sábado, maio 31, 2008

EVITAR O DESASTRE


É PRECISO O DESPERTAR DE UMA VERDADEIRA CONSCIÊNCIA DO SER
E DA MULHER EM PARTICULAR PARA CURAR A TERRA

(...)
"PARA EVITAR O DESASTRE, A MULHER TEM DE NOVO REENCARNAR A DEUSA
NA TERRA, DE RECUPERAR COLECTIVAMENTE A MEMÓRIA DE QUEM É,
E REAPRENDER A ARTE DE CURAR,
DE SE ASSUMIR DE NOVO COMO GUARDIÃ DO GRANDE ÚTERO FERIDO
QUE É A TERRA
DANDO AS MÃOS ENTRE SI PARA A TRATAR
RESTITUINDO-LHE A CAPACIDADE DE CRIAR"
(...)
IN Os Portais do Tempo de Antónia de Sousa
ed. ART-FOR-ALL
Todas as mulheres do mundo estão de rosto coberto, o seu verdadeiro e desconhecido rosto...
Todas as mulheres do mundo estão impedidas de ver e falar o que sentem, no seu coração...
Não é só no Oriente ou nos Países pobres que a mulher não tem rosto...e é explorada.
No Ocidente, Ela tem a descoberto o corpo, todas as partes do seu corpo exposto, para gáudio da publicidade, do consumo doentio, da exploração sexual e do abuso, carne para prazer ou para ir a guerra, mas ela não é livre nem senhora de si porque não sabe há muito o que sente verdadeiramente, nem sabe ao certo quem é ela mesma...
A mulher foi corrompida, destruida na sua essência, prostituida pelos que a usaram e usam ainda sem excrúpulos sem humanidade. A mulher é uma sombra de si própria, uma pálida imagem do seu ser real que ela esconde porque ignora ou nega por medo de ser inteira...
Esperamos uma nova Mulher saída dela mesma depois de um parto longo e doloroso de uma nova consciência do Feminino por excelência. O Feminino Sagrado.

A dor do falso amor...


"Essa ânsia pelo amor, baseado numa insuficiência, traz consigo uma praga de outros problemas. Quando a nossa sensação de bem estar depender da aprovação e do amor dos outros, tornamo-nos naturalmente dependentes - ou mesmo viciados - nesses outros. Agarramo-nos a eles, exigimos a sua atenção e amamo-los condicionalmente, oferecendo-lhes amor quando eles se comportam como queremos e rejeitando-os quando não o fazem."


CULTIVAR O AMOR E A GRATIDÃO

"O amor não desabrocha no vácuo; é alimentado por atitudes de apoio como a generosidade e a gratidão. A generosidade é tão importante - não só para o amor mas para toda a vida espiritual - que constitui uma das sete práticas centrais e é debatida em separado. Aqui, iremos explorar a gratidão."


GRATIDÃO: A PORTA PARA O AMOR

"Enquanto que o perdão cura velhas feridas do coração, a gratidão abre-o para o amor real. A gratidão concede um grande número de benefícios. Dissolve os sentimentos negativos: envolvidos pelo seu abraço a raiva e a inveja diminuem; o medo e as atitudes defensivas, mirram. A gratidão derruba as barreiras ao amor."
(...)
in " O ESSENCIAL DA ESPIRITUALIDADE" - ROGER WALSH

a tragédia grega...

"A tragédia grega ensina que o amor não deve atingir a própria medula da alma . Mas na vida de alguns de nós, de preferência uma única e irrepetível vez, a medula da alma é atingida pelo amor. Felizes os que sobrevivem."

- Frederico Lourenço
in A Formosa Pintura do Mundo

sexta-feira, maio 30, 2008

LEALDADE FEMININA EM ACÇÃO

VEJO QUE ANDA muito produtiva e positiva...fico muito contente já que eu estou na minha fase mais céptica.
Vamo-nos complementando umas às outras com as diferentes faces da lua...para a encher cada uma de um aspecto...grávidas de um novo círculo de mulheres, prontas a dar fruto...a Nova Consciência da Deusa!
Você, eu a Marian e a Luiza...

Quem mais se juntará ao círculo?

http://www.lealdadefeminina.blogspot.com/
http://saberdesi.blogspot.com/
http://maraoluar.blogspot.com/

O SEMPRE ACTUAL ZEUS... O DEUS MISÓGINO...


"Durante um longo período de tempo, por toda a feliz Idade de Ouro, só existiram homens à superfície da terra, não havia mulheres.
Zeus criou-as apenas respondendo com o seu rancor a todos os cuidados que Prometeu tivera para com o homem. (…)

Zeus criou então algo de muito perigoso, algo que deleitava os olhos pela suavidade e pela beleza, com o aspecto de uma donzela tímida a quem todos os deuses concederam dons, vestes prateadas e um véu todo bordado, uma autêntica maravilha. Chamaram-na Pandora, que significa "a dádiva de todos"; depois de terminada esta bela calamidade, Zeus mostrou-a a todos e, ao contemplarem-na, tanto os Deuses como os homens ficaram extasiados. É dela - a primeira mulher - que descendem todas as outras mulheres, que são a desgraça dos homens e que têm propensão para praticar o mal"
*

(Hamilton, Edith, A Mitologia, 95-96)

cobardia heróica...

As concepções de inferioridade da mulher povoam toda a história da humanidade. Desde as narrativas míticas, de que o mito de Pandora é um exemplo, a mulher tem sido considerada não só como inferior, mas também como uma ameaça constante ao homem. A concepção Aristotélica da inferioridade física e moral da mulher (por falta de calor e excesso de humidade) foi uma das mais influentes da história ocidental. Mas as concepções de inferioridade da mulher multiplicam-se, mesmo nas sociedades que não sofreram a influência grega. Uma pergunta inevitável é: porquê? Porque é que a mulher sempre foi vista como inferior e, de algum modo, perigosa? Porque é que os homens se esforçaram por dominar as mulheres?
*
Nalgumas tribos existem mitos segundo os quais a superioridade do homem foi antecedida pela superioridade da mulher, superioridade esta de tal modo tirânica que justificaria a dominação presente do homem. Um exemplo de um mito deste tipo pode ser encontrado na tribo dos Ona estudada por Anne Chapman [...]
(...)
A angústia da paternidade é apresentada por Rousseau como a justificação da dominação da mulher pelo homem. Rousseau exprime essa angústia no estilo eloquente que lhe é usual:

"Se há um estado horrível no mundo, é o de um desgraçado pai que, sem confiança na mulher, não ousa entregar-se aos doces sentimentos do seu coração, que duvida, ao beijar o seu filho, se está a beijar o filho de outro, a testemunha da sua desonra, o usurpador do bem dos seus próprios filhos. Neste caso, o que é a família senão uma sociedade de inimigos secretos que uma mulher culpada arma, um contra o outro, forçando-os a fingir amar-se mutuamente?" IN Emílio, 186.
*

A angústia da paternidade parece assim ser a resposta às perguntas iniciais: Porque é que a mulher sempre foi vista como inferior e, de algum modo, perigosa? Porque é que os homens se esforçaram por dominar as mulheres? O esforço masculino de domínio sobre o feminino parece ser uma tentativa de evitar a angústia da paternidade. Afinal a sabedoria popular portuguesa diz: "Filhos de minhas filhas meus netos são, filhos de meus filhos serão ou não".
Sara Bizarro sarabizarro@yahoo.com
*

TEXTO ENCONTRADO ATRAVÉS DE: http://maraoluar.blogspot.com/

POBRE PORTUGAL...

DIA DA CRIANÇA???
São portuguesas estas crianças não são do Biafra nem do Darfur...

POBRE PORTUGAL

dn Fernanda Câncio jornalista fernanda.m.cancio@dn.pt

Um relatório sobre 25 Estados membros da UE refere Portugal como tendo, no período de 2000 a 2004, um dos mais baixos rendimentos per capita - com 960 mil pessoas a viver com menos de 10 euros por dia - e maior desigualdade na distribuição de riqueza; um estudo de Alfredo Bruto da Costa, reputado especialista na matéria, certifica que pouco ou nada se tem evoluído no combate à pobreza, calculando que 46% da população passaram por esse estado entre 1995 e 2000. Parece pois lícito concluir que a democracia portuguesa falhou dois dos seus objectivos essenciais: promover a coesão social e melhorar o nível de vida.
(...)(excerto)
««««««««««

PARECE que Portugal se contenta mesmo com as suas novas e rasteiras glórias, Eusébios, Figos, Ronaldos e companhias...

O delírio nacional, a histeria colectiva vai começar...os infantes da nação vão começar a chutar à baliza a NOSSA POBREZA, os nossos complexos de emigrantes e saloios, ministros provincianos e obsessão das aparências... sermos os melhores com os pés, como qualquer país subdesenvolvido, justamente por sermos os piores de cabeça...cultura e educação!

O PASSADO e o telemóvel...


MAIS UMA DE UMA LONGA COBARDIA

DN texto na íntegra de Ferreira Fernandes

Antigamente - um pouco depois dos tempos em que ele, de moca e de osso atravessado no nariz, a arrastava pelo cabelo até à caverna - o lençol nupcial era exposto no bairro. Se havia sangue, a noiva era virgem e o casamento podia seguir em frente. Antigamente..., iludo- -me eu, como se as coisas não pudessem voltar para trás.

