2007

hegemonia masculina

"A violência contra as mulheres é uma arma crítica na manutenção da hegemonia masculina; é o meio pelo qual os requisitos patriarcais de conformidade e obediência se estendem a, e se fazem cumprir pelas mulheres. Nos sistemas hierárquicos, os homens podem obedecer por medo a perder os seus trabalhos, por status ou por poder; as mulheres são forçadas a temer a violência. Já que a violência está intimamente ligada à hegemonia masculina, só o fim desta hegemonia poderá reduzir a violência e persuadir os cidadãos de que é um problema de âmbito social e não algo privado, isolado. "

(Desenvolvimento e as Mulheres, editado e apresentado por Dorienne Rowan-Campbell e Deborah Eade)

__Um abraço,Igaci i.b.v.b. 29-03-2007 10:20:15

EU BRUXA ME ASSUMO POR CONTA E RISCO...

EU GOSTAVA IMENSO DE FAZER UM PROGRAMA DE TELEVISÃO PARA TODAS AS MULHERES SEM TANGAS DE NENHUMA ESPÉCIE...MAS A MIM É CLARO NÃO ME DÃO TEMPO DE ANTENA E MAL ME DISTRAIO LÁ ESTÃO A ACENAR COM AS SUAS FOGUEIRAS A ARDER...

Sim, sempre que uma mulher tem um discurso algo diferente dos homens, (racional e objectivo) e não for este estereótipo habitual que é o seu travesti - é alvo de chacota e perseguida ou marginalizada pelo fantasma do histerismo...
é LOGO APELIDADA DE BRUXA E MEGERA...
Basta à mulher ser convincente e apaixonada para a acharem exagerada e mandam-na logo calar... os maridos em casa e os políticos nos partidos... E assim fica uma mulher sem alma uma mulher sem inteligência (mesmo sem ser loura!) ou sem capacidade de uso da razão-emoção, opondo-se-lhe a mulher executiva e esperta, a escritora de sucesso ao serviço dos media e da mediocridade, dos patrões e dos chefes ou editores. E se assim não for é feminista ou de sexualidade suspeita. Em todo o caso duvidosa. As próprias mulheres têm medo de falar dos seus reais problemas com receio de serem vistas como feministas e por isso mesmo ridicularizadas. Dete modo, o discurso e o posicionamento das mulheres ou mesmo "programas para mulheres" é todo feito para agradar aos homens e assim acabam invariavelmente por escolher estas coque-lixos e que não são mais do que um envólucro de mulher e os representam só a eles e a sua hegemonia neste paradoxo cada vez maior na mais patente ignorância do verdadeiro Feminino!

A TV DE TODOS NÓS E A MULHER MODELO DELES...


"Factor M de Merche... de mulher, mãe e muito mais"
Paula Brito*

"Quando forem 11.30 de sábado, Merche Romero entra em cena na RTP1. Desta vez sozinha, na condução, em directo, de uma "verdadeira" espécie de magazine semanal, o Factor M. "O M pode relacionar-se com Merche, mas também com mulher, mãe... e muito mais (ver entrevista ao lado)", disse ao DN a apresentadora, que se confessa "fascinada pela adrenalina do directo" do programa. "É um registo que mostra a veracidade", reforça. Além de matérias de interesse mais feminino, Factor M, um formato de entretenimento que se quer "para toda a gente", terá sempre um convidado especial nas mais diversas áreas da sociedade portuguesa."dn

A televisão vai brindar-nos com mais esta vedeta representante (do imaginário masculino ) do factor M "de mulher mãe e muito mais..." - "Mais" só se for de factor MERDE (em francês para não chocar).
Enfim quel Merche!!!

Esta vedeta acompanhante de futebolistas, perfeito estereótipo do mais alienante que há, representativa do mais vulgar padrão da mulher objecto vai servir "de exemplo" mediático para um programa de mulheres em Portugal???
Um bocadinho pior do que a SIC Mulher...

É ASSIM QUE VÃO ACABAR COM A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E A PROSTITUIÇÃO, LANÇANDO ESTE BELO EXEMPLAR DO "FEMININO" ELEITO PELOS HOMENS DA BOLA?

Realmente estes tugas, SÃO MESMO TUGAS e não mudam na eleição das suas Divas do bordel televisivo!!!

Sim TV e Factor M...de m...

Só mais uma borrada nacional para alimentar de lixo as mulheres portuguesas!
Continuamos fiés da santa e da puta...em directo!
A MULHER do meio não existe , a mulher verdadeira não consta do aparato...
Sim a MULHER-MULHER, natural, não digo a de bigode, como nos retratam ainda os brasileiros, e franceses, mas a mulher "normal" a mais comum, a mulher que pertence a grande maioria das mulheres que somos todas nós, masi velhas e talvez gordas, sem operações plásticas, sem silicone; para quando os verdadeiros problemas da Mulher Real?

EM PORTUGAL MEDIEVAL....

Violência doméstica aumentou 30% em 2006


Ana Mafalda Inácio

"Os crimes associados à violência doméstica aumentaram 30% em 2006, num total de mais de 17 mil casos. De acordo com os dados constantes no relatório de segurança interna, que será hoje apreciado e aprovado em Conselho de Ministros, houve mais 3287 crimes do que no ano anterior, o que corresponde a mais de nove queixas por dia.

Aliás, segundo as autoridades policiais, este foi o factor responsável pelo aumento de 2% na criminalidade geral do País no ano passado. Para a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), tais números estão longe da realidade: "53% dos pedidos que nos chegaram em 2006 não tinham sido denunciados às autoridades policiais ou judiciais", garantiu Helena Sampaio, da direcção. " in DN


TV: a alienação do canal do estado, digo eu... em vez de transmitir programas de educação e cultura contra a violência doméstica elege santas de pau carunchoso, obedientes aos bispos e papas com a trilogia habitual: fátima futebol e fátima (já não há fado, só deficit) com0 no tempo de Salazar e depois espantam-se com o atrazo ou o retrocesso!


é surprendente como diz fernanda câncio:

"enfim. então parece que a rtp esteve ontem o dia todo a fazer directos inflamados de fátima, celebrando o centenário da dona lúcia dos santos, mais conhecida por irmã. não, não posso dizer que isso me surpreenda. aqueles equipamentos da televisão do estado escorrem benzeduras, nem devem conseguir sintonizar mais nada. qualquer dia é só directos do céu, inferno e purgatório, tipo big brother canónico. surpreendente surpreendente é que esta santa mulher, que tanto fez pela imagem de portugal no mundo e no além, não estivesse sequer representada nos 10 grandes portugueses. isso sim, parece impossível. tivesse sido homem e papa ou assim, zuca com ela na lista. mas mulher, nem o facto comprovado e atestado e sei lá mais o quê cientificamente (extremamente, até) de ter passado a vida a falar com toda a sagrada família, deus, anjos e quejandos, lhe serviu para ser distinguida por voto portátil. ai, povo ingrato. "

fernanda cancio in glória fácil

quarta-feira, março 28, 2007

VOLTANDO AOS NOSSOS ASSUNTOS...

"Quando a relação homem-mulher se desequilibra, então a relação humana com a natureza também se desequilibra de maneira perigosa. "Eles tratam a Terra como a sociedade trata a mulher. Na minha opinião, a crise ambiental do Ocidente baseia-se em modelos de relacionamento." Richard Levinton



'Enquanto os homens não integram o seu lado feminino, seguem explorando, torturando e matando as mulheres, os animais, os outros homens e saqueiam o planeta. O estágio de desenvolvimento da anima no homem reflete-se concretamente em seus relacionamentos externos com mulheres. Quando vê a mulher como ameaça sinistra, como alguém inferior que deve ser mantida em seu lugar, é sinal de que sua natureza feminina interna está ainda em estágio juvenil, pronta a provocar e escarnecer o homem. Esse tipo de homem se enrijece contra as emoções, temendo que elas se manifestem mediante um super-sentimentalismo, ou através de agressão inapropriada. O feminino interior e os relacionamentos com mulheres desenvolvem-se reciprocamente quando ele se torna conscientemente capaz de valorizar o feminino. Tanto a mulher interior quanto a exterior podem então ser reconhecidas como a encarnação da alegria, da paixão, da inspiração, da criatividade, da espiritualidade e, no plano mais elevado de todos, da sabedoria. Para indivíduos que não tem vontade de mudar atitudes coletivas estreitas__especialmente aqueles que se baseiam nas leis do patriarcado__ a maturidade psicológica não é possível. Quando a natureza feminina é valorizada, e não é vista como brinquedo, e sim como energia a ser abraçada, a vida psíquica desabrocha e torna-se frutífera, trazendo nova perspectiva.”



