domingo, novembro 30, 2008

SOMOS TODOS DEUSES E DEUSAS, SOMOS TODOS LUZ

O QUE NOS IMPEDE DE SER HUMANOS PLENOS?

QUEM NOS REDUZIU A CULPADAS/OS DE UM PECADO QUE NÃO EXISTIU...

"BESTAS LUTANDO CONTRA BESTAS"...

"É possível que um grupo de tradicionais sociedades secretas tenha se imiscuído no aparato governamental, em instituições religiosas e em agências de inteligência com a finalidade de dominar o mundo? Megalômanos sempre existiram e a própria estupidez humana nos diz que a resposta pode ser sim. Esse documentário muito bem articulado e narrado mostra indícios provocantes a respeito de uma manobra histórica que em muitos pontos é bastante plausível, especialmente em relação ao assassinato de dois papas e a utilização das maletas atômicas que sumiram do arsenal nuclear russo. Onde estariam?

Que forças estão por trás da elite que impede que o nosso mundo que já possui condições tecnológicas de acabar com a fome e desenvolver uma matriz energética limpa o faça? Que jogo joga quem está no poder? Bestas lutando contra bestas, instituições tradicionais em luta pelo poder. O documentário Anjos e Demônios revela mais do que uma luta do bem contra o mal, parece mais um filme do Tarantino, revelando uma luta de bandidos contra marginais, ou seja, tudo farinha do mesmo saco. Assim o nosso título seria Bestas contra Bestas ou Predador contra Alien (risos), ou ainda, Illuminati versus Vaticano, e essa é a nossa sorte, pois, como está escrito, casa dividida contra si mesmo não poderá subsistir.

É necessário, para que você não ache que a idéia essencial desse documentário seja apenas mais uma teoria da conspiração, que você assista ao discurso do presidente John Kennedy no dia do seu assassinato, pois nesse discurso réquiem ele denuncia as sociedades secretas. Sua denúncia corajosa foi seu testamento e sua carta de sentença. É nosso dever apresentá-la e divulgá-la."

CONTINUE A ACHAR PISTAS NO CAMINHO; VEJA EM: http://pistasdocaminho.blogspot.com/

PERDER O MEDO...


QUEM DISSE QUE A HUMANIDADE É PECADORA E A MULHER A CULPADA DESTE FILME?
QUEM É O REALIZADOR INQUESTIONÁVEL DESTE FILME DE TERROR?

PORQUE O ALIMENTAMOS TODAS/OS COM ESTE MEDO ATÁVICO ANCESTRAL, SEM CONSEGUIRMOS PENSAR, TOLHIDOS PELO TEMOR DE UM DEUS PAI ATERRADOR?

QUEM PROPAGOU ESTE ÓDIO PELA MULHER?
QUEM É QUE VIVE NA SOMBRA À NOSSA CUSTA?

OS BANCOS, OS GOVERNOS, OS IMPÉRIOS?

QUEM É ESSA RAÇA DE PREDADORES INVISÍVEIS QUE NOS ESCRAVIZA?
DE QUEM É O SER HUMANO SERVO?

- Um pouco de sabor a ficção cientifica...para variar da ficção da realidade do crime e da violência sobre as mulheres e as crianças...

UM HOMEM VERDADEIRO DIZ...


