sexta-feira, novembro 30, 2007

A MULHER VIDENTE E FEITICEIRA...


"A mulher, mais do que o homem, é capaz de prever o curso dos factos e de dar conselhos, no sentido de harmonizar a conduta humanar com o destino.

Essa é a razão da sua invulnerabilidade e da sua santidade sacerdotal, como pode ser provado entre os címbrios. É desnecessário repetir as palavras célebres de Tácito sobre o sanctum et providum das mulheres germânicas...

Essa postura foi mantida no norte até o cristianismo começar a perseguição às videntes, por considerá-las feiticeiras..."

IN "A GRANDE MÃE" de E.Neumann


"A palavra também é destino, pois ela anuncia aquilo que foi decidido pelos poderes; além disso, a maldição e a benção dependem dos rituais mágicos que estão sob o domínio das mulheres. Aquilo que mais tarde passamos a chamar de poesia teve origem na fórmula dos sortilégios e nos cânticos mágicos que emergem espontaneamente das profundezas do inconsciente de onde trazem à tona suas formas características; seu próprio ritmo, além do vigor e da sensualidade peculiares de sua imagem" (...)

in "A Grande Mãe" - JEAN MARKALE

Dois livros distintos e autores também diferentes embora com o mesmo título, e ambos muito importantes!

O NASCER DO SOL NO MONTE SINAI


Subir o Monte Sinai não me entusiasmou muito, nem a conseguir chegar lá ao cimo...
Do ponto onde me encontrava ou até onde consegui chegar e o meu coração permitiu, pois batia demasiado para continuar a subir, tirei esta fotografia ao nascer do Sol...
A montanha aparece como um perfil...de um deus adormecido...um dos muitos deuses e deusas adormecidos no Egipto. As deusas e deuses egípcios não eram "religião", mas realização de princípios...
rlp
»»»»»»»»»»»»»
"Sou um cristão gnóstico, inteiramente oposto a todas as igrejas organizadas e, sobretudo, à Igreja de Roma." -
- Fernando Pessoa
»»»»»»»»»»»
«É às religiões que se deve esta inédita disparidade entre o homem e a mulher»
-Taslima Nasrin

AS MULHERES EGÍPCIAS



«A civilização faraónica conferiu à mulher do Antigo Egipto um estatuto excepcional, que as sociedades modernas nem sempre conseguiram igualar. Em todos os domínios, do espiritual ao material, a mulher era considerada igual ao homem. Tinha a liberdade de se casar com o homem que escolhesse, de se divorciar com direito a uma pensão, de legar e de herdar. Podia ser chefe de empresa, especialista em finanças, proprietária de terras, administradora de bens ou consagrar-se aos mistérios divinos nos templos e santuários. (...)


As Egípcias são um retrato fascinante e surpreendente de uma das sociedades que mais apelam ao imaginário do nosso mundo moderno»


Christian Jacq


A Civilização faraónica não "conferiu" à mulher um estatuto excepcional que ela por condição não o tivesse já ou, como nós poderiamos achar hoje em dia, a título de favor, uma espécie de paridade política, mas respeitou apenas e correspondeu à necessidade de Equilíbrio dos dois princípios, feminino e masculino, que os egípcios sabiam ser a condição indespensável do equilíbrio humano e social, de amor e paz...E enquanto a Mulher esteve no papel que lhe correspondia naturalmente e na própria representação das suas Deusas, O Egitpo foi uma civilização diferente e pacífica porque sábia. E sem dúvida que esse facto se devia à harmonia e integração das forças opostas e complementares do princípio feminino e masculino. Os igípcios alcançavam a maitrise do Ser através de Maat a Deusa da Justiça e da Verdade que pesava o coração dos vivos e dos mortos...Se estes não fossem puros ou tão leves como uma pena, não viveriam na eternidade. Quando da sua queda depois das invasões bárbaras patriarcais e as suas influências se afirmaram, começaram a minar até à destruição essa Estrutura Sagrada que eram os Templos e que fez do Egipto talvez a civilização mais evoluída do Planeta. A partir dessa altura, como em geral por toda a terra nessa época, esse estatuto e dignidade foi-lhes confiscado e as mulheres começam a ser meros objectos de prazer, prostituídas, concubinas, meras procriadoras ou escravas .


R.L.P.(republicado

quinta-feira, novembro 29, 2007

URGENTE: A VOZ DAS MULHERES

“As mulheres por vezes ficam histéricas e fazem e dizem as coisa mais estranhas. Mas esta observação vai dar a volta e morder a própria cauda: talvez a verdade da vida e do viver resida nas estranhas coisas que as mulheres fazem e dizem quando estão histéricas"


in “ As Duas Vozes”- de William Golding (Prémio Nobel de 1983).

A CONSCIÊNCIA DO FEMININO



Chegou a hora
(...)
"Buscamos movimentos de consciência. A energia feminina, portadora da magia e da intuição, concordou em abdicar dessas qualidades – energia feminina significando não apenas os seres fisicamente femininos, mas a consciência feminina.

O movimento patriarcal nos últimos cinco mil anos afastou-se completamente do processo do nascimento para poder dedicar-se ao desenvolvimento de armas e ao contínuo aniquilamento dos seres humanos.

As mulheres estão com um “nó na garganta” porque concordaram, há quatro ou cinco mil anos, manter silêncio acerca da magia e da intuição que representavam e conheciam como parte da chama gémea. A chama gémea consiste na energia masculina e feminina coexistindo num só corpo, quer seja ele fisicamente masculino ou feminino.

Durante este período de mudança, será necessário que as mulheres desatem o “nó da garganta” e se permitam falar. Chegou a hora."

BARBARA MARCINIAK,
Mensageiros do AmanhecerEd. Ground, São Paulo, 1992

O PODER MATERNO



"A Humanidade e a Terra estão a passar de um regime de energia masculina, activa, do Logos planetário para o encontro com a energia feminina.
Isto significa que todas as pessoas precisam encontrar a energia feminina dentro delas. Existem muitos seres, fisicamente femininos, que ainda não encontraram a sua energia feminina oculta, profunda, ainda não encontraram a sua função Isis, a sua função de assistente daquilo que está separado. A capacidade que Isis tem de reconstituir o corpo fragmentado de Osíris - este poder materno que todos os seres têm dentro deles - é uma coisa muito mais misteriosa do que ser carinhoso para com as crianças."

André Louro de Almeida

SALVAR GAIA, NOSSA TERRA MÃE...


É PRECISO UM NOVO DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA DO FEMININO

PARA CURAR A TERRA

(...)

PARA EVITAR O DESASTRE, A MULHER TEM DE NOVO REENCARNAR A DEUSA
NA TERRA,
DE RECUPERAR COLECTIVAMENTE A MEMÓRIA DE QUEM É,
DE REAPRENDER A ARTE DE CURAR,
DE SE ASSUMIR DE NOVO COMO GUARDIÃ DO GRANDE ÚTERO FERIDO
QUE É A TERRA
DANDO AS MÃOS ENTRE SI PARA A TRATAR
RESTITUINDO-LHE A CAPACIDADE DE CRIAR
(...)

IN Os Portais do Tempo de Antónia de Sousa
ed. ART-FOR-ALL

quarta-feira, novembro 28, 2007

POR OUTRAS PALAVRAS

(...)
A serenidade é o fruto da independência. Cria em ti esta independência, que não é indiferença, mas neutralidade face às impressões recebidas do exterior: bonito e feio, bom e mau, alegre ou triste, agradável ou penível... Uma coisa é discernir as qualidades, outra é deixá-las afectar a nossa disposição." (...)

In « L’OUVERTURE DU CHEMIN » de ISHA s. DE LUBCZ

O RECONHECIMENTO




"Aquele que souber, como uma criança ou ser original, deixar-se envadir pelo sopro vivificante e concentrá-lo no seu coração como um sábio, terá encontrado o segredo de uma fonte de vida. A alegria é um tesouro de força incalculável.


A alegria, multiplicada pelo Reconhecimento, torna-se um centro de atracção para as forças anímicas benfeitoras; as suas ondas de natureza quente e altruísta, atraiem as ondas da mesma natureza; da mesma maneira que a tristeza atrai ondas maléficas e influências malsãs." (...)


IN "A ABERTURA DO CAMINHO" - Isha Schwaller de Lubickz

Imparcialidade


Olhar e ver sem ser tocada...olhar e ver sem perder o centro, nem a equanimidade.

Olhar as coisas e os seres, actuar na justa medida, dizer a verdade sem cair na armadilha de confundir o centro com a periferia...

A balança oscila, pesa mais de um ou do outro lado, mas o fiel da balança mantem-se equilibrado.

O bem e o mal são os dois lados da dualidade, como o são o quente e o frio, o feio e o bonito a mentira e a verdade e todos estamos sujeitos a esta realidade. O fiel da balança em nós é a consciência que se mantêm acima do certo e do errado. Esse é o segredo...

É desse olhar que falo...Ver e não julgar...Ser justo e não condenar...