Em Lille (Norte de França), um tribunal anulou um
casamento porque a noiva - muçulmana como o noivo - mentiu sobre a sua
virgindade. Na madrugada do casamento, o noivo, engenheiro, levou a noiva a casa
dos pais dela porque lhe faltava uma peça (assunto privado).
E um tribunal, no ano de 2008!, deu-lhe razão (assunto público). Deixo para os advogados e juízes o valor jurídico do ela ter mentido, como se a lealdade pudesse existir entre desiguais (o engenheiro não teve de jurar a sua virgindade, nem tinha como a provar). A nossa cobardia está a atirar estas novas europeias para o passado. Assim, o passado virá ter com todos nós, não tarda.

quinta-feira, maio 29, 2008

os olhos de dentro


Por detrás desta porta,
uma de todas as portas que para mim se abrem e se fecham,
estou eu ou o universo que eu penso.
Deste meu lado, dois olhos que vigiamos fenómenos naturais, incluindo a celeste mecânica
e as sociedades humanas, sedentárias e transumantes.
fiama p. b.

alter ego...


...os cabelos cada vez mais brancos, como uma névoa, podem por momentos impedir-me de ver, mas os meus olhos fixos na alma não me enganam...eu sou interna...
*
"E A ETERNIDADE É SENTIDA COMO ESTE ESTAR, ESTÁVEL, NO MEIO DO MUNDO, ESTA IDENTIDADE, SINCRONIZAÇÃO COM O RÍTMO CENTRAL E PRIMEIRO. O DO CORAÇÃO."
*
In A Força do Mundo
Dalila L. Pereira da Costa

o gato olha

... às vezes não há nada melhor do que uma imagem soberana...

(...)
Mas podem os olhos fazer a sua enumeração,
e pode o pensado universo infindamente ir-se,
que para mim o que hoje importa
é aquela olhada vaga porta.
Que ela seja só como a vejo, a porta branca,
com duas almofadas em recorte,
lançada devagar sobre o vão do jardim,
onde o gato, por uma fenda aberta
pela sua pata, tenta ver-me,
tão alheio a versos e a universos.

Fiama Hassa Pais Brandão
Cena Vivas
Relógio d´Água

quarta-feira, maio 28, 2008

A filosofia do ódio


NO mundo do poder patriarcal dizem que o homem é deus. Iludem-no. Se considerarmos os homens como metade dos habitantes do planeta, a terra seria uma selva de idolatria, divindades, templos e altares. Por incrível que pareça, há homens que caem nessa armadilha com a voracidade dos macacos, consumindo a vida na materialização desta filosofia de loucura. Dizem que o homem é bravo. Brutalizam-no e fazem dela uma besta para a realização dos desejos sociais, inspirando-o a destruir tudo para abrir percursos desconhecidos. Fazem dele um cavaleiro soberbo, errante, solitário, a busca do impossível com as mãos nuas, suor e sangue.
A bravura humana inspira-se na filosofia do ódio.
(…)

O planeta Terra encontra-se envolvido num conflito sem fim. A vida colocou o homem e a mulher como eternos rivais, digladiando-se na arena da vida. Estamos na era atómica, o mundo está quase a desabar. Outro aviso ao criador: se tiver que reconstruir o Éden que todos os seres sejam completos, incluindo a humanidade. Que sejam hermafroditas. Masculino e feminino no mesmo ser, para se atingir a perfeição suprema e com ela a paz por todos nós desejada, sem disputas, nem desilusões, nem desgostos de amor.”

In O SÉTIMO JURAMENTO
PAULINA CHIZIANE (escritora moçambicana)
Da Ed. CAMINHO – uma terra sem amos

A ALIENAÇÃO DO MUNDO PATRIARCAL

Direitos Humanos
Amnistia Iinternacional, denuncia maus-tratos policiais

e violência contra mulheres em Portugal

Portugal voltou a ser referido no relatório da Amnistia Internacional (AI) devido à violência contra as mulheres e aos alegados maus-tratos da polícia. Luís Silva, da AI, alertou para os poucos progressos registados em matéria de direitos humanos.
(...)
De acordo com o relatório, que cita números governamentais, 39 mulheres foram mortas pelos maridos ou companheiros durante o ano de 2006.
in tsf
«««««««««««««

ONG e capacetes azuis abusam de menores
PATRÍCIA VIEGAS dn

Trabalhadores humanitários e elementos das forças de manutenção de paz abusam sexualmente das crianças que deviam supostamente proteger, alertou ontem a organização britânica Save the Children, num relatório baseado, sobretudo, em testemunhos de menores recolhidos no Haiti, na Costa do Marfim e no Sul do Sudão.

"Ninguém a Quem Recorrer", assim se intitula o documento, refere vários casos de crianças, algumas com seis anos de idade, que trocaram sexo por comida, dinheiro, sabão ou até mesmo por telefones portáteis. As vítimas dos abusos são, geralmente, órfãos, filhos de pais separados ou provenientes de famílias que estão muito dependentes da ajuda humanitária para conseguirem sobreviver.
(...)
A partir de relatos de pessoas de 38 grupos de estudo diferentes, composto por crianças, adultos e trabalhadores humanitários, a organização identificou vários tipos de exploração, como, por exemplo, favores sexuais, sexo forçado ou prostituição. Os relatos demonstraram que as raparigas, entre os 14 e os 15 anos, são as mais vulneráveis.
O trabalho de campo, realizado sobretudo em 2007, permitiu identificar um total de 23 casos de abusos ligados a organizações de ajuda humanitária ou de manutenção de paz e segurança. O Departamento de Operações de Manutenção de Paz da ONU (DPKO) é o mais referido.

A utopia dos soldados da paz...

Não há soldados senão da guerra. É assim que eles são (de)formados pelos exércitos e tudo o que se diga em contrário é alienação e estupidez...
Inventar soldados de paz é um paradoxo, porque os homens que aprendem a matar sem excrúpulos o "inimigo" e são treinados para a violência, a imposição da força e no ódio não podem defender o próximo de nada...
Dar aos homens treinados para matar missões de Paz é a prova cabal da loucura dos líderes.

terça-feira, maio 27, 2008

A DEUSA KALI


"Viver de olhos abertos é admitir, sentir a nossa dor, porque é ela que nos indica que há algo que não está bem, e admitir, não negar, a nossa raiva, porque é nessa raiva que está a nossa força. A força para cortarmos, destruirmos aquilo que nos faz mal e construirmos o que é melhor para nós. A Grande Mãe possui igualmente um aspecto destruidor.
Os nossos problemas resultam essencialmente do facto de sermos demasiado brandas, boazinhas, frágeis, permissivas e acomodadas. A nossa educação ou, pior do que isso, a implantação à força bruta de um sistema patriarcal de dominação condicionou-nos para a aceitação excessiva e a servidão. Não podemos fingir que não são estas as bases em que se processa a nossa vida.
Mas não podemos ficar presas neste estádio, sofrendo os horrores da impotência, resmoendo este sofrimento e reproduzindo-o assim para todo o sempre.Temos escolha! Valorizando-nos, valorizando o feminino. Unindo-nos. Só a nossa auto-valorização e a nossa união, mais as bênçãos da Mãe Divina, nos podem salvar. Mais nada. Mas é possível, se assim o decidirmos!"


O TEMPO DAS DEUSAS URGE


"As deusas da cólera transformadora são muito diferentes das deusas da sabedoria (...).


Manifestam-se quando é tempo de actuar para mudar uma situação inaceitável, quando "Bem basta o que já basta!". Trata-se de deusas que eram chamadas quando os deuses ou os homens não conseguiam derrotar o Mal e só uma deusa poderosa estava à altura dessa tarefa.

As deusas da cólera transformadora mais importantes não são representadas sob um aspecto humano. A deusa egípcia Sekhmet tem cabeça de leoa e corpo de mulher. Kali-Ma, a deusa hindu, possui uma face humana assustadora e um corpo de mulher com muitos braços.Incluo-as nos arquétipos de velha porque surgem nessa fase da vidas das mulheres. Gloria Steinem tem dito frequentes vezes que as mulheres se tornam mais radicais à medida que envelhecem. Os homens costumam ser radicais em novos e defensores do conservadorismo mais tarde. Na sua vida pessoal e ideias políticas, as mulheres de idade parecem radicais quando são influenciadas pelo que sabem e sentem. Podem pôr termo a casamentos disfuncionais de longa data. Podem dispensar especialistas autoritários e assumir pessoalmente as rédeas no domínio médico e financeiro. Na esfera política, podem observar o modo como os homens gerem as situações e sentir indignação perante a tolerância para com o Mal ou a indiferença ao sofrimento. Sekhmet/Kali surge nelas e alimenta a sua determinação na mudança.

Jean Shinoda Bolen, As Deusas e a Mulher Madura (edição brasileira da editora Triom)/

segunda-feira, maio 26, 2008

consolo...maternal e fraterno...



Será a mulher capaz de transcender a sua própria vaidade, e entender que não se trata de egos e sim, de salvar uma energia, um planeta, a nossa vida e a nossa descendência... de mudar um modelo social falido, por um de base matriz, matrista, matrilinear, e assim, sobrevivermos?

Querida Rosa,

Este seu blogue é o quê senão um verdadeiro CÍRCULO DE MULHERES?! Inúmeras mulheres, tal como eu, vêm aqui para sentir essa unidade, essa força e esse apoio que lhes vem da glorificação do feminino; que as faz sentirem-se bem consigo mesmas, validadas, expandidas...Bem-haja pelo seu trabalho magnífico!

Abraço fraterno
Luíza

Amar-me como a Deusa me ama...

Anónimo disse...