"O poder da mulher é fascinante
*
A aparente fragilidade e desequilíbrio que encontramos em muitas mulheres tem a mesma fonte do aparente subdesenvolvimento que as populações negras estão presas em nosso mundo ocidental.
A linha dentro da qual foram criadas leva a este estado.
Cada ser é o momento e pode pelo momento trabalhar o que vem até ele nos fluxos do existir.
Mas se é criado dentro de um contexto que não lhe permita o pleno desenvolvimento de suas capacidades e mais, reprime e cria condições para prejudicar esse desenvolvimento é óbvio que a causa desse efeito não precisa ser buscado em passados tão remotos.
O mesmo ocorre com a mulher.
Uma mulher é enfraquecida desde cedo, limitada e muitas vezes tem pobres exemplos submissos e frágeis dentro do seu lar para se espelhar.
Como a população negra, ainda se recuperando da condição desumana a qual foi exposta por tanto tempo, isolados de sua linha cultural e doutrinados para se sentirem inferiores.
A analogia devia ser bem meditada sobre quem quer entender técnicas de dominação e limitação do desenvolvimento.
A mulher pela sua condição receptiva pode participar do ato sexual mesmo não estando estimulada.
A famosa cena na qual o homem afoito “possuí” uma mulher que enquanto geme e pede mais olha no relógio para saber se o ‘tempo’ cobrado já passou faz parte do folclore cinematográfico de nossa cultura.
Esse aparente domínio do homem sobre o ato sexual também permite a mulher ser vítima de violências inconcebíveis por parte do macho dominador nas mais diferentes culturas.
O homem macho, que é diferente do homem masculino, tem no sexo uma de suas bases de afirmação. (...)
Aliás eu insisto sempre que poucos homens abandonam a adolescência, pois as questões que observamos ser o centro de gravidade nas questões masculinas são as mesmas desde a adolescência, apenas mudando matizes, mas permanecendo na mesma cor.
E é a maturidade que marca o momento no qual a qualidade vale mais que a quantidade.
Assim tenho percebido como tantrista que a mulher foi tragada pela famosa revolução sexual e como em outros campos acredita que sua liberdade é apenas imitar o homem em seus desatinos.
Depois de se sentir o prazer tântrico o outro nível se torna muito insonso.
*
A feminilidade não é fragilidade, muito pelo contrário, é um outro nível de manifestação de um poder sublime.
Uma mulher plena que tive o verdadeiro prazer de conhecer certa vez me deu um exemplo da força feminina, comparando-a a luz do sol.
O mesmo poder que mantém planetas girando ao seu redor é capaz de atravessar a vidraça sem quebrá-la e tocar suavemente a face da criança que dorme.
É esse poder que sentimos acordar no sexo tântrico, quando nos unimos num nível muito profundo a parceira, quando nossas almas comungam e nossos corpos se fundem.
Quando junto com o prazer das zonas erógenas se estimulando, cada célula do corpo descobre ser também erógena, cada respiração, cada murmúrio é ampliar o prazer que cala a mente , traz paz ao coração e na coluna ereta, que não é reta, pois o próprio mundo é curvo, flui o poder seminal.
Olhos se tornam também fogueiras, onde mergulhamos no mistério do feminino, que pode ser citado, mas só é compreendido se experimentado.
E não tenho dúvidas que muitos homens ainda fazem a guerra por nunca terem sido amados por nunca terem sido felizes, em seu desequilíbrio é como se vingam de nós que o somos."
*
DE »» Guerrero/Nuvem que passa
Encontrado em http://pistasdocaminho.blogspot.com/2008_08_01_archive.html, postagem de 12/08/2008
EXCERTO DE UM TEXTO RECOMENDADO POR ANNA PAIM http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/2008/11/sexo-tntrico.html

Um antídoto para os beatos/as...

A MULHER E A DEUSA MÃE:
O RENASCER DA SERPENTE...

"O deus do Gênesis, primeiro livro da Bíblia, não é Deus.

A maior referência mítica, religiosa e cultural sobre os predadores ou sombras de lama, como escreve o nagual, é a estória da queda, contida em Gênesis 3.

Não entraremos na questão de Deus em si, mas queremos mostrar esse deus que está na origem da bíblia, pois ele não é Deus, é um ente que se arroga como tal. Não se comporta como tal, não é onisciente, mente e é egoísta, quer o conhecimento apenas para si, apenas para os seus, bem como a imortalidade.


Esse deus que não é Deus, mas é tido por tal, é o predador revelado por Carlos Castaneda.

A Serpente edênica por outro lado é nossa aliada, amiga da humanidade, nos revela o conhecimento e desmascara o pretenso deus. A Serpente é um símbolo sagrado em diferentes tradições, inclusive na tolteca, lá ela é Quetzalcoatl, a serpente de plumas, a serpente emplumada. No Juremal a serpente é uma constante, usando a árvore como proteção e tornando-se miticamente sua guardiã.

O próprio nagual fez extensas pesquisas sobre o tema não encontrando nenhuma referência sobre os voadores em outras culturas mas o tema do voador ou do predador está na essência de uma das primeiras estórias bíblicas, bíblia que é a matriz cultural de nossa civilização, civilização de predadores, bíblia de voadores. E, por sua vez, a história da queda é matriz cultural que dá forma ao padrão de comportamento básico de nossa civilização, o padrão do pecador.

A referência fundamental está e estava ali disponível para o nagual e para qualquer um, é a história da queda do homem contida na bíblia.

A Serpente representa a consciência da Terra, é a consciência do mundo natural, feminina e ecológica, representa o eterno poder do feminino, e como somos filhos da Terra, essa consciência também se expressa em nossos corpos, em nosso corpo ela é a serpente Kundalini dos iogues. O objetivo da consciência da Terra é nos conectar com ela para que nos libertemos da mente do predador. O uso sábio e sóbrio de plantas de poder é uma forma de nos conectarmos a essa consciência e promover o despertar da serpente Kundalini. Muitos caminhantes do Xamanismo de plantas de poder não ignoram a capacidade de estimular a Serpente Kundalini de plantas de poder como a Ayahuasca. Algo que exige do praticante grande equilíbrio ao lidar com esta Força. Não é à toa que a serpente é o clássico símbolo da medicina, pois Ela é a medicina contra o parasita que é o predador. Ao nos conectarmos com a consciência da Terra adquirimos a harmonia e a paz interior que implica na cura da mente doentia do predador.

