sexta-feira, outubro 31, 2008

AS BRUXAS ERAM MULHERES & DEUSAS...

"A SOMBRA FOI TÃO AMADA
QUE ELA SE TORNOU CLARIDADE"...


Marie Elia in O LIVRO DO ESPLENDOR
*
MULHERES ACORDEM PARA
O NOVO TEMPLO DA DEUSA

"As mulheres honram o seu Caminho Sagrado quando se dão conta do conhecimento intuitivo inerente a sua natureza receptiva. As mulheres precisam aprender a amar, compreender, e, desta forma, curar umas às outras. Cada uma delas pode penetrar no silêncio do próprio coração para que lhe seja revelada a beleza do recolhimento e da receptividade".
Jamie Sams
*
“O poder da Deusa, que se manifesta por meio das mulheres, é uma matriz emocional que convida a uma fusão ou simbiose inconsciente e transmite uma sensação de “chegada a casa”. Jean Shinoda Bolen
*
«Este conhecimento existe no seu espírito, no seu coração. Seja capaz de acordá-lo». H. R.
*
“As conexões com e entre as mulheres são as mais temíveis, mais problemáticas e as forças mais potencialmente transformadoras do planeta.” Adrienne Rich
*
"A vitalidade esvaída das mulheres pode ser restaurada por meio de extensas escavações "psíquico-arqueológicas" nas ruínas do mundo subterrâneo feminino." Clarissa Pinkola Estés

MULHERES SEM ROSTO

A HUMANIDADE MULHER DEVIA ESTAR EM LUTO PELAS MULHERES DO MUNDO SEM IDENTIDADE

"A MULHER DE KYSMAYU É TODAS AS MULHERES" f.c.


"É como se estas mulheres nunca tivessem existido."F.C.
***
"Mas a mulher de Kismayu está morta. Ainda hão-de ter-lhe cuspido o cadáver, arrastado os restos para um buraco onde a comerão os bichos. A mulher de Kismayu não existia para quem a matou senão como abominação e exemplo. A mulher de Kismayu é todas as mulheres, homens e crianças que um versículo satânico condenou à fogueira, à lapidação, à tortura mais atroz para glória de uma ideia de universo, de uma ideia de bem."
**
FERNANDA CÂNCIO

BEM VISTO POR UMA MULHER...DE CORAGEM!


VISTO DO DEUTERONÓMIO


Fernanda Câncio

Jornalista - fernanda.m.cancio@dn.pt

Aconteceu um destes dias. "Os extremistas islâmicos da Somália executaram uma jovem de 23 anos, por lapidação. A mulher foi acusada por adultério na localidade Kismayu, no Sul do país."


A mulher não tem nome, quem a matou também não, a história tem dez linhas. Não há imagens nem entrevistas, nada daquilo que faz "o interesse humano". Não é pois uma grande notícia, morrer à pedrada. Pedra após pedra da mão de gente que ainda ontem talvez nos dissesse olá, que ainda ontem era um vizinho ou um primo ou um irmão, que ainda ontem julgávamos amigo. Mas morremos ali, cercados como por lobos, golpe após golpe. Nenhum profeta para entrar no círculo e suster o massacre com uma parábola, nenhum sinal divino, nenhum raio a fulminar os monstros. E depois nenhum julgamento, nenhum castigo.

É como se estas mulheres nunca tivessem existido.
(...)

Uma ideia de bem, sim, Bem com capitular, letra grande, reverência e vénia. Bem, isto. Palavra de um deus qualquer traduzida por um tipo qualquer num pergaminho qualquer. Não, não digam que o Alcorão não diz que se devem matar os infiéis. Não digam que a Bíblia não diz que se devem matar os infiéis. Não digam que é má interpretação.
Não digam que as religiões são amor e quem as
estraga são os homens: as religiões são feitas, construídas, sonhadas, e ditadas
por quem as pratica, por quem diz e crê que nos livros que mandam matar está a
palavra de deus, a palavra que não pode ser contrariada, discutida, reflectida,
abjurada.
Não é decerto por acaso que nunca se ouviu um mullah lançar uma fatwa contra quem lapida mulheres. Não é por acaso que nunca se ouviu o papa pedir desculpa às mulheres, em nome da instituição que representa, pela perseguição, tortura e morte de "bruxas", adúlteras, mães solteiras, todas as que tiveram o azar de irritar os santos homens e a sua ideia de santa mulher. Há muçulmanos boas pessoas, em horror ante Kismayu? Claro. Há católicos que não se reconhecem no Deuteronómio. Mas, vistos do Deuteronómio e da sua infinita crueldade, são infiéis como os outros.


LEIA NA TOTALIDADE:

HALLOWEEN IN AMERICA...


"Celtas inventaram o Halloween para celebrar os espíritos de seus mortos
A festa nasceu pagã, mas foi alterada pela Igreja Católica.

Aspectos ‘assustadores’ da comemoração foram uma contribuição cristã."

“O Halloween como o conhecemos hoje vem da época em que os missionários cristãos tentaram mudar as práticas religiosas dos celtas”, analisa Santino. Para substituir a festa pagã do “Samhain” por uma comemoração cristã, a Igreja Católica determinou que o 1º de novembro seria o Dia de Todos os Santos (All Saint’s Day), também chamado de All-hallows. A véspera, portanto, era chamada de All-Hallows Eve, que depois virou Halloween.
( Excerto de Paula Adamo Idoeta Do G1, em São Paulo)

Os celtas não inventaram…eles respeitavam e evocavam em consciência da vida e da morte como os dois lados da existência humana, e ligavam-se nessa noite, sem transição, ao outro lado do véu…e o que para os católicos se tornou pagão era o verdadeiro sagrado antes. O Sagrado da Vida e da Morte, o Sagrado da Terra e da Natureza, o sagrado do amor, do sexo e da mulher, tudo o que eles perverteram ao seu catolicismo de medo e pecado…para afastar as pessoas da sua essência e acesso a outras dimensões…
E de facto quem diabolizou os aspectos da natureza e da mulher foi o cristianismo depois de Cristo…não Cristo que se rodeou de mulheres…

Nos nossos dias assistimos a essa palhaçada típica americana de alienação e ficção burlesca…abóboras pintadas e dentes podres da bruxas horrendas de preto…de vassoura na mão, a varrer os ares…que pena mesmo elas não varrerem esses espíritos beatos católicos que destruiram tudo o que era natural e são…

As abóboras ocas e recortadas, outro ícone do Halloween, são tipicamente norte-americanas. “Uma lenda celta dizia que um espírito que não conseguia ir nem ao céu nem ao inferno usou uma lanterna para guiar-se. Os irlandeses, ao imigrar aos Estados Unidos, conheceram as abóboras e perceberam que, ocas, elas também funcionavam bem como lanternas e continuaram assim a tradição”, diz Santino.
****
Origem Cristã

Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar “Todos os Mártires”. Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (panteão) num templo cristão e o dedicou a “Todos os Santos”, a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III(† 741) mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e “All Hallow Een” até chegar à palavra atual “Halloween”.

in Vikipédia

quinta-feira, outubro 30, 2008

Quando as Mulheres eram deusas e sacerdotisas...


"ÉS UM JARDIM FECHADO MINHA IRMÃ-NOIVA,
ÉS UM JARDIM FECHADO, UMA FONTE SELADA..."
in Cântico dos Cânticos

"Através de práticas e conhecimentos transmitidos pelas Sacerdotisas das regiões sagradas do Altai, do Tibel, do Egito Antigo, segredos são revelados sobre a Essência Feminina.
Cada mulher traz em si grande força e beleza. Isso é natural! Mas, as regras de beleza e encanto feminino impostos pela sociedade tornaram essa busca superficial, baseada em factores externos e, consequentemente, sem sentido.


E, já há algum tempo a mulher se vê em estado de desarmonia interior, pois não sente os benefícios que sua feminilidade por certo, traria, não só para si, mas a todos ao seu redor. Para alcançar este estado elevado ela precisa cultivar sua condição feminina de forma concreta, consciente e coerente com sua Essência.
Mas, nem sempre foi assim.