Meus amores,Vai um conselho? Neste mundo virtual (que todo ele o é, n'é assim?...) eu não tenho que tar a olhar para que fazem ou não fazem os outros ou as outras... A salvação começa e acaba em mim próprio. Hello! NÃO EXISTE NADA LÁ FORA!... vcê sabia? Se não estou ou não tenho um grupo de mulher é só por causa que eu não sei estar num grupo de mulheres... Então a questão, se me permitem, é "O que é que eu ainda tenho que aprender de verdade para estar num grupo de mulheres? E agora sim gente já podemos arregaçar as manga e trabalhar. Botando culpas nos outro, que afinal nem existem fora de mim, não chego a lado nenhum, tá? É assim que eu vejo a coisa...


Pela parte que me cabe, obrigada pelos “meus amores”...já é qualquer coisinha...depois, também concordo que só há salvação dentro de nós própriAs/os (mas isso é outra história)...talvez começando a falar de nós no feminino...e quanto ao aprender para poder estar umas com as outras entre nós mulheres de boa vontade... é apaixonarmo-nos pelo nosso feminino, isto é, deixar de ter medo da pluralidade do feminino em nós e em cada mulher...e por fim, minha querida, não estamos a dizer mal de ninguém...porque os "outros/as" não existem...são um dado abstractO, é como o mundo, não existe: o que existe são indivíduos...
Só dizemos mal de alguém quando esse alguém tem nome...

Quanto à culpa por suposto não é dos “outros/as” e nós sabemos isso muito bem, é o sistema em que estamos presas/os...Denunciar as realidades não é culpar os outros. É também falar na generalidade. Senão dizendo bem para não dizer mal e que sim que somos capazes nos juntar e estarmos em paz todas juntas e unidas e cheias de lealdade seria uma grande mentira afirmar isso...Não acha?
E a propósito lembrei-me desta frase que adoro...


"NENHURES AMADA HAVERÁ MUNDO SENÃO DENTRO DE NÓS", dizia o poeta Rilke...mas isso trata de essências, de almas solitárias, não apostadas nesta realidade, mas na eternidade...

O ORGULHO NACIONAL


"É UM PAÍS CARREGADO DE VÍCIOS CARREGADO DE VELHOS"*

e os novos...

" HOMENS DE PÉS PEQUENINOS CABEÇA A DAR COM OS PÉS"*

*Y.K.Centeno


SOMOS JÁ OS CAMPEÕES DA EUROPA ...
DA MISÉRIA E DAS DESIGUALDADES SOCIAIS!

"Um país de homens de pés pequeninos a cabeça a dar com os pés"

Um país de políticos mentirosos e habilidosos jogadores de futebol...um país de Eusébios, Figos e de Ronaldos, orgulho nacional, de bandeirinhas a tiracolo e nas janelas; somos os campeões das desigualdades e da pobreza com muitas auto-estradas e pontes e aeroportos...e centros comerciais, vias rápidas...
Um país de miséria e de vaidades com os velhos ao abandono...as mulheres mal tratadas e os jovens à deriva...

Um país em que os telejornais e as televisões e jornais nos falam exaustivamente da bola e dos seus jogadores...escondendo tudo o que de escabroso e imundo se passa nos bastidores da política e do futebol...

UM POUCO DE HISTÓRIA PATRIARCAL...


A instauração do patriarcado também é um assunto que tem sido muito pouco estudado. Digamos que o único homem que um belo dia resolveu dar atenção a este aspecto foi Engels, dizendo que anteriormente teriam existido matriarcados, tendo depois se dado a instauração do patriarcado, precisamente quando os homens descobrem o segredo da paternidade, ou seja o seu papel concreto na procriação, que até então seria desconhecido. No entanto considero que a forma como ele tentou explicar essa passagem foi apressada e superficial.
(…)
A visão de cientistas e outros pesquisadores que estudam a vida, tanto humana, quanto animal, tem sido feita sob a ótica patriarcal. Por exemplo, os biólogos falam de machos com um harém, machos dominantes, sem se dar conta de que são as fêmeas que fazem essa escolha, procurando o melhor reprodutor, aquele que tem mais probabilidades de ter uma descendência mais viável do ponto de vista da sobrevivência do grupo, ou da espécie. A ideia do macho dominante tem muito a ver com a ideia de uma figura de poder ligada à sociedade patriarcal.
Da mesma forma a valorização das atividades de caça e guerras na descrição e definição dos grupos são atividades ligadas aos homens, e por isso supervalorizadas. Só recentemente alguns autores começaram a aventurar a hipótese de terem sido as mulheres as inventoras da agricultura. Mas mesmo essa possibilidade surgiu como um fator desvalorizante da mulher, pois teria sido gerada pela suposta fraqueza e incapacidade da mulher."
Isabel Barreno –
in http:/www.lealdadefeminina.blogspot.com/



Assisti há pouco a uma comunicação sobre a biodiversidade pelo prof. Graciano Ramos. No final, quando lhe disse que a biodiversidade deveria começar logo pela linguagem, admitindo a existência dos dois géneros e não remetendo tudo para o "homem", anulando assim um deles, ele não pôde estar mais de acordo. Depois de nos ter mostrado as semelhanças que existem entre o comportamento dos leões e o dos humanos, onde são as fêmeas que caçam e desempenham todas as tarefas necessárias à subsistência, sendo depois o macho, que fica regalado a dormir, o primeiro a ser servido, afirmou em conclusão que, em última análise, deveríamos dizer "mulher sapiens" ou "femina sapiens" em vez de "homo sapiens"...


Gostei Luiza, OBRIGADA PELA ACHEGA...

ANDANDO AOS CÍRCULOS...

A MULHER CONTINUA À DERIVA
*
"No Brasil, nem todo movimento dos tais círculos podem ser verdadeiramente considerados... desculpa se digo isso... mas, na verdade, muitas pessoas buscam isso apenas como mais um modismo... como foi em tempos, deixar a igreja católica para integrar os cultos evangélicos, depois voltaram para a igreja católica, já carismática... e agora se dizem pagãs... apenas porque está na moda, assim como também esta na moda por aqui, ser lésbica ou bissexual... Infelizmente não vejo nenhum aprofundamento nestas questões, apenas preencher um requisito na lista masculina, que deseja "transar" ao mesmo tempo com duas mulheres...A mulher continua à deriva..." (leitora anónima)

- Posso perfeitamente concordar consigo. Tudo isso também é verdade tanto cá como lá...não sei se vive em Portugal, mas parece conhecer o país...ou é portuguesa?

Principalmente concordo consigo quando diz que a mulher continua à deriva...longe dela mesma, digo eu...Mas que vamos fazer? Os círculos podiam ser uma saída, mas eles não acontecem e mesmo que fosse por moda apenas, poderiam resultar no fim em verdade para algumas mulheres que fossem mais sinceras.
Eu já fiz tantas tentativas e até coloco aqui a informação dos encontros e que eu saiba nem uma só pessoa apareceu como leitora...nenhuma mulher se deslocou a um...

Há aqui um absurdo qualquer e qual é ele? É que este mundo é apenas virtual e quem escreve se esconde por detrás do ecrã e não assume a sua pessoa nesta realidade e dela se esconde seja qual for o motivo; por qualquer razão, seja por preguiça, seja por indiferença, alienação, a verdade é que este é apenas um mundo sem vida e onde se prova que afinal é tão mais fácil carregar no botão...e deixar de existir na realidade… cria-se um mundo de fantasia em que tudo parece ser mas não passa de um simulacro. E todos nós nos acomodamos a esse simulacro.

Olhe, eu também me iludo a mim mesma ao continuar a escrever esta página...afinal, não há mulheres nem deusas em nenhum lado...só conversa...blá blá blá...uma chacha como a política e as ideologias de classe ou a economia etc..

A nova tríade é: Sexo, Mentiras e Internet ...

Afinal a única verdade mesmo é que às pessoas só interessa o sexo, o dinheiro e a gasolina para andar de carro..."curtir" e poluir o planeta.

domingo, maio 25, 2008

O SOFRIMENTO PESSOAL

"O sofrimento pessoal começa quando somos crucificados entre dois opostos. Se tentarmos abraçar um sem pagar tributo ao outro, degradamos o paradoxo ao nível da contradição. Todavia ambos os lados dos pares de opostos devem merecer e ter igual mérito. O sofrer a nossa confusão é o primeiro passo para a cura. "(1)

"Passar da oposição (sempre uma discórdia) para o paradoxo (sempre sagrado) é dar um salto de consciência. Esse salto transporta-nos através do caos da meia idade e dá-nos uma visão que ilumina os dias que nos restam."

In "OWNING YOUR OWN SHADOW" Robert A. Johnson

(1) Sofrer em latim: sub plus ferre= suportar ou permitir

Realmente há muitas pesssoas que se não permitem sofrer...ou consciencializar da sua sombra; não aceitam ver o seu outro lado e refugiam-se nas crenças que as instingam a ser sempre boas e positivas...pensar sempre o bem e fugir do mal...sem nunca perceber que essa dualidade do ser é inerente à condição humana e que só será superada num plano superior de entendimento que passa por uma qualquer iniciação (meditação) em que depois de integrar a sua sombra simbolizada na descida aos infernos, aceitação da face negra em nós e passar pela porta proibida pelo dogma, vencido o medo da escuridão, pode então Ver a Luz e compreender que ele é mais do que a expressão da sua dualidade bem e mal e que a noção de bem e mal diferem de cultura para cultura, de tradição para tradição, de religião para religião e com os séculos...