Agir com o coração e não hesitar diante de nada. rlp

terça-feira, novembro 27, 2007

DIVULGUEM POR FAVOR


POR FAVOR PUBLIQUEM NOS VOSSOS BLOGS OU DIVULGUEM A NOTÍCIA DO POSTE ANTERIOR POR EMAIL PARA QUE MAIS MULHERES NO OCIDENTE POSSAM SABER COMO AS MULHERES SÃO PERSEGUIDAS E CALADAS Á FORÇA NO MUNDO ISLÂMICO.


- É uma coisa que já sabemos de uma maneira ou outra e às vezes preocupamo-nos mais com os animais de estimação do que com as nossas irmãs do mundo islâmico... Também pensamos que não é essa a nossa realidade, no entanto a nossa realidade bem mais subtil, acaba por ser igual...mas nós por comodismo preferimos ignorar e fingir que está tudo bem até que a tal doença terminal apareça e nós queremos então encontrar deus...mas esquecemos o porquê do nosso mal.

Sei que muitas de vocês discordam de mim, que não têm paciência e que a internet é um jogo lúdico...ter um blog é uma distracção, um luxo por vezes...e preferem um paliativo, o lado espiritual, a uma chatice como esta, saber de mulheres perseguidas e sem chão...enquanto isso os vossos maridos divertem-se por aí e vocês acabam por apanhar sida...como diz a Juliana no seu comentário de hoje:


"É também para destacar outro dado alarmante, 30% das pessoas infectadas com Sida em Portugal são mulheres casadas... Mais uma prova de que todas nós precisamos de solidariedade feminina, pois a cada dia o patriarcado nos tenta derrubar de várias maneiras diferentes, e muitas vezes subtis... Não se iludam meninas, o patriarcado é um monstro feio e mau... Temos de encontrar o caminho para desmasculinizar o mundo e equilibrar as energias masculinas e femininas...

Ser mulher não pode mais ser sinônimo de ser vítima...
Basta! Chega!"
- DESCULPEM LÁ O INCÓMODO, NÃO É? EU TAMBÉM PREFERIA O MUNDO COR-DE-ROSA, O RAIO ROSA, SÓ AMOR E ANJOS NO MEU ASTRAL...RLP

POR CÁ NÓS NADA SABEMOS...OU NÃO QUEREMOS SABER?


La UNESCO premia a Taslima Nasrin
El Director General de la UNESCO,
Koichiro Matsuura, entregó el 16 de noviembre a Taslima Nasrin, escritora y periodista de Bangladesh, el Premio UNESCO-Madanjeet Singh de Fomento de la Tolerancia y la No Violencia 2004. Nasrin, médico de profesión, se dio a conocer gracias a sus artículos contra la opresión de la mujer.
Amenazada de muerte por los islamistas integristas, está luchando para que se promulgue un nuevo código civil basado en la igualdad entre los sexos y se imparta una educación laica en Bangladesh.
El Premio UNESCO-Madanjeet Singh, dotado con 100.000 dólares, fue creado en 1995 gracias a la generosidad del escritor y diplomático indio, Madanjeet Singh, Embajador de Buena Voluntad de la UNESCO. Foto © UNESCO/Michel Ravassard
«««««««««««««««
OS JORNAIS NACIONAIS TRAZEM NA PRIMEIRA PÁGINA JOGADORES DE FUTEBOL, COMO FIGO OU RONALDO E OUTROS HERÓIS DO MUNDO PATRIARCAL, E NADA SOBRE ESCRITORAS OU PREMIOS DADOS A MULHERES PERSEGUIDAS PELOS FUNDAMENTALISTAS ISLÂMICOS OU CRISTÃOS...

A VOZ DAS MULHERES

A REPRESSÃO RELIGIOSA IMPEDE A MULHER DE SER UM SER HUMANO LIVRE, TAL COMO O HOMEM!


"Sueño con que algún día exista un mundo
totalmente secular."

”En casa crecí con gran miedo. Tenía que mantener en silencio mi ansia por la libertad, mi interés por la vida allí fuera. No se me estaba permitido dar un paso fuera de la casa si no era para ir a mi colegio o instituto. De ahí resulta que entre otros descubriera mi pasión por leer libros, historias de fantasía, poesía, ensayos, por leer cualquier cosa. Pero tenía que esconder mis libros ante mis padres. Además tenía otra pasión: El escribir poemas. “

Escribir siempre tiene para la escritora bengala una dimensión de libertad y política. Constantemente lo subraya y explica su motivación:

”Escribiendo libros quise hacer algo constructivo. Quise ayudar a las mujeres a que entendieran que se les oprime pero que no debe ser así. Quise animarlas a luchar por sus derechos y su libertad.“
TALISMA NASRIN

o fundamentalismo na India, contra as mulheres...


Perseguida na Índia:

Escritora Taslima Nasreen forçada a sair de cidades...


A escritora do Bangladesh Taslima Nasreen, que vive exilada na Índia, está a ser forçada a sair das cidades por pressão de grupos islamitas que a querem ver expulsa do país, pelas suas alegadas blasfémias contra o Islão.
Hoje mesmo, a polícia obrigou a romancista - conhecida como «a Salman Rushdie do Bangladesh»-- a deixar o Rajastão, norte da Índia, onde se tinha refugiado na véspera, depois de ter sido coagida a sair de Calcutá, a maior cidade do leste indiano, cenário, quarta-feira, de incidentes provocados por islamitas.
«Ela chegou sem avisar. Então, por razões de segurança, o governo pediu-lhe que se fosse embora», explicou o ministro regional do Interior, Gulab Chand Kataria.
Taslima foi escoltada até ao estado vizinho de Haryana, na fronteira com o território federal de Nova Deli, e recusou dizer se tenciona refugiar-se na capital.
«Estou sob grande pressão psicológica. Não me sinto bem. Não estou em condições de falar, estou esgotada», confessou, em contacto telefónico com a agência oficial Press Trust of India (PTI).
Os hotéis do Rajastão recusaram, quinta-feira à noite, dar abrigo à escritora, que acabou por dormir num «local privado» em Jaipur, a capital do Estado.
Taslima foi levada para o Rajastão na sequência de uma violenta manifestação de 5.000 islamitas em Calcutá contra a sua presença na capital de Bengala Ocidental, onde vive exilada e onde se fala o bengali, como no Bangladesh.
«Não tenho para onde ir. A Índia é a minha casa e eu gostaria de ficar aqui até morrer», disse há dias ao diário The Hindu.
O partido nacionalista hindu Bharatiya Janata (BJP) acorreu em socorro da escritora, de 45 ans, que, na opinião de um dirigente, Yashwant Sinha, citado pela PTI, está a ser «tratada como uma bola de futebol».
Em 2005, Nova Deli recusou conceder-lhe a cidadania indiana. O seu visto de residente estrangeira expira em Fevereiro de 2008, segundo a imprensa.
Taslima vive no exílio entre a Europa, os Estados Unidos e a Índia desde que foi ameaçada de morte pelos islamitas do Bangladesh em 1994.
Em Março, um grupo islamita do norte da Índia prometeu uma recompensa pela sua decapitação e, em Agosto, foi agredida publicamente por militantes muçulmanos em Hyderabad, no sul do país.
Posteriormente, foi julgada na Índia por ofensa ao Islão. Poderá ser condenada a três anos de prisão por «ter provocado a discórdia, o ódio e a aversão» entre grupos religiosos.
Diário Digital / Lusa
23-11-2007 12:27:00

segunda-feira, novembro 26, 2007

EM PORTUGAL


Violência doméstica
8 mil mulheres vítimas em nove meses

A propósito do Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que assinala este domingo, a PSP revela que registou 9.218 denúncias de violência doméstica, das quais 7.938 referem-se a casos de agressão a mulheres

por visao.pt - 24 Nov 2007

Quase 8 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica nos primeiros nove meses deste ano, mais 514 em relação ao mesmo período do ano passado. São os dados mais recentes da Polícia de Segurança Pública, que registou, de Janeiro a Setembro deste ano, 9.218 denúncias de violência doméstica: 7.938 casos de agressão a mulheres, 343 a menores de 16 anos e 703 a idosos.(...)


Afinal sempre era o tal dia não contra, mas pela Eliminação da Violência Contra a Mulher...não sei já de onde o transformaram em dia da amizade...

...mas valem na mesma as rosas...vermelhas...

VASO DA VIDA E DA MORTE


ARRÁBIDA
(...)

E vezes e vezes seguidas, encontramos essa mulher mântica ligada aos símbolos do caldeirão e da caverna, da noite e da lua.


Com efeito, o caldeirão não é o só vaso da vida e da morte, da renovação e do renascimento, mas também da magia e da inspiração. O caráter de transformação que lhe é inerente passa pela decomposição e pela morte, para chegar à intensificação extática e ao nascimento do espírito eloquente, o qual conduz sob inspiração extática à palavra, ao cântico e à profecia, como sintomas do renascimento. (...)


ERICH NEUMAN in "A GRANDE MÃE"

O CONFLITO ENTRE AS DUAS MULHERES...



“As forças de Eva, mãe de todos os viventes, e de Lilith, espírito da Noite e do Ar, evidenciam-se no conflito das mulheres entre, de um lado, dar à luz e cuidar dos filhos e, de outro, entre as necessidades de gerar e de nutrir ideias e obras.