Nos tempos antigos, mas sociedades do Egipto, Bizâncio, Índia, mulheres da alta sociedade conheciam os segredos de como encontrar e manter sua identidade e Essência feminina. Inteligência, emoção, intuição, flexibilidade, contactos, beleza, fascínio e encantamento são características naturais de toda mulher. Naquelas sociedades toda mulher era considerada DEUSA e atraía as mais positivas vibrações para a sua vida: beleza, suavidade, juventude, um parceiro ideal.
Ela era ensinada pelas Sacerdotisas: a maneira de se vestir, de usar a maquilhagem, o perfume, os gestos, como atrair o homem ideal de acordo com sua individualidade e Essência mais profunda.Podemos lembrar que era natural que as mulheres desfrutassem forte sensibilidade e intuição, sentiam e percebiam como estava seu filho, qual o estado de seu marido e realizavam significativos rituais para o encontro amoroso.
A mulher, naturalmente, levava esse estado de harmonia para a família, para a comunidade e a todos as ambientes. Através do tempo esse encanto vem se perdendo e, pode-se afirmar que, actualmente, vemos muitas mulheres que não conseguem se realizar e serem felizes em seus relacionamentos, atraem doenças, perdem o desejo sexual, tem envelhecimento precoce, perdem totalmente a juventude do corpo e, principalmente, a juventude interior.
A mulher não depende de factores externos a ela para desfrutar destas propriedades, pois é sua Shakti que concede estas qualidades ao mundo. É a partir de Shakti que a beleza, a felicidade na família, a harmonia nos relacionamentos, a prosperidade nos negócios e tudo o mais é construído. E se isso estiver estagnado, tudo o mais estará.
(…)
Este conhecimento agora está sendo resgatado...
(republicando )

Em relação ao texto abaixo...


EU NÃO CONCORDO COM O TÍTULO DE PROSTITUTA TRANSCENDENTAL ...
QUANDO MUITO DEVIAM SER INTITULADAS "PROSTITUTAS DE FIO DENTAL"...
*
Nem concordo com a ideia de "orgasmos metafísicos", porque estas mulheres nada têm de transcendentes ou metafísicas...elas são bem físicas e pouco transcendentes. Não façamos confusão...elas são sobretudo de silicone, são a resposta directa àquilo que a sociedade falocrática e machista fez delas: produtos de "plástico" e alienadas da sua essência. Foi essa imagem, que agora até assusta os homens, que eles fabricaram e activaram através da sua propaganda e escolas...de samba...e telenovelas.
*
A mulher só bunda...ou só seios...para infantilóides e mentecaptos, produtores de televisão e publicitários gays, que sonham ser mulheres...
*
Estas mulheres não almejariam ser Valentinas e Barbarelas ou Tiazinhas sem o imaginário falocrático, macho-gay...foi isso que a sociedade patriarcal lhes deu como liberdade...depois de as esvaziarem das suas entranhas eles "rechearam-na com o falo transcendente” ...e é com esse falo que elas sonham e sentem...assim virou-se o feitiço contra o feiticeiro e são eles que já não aguentam o enxerto que fizeram nas mulheres...A máquina de prazer sem alma que são hoje as mulheres correspondem às mulheres que os homens criaram...Nasceram da sua cabeça...são frutos não do ventre da Mãe mas da perna de Zeus...
*
Na sua tradição, como tenho dito, Deusa criou a Mulher mas o Homem criou a puta...e agora queixam-se...da mulher que se transformou apenas naquilo que eles quiseram...
rlp

QUEM FEZ DAS MULHERES SÍMBOLOS SEXUAIS ??

Prostituta Trascendental...
*
"Outro dia, a Adriane Galisteu deu uma entrevista dizendo que os homens não querem namorar as mulheres que são símbolos sexuais. É isto mesmo. Quem ousa namorar a Feiticeira ou a Tiazinha?
*
As mulheres não são mais para amar; nem para casar. São para "ver". Que nos prometem elas, com suas formas perfeitas por anabolizantes e silicones?
*
Prometem-nos um prazer impossível, um orgasmo metafísico, para o qual os homens não estão preparados... As mulheres dançam frenéticas na TV, com bundas cada vez mais malhadas, com seios imensos, girando em cima de garrafas, enquanto ospênis-espectadores se sentem apavorados e murchos diante de tanta gostosura.
Os machos estão com medo das"mulheres-liquidificador".
O modelo da mulher de hoje, que nossas filhas ou irmãs almejam ser (meu Deus!),
é a prostituta transcendental, a mulher-robô,a "Valentina", a"Barbarela", a máquina de-prazer sem alma.
(...)
A atual "revolução da vulgaridade", regada a pagode, parece "libertar"as mulheres. Ilusão à toa. A "libertação da mulher"numa sociedade escravista como a nossa deu nisso: Superobjetos. Se achando livres, mas aprisionadas numa exterioridade corporal que apenas esconde pobres meninas famintas de amor, carinho e dinheiro." - Arnaldo Jabor Jornalista e escritor (28/07/2006)

quarta-feira, outubro 29, 2008

MILHARES DE FRAGMENTOS DE LUZ


Física quântica aplicada à era da consciência - Silvia Malamud


SOMOS CONSCIÊNCIAS MULTIMODAIS COEXISTINDO EM DIVERSAS REALIDADES:

"Somos compostos por milhares de fragmentos de luz, que estão simultaneamente em diversas realidades habitando outros tempos e histórias.


Estamos todos agindo simultaneamente, ora como participantes inseridos dentro de um suposto contexto, ora como observadores neste imenso show.

Somos os actores de nós mesmos, por isso é que necessitamos de saber com clareza e responsabilidade sobre o modo como estamos actuando em cada instante, podendo assim desenvolver as nossas habilidades e sermos os senhores criadores das nossas realidades com total consciência, deixando de ser definitivamente seres autómatos.

Por isso é altamente relevante a importância da busca sincera e da participação lúcida onde quer que possamos estar. Sempre exigindo de nós mesmos a consciência da totalidade."



SÓ O PODER DA LUZ


NÃO TE ESQUEÇAS

“Não esqueças, que só o poder da Luz é capaz de purificar as energias pesadas e libertar a tua alma, mas compete ao teu livre arbítrio abrir-lhe as portas do teu ser, através da tua tomada de consciência e pela tua pela determinação em te entregares inteiramente à sua acção. Se Ela se torna o Essencial aos teus olhos, ela levantará para ti o véu das aparências. Tu não voltarás a cair nas armadilhas da ilusão."

Marie Elia - Les Rencontres Avec La Splendeur - A.L.T.E.S.S

A MÃE DIVIDIDA



" AS trevas estavam em todo o lado, envolviam tudo.

Nessa noite, nessa escuridão, a Mãe dividiu-se em duas: pariu uma filha igual a si própria: Ou da Mãe dividida resultaram duas filhas iguais.
Mas as divisões instantâneas tornaram-se impossíveis, tão grandes eram as mães e as filhas. A divisão em duas, ou mais, partes iguais durava um século. Era o século de dor e de morte, até que a vida voltasse a brilhar, agora duplicada.

Para economizar esse tempo de morte, isto é, para que a vida não fosse constantemente interrompida por brutais cisões, as mães – e as filhas, toda aquela imensidão de irmãs gémeas – inventaram um novo processo mágico: uma minúscula parte de si próprias, onde se encontravam as características do todo como linhas convergindo para um ponto, separava-se; nas linhas convergentes o movimento retrocedia. O ponto era arrastado naquele movimento, agora divergente, e nova reprodução da mãe aparecia, igual a tantas outras.
(…)
A Mãe encolheu-se em fundo escuro.


As mulheres caladas, escondidas atrás das portas, das cortinas. A histeria, discurso do útero, só tem lugar na loucura. A Mãe foi cuidadosamente embalsamada: retiram-se todas as tripas, e rechearam-na com o falo transcendente.”

Isabel Barreno, A Morte da Mãe, ed. Caminho

terça-feira, outubro 28, 2008

COMO PODEM SER OS HOMENS TÃO BRUTAIS


PORQUÊ


“Porque motivos nós caçamos e perseguimos uns aos outros? Porque motivo o nosso mundo se encontra cheio de infame desumanidade do homem para com o homem - e para com a mulher?
*
Como podem os seres humanos ser tão brutais para com a sua própria espécie?
Que razão existe para a nossa crónica inclinação para acrueldade ao invés da bondade, para a guerra em vez da paz, para a destruição em vez da construção?

*
De todas as formas de vida do planeta, só nós podemos semear e colher,
compor música e poesia, ensinar uma criança a ler e escrever - ou mesmo a rir e a
chorar. Devido à nossa capacidade única de imaginar novas realidades, e realiza-las através de tecnologias cada vez mais avançadas, somos literalmente parceirosda nossa própria evolução. E, no entanto, essa mesma espécie portentosa que é anossa parece agora apostada em por fim não apenas à sua própria evolução, comoda maior parte da vida no nosso globo, ameaçando o planeta com a catástrofeecológica ou o aniquilamento nuclear.”


In Riane Eisler, O Cálice e a Espada, Via Óptima: Porto, 2003, pag. XIII

domingo, outubro 26, 2008

TENHO DOIS SEGUIDORES...