O cultivo do brilho da consciência em conjunção com o uso sóbrio e sábio de plantas de poder é outro fator para o despertar e o desenvolvimento da Kundalini.
(...)

Através de nossas emoções alimentamos outros seres.
Os predadores criam traumas emocionais que sustentam um determinado padrão de energia que permite a sua subsistência. Precisamos cortar-lhes a comida.
Precisamos deixar de sentir medo.

Por aí dá para perceber porque as religiões teístas e patriarcais perseguiram e perseguem o feminino até hoje. A mulher não está tão sujeita ao predador como o homem, então teve que ser sujeitada pela força. A caixa de percepção que é o útero feminino deve que ser domado pela força, pelo preconceito, pela repressão, pelo rebaixamento da mulher e pela proibição dela como sacerdortisa. Não há mulheres ocupando posições de destaque no Judaísmo, no Cristianismo e no Islamismo, as 3 grandes religiões do mundo.

Por aí dá para perceber porque fomos afastados do mundo natural, da natureza e fomos trancafiados em grandes cidades, em enormes humaneiros, onde homens não são mais seres humanos, não são mais mamíferos em harmonia com o meio, são parasitas que se reproduzem destruindo tudo a sua volta. Tal comportamento é reflexo da mente alienígena do predador.

A humanidade atual foi feita à imagem e semelhança do predador.

Por aí podemos perceber porque a agenda de destruição do planeta em ação há séculos. Afinal de contas porque humanos conspirariam contra humanos e contra si mesmos? A essência da dominação consiste em dividir os dominados para assenhorar-se deles. Notem que em torno da Bíblia existem 3 grandes religiões patriarcais e teístas, que lutam entre si pelo rebanho e que estão divididas em milhares de seitas, facções e igrejas, e que no suposto lugar do túmulo de Cristo existem dois túmulos (relativos a diferentes seitas) e vários altares.

Para a mente é difícil acreditar nisso, mas é porque esta mente não é nossa de fato, por isso não temos nenhum controle sobre ela. Já tentou ficar 2 minutos sem pensar? "
(...)

MUITO BOAS PISTAS DO CAMINHO...DA SERPENTE...

sábado, novembro 29, 2008

EU QUERIA PENSAR NOS ANJOS...


Catalina Pestana, ex-provedora da Casa Pia, dizia há dias numa entrevista à R.T.P. que nunca imaginara que seres humanos que defendiam causas humanas e sociais e se diziam solidários com tanta convicção, que defendessem ideais tão nobres, digo eu, pudessem depois ter comportanmentos tão aberrantes e monstruosos…ela tinha sido de esquerda, tal como eu, e acreditava nos homens e nas suas causas e idealismos…Mas quando soube dos horrores sexuais cometidos por professores, médicos, políticos e jornalistas, gente formada e culta com crianças desprotegidas… mas não digo inocentes, infelizmente, sentiu-se morrer quando percebeu aquilo que os homens “normais” podem fazer às crianças (neste caso também às mães…ou aos filhos sem mãe…) da Casa Pia, independentemente do que dizem e parecem ser… Homens com filhos e famílias instituidas, religiosos talvez...
Passa-se o mesmo com a violência doméstica e a violência psicológica. É a hipocrisisa católica apostólica romana no seu melhor!
E eu pergunto o que é que faz os homens serem monstros? O que é faz os homens serem tão horríveis nos danos que se fazem uns aos outros, mas sobretudo às mulheres e crianças em todo o mundo e compactuarem com isso?
E respondo, a falta de amor e de respeito pela Mulher em si e pela Mãe, pela Terra e os animais…porque só isso os faz odiarem-se assim tanto a si mesmos e à sua sombra ao ponto de recorrerem às práticas pedófilas mais hediondas…
e EU NÃO DIGO QUE NÃO HÁ HOMENS BONS COMO HÁ MULHERES MÁS...MAS É SÓ PARA CONFIRMAR A EXCEPÇÃO À REGRA...
RLP

E SE FOSSE "SER MULHER!"...


Minha amiga:

Obrigada pela sua informação. Embora eu não acredite que a boa vontade dos homens sirva para alguma coisa sem a consciência das mulheres, creio na sua boa intenção, assim como na das mulheres da Umar. O seu trabalho é sem dúvida meritório mas ingénuo. Porque enquanto a mulher não tiver consciência de si mesma enquanto ser cindido e não tiver acesso à sede do seu poder interno ela vai acreditar no homem como seu salvador e apelar sucessivamente para os homens como se eles é que as pudessem proteger…mesmo quando vêem que são os próprios maridos e amantes a matar e a escravisar as mulheres e que nem a polícia nem os políticos fazem nada por elas. As mulheres políticas estão a acreditar nos homens políticos ou nos outros, “os homens de boa vontade”, como as católicas acreditam nos padres, tão desprezadas e oprimidas pela Igreja como o são as casadas em casa pelos maridos, há séculos... Elas não percebem que estão a agir tal como as mulheres casadas, que mesmo violentadas, tendem a crer que eles, os seus algozes, mudam…e não vêem que esses homens são os mesmos que em outras casas praticam, no mínimo, violência psicológica com as suas mulheres ou que as desprezam mantendo apenas as aparências.