As mulheres que combinam maternidade e carreira profissional envolvem-se num acto contínuo de malabarismo, que requer sincronia e equilíbrio. À medida que tenta dar conta das necessidades de seus filhos, de seu trabalho e de si mesma, a mulher pode, inesperadamente, sentir-se invadida pelo furor assassino de Lilith. Isso ocorre, na maioria das vezes, quando a própria mãe não está conseguindo arcar com seus deveres de mãe. Ou seja quando está cansada, machucada ou doente, ou então quando o lado Lilith de sua natureza sofre a ameaça de ser acorrentado ou enjaulado por necessidades dos outros ou pelos conceitos patriarcais.” (...)


O LIVRO DE LILITH

DE Bárbara Black Koltuv

tentando ser breve...

ONTEM ERA O dIA iNTERNACIONAL DA AMIZADE...

Sem o saber e afinal equivocada por uma informação errada deixei-vos rosas e acabei por receber várias por email sem saber que era a rosa o símbolo do dia da amizade...
O que prova que o coração nunca se engana...

Não deixo contudo de dizer que não nos podemos contentar com estes dias marcados e com datas para expressar o que quer que seja...

domingo, novembro 25, 2007

a violência do mundo começa em nós...


Eu sei que ninguém tem paciência para longos textos e conversas filosóficas aqui na Internet...

Que o mundo está agitado e o vício está na controvérsia e agressividade...
Queremos coisas polémicas, discussões acaloradas...um hiper-realismo ou pornografia...onde incluo a política, a violência e a guerra!
Queremos impor as nossas ideias e falar da horror de tudo o que vemos, focar-nos na miséria e nos desastres...não queremos poesia nem paz...nem rosas...
Será?
Será mesmo isso o que queremos?
Uma Internet que incentiva a pedofilia, a auto-destruição dos jovens e ensina a fazer bombas, a matar?
Tal como a televisão e o cinema o fazem?
Vamos nós mudar alguma coisa ou apenas pertencemos ao mundo dos utópicos?Por mim tentarei a paz...e continuarei a acreditar que há seres que se procuram em verdade e que este é um meio que nos permite também a nós ser pelo amor e ver a beleza do mundo que persiste apesar de nós...

...por isso hoje, dia "contra"(???) a violência, sobre as mulheres e os animais etc. vos deixo rosas...cor de rosa...

voltar a luxor...




Começo a sentir em mim uma entranhada saudade das terras do Egipto…Uma nostalgia do ar que se respira e da paisagem tão repentinamente abrupta e árida como quente e doce no seu ar aveludado que nos afaga a pele como um ente amado…Um sopro misterioso exala dessa paisagem agreste feita de pedras montes e desertos e os oásis inesperados que inopinadamente surgem diante dos nossos olhos… e me faziam chorar a alma…
Lembro-me daquela vegetação luxuriante, daquelas árvores frondosas e elegantes tão diversificadas numa flora rica e variada, permeada de flores de cores maravilhosas. Por detrás da poeira e poluição, do lixo imundo – em que abundam garrafas e sacos de plásticos - que os homens deitam no rio Nilo - por detrás daquela miséria, a feiura das casas inacabadas à beira da estrada, da pobreza das pessoas, das crianças andrajosas e sujas, tal como na Índia, mas menos oprimente, onde quase se não vêem mulheres nas ruas (ao contrária da índia em que estas surgem coloridas e nos seus saris) e as que se vêem aqui vestem trajes negros da cabeça aos pés que arrastam pelo chão na poeira da terra…surge então essa beleza incomparável da natureza mãe na sua generosidade, profícua e inalterável; sim por detrás de tudo isso e os milhares de turistas alienados, como gafanhotos, uma praga verdadeira, predadores ávidos de templos e mistérios, sente-se a doçura escondida de uma terra outrora limpa fresca e de uma beleza ofuscante. Sente-se a presença intemporal dos deuses e deusas que eram forças e seres de inteligência superior (talvez de outros planetas...) manifestada na Terra, energias cósmicas que faziam os registos de outros mundos e outras origens em sinais evidentes de uma sabedoria esquecida e antes acessível aos de coração puro e limpo de ódio e cobiça…

Se pudesse, voltava e ficava em Luxor tempo indefinido até resgatar essa memória que de mim se perdeu nos confins do tempo. Nunca me aconteceu isto em nenhum lugar da terra. Se pudesse eu voltava e fugindo dessa praga que são os turistas, havia de visitar as ruínas da antiga de Luxor que se encontram mesmo ao lado do hotel onde estávamos.
Iria encontrar-me com as deusas ainda vivas nas suas representações energéticas embora os rostos destruídos pelos fanáticos coptas, as mais mutiladas Ísis e Hathor…Voltaria à capela secreta de Shekemit e pedir-lhe-ia que voltasse para fazer justiça e reconstruir o Templo da Deusa Ísis, para que expulsasse os usurpadores para sempre do país sagrado. Para que de novo cantássemos a Hathor o seu esplendor, a sua dádiva de amor e as espigas sagradas que nos dão pão e vida …
Pedia-lhe para que as mulheres voltassem a ser o que eram…e de vestes claras e transparentes semeassem as terras férteis de sementes e amor…

tenho sono diz ela...




"Oh gata; dizia eu, ou entoava: gata boniiiita! Gata deliciosa! Gata exótica! Gata acetinada! Gata com macieza de mocho, gata com patas de mariposa, gata jóia preciosa, gata milagrosa! Gata, gata, gata, gata."


Dóris Lessing

sábado, novembro 24, 2007

CASAMENTO ALQUÍMICO

*

Senhora da manhã vitoriosa
E também do crepúsculo vencido,
Ó Senhora da noite misteriosa
Por quem acordo, nas trevas, confundido.


Perfil de luz! Imagem religiosa!
Ó dor de amor!
Ó sol e luar dorido!
Corpo, que é alma escrava e dolorosa,
Alma, que é corpo e redimedo.
Mulher perfeita em sonho e realidade.


Aparição divina da Saudade...
Ó Eva, toda em flor e deslumbrada!
Casamento da lágrima e do riso;
O céu e a terra, o inferno e o paraíso,
Beijo rezado e oração beijada.


TEIXEIRA DE PASCOAIS
* eve- art montserrat

INICIAÇÃO: VIVER A DEUSA EM NÓS


“A mulher que eu precisava chamar de mãe
foi silenciada antes de eu Ter nascido”


Infelizmente, muitíssimas mulheres modernas (na verdade quase todas) não receberam desde o início os cuidados de mãe. Pelo contrário foram criadas em lares difíceis, de autoridade absoluta e colectiva (“cortadas do contacto com a terra pelos tornozelos”, como observou uma mulher), cheios dos “é preciso” e dos “deve-se” do super-ego. Ou, então, acabaram por se identificar com o pai e a cultura patriarcal, alienando-se da sua própria base feminina e da mãe pessoal, que frequentemente é por elas considerad fraca e irrelevante. Essas mulheres têm necessidade premente de se defrontarem com a deusa em sua realidade fundamental. Uma conexão interior dessa natureza é uma iniciação essencial para a maior parte das mulheres modernas do Ocidente; sem ela não podemos ser completas.
Esse processo requer, a um só tempo, um sacrifício de nossa identidade enquanto filhas espirituais do patriarcado, e uma descida para dentro do espírito da deusa, porque uma extensão enorme da força e da paixão do feminino está adormecido no mundo subterrâneo, no exílio há mais de 5.000 anos. "


In CAMINHO PARA A INICIAÇÃO FEMININA De Sylvia B. Perera

sexta-feira, novembro 23, 2007

OLHAR PARA DENTRO OU OLHAR PARA FORA: ESCOLHAM...


ART MONTSERRAT-KUA IN
Aqui estou eu entre Mulheres & Deusas...a tentar que a mulher perceba que tem uma deusa em si, não uma, mas a DEUSA...Que Ela tem um poder interior, que tem o amor raíz em si e que com ele pode mudar o mundo...

Uns pensam que eu sou fanática, outros que sou visionária e outros que estou desfasada da sociedade moderna e civilizada, intelectual e culta, dita avançada e que esta conversa de deusas não se liga com nada...
Pois bem, tem todos razão e ninguém tem razão...Tudo depende de que lado se está...
Tudo depende com que olhos se olha, tudo depende da experiência pessoal de cada um/a e das suas escolhas...

Eu vejo bem o mundo dos homens e as suas políticas, a sua História de conquistas, as suas economias e guerras, ideologias e ditaduras, o que equivale a dizer que vejo a desordem e o caos do mundo, o lodo em que a consciência desses sub-homens se afunda, o estado em que na sua cegueira e egoísmo puseram A TERRA. Vejo as contradições os paradoxos, a alienação PROFUNDA do ser humano a olhar para o seu umbigo...
Vejo o ódio a ganância a violência e a guerra!
No entanto eles/as acham que eu é que sou utópica e desfasada da realidade. MAS em breve chegaremos ao ponto em que as coisas serão evidentes: cabe-nos no limiar deste ano (?) a cada um/a escolher a sua realidade e a vivê-la...Cabe a cada um/a decidir de que lado está...Podemos agora decidir cada um/a se queremos viver no Céu do dinheiro ou no Inferno do petrólio...porque na verdade os homens conseguiram finalmente que a terra se transformasse num Inferno Global...e a não ser dentro de cada um/a de nós e ao abrigo de novas PERCEPÇÕES de paz e amor, numa nova dimensão do Ser Humano, na união dos princípios feminino e masculino, gerador de uma Consciência verdadeira do Cosmos e da Terra e do nosso lugar no Universo, não faremos nada senão vegetar ou morrer asfixiados pela poluição, DESASTRES ECOLÓGICOS, a miséria, a guerra...