JOSAPHAT
E
LUCIA CONDE

OBRIGADA A AMBOS PELA CONFIANÇA
«««««««««««

OS MEUS LIVROS >>>
*
AS MULHERES NA PERIFERIA DA CULTURA
“ Na verdade, as mulheres têm vivido apenas no domínio pessoal, na periferia da cultura do Ocidente, em funções fortemente circunscritas, frequentemente subordinadas a homens, posição social, filhos etc., ocultando sua necessidade de poder e paixão, vivendo em segurança e secundariamente na relação com nomes sobrecarregados, nos quais se projectou todo o poder que a cultura legitima para eles. O que se tornou assim comportamento colectivamente aceitável para as mulheres, perdeu a conexão com o sagrado, ao mesmo tempo em que a estatura da Deusa era reduzida. Tornou-se cada vez mais hiperbólico o superego patriarcal, originalmente necessário para inculcar a sensibilidade ética; a seguir, esse superego foi fortalecido pela Igreja cristã institucional, com o fim de disciplinar as emoções tribais e selvagens do mundo medieval. A partir da mudança do Utilitarismo e da época Vitoriana, o superego que comprimiu e reprimiu durante tanto tempo essas energias vitais, que agora elas têm de irromper, forçando entre outras coisas, o retorno da Deusa à cultura ocidental.”
*
in Caminho para a Iniciação Feminina - Sylvia B. Perera

UM AMIGO DE SAFO...


frag. 21

o doce feitiço destes cantos
eu vou tecer para as amigas


frag.30

antigamente, era assim que dançavam
a essa hora, as mulheres de Kreta;
ao som da música, ao redor do altar sagrado
dançavam, calcando sob os pés delicados
as flores tenras da relva



frag.42

entrelaça, com as mãos delicadas, guirlandas
de ramos de anis, e enfeita, ó Dika,
teus lindos cabelos; fogem as Khárites divinas
da moça que vem sem guirlandas, pois gostam
das preces trançadas no brilho das cores



UM AMIGO: http://umquetoque.blogspot.com/

BAUBO, A DEUSA DO VENTRE

OUÇAM A NOSSA HISTÓRIA...
(…)

“Esta é a minha versão de Baubo que ainda cintila na mitologia grega pós matriarcal e nos hinos homéricos:

Deméter, a mãe-terra, tinha uma linda filha chamada Perséfone, que estava um dia a brincar ao ar livre. Perséfone encontrou por acaso uma flor de rara beleza e estendeu os dedos para tocar o seu lindo cálice. De repente, a terra começou a tremer e uma gigantesca fenda abriu-se em ziguezague. Das profundezas da terra chegou Hades, o deus dos Infernos. Ele chegou alto e majestosos numa biga negra puxada por quatro cavalos da cor de fantasmas.
Hades apanhou Perséfone, levando-a no meio de uma confusão de véus e sandálias.
Ele guiou, então seus cavalos cada vez mais para dentro da terra. Os gritos de Perséfone foram ficando cada vez mais fracos à medida que a fenda se foi fechando como se nada tivesse acontecido.
Por toda a terra se abateu um silêncio e perfume de flores esmagadas....
Não se via Perséfone em parte alguma.
...E assim começou a procura longa e enlouquecida de Deméter pela sua filha querida.
...E quando recostou o seu corpo dorido na pedra fresca de um poço, chegou ali uma mulher, ou melhor, uma espécie de mulher.

E essa mulher chegou dançando até Deméter, balançando os quadris de um jeito que sugeria a relação sexual, e balançando os seios nessa sua pequena dança. E, quando Deméter a viu, não pôde deixar de sorrir um pouco.

A fêmea que dançava era realmente mágica, pois não tinha nenhum tipo de cabeça, seus mamilos eram seus olhos e a sua vulva era a sua boca. Foi com essa boquinha que ela começou a regalar Deméter com algumas piadas picantes e engraçada. Deméter começou a sorrir, depois deu um risinho abafado e em seguida uma boa gargalhada. Juntas, as duas mulheres riram, a pequena deusa do ventre, Baubo, e a poderosa deusa mãe da terra, Deméter.
E foi exactamente esse riso que tirou Deméter da sua depressão e lhe deu energia para prosseguir a sua busca pela filha, que acabou em suceo, com a ajuda de Baubo, da velha Hecáte, e do sol Hélios. Restituiram Perséfone à sua mãe. O mundo, a terra e o ventre das mulheres voltaram a vicejar."

Clarissa Pinkola Estés, em "Mulheres que correm com Lobos (via Internet)

(http://www.wildwolfwomen.com/index.htm)

sábado, outubro 25, 2008

A FORÇA DO FEMININO

E A CEGUEIRA DOS HOMENS...

Comentário:

Oi Rosa, acompanho teu blog todos os dias aqui no Brasil, e agradeço as tuas palavras o despertar de minha consciência da força feminina. Além de te parabenizar, gostaria de que fizesses um comentário sobre o maravilhoso filme que assisti ontem com minhas filhas, Ensaio Sobre a Cegueira, do mestre Saramago.


Neste filme onde transparece a força da Mulher, como ela é usada, ferida, sempre ressaltando a figura feminina no papel da personagem principal interpretada magistralmente pela atriz Juliane Moore.
Neste filme pude correlacionar todas as mensagens passadas através do teu blog.
Abraços e que sejas sempre abençoada pela Deusa!!!

Continue sempre escrevendo!!!

Anne G.V. Paim


Minha amiga:

Muito obrigada pelas sua palavras...Gostaria de faze o comentário que me pede, mas eu não vi ainda o filme. Mas de facto pelo livro vemos como a única pessoa que vê é a mulher...Podiamos o dizer que intuitivamente Saramago sabe que a mulher é a Vidente...e como ele diz num dos seus livros:

"... É a grande, interminável conversa das mulheres, parece coisa nenhuma, isto pensam os homens, nem eles imaginam que esta conversa é que segura o mundo na sua órbita, não fosse falarem as mulheres umas com as outras, já os homens teriam perdido o sentido da casa e do planeta..."

(in O Memorial do Convento)

Está Acontecendo Agora

(...)
"Agora, alguns de vocês podem questionar isso porque em vidas passadas
as mudanças ocorreram durante os tempos de guerra, a maior parte delas, ou em períodos de fome. Essas eram as duas maneiras de acontecer mudanças. Mas aqui vocês não vão ver o tipo de guerras que viram no passado. Verão todo um jeito diferente de mudar a consciência.
Para aqueles que esperam 2012, vocês vão perder a diversão. Vão perder a festa porque ela está acontecendo agora. Isso começou – as verdadeiras e profundas mudanças começaram um ano atrás. Oh, elas estão em construção há um longo tempo, mas a transformação real na consciência das vibrações da Velha Energia para a expansão da Nova Energia começou há um ano e olhem o que transpirou desde então. Se você aguarda 2012 para uma grande mudança, terá perdido a coisa toda.

Nos próximos quatro anos em especial vocês verão coisas muito difíceis, desafiadoras. Verão uma velha consciência na Terra desenredar-se, fragmentar-se. E sim, haverá pânico. Haverá medo, e muitos, muitos recorrerão ao roubo, seja dinheiro, seja roubando energia e consciência de outras pessoas, seja roubando suas propriedades. Vocês vão ver um bocado disso acontecer.
Os próximos quatro anos serão um tempo para vocês estar em equilíbrio, para trazer de dentro de si tudo que você aprendeu, tudo que você ganhou em sabedoria, tudo que você já sabe dentro de si. Os próximos quatro anos vão ser um tempo de parar de se esconder, fingindo ser uma vítima, parar de fingir que está esperando mais alguma coisa. Pare de fingir que você tem que aprender mais, que tem que passar por todos esses rituais e cerimônias para se tornar um humano da Nova Energia. Você está bem aqui, agora, hoje. Não há nada que esteja perdendo além da verdadeira confiança em si mesmo.
O que você está vendo acontecer pelo mundo todo agora, a toda a sua volta é uma profunda perda de confiança – perda de confiança nos velhos sistemas, nas velhas organizações, perda de confiança no governo e sua fragmentação." (...)

in Adeus ao Poder - Tobias - Circulo de Carmesim
(eu não comento...mas você pode comentar...)

sexta-feira, outubro 24, 2008

ONDE VIVE A MULHER SELVAGEM


“E então o que é a Mulher Selvagem? Do ponto de vista da psicologia arquetípica, bem como pela tradição das contadoras de histórias, ela é a alma feminina. No entanto ela é mais do que isso. Ela é a origem do feminino. Ela é tudo o que for instintivo, tanto no mundo visível quanto do mundo oculto - ela é a base. Cada uma de nós recebe uma célula refulgente que contém todos os instintos e conhecimentos necessários para a nossa vida.
(...)