Nancy Qualls-Corbet

SÓ PARA ARRUMAR COM O ASSUNTO...

...NÓS OS OTA...RIOS

"Salazar e Cunhal foram "eleitos" os dois maiores portugueses de sempre, num jogo de regras viciadas mas legitimado pela colaboração festiva de muitas consciências ilustres. É um sinal dos tempos - destes tempos de democracia cada vez mais decorativa e virtual, em que o grande desígnio nacional se confunde com a construção de um aeroporto. Há trinta anos, esse desígnio chamava-se Europa. Hoje há quem queira reduzi-lo a EurOta. "

in DN Vicente Jorge Silva - jornalista

terça-feira, março 27, 2007

a alma pequenina dos políticos...

Vítor Ramalho, mostra-se preocupado: "Isto não é apenas um concurso nem deve ser desdramatizado. Pelo contrário, é um grito de protesto, de revolta. O povo português sente que a nossa grandeza de alma se tornou pequenina. Não temos conseguido forjar um projecto galvanizador de afirmação externa de Portugal."

...Não é um projecto para inglês ver (ou a Europa acreditar em nós...) que precisamos, não é um projecto de afirmação externa! É um projecto de vida digna para todos os portugueses cá dentro e não lá fora...

Precisamos todos de um micro-crédito...à indiana Yunes e não Jones...

O ano zero do neo-salazarismo

É de bom tom social e político não dar importância ao fenómeno de agregação à volta da figura histórica de Oliveira Salazar. O homem morreu, o seu regime caiu, a sociedade aberta não toleraria qualquer repetição demasiado parecida. O melhor é encará-lo como uma relíquia de um passado ultrapassado. É uma atitude demasiado morna para ser saudável. As piores febres são as de baixas temperaturas, mas persistentes. Como o resultado do "passatempo" de domingo da RTP demonstra.

in DN José Medeiros Ferreira
jmedeirosf@clix.ptProfessor universitário

MUHERES & DEUSAS E..BRUXAS


REVISITANDO
MELUSINE OU L’ANDROGINE…
Eu queria avisar as minhas leitoras que viajo de noite pelos ares durante muito tempo e só apareço de vez em quando e então faço a síntese do que vi por este pequeno país adentro. Todos os dias choro com o que vejo... Agora foi essa coisa do sal-azar ...Ainda dizem que uma Bruxa não tem sentimentos nobres...que não sente, nem é filha de boa gente...mas eu digo-vos que a minha Alma é tão velha e tão grande como o Mundo e já viajei muito e por muitos planetas...mas igual a este, tão belo e tão miserável e desgraçado é que não; não, nunca vi coisa assim...

Gente má e mesquinha, mentirosa, atrazada, com prazer em vingar-se e falar mal de todos e uns contra os outros... Uma raça engenhosa que só constrói e inventa maneiras de destruir a terra e matar os animais e nunca sacia a sua fome de poder...Vaidosos e pequenos, grandes exibicionistas, os homens são uma raça que dividiu o mundo em duas metade que escravisa e explora, vendendo e explorando as suas mulheres e filhas mandando os filhos machos para a guerra para se matarem e fingem e dizem que é por amor e justiça...
Dizem que é pela paz no mundo…
Ás vezes tenho que fazer das tripas coração para não vomitar esta raça!...

Se não fosse cá por coisas eu ia-me embora, mas o destino é igual para todos ao cimo da Terra! Pudesse eu mudá-lo e voava a nove daqui para fora...
Claro houve tempos em que eu pensava que podia mudar a humanidade...mas vejam o que eles me fizeram...
Quantas vezes não me violaram, perseguiram, queimaram viva e torturaram de todas as maneiras?
Uma vez até me cortaram a carne com conchas de ostra e despedaçaram os membros para queimar ao lado da sua igreja os primeiros fanáticos...instigados pelo Bispo Cirilo que queria o poder em Alexandria e como bom misógino que era, odiava-me porque eu era bela e ele castrado! Por isso o nomearam santo depois...

Ah! esta velha Podre Igreja...julga que é velha, mas não tão velha como eu e deles eu conheço a história...a mim não me engana. Enfim ainda tenho um certo medo...arrancarem-nos a carne viva não é petisco nenhum!!!
Sim, foi há quase dois mil anos, mas mesmo assim há coisas que não se esquecem!
Agora, este novo Inquisidor Mor do reino da escuridão...lembra-me mais do que nunca Cirilo...
rlp

segunda-feira, março 26, 2007

Para descongestionar da "aberração política", para calar a vergonha dos seres humanos que tão depressa esqueçam a aviltação, a perseguição, o terror e a cobardia do ditador.

CHEGA-SE A UM MOMENTO NA VIDA

"Chega-se a um momento na vida (e por coincidência a um momento do mundo que seja por linguagem o nosso) em que o poeta se interroga antes de escrever: porquê, e para quê, e para quem? De nós mesmos falar não é possível: seria necessário que houvesse humano respeito, delicadeza humana, e não este descaso de assassinos que se pisam sem desculpas. Falar do que vai por este beco do universo onde as comadres se acotovelam para levantar a saia no escuro dos portais? Seria preciso que a tristeza e a amargura e a visão do abismo fossem partilhadas mais a fundo que a retórica de serem tão infelizes no conforto do piolhoso que vê mais dois piolhos na cabeça do outro. Pensar em melhores mundos? Haverá, mas não aqui. Aqui é o fim da festa, o fechar das luzes do último dia da Exposição dos Centenários, o arriar das bandeiras, o apodrecer dos barcos pela praia. Aqui só há lugar para metáforas, óbvios símbolos, jogos de prendas poéticas, para a droga de um sexo reduzido a palavras. Cantem a beleza que se esvai, da juventude que se perde, dos prados e das árvores, com doce melancolia. O leitor tremula, sente-se irmão, enfia sorrateiramente a mão no bolso das calças, apalpa-se e fecha os olhos, que está salva a pátria. "
Jorge de Sena

A PÁTRIA DEVIA ESTAR DE LUTO...
O MAIS MESQUINHO E CRUEL DITADOR GANHOU COM 42% DE VOTOS DOS PORTUGUESES. NÃO, NÃO É UM VOTO POLÍTICO, MAS DIZ MUITO DO ESTADO DO PAÍS E DO RUMO DO ESTADO SOCRÁTICO...

QUARENTA ANOS DE SERVIDÃO NÃO CHEGA...

Nasci português e morrerei português

ainda que mude de nacionalidade vinte vezes


A literocambada lusitana nasceu portuguêsmente pulha

e portuguêsmente pulha há-de morrer

seja qual fôr o ismo a que pertença. "

in "40 anos de servidão" JORGE DE SENA EXORCISMOS

Ó cães da morte, que me uivais, mordeis!
Humanos-infra, que sois morte e cães!
Vade retro, Satana, requiem aeternam
terei sem vos ouvir, nem mesmo ao chiar
de mijo nos meus ossos, quando alçardes a perna.
Cães filhos de cães e vossos filhos cães:
haveis de ouvir-me até depois de mortos
e cisco e lama num ranger de dentes:
por mais que me uivem hão-de ouvir também
a voz humana que vos foi negada,
vade retro, Satana, abracadraba.

in QUARENTA ANOS DE SERVIDÃO Jorge de Sena

O Espectro de Salazar GANHOU : "A RTP geriu atabalhoadamente o concurso Os Grandes Portugueses quanto à sua nomeação e votação, com consequências rançosas. O ensino da glória dos Descobrimentos e a branca sobre a Guerra Colonial pouco diferem da História adestrada pela ditadura. É assim, a nossa democracia. Não constrói valores e motivos de identificação…”(?)

A televisão não forma, mas deforma. É tempo de pensar em meio século de lixo e em quem elegeu Sal-azar, o melhor português de sempre...

Em momento algum pretendo ser políticamente correcta, que é como quem diz: cala e subme-te. Porque o correcto em Portugal é ter medo e obedecer a Ditadores, sonhar com Ditaduras...

domingo, março 25, 2007

OS FUNDAMENTALISTAS ISLÂMICOS CONTRA AS MULHERES

A Drª Nawal al-Saadawi, de 75 anos, física e psiquiatra de profissão, é uma livre crítica de religião e lutadora dos direitos da mulher. Exercia um alto cargo oficial como directora da Saúde Pública no Egipto, era Ministra da Saúde e também conselheira para o progresso da mulher nos programas de África e Médio Oriente, tendo sido uma escritora prolífica durante toda a sua vida.