Os políticos e as economias e os seus crentes, continuarão A MATAR E A DESTRUIR O PLANETA, a ditar as SUAS leis de medo e retrocesso, mas o colapso desta Ordem bélica e podre vai estoirar com a ajuda de Plutão...

A VER VAMOS...

O VERDADEIRO DOM DA MULHER

ART MONTSERRA-

ELA QUE TUDO CURA...


OU O SENTIDO DA DÁDIVA




"A Dádiva, no sentido humano mais alto, é um gesto de abnegação do Eu em favor de outro; a Dádiva, no sentido sobre-humano, é a fusão do Eu no Si."

O RECONHECIMENTO: "Aquele que souber, como uma criança ou ser original, deixar-se envadir pelo sopro vivificante e concentrá-lo no seu coração como um sábio, terá encontrado o segredo de uma fonte de vida. A alegria é um tesouro de força incalculável. A alegria, multiplicada pelo Reconhecimento, torna-se um centro de atracção para as forças anímicas benfeitoras; as suas ondas de natureza quente e altruísta, atraiem as ondas da mesma natureza; da mesma maneira que a tristeza atrai ondas maléficas e influências malsãs." (...)



IN "A ABERTURA DO CAMINHO" - Isha Schwaller de Lubickz

CUREM O MUNDO


Art Montserra - A DEUSA OLHA-TE...
(...)
Vocês, mulheres, são encarnações do princípio cósmico feminino. É preciso consciencializarem-se que são hologramas da Mãe divina e essa é a única forma de descongestionarem a sua existência.
(...)
Então tu precisas estar quieto(a) e ouvir a VOZ.
(...)
Não olhes para nada, olha para ti. Tu tens uma oportunidade, o que equivale a dizer que tens um problema, o que implica que tens um método para descobrir, um trabalho para fazer, o que implica que estás em movimento. Isto está à tua frente.
(...)

Eles declaram:

Mulheres, vocês são encarnações da Mãe divina. A partir de um certo ponto de consciência é isso que se instala.

Homens, vocês são hologramas da Irmandade cósmica, portanto, da consciência Melkizedeque. Significa que há um Rei e um Sacerdote dentro de vocês.

Mulheres:

Perdoem ao mundo. Sejam o Amor. Perfumem a aura das crianças. Plantem a flor de vocês mesmas. Tragam o mundo para uma grande piscina de compaixão. Mergulhem a Terra nas águas imaculadas da Mãe divina. Curem o mundo pelo poder da Mãe se plasmar em todas as partículas. Sejam vastas, profundas e triunfais.
(...)
andré louro de almeida
(excertos)

quinta-feira, novembro 22, 2007

eu sou uma alma


"Eu sou uma alma e isto é completamente transparente para mim". Portanto, eu tenho que erguer a minha coluna vertebral, confiar nos recursos desta alma, dissipar os morcegos à retaguarda e as falsas estrelas à frente e ficar limpo, nobre, e então este protocolo obsoleto entre a mente e o cérebro que está constantemente a viciar--se, de repente, explode. É quando tu sentes que a tua mente de luz está a entrar no cérebro e o cérebro está a ceder passagem para a luz da mente, o que significa que sinapses tenebrosas estão a quebrar…

Se eu sou uma alma, quando eu consigo afirmar "eu sou uma alma", e isto se transforma num poder existencial e não numa contemplação estética, que nós passamos da Contemplação da alma para a Respiração da alma. Esta afirmação tem que ganhar corpo, tem que ancorar e, se eu sou uma alma, Eu Sou Luz.
Então, eu tenho que confiar na Luz.
"


andre louro de almeida

"AFINAL, O QUE QUEREM AS MULHERES?" *

Ao ler o Blog de uma amiga deparei-me com um autor, psicólogo brasileiro, que mencionava sobre o amor algumas coisas interessantes e fui pesquisar e encontrei um texto dele sobre a mulher...
As mulheres são mesmo um mistério::
Flávio Gikovate ::
(…)
“ E as mulheres? Não tenho a impressão de que é possível agrupá-las em 3 tipos – e seus subgrupos – como fiz com os homens. Parecem portadoras de uma multiplicidade que nem elas entendem. Os homens as invejam porque consideram que elas teriam uma enorme facilidade para o sexo casual, já que estão sempre sendo paqueradas por alguém (o que não acontece com eles, que têm que ir atrás). A grande maioria delas não se interessa por isso, apesar de adorarem se exibir e atrair olhares. Parece que o prazer exibicionista é suficiente para elas, o que não faz o menor sentido para os homens. Outras têm medo de sua exuberância sexual e tratam de se deformar: engordam demais justamente na mocidade, descuidam de outros elementos de sua aparência. Outras se queixam da falta de orgasmo e a grande maioria nem percebe que o orgasmo não lhes provoca a saciedade parecida com a que acontece com a ejaculação masculina. Buscam mesmo é o sexo associado ao amor e fazem, cada vez mais, o discurso pela igualdade que pede o sexo sem compromisso. Isso justamente quando os homens jovens estão se desinteressando disso. Mulheres homossexuais, diferentemente dos homens, preferem relações estáveis e duradouras. Mulheres heterossexuais sozinhas buscam parceiros na noite e sempre se decepcionam quando não há continuidade. Apesar disso, continuam dizendo que é legal este jogo de sedução e paquera. Muitas são sinceras e se declaram desinteressadas disso e claramente buscando um parceiro fixo. Outras mulheres se divertem de verdade com o sexo casual e as suas amigas as invejam e não sabem por que não são como elas. Umas gostam de tomar a iniciativa na paquera enquanto que outras acham isso terrível.”

A CONFUSÃO DA MULHER:
PORQUE NÃO SABE A MULHER DE SI?


Todas estas considerações podem estar muito certas mas apenas analisadas à superfície. Como sempre, quer psicólogos quer sexólogos, parecem esquecer ou nem sequer perceber que na realidade o drama das relações ou o drama da mulher não é tanto a questão das duas metades opostas e complementares, homem e mulher, mas a questão da integração dos dois lados opostos em cada ser. O feminino e o masculino interior de cada ser. Isso para começar, mas na realidade temos de ir mais longe e verificar que a mulher antes do mais é vítima inconsciente de uma cisão profunda na sua natureza ontológica e psicológica, milenar e histórica, ferida no cerne do seu próprio ser e que esse facto é o que a leva a atitudes descompensadas e histéricas, numa “multiplicidade” de carácter, sem nunca se encontrar, ou a ter uma aura de mistério (ou confusão?), em relação ao homem, e tudo isto sem sequer ter em conta a criança ferida (em todos nós) e a forma particular como ela viveu a sua infância face ao masculino.

Ora nós sabemos que em todas as sociedades patriarcais, antigas e modernas, seja na China ou no Japão, no Ocidente ou no Oriente e naturalmente na Europa, que a menina é desde que nasce mal amada, (às vezes abortada ou morta como na índia) destituída de valor próprio, educada para o casamento ou para um outro qualquer papel subalterno, objecto sexual ou mera reprodutora, desvalorizada enquanto ser humano e sujeita a todo tipo de exploração sexual-laboral muito mais do que o homem...

Fico bastante impressionada como é que na nossa sociedade moderna há “especialistas” que simplesmente ignoram estes aspectos e fazem considerações de ordem psicológica e científica sobre as relações entre homem e mulher sem ter em conta um aspecto tão fundamental como este…

No final do artigo este autor confessa a sua confusão e acrescenta:

“ Bem, basta de confusão por ora. Gostaria de deixar claro que isso é apenas o início da conversa, porque as mulheres parecem ser portadoras de uma multiplicidade que surpreende a elas mesmas. A pergunta de Freud - "Afinal, o que querem as mulheres?" - parece que não será respondida facilmente; e talvez seja mais difícil para elas dar a resposta do que para um observador masculino.”

- Poderá parecer mais difícil para as mulheres responderem a esta questão porque a mulher está realmente cindida em duas e às vezes completamente fragmentada. As duas partes de si mesma que ela OU ELEGE OU NEGA, tendo de optar por uma delas ao longo da sua vida sem que nada disso seja claro e óbvio para si, dá-lhe um carácter fútil ou complexo e a própria mulher acaba sentindo-se absurda, estranha ou doente. O seu vazio existencial, o seu esventramento, de que é bastante representativo o facto de se lhe tirar o útero ou os seios quase aleatoriamente, o que corresponde ao silenciamento da voz secular da mulher atávica, da mulher ancestral e da Deusa, sendo a mulher simplesmente esmagada nos múltiplos conceitos e preconceitos sociais e religiosos que limitam as suas escolhas e opções e na sua própria vida em geral em que toda essa negação-amputação do seu ser íntimo e profundo a leva a crer que o que lhe falta é realmente e apenas o homem que a complete pois é assim que foi educada, como ser incompleto e saída da costela de Adão…


Esta é a moral vigente-decadente e a que obedece o nosso inconsciente colectivo. A isso nem Freud, nem nenhum psicólogo ou sociólogo deu resposta nem dará pois só a mulher integrada a mulher que se reencontrar em si mesma e unir essas suas duas partes poderá partir para o encontro consigo em pleno e só depois poderá estabelecer uma relação equilibrada e amorosa, com o homem ou com outra mulher…
RLP

Frase atribuida a *FREUD

quarta-feira, novembro 21, 2007

a velha sábia está dentro de nós


ACORDAR A MULHER SÁBIA,

UNIR AS DUAS MULHERES QUE A IGREJA DIVIDIU...