Por isso, passar da discórdia para o paradoxo, do plano racional para o sagrado é tão difícil porque as pessoas comuns não suportam essa coexistência por uma ideia falseada e mental de ser coerente associada à "bondade" católica. Superar esse plano é fundamental, como é fundamental que tenhamos sempre presente os dois lados do ser, compreender o feminino na sua totalidade e unir os dois polos da nossa humanidade, para enfim perceber que só na visão interior, superior porque acima do mental redutor, percebemos que o que está em cima é igual ao que está em baixo. rlp
*
"A aprendizagem da realidade sem rosto é dolorosa, assusta (porque destrói o ego) mas é uma aprendizagem que se faz"(...)
*
"O amor, explica Aristófanes, é a força que recompõe a primitiva natureza andrógina, reunindo dois seres num só e curando a ferida de que sofrem. A antiga natureza humana era um todo que reflectia o modelo cósmico do par céu-terra (o céu e a terra dos quais a lua e o andrógino tiraram as suas qualidades), pois nos mitos de criação a bissexualidade divina é o fenómeno mais espalhado. Como obbserva Eliade, "a androginia divina não é senão uma fórmula arcaica da biunidade divina"
in LITERATURA E ALQUIMIA Y.K.Centeno

OS DOIS EM UM

"No Evangelho de Tomé, Jesus diz, dirigindo-se aos discípulos: " Quando fizerdes os dois (ser) um, e...o interior como o exterior e o exterior como o interior, e o superior como o inferior...(e) o macho e a fêmea já não seja macho nem fêmea, então entrareis no Reino."
Y.C.

A UNIÃO DOS PRINCÍPIOS, FEMININO E MASCULINO "

Inventemos, escreve Pessoa, um Imperialismo Andrógino reunindo as qualidades masculinas e femininas; um imperialismo alimentado de todas as subtilezas femininas e de todas as forças de estruração masculinas. Realizemos Apolo espiritualmente. Não uma fusão do cristianismo e do paganismo, mas uma evasão do cristianismo, uma simples e estrita transcendência do paganismo, uma reconstrução transcendental do espírito pagão."

Fernando Pessoa

O NEÓFITO OU O INICIADO

"O neófito tem mais chances de alcançar um determinado modo de ser - por exemplo, tornar-se homem ou mulher - se antes se tornar simbòlicamente uma totalidade. Para o raciocínio mítico, um modo particular de ser é necessáriamente precedido de um modo TOTAL de ser. O andrógino é considerado superior aos dois sexos justamente porque encarna a totalidade e, portanto a perfeição. "
M.Eliade

"O sexo é a matriz do nexo. O amor pressupõe de facto uma iniciação: o reconhecimento da cisão e a sua ultrapassagem. A Iniciação interessa a todos: homens, mulheres, pessoa, pessoas, espírito, solidão, amor, cisão, fusão: apenas aspiração ao absoluto da comunhão perfeita, impulso para a superação do eu pessoal no eu impessoal superior." (...)

IN «AS NOVE INCURSÕES» de Ana Hatherly

sábado, maio 24, 2008

UM DIA DEPOIS..


Quem clamando pelos anjos não ouviu o insuportável trilo do paraíso evolado das veredas onde o olhar se esvai e os demorados caules, florações, ou os mais móveis corpos em compactez celeste?
147*

Porque o voo dessa asa larga, condor não mais precário do que a fénix ou o imorredoiro signo se recolhe a esse enlance. Onde os peitos se respiram, uníssonos alvéolos, e os rostos vedados do olhar se cingem pétala a pétala na iluminura que alastra.
148*


*Da Rosa Fixa
Maria Velho da Costa

No dia 23 de Maio comemorou-se o centenário do nascimento da franco-suíça Annemarie Schwarzenbach. Jornalista, fotógrafa, escritora e viajante incansável que, no decorrer da sua curta vida, morreu aos 34 anos, deixou um dos mais impressionantes testemunhos, gráfico e literário, da Europa, América do Norte, Médio Oriente e África da primeira metade do século XX.

O anjo ou o andrógino?


“Gostava de escrever um livro que pudéssemos ler em voz alta muito lentamente e onde cada frase, mesmo incoerente, seria musical e bela.”

ANNEMARIE SCHWARZENBACH (1908 -1942)
Annemarie Schwarzenbach nasceu em 1908, em Zurique (Suíça), filha de um proprietário de um império têxtil, Alfred Emil, e de Renée de Wille, sendo educada nos melhores internatos para moças ricas. Formada em História em Zurique e Paris, publicou uma obra elogiada pela crítica, "Amigos de Bernhard", mudando-se para Berlim em 1931, onde foi acolhida pela elite intelectual. Morfinômana, íntima dos malditos Mann, suicida em potencial (embora tenha morrido acidentalmente em 1942, aos 34 anos, de uma queda de bicicleta, após hemorragia cerebral e longo período de inconsciência), correspondente de guerra, arqueóloga, fotógrafa, escritora atormentada, lésbica alçada a ícone gay, mergulhou no lado sombrio da vida em um naufrágio existencial doloroso. (...)

A parte mais intensa e lírica de "Morte na Pérsia" é a alucinada descrição que faz a autora do encontro com o seu anjo, uma figura que surge das profundidades da sua psique e da memória ancestral do país. Na antiga escatologia iraniana, tanto no mazdeísmo como no maniqueísmo, o anjo era uma presença freqüente, visto como celeste e protetor (as fravartis guardias ou as daenas, jovens que ajudam a alma contra os demônios que a assaltam). A imagem da bela viajante solitária disputando com seu anjo nu, que tem suas mesmas feições, à sombra da pirâmide coberta de neve do vulcão Damavand, resulta numa evidente metáfora da vida e da paixão de Annemarie Schwarzenbach. Uma existência que ela mesmo resumiu num grito pavoroso: " Deixem-me sofrer!".
A MINHA EXISTÊNCIA CONDENADA AO EXÍLIO E À AVENTURA (annemarie s.)

CÍRCULOS SAGRADOS...

Círculos de Mulheres podem ser vistos como um movimento evolucionário e revolucionário que está escondido por trás de uma imagem aparente: parece ser apenas um grupo de mulheres reunidas, mas cada mulher e cada Círculo está contribuindo para algo muito maior.”(Jean Shinoda Bolen em O Milionésimo Círculo)

“Estar num círculo é uma experiência de aprendizagem e crescimento que aglutina a sabedoria e a experiência, o compromisso e a coragem de cada mulher que o compõe".

“O Trabalho num Círculo de Mulheres pretende ser uma oportunidade para reafirmação do Eu, focando qualidades especiais que afloram a feminilidade, a sensualidade, a auto-estima e a espiritualidade.”

"Produzimos juntas uma alquimia que transforma e purifica, mostrando lentamente o nosso verdadeiro ser e a nossa função sagrada feminina. Nesse efeito de irradiação, nós mulheres vamos transformando as nossas vidas, as relações e o mundo, respeitando a nossa força feminina e sintonizadas com a sua forma acolhedora, fertilizadora, cíclica e receptiva de ser".
(Nana Calado)
UMA RESPOSTA POSITIVA DA LUIZA FRAZÃO...
*
Minha amiga, como deve ter visto, publiquei anteriormente o seu comentário e escrevi uma coisa bastante pessimista...a verdade é que tenho tentado criar um grupo de mulheres interessadas na Deusa sucessivas vezes e sempre falhou. Desde há muitos anos que o faço e por mais que tente nunca o grupo ganhou consistência. Por isso, a minha experiência diz-me que as mulheres não estão motivadas nelas próprias e as que estão têm sempre razões e desculpas para não aparecer nem que seja num encontro por mês. Daí a minha resposta, mas eu podia ter sido mais positiva ou mais idealista se quiser e acreditar que ainda é possível criar em Portugal esses círculos...só não sei para quando. Sei que no Brasil já há imensos círculos a funcionar e com mulheres fantásticas mas por cá que eu saiba pouco ou nada.
É um esforço enorme lutar contra a maré do patriarcado...
E sabe, as mulheres portuguesas vão a todo o lado… Alimentam maioritariamente todos os grupos de busca espiritual, new age, estudam astrologia, numerologia, acupunctura, radiestesia, dão massagens ayurvedica, fazem Reiki e tantos outros métodos alternativos, mas se se falar em encontros no feminino já não aparecem...Parecem que temem ser suspeitas...
Eu vejo que as mulheres em geral têm medo de que as julguem feministas…ou lésbicas…
Querem parecer livres e iguais aos homens…evoluídas e emancipadas; querem ser espirituais ou querem ir para a guerra e pegar em armas…ser deputadas, ministras e presidentes, sempre do lado da ordem estabelecida mas desprezam as mulheres que mostrarem a sua “fragilidade”. AS que afinal denunciam as suas emoções recalcadas e riem-se das que ajem pelo coração porque as espelham naquilo que elas têm tanto trabalho para esconder sempre a fingir que são fortes e capazes de vencer todas as batalhas… são sim capazes de tudo, e de muito mais, com grande grande sacrifício e coragem, mas olhar para elas de caras ou no espelho, isso não…só com maquilhagem…ou um sorriso de escárnio...porque no fundo no fundo continuam a ter medo delas próprias...
rlp

OS PALAVRÕES E O ACORDO ORTOGRÁFICO...


NOTA SOBRE O TEXTO ABAIXO:

Uma amiga enviou-me o texto explosivo que reproduzo na íntegra no poste de baixo...
Eu li e estremeci...ERA TERRÍVEL mas eu não ia por aquele título...
No Brasil é menos pesado, tem menos carga...há palavrões que se podem dizer no contexto e publicamente tal como escrever, mas em Portugal não...Nós somos hipócritas. Os espanhóis também dizem palavrões em público, dizem o que for, se preciso, na rádio e na televisão, escrevem nos jornais...mas os portugueses são sempre muito "correctos", nunca escrevem palavrões e até chamar palhaço a um político mais do que palhaço, dá pena pelos tribunais...e paga-se uma multa bem pesada...não se pode dizer merda à vontade na televisão como em casa!