Uma das suas obras foi retirada do mercado em Janeiro de 2007 e as cópias do livro foram destruídas pelos fanáticos islâmicos, assim como uma recente biografia sua.


Depois de publicar um último livro sobre a mulher e a sexualidade foi demitida do seu cargo de Ministra da Saúde.

A IMPORTÂNCIA DA VOZ DAS MULHERES

"As mulheres estão sempre a falar sobre as relações humanas porque estamos programadas nesse sentido. Quando vimos ao mundo, trazemos a memória na nossa alma que nos diz que essa é a nossa função aqui na terra. Não é a nossa fraqueza, a nossa neurose, a nossa dependência. É a nossa força. E quando o poder da nossa válida voz nos é negado, não somos nós apenas, mas o mundo todo que sofre."

in O VALOR DE UMA MULHER de Marianne Williamson

PORQUE HOJE É DOMINGO...

CARTA ABERTA
A UMA AMIGA BRASILEIRA:
Sei bem do que você fala e não sabe o que eu lamento já não a poder acompanhar no seu blog. Falta mesmo um pedaço à internet, porque você tem uma sensibilidade especial, como cada mulher tem como a flor diferente que é de um jardim magnífico. Tenho muita pena de não ter tanto "tempo" para lhe escrever e não é bem tempo, são as coisas da vida, as mudanças, as coisas que vão acontecendo. Não me apetece muito falar delas...das pequenas (grandes?) coisas da vida como as preocupações, as doenças, o dinheiro, as perdas e danos, os desgostos, assim como os nossos medos...

MAS ISSO NÃO É O MAIS IMPORTANTE E TUDO VAI PASSANDO.

O QUE EU QUERO, É olhar para a frente e ver este trabalho de consciência que temos diante dos nossos olhos ou mesmo quando nada vemos do que esperamos ou ansiamos. Agora, na minha idade, a minha vida concentra-se totalmente num "projecto" interior...ou diria antes, numa prática diária de apenas Ser Humana, cada dia mais humana e ajudar na medida do possível a curar as dores e feridas das mulheres que sofrem, só através da compreensão e da compaixão verdadeira, aquela que vem do sofrer com o outro em conhecimento de causa...

Não é uma via de renúncia, nem precisa de Mestres ou Gurus...não é preciso pois renunciar a nada...é a própria vida que se encarrega de nos tirar o que já não serve e o que está a mais para podermos olhar o essencial...

Muitas coisas nos aconteceram, não é verdade? Mas no fundo é sempre o mesmo. Nós somos sempre as mesmas almas e o que muda é a forma de aprisionamento pois só mudamos na medida em que as grades e as ilusões caiem por terra e para isso temos de descobrir o que realmente nós somos...e valermo-nos a nós mesmas. Principalmente isso. NInguém nos vem salvar...É verdade que todas nós sonhamos com alguém tão especial que nos compreenda e nos acompanhe...o tal príncipe que nunca encontramos ou virou sapo, lembra-se? Quermos alguém que nos atinja o coração para sempre...Aí onde afinal ninguém entra...Porque o nosso coração é uma fonte selada onde só "deus" (a Deusa), chame-lhe o que quiser, mas é e só pode ser Amor incondicional, puro, o único que é capaz de nos preencher e sentir amadas como toda a vida a mulher sonha ser amada por outrem.

Tenho andado a pensar (e a ver) em como as mulheres seguem e adoram cantores populares como o Roberto Carlos o Julio Iglésias a propósito agora de um emigrante português, mais um fenómeno criado pela histeria colectiva feminina, Tony Carrera...

São milhares de mulheres e fans em histeria que fazem quilómetros e vão ao fim do mundo e gritam em delírio por um homem que lhes diz a cantar aquilo que elas todas na vida desejaram que um homem lhes dissesse na vida real e que nunca disseram e se disseram em poucos anos elas viram que era mentira! E afinal o que as esperava era violência doméstica ou psíquica, uma prisão económica ou uma exploração sexuall, trabalho e mais trabalho e abandono na maior parte das vezes...e por causa disso refugiam-se com ardor e desespero na voz de um cantor romântico que as embala na doce ilusão de umas palavras ocas...

MInha amiga, nesta vida todas nós temos um grande encontro marcado connosco mesmas e se o falharmos a nossa vida vai por água abaixo...

Essa é a vida de todas as mulheres que se não encontrarem com o seu feminino profundo e consigo mesmas e continuarem a sonhar com o principe-sapo. Todas serão vencidas pelos seus medos e ilusões...ou acabam vendidas a uma Mafia qualquer que as explora sexualmente no mundo inteiro! São tantas e tantas e passam por Portugal...Tantas meninas brasileiras que andam por aí...exploradas e abusadas por bandidos mesmo na frente das pessoas "sérias" e normais...que não se importam nada com a vida humana e só nos seus prazeres e dinheiro!

Vou acabar aqui, senão nunca mais acabo...e desejar-lhe que não se esqueça de si e das minhas palavras... Desejo que elas atravessem o atlântico à velocidade da Luz e encham o seu coração.

rlp

sábado, março 24, 2007

SABEDORIA E CONHECIMENTO

" A mulher tem em si uma sabedoria, uma espécie de sabedoria inata, um catalizador único de realização.
(...) "A mulher está de si potencialmente ligada ao conhecimento e à sabedoria."

(...) "A mulher realizada tem a "maitrise" da dualidade e ajuda o homem a transcende-la. Enquanto que o homem tem acesso ao conhecimento, que é sobretudo, vontade."


Etiènne Guiellé

A ENERGIA FEMININA


“A energia feminina, aquela que sente e liga uma vida a outra, está a ser despertada em todas as pessoas. Mas as mulheres precisam de redefinir os seus conceitos de feminilidade e força. Elas precisam de descobrir o que significa ser realmente uma mulher forte, assim como os homens precisam de descobrir o que significa a sua vulnerabilidade.”* (...)


*in OS MENSAGEIROS DO AMANHECER de barbara marciniak

(...) A mulher Vive num corpo feminino mas usa o seu discurso na vibração masculina, por isso a sua emancipação é quase falsa! Sente que atingiu um certo poder, mas não é esse o seu verdadeiro poder. O que é preciso é que use o Princípio Feminino em todo o seu Explendor a que como mulher integral precisa dar Voz. É preciso e urgente que a Mulher dê corpo e voz à sua verdadeira natureza e traga de novo a sua capacidade de amar e curar a humanidade.

rlp

O FOGO FEMININO. O FOGO QUE LIMPA...

A TRANSFORMAÇÃO QUE O MUNDO PRECISA:

“Que a vossa humanidade tenha balançado entre monarquias e ditaduras e depois repúblicas não muda nada no mundo pois o vento que sopra as suas velas não é senão expressão de relações de força e de domínio. A incessante luta interior em que se debatem as vossas almas entre o dominador ou o dominado é uma limitação, é a verdadeira pobreza de que tem de se libertar.

O Fogo Feminino que está hoje em dia A COMEÇAR A DESPERTAR tem como Missão por fim a esse combate interior. Ele tem como função reinventar o Homem e a Mulher neste mundo, de revelar outra imagem, outro ser mais completo, mais solar, mais cristão no sentido universal do termo.”

In VISIONS ESSÉNIENNES Daniel Meurois-Givaudan

sexta-feira, março 23, 2007

OS HOMÚNCULOS QUE GOVERNAM A TERRA



"Com um desgosto comum a todas feministas que vem tentando participar do tão aclamado humanismo dos homens, apenas para descobrir por experiências amargas que a cultura dos homens não admite a participação de mulheres honestas, Virginia Woolf escreveu:

"Eu detesto o ponto de vista masculinista. Estou entendiada do seu heroísmo, virtude e honra. Eu acho que o melhor que esses homens podem fazer é não falar mais deles mesmos."

Os Homens têm aclamado o ponto de vista humano; eles são os seus autores; eles são os seus possuidores. Os Homens são humanistas, humanos, de humanismo. Os Homens são estupradores, violentadores, espoliadores, assassinos; esses mesmos homens são profetas religiosos, poetas, heróis, figuras de romance, aventura, performances, figuras enobrecidas pela tragédia e pelo fracasso.