LA LOBA, a velha, Aquela Que Sabe, está dentro de nós. Ela viceja na mais profunda alma-psique das mulheres, a antiga e vital Mulher Selvagem. A história de LA LOBA descreve a sua casa como aquele lugar no tempo no qual o espírito das mulheres e o espírito dos lobos se encontravam - o lugar onde a mente e os instintos se misturam, onde a vida profunda da mulher embasa sua vida rotinaeira. É o ponto onde o Eu e o Tu se beijam, o lugar onde as mulheres correm com os lobos. Essa velha está entre os universos da racionalidade e do mito. Ela é a articulação com a qual esses dois mundos giram. Esse espaço entre os mundos é aquele lugar inexplicável que todas reconhecemos uma vez que passamos por ele, porém suas nuances se esvaem e têm a forma alterada se quisermos definí-las, a não ser quando recorremos à poesia, à música, à dança...ou às histórias."


in "MULHERES CORRENDO COM OS LOBOS" Clarissa Pinkpla Estés

AS TELENOVELAS E O ÓDIO ENTRE AS MULHERES


A GLOBO E A ALIENAÇÃO GLOBAL...

Duas magníficas actrizes brasileiras estão a representar na nova fotonovela da noite na sic – os papéis respectivamente o de esposa e de amante de um homem que acaba de morrer. A esposa rica e senhora da situação económica e social, a que detém o nome do professor, e a pobre coitada desvairada da amante, adúltera e ainda por cima responsável por essa conduta da morte do próprio pai é agredida e enxovalhada por todos enquanto fala do seu grande amor pelo amante e de como ele a preferia á esposa…
O monólogo dramático totalmente disparatado e desfasado é no mínimo constrangedor e absurdo porque falso, feito face á dama vestida de negro e de óculos escuros é patético e de vómito…De facto acaba a cena com a dama de negro a vomitar sobre o caixão do marido enquanto a “outra” chora convulsivamente.
Então a esposa abandonado o caixão com o seu vomitado, para ir ao cabeleireiro, e dirige-se à “outra” e dizendo que é pena ela não morrer já ali de desgosto pois vão ter de se ver e odiar uma outra para o resto das suas vidas.
Esta é uma cena em grande de uma telenovela que vai ser vista em Portugal e no Mundo subdesenvolvido como o já foi no Brasil por milhões de mulheres…

- Milhões de mulheres que vão continuar a ver na sua vida diária cenas de ódio secular entre a esposa e a amante…o ódio e a competição entre estes dois estereótipos religiosos, modelos da nossa sociedade cristã é um veneno diário e dado a gotas para manter essa divisão da mulher em duas…para manter essa separação e ódio entre as mulheres!
A má reputação da família da mulher que tem um amante e a morte do patriarca por vergonha da filha ser amante de um homem casado é tipicamente fruto da moral católica…A desgraça da mulher e o sofrimento desta e o abandono a que é votada também.
E é este o enredo de uma nova e moderna telenovela com elencos de luxo…
É este o lixo “cultural” que as mulheres absorvem todos os dias: o instigar do ódio milenar entre as mulheres e a sua divisão em duas…
Isto é só um exemplo flagrante entre muitos outros que não vemos mas a cada minuto nos devastam e dividem…na santa e na puta!
rlp
NOTA: como é óbvio a foto não é de nenhuma das actrizes brasileiras...

terça-feira, novembro 20, 2007

Salvar a mulher...é salvar terra...

A Mulher e a Terra, o Planeta como um Ente vivo em que estamos todos suspensos, têm os seus destinos ligados...

Enquanto o homem tratar a mulher e a Terra como sua propriedade e não reconhecer o seu valor integral, ele será igualmente vítima e todos nós do seu instinto predador de ser acossado, caçador invertebrado, primitivo e sem escrúpulos...
Enquanto a mulher for mal tratada e explorada pelo homem, a Terra sofrerá os mesmos desígnios assim como a fauna e a flora...
Enquanto a mulher não acordar para a sua essência primeira, ela será apenas uma sombra dela mesma e exposta na sua ignorância e vulnerabilidade à sujeição do macho...
rlp

RESGATAR O PASSADO


LEMBREM-SE MULHERES QUEM ERAM OUTRORA E DESSE ECO LONGÍQUO QUE ECOA AINDA NAS VOSSAS VEIAS...

LEMBREM-SE E ACORDEM PARA ESSA MAGIA PROFUNDA DO VOSSO SER INICIADO, RESPONSÁVEL POR DAR À LUZ OUTRO SER E DE O INICIAR À LUZ DE OUTRO MUNDO...

LEMBREM-SE MULHERES DA CORRENTE IMENSA DE MULHERES DO PASSADO QUE GRITAM NO VENTO E NAS INTEMPÉRIES, NOS VULCÕES E NAS TEMPESTADES, PARA ACORDAR O VOSSO PODER ANCESTRAL DE CURADORAS E SACERDOTISAS DOS NOVOS TEMPOS COMO O FORAM NA ANTIGUIDADE...

LEMBREM-SE MULHERES DESSA ANCESTRALIDADE E DO AMOR QUE ENCARNAM, UNICO PODER TRANSFORMADOR QUE CURA TODAS AS FERIDAS...

LEMBREM-SE MULHERES DA VOSSA BELEZA E GRANDEZA...
DAS VOSSAS MÃOS QUE CURAM DANDO AMOR E DO VOSSO CORPO RECEPTÁCULO DA DEUSA...

A MULHER QUE NOS FALTA REENCONTRAR


A MULHER, A VIDENTE PRIMORDIAL,
A SENHORA DAS ÁGUAS E DAS FONTES, O "OM"...

- ECO QUE RESSOA NAS NOSSAS VEIAS...


"A mulher é, assim, a vidente primordial, a Senhora das águas disseminadoras da sabedoria, oriundas das profundezas; das Fontes murmurantes e das nascentes, pois "o om" pronunciamento primordial da vidência é a linguagem da água".

Não obstante, a mulher também conhece o sussurro das árvores e todos os sinais da natureza, a cuja vida está tão fortemente ligada. O rumor das águas das profundezas é somente um aspecto externo do murmúrio interior do próprio inconsciente, que nela se eleva espiritualmente como água a um gêiser.
Ela é o centro da magia, do cântico mágico e enfim da poesia, pois a situação extática da vidente resulta de ela ser dominada por um espírito que irrompe dentro dela, o qual se pronuncia a partir dela , ou melhor, que nela se denuncia e se manifesta, em forma de invocação rítmica e intensa. Ela é a fonte de onde Odin obteve as runas da sabedoria, bem como a Musa, a origem das palavras que fluem do âmago do poeta e sua anima inspiradora. Como força inspiradora ela pode se manifestar isoladamente, na forma tríplice que já conhecemos, e ainda num contexto plural indeterminado.


As Cárites, as ninfas, as sereias, as musas, as três graças, as moiras e outras inúmeras figuras, são as forças melodiosas, dançantes e proféticas dessa mulher inspiradora e inspirada na qual o masculino, muito mais distante das origens, busca sabedoria quando impelido pela necessidade. E vezes e vezes seguidas, encontramos essa mulher mântica ligada aos símbolos do caldeirão e da caverna, da noite e da lua. Com efeito, o caldeirão não é o só vaso da vida e da morte, da renovação e do renascimento, mas também da magia e da inspiração. O caráter de transformação que lhe é inerente passa pela decomposição e pela morte, para chegar à intensificação extática e ao nascimento do espírito eloquente, o qual conduz sob inspiração extática à palavra, ao cântico e à profecia, como sintomas do renascimento. (...)


ERICH NEWMAN in "A GRANDE MÃE"

segunda-feira, novembro 19, 2007

AS DUAS MULHERES DE ADÃO...


AS DUAS MULHERES QUE LUTAM EM NÓS -

LILITH A REBELDE E INSUBMISSA
E EVA A COSTELA AMORFA DO HOMEM...


“A guerra entre Eva e Lilith alastra-se e atinge outro nível. Eva pode ter suas necessidades satisfeitas numa relação. Lilith não pode. Ela tem de fugir. Ela não aceita a dependência nem a submissão. Ela não será acorrentada nem enjaulada. Ela precisa de ser livre, mover-se e mudar. Ela é o aspecto do ego feminino individualizado que só pode desenvolver-se no deserto, sem relacionamentos, sem eros e sem filhos.” (...)