Ela é quem se enfurece diante da injustiça.
Ela é a que gira como uma roda enorme.
É a criadora dos ciclos.
É à procura dela que saímos de casa.
É à procura dela que voltamos para casa.
Ela é a raiz estrumada de todas as mulheres.
Ela é tudo o que nos mantém vivas quando achamos que chegamos ao fim.
Ela é a geradora de acordos e ideias pequenas e incipientes.
Ela é a mente que nos conhece; nós somos os seus pensamentos.

Onde vive a Mulher Selvagem? No fundo do poço, nas nascentes, no éter do início dos tempos. Ela está na lágrima e nos Oceano. Está no câmbio das árvores, que zune à medida que cresce. Ela vem do futuro e do início dos tempos. Vive no passado e é evocada por nós. Vive no presente e tem lugar à nossa mesa, fica atrás de nós numa fila e segue à nossa frente quando dirigimos na estrada. Ela vive no futuro e volta no tempo para nos encontrar agora."

in Mulheres que Correm com os Lobos" - de Clarissa Pinkola Estes, ed. Rocco 1999

Imagem, quadro da pintora Lena Gal

quinta-feira, outubro 23, 2008

GRATIDÃO À ESCRITORA, À MULHER E À DEUSA

DALILA PEREIRA DA COSTA
SAUDADE DA TERRA MÃE E DA DEUSA

“A saudade pertencendo ao caminho da Lua, sua salvação é dada no mundo sublunar da transformação, do retorno cíclico da terra ao céu e do céu à terra, através da encarnação e reminiscências; tal ainda aquele regido e simbolizado pela serpente e pela espiral...” *

A TERRA DAS SERPENTES

“... Se, como já apontámos este território que hoje é Portugal, tem a sua mais antiga referência literária na obra do escritor latino, Rufo Festo Avieno, a Ora Marítima, do século IV antes de Cristo, (...) e se esta primeira referência ao nosso território o designa com o nome de Ophiussa, como “terra de serpentes” e Saefes e Draganis como dois seus povos, e se numa passa passagem deste poema se cita o caso de que os Oestrimnios teriam sido expulsos daqui por uma invasão de serpentes – tudo apontará, entre símbolos, mito e história, através dum nome primevo dum território e de dois dos seus povos, como filhos ou adoradores da serpente, e por um acontecimento de sua existência colectiva, para a natureza ofídica deste território e sua humanidade.”*


*in Da Serpente à Imaculada de Dalila L.P. da Costa, ed. Lello


A minha imensa gratidão a esta maravilhosa Senhora, com quem acabei de falar, pedindo a sua autorização para publicar estes excertos no meu livro Mulheres & Deusas...

A sua resposta foi dizer-me que não merecia esta honra; mas sou eu que nesse sentido não merecia sentir a sua tão grande sabedoria expressa na mais humilde das atitudes da parte de uma escritora com uma OBRA tão verdadeira como a sua.

Bem haja Dalila l. Pereira da Costa pela sua tão sublime humildade.

rosa leonor


quarta-feira, outubro 22, 2008

A FORÇA FEMININA É A FORÇA DA NATUREZA


A DIVINDADE É FEMINILIDADE

“A Divindade é feminilidade, é a nossa Deusa, a nossa Rainha; ela está acima de nós, não como dominadora, mas como adorada; segundo a nossa regra, é apanágio de uma mulher ser a Grande Sacerdotisa de nossos conventos, e ela deve manifestar a sua feminilidade em toda a sua plenitude; o ciclo menstrual que exprime a essência da Feminilidade, permite compreender a Força Feminina encarnada na natureza; seu símbolo é a Lua; a terra e nossa Mãe, é nossa Deusa; sua filha (que é de facto ela própria) é a Deusa da Lua e por detrás Vida propriamente dita.“

(Rev. Gnosis Agosto de 1973 – citado por André Van Lysebeth em Tantra o Culto da Feminilidade, pag. 112, summus editorial)

terça-feira, outubro 21, 2008

UM HOMEM ESPECIAL


Amigo de Hipacia disse...

Triste, muito triste o sítio da mulher especial, tenho reflectido muito sobre a actuação da mulher. Em busca de uma visão mais dialéctica. Minhas dúvidas são: se exigir uma postura mais dura menos flexível das mulheres não é reproduzir um valor machista? Esperar que uma mulher se preocupe mais em ser uma pessoa interessante, leia bons livros, tenha uma visão ampla do universo ao invés de usar seu tempo em função da beleza de seu corpo é reproduzir valores machistas? Tenho trabalhado nessas questões. Mas não tenho duvida de que sítios que colocam homens bonitos e se perguntam se homens pensam sao tao prejudiciais quanto os sítios equivalentes masculinos.sítios como esses "mulherespecial' sao um des-serviço para a evolução espiritual da Humanidade. Muito me pergunto o que posso enquanto homem, fazer para melhorar a situação de todos. Não me culpo pela sociedade machista, sei o quanto luto pelas igualdades. Mas aquele sitio me fez pensar um pouco. Igualdade não é a liberdade das mulheres fazerem as mesmas idiotices que os homens.·

Rosa, queria elogiar seu trabalho mas precisava desabafar. Em breve retorno e falaremos sobre seu magnífico sítio…


Meu amigo: lutemos pela reciprocidade e pelo respeito mútuo...

A igualdade é as mulheres terem os mesmo direitos de, como diz, fazer as mesmas asneiras que os homens... muitas pensam assim...como vimos.
Não creio, como me pergunta, se exigirmos da mulher mais consciência estejamos a reproduzir um valor machista...

Deixemos de ser instrumentos ou objectos de prazer uns dos outros...

Sejamos apenas SERES HUMANOS numa escala acima da média...
Sejamos alma e coração e não só corpo ou sexo...

FEMINICÍDIO - CRIMES CONTRA A MULHER


"Um crime onde não apenas a vida de um corpo foi assassinada, mas o significado que carrega - o feminino. Um crime do patriarcado que se sustenta no controle do corpo, da vontade e da capacidade punitiva sobre as mulheres pelos homens. O feminicídio é um crime de ódio, realizado sempre com crueldade, como o "extremo de um continuum de terror anti-feminino", incluindo várias formas de violência como sofreu Eloá, xingamentos, desconfiança, acusações, agressões físicas, até alcançar o nível da morte pública.

O que o seu assassino quis mostrar a todas/os nós? Que como homem tinha o controle do corpo de Eloá e que como homem lhe era superior? Ao perceber Eloá como sujeito autônomo, sentiu-se traído, no que atribuía a ela como mulher (a submissão ao seu desejo), e no que atribuía a si como homem (o poder sobre ela - base de sua virilidade). Assim o feminicídio é um crime de poder, é um crime político. Juridicamente é um crime hediondo, triplamente qualificado: motivo fútil, sem condições de defesa da vítima, premeditado. Se antes esses crimes aconteciam nas alcovas, nos silêncios das madrugadas, estão agora acontecendo em espaços públicos, shoppings, estabelecimentos comerciais, e agora na mídia. "
««««
POR FAVOR DIVULGUEM por todos os meios ao vosso dispor e por inteiro o texto abaixo...Porque esta é realmente uma realidade muito próxima de nós.

QUEM DIZ QUE EU EXAGERO???


Feminicídio ao vivo - o que nos clama Eloá Maria Dolores de Brito Mota - Socióloga, professora da Universidade Federal do Ceará.

Maria da Penha Maia Fernandes - Inspiradora do nome da Lei Federal 11340/2006 - Lei Maria da Penha e Colaboradora de Honra da Coordenadoria de Políticas para Mulheres da Prefeitura de Mulheres. Tudo o que o Brasil acompanhou com pesar no drama de Eloá, em suas cem horas de suplício em cadeia nacional, não pode ser visto apenas como resultado de um ato desesperado de um rapaz desequilibrado por causa de uma intensa ou incontrolada paixão. É uma expressão perversa de um tipo de dominação masculina ainda fortemente cravada na cultura brasileira.

No Brasil, foram os movimentos feministas que iniciaram nos anos de 1970, as denúncias, mobilização e enfrentamento da violência de gênero contra as mulheres que se materializava nos crimes cometidos por homens contra suas parceiras amorosas. Naquele período ainda estava em vigor o instituto da defesa da honra, e desenvolveram-se ações de movimentos feministas e democráticas pela punição aos assassinos de mulheres. A alegação da defesa da honra era então justificativa para muitos crimes contra mulheres, mas no contexto de reorganização social para a conquista da democracia no país e do surgimento de movimentos feministas, este tema vai emergir como questão pública, política, a ser enfrentada pela sociedade por ferir a cidadania e os direitos humanos das mulheres.