Os Homens vem aclamando a Terra, cLamando por 'Ela'. Os Homens arruinaram-a a 'Ela'. Os Homens têm aeronaves, armas, bombas, gases venenosos, nous gases, belicosidade tão perversa e mortífera que eles desafiam qualquer imaginação humana. Os Homens batalham entre si e Ela ; as mulheres batalham para serem admitidas na categoria 'humano' na imaginação e na realidade. Os Homens batalham para manter a categoria 'humano' longínqua, circunscrita pelos seus próprios valores e atividades; as mulheres batalham para mudar o significado que os homens deram à palavra, para transformar esse significado difundindo-o a ele na experiência feminina."__Andrea Dworkin - pornography: men possessing women _
-Tirei este texto de uma comunidade do Orkut- Igaci

UM GRANDE HOMEM, OU APENAS UM HOMEM COM ALMA

Muhammad Yunus

"Com um sorriso e serenidade desarmantes, Yunus diz-nos que vivemos numa era "excitante e estimulante, de ilimitadas possibilidades". E acredita que o combate à pobreza e à injustiça é crucial na luta contra o terrorismo."DN

Os “nossos” políticos e ministros que assistiram ontem à conferência deste grande homem, hoje deviam estar cheios de vergonha pela sua arrogância, convencimento de inúteis e vazio humano. O Eng. Sócratas não assistiu a esta tremenda lição de economia e humanismo e perdeu assim uma oportunidade de ver o longe que ele está de qualquer propósito socialista e democrático.
Os Governantes deste nosso País tão pequeno e miserável – será que está assim tão longe do Bangladesh? ou a nossa miséria é outra, a “envergonhada” e "amoral"? - não vêm senão o seu umbigo e os seus patéticos triunfos do Déficit à custa precisamente dos pobres e sem perceber a sua enorme DEFICIÊNCIA HUMANA.
Eu fiquei profundamente emocianada e tão tocada que a minha alma se abriu a este Mahatma da velha Mãe India, sempre pronta a nos ensinar da sua simplicidade humana tão perto da transcendência ou do que é eterno (que é quando o céu toca a terra através do coração humano) e vemos OBRA digna de ser vivida e premiada. E este homem é grande porque ao contrário de todos os outros pequenos homens do nosso mundo elegeu e confiou na Mulheres e foram as mulheres o seu maior trunfo e triunfo. A sua reverência e respeito da mulher pobre foi o que mais me tocou no seu discurso profundamente “humanista” eu diria santo…
Sim, este Homem é um Mahatma, um homem com Alma, por isso ele ama as mulheres que são as suas grandes e paupérrimas clientes…

O engº. SÓCRATES AO LADO DESTE HOMEM É UMA ÍNFIMA FORMIGA...

quinta-feira, março 22, 2007

A OPOSIÇÃO FEMININO-MASCULINO...

“O género humano tornou-se homogéneo do ponto de vista da cidade e das funções sociais que a constituem, mas, no seu seio, a oposição feminino-masculino subsiste, reduzida doravante à diferença entre uma melhor maneira para os homens e uma menos boa maneira para a mulheres de realizar cada uma das tarefas comuns aos dois sexos. Do ponto de vista conceptual, a imagem da mulher não ganha nada senão a ver-se sistematicamente amesquinhada.”(...)

in A alma é um corpo de Mulher - Giula Sissa

A PERDA DE CONEXÃO COM A VIDA


“Na verdade, muito do que Inana simbolizava para os sumérios foi exilado desde aquela época: muitas das qualidades ostentadas pelas deusas do mundo superior foram dessacralizadas no Ocidente, assumidas por divindades masculinas, (...) É por isso que a maioria das deusas gregas foram engolidas pelos pais e a deusa hebraica foi despotenciada. Restam-nas apenas deusas minimizadas ou restritas apenas a determinados aspectos. E muitos dos poderes antes apresentados pela Deusa perderam a conexão com a vida da mulher: o feminino apaixonadamente erótico e lúdico; o feminino multifacetado dotado de vontade própria, ambicioso, real.” *

A Mulher dominada, sem vontade própria, sujeita à vontade do homem durante séculos, ainda hoje não se alçou dessa subordinação de forma consciente e lúcida e mantém inconscientemente a mesma sujeição às autoridades vigentes dentro da ordem patriarcal, sejam elas quais forem, e ainda que se julgue na aparência “moderna” e liberta, insere-se na sociedade machista muitas vezes ou apenas mascarada de uma FALSA integração social e política, usando o discurso masculino e os seus valores de dominação, não passando de mero objecto de manipulação política por parte dos chefes e os seus problemas, como o é no caso da despenalização do aborto, a legalização da prostituição ou outro qualquer.

A nossa premência como mulheres devia ser descortinar para lá dos conceitos banalizados da "condição da mulher" e saber realmente a que corresponde a nossa verdadeira natureza, a nossa sensibilidade, mas em termos mais profundos, ontológicos. Em suma, a destrinçar a diferença real entre um e outro sexo independentemente das funções atribuidas pela sociedade patriarcal a cada um dos sexos. Era isso que era importante as mulheres perceberem...E assim ultrapassar a maior ignorância e rejeição de uma "essência feminina", como em tempos ouvi a deputada comunista, Odete Santos, fazer gáudio da sua exclusiva racionalidade negando toda e qualquer sensibilidade especial à mulher de forma absolutamente primária e coerentemente marxista:

nem deus nem mulheres ao cimo da terra...só Homens, todos iguais!

E é esse poder do masculino, inclusive nas mulheres e defendida por elas que originou o “machismo” no seu domínio exclusivo do mundo e que trouxe as guerras e a violência, o caos e a destruição paulatina da natureza . Digo-vos mesmo: e a seca...a desordem do mundo, o aquecimento global, vem do desprezo do valor do feminino e o abandono do sagrado na mulher e da natureza mãe...

“onde o sol brilha sempre, há um deserto”.
As florestas secam, os rios secam, o solo estala. A terra morre.”

M. Starbird

A perda de identidade ou o desvio da verdadeira natureza da mulher e a sua divisão ou fragmentação em “santa” (virgem mãe) ou a prostituta (Maria Madalena), pela Igreja e por exclusão do Feminino Sagrado, fez da mulher um mero objecto ou instrumento ao serviço exclusivo da família e da sociedade, sem autonomia pessoal nem consciênia individual, uma vez que continua a obedecer e a servir os conceitos sobre ela estipulados há muito poder pelo patriarcal. Mesmo na política e sobretudo na política é clara e notória a não identificação com a sua natureza profunda e a recusa da sua sensibilidade caracterizada por uma inteligência mais emocional do que a racional, ao contrário justamente do homem. Os problemas das mulheres são hoje olhados e debatidos como apenas de ordem de trabalho, de procriação e de sexualidade, entre a despenalização do aborto ou as creches ou reformas sociais para a mulher (a mãe ou a puta?) sem qualquer consciência dos problemas de base que as aflige, enquanto ser humano que sente e pensa independentemente das suas funções, tal como um homem é olhado, para lá da sua sexualidade e da sua função de procriadora/o ou como utente/vítima da prostituição e as suas sequelas.

r.l.p.

* Esther Harding – Os Mistérios da Mulher

quarta-feira, março 21, 2007

A MULHER E OS GRANDES POETAS


I

Eu colhi a tua flor, ó Mundo! Cheguei-a muito ao meu coração: e o seu espinho feriu-me. Quando o dia declinou, sombrio, a flor murchou: mas a dor ficou. Muitas flores terás ainda, perfumadas e gloriosas, ó Mundo! Mas para mim já passou a hora de colher flores. E já não tenho a minha rosa, na noite profunda que vem: tenho apenas a dor que ficou.


II

Ó mulher, não és apenas a obra-prima de Deus, mas também a dos homens. Estes te enfeitam com a beleza do seu coração. Os poetas tecem os teus véus com os fios de ouro da sua fantasia; os pintores imortalizam a forma de teu corpo. Dá suas pérolas o mar, as minas dão seu ouro, dão suas flores os jardins estivais - para que sejas mais linda e mais preciosa. O desejo do homem coroa de glória tua mocidade. És metade mulher, metade sonho.


R.N.Tagore

O HOLOCAUSTO DA NATUREZA MÃE...

...Lembro-me minha irmã e ainda sonho
com rituais solenes, cerimónias celestiais...
em que uniamos o corpo a alma e o espírito
e de mãos dadas, caminhávamos em silêncio profundo
para escutar as pedras sussurrar antigos mistérios...