- Ambos estes aspectos da Mulher cindida em duas PARTES pela sociedade patriarcal, lutam e tem ciúmes entre si nas situações opostas que ocupam na sociedade, mas também entre a mãe e a filha e irmãs, no seio da família, agravam essa separação ao criar antagonismos perniciosos para a própria mulher em si que se não concebe ou vê inteira, BIPARTIDA NA SUA NATUREZA ÍNTIMA, como se a mulher se PARTISSE em duas e cada uma para seu lado, eternas inimigas uma da outra, uma boa e outra má, uma pomba, outra serpente, uma imaculada e esposa e santa e a outra desgraçada, prostituta e marginalizada ...

Na realidade o inconcebível nos nossos dias, é haver ainda esses dois tipos de mulher e inimigas uma da outra...

Tudo ISTO porque Deus criou a Mulher e o homem criou a puta...

Acabar com essa cisão MILENAR pela integração dessas duas mulheres, NUMA mulher livre e consciente que sabe que ela é uma só natureza INDIVISÍVEL e reunindo tosdos os aspectos da sua feminilidade essencial, sem negar parte nenhuma do seu ser, é de suma importância. Ligar a sua intuição e a sua sensualidade, o seu lado instintivo e o seu dom de cura e amor, assim como todos os aspectos duais que a dividem e impedem de ser uma mulher completa.

Só essa mulher completa que integra os aspectos divididos do seu ser será livre e amante e capaz de assegurar um mundo diferente do que vivemos hoje.


MULHER RECORDA-TE...

“Houve um tempo em que não eras escrava, lembra-te disso. Caminhavas sozinha, alegre, e banhavas-te com o ventre nu. Dizes que perdeste toda e qualquer lembrança disso, recorda-te...Dizes que não há palavras para descrevê-lo, dizes que isso não existe. Mas lembra-te. Faz um esforço e recorda-te. Se não o conseguires, inventa.“ m.v

Excertos de “O Livro de Lilith” – Bárbara Black Koltuv (Cultrix)

domingo, novembro 18, 2007

O GRANDE FEMININO


A DEUSA COMO DESTINO E ORIGEM


"Muito tempo depois do patriarcado se haver tornado dominante em todas as esferas, ainda encontramos a concepção matriarcal, segundo a qual os céus e os mundos giram em torno da “cavidade” – O Grande Feminino -, de onde se origina a vida. E na Índia, em plano superior, a imortalidade é obtida a partir do mar de leite feminino”batido”, a respeito de que se diz:

“A água é o leite vital do corpo do mundo, e o espaço cósmico é um mar de leite”.
Agora que já temos uma noção razoável do amplo escopo do Grande Feminino, que na verdade abrange quase tudo – céu, água e terra, e até fogo – na forma de filho por ele gerado e nele contido -, compreende-se por que esse Feminino não pode ser identificadoem hipótese nenhuma, com o telúrico-ctônico, com o meramente terreno e inferior, no que tanto insiste posteriormente o mundo patriarcal masculino, com suas religiões e filosofias. A totalidade do Grande Feminino vai muito mais além da projecção em que ela une os elementos terra, água, ar e fogo. (...)

Entre as experiências mais impressionantes da humanidade estão aquelas relacionadas com a dependência que todos os corpos luminosos e todos os poderes celestes e deuses têm da Grande Mãe, bem como a sua ascensão e seu declínio, o seu nascimento e a sua morte, a sua transformação e a sua renovação. Não só a alternância noite-dia, mas também a mudança dos meses, das estações e dos anos estão subordinados à omnipotente vontade da Grande Mãe.”


In A GRANDE MÃE – ERICH NEUMANN

RESPOSTA À JULIANA

Infelizmente, não é uma questão de escolha, ser ou não ser traficada ou violada! Essa suposta "liberdade de escolha", que certas mulheres arrogantemente pensam ter é só mais uma armadilha em que as mulheres caiem quando pensam que são livres de escolher a sua vida só porque enxertam nelas uma espiritualidade qualquer, seguindo meditaçãoes, mestres e gurus e receitas alternativas, mas sem tratar da sua ferida primeiro, sem antes saberem quem são... sem consciência da sua essência feminina profunda. E depois quando têm de repente um cancro ou outra doença qualquer, ficam muito espantadas e entram e depressão e não compreendem porquê se são tão espirituais...
Ninguém chega à LUZ sem primeiro passar o portal do seu inconsciente e atravessar a escuridão da sua caverna e olhar nos olhos a sua própria sombra.

Siga apenas a sua intuição e ninguém em particular...sinta com o coração e diga sem receio o que sente! Não se importe com as "iluminados"...seja apenas mulher interior e seja terra e corpo e vida instintiva antes do mais! Você é jovem ainda..eu já sou velha...e todas nós temos de passar por estas 3 fases da vida de todas as mulheres tal como a Lua...
A jovem Perséfone é diferente de Deméter e mais ainda de Hecate.
Siga as três Deusas dentro de si e seja primeiro uma mulher inteira!


Na sociedade falocrática
AS MULHERES NÃO TÊM ESCOLHA!

Verdadeiramente as mulheres não têm escolha! e nem mesmo os homens que fazem as leis a têm, pois somos todos condicionados muitas vezes até no Útero da Mãe...Somos feitos para cumprir papéis na sociedade e na família e educados ou limitados por estreitas normas de conduta, ditas morais e religiosas ou mesmo filosóficas, que nos forçam a ser espécies de robots numa sociedade toda ela controlada por padrões de aprisionamento global, em que a Visão da realidade não passa de um amontoado de coisas aprendidas de cor e recitadas como papagaios e chamamos a isso conhecimento ou cultura...

O Ser Humano todo ele vive e nasce já prisioneiro no Sistema em que cresce e é "educado" ao adquirir conhecimentos que o amarram à norma estabelecida pelos detentores de poder nas sociedades vigentes. Dominado por ideologias e religiões é mantido na ignorância de planos superiores, ele próprio condenado a pecador por culpa da eva...

Os homens já aceitaram a escravidão de outros homens e mulheres como uma realidade natural e continuam a aceitar ainda hoje a sujeição da mulher ao homem como uma coisa normal. A sexualidade da mulher posta ao serviço desses padrões quer no plano da instituição burguesa cristã ou do estado, através da reprodução por via do casamento ou a prostituição da mulher para dar prazer ao homem comum e para servir de catarse à violência reprimida do homem que advém da exploração laboral e frustração social.Tal como no Velho Testamento uma tribo aferece as suas mulheres em sacrifício para que o inimigo não ataque o homem irmão a mulher aí é dada como refém para atenuar essa violência que recai sobre ela e assim há seculos e séculos de formas consentidas e mais subtis na sociedade moderna. Tudo isto se mantem no inconsciente colectivo e é da mais e é da mais elementar psicologia.

Agora que sejam as próprias mulheres que se julgam livres que passam por cima desta realidade profunda e que nos afecta a todas nós no nosso corpo astral e emocional, e não compreendam que mesmo que não seja no nosso corpo físico, a violência sobre as mulheres diz respeito a todas nós, pois se não a sofremos nós na pele, sofremo-la na alma e é por isso que eu não perdoo às mulheres que se julgam num quaquer caminho espiritual e pretendem que todas as mulheres podem escolher a sua vida e libertar-se sem ir fundo da questão que é unir as duas mulheres cindidas em si mesmas!

Lamento profundamente que as mulheres que continuam a aceitar essa divisão social e psicológica da "outra" mulher não possam ir mais fundo na sua ferida ancestral e deixam de por pensos rápidos na ferida superficial que é a afirmaçãozinha egóica de se ser espiritual, terapeuta ou curadora e saber de muitos mestres e receitas tipo "canja de galinha para o espírito", sem se curar verdadeiramente a si mesmas.
A espiritualidade não é nem nunca foi uma prática aleatória seguida com um manual de instruções, nem meras técnicas de meditação, nem ninguém atinge um estado superior de consciência sem primeiro integrar a sua dualidade e ir para além da sua sombra e isso acontece depois de esta estar bem integrada e onde a escolha é outra!
As mulheres que sem alcançarem esse grau de integração se julgam livres de escolher que se enxerguem primeiro na sua dualidade e curem primeiro a ferida da Mulher prisioneira em si mesma e deixem de servir o seu ego ferido ao afirmarem-se pela via de uma qualquer superioridade "espiritual" ética ou moral...que não têm!
rlp
"A escolha abre ou fecha a porta do Templo, lá onde a Luz sem sombra revela a origem do mundo binário, obra das antinomias."

sábado, novembro 17, 2007

EU SEI...


MUITAS VEZES...

 Eu sei minhas amigas que por vezes os excertos ou textos que aqui publico parecem nada ter a ver com a Consciência do Feminino Sagrado ou as "causas da mulher"...mas a Deusa é a Consciência da Unidade dos Princípios, do Céu e da Terra e o caminho individual do homem ou da mulher é uní-los, é unir os seus dois polos, dentro e fora, é unir os dois Princípios feminino e masculino, é integrar as duas partes que o constituem. E esse é o Caminho da Espiritualidade o caminho do Espírito Uno. Unir o corpo a alma e o espírito.
Eu sei que cada Ser, homem ou mulher tem de SER UNO em si.