O assassinato de Ângela Diniz em dezembro de 1976, por seu namorado Doca Street, foi o acontecimento desencadeador de uma reação generalizada contra a absolvição do criminoso em primeira instância, sob alegação de que o crime foi uma reação pela defesa da "honra". Na verdade, as circunstâncias mostravam um crime bárbaro motivado pela determinação da vítima em acabar com o relacionamento amoroso e a inconformidade do assassino com este fim. Essa decisão da justiça revoltou parcelas significativas da sociedade cuja pressão levou a um novo julgamento em 1979 que condenou o assassino. Outro crime emblemático foi o assassinato de Eliane de Grammont pelo seu ex-marido Lindomar Castilho em março de 1981. Crimes que motivaram a campanha "quem ama não mata".

Agora, após três décadas, o Brasil assistiu ao vivo,
testemunhando, o assassinato de uma adolescente de 15 anos por um ex-namorado
inconformado com o fim do relacionamento. Um relacionamento que ele mesmo tomou
a iniciativa de acabar por ciúmes, e que Eloá não quis reatar. O assassino,
durante 100 horas manteve Eloá e uma amiga em cárcere privado, bateu na vitima,
acusou, expôs, coagiu e por fim martirizou o seu corpo com um tiro na virilha,
local de representação da identidade sexual, e na cabeça, local de representação
da identidade individual.
Um crime onde não apenas a vida de um corpo foi assassinada, mas o significado que carrega - o feminino. Um crime do patriarcado que se sustenta no controle do corpo, da vontade e da capacidade punitiva sobre as mulheres pelos homens. O feminicídio é um crime de ódio, realizado sempre com crueldade, como o "extremo de um continuum de terror anti-feminino", incluindo várias formas de violência como sofreu Eloá, xingamentos, desconfiança, acusações, agressões físicas, até alcançar o nível da morte pública.
O que o seu assassino quis mostrar a todas/os nós? Que como homem tinha o controle do corpo de Eloá e que como homem lhe era superior? Ao perceber Eloá como sujeito autônomo, sentiu-se traído, no que atribuía a ela como mulher (a submissão ao seu desejo), e no que atribuía a si como homem (o poder sobre ela - base de sua virilidade). Assim o feminicídio é um crime de poder, é um crime político. Juridicamente é um crime hediondo, triplamente qualificado: motivo fútil, sem condições de defesa da vítima, premeditado. Se antes esses crimes aconteciam nas alcovas, nos silêncios das madrugadas, estão agora acontecendo em espaços públicos, shoppings, estabelecimentos comerciais, e agora na mídia. Para Laura Segato[i] é necessário retirar os crimes contra mulheres da classificação de homicídios, nomeando-os de feminicídio e demarcar frente aos meios de comunicação esse universo dos crimes do patriarcado. Esse é o caminho para os estudos e as ações de denúncia e de enfrentamento para as formas de violência de gênero contra as mulheres. Muita coisa já se avançou no Brasil na direção da garantia dos direitos humanos das mulheres e da equidade de gênero, como a criação das Delegacias de Apoio às Mulheres - DEAMs, que hoje somam 339 no país, o surgimento de 71 casas abrigo, além de inúmeros núcleos e centros de apoio que prestam atendimento e orientação às mulheres vítimas, realizando trabalho de denúncia e conscientização social para o combate e prevenção dessa violência, além de um trabalho de apoio psicológico e resgate pessoal das vítimas. Também ocorreram mudanças no Código Penal como a retirada do termo "mulher honesta" e a adoção da pena de prisão para agressores de mulheres, em substituição às cestas básicas. A criação da Lei 11.340, a Lei Maria da Penha, para o enfrentamento da violência doméstica contra as mulheres. Mas, ainda assim as violências e o feminicídio continuam a acontecer. Vejamos o exemplo do Estado do Ceará: em 2007, 116 mulheres foram vítimas de assassinato no Ceará; em 2006, 135 casos foram registrados; em 2005, 118 mortes e em 2004, mais 105 casos[ii].
As mulheres estão num caminho de construção de direitos e de autonomia, mas a instituição do patriarcado continua a persistir como forma de estruturação de sujeitos.
É preciso que toda a sociedade se mobilize para desmontar os valores e as práticas que sustentam essa dominação masculina, transformando mentalidades, desmontando as estruturas profundas que persistem no imaginário social apesar das mudanças que já praticamos na realidade cotidiana.
O comandante da ação policial de resgate de Eloá declarou que não atirou no agressor por se tratar de "um jovem em crise amorosa", num reconhecimento ao seu sofrer. E o sofrer de Eloá? Por que não foi compreendida empaticamente a sua angústia e sua vontade (e direito) de ser livremente feliz?

segunda-feira, outubro 20, 2008

MULHERES OU HOMENS?

" Gostaria de convidar a todas à conhecer e participar da primeira rede social para mulheres." WWW.MULHERESPECIAL.COM

Minha amiga eu agradeço o convite, mas gostaria de lhe dizer que me espantou muito a vossa proposta logo de princípio…vocês apresentam homens especiais e não mulheres especiais na vossa página…e será que apresentar todos esses jovens actores belíssimos e meio despidos acrescenta ou alivia alguma coisa ao drama das mulheres? Apresentá-los como iscas ou como brinde ou como aliciante para as mulheres comentarem e dizerem o que sentem em relação aos homens, será aproximá-las delas próprias e da sua essência? Ou será continuar a fazer o trabalho de anulação da essência da mulher?

A mulher que conquistou todos esses direitos de que o outro vídeo homenagens às mulheres sugere e que apresenta grandes mudanças sociais ao longo dos séculos, mas partindo de um pecado, de uma inferioridade e de uma conquista que não é a verdadeira conquista da mulher, porque essa tem de ser interior! A mulher não se conquista, nem ultrapassa os seus limites passando de eva pecadora para mãe divina ou esposa, nem na sua passagem para executiva, trabalhadora ou polícia…mas para o sentido do feminino sagrado e do SER ESSENCIAL, que é a sua verdadeira dimensão…DE MULHER DEUSA E AMANTE mas partindo da sua integração e união das duas mulheres divididas pela religião católica...
A Mulher precisa ser respeitada e dignificada antes de tudo o mais e você não pode fingir que não vê o que se passa à sua volta...

Então minha amiga, certamente não viu bem a quem fez o seu convite...

Não quero ser indelicada, mas a meu ver as mulheres precisam é saber delas próprias, de saber quem elas são para lá desses estereótipos, precisam saber das suas almas, do seu potencial interior e não SÓ dos homens belos e musculados…pelo menos não eu que já tenho uma certa idade e também sou mulher! rlp

FALAR DE MULHERES E DEUSAS...


Pq falar da mulher, de Mulheres e Deusas ou de Lealdade Feminina, por exemplo, ao invés de falar de homens, ou de abolir os rótulos...

...Well...


Só com mais algum tempo, experiência, leituras e percepções a Cristina poderá começar a perceber que existe um princípio feminino cujo espaço e importância é negado na sociedade patriarcal...E enquanto a Mulher, a Deusa não voltar a ocupar o seu lugar, anulando essa sociedade patriarcal, em detrimento do surgimento de uma nova sociedade, matrilinear, não haverá esse desaparecimento das diferenças e rótulos...

As mudanças são um pouco mais profundas do que podemos pensar...

É comum esse questionamento, sendo que eu mesma tbm o fiz, e faço muitas vezes... mas a verdade é que isso é mesmo em parte, uma qualidade da mulher, naturalmente voltada para uma vivência comum, comunitária, de partilha, de compaixão, de altruísmo, de igualdade, de cuidado de mãe, de proteção à vida, preservação, natureza...etc...Por outro lado, uma característica negativa, de por tudo e qqr coisa à sua frente, e dar mais importância a coisas exteriores do que a si mesma... por falta de estima, por falta de reconhecimento, de auto-valorização, de auto-consciência de si mesma, de ser mulher, de ser deusa, e do que é o feminino sagrado, e de sua ausência no mundo patriarcal...

A caminhada é longa, Cristina, e começa sempre com o primeiro passo... E este vc já deu... continue em frente...Mais à frente vc poderá perceber, que não se trata dehomensxmulheres, mas sim de por baixo de todo um sistema social baseado em injustiça e medo, em dominação, exploração e violência, que embora tendo como base uma questão de usurpação do trono da Deusa Terra, e do banimento desta e do principio feminino na superfície terrena, não se prende apenas ou simplesmente com uma mera questão de gênero ou de sexo...