Enquanto a mulher não tiver consciência da sua própria divisão interna e não lutar por ela mesma para se elevar enquanto ser livre e integro, enquanto ela não perceber que a sociedade patriarcal NUNCA a aceitará sem que seja ela mesma a afirmar-se e a conquistar a sua integridade, ela não pode esperar do homem uma verdadeira fraternidade pois ela mesma continua dividida e contra as outras mulheres…Digo-lhe apenas isto: se eu lhes falasse a elas do que penso e como penso elas estariam contra mim…
Pense nisso.
E pense que a maioria dos “professores” que se manifestam contra
a Ministra da Educação são na grande maioria mulheres…imagine o que seria se as mulheres em vez de se manifestarem pela “avaliação” contra a divisão da classe se manifestassem contra a violência sobre as mulheres?
Imagine só…em todo o País, com chuva ou sol, ali estão milhares de mulheres unidas e indignadas a gritar pela sua classe…atingidas na sua dignidade de professoras elas reagem, mas atingindas as mulheres na sua dignidade pessoal e física enquanto pessoa humana…elas não se importam, sabe porquê? Porque se estão nas tintas para as outras mulheres…elas defendem o sistema, as suas profissões, as suas crenças por puro egoísmo…não é uma causa solidária…é apenas o seu ego de professores posto em causa… a subida na carreira e os ordenados…

É dentro do quadro da sociedade de consumo, onde se produz roupas ou cultura com a mesma falta de consciência e se morre por dentro sem amor nem verdadeira dignidade…Porque a sociedade patriarcal, seja ela capitalista ou comunista não respeita nem nunca respeitou a mulher na sua essência!!!


NOTA À MARGEM:

Entre esse arrumador de carros, que persegue a mulher e a ameaça, um proxeneta e um fanático muçulmano só difere a crença. Um acredita em alá...o de cá tanto como o proxeneta, crê-se alá ele mesmo... Estes são os deuses menores…os deuses fabricados pelos patriarcas que matam e mandam nas suas mulheres…por lei, por honra e orgulho, por ódio e medo…São os mesmos que se dizem terroristas e matam em nome de uma justiça qualquer ou de um deus que odeia a natruzea e as mulheres.
Os que ameaçam e matam as mulheres são os terroristas potenciais que andam para aí à solta e não são presos. A polícia e o Estado, assim como a igreja são coniventes com eles há séculos. Como o foram com a pedofilia e continuam a encobrir-se uns aos outros…é por isso que não consigo acreditar que haja homens que não sejam cúmplices...
- O caso assinalado no poste anterior é só mais um caso de entre muitos de todos os dias em todo o mundo.

QUEM NÃO É CUMPLICE QUE O DIGA...

http://www.eunaosoucumplice.wordpress.com/

Subject: Homens pelo fim da violência contra as mulheres: assine a petição

2008 tem sido um ano negro da violência doméstica em Portugal. Homicídios e tentativas de homicídio ultrapassam os números dos últimos 5 anos. Apesar de toda a consciencialização social, os dados apontam para um agravamento do problema. Urge, pois, enfrentá-lo com respostas mais eficazes.
Neste sentido, a UMAR lança uma campanha dirigida aos homens para que estes se solidarizarem com as vítimas de violência, retirarem o apoio aos agressores e se demarcarem publicamente dos seus actos.
A campanha "Eu Não Sou Cúmplice" tem o objectivo de mobilizar as energias masculinas para esta batalha dos direitos humanos que está longe de estar ganha.
Se repudia toda e qualquer violência contra as mulheres, comprometendo-se na consciencialização e intervenção social da sociedade para a igualdade de género e promoção de uma cultura de não violência;
Se apela a todos os homens que não sejam cúmplices e testemunhas passivas da violência contra as mulheres, faça-se ouvir:
Assine a petição.
Assine! Divulgue!

http://www.eunaosoucumplice.wordpress.com/

ENVIADO POR UMA LEITORA
Eu só me questiono: porque não lança a Umar uma campanha dirigida às mulheres???
Porquê aos homens?!
*

É MINHA HOMÓNIMA....


"Trancada em casa com medo do ex-marido...

IN DN. SUSANA PINHEIRO, Braga

Violência doméstica. Rosa está 'barricada' em casa desde quarta-feira. Diz que não tem coragem de sair por causa das ameaças de morte do ex-marido, que continua a persegui-la.

Rosa já chamou várias vezes a polícia ao local ...