A questão principal neste momento é que a Mulher para seguir a via do espírito e da sua unidade, precisa antes de mais unir-se ao seu feminino cindido...unir as duas mulheres separadas em dois estereótipos para assim poder unir-se ao seu masculino, tanto dentro como fora...Não se trata tanto de saber que Deusa é e a Deusa que se lhe opõe por conflito com Zeus, o dominador do Olimpo. Isso é uma história de homens e guerras e da usurpação do poder das deusas pelos gregos e romanos. É mais urgente agora essa integração das duas mulheres dentro de cada mulheres, cindida na sua natureza humana e divina ela vai reflectir essa divisão sobre o filho, seja ele homem ou mulher. Os dois perderam a consciência da sua totalidade, porque a mulher perdeu a sua integridade. Mas é a mulher quem mais sofre essa divisão porque a sofre na pele a nível do seu ser mulher e o homem não...
Trata-se agora e é de suma importância reconhecer a cisão que o "cristianismo", digo, a igreja de Roma - e essa é a nossa história actual - impôs à mulher, reprimindo a sua sexualidade e natureza instintiva, a sua intuição e poder pessoal, para a fazer passivamente submeter-se à autoridade religiosa e ao homem e mesmo ao estado, e perpetuar sobre ela as maiores infâmias.

Deste modo, creio que o caminho espiritual da mulher passa imperiosamente pela integração e consciência desse feminino fragmentado, separado e antagonizado secularmente na mãe e na filha, na esposa e na "outra", na imagem da mulher séria e na sua sombra, a mulher "promíscua" - a que tem mais de um homem ou não é casada - a solteira e a divorciada - a prostituta...

Esta consciência não se opõe ao trabalho de evolução espiritual da mulher mas ela precisa de ter consciência que trava uma batalha dentro e fora de si mesma o que torna as coisas mais árduas.
Sem essa Conciência ontológica a mulher pode ousar ser mais do que a sociedade lhe permite, mas adoece e sofre terrivelmente a dor separação de si mesma...

Penso que neste contexto cultural do últimos séculos a mulher ainda não se libertou desse estigma e continua a sofrer de múltiplas formas as suas consequências consciente ou inconscientemente. Continua a sentir-se a boa ou a má filha esposa ou mãe...a fada do lar ou a bruxa perseguida... Muitas vezes ela intelectualemnte pensa-se liberta de tudo isso mas no íntimo essa fragmentação mata-a pois mina-a o medo ancestral, o complexo de culpa, que a anula na sua vontade e liberdade de ser um Ser Completo, mesmo que se atreva a romper barreiras assumindo as suas duas ou mais Faces da Lua...
rlp

O CAMINHO DE DENTRO...


Ser solitário é ser solidário. É ser todos e não ser ninguém.

Penso que todo o ser humano na terra terá de percorrer o mesmo caminho de desapego da ilusão que é o amor de alguém...esta é a constante da minha vida senão mesmo minha única lição de vida. A Alma gémea ou irmã, não tem nenhum dever connosco senão o de manifestar o amor da Fonte - Servir a Fonte - fazendo-nos evoluir no sentido da grande solidão interior: ligação à Luz onde nos reencontramos todos em essência.


Solidão individual que é um estado inato de solidariedade para com a humanidade irmã...

Só se é solidário quando inteiro.

Precisamos estar centrados no nosso sol interior e unidos à nossa lua para saber ser solitários. Este é o Caminho de dentro. Só assim o sofrimento cessa.

Temos toda uma vida na terra para aprender a ser só e expandir essa Luz interior.


rlp
(as imagens podem estar trocadas, e o que está em baixo está em cima... )

sexta-feira, novembro 16, 2007

isis e osiris


A escolha abre ou fecha a porta do Templo, lá onde a Luz sem sombra revela a origem do mundo binário, obra das antinomias.

Aquele que poder franquear a porta reconhecerá o que em si é material, feminino, passivo e aquático é Lua, e o que em si é activo, quente, ardente e sem forma é o Sol. Ele saberá que no mundo da Dualidade, ele projecta no Céu esta Lua e este Sol; ele esqueceu que (estes princípios) estavam nele, para não os ver mais senão fora de si mesmo. É este lugar – ou “momentos” – a que chamamos de “descida das luzes”, quando a inteligência vem ao coração.

««««««««««««««««««««««««««««««««««««

O Faraó – O verdadeiro

(O coração que escuta)

Emprestando o seu coração que em si escuta os lamentos dos que mais sofrem e de todos os seres de verdade, os destituídos de mentiras, de coração equitativo, o ser verdadeiro, aquele cujo coração sabe e conhece os pensamentos pelo coração sem que nada saia dos lábios dos que sofrem pois pelo escutar do seu coração é que lhe é dado o entendimento mais puro.
in Le Miracle Egypcien - Schwaller de Lubicz
tradução livre

AS MÃES...a nossa coluna vertebral...



Penso na ferida entre mães e filhas. Perpetuada de gerações em gerações. Vi isso ontem bem espelhado, nas mulheres que se buscam e buscam o consolo da mãe e da irmã que lhes faltou...vejo isso todos os dias nos dramas de tantas mulheres e homens, mal amados, inseguros, revoltados ou carentes...

Penso na dor das mulheres ao longo dos séculos...nas suas feridas, na sua falta de amor e como dar amor e dar à luz ou criar filhos sem esse reconhecimento do seu ser profundo, dessa matriz divina, nesse desprezo secular ou abuso da sociedade dos homens pelo ser mulher. Penso em como a mulher foi forçada e é ainda a obedecer aos patrões, pais, irmãos e maridos, em tantas partes do mundo, escrava dos conceitos e preconceitos religiosos, exposta nua nos comerciais ou de cara tapada, envolta em trapos negros e inacreditavelmente ainda prostituída ou traficada, na nossa cara, vinda dos países mais pobres e que vive ao nosso lado e nós nem sonhamos a que está sujeita...a servir sexualmente pela força (14 ou mais) homens que são quem sabe os nossos filhos, maridos e vizinhos...
Há tão pouco tempo a revolta das "mães de bragança" contra as brasileiras dos bares de alterne...e que em vez de as odiar a querer expulsar, as deviam acolher como irmãs na desgraça e no equívoco... pois podiam ser suas filhas e irmãs...e são-no e somos todas irmãs, filhas da Grande Mãe Terra e por isso divididas e perseguidas pelo patriarcado, há centenas de anos, pela misoginia dos padres e a prepotência dos patriarcas, que as dividiu assim mesmo, deliberadamente, entre a puta e a santa, uma na rua ou nos bares a outra em casa ou na igreja para melhor as dominar.

Porque se continua a querer fingir que nada disto é verdade, que isto é ridículo e as próprias mulheres se sentem mal e disfarçam, e toda a gente a querer ocultar esta terrível realidade do mundo de hoje, escamoteando-se os factos, disfarçando as estatísticas, dando notícias breves sobre a violência doméstica e o abuso sistemático das mulheres?

As ideologias passaram de moda, as lutas de classe, mas existem sistemas de controlo camuflado mais subtis e o mundo continua mais do que nunca sob o domínio das mafias e grupos de poderosos que dominam as economias os bancos e os governos. Não há já nenhuma justiça social e as massas são totalmente alienadas de todas as causas profundas vivendo com um só propósito o de defender um sálario miserável obtido a ferros perante a vergonhosa manipulação de milhões e milhões de euros gastos e desperdiçados na ignóbil mentira que é a política em si - as suas assembleias e votos - e a guerra, os polícias, os exércitos de parasitas que toda a gente paga enquanto vive como carneiros. Carneiros enjectados de medo de perder o carro e a casa...com o pavor das doenças criadas artificialmente, a drogarem-se de químicos com medo do vizinho, medo do "terrorismo" do sistema manipulatório das consciências, fechados em casa a ver televisão, adormecidos por programas viciados de ódio e terror...para acentuar o seu próprio medo dos outros e o ódio. E em que é tantas vezes patente o ódio à mulher...

Sair deste terror imprimido pelos midea, fiel aos sistemas do culto do medo e do terror, só a Consciência do Feminino Sagrado e o Amor da Deusa Mãe, através do amor das mulheres poderá ainda salvar esta humanidade doente, este Planeta ferido de morte...

"As nossas colunas estão rachadas pela base, porque tivemos infâncias difíceis, ou porque fomos parar a uma estúpida de uma incubadora e alguém desligou o interruptor, ou porque foi violado aos 4 anos, ou porque o pai tinha um complexo de autoridade... a pessoa não se esquece! Esta coluna psicológica está toda em ruínas mas se um indivíduo consegue sentir o perfume, atravessar estas malhas todas, isso implica uma câmara. Neste momento ninguém se consegue perceber a si próprio se não for para dentro de uma cápsula."A.L.


PORQUE TODOS PERDEMOS A MÃE, PERDEMOS O VENTRE SAGRADO DA MÃE, GERADOS NA INFÂMIA E NA AGRESSÃO, NASCEMOS TODOS SEM ESSE AMOR E PROTECÇÃO UTERINA ESTAMOS TODOS CONFUSOS E NÃO NOS CONSEGUIMOS ENCONTRAR A NÓS PRÓPRIOS...RLP

quinta-feira, novembro 15, 2007

AMAR...(assim era eu...)

retrato pintado a carvão...