Um amigo espanhol que vive em Portugal há muitos anos, fica espantado com a nossa hipocrisia...diz ele que entre amigos e em família se dizem palavrões a torto e a direito, mas se alguém os disser na televisão é ordinário e fica mal visto...
Nós somos assim, um povo falso e envergonhado até da nossa miséria...
Somos os Campeões da Europa em pobreza e ignorância, segundo os relatórios da União Europeia, mas estamos todos contentes com os nossos ídolos da bola MULTIMILIONÁRIOS e a sonhar com a vitória de Portugal neste Euro.

Portugal inteiro vai esquecer todo o seu drama de pobreza e miséria e por-se aos gritos com os golos do Ronaldo e do Deco...A televisão já nos brinda a toda a hora com todos os pormenores da preparação da equipa das quinas...convivemos com toda a sua estupidez natural ao vivo e sabemos o que comem os jogadores e o que fazem durante o dia para além de chutar a bola...

Enfim, não sei se os palavrões entram ou não no acordo
ortográfico
...senão eu também dizia um muito forte..mas vá-se lá a saber se depois não vou presa?

"o gosto do vómito"...pela hipocrisia da sociedade.

TEXTO ENVIADO POR UMA AMIGA BRASILEIRA...

Sent: Friday, May 23, 2008 11:16 PM
Subject: PUTA É O CARALHO

O nome verdadeiro é Maria Aparecida da Silva, mas na Central do Brasil é conhecida por Márcia. Aos 42, trabalha como faxineira de manhã em uma firma e prostituta a tarde, em frente a estação de trem mais movimentada do Rio de Janeiro.

Era gostosa, mas depois de tantos anos trabalhando como puta já não é mais. Assim mesmo ainda tem seus clientes fiéis, que não dispensam uma foda “completa” por R$35,00 depois de um dia de trabalho pesado.

Como não é mais jovem, quem chegar com R$ 15,00 leva. São pedreiros, pintores, taxistas, eletricistas, porteiros. Usam o corpo de Márcia pra aliviar as tensões do cotidiano embaçado que gente pobre tem. Cida mora em Itaguaí, zona norte do Rio, a 70 km do seu local de trabalho. De busão são quase duas horas. A casa é simples, quarto e sala sem acabamento, tijolo baiano a vista, chão de terra e cimento, móveis improvisados, cortinas ao invés de portas e um retrato de Jesus na parede. Um pedaço de bombril na antena ajuda a diminuir o chiado do capitulo de Malhação que as crianças assistem na televisão pequena sobre o armário. Como toda casa pobre, falta tudo mas sobra dignidade. Café, bolacha de maizena e Dolly sobre a mesa pra receber os convidados. Mora ali com seus filhos, André, 18, Camila, 22, seus netos Wesley,5, Ketheleen,3, a mãe alcoólatra Idalina e a filha adotiva deficiente mental Verinha. Cida sustenta a casa sozinha.

Não fosse o dinheiro dos programas, provavelmente o filho estaria no crime, a filha na prostituição, a mãe alcoólatra pela rua gritando absurdos abraçada a uma garrafa de pinga e só Deus sabe onde estariam os netos e a filha adotiva deficiente mental.

Puta é o caralho, Cida é uma guerreira. Foi para o sacrifício e manteve na unha vermelha a família unida. Foi capaz de perder sua dignidade pra preservar a dos seus. Quem seria capaz disso? Você seria?

Ao conhecer essa mulher, tive a certeza absoluta de que as mulheres são superiores aos homens. Pensei nos defensores da moral e bons costumes dos programas vespertinos de TV, nos hipócritas que bradam absurdos nos palanques, no horário eleitoral gratuito, no Datena, no Faustão, nas rádios populares. Sinto o gosto de vômito na garganta. Quem é mais puta? Quem é mais desonesto? Quem é o verdadeiro filho da puta?

Com olhar forte e digno, Cida tem a cabeça erguida e a hombridade de quem sabe que cumpre o seu dever com rara honestidade. Quem hoje em dia pode dormir tranqüilo assim?
Postado por JOAO WAINER às Terça-feira, Maio 01, 2007

sexta-feira, maio 23, 2008

A cegueira das mulheres


"Acho que não vale a pena a mulher libertar-se para imitar os padrões patristas que nos têm regido até hoje. Ou valerá a pena, no aspecto da realização pessoal, mas não é isso que vem modificar o mundo, que vem dar um novo rumo às sociedades, que vem revitalizar a vida. “ Natália Correia


Onde se reunem as mulheres em Portugal, Rosa?Pq vivo em Portugal mas não sei de nenhum encontro feminino, além desse que vc anuncia em Cascais...Será que as mulheres portuguesas realmente não estão voltadas para a Deusa... qdo falo com minhas amigas sobre essas coisas, parece que estou falando um idioma extraterrestre... sinceramente, gostaria de me reunir com outras mulheres e poder falar de tudo isso, me sinto tão sozinha, já não aguento mais internet, televisão, lojas, modas, revistas, shoppings, cafés, nada disso... Mas não sei onde ir, ou como me comunicar com as mulheres interessadas nos assuntos sobre as mulheres e as deusas...serei eu a única desconectada?ou será o mundo anestesiado...parece um pouco o livro da cegueira do famoso escritor nobel português...

Pergunta-me onde é que as mulheres em Portugal se reunem..as mulheres que acreditam na Deusa...Elas não sabem nem sonham sequer que elas são parte integrante da deusa...quanto mais acreditar...e reunir...
Você diz que se sente só...e eu digo-lhe que também eu me senti há muitos anos como você e apesar do caminho já percorrido ainda me sinto assim às vezes, nesta busca interna e eterna da Essência da Mulher!
Porque na verdade não há fraternidade nem eco entre as mulheres divididas à partida dentro delas mesmas e assim continuam em luta fora umas com as outras...pelos homens e pelos seus direitos, porque não há esse laço do Feminino Sagrado entre elas...porque elas se deconhecem na sua essência.

Sabe, as mulheres portuguesas não estão voltadas para a Deusa porque não se voltam para dentro delas mesmas. Porque preferem continuar voltadas para deus e os homens na busca da sua outra metade e negar a sua essência; porque se trata de essência feminina e não de movimentos feministas ou lutas por direitos e deveres...E aí reside uma enorme confusão nas mulheres, sejam elas feministas intelectuais ou feministas marxistas ou machistas simplesmente (quando dizem que são só "femininas"). Elas não sabem delas próprias, porque elas se esqueceram de quem eram; elas nao querem saber da sua história nem se movimentam na direcção das outras mulheres porque os seus interesses são os do mundo que as domina e subjuga, porque desconhecem o seu ser real e a sua natureza profunda e a negam por medo. Elas têm ainda medo de quem as torturou e matou, mesmo que não seja um medo consciente! Elas aprenderam ao longo dos tempos a negar-se a si mesmas e aos seus sentimentos e fizeram-no obrigadas, para sobreviver, e assim acabaram por se identificarem com o sistema patriarcal, aceitando a sua condição de subalternas e hoje em dia apenas se preocuparem não só com a casa e os maridos e filhos, mas também com o carro o ordenado e com as promoções sociais e tudo o que é mental e material, o consumo e a moda e não vêm que continuam a ser prisioneiras do sistema falocrático e dos seus esquemas e preconceitos. Elas julgam-se emancipadas porque já têm alguma liberdade e julgam que chegaram a uma grande evolução pois desfrutam de tudo o que existe e se apresenta como uma conquista sua...elas não olham as outras mulheres que vivem no mundo e são exploradas e maltratadas e se prostituem...elas não ouvem o seu coração nem a sua alma...

As mulheres tornaram-se naquilo que os homens quiseram...sem alma nem coração...assim elas não ouvem os seus gritos nem os das outras mulheres e fecham os olhos...e têm cancros da mama e do útero e alzimer e são histéricas e bipolares ou fazem operações plásticas e por aí adiante sem saber as causas verdadeiras das suas doenças que são apenas o seu medo e o negarem a sua essência verdadeira e a viverem desde que nascem fora da sua natureza, no padrão dos homens e das suas conquistas somente. Às suas conquistas, imagine-se o cúmulo, junta-se agora a luta por uma vaga nos fuzileiros porque acham que elas têm esse direito...o de matar com os homens sempre fizeram...

Na obra de Saramago são todos cegos, mas a mulher continua a ver, só que ela não sabe bem o que vê, pois vê o mundo dos homens a desmoronar-se...no lixo, na mentira e ilusão, na desumanidade e fome, nas pestes, no ódio e na guerra entre os humanos...ela também acaba por não perceber que a razão dessa cegueira no mundo...é só a falta da Deusa e da Mãe é a falta mulher verdadeira!

Ela devia ver que somos todos cegos, porque à Verdade e à Justiça como à mulher taparam-lhe os olhos os homens há muito tempo... rlp

A mulher e o poder...


"O feminino e o poder.

Ditas feiticeiras, partilhando um saber de poções e mesinhas na Antiguidade, são torturadas e queimadas na fogueira como bruxas a partir do séc. XV. Armelle Le Bras-Chopard, especialista em ciência política, com uma importante obra editada sobre o tema do poder e da sexualidade, distinguida aliás em 2000 com o Prémio Médicis Ensaio, edita um apaixonante trabalho sobre a caça às bruxas que durará até ao século XVII. Afinal, 80 % dos condenados à fogueira por conluios com o diabo e feitiçaria eram mulheres...