"Continuo presa com a minha filha de seis anos dentro da minha própria casa, porque, se saímos, o meu ex- -marido mata-me à frente dela", conta Rosa Peixoto, há três dias "barricada" no seu apartamento, em Braga. A mulher foi vítima de maus tratos durante 16 anos de casamento, o que resultou na condenação, em tribunal, do ex-marido e na proibição de se aproximar dela.

Rosa diz-se inconformada por as autoridades não o prenderem, pois "foi condenado a três anos e meio de cadeia com pena suspensa pelos maus tratos" que lhe terá causado. Fonte oficial adiantou ao DN que a mulher já apresentou um requerimento ao tribunal a queixar-se das ameaças de morte feitas pelo ex-marido e da presença dele junto à casa. "Hoje de manhã, a polícia trouxe um documento do tribunal para ver se era verdade que ele anda aqui a ameaçar-me", disse Rosa. O DN sabe que o tribunal solicitou à polícia para verificar no local se o indivíduo estava a desobedecer à ordem judicial. Se ele for apanhado em flagrante delito, o tribunal pode revogar a suspensão da pena de prisão.
(...)
Rosa já chamou várias vezes a PSP, que confirmou ao DN que esteve no local e "agiu de acordo com a lei", mas não o deteve. "A PSP contactou o indivíduo pela descrição que a senhora deu e foi-lhe dito que ele não se pode aproximar", adiantou fonte da polícia.

Rosa diz que continua a viver "um inferno" mesmo depois do "martírio" que foi o casamento. Casou aos 15 anos porque estava grávida e os maus tratos começaram logo após o nascimento do filho: "Pôs-me os olhos negros e, quando as pessoas perguntavam, eu mentia e dizia que tinha caído." O pior, recorda, era quando "estava alcoolizado e drogado, pois ficava muito agressivo. Chegou a consumir droga à frente da menina". "Fiz uma cirurgia plástica ao rosto porque ele me atirou um candeeiro de ferro." E já perdeu a conta às vezes que teve de ser assistida no hospital e as que teve de fugir dele. Em 2007, conseguiu fugir de casa e esteve "dois meses numa residencial com a ajuda da assistente social" depois dele a agredir."
*
UMA HISTÓRIA PORTUGUESA...CONCERTEZA...
IMPORTANTE SÃO OS MILHÕES PARA OS BANCOS E PARA A ECONOMIA...
E O MAGALHÃES...A GRANDE DESCOBERTA!!!
COMO SE A TECNOLOGIA SALVASSE ALGUÉM DA MISÉRIA E DA IGNORÂNCIA...

sexta-feira, novembro 28, 2008

NÃO DES - ESPEREM; ESPEREM...

ÀS VEZES DEMORO UM POUCO A RESPONDER AOS COMENTÁRIOS...
MAS NÃO DES-ESPEREM...
NÃO ME ESQUEÇO DE NINGUÉM E TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO PRECIOSOS...
SEMPRE QUE CALHA PUBLICO-OS....
E NÃO HÁ NINGUÉM NESTE ESPAÇO QUE NÃO SEJA IMPORTANTE...
MESMO QUE UNS (OU UMAS) PENSEM QUE SÃO MENOS QUE OUTROS/AS...
*
E AQUI ESTAMOS DE NOVO NO IMPASSE DA LÍNGUA. ORA SE QUASE SEMPRE SÃO MULHERES QUE COMENTAM E EU ME DIRIJO ESSENCIALMENTE A MULHERES COMO NÃO FALAR SEMPRE NO FEMININO? PORQUE POR VEZES APARECE UM HOMEM E PORQUE A LINGUAGEM "CORRECTA" ASSIM O EXIGE...

-O QUE É QUE PENSAM DISTO?
*

O QUE NÓS HERDÁMOS


ANTES DA CIVILIZAÇÃO DA ESPADA...
ERA A "ENERGIA FEMININA SOLAR" QUE IMPERAVA...

"Em períodos mais arcaicos, muitos povos adoravam o Sol como um aspecto da Mãe Natureza, com as funções de iluminar o mundo, curar os enfermos, vivificar e ressuscitar os mortos, acalentar o âmbito privado do lar e do Templo, proteger os campos contra geadas, etc.

Mas como eram essas culturas centradas na mulher e na adoração da Deusa?

Nessas culturas eram amantes da paz, pois junto a elas não haviam fortificações militares, nem armas. Parece também, não ter havido guerras organizadas em grande escala, apenas as escaramuças e conflitos pessoais de escassa importância que ocorrem em qualquer sociedade humana. As armas encontradas, eram pequenos instrumentos pessoais, o que sugere que seriam usadas primordialmente para defesa.