Recordo, quando com respeito e gravidade,
pisávamos descalças cada folha caída no chão
e nos inclinávamos cheias de devoção,
reverentes, como aos pés da Deusa Mãe...

Lembro-me quando a Terra era Sagrada,
as árvores, as plantas e os animais "falavam"...
como num eco dentro do nosso coração …
Nesse tempo Mãe, nenhuma mão desgraçada
cometeria o sacrilégio de deitar fogo às árvores
de torturar ou matar outro ser humano
como hoje acontece todos os dias à face da terra...
rlp

A MULHER É SEMPRE UMA FORÇA DA NATUREZA!


"Nos Estados Unidos, Oprah, mais do que uma anfitriã de televisão, mais do que uma rainha da comunicação, é uma instituição cultural por mérito próprio. Tornou-se também uma inexorável inimiga do abuso de crianças e da violência doméstica, e uma campeã da cura do espírito, da saúde individual e dos direitos das mulheres de uma maneira geral.
Recentemente apareceu nos cabeça-lhos de todas as revistas e jornais americanos por ter ajudado a apanhar um agressor sexual de crianças reincidente, ao mostrar a foto do homem no seu programa de TV diário.


“O abuso de crianças é para mim uma causa importantíssima e uma coisa que sinto, como cidadã, que tenho de combater”, declara. “A primeira vez que soube algo sobre sexo tinha nove anos. Estava a passar esse Verão em Milwaukee em casa de um tio meu quando um primo, com 19 anos, me violou. Como eu tremia e chorava, ele levou-me a comer um gelado e convenceu-me a não contar a ninguém – e durante 12 anos não o fiz. Quando se é violado sexualmente, não é o acto físico em si que nos destrói. É o peso do segredo que tem de se manter, a pessoa em que temos de nos transformar para que ninguém perceba o que escondemos.”

Foi este tipo de extraordinária franqueza e coragem que a tornou tão querida dos seus admiradores. Ela tem também sido muito sincera e aberta em relação à luta que sempre travou contra a constante mudança que a sua silhueta sofria, e tem tido um papel muito relevante na promoção, junto do público, da boa forma física, da alimentação equilibrada e de estilos de vida mais saudáveis.

“O que eu acho interessante é que eu sou a mulher mais volumosa que alguma vez foi capa da revista Vogue. Além disso, eles, pura e simplesmente, não fazem capas com mulheres negras, já para não falar de mulheres acima dos 30. Por isso é que foi tão fantástico”, explica Oprah. “Senti que usar o meu talk-show para discutir os meus problemas de peso era o mais adequado. Fi-lo como forma de tentar que toda a gente soubesse: ‘Eu não estou a tentar fingir ser uma pessoa que não sou.’”
(...)
««««««««««««««««««
Esta mulher não precisa de ser anunciada; ela está em todas as revistas, não APENAS porque é fantástica, mas PRECISAMENTE porque detém uma enorme fortuna e poder ao qual os Midea se rendem...é à força do seu poder que é vista e olhada com respeito, mas há centenas senão milhares de mulheres que não têm qualquer visibilidade apesar do seu valor e da sua luta contínua...

Mas esta mulher é notável precisamente porque ela acaba por dar grande visibilidade justamente aos problemas das mulheres. E isso é extraordinário. A Europa não tem uma mulher assim...

terça-feira, março 20, 2007

ONDE A MULHER EMERGENTE?...

"Chamo mulher àquela parte oculta que não é entendida pela razão masculina. Ser esposa, mãe já não satisfaz a uma mulher nos dias actuais, e ainda que tenha um emprego bem renumerado há um vácuo a pairar no coração das mulheres. Há qualquer coisa que falta e a verdade é que nenhum homem/sociedade pode dar isso e muito menos a maioria das mulheres, porque submetidas à ordem estabelecida."


Aquilo que no texto em baixo refere é aquilo que as mulheres portuguesas não exigem...
As políticas, presas aos partidos, as deputadas presas à Assembleia, as intelectuais presas aos estereótipos (das inteligentes e estúpidas) e as demais presas aos maridos, namorados e às "outras" e a todo o tipo de repressões, invejas e interesses mediocres.
Nem as feministas em Portugal têm consciência de uma essência feminina para já não falar sequer do que nem sonham ser o Princípio feminino ou o aspecto sagrado do ser, que se confunde com religiosidade, nem o aspecto mediunidade reduzido a 6º- sentido, nem sequer a força interior da mulher! Tudo se resume e confude nas igualdades de direitos sem acesso à verdadeira natureza ontológica da Mulher.
Alguém se atreve em Portugal a defender uma mulher diferente sem obedecer a algum estereótipo destes???

eu sei que ninguém lê isto quando tão longo...


MULHERES PELO DIREITO DE RESPOSTA
(NO BRASIL)
(…)
“Apesar da emancipação feminina e do brutal crescimento da nossa participação no mercado de trabalho, bem como da nossa ascendência na área da educação formal, somos ainda identificadas, sobretudo pela mídia, como esposas, mães ou filhas. Mesmo quando algumas de nós destacam-se desempenhando algum papel profissional, como por exemplo, especialistas de alguma área, não escapam da relação com o contexto familiar. “Então, enquanto os homens são valorizados como indivíduos autônomos, o status da mulher deriva originalmente de sua relação com outras pessoas. É dessas relações, muito mais do que de sua individualidade, que a mulher obtém sua autoridade” afirma o relatório internacional.
(…)
É fato notório que nós mulheres mudamos a face do mundo - a nossa luta mudou o cenário político, econômico e social do país e do mundo. Nossas reivindicações alteraram o funcionamento dos organismos de poder, das empresas, da estruturação da sociedade, da organização das instituições de ensino, da própria família e dos papéis estabelecidos para o homem e para a mulher.

Mas falam em nosso nome, reforçam os estereótipos que combatemos, não refletem as mudanças e conquistas já efetivas na vida real, usam e abusam de nossa imagem, dosando-a de mais ou menos sedução, prometendo nos entregar como brinde pelo consumo de tal ou qual produto, procurando nos iludir e iludir aos homens, aos jovens e às crianças, em função de interesses que raramente são os nossos.
É preciso que a sociedade tenha acesso a uma visão diferente da que a mídia ora nos impõe.
Queremos poder efetivamente usufruir de nosso direito à comunicação e mostrar a vida e a realidade das mulheres como nós a percebemos e vivemos. Queremos poder mostrar as mulheres em seus mais diversos contextos, na lida do cotidiano, em seus sonhos, em suas lutas, em suas conquistas, em suas contradições e problemas.
Por isso, exigimos o nosso direito de resposta.(...)
RACHEL MORENO

portugal profundo...como dizem...

"É UM PAÍS CARREGADO DE VÍCIOS
CARREGADO DE VELHOS” *







A IDADE MÉDIA EM PORTUGAL

Andreia Elisabete É UMA MENINA que foi raptada por uma mulher há dois anos da maternidade onde nasceu.

Hoje, após a descoberta da raptora, a menina foi devolvida aos pais…
A raptora, uma mulher agora sem casa e certamente maluca (ou desesperada), será condenada e presa e a menina também o será… à miséria dos pais verdadeiros…

A mãe, pobre, óbviamente ignorante e quase boçal, está feliz…com ela está a população de Cernadelo que lhe invade a casa e o lugarejo onde vive e uma multidão de gente em festa, envolta numa onda histérica de vingança e alegria popular – própria do voyarismo nacional televisivo - que seguiu os episódios da telenovela da miséria nacional pelos noticiários, muito ocupados a transmitir as imagens da realidade do Portugal profundo… desgraçado, embrutecido e miserabilista…

Sim, sem dúvida que a mãe tem todo o direito à menina, mas a menina…que foi “famosa” por uns dias – e em que tantos psicólogos igualmente famosos falaram do seu caso - daqui a pouco tempo será só mais uma menina pobre, suja e feia, mal tratada pelas circunstâncias miseráveis dos pais com mais 6 irmãos e pelo Estado que se está nas tintas para as meninas pobres do seu pedestal de hipocrisia reinante…

O Estado? Preocupa-se em construir Aeroportos de biliões de euros para turistas com milhares de pobres e desgraçados pelo País…


"ESTE PAÍS
EM QUE OS REIS ANDAM NUS
E NINGUÉM É CAPAZ DE DIZER NADA"
* In IRREFLEXÕES
Y. K. CENTENO

segunda-feira, março 19, 2007

O CORPO DA MULHER...