O buraco é muito mais fundo, isso é apenas a pontinha do iceberg da mudança de paradigmas pela qual estamos passando, mudança de muitos aspectos da vida em mudança, inclusive tbm nós, mulheres em transição... que um dia começamos a questionar umas coisas, depois outras, e outras e outras... e depois vamos passando a ação e à praticas, que resultaram na construção de um novo modelo social... E, felizmente, não há retorno...maktub...

A RESPOSTA de Nana Odara

"ISTO É ASSUSTADOR"

EM PORTUGAL

Crimes contra mulheres cada vez mais violentos


CARLA AGUIAR in DN

"Violência doméstica. As associações de defesa dos direitos das mulheres alertam para a crescente brutalidade dos crimes cometidos. A UMAR aponta ainda 32 homicídios registados este ano, até ao presente mês, e a existência de 35 tentativas falhadas. E acusa: "O sistema judicial está a ser cúmplice"

Este ano houve 32 homicídios e 35 tentativas falhadas.

Os crimes contra as mulheres não só aumentaram este ano como estão mais violentos.
"As agressões são sempre preocupantes, mas notamos nos últimos tempos uma mudança na forma dos crimes: são mais violentos, mais brutais", disse a presidente da União da Mulher -Alternativa e Resposta (UMAR) ao DN, no dia em que milhares de mulheres de todo o mundo marcharam em Vigo, Espanha, contra a violência de género.

Elizabete Brasil refere-se, por exemplo, ao crescente número de mulheres que são mortas à machadada pelos seus maridos ou ex-companheiros. "Isto é assustador", observa aquela dirigente, lembrando que este ano, até ao presente mês, foram registadas 32 mulheres vítimas mortais de crimes cometidos no âmbito da violência doméstica, de acordo com os dados apurados pela organização. O marido ou companheiro é o principal agressor. Aqueles crimes representam mais onze casos do que os verificados ao longo de todo o ano de 2007.(…)

NO BRASIL:
*
Por exemplo o jovem que sequestrou e assassinou a namorada de 15 anos no Brasil e “Para além de Eloá, a amiga desta, Nayara Silva, também foi alvejada, presumivelmente pelo ex-namorado da primeira que, inconformado com o fim do namoro de três anos, terá entrado em depressão, daí a loucura do sequestro. Nayara, que foi atingida na boca, encontra-se internada no mesmo hospital onde está Eloá mas desconhece a sorte da amiga”.

... “de acordo com o Correio da Manhã, Eduardo Félix, que comandou a operação policial, "piorou as coisas ao afirmar que a polícia não abateu o sequestrador por ele não ser um bandido e sim um jovem trabalhador a sofrer por amor".

Seja no Brasil seja em Portugal esta afirmação mostra-nos de que forma a polícia e os homens em geral são solidários, ainda que inconscientemente às vezes, uns com os outros perante a violência sobre as mulheres ou mesmo perante a sua morte… disso não nos restam dúvidas...É curioso que até homens mais conscientes e lúcidos, no que diz respeito às mulheres, arranjam sempre maneiras históricas e outras para dizer que as mulheres o merecem, como se torna implícito da parte do polícia brasileiro...e quase na mesma linha o caso de um leitor...cujo comentário é o seguinte:

Outubro 20, 2008: fazer cantar um cego zarolho das lunetas disse...

"O CRIME tem muitas vezes a mão feminina como mandante principal...e poucas vezes a manus que executa...Alguém cortou a cabeça a João Baptista...mas quem a pediu? Porque é uma Mulher a deusa da Guerra?

Os Homens guerreiros amam a Pátria que na verdade é Mátria...pela Mãe matam, pelo Pai morrem...Percebam isto...que faz parte da condição humana...

AS ESTATÍSTICAS NÃO DIZEM ISSSO...

É evidente que me recuso a aceitar tal condição humana. Diria que essa condição é apenas desumana e faz parte da história do Homem onde a mulher não entra. E quando entra, ELA É REPRESENTADA POR HOMENS.
E a violência das mulheres na História dos homens ou das religiões PATRIARCAIS, ainda aí é onde mais intensamente as mulheres são acusadas de todo o tipo de malvadez e perfídia...essa é a história da humanidade-homem e não da Humanidade…Porque mesmo nos nossos dias, se olharmos as percentagens de criminalidade feminina, a desproporção é imensa, absoluta.
Quanto à mulher ser a Deusa da Guerra ela é-o através de Atena saída da cabeça do Pai e não como filha da Grande Mãe !!!
rlp

domingo, outubro 19, 2008

Tráfico humano vitima até 4 milhões ao ano

A FACE OCULTA DA MULHER NÃO É SÓ NAS ARÁBIAS
DESSAS 700 MIL PESSOAS, COMO ONTEM EM TODOS OS CANAIS PORTUGUESES SE DESTACOU PELA PALAVRA DE: "SERES HUMANOS", EU DIGO, DOS QUAIS 99% SÃO MULHERES...

"Pelo menos 700 mil pessoas, e possivelmente até 4 milhões de homens, mulheres e crianças foram vítimas de tráfico humano no ano passado, segundo um relatório divulgado ontem pelo Departamento de Estado dos EUA. Mesmo nos EUA, 50 mil pessoas foram compradas, vendidas, transportadas e mantidas contra sua vontade em condições equivalentes à escravidão.

O documento menciona em particular casos de prostituição, trabalho forçado em oficinas clandestinas ou na agricultura, aliciamento contra a vontade em grupos armados, trabalhos domésticos compulsórios e casos de crianças exploradas como mendigos ou como jóqueis em corridas de camelo. Segundo o secretário de Estado, Colin Powell, o governo dos EUA está determinado a "frear essa agressão assustadora" sobre seres humanos em todo o mundo."(...)
*
E todo este drama, quer queiramos quer não, passa pelos filhos sem mãe...passa pelos danados de todos os continentes que usam a força e a violência de acordo com as estruturas da sociedade patriarcal...

Os Culpados deste caos e desumanidade é sem sombra de dúvida a cultura de violência que impera nos modelos da guerra e do dinheiro, onde quer que o princípio anti-vital e anti-feminino esteja em vigor. Em quase todo o mundo...

Enquanto o cinema e a televisão continuar a veicular e a difundir a violência gratuíta em todos os seus canais nada mudará à face da Terra.

Enquanto a Mulher e a Mãe não forem respeitadas como pilares da sociedade em todo o mundo, os filhos sem mãe serão sempre os criminosos e os terroristas que assolam o Planeta. Eles são os que controlam o mundo: os ricos e os pobres, os magnates, os ditadores, as mafias e os senhores da Guerra...

O GRAAL É A MULHER COMO CÁLICE

El Círculo de las Guardianas del Grial
En el día y en la noche
en el tiempo y fuera del tiempo
las Guardianas custodian el Grial
en permanente lucha con el Lado Falso del Universo
Ellas son el Círculo Eterno de la Luz
en este Mundo y en todos los Mundos *

o verdadeiro útero da mulher...


O QUE É O ÚTERO?

Para além de tecido muscular faz falta ao desejo sexual e a um determinado desenvolvimento da sexualidade da mulher; por isso não nos podemos conformar com o útero dos ginecologistas nem da tecnologia médica que considera a maldição divina de parir com dor. Porque aí está a grande diferença. O útero de uma mulher que não foi sexualmente reprimida desde a infância, funciona perfeitamente, produzindo prazer e não dor; mas o útero de uma mulher cuja sexualidade foi paralisada desde pequenina, funciona de maneira patológica e com dor.

(traduzido do espanhol) El Útero, ese desconocido

De "El asalto al hades" de Casilda Rodrigañez

IN TARTESSOS INF. http://tartessos.info/
Obrigada André pela sua preciosa informação...

sábado, outubro 18, 2008

"SOU PAGÃ E ANARQUISTA..."


Quanto a Mulheres & Deusas não defende os homens nem os acusa, eles também são vítimas da sua História ...

Mulheres & Deusas retrata, denuncia, mostra o óbvio na diferença, apela e elege as mulheres...pode interessar a homens que gostem verdadeiramente de mulheres...não apenas como machos, mas como amantes, irmãos e amigos...