"É eu criar um espaço dentro de mim, inviolável por qualquer opinião alheia, em que eu aprendo a subtil arte de me amar a mim mesmo. " - ANDRE LOURO DE ALMEIDA


IN "CÂMARA DOS ESPELHOS" – JUIZ INTERNO
O TRABALHO DE SHAMUNAH


07.10.2005

- DO TEXTO (EXCERTO) QUE SE SEGUE:

O CAMINHO


(...) O Caminho é quente, é paixão, mas se eu não começo o Caminho pelo início, ele nunca vai ser suficientemente quente.
Como é que eu posso ouvir o perfume do meu ser se eu tenho esta inumanidade para comigo mesmo e para com os outros de estar constantemente a exigir coisas? Mesmo que eu exija com um sorriso, secretamente eu quero tirar um bocado daquela pessoa. E não há nenhum problema nisso desde que eu sinta, de facto, o perfume do meu ser.
Aquilo que nos vai salvar da sombra de nós mesmos ou do grande monstro mundial é só um sorriso. No fim é um sorriso que te abre a porta para a 4ª dimensão porque é o sorriso da auto conquista, o sorriso dos Budas, o sorriso da suprema refinação do ser, de um refinamento psico-afectivo profundo em que tu vais trazendo todo o teu ser para próximo do diamante e doa-lo ao mundo, depois trazes e doas ao mundo, trazes e doas, e o resultado desta alquimia, deste ir e vir, é um sorriso que os grandes seres reconhecem instantaneamente.
Este perfume tem que vir ao de cima e tu começas a perceber que é tudo tão precioso em ti! Quando é que o Universo vai fazer outra vez um ser como tu? Pode fazer um melhor mas um tão tosco/tão sublime como tu nunca mais consegue!
Isto tem a ver com a criação do campo electromagnético que permite a humanidade atravessar o não tempo até essa Terra de 4ª dimensão cujo magnetismo é Sírius/Alcione/Sol/Vénus/seres humanos. Vénus vai entrar na constituição electromagnética da Nova Terra.

Há seres para os quais é muito importante recolherem-se em si mesmos até que o perfume comece a transpirar e esse perfume é o pacto eterno da alma pela personalidade, e quando tu consegues que esse perfume preencha toda a tua coluna... em termos psicológicos o que é a coluna vertebral? As nossas colunas estão rachadas pela base, porque tivemos infâncias difíceis, ou porque fomos parar a uma estúpida de uma incubadora e alguém desligou o interruptor, ou porque foi violado aos 4 anos, ou porque o pai tinha um complexo de autoridade... a pessoa não se esquece!
Esta coluna psicológica está toda em ruínas mas se um indivíduo consegue sentir o perfume, atravessar estas malhas todas, isso implica uma câmara. Neste momento ninguém se consegue perceber a si próprio se não for para dentro de uma cápsula.

...estas forças radiantes que nos animam e que nos dão a sensação de sermos amados, a doçura de uma alma que está aqui servindo e acompanhando a personalidade, sofrendo connosco. A alma tem uma parte na eternidade e uma parte no tempo. A parte que está no tempo está constantemente vibrando o Paraíso dentro do teu peito e sentindo as desfasagens entre a imagem da cidade celeste dentro de nós e os incríveis desfasamentos que a realidade socio-cultural é em relação a essa imagem sagrada, e o nosso psíquico sente todas essas dores!
Enquanto nós não conseguirmos sentir a doçura, o compromisso, o envolvimento da alma connosco, nós vamos para o mundo com uma fome que não tem fim.
(...)
Agora, todos vocês estão tendo uma vida para-militar, todos vocês estão sob graves ameaças psicológicas.
Se vocês não trabalham, e não interessa se aquela é ou não a vossa vocação, não têm dinheiro. Se não têm dinheiro estão suspensos do carrossel e todos têm que entrar a horas nos trabalhos, fazer certas coisas dentro de certos ritmos e ignorar a alma o tempo todo. É a isso que eu chamo uma vida paramilitar. Depois há os que já estão um bocadinho fora da coisa e há os que gostam do que fazem. Mas se estão sendo condicionados a se adaptar a uma civilização que cada vez menos percebe o que ela é, porque exige que um indivíduo se desligue da sua alma para fazer parte dessa civilização cujo resultado final é indivíduos vazios criando uma civilização vazia que está à procura de si própria, se isto se mantém nesta rotação, eu não dou mais dez anos, nem sete até que as pessoas realmente não consigam mais usar os poderes criativos do cérebro. (...)

André Louro de Almeida
Transcrição de Alice Jorge

quarta-feira, novembro 14, 2007

O Tempo demasiado quente...

Há quem diga que está "bom tempo"... Bom para a praia...
A mim este tempo fora de tempo, angustia-me e causa-me apreensão...

Porque teimam as pessoas na sua alienação e egoísmo em não verem que o que se passa não é bom tempo, mas algo de grave e cujas consequências se adivinham...

NÃO CHOVE...


Ano 2070 acabo de completar os 50, mas a minha aparência é de alguém de 85.

Tenho sérios problemas renais porque bebo muito pouca àgua. Creio que me resta pouco tempo. Hoje sou uma das pessoas mais idosas nesta sociedade. Recordo quando tinha 5 anos. Tudo era muito diferente. Havia muitas arvores nos parques, as casas tinham bonitos jardins e eu podia desfrutar de um banho de chuveiro com cerca de uma hora.

Agora usamos toalhas em azeite mineral para limpar a pele. Antes todas as mulheres mostravam as sua formosa cabeleira. Agora devemos rapar a cabeça para a manter limpa sem agua. Antes o meu pai lavava o carro com a agua que saía de uma mangueira. Hoje os meninos não acreditam que a agua se utilizava dessa forma. Recordo que havia muitos anuncios que diziam CUIDA DA ÁGUA, só que ninguém lhes ligava; pensavamos que a água jamais se podia terminar.

Agora, todos os rios, barragens, lagoas e mantos aquíferos estão irreversivelmente contaminados ou esgotados. Antes a quantidade de agua indicada como ideal para beber era oito copos por dia por pessoa adulta.

Hoje só posso beber meio copo. A roupa é descartável, o que aumenta grandemente a quantidade de lixo; tivemos que voltar a usar as fossas sépticos como no século passado porque as redes de esgotos não se usam por falta de àgua.

A aparência da população é horrorosa; corpos desfalecidos, enrugados pela desidratação, cheios de chagas na pele pelos raios ultravioletas que já não tem a camada de ozono que os filtrava na atmosfera, imensos desertos constituem a paisagem que nos rodeia por todos os lados. As infecções gastrointestinais, enfermidades da pele e das vias urinárias são as principais causas de morte.

A industria está paralizada e o desemprego é dramático. As fábricas dessalinizadoras são a principal fonte de emprego e pagam-te com agua potável em vez de dinheiro.

Os assaltos por um bidão de agua são comuns nas ruas desertas. A comida é 80% sintética. Pela ressequidade da pele uma jovem de 20 anos está como se tivesse 40. Os cientistas investigão, mas não há solução possivel. Não se pode fabricar agua, o oxigénio também está degradado por falta de arvores o que diminuiu o coeficiente intelectual das novas gerações.

Alterarou-se a morfologia dos espermatozoides de muitos individuos, como consequência há muitos meninos com insuficiencias, mutações e deformações.

O governo até nos cobra pelo ar que respiramos. 137 m3 por dia por habitante e adulto. A gente que não pode pagar é retirada das "zonas ventiladas", que estão dotadas de gigantescos pulmões mecanicos que funcional com energia solar. Não são de boa qualidade mas pode-se respirar, a idade média é de 35 anos.

Em alguns países ficam manchas de vegetação com o seu respectivo rio que é fortemente vigiado pelo exercito, a agua tornou a ser um tesouro muito cobiçado, mais do que o ouro ou os diamantes. Aqui em troca, não há arvores porque quase nunca chove, e quando chega a registar-se uma precipitação, é de chuva ácida; as estações do ano tem sido severamente transformadas pelas provas atómicas e da industria contaminante do século XX. Advertiam-se que havia que cuidar o meio ambiente e ninguém fez caso. Quando a minha filha me pede que lhe fale de quando era jovem descrevo o bonito que eram os bosques, lhe falo da chuva, das flores, do agradável que era tomar banho e poder pescar nos rios e barragens, beber toda a agua que quisesse, o saudável que era a gente. Ela pergunta-me: Papá! Porque se acabou a agua? Então, sinto um nó na garganta; não posso deixar de me sentir culpado, porque pertenço à geração que acabou destruindo o meio ambiente porque simplesmente não tomámos em conta tantos avisos. Agora os nossos filhos pagam um preço alto e sinceramente creio que a vida na terra já não será possivel dentro de muito pouco porque a destruição do meio ambiente chegou a um ponto irreversivel.

Como gostaria voltar atrás e fazer com que toda a humanidade compreendera isto quando ainda podiamos fazer algo para salvar ao nosso planeta Terra.*
*Documento extraído da revista "Crónicas de los Tiempos" de Abril de 2002.