Porquê as mulheres? Uma pergunta a que a investigadora tenta responder estabelecendo surpreendentes paralelos com a forma como ainda hoje, em pleno séc. XXI, as mulheres são afastados do poder e da arena política. " (...)

"Atenta à íntima ligação entre a sexualidade e o poder, e como se pretendia afastar a mulher da esfera política e do poder de decisão, retirar-lhe autonomia e fazê-la sujeitar-se às leis escritas pelo homem, a autora proporciona-nos um documento único sobre a história da mulher e da sua ligação ao poder. Indo aliás mais longe, considera que esse afastamento da mulher do espaço político de decisão não se teria milagrosamente sublimado a partir dos finais do século XVII. Detecta e aponta - de forma bem objectiva e rigorosa - como ainda hoje a mulher é definida face ao poder. Por isso «As Putas do Diabo» se revela um documento de apaixonante e actual leitura." *

Onde quer que as igrejas tenham se instalado e aí exercido sua força - na América do Sul, nos Estados Unidos, na Europa e muitos outros lugares - onde quer que elas tenham fortemente dominado, mesmo que agora sua influência não seja mais tão forte, observa-se que existe um desequilíbrio em certas atividades humanas como, por exemplo, nos negócios, gerando um contexto no qual alguns poucos têm de sobra e muitos nada têm. E este é um dos resultados diretos da ação da Igreja.
Vocês verão que onde a Igreja marcou sua presença, existe muita energia sexual distorcida, na forma de estupro, incesto e perversão, ao invés do sexo bom, saudável e natural, pois a Igreja em si é profundamente infectada por este vírus da sexual energia. Onde a Igreja foi forte e influente, vocês perceberão que a energia da força vital e a paixão pela vida foram por ela sugadas de dentro das pessoas, as quais passaram a viver naquela mentalidade de "apenas o suficiente para sobreviver", porque, afinal, a Igreja passou a ser uma representação da fé e da confiança das pessoas...*
*Workshop Especial de Tobias em São Paulo, Brasil SHOUD do Dia 12 de Abril de 2008, de Adamus Saint-Germain, canalizado por Geoffrey Hoppe

quinta-feira, maio 22, 2008

o coração da energia mãe


O Brasil desempenha um papel particularmente importante em tudo isso, por ser o centro da Energia-Mãe para a Terra. A Energia-Mãe é a energia que essencialmente assumirá a responsabilidade por todos os seres vivos neste planeta e até mesmo por alguns daqueles que vocês conhecem como as fadas, os devas e os elfos das florestas. Os "quase-invisíveis"… Eles estão lá. Eles existem. Eles verdadeiramente existem. Este território e os povos da América do Sul serão o coração da Energia-Mãe, assumindo a responsabilidade pelo meio-ambiente.

Observem o que está acontecendo agora com o meio-ambiente. Não é surpresa que haja aquecimento, alterações e mudanças... Parte disto é algo natural. Não entrem em pânico. Nunca se planejou, por exemplo - e aqui nós faremos uma declaração ousada - jamais se tencionou que as superfícies polares da Antártica - ao sul - e as do Círculo Ártico - ao norte - fossem recobertas apenas por camadas de gelo. Tais regiões dispõem de tremendas capacidades para a agricultura e para a produção de energia. E, quando digo produção de energia, não me refiro ao petróleo, mas à produção de energia cristalina e produção magnética.
Não entrem em pânico por causa do meio-ambiente. Ao invés disso, assumam a responsabilidade por ele. Assumam a responsabilidade, porque quando Gaia finalmente partir, os seres humanos a deverão assumir integralmente.

Precisa haver um equilíbrio das florestas, a fim de se processarem os vários elementos atmosféricos. Todavia, além deste aspecto, as matas também são responsáveis por lidarem com uma tremenda quantidade de energia proveniente das emoções humanas e de seus processos psicológicos. As águas salgadas da Terra recobrem mais de 2/3 de sua superfície. Por que vocês acham que existe toda esta água salgada? Não é por acaso. A combinação dos sais e da água ajuda a absorver todo tipo de feridas - as emocionais, as psicológicas e as físicas, equilibrando, neutralizando e purificando as energias. E esta é a razão pela qual já lhes dissemos que se vocês precisarem remover toxinas de seus corpos físicos, tomem um banho com uma mistura leve de sal marinho natural. Além de removê-las, o banho neutralizará e purificará aquelas substâncias. E é por isso que existe tamanho volume de águas salgadas na Terra. Mas se elas ficarem poluídas e tiverem seu equilíbrio distorcido, não mais serão capazes de purificar, como agora o fazem - mudando as emoções, estabilizando as mentes e transmutando as coisas relacionadas aos traumas e dores que ocorrem sobre a Terra.

Este continente, no qual vocês vivem, guarda agora a Energia-Mãe da Terra. Além disso, ele possui valiosos recursos naturais, os quais cumprem o relevante propósito de tornar possível toda uma transformação da economia. A economia do continente, particularmente a do Brasil, está mudando muito rapidamente. E esta evolução continuará, pois aqui há seres humanos conscientes e iluminados, que estão se movimentando para que assim seja. Haverá toda uma redistribuição da riqueza, porém não através de uma abordagem comunista, mas de uma maneira natural. O Brasil e os países vizinhos são de fato importantes nesta Era da Nova Energia e se tornarão ainda mais importantes na liberação daquelas velhas energias das igrejas, bem como no desenvolvimento da nova consciência espiritual.
(excertos)
Workshop Especial de Tobias em São Paulo, Brasil SHOUD do Dia 12 de Abril de 2008, de Adamus Saint-Germain, canalizado por Geoffrey Hoppe

O conflito energético na Terra


Vocês estão agora testemunhando este tremendo conflito energético na Terra, o qual poderia de fato levar a mais conflitos físicos no planeta. Mas nós não estamos falando apenas de guerras, pois estas, na verdade, estão se tornando algo muito velho e fora de moda. As novas guerras são as aquisições e fusões entre companhias - do tipo hostil, é claro... Estas são as novas guerras: os conluios e as fraudes dos governos, os quais não são abertos nem honestos acerca dos arranjos e acordos que fazem uns com os outros. As novas guerras incluem até mesmo coisas como doenças em geral e as doenças das plantas, as quais afetam árvores, plantações e colheitas. Na esfera humana, as novas guerras são as doenças mentais como o Alzheimer, a depressão e a simples loucura. Estas são as novas guerras. Mísseis, balas e bombas atômicas estão se tornando coisas do passado.

Eis que agora, sobre a Terra, existe tal conflito... Mas a partir do conflito pode também sobrevir grande - e rápida - evolução... Quando há conflito ao redor, ele cria certo tipo de fricção e de desequilíbrio, mas ele pode ajudar a trazer o foco de atenção da consciência para as questões e coisas da Terra e da humanidade. E aquilo que vejo agora no âmago deste conflito de consciência na Terra é que os seres humanos estão implorando por uma solução espiritual, mais do que por qualquer outra coisa - mais que comida, riqueza, relacionamentos, bebida e todo o resto... E o que observo de minha perspectiva, a partir d'O Pico dos Anjos, é que os seres humanos querem uma resposta. Eles desejam saber que existe algo chamado Esperança, pois é através dela que podem surgir os novos sistemas, os quais oferecerão à humanidade novas e mais eficientes maneiras de viver, as quais não se baseiem no uso de combustíveis fósseis, nem se precise contar com vegetais e colheitas que careçam em nutrientes e cuja quota de proteínas não venha de animais mortos e sangrando...
(excertos)
Workshop Especial de Tobias em São Paulo, Brasil SHOUD do Dia 12 de Abril de 2008, de Adamus Saint-Germain, canalizado por Geoffrey Hoppe

quarta-feira, maio 21, 2008

A BELEZA DA ALMA


Milagre? Só sei que me salvei, fui teimosa o suficiente e resolvi ficar! Contrariei os médicos e a realidade, até a minha condição frágil e fui forte para lutar a favor da vida.

Escolhi viver porque fui escolhida. Hoje não tenho dúvidas de que nada acontece por acaso. Foi assim que começou a minha história. Surpreendi tudo e todos, com a ajuda d’Ele, superei as dores físicas e resisti.

Hoje, encaro tudo como se já soubesse que precisava de viver para fazer os outros felizes, dar-lhes o meu SORRISO e a chance aos que me geraram de me amarem durante muitos anos. Valeu a pena, eu fui teimosa e passei cada obstáculo do meu crescimento com uma fé inabalável em mim e em quem acreditava que eu era capaz.

Quem me conhece sabe que sempre me aceitei tal qual sou e gosto muito de mim assim... quando soube quem era e o que estava cá a fazer neste mundo, percebi que Deus tinha-me dado a chance de mostrar aos outros que valia a pena viver sob todas as circunstâncias e por isso aceitei o meu existir quase como uma missão.

Conheço bem o plano que está escrito para mim e todos os dias faço para o cumprir sendo eu própria. A infância foi a melhor possível e logo a partir do momento em que me conheci, encarei-me sem vergonha, o meu pensamento regia-se nisto: se cá estava era por algum motivo. Assim, independentemente da minha condição de vida, o importante é viver cada dia como se fosse o último e aproveitar a oportunidade que Alguém me ofereceu de partilhar as linhas da minha existência com quem continua a acreditar no meu viver.