"O CORPO DA MULHER, O CORPO DE QUE O HOMEM USUFRUI. PELO AMOR, QUE NÃO É SENÃO UMA FORMA INDIRECTA DE VIOLÊNCIA"

in IRREFLEXÕES
Y. K. CENTENO

A BELEZA DA MULHER...DIGO, A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA



Hospitais cobram até 17 vezes mais a vítimas de violência doméstica
Helena de Sousa Freitas* e José Mário Silva


O Estado português não assume o pagamento das urgências hospitalares quando os pacientes são vítimas de violência. Nos casos em que não é apresentada queixa, ou em que não fica provada a culpa do agressor, a despesa é assumida pela vítima, o que faz com que esta pague de 14 a 17 vezes mais do que o paciente comum. Uma situação que pode, no limite, inibir o agredido de ser visto por um médico. Num caso de que a agência Lusa teve conhecimento há cerca de duas semanas, Filomena Ferreira dirigiu-se, com uma familiar que havia sido vítima de violência doméstica, às urgências do Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

Contudo, quando se preparava para fazer a inscrição da vítima, foi alertada por uma funcionária para o facto de "sendo um caso de agressão, existir, além da taxa moderadora de 7,5 euros, um outro valor associado à consulta". Este valor, que ascende a 106 euros, deve ser pago pelo agressor ao hospital, embora - se a vítima não apresentar queixa ou o agressor for absolvido - recaia na pessoa agredida.Face a este cenário, a vítima optou por voltar para casa, "apesar das contusões no pescoço e das nódoas negras nas pernas, para que não fosse imputada ao marido uma despesa que ainda é elevada para a sua situação económica", explicou Filomena Ferreira, para quem a possibilidade de a conta por pagar "suscitar de novo a ira do agressor" constitui um factor que inibe a vítima de se "deslocar ao hospital para receber tratamento ou a leva a ocultar a agressão, o que falseia as estatísticas". (...)
««««««««««««««««««««««
...os políticos são mesmo psicóticos...
"HOMENS DE PÉS PEQUENINOS A CABEÇA A DAR COM OS PÉS"
(Y.K.CENTENO)

domingo, março 18, 2007

ATÉ QUE PONTO SOMOS CULPADOS?

_"Poderia contar contos de fadas, mas a mente não me deixa olhar suavemente para o panorama. Era bom que voltasse a ser criança para apagar estes resistos todos. Mas, é impossivel voltar atrás, impossivel desde o momento que nossa cabeça saiu pela vulva de uma mulher. Nascemos num mundo de discriminação e foi nossa escolha!
Até que ponto somos culpados?"_


A HUMANIDADE-HOMEM NEGOU A DEUSA-MÃE COMO FORÇA MOTRIZ
E ESQUECEU A NATUREZA INSTINTIVA E A VIDA COMO DÁDIVA...
SEPAROU O CÉU E A TERRA, O HOMEM E A MULHER E CAIU ASSIM NO ABISMO E NA DESORDEM CRIANDO O CAOS ATRAVÉS DA GUERRA.

O SER DE LUZ...


FALAR DE DEUS...

As pessoas normalmente falam para Deus/a sem saber que falam para uma parte luminosa do seu ser, desconhecida à partida. Qualquer criatura por mais embutida que seja tem disso uma clara ou vaga percepção. A oração é isso. A evocação do sagrado em nós recorrendo a uma imagem ou arquétipo que é activado pelo transporte – necessidade individual de atingir esse outro lado do nosso ser supostamente inatingível. Isso seria no meu intuir o que os egípsios quereriam significar por “criar afinidade com o nosso Ka” ou Duplo...

Esse outro lado de nós, que crentes e não crentes, procuramos desvendar e atingir ora através das formas mais variadas ao nosso alcance, no outro e na sexualidade como busca exclusiva do orgasmo (a que vulgarmente chamamos amor...) ora nas drogas, no alcóol ou qualquer outro meio e excesso à partida, depois seja na meditação, visualização e mantras, flagelações ou devaneios místicos... ou mesmo na simples oração... Daí que todas as fés e credos, quando verdadeiros e individualizados possam acccionar as mesmas e idênticas experiências místicas nos que são sinceros e os mesmos desvarios de horror nos fanáticos que não têm acesso a esse interior. Só a veracidade e ressonância do apelo do coração faz a conecção com esse lado oculto de nós próprios – dependentemente da projecção que se faz ou da ideia alargada que se tem de um deus ou algo que nos transcenda - nos permite atingir tais estados. No entanto julgo que só depois da união dos dois lados do ser e na integração do feminino/masculino, do céu e da terra (yin e yang) podemos atingir a plenitude do Ser Maior e chegar a essa parte transcendente de nós a que chamamos deus...ou ser uno e indivisível.

No caminho tudo depende da nossa total sinceridade e da nossa vigilância face ao ego – ter discernimento entre a persona e a essência - que quer sempre por orgulho (ego) fazer-nos maiores ou mais humildes do que somos à partida e aí é que está o maior perigo dos caminhos e crenças e mesmo práticas, que geram antagonismos e ódios, quando não têm acesso à experiência pura de AMOR que habita cada e todo o ser humano.

Toda a fragmentação e luta do ser humano contra outro ser humano na dicotomia mal e bem, homem e mulher, é ainda o espelho dessa desunião interior dos dois lados de cada ser e reflexo da separação de que todos sofremos à partida e que as cosmogonias chamam a “queda” ou cisão dos seres (“castigo” e saída do Paraíso), e que divide o mundo em facções contrárias e que começam sempre em cada ser ao desconhecer a sua totalidade. As experiências místicas que nos elevam a Consciência a um Deus/a maior que também somos nós, situam-se a meu ver nessa relação interior entre um lado mais ou menos conhecido a que chamamos “eu” (inferior) e o outro lado desconhecido a que chamamos deus ou espírito, (eu superior) e que nos permite nessa possível e pressentida fusão, sentir o êxtase ou completude do nosso ser e que consideramos à partida estados provenientes da graça de deus e que nos transcendem (como vindos do céu...) separados da nossa realidade e vontade humana, mas que na verdade são vislumbres ou respostas ao nosso fervor e sinceridade de uma totalidade que já existe dentro de nós e é activada pela oração ou devoção através de uma alquimia interior...
Trata-se de certo modo de uma mudança de frequência, acesso a “estados alterados” – face à mente comum - e que não são mais do que vislumbres do nosso potencial e verdadeiro Ser a atingir, numa realização verdadeiramente humana e que a religião – re-ligare – instituida impede através do dogma e do preconceito, criando medos e distanciando o indivíduo da sua própria essência colocando um deus temeroso e castigador acima de nós e inatingível a que é preciso pedir perdão da nossa miséria e rezar de joelhos e em sacrifício... O deus dos fundamentalismos, a ocidente ou a oriente, que prometem o céu e matam na terra.
As religiões instituidas são a antítese da realidade interior, do amor e da paz que pregam! São a origem da contenda e da divisão entre os seres humanos! São elas que descriminam os seres.
São na maior parte das vezes a origem e causa das Guerras que assolam o Planeta! ( rlp)

sábado, março 17, 2007

A BORBOLETA E A ROSA

Rosa que só tens nexo
Fora da tua imagem:
Aqui és só reflexo
Do universo unido
No instante florido
Que ofereces aos que te olham,
Sem te ver, de passagem.
Natália Correia

A CONSCIÊNCIA DA SEXUALIDADE...


"A descoberta da frequência mais elevada da sexualidade tem origem no amor.

Nada tem a ver se o relacionamento é homo ou heterossexual. Tem a ver com dois seres humanos dando prazer um ao outro e com isso abrindo novas frequências de consciência. Vocês compraram muitas ideias sobre o que é adequado e o que é inadequado na expressão sexual. O ideal é que a sexualidade seja explorada através dos sentimentos. O terceiro e quarto chakras ligam-vos ao Eu emocional e compassivo, que os liga ao Eu espiritual. O Eu espiritual é a vossa parte multidimensional – através da qual existem em várias formas simultaneamente.


Certas escolas esotéricas guardaram secretamente algum conhecimento sobre o potencial da sexualidade. Vós sois criaturas electromagnéticas e, quando vos unis fisicamente a outra criatura humana, somais as frequências electromagnéticas. Quando as vossas frequências estão sintonizadas e unidas pela vibração do amor, coisas incríveis podem acontecer.”