Aos centros da Deusa faltava também uma estrutura política burocrática, pois as pessoas viviam em famílias extensas, semelhantes a clãs governado por mães. Não existia escravatura. As mulheres atuavam como sacerdotisas, artistas, agricultoras e caçadoras de animais de pequeno porte. Em suam, essas culturas neolíticas da Deusa parecem ter lançado as sementes para o fascínio dos pensadores ocidentais com a Utopia, não como uma possibilidade futura, porém, mas como um sonho a respeito de uma realidade que perdemos.

As sociedades matrifocais podem ter tido, na verdade, as características de uma Idade de Ouro simplesmente porque a vinculação primária era entre filhos e mães. Como já salientou o psicanalista Erich Fromm, os filhos devem "conquistar" o amor do pai, usualmente pela obediência e o conformismo. O amor de mãe é incondicional, o que engendra boa vontade. As culturas baseadas no amor materno e reforçadas pelos ritos religiosos em torno da Deusa-Mãe teriam sido sociedades pacíficas, condescendentes, mantenedoras da vida, baseadas na confiança. A natureza sacrossanta de toda a vida teria sido realçada, e o comportamento destrutivo, violento, destrutivo, desencorajado. Os valores humanistas decorrentes da jovialidade natural das relações entre mãe e filho teriam cimentado muito mais o relacionamento social do que a mera obediência a uma figura autoritária.

Com a implantação do regime patriarcal, toda essa energia feminina solar canalizada na Deusa, assim como todos os seus símbolos foram considerados demoníacos. O clímax desses acontecimentos se deu na Idade Média, com a Inquisição, momento em que a imagem oposta do arquétipo do Cosmo Feminino começou a emergir.

Quando os Deuses Solares tornaram-se heróis todas as Deusas passaram a ser as vilãs, e muitas velhas histórias foram reescritas. A mitologia sacra começou a refletir um dualismo desconhecido nos tempos neolíticos. Sol e Céu opostos à Terra e à Lua, coisas que eram parte da Grande Mãe, incluindo o poder de destruir, o mistério da morte e a escuridão da noite. Essas polaridades não tinham conotação moral. Não era questão de "Bem" contra o "Mal", e sim, que todas as coisas tinham aspectos positivos e negativos, todos eles ingredientes necessários na Grande Roda da Vida Criada.

Com a Criação do Antigo Testamento, a interpretação da história tornou-se então a base para a auto-negação do próprio homem, negação essa que não pode despertar outra coisa do que espanto e horror, pois a natureza humana e principalmente a mulher são considerados repulsivos e envenenadoramente maus."

COMO PENSAVAM OS PAPAS...

"Talvez as palavras mais crassas sejam aquelas do Papa Inocêncio III em "De contemplu mundi" ("Do desprezo por este mundo", onde ele declara claramente sobre a humanidade:)

"Formatus de spurcissimo spermate, concetus in pruritu carnis, sanguine menstruo nutritus, qui fertur esse tam detestabilis et immundus, ut ex ejus contactu frudes non germinent, arescant arbusta... et si canes inde comederint, in rabiem efferantur." - Formada do esperma mais imundo, concebida no prurido da carne, alimentada pelo sangue menstrual, que é considerado tão nojento e imundo que depois de ter contato com ele, as frutas dos campos já não germinam, os pomares secam... e os cães, se dele comem, ficam raivosos. - Impressionante! "
(...)
(autor desconhecido - enviado por um/a leitor/a)

quinta-feira, novembro 27, 2008

DE VOLTA AO JARDIM DO EDEN

“Lilith: Deusa, Demónio ou Lua Negra da Terra” por Julie Loar (Julie Gillentine)

- artigo retirado de Queen of Cups, Inc. /Antiga Sabedoria para o Mundo Moderno, e que foi publicado com autorização da “Atlantis Rising Magazine”,#71

(...)
“Psicologicamente, em todos os seus aspectos, Lilith parece representar facetas do feminino que foram suprimidas. A sua natureza manifesta-se como uma Desordem de Múltipla Personalidade em que aspectos do feminino foram estilhaçados, e algumas dessas partes são etiquetadas como boas e outras como más.

Individual ou colectivamente, a maneira como isso se apresenta depende do contexto. Lilith pode ser um anjo rigoroso e severo, ou um demónio colérico. Algumas vezes ela está zangada e é vingativa, outras vezes ela tem o poder de retomar o seu estatuto correcto de parceira em igualdade. Os astrólogos que usam Lilith, em qualquer das suas formas, acreditam que ela revela feridas relacionadas com o poder feminino, tanto em homens como em mulheres. Reconhecer que há algo a que foi negado acesso, é um primeiro passo para restaurar o equilíbrio. Podemos imaginar que destino teria sido o da humanidade se Adão e Lilith se tivessem entendido.

Lilith saiu do jardim e consequentemente a sua natureza e poder descontrolado passou a ser temido e foi declarado mau. A história de Lilith encarna o que ocorreu nos mitos ao longo dos tempos à medida que as culturas que veneravam antigas deusas foram eclipsadas pelo patriarcado emergente. [Dos três mitos referidos acima] Personificando a Árvore da Vida, Lilith é um exemplo de quantas divindades femininas foram demonizadas. Nos tempos modernos, à medida que o pêndulo retorna no seu movimento, Lilith tornou-se um ícone de poder feminino.”