Os anos passavam e as experiências iam sendo adaptadas ao quotidiano de qualquer criança comum: o deixar a fralda e a chucha, a primeira visita ao pediatra, a primeira refeição, o primeiro dia de escola, as primeiras férias, os primeiros contactos com os outros meninos, etc. As coisas boas conseguiam atenuar as faltas pouco a pouco mas...

só há algo que tenho pena de não ter feito: gostava de ter mamado pelo
peito da minha mãe
, não pelo sabor do leite, afinal nunca o provei, mas porque
se tal acontecesse era sinal que não tinham cortado a minha mais pura fonte de
sobrevivência
logo nas minhas primeiras horas de vida... mais um sinal da pouca
fé de todos na minha sobrevivência (secaram o leite à minha mãe com a
justificação de que já não valia a pena
).

No entanto, houve algo que por mais estranho que possa parecer eu não sinto falta nem nunca senti, o dia em que dei os meus primeiros passos... unicamente porque não os dei e porque jamais poderei dá-los!

MAFALDA RIBEIRO

A GRANDEZA HUMANA

APARÊNCIA

Aparentemente sou diferente!
Ou se calhar é só a minha aparência que espelha isso…
Uns, olham para mim e percebem que há qualquer coisa de invulgar,
Outros, olham para mim e automaticamente cegam às diferenças,
Se é que elas existem, para além da aparência.
Predispõe-se para me escutar… para me conhecer e às tantas a aparência já não significa absolutamente nada.
Esta é a minha experiência e a minha vivência, àqueles que passam a possível barreira da aparência e conseguem ler-me interiormente chamo-lhes amigos ou única e exclusivamente pessoas disponíveis.
Ainda há pessoas com a capacidade de se darem aos outros mesmo àqueles cuja aparência não siga os moldes e os parâmetros da chamada sociedade global.
Fomos todos criados com o mesmo propósito, o de marcar a diferença em algum momento da nossa vida.
Mas criou-se o apelidado Dia Internacional da Pessoa Deficiente…
Eu pergunto: é preciso assinalar-se um dia para distinguir os supostos seres humanos diferentes?
Afinal, somos todos diferentes, ou não?
Existem normais e anormais ou existem pessoas? Somos todos pessoas!
Com um coração que bate e sente independentemente de qualquer imagem ou qualquer aparência física.
E o mais importante é que todos nós consigamos ver com os olhos do coração,
No fundo, é ver e não ver ao mesmo tempo. Lidar com a aparência de alguém é conseguir transpor a ponte da embalagem para o interior.
Não fomos talhados só para observar mas para olhar alguém com profundidade. É ver muito para além do que pode ser visto, se calhar é darmos o salto para dentro de alguém e deixarmo-nos olhar…
É não cedermos a ilusão de um primeiro olhar, é deixarmo-nos ficar…
E depois quando finalmente temos a coragem de abrir a boca e perceber o que está para além de uma aparência é importante agir
Sem pena, sem compaixão, sem culpa e sem revolta.
Basta-nos agir com naturalidade…
E mostrar a alguém como eu, como tantos outros que habitam o nosso mundo, que não são precisos dias para se assinalar as diferenças quando todos os homens são diferentes.
Sejamos voluntários ao amor para que a palavra solidariedade ganhe um contorno muito mais natural do que o actual e a arte de ajudar sirva também para mudar o conceito que todos temos da palavra APARÊNCIA!

Mafalda Ribeiro

UMA ABERRAÇÃO HUMANA

(...)Hoje ao ler um artigo publicado em OGLOBO (o)line, deparo-me com a noticia de que os membros da câmara do parlamento britânico, rejeitaram a proposta que pretendia proibir a experiência em fetos híbridos, ou seja embriões formados apartir de estruturas animais e humanas. Caso para dizer, que quase dei um salto da cadeira. Porque de alguma forma me cheirou a perigo (remetendo à experiência acima contada) e vi logo o presente do futuro a transformar-se numa legião de homens animais. Quando sabemos de antemão que é difícil de dominar um animal, se o homem já pela sua natureza tem dificuldade em dominar-se, veja-se que se lhe ajunta uma estrutura animal sem consciência alguma e que age por si só, instintivamente seguindo a natureza do seu impulso, e agora que o lado animal seja mais activo nessa fusão!!??
O que poderá então surgir daqui? Uma aberração!! Uma genialidade monstruosa.

Se quando olho para trás e observo aqueles seres que vi, só posso ter um “ataque de coração” se isso vier acontecer!! Embora os cientistas digam que jamais se atreverão implantar os embriões em alguma mulher ou animal. Supostamente eles dizem que os embriões só estarão em laboratório por catorze dias, permitindo-lhes assim extrair as células tronco que darão origem a outras células de qualquer tipo. Tudo isto em prol da cura de certas doenças. Há quem discorde, já que segundo o jornal, alguns dizem, em especial Leigh que afirmou que o ser humano no seu embrião, tem a configuração genética completa e que não se deve fundir com a do animal.

Eu fico aqui a pensar, que se o homem é obsessivo e
está em eterna luta com o Poder absoluto de Deus, quem sabe se entre algum
desses cientistas não possa estar o famoso distúrbio do médico e do monstro “
Dr.Jekyll and Mr.Hyde” e que levado pela sua obsessão de descoberta não possa
vir a criar algo bizarro dessa fusão entre homem e animal??
O perigo está e estará sempre à espreita, ainda que todas as justificações sejam válidas e concisas em relação à descoberta de “milagres” medicinais para a cura das doenças, só que como diz a famosa frase popular “não há bela sem monstro”. Obviamente que há sempre um preço a pagar!! Ou tudo é dado de mão beijada??
Com tudo isto a minha imaginação levou-me a voar para países longínquos em que de facto isso acontecesse, essa fusão embrionária, que espécime de vida teríamos nós? No mínimo perigoso!! Não concordam? Quase que diria que nos depenávamos da nossa humanidade e da possibilidade de elevarmos a nossa condição divina. Ou estarei errada? (...)

O Lemurat foi criado para satisfazer a vontade das novas mulheres milionárias da China, que cada vez mais procuram animais exóticos e alternativos para mostrarem seu poder. Devido a alta demanda de animais combinados, as empresas de engenharia genética da China estão competindo entre si para ver quem leva a melhor. O lemurat é por enquanto o “produto” mais bem sucedido, devido ao baixo preço. É também um pouco mais feroz do que um gato comum, porém menos que um cachorro Chiuaua, e já possui até nome científico, que é Prolos Fira.

Caso para dizer, que isto só vai no adro estas experiências cientistas, se num destes aqui acima descritos, o autor diz que um deles foi só criado para afirmar que era possível o seu conceber, imagine-se que um dia os cientistas perdem a estribeiras e concebem o inconcebível? Uma aberração fora do controle humano?!! Então como é que ficamos?? Mais uma vez, a famosa frase: “não há bela sem monstro!”.
(excertos de comentários) de "UMA LEITORA DE MULHERES & DEUSAS"

NOTA: Cada vez mais penso que os médicos é que são os monstros e que a sua "ciência" reflecte isso mesmo... A evolução das espécies, incluindo a humana, sem a dimensão do espírito e sem alma, criam todas essas aberrações. rlp

COM UM SORRISO...


O Caminho é quente, é paixão, mas se eu não começo o Caminho pelo início, ele nunca vai ser suficientemente quente.


Como é que eu posso ouvir o perfume do meu ser se eu tenho esta inumanidade para comigo mesmo e para com os outros de estar constantemente a exigir coisas? Mesmo que eu exija com um sorriso, secretamente eu quero tirar um bocado daquela pessoa. E não há nenhum problema nisso desde que eu sinta, de facto, o perfume do meu ser.
Aquilo que nos vai salvar da sombra de nós mesmos ou do grande monstro mundial é só um sorriso. No fim é um sorriso que te abre a porta para a 4ª dimensão porque é o sorriso da auto conquista, o sorriso dos Budas, o sorriso da suprema refinação do ser, de um refinamento psico-afectivo profundo em que tu vais trazendo todo o teu ser para próximo do diamante e doa-lo ao mundo, depois trazes e doas ao mundo, trazes e doas, e o resultado desta alquimia, deste ir e vir, é um sorriso que os grandes seres reconhecem instantaneamente.
Este perfume tem que vir ao de cima e tu começas a perceber que é tudo tão precioso em ti! Quando é que o Universo vai fazer outra vez um ser como tu? Pode fazer um melhor mas um tão tosco/tão sublime como tu nunca mais consegue!
(...)
Há seres para os quais é muito importante recolherem-se em si mesmos até que o perfume comece a transpirar e esse perfume é o pacto eterno da alma pela personalidade, e quando tu consegues que esse perfume preencha toda a tua coluna... em termos psicológicos o que é a coluna vertebral? As nossas colunas estão rachadas pela base, porque tivemos infâncias difíceis, ou porque fomos parar a uma estúpida de uma incubadora e alguém desligou o interruptor, ou porque foi violado aos 4 anos, ou porque o pai tinha um complexo de autoridade... a pessoa não se esquece!
Esta coluna psicológica está toda em ruínas mas se um indivíduo consegue sentir o perfume, atravessar estas malhas todas, isso implica uma câmara. Neste momento ninguém se consegue perceber a si próprio se não for para dentro de uma cápsula.