Mas aqui trato ou procuro tratar apenas de uma Dimensão Ontológica do SER MULHER e da Deusa em cada mulher. A Dimensão do Sagrado Feminino.
Não trata de decoração, nem de moda, nem de culinária, nem de estética, nem de romances, nem de intrigas amorosas...Tão pouco trata de direitos e igualdade das mulheres...É toda uma outra história...
É sem dúvida para as mulheres mas para as que se querem enxergar e ver o outro lado do espelho e não se contentam nem com a aparência nem com os esteriótipos. Não tem outro objectivo. Se eu quisesse podia defender outra causa...podia defender os oprimidos ou os pobres...ou as vítimas da guerra! Mas este Blogue trata exclusivamente do SER MULHER e precisamente enquanto Ser Humano em toda a sua dimensão...e justamente porque à mulher ainda falta a dimensão de ser humano nesta história de homens, tal como ao homem lhe falta uma dimensão superior, é preciso resgatar a mulher da ilusão de que ela já é aceite no mundo do Homem, onde nem na linguagem deles entra...

Se você se contenta em ser uma mulher que vive em função do homem então fique-se por aí...Não tem nada a ver com a história que eu conto aqui...
Se é homem e sente ressonância com o Feminino Sagrado seja Bem-Vindo à casa da Deusa Mãe...

RLP

QUEM É A MULHER, QUE MULHER É VOCÊ?

Cristina deixou um novo comentário na sua mensagem "

Sou mulher mas tenho certa dificuldade em entender essa prática recente de endeusar as mulheres. Mulheres, uni-vos? Por que não conclamar todos os seres humanos a unirem-se uns aos outros e esquecerem essa bobagem de ser homem, mulher, branco, índio, gordo, homossexual, trissexual?Porque os homens devem se unir com os homens, as mulheres com as mulheres, os ateus com os ateus, os esotéricos com os esotéricos? Não vejo sentido nisso!Acho que você não vai gostar desse meu artigo: http://cadeaminhavida.blogspot.co, mas se puder, leia. De qualquer modo, um beijo pelo seu blog.

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo." Clarice Lispector.

"É curioso como não sei dizer quem sou."

Isto diz tudo minha amiga...diz tudo sobre a mulher e agora a questão é perguntar-se porquê? Porque não sabe de si a mulher, nem dizer-se? Se aprofundar a questão, pois trata-se de aprofundar a questão do SER MULHER precisamente e não do SER HOMEM, porque são naturezas diferentes e cada um destes seres que se completam ou não e podem ser amantes, estão em guerra há muito e nada mudou em profundidade, mesmo que você na superfície da sua vida pense que sim...

Mas basta olhar o que se passa à sua volta ou ver as telenovelas; aí pode ver que as mulheres e os homens estão em conflito permanente, E SOBRETUDO AS MULHERES UMAS CONTRA AS OUTRAS A LUTAREM PELO AMOR DOS HOMENS...e aqui tem de olhar e ver com olhos de ver... não pode falar pelo homem e por-se na sua pele, mas falar de si e sentir-se na pele de mulher. NÃO PELO QUE SENTE PELO HOMEM mas pelo que você é enquanto mulher ...

Este é o erro das mulheres em geral: amam os homens ou projectam-se no ideal do homem porque NÃO SÃO NADA EM SI...SÃO O QUE O HOMEM QUER QUE ELA SEJA E ISTO EM TODOS OS DOMÍNIOS...e felizmente elas pensam que são isso e tratam de viver só em função dos homens e para lhes agradar !

OLHE BEM À SUA VOLTA E PARA SI E VEJA SE SE DÁ MAIS IMPORTÂNCIA A SI MESMA OU AO HOMEM QUE PROCURA PARA A "COMPLETAR"?

Portanto não se trata aqui de defender as mulheres ou acabar com os homens!!! Trata-se só de se ser o que se é e acontece que a mulher não sabe dizer o que é porque se desconhece ontologicamente...está divida, fragmentada...é mais homem e pró-homem do que mulher. Não se ama a si mesma...por isso a deusa é a parte da mulher esquecida e que pode revelar-se em si e revelar ao homem o seu deus interior...
Se continuar a ler Mulheres & Deusas perceberá que ninguem está a fazer um favor à mulher nem a datas específicas que provam a sua inferioridade. Esse dia é inventado pela sociedade paternalista porque não dá o real valor à mulher...ou você acha que sim, que já chegou ao seu máximo? Então olhe-se bem no espelho e veja se é verdadeiramente uma Mulher! Leia com mais atenção e vá um bocadinho mais fundo dentro de si.
Depois, Só depois, de se conhecer a fundo e de se afirmar por si, será verdadeiramente humana; só depois, quando a mulher em todo o mundo for respeitada como a mãe e a amante, livre e sem divisões dentro de si...seremos todos humanos, brancos, pretos e amarelos, vermelhos...
Ou acha que a mulher também já é respeitada em todo o mundo como um ser humano?
Sabe, o lamentável das mulheres é odiarem-se - detestam-se , confrontam-se, irritam-se, invejam-se e lutam deseperadamente umas contra as outras...porque amam só os homens... Foram assim treinadas como animais de estimação...farejam o dono e adoram-no...só falam de homens e esquecem-se de si mesmas...diga lá se não é triste este fado? rlp

quinta-feira, outubro 16, 2008

O CORPO DA GRANDE MÃE


O TEMPO E O ESPAÇO

“O tempo e o espaço estão absolutamente ligados. Eles são o corpo da Grande Mãe que se vos dá para vos permitir experimentar a encarnação no vosso universo criado para isso. Se tu compreenderes isso intimamente, com o teu coração, eles serão os teus aliados no caminho. Eles deixarão de ser uma prisão que te oprime, mas o fundamento no qual te apoiarás para construir e escrever.

“Isto faz parte do meu ensinamento: sê sempre actor no tempo e no espaço, mas mantêm-te livre dos resultados, que nunca te pertencem. A Acção é pela acção, não pelo resultado.”

(traduzido do francês)
Marie Elia, In Rencontres avec La Splendeur, ed. A.L.T.E.S.S.E

UMA ANTÍTESE INVENTADA


AS DUAS MULHERES

"No cristianismo tradicional, as falsas divisões deram-nos duas personagens: a Virgem Maria e Madalena. Claro, para que uma cristã se sentisse realizada, estas duas personagens deviam ser unidas - e não polarizadas - na sua psique. A Virgem Maria foi desprovida da sua sexualidade conservando a sua espiritualidade, enquanto que Maria Madalena foi despojada da sua espiritualidade ficando apenas com a sua sexualidade. Ora cada uma delas devia aceder à sua plenitude. É o que eu chamo "casar as duas Marias"... *

Tori Amos - in Os Segredos de Maria Madalena, ed. Via Medias, 2006

É o que eu chamo também unir as duas mulheres que o patriarcado dividiu dentro de cada mulher. Nós não queremos nem de um lado a profana nem do outra a imaculada, mas sim a Mulher Plena...porque a Mulher é um ser integral que foi ao longo dos séculos despojadas da sua unidade essencial!
A polarização extrema destas duas mulheres, na psique de cada mulher, gerou a fragmentação do seu ser e tornou a mulher vítima dos maiores distúrbios, ao nível não só psíquico, mas também fisiológico...Gerou a maior calamidade humana e social que é a mulher prostituída, e continuadamente violentada pelos homens, que em todo o mundo se outorgam esse direito...
Hoje não há só Máfias, que as exploram mesmo na nossa cara, mas o cinema, a ”arte” e a própria publicidade (exemplo: cartazes da "crazy horse" e tantos outros inacreditáveis) fazem isso...
Enquanto os homens mais "dignos" e inteligentes continuam a passar por cima dos interesses da mulher, debatendo todos os problemas do mundo, menos a problemática das causas. Percebemos desse modo, que nem intelectuais, nem filósofos, com excepção apenas de alguns escritores, não há sequer um único político, que esteja verdadeiramente interessado nas questões profundas da mulher ou mesmo do homem, que não seja para ganhar votos...

Quando a maior parte das mulheres compreender, que o que lhes falta não é um homem, mas essencialmente a outra parte de si mesma (e não só do macho ou do falo…) e que não existe a "inimiga" nem a "outra", a rival, mas uma só Mulher, ela ficará abismada pela forma como foi dividida, para que as sociedades e religiões patriarcais reinassem pelo seu sacrifício e continuado abuso em todo o mundo.