De volta ao jardim...

No Éden existiam duas árvores. Eva, criada para substituir Lilith, agarrou no fruto da outra árvore, a Árvore do Conhecimento. Ela foi acusada pela Igreja, e com ela, todas as mulheres, pelos pecados do mundo. Descodificar o significado simbólico da serpente, antigo e difundido símbolo da sabedoria feminina, é fundamental para compreender os níveis mais profundos da história da humanidade. Na Cabala, a tradição mística do judaísmo, a serpente sobe pela Árvore da Vida para retornar à fonte.

A natureza fragmentada e confusa de Lilith, no mito e na astrologia, pode reflectir as maneiras como as nossas escolhas fracturaram a psique humana, e ela pode deter a chave que poderia abrir possibilidades de cura. Furar o véu da persona enigmática de Lilitih pode dar aos homens e mulheres modernos uma energia que confere poder e que é muito necessária no mundo de hoje. Alguns simbolistas sugeriram que a Idade de Aquário pode ser simbolizada por jardins e por uma Terra mais verde. À medida que a consciência humana se expande, creio que todos beneficiaríamos se redimíssemos a nossas naturezas separadas.



Integrar todas as partes da nossa feminilidade, incluindo a sexualidade e os mistérios da velhice e da morte, poderia tornar-nos mais fortes e sábios ao enfrentar os actuais desafios ambientais.”

“Lilith: Deusa, Demónio ou Lua Negra da Terra” por Julie Loar (Julie Gillentine)

- artigo retirado de Queen of Cups, Inc. /Antiga Sabedoria para o Mundo Moderno, e que foi publicado com autorização da “Atlantis Rising Magazine”,#71
*
(Tradução do inglês feita pela Elisa Soares)

quarta-feira, novembro 26, 2008

O REGRESSO À MÃE E À NATUREZA

É A ÚNICA VIA DE SALVAÇÃO DA TERRA

A MATRIZ UNIVERSAL

“A Terra-Mãe, a Deusa-Mãe de todas as religiões posteriores, é sentida, (...) como matriz universal, como fonte ininterrupta de toda a criação. A morte, em si própria. Não é um fim definitivo, não é um aniquilação absoluta, tal como é por vezes concebida no mundo moderno. A morte, é assimilada à semente que, enterrrada no seio da Terra-Mãe, fará nascer uma planta nova. Pode assim falar-se de uma visão optimista da morte, pois a morte é considerada como um regresso à Mãe, uma reintegração provisória no seio materno. (...)

Eis porque, a partir do neolítico, encontramos o enterro em posição embrionária: os mortos são colocados na Terra numa atitude de embriões, como se esperasse a todo o momento regressarem à vida.” (...)

Mircea Eliade, diz ainda: “O que a Lua revela ao homem religioso (numa autêntica metafísica da Lua), é não somente que a Morte está indissociavelmente ligada à Vida, mas também, e sobretudo, que a morte não é definitiva, que é sempre seguida de um novo nascimento. É por tais razões que o culto da Grande Deusa-Mãe, a que estão ligados os dolmens da civilização megalitica, é um culto simultâneamente terrestre e lunar.”

“Representações ofídicas e astrais, como aqui das mais correntes nos dolmens deste período, nos poderá levar a supor que a Deusa era já adorada e cultuada como rainha do céu e da terra, mãe dos vivos e dos mortos, num culto inseparável de fertilidade e funerário: ainda, com o seu poder de fazer germinar os grãos e ressuscitar os mortos, ele surgirá na época do domínio, sob o nome de Atégina.”*
*Cita, Dalila Pereira da Costa, no seu livro “da Serpente à Imaculada”

FALTA A DIMENSÃO DO FEMININO EM PORTUGAL...


A SERPENTE ESMAGADA PELAS RELIGIÕES PATRIARCAIS FEZ COM QUE OS HOMENS PAULATINAMENTE DESTRUISSEM TODA A NATUREZA E A MULHER...

SEM O FEMININO SAGRADO O EQUILÍBRIO DO MUNDO DESFEZ-SE. A UNIDADE DO SER, BASEADO NOS DOIS PRINCÍPIOS, FEMININO E MASCULINO, DESAGREGOU-SE...


"A Serpente apresenta como símbolo do reconhecimento global a serpente enrolada, a boca tocando o rabo, denomina simbolicamente o universo do saber, a unidade do ser. (...)

A Serpente indica a gravidade e a esfericidade do universo, o saber de geonomia e o conhecimento dos elementos, patentes na simbólica da cruz celta.