...estas forças radiantes que nos animam e que nos dão a sensação de sermos amados, a doçura de uma alma que está aqui servindo e acompanhando a personalidade, sofrendo connosco. A alma tem uma parte na eternidade e uma parte no tempo. A parte que está no tempo está constantemente vibrando o Paraíso dentro do teu peito e sentindo as desfasagens entre a imagem da cidade celeste dentro de nós e os incríveis desfasamentos que a realidade socio-cultural é em relação a essa imagem sagrada, e o nosso psíquico sente todas essas dores!
Enquanto nós não conseguirmos sentir a doçura, o compromisso, o envolvimento da alma connosco, nós vamos para o mundo com uma fome que não tem fim.
É eu criar um espaço dentro de mim, inviolável por qualquer opinião alheia, em que eu aprendo a subtil arte de me amar a mim mesmo. Isto tem muito a ver com a energia de Shamunah que é uma força de amor, dourada, comprometida com o casamento entre a personalidade e a alma. É um casamento na criatividade, no erótico, na doçura, na arte e na responsabilidade perante os outros. Isto é a primeira fase da acção dele, depois ele pega nisto e leva o indivíduo para o casamento com o corpo de luz e depois, até ao casamento com o fogo sagrado na mónada.
(...)
André Louro de Almeida

terça-feira, maio 20, 2008

sem definição...

"Não existe uma definição para uma mulher, uma mulher é uma experiência, uma energia feminina que tece, que é tecida, que é desfeita e se movimenta."
in A Tecelã
Quero escrever o borrão vermelho de sangue
com as gotas e coágulos pingando
de dentro para dentro.
Quero escrever amarelo-ouro
com raios de translucidez.
Que não me entendam
pouco-se-me-dá.
Nada tenho a perder.
Jogo tudo na violência
que sempre me povoou,
o grito áspero e agudo e prolongado,
o grito que eu,
por falso respeito humano,
não dei.
Mas aqui vai o meu berro
me rasgando as profundas entranhas
de onde brota o estertor ambicionado.Quero abarcar o mundo
com o terremoto causado pelo grito.
O clímax de minha vida será a morte.
Quero escrever noções
sem o uso abusivo da palavra.
Só me resta ficar nua:
nada tenho mais a perder.
Clarice Lispector
*************
Porque às vezes também tenho vontade de berrar e me calo...ou escrevo no silêncio da manhã...

segunda-feira, maio 19, 2008

POR LAS ANCIANAS


Pelo alinhamento das Grandes Forças da Criação, da Grande Mãe, pelas poderosas Matreiras, Matriarcas, das Abuelitas, das Grandiosas Avós, pelas Velhas “Perigosas” e por todas as Idosas que tecem uma vida vigorosa preenchendo a trama da vida com um fio de ousadia, dois de impetuosidade e três de sabedoria...
Por Las Ancianas...


Mirella Faur
&
Sabrina Alves

convidam você Mulher para a
A Jornada Espiritual da Menopausa
O fogo da transformação e da sabedoria
A mulher no limiar de dois mundos

“A menopausa é a carta de alforria para as feiticeiras, que vêem no tempo seu grande aliado,
e não o maior inimigo como pensam as peruas.”

(Roqueira Rita Lee, mulher sábia)

A LÍNGUA DE NASCENÇA...


Vinte e cinco mil pessoas manifestaram-se ontem em Santiago de Compostela, na Galiza, em defesa da língua galega, criticando a alegada tentativa estatal de impor o uso do castelhano naquela região autónoma espanhola.

"O que nós exigimos, acima de tudo, é o reconhecimento da condição internacional da nossa língua, que é falada por centenas de milhões de pessoas no mundo, quer como língua nativa, como é o caso dos galegos, quer como língua oficial de oito Estados", disse, à Lusa, Alexandre Banhos Campo, um dos principais mentores desta manifestação."
A nossa língua não é regional nem dialectal, mas sim internacional. O galego é o português da Galiza, e o que nós queremos é que o galego se confunda com o português, mantendo, obviamente, as suas especificidades próprias", acrescentou.Alexandre Campo, responsável da Associação Galega da Língua, recordou que o Norte de Portugal e a Galiza foram "o berço da lusofonia", frisando que "o português original era a língua que se falava no século IX entre as cidades do Porto e Santiago de Compostela". Por isso mesmo, reiterou a necessidade de "o galego se confundir com o português", mantendo, no entanto, as suas especificidades próprias."

No Rio de Janeiro fala-se de uma forma diferente da que se fala em Lisboa, mas ninguém duvida que são as duas português", frisou o activista galego.

A manifestação de ontem, que decorreu sob o lema "Pelo direito de vivermos em galego", juntou cerca de 500 associações, sindicatos e movimentos, tendo bloqueado por completo, durante quase duas horas, o trânsito no casco velho de Santiago de Compostela. in dn
***
Eu a julgar que era uma manifestação em Lisboa, mas afinal era na Galiza...

A DECOMPOSIÇÃO DA LINGUA




“É possível que um determinado estado de confusão, desordem e decadência do pensamento leve a uma decomposição da linguagem...

(...)
Podem ficar certos de que quando o vocabulário de lixo ou simplesmente desvitalizado, desvirtuado do seu sentido, se torna no alimento quotidiano e portanto banal para todo um povo, é o sinal que este entra em fase de autodestruição.”
(...)


TODOS OS POLÍTICOS USAM VOCABULÁRIO DE LIXO...
Todos os políticos são desiquilibrados pela mania e uso abusivo do poder.
***
"Quanto à "besta", tal como foi chamada, trata-se do ser não iluminado, existente em cada um de vós. Foi apelidado de "besta" devido às potenciais acções que os líderes desequilibrados tomarão durante os próximos tempos de realinhamento...como sendo a "besta" que, de entre vós, devorasse a paz.·

Portanto os desequilibrados têm a marca da besta potencial." KRYON
***

*"O Acordo Ortográfico tem como primeira consequência a criação de uma nova norma ortográfica. Tínhamos duas normas, a brasileira e a portuguesa. Agora passamos a ter três: a brasileira, a portuguesa e a do acordo ortográfico. O que faz sentido. A língua é uma forma de reforçar a identidade de um grupo. A nova norma do acordo ortográfico serve para reforçar a identidade dos burocratas da língua. Tínhamos duas comunidades linguísticas que se entendiam perfeitamente. Vamos ter três. A função da terceira é confundir o que estava claríssimo."

* publicado em: BLASFÉMIAS http://blasfemias.net/2008/04/07/acordo-ortografico/

domingo, maio 18, 2008

Clã dos Ciclos Sagrados


Clã dos Ciclos Sagrados Mulheres em circulo para honrar seus ciclos!

Clã dos Ciclos Sagrados é um trabalho engajado no “empoderamento” da mulher por meio da tomada de consciência do seu poder de vida-morte-vida revelado mensalmente pela MENSTRUAÇÃO, potencializando o Feminino total, a fim de alinhar capacidades e metas, para concretização dos objetivos pessoais, espirituais, sociais e profissionais, unindo mitologia e simbologia arquetípica, terapia (massagem, leitura corporal, suplementos, exercícios, nutrição, ervas, banhos, abiosorventes - o sangrando consciente para o planeta), ecofeminismo e o resgate da espiritualidade feminina (Thealogia).

Em um nível biológico, as mulheres são diferentes:
nós temos um ciclo lunar e possuímos os mistérios sanguíneos em nós! Nascimento,
crescimento, menstruação, sexualidade, gestação, amamentação e
morte.
Somos capazes de carregar e nutrir outra vida dentro de nós, de dar à luz e amamentar com o nosso corpo. Esse é um aspecto de vida-morte-vida, miraculoso das mulheres. Esse ciclo lunar interior, ou o CICLO MENSTRUAL, que afeta nossa energia, nossas idéias, nossas emoções é a Matriz de nossa própria natureza. Esse ciclo Lunar afeta a maioria das mulheres e, também, aos homens, por intermédio do seu lado contra-sexual, e de forma consciente, pode trazer grandes benefícios ao individuo mulher, à família à comunidade e ao planeta. Trata-se da tomada de consciência do poder desta magnífica energia menstrual que deve ser canalizada de maneira positiva. Esse poder gerado é uma energia forte, e quando não é focalizada e utilizada corretamente, vai para algum lugar imprevisível e pode ter um efeito desastroso. Energia é informação; sempre vai aparecer em alguma parte, se não lhe é permitido fluir através da força vital do sentido da criação, ela aparece no corpo como sintomas de doenças ou na vida emocional, como problemas de relacionamento.

Clã dos Ciclos Sagrados é um trabalho poderoso e transformacional. Um processo para todas as fases e faces da mulher, ensinando o retorno ao Sagrado Feminino Essencial. Como acontece: Toda a experiência de iniciação merece a devida atenção.
**************

Um trabalho engajado no “empoderamento” da mulher por meio da tomada de consciência do seu poder de vida-morte-vida revelado mensalmente pela MENSTRUAÇÃO e os mistérios de sangue (nascimento, menarca, sexualidade, gestação/ nutrição, climatério). Tem por objetivo potencializar a estrutura total do Feminino unindo conhecimento ancestral às necessidades da contemporaneidade, além de mitologia e simbologia arquetípica, terapia (massagem, leitura corporal, suplementos, exercícios, ervas, banhos, abiosorventes - o sangrando consciente para o planeta), arteterapia, ecofeminismo e o resgate da espiritualidade feminina (Thealogia).
Clã dos Ciclos Sagrados está em conexão ancorando e reverberando com as Redes Sulamericanas: **Conciencia, Mujer, Solidaridad e **Circulo Matriztico

Abençoados sejam todas as mulheres e seus Úteros Para saber mais acesse: http://www.cladosciclossagrados.com/

Contato: Sabrina Alves e-mail: cladosciclossagrados@yahoo.com.br