BARBARA MARCINIAK, Os Mensageiros do Amanhecer


"A METAFÍSICA DO SEXO "

Assim o "significado superior do amor sexual, que não deve ser identificado ao instinto de reprodução, é o de ajudar tanto o homem , como a mulher, a integrar-se interiormente (na alma e no espírito) na imagem humana completa, isto é, na imagem divina original". Esta imagem andrógina, tornada incorporal após a queda, deve incarnar-se , fixar-se e estabilizar-se nos amantes de modo que "os dois se não reproduzam unicamente num terceiro ser, a criança, mantendo-se contudo iguais a si próprios, tais como eram (não regenerados) mas que ambos renasçam interiormente como filhos do divino" Julius Evola

QUEM TRAI QUEM




Dói-me no coração tantas vezes esta operação delicada da vida que me anestesia para cortar pedaços que não são de mim...e depois da anestesia passar, ficar a dor à solta...até sarar...e ver no chão os bocados a mais que só nos envenenavam a alma... Tanto falamos do que dói a traição e o quão subtil ela pode ser e a que níveis nem sabemos que a cometemos ...a nós próprias, principalmente... E aos outros é completamente mistério...Nunca sabemos. Quem trai quem...ou quem se sente mais traído... Ás vezes confundimos coisas que não nos pertencem como nossas...é preciso ir a bisturi...limpar o coração de caroços que se instalam, sentimentos negativos que nos consomem...

A traição, o ciúme, a mentira ou a inveja ou uma expectativa qualquer...tudo tem a ver com a nossa incompletude, o medo de perdermos qualquer coisa... que não somos. Daí tanto medo de sermos traídas... Porque se fôssemos inteiras e unas, não sofreriamos nada disso e suportarimos tudo com compaixão, sem sofrimentos inúteis. Mas o dependermos de alguém que amamos (ou odiamos) ou de um sonho ou de um ideal que temos, sofremos sempre a perda...quando a vida mais tarde ou mais cedo acaba por nos libertar (a mal ou a bem) de apêndices ou "miomas"...que nos impedem de viver sãs e em paz connosco mesmas! É difícil ver isto, manter essa lucidez e aceitar quando nos arrancam aquilo que queremos agarrar e que afinal só nos prejudicava....

Miomas, caroços ou tumores...todas os temos antes mesmo de os sentirmos no corpo...há muito que nos corróem a alma e não vemos... Libertemo-nos pois de apegos e apêndices, de lutas insanas, de amores que nos atormentam... Sejamos apenas nós mesmas, não divididas, mas inteiras! Sejamos unas e antes de tudo, aceitemo-nos como somos e não como parecemos! Ou como os outros querem que sejamos! R.L.P.

sexta-feira, março 16, 2007

AS MULHERES NÃO "SÃO"...mulheres!

(De vez em quando sonho com o Kimit e com a minha outra casa...)


"...devemos reinvindicar as nossas forças místicas. Devemos avançar, contra as árduas e obscuras forças do ridículo e da resistência sejam quais forem as formas que tenham fazendo o que temos que fazer e desempenhando o papel que nos cabe. "*


...E O UNIVERSO DESAPARECERÁ…

Ontem lia neste livro que incide sobre outro muito em voga, Um Curso em Milagres, e que leio perplexa, intrigada e incomodada…em que o autor (canalizado, claro) fala com os seus Mestres Ascenços que lhe aparecem (?) sobre as coisas que pensa e a dada altura dizia ter ouvido na televisão (americana) que a Mariane Williamson, que escreveu entre outros o Valor de Uma Mullher, que o mundo precisava de “feministas ferozes”…nessa altura a Mestra Ascença disse-lhe que o Curso em Milagres não precisava de feministas, embora reconhecendo o direito da Marianne a dizer o que quisesse para ajudar as mulheres, mas o mundo precisava era de professoras que dissessem ÀS MULHERES QUE ELAS NÃO SÃO MULHERES…
Isto é: são almas, certo, são seres espirituais em essência neutros, tal como os homens, e nesse plano do invisível, planos superiores ou subtis, não há certamente sexos…Nós sabemos que aqui é tudo transitório, aparente e relativo mas é aqui e agora na Terra que não se compreende - quando se nasce mulher!- que a mulher seja assim tão inferior, mal tratada e desprezada no mundo inteiro…e este mundo precisa sim, não digo de “feministas ferozes”, mas de mulheres Concientes do Sagrado e do Princípio Feminino como tal…para equilibar o ser em si e o mundo, para unir os polos opostos…Mas neste caso e segundo esses mestres ascenços, antigos apóstulos do J. … " O Universo Desaparecerá" e a única coisa que é precisa - e é claro que já não precisamos de lutar por nada pois nele tudo é ilusão e criado pela nossa mente inferior -´´E PERDOAR ...Só temos que perdoar a tudo e todos e a todo o transe sem mais nem quês…e esquecer que :
"A opressão sobre as mulheres ainda persiste, e por vezes são as próprias mulheres que tornam o mundo ainda mais difícil para as outras mulheres. Mas este fenómeno tende a desaparecer, à medida que essas mulheres opressoras conquistem a sua auto-estima. Do lado oposto a esta selva nasce um dia novo e gloriosos na terra, o dia em que as nossas filhas deixarão de ser julgadas pelas suas paixões ou postas de lado porque terão poder, força e amor." *
in "O VALOR DE UMA MULHER"
MARIANNE WILLAMSON - 1993

O SILÊNCIO DA MULHER



Boa noite. Aqui mais uma vez. De facto não eram anjos, mas sim deuses gregos filhos de César. Curiosa a fotografia. Está tudo dito nas entrelinhas. Homem másculo, curvas perfeitas qual adónis exalando sensualidade sexual. Nada erótica. (Será???) Mulher pendurada, afogada e estática olhando o nada e a segurá-la a nova mulher do futuro. A Mulher masculina vestida de Napoleão. (Risos) Eu preferia olhar com outros olhos e interpectar essa mulher meio homem como o andrógino. Mas, terei de descer aqui à terra onde o cenário se passa. A história é outra concerteza. Desculpe escrever tanto. Mas, lendo aqui o seu blog não resisto.

(Voltei...) Às vezes penso que a mulher tem muito mais poder através do silêncio. Não digo do silêncio da vítima, do silêncio por não ter capacidade de expressão ou outra que a impossibilita. Menciono um outro tipo de silêncio que trabalha activamente nos bastidores e direcciona as situações ou os acontecimentos. Isto parece-me paradoxo, no entanto quase que às vezes tenho essa leve percepção que a mulher detêm muito mais poder através desse silêncio que ainda não foi consciencializado. A mulher inspira medo devido ao seu poder de olhar qual lente macro para determinada coisa, contrário, o homem inspira medo devido ao seu exímio carácter, o de posse sobre as coisas. Mulher que se dá e entrega, homem terá que a aceite porque lhe vampirizará a força interna em beneficio de si mesmo. Vejamos as situações em que mulheres com carisma, quando casaram viraram sombra de si mesmas, enquanto eles se tornaram homens de força e cujo charme pessoal aumentou.

Bem que, actualmente numa certa sociedade dita burguesa isso já não aconteça tanto, porque temos a era das miraculosas cirurgias que esculpem os corpos para lhe devolverem a terna juventude e apagam magicamente a sombra viva das suas óbvias vidas. No entanto naquela área da sociedade em que não se consegue chegar ao pódio de tais cirurgias, a mulher é o rosto vivo do seu apaziguamento. Não tem condições para apagarem as vivências a que foram votadas. São a obra final de um massacre não só psíquico, mas também físico. Não importa a condição académica, social e económica de um homem, porque o seu desejo de posse é comum a todos, na mulher a submissão é igual. Há razão aqui nos seus textos expostos quando referem que a mulher se tornou masculinizada.