O Império romano primeiro, e depois o clero de Roma, destruíram paulatinamente tudo o que o cristianismo tinha de original e sábio, na fusão dos dois princípios, feminino e masculino. Pedro, o pilar da sua Igreja, foi o principal traidor da essência do cristianismo e não Judas...Ele foi o primeiro a negar Maria Madalena, como discípula dilecta...depois o papa Gregório fez a detracção da Mulher até ao século XX... * in



UMA ANTÍTESE INVENTADA

“Entendo que essa antiga e venerável missão das prostitutas é uma ética congenitalmente feminina que só por um desvio de uma religião patrística foi reservada às sacerdotisas do amor a fim de cindir a humanidade feminina na projecção do abominável e do sublime masculino. Uma antítese inventada por esse ser eminentemente melodramático que é o homem, sem a mínima verosimilhança no cosmo da realidade da mulher que não distingue o espírito da carne. Eis porque as mulheres honestas sempre no fundo invejaram as prostitutas e vice-versa.” *
(...)
*In A MADONA de Natália Correia

domingo, outubro 12, 2008

"A concordância colectiva" com a degradação da mulher

O Poder, Opressão e Dependênciana
Construção da Subjetividade Feminina

Por Maria Alice Moreira Bampi

A sexualidade, como manifestação biopsicossocial do ser humano, sofreu através da história, toda a sorte de controlo por interesses diversos. Negada ou incentivada, a Igreja, o Estado e o poder económico sempre se valeram deste meio profundo do relacionamento humano (onde a afectividade e o prazer formam a base motivacional), para dominar, corromper, atemorizar ou lucrar. Actualmente a exploração comercial da sexualidade feminina, oferece uma ideia superficial, desvinculada do afecto, sustentada em modelos descartáveis, consumista, estereotipados e preconceituosos, com a imposição da estética e como prerrogativa exclusiva da juventude.
(...)
Com o prazer vinculado a um corpo que engravida, que gera, que culpa e martiriza, as mulheres protegem-se num contrato social definido por leis, que longe de garantir-lhe este almejado prazer, obriga-lhes após tantas expectativas frustradas, à manutenção da relação dependente, neurótica, sadomasoquista para fugir, da categoria pejorativa criada culturalmente para as mulheres que estariam desprotegidas destas leis. Seriam as"descasadas","mães solteiras", "largadas do marido", "as que estão em falta".

Estes preconceitos acompanham as mulheres pela história;
Inventam as categorias e as mulheres vão aos poucos "incluindo-se "nelas, sem contestarem, com submissão e dependência. Nos tempos da Inquisição, criaram a categoria das bruxas e muitas mulheres comportavam-se como tal, porque havia esta categoria.(...)

Mas, a quem interessa a permanência desta concordância colectiva?

Quem se beneficia de tudo isto?Há interesses económicos na questão?Certamente que sim, e em prejuízo da saúde psíquica de muitas mulheres, divididas em categorias: as que dão lucro, as santas e as outras...
Assim, conflituada entre opiniões maniqueístas, onde o bem e o mal se digladiam por um espaço reconhecido, as mulheres geralmente submetem-se às regras do jogo, geridas por poderes seculares diversos. Estes domínios rígidos sobre a sexualidade feminina, incorporaram um padrão comportamental que sobreviveu aos séculos, resistindo até mesmo às tentativas revolucionárias de alguns movimentos ditos feministas. (...)

(republicando)

UMA TRISTE NOTÍCIA - S.O.S.

Prostituição ajuda a pagar contas em tempo de crise
PEDRO VILELA MARQUES in DN

"Alternativa. Baixos recursos, de classe média-baixa, na maioria das vezes abandonadas pelos maridos e sem dinheiro para sustentar os filhos. Cerca de um sexto das prostitutas enquadram-se neste perfil, mulheres que foram para a rua há cerca de ano e meio, com o agravamento dos problemas económicos

Cada vez mais mulheres recorrem à prostituição como actividade de emergência para combater os problemas económicos. As equipas de rua das irmãs oblatas indicam ao DN que cerca de 15% das mulheres que se prostituem começaram a faze-lo no último ano e meio, depois de soar o alarme da crise. É aquilo que os técnicos no terreno apelidam de prostituição S.O.S.: mulheres entre os 35 e os 50 anos, de classe média-baixa, que vendem o seu corpo de forma esporádica para pagar as despesas.
(...)

NOTÍCIA DE PRIMEIRA PÁGINA...

Dizer o quê?
O que toda a gente sabe mas não quer ver? Que as mulheres são sempre as vítimas da crise...de todas as crises e guerras e especialemente da loucura de uma sociedade de dominação que avilta as mulheres sem quaisquer escrúpulos?...
Que até acham "natural" e depois dizem que é a "profissão mais velha do mundo" como se fosse essa a origem do mundo...quando afinal é só o resultado e marca indelével da herança da barbárie que se instalou há muitos séculos e fez das mulheres seres subalternos e inferiores...
"Evoluimos" aparentemente em muita coisa, mas esta "condição" das mulheres é preciso não tocar, para desfrute dos homens...

Ontem "passei" por uma reportagem de um "Rancho de coelhinhas", americano, off corse, onde mais uma vez as mulheres eram expostas e usadas de todas as maneiras...

Era tão repulsivo, tão degradante, tão alienante a forma como o Proxeneta apresentava as suas coelhinhas, que eu pergunto: o que faz com que um canal de televisão, decente diria, e apresente tais programas...
Eu sei que este decente, parece a coisa mais retrógada que existe...Sei afinal de contas que a pior aberração se transformou, nos nossos dias, em "normalidade"...rlp

sábado, outubro 11, 2008

A DUAS VOZES …



Prémios Nobel de Literatura de 1983 e de 1998

Dois grandes escritores, dois prémios Nobel da Literatura, à distancia de quinze anos, dizem qualquer coisa de absolutamente relevante para os nossos dias e que importa desde já salientar e manter bem presente, em cada momento ou em situações de confronto com a cultura de cariz machista…

No livro AS DUAS VOZES, William Golding, remete-nos para uma evidência que a maior parte dos homens e com certeza os médicos, que tão mal conhecem as mulheres e as menosprezam, o recusam ver…

“As mulheres por vezes ficam histéricas e fazem e dizem as coisas mais estranhas. Mas esta observação vai dar a volta e morder a própria cauda: talvez a verdade da vida e do viver resida nas estranhas coisas que as mulheres fazem e dizem quando estão histéricas”

Assim como, José Saramago, com a sua argúcia para mim de forma surpreendente diz em O Memorial do Convento, algo muito semelhante e igualmente sábio…

"... É a grande, interminável conversa das mulheres, parece coisa nenhuma, isto pensam os homens, nem eles imaginam que esta conversa é que segura o mundo na sua órbita, não fosse falarem as mulheres umas com as outras, já os homens teriam perdido o sentido da casa e do planeta..."

Será que a sociedade patriarcal, e os homens em geral, não querem ver nem ouvir aquilo que os homens da arte do sentir, que é a literatura, dizem?

quarta-feira, outubro 08, 2008

fICA NO SUDOESTE DA CHINA...


MUSUO UMA SOCIEDADE SEM VIOLÊNCIA


Fica no Sudoeste da China e é uma das últimas sociedades matriarcais.As mulheres são o sexo forte e decidem a vida de todos.O médico e jornalista argentino viveu entre esse povo e da experiência resultou um livro:
*
O REINO DAS MULHERES.
*
Em Musuo, mais propriamente na aldeia de Loshui onde viveu, Ricardo Coler encontrou mulheres que são as gestoras e chefes de família, onde não existe casamento, as crianças nunca conhecem o pai e a violência não existe. Esta sociedade onde as mulheres estão no topo da hierarquia é uma das últimas ainda existentes em todo o mundo.
Aqui nenhuma mulher se pode queixar de educação machista, de diferença de oportunidades ou de tratamento desigual. Elas são as únicas proprietárias da casa de família e dos campos e têm a última palavra em todas as decisões. O apelido que usam é o da mãe. São elas que determinam o estilo de vida na aldeia. Aos homens competem trabalhos como a construção de casas.
Mas, apesar de mandarem, as mulheres não valorizam o poder da mesma forma que um homem. O exemplo disso é que “a” chefe da aldeia é um homem. Dizem que eles são mais aptos para funções comunitárias. São questões administrativas que pouco lhes interessam. A figura do chefe carece da importância que tem no Ocidente.(...)
*
Casar é castigo...
*
As matriarcas ameaçam os filhos com o casamento quando não lhes agrada o seu comportamento. Não existe vínculo formal entre homem e mulher: cada um vive na sua casa e, à noite, eles visitam as mulheres com quem marcaram encontro. Este tipo de relação é chamado “axia”, que significa “relação íntima entre amantes”.
Dentro dos seus apartamentos, as Musuo podem receber visitas com toda a privacidade.
(ACHO QUE OS HOMOSSEXUAIS DEVIAM LER ESTE LIVRO!!! PENSO EU DE QUE...)
*
CONTINUE A LER SE QUER...SABER DE SI...EM: http://saberdesi.blogspot.com