Seguem o caminho do imperador e abandona a imperatriz e isto sem falar da sacerdotisa que é mais profunda. Quero dizer com isto que o Imperador é alguém que está acima da água, da emoção e portanto, não a vê porque relegou-as para o mundo inferior e por isso não vê o mundo inferior e por isso não tem relevância e força sobre si visto que o seu olhar está focalizado na razão e, olha somente para o lado direito da vida e suplanta a via esquerda. Embora sobre os seus pés ele tenha a mãe natureza, ele não as vê porque nunca olha para baixo. Como tem o olhar focalizado para a direita e fixado no poder que isso lhe dá, não há pensamentos para mais a não ser somente isso.
A autoridade e o poder o fascinam; toda essa sensação de fascínio o afasta das verdadeiras raízes. Geralmente pessoas que assimilam este imperador ficam estáticas e fixadas na ambição, no poder, na posse, no sucesso, na fama, no dinheiro, no sexo. Embora tenha as características de razão, pragmatismo que também é necessário nesta vida, há quem fique mergulhado no aspecto denso deste imperador. Isto tanto é válido para mulheres como para homens, e daí essa ideia de que as mulheres estão se tornando masculinizadas, porque estão completamente coladas à face densa do Imperador ¿ carta de tarot numero 4.
Actualmente vivemos sobre este império do Imperador, a sacerdotisa e imperatriz foram dar uma volta aos bastidores e quem sabe até foram presas numa masmorra. Talvez o patriarcalismo esteja a concretizar o seu sonho de sempre. De transformar esta terra sob o céu num único mundo de homens de alma, carne e coração, dando como concretizado a insígnia perfeita do seu slogan: Feita à minha imagem, O Pai. Já que a trindade não tem feminino por lá, a não ser a pomba, e ainda assim é a pomba do espírito santo que é interpretado por eles como sendo Homem, o homem divino. Abraços... nsseeao 15-03-2007 23:01:52


Pode considerar-se co-autora deste Blog...

Tenho o maior prazer em a ler e publicar...além de que como é óbvio o seu pensamento está em perfeita sintonia comigo. Percebo quando fala desse silêncio da mulher, mas como diz, teremos de descer à terra onde o cenário se passa...e dar voz a Cassandra votada ao descrédito por Apolo... Voltar ao Oráculo de Delfos como Pitonisa e recuperar a Voz da Deusa. Penso que assim poderemos - talvez seja um sonho - salvar a Terra Mãe e a Natureza tão desprezada pelo Imperador...

Um abraço rl

quinta-feira, março 15, 2007

o que falta em portugal

DIREITO DE RESPOSTA

Mulheres acionarão Justiça contra estereótipos veiculados pela mídia
Movimento feminista moverá Ação Civil Pública contra discriminação, sub-representação e veiculação de uma imagem estereotipada da mulher nos meios de comunicação. Protestos do 8 de Março foram, mais uma vez, ignorados pela grande imprensa.

Bia Barbosa – Carta Maior


SÃO PAULO – Pouca coisa foi diferente dos anos anteriores. Se neste 8 de Março a grande imprensa brasileira não ignorou solenemente, como sempre faz, as mobilizações do movimento feminista no Dia Internacional da Mulher, desta vez a passeata por igualdade, autonomia e liberdade das mulheres realizada na Avenida Paulista na última quinta-feira foi abafada pelos conflitos da polícia com um grupo de manifestantes anti-Bush. Planejado para acontecer logo após o encerramento da marcha do 8 de Março, o ato contra a presença do presidente americano no Brasil acabou se somando à passeata feminista – e, devido a ação de bem poucos de um universo de cerca de 20 mil pessoas, diminuindo o brilho da ação das mulheres.
(...)

MULHER É VÍTIMA DESDE QUE NASCE...





E não são só as mulheres que são vítimas dessa propaganda suja, as crianças também. A Ásia é um dos continentes onde mais se explora a prostituição infantil, principalmente na Tailândia e Sir Lanka, e este comercial -
http://br.invertia.com/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200703092027_INV_30419405 -
coloca justamente duas crianças asiáticas e uma delas vestindo uma roupa notadamente sensual. Para mim é óbvio que se está apelando para a sensualização da imagem da criança, mas para os criadores do anúncio, não. É chocante pra mim, ver isso acontecendo não só no Brasil, mas em todo mundo, até em países ditos mais desenvolvidos.

Embora os gays sofram opressão como as
mulheres, até
o momento em que se
assumem ou se descobrem gays, são
criados e tratados
como homem, as mulheres são
oprimidas desde o
momento
em que nascem. A
questão para mim é: porque a moda que
é
majoritáriamente comandada por
homens, tem que impor um modelo disforme,
feio,
desajustado de mulher e a
todo custo transformá-las quase em
zumbis ambulantes?
Essa é a verdadeira
questão, porque essa
necessidade
de desconstruir a mulher?

Aqui no Brasil o movimento feminista está se mobilizando contra isso: http://agenciacartamaior.uol.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=13691&editoria_id=5


As mulheres não estão aceitando essa situação, mas é difícil furar o bloqueio e obter resultados que satisfaçam a causa feminina.


Um grande abraço,

Igaci


i.b.v.b. 14-03-2007 18:58:45

quarta-feira, março 14, 2007

NÃO HÁ TEMPO PARA MODISMOS E FANTASIAS…

Imagem: Maat, Deusa da Verdade e da Justiça

COMENTÁRIO III

Rosa! É de fato lamentável o movimento corrosivo à figura e ao "padrão" da mulher que esta moda, criada pelos estilistas, cria atualmente. Porém, existem coisas a se observar... A primeira delas é que esse conceito mùmia é demasiado moderno, uma vez que um ou dois "lotes" de estilistas atrás traziam e figuravam a mulher na sua moda como centro e marco de veneração e beleza. A segunda é a lástima da maioria das mulheres no mundo permitir-se a esse perfil ditado pelas grandes grifes, onde elas vestem a moda, e não a moda as veste. Mas eu gostaria de fazer uma ressalva quanto à questão dos gays... independente de terem se rendido ao "padrão" do homem macho, barbudo, sarado e sexy... em poucos anos estes seres tão discriminados da periférica minoria da sociedade, que sofriam tanta pressão e opressão quanto as mulheres, vieram tomando consciência de si e de seu lugar na sociedade e hoje ocupam "status" libertos que a mulher, por falta dessa consciência ainda sofre por não conquistar. Portanto, seria muito válido se ao invés do "modelo" da passarela, as mulheres do mundo tomassem pra si o "modelo" da atitude.

Beijos & rosas,

Zazyel Von Hansen Zazyel Email Homepage 13-03-2007 16:31:13

Meu querido amigo: você sabe que eu não estou contra os gays…mas contra as imagens e estereótipos, por mais modernos que sejam ou simbólicos de arte e cultura que degradam o ser humano sejam eles homens mullheres. Para mim justamente a homossexualidade é uma questão interior, íntima, como toda a sexualidade. A sexualidade é um acto sagrado que foi profanado pelos mídea e pelo cinema. O erotismo é uma magia ou arte que foi destituída de toda a sua beleza que consistia no amor… Para não falar em como o AMOR se transformou em mero engate, em violência agressividade e comércio… Como sabe, sou apenas contra a violência a decadência e a morbidez dos excessos e a sua apologia; sou contra o gratuito, por fazer a elegia das Forças da Natureza, da Mulher e da Deusa…

Sou pagã de alma e coração e comigo está a força da Deusa terra e das árvores, do mar e dos animais selvagens…não preciso de sucedâneos quando a terra me dá tantas possibilidades de usufruir dela e do meu ser se eu souber estar em harmonia com a vida que vibra em mim…
O mundo está a caminhar para o abismo e as forças negativas querem levar tudo com elas e para isso servem-se dos nossos sórdidos costumes urbanos e viciados em consumo e mentira. É por isso que as mulheres são de novo atacadas...

A Natureza e o Planeta precisam de nós e é urgente ocuparmo-nos dos mares e dos animais, do ar e das plantas, das flores e dos jardins, das árvores e dos campos…dos oceanos, dos peixes, das crianças violadas, das mulheres vendidas e espancadas…etc. etc.

P.S.
Não acho que o homem gay tenho ganho muito com o tornar-se tão “macho” em vez de integrar o seu feminino de forma natural e espiritual. Estamos saturados de masculino e tanto os gays como as mulheres estão cada vez mais masculinos...Como sabe a Consciência de si ou do SI é feita pela integração dos dois polos, feminino e masculino e não na exacerbação de apenas um. Não se esqueça que somos dois em UM… Eleger o feminino ou o masculino em detrimento um do outro é voltar a imposição de um dos lados da nossa natureza, é cometer o mesmo erro milenar que fez da mulher um objecto de consumo...

De qualquer modo o que falta no mundo são os valores do verdadeiro feminino...e esses estão por descobrir tanto pelo homem como pela mulher. A sexualidade é secundária quanto a esta premência. Sejamos HUMANOS completos e deixará de haver descriminação sexual ou outra qualquer...
um abraço
rleonor