“Que este símbolo nos ajude a entender melhor a evolução deste velho país, lançando movimentos universais cuja energia a certa altura parece extinguir-se ou transferir-se para o dinamismo de outros povos, mas retomando-os mais tarde a outros níveis para de novo relançar movimentos de teleológico alcance, assim exprimindo uma identidade complexa, entre o genial e o decadente, sobre um misterioso substracto profético e messiânico.”

“Portugal é um país marcado por um destino fulgurante, embora muitas vezes infeliz, um país encoberto pela incompreensão ou pelo estrangeiramento dos seus próprios filhos infiéis, o que foi notado por pensadores de outras nacionalidades, um país onde se situa no entanto um dos grandes pilares ou fundamentos da civilização humana. Esta verdade do Portugal profundo e encoberto não é porém acessível a todos, porque a terra e o espírito da terra não são patentes na visão de curto alcance, nas ambições limitadas e na constituição cultural e psico-sociológica que dominam as nossas classes políticas e “intelectuais” de hoje.

“No Caminho da Serpente, disse Fernando Pessoa, que ela liga os contrários verdadeiros (os pólos opostos complementares) porque, ao passo que os caminhos do mundo são, ou da direita, ou da esquerda, ou do meio, ela segue um caminho que passa por todos e não nenhum.” (...)

É no entanto do conhecimento e da compreensão ou da desocultação da sua realidade recôndita e recalcada, para além das visões sociológicas superficiais, que depende o seu futuro, o futuro de todos nós, não um futuro qualquer, em mediocridade complexa e imitativa, mas um futuro de renovada grandeza humana para a nossa pátria prometida.” prometida.”

PORTUGAL,
RAZÃO E MISTÉRIO de António Quadros

A SERPENTE e o poder do feminino


Querida Rosa, postei hoje em meu blog e acho que tem relação com teu comentário:

"A Serpente representa a consciência da Terra, é a consciência do mundo natural, FEMININA e ecológica, representa o eterno poder do FEMININO, e como somos filhos da Terra, essa consciência também se expressa em nossos corpos, em nosso corpo ela é a serpente Kundalini dos iogues. O objetivo da consciência da Terra é nos conectar com ela para que nos libertemos da mente do predador (ler no fim do texto o que são os Predadores).

O uso sábio e sóbrio de plantas de poder é uma forma de nos conectarmos a essa consciência e promover o despertar da serpente Kundalini. Muitos caminhantes do Xamanismo de plantas de poder não ignoram a capacidade de estimular a Serpente Kundalini de plantas de poder como a Ayahuasca. Algo que exige do praticante grande equilíbrio ao lidar com esta Força. Não é à toa que a serpente é o clássico símbolo da Medicina, pois Ela é a medicina contra o parasita que é o predador. Ao nos conectarmos com a consciência da Terra adquirimos a harmonia e a paz interior que implica na cura da mente doentia do predador.
O cultivo do brilho da consciência em conjunção com o uso sóbrio e sábio de plantas de poder é outro fator para o despertar e o desenvolvimento da Kundalini.

NEM TODOS PRECISAM DO AUXÍLIO DE PLANTAS DE PODER.
O uso de plantas de poder é uma forma de nos conectarmos com a consciência da Terra. Alguns, em especial as MULHERES, já possuem essa conexão por si. O uso de plantas de poder não pode ser indiscriminado. Deve estar em harmonia com a energia e a configuração de cada um. Cada um tem uma planta que lhe é favorável, tornando-se assim um aliado.Já o cultivo do brilho da consciência é fundamental.Este brilho é a fonte de alimento dos predadores.Também é a fonte de alimento de nossa alma, de nosso corpo de energia.

LEIA, É MUITO IMPORTANTE:
“Consciência alimenta consciência”.

Através de nossas emoções alimentamos outros seres. Os predadores criam traumas emocionais que sustentam um determinado padrão de energia que permite a sua subsistência. Precisamos cortar-lhes a comida. Precisamos deixar de sentir MEDO.
Por aí dá para perceber porque as religiões teístas e patriarcais perseguiram e perseguem o FEMININO até hoje. A MULHER não está tão sujeita ao predador como o homem, então teve que ser sujeitada pela FORÇA. A caixa de percepção que é o ÚTERO FEMININO teve que ser domado pela FORÇA, pelo PRECONCEITO, pela REPRESSÃO, pelo REBAIXAMENTO da MULHER e pela PROIBIÇÃO dela como SACERDOTISA.

Não há MULHERES ocupando posições de destaque no Judaísmo, no Cristianismo e no Islamismo, as 3 grandes religiões do mundo.Por aí dá para perceber porque fomos afastados do mundo natural, da Natureza e fomos trancafiados em grandes cidades, em enormes humaneiros, onde homens não são mais seres humanos, não são mais mamíferos em harmonia com o meio, são parasitas que se reproduzem destruindo tudo a sua volta."


terça-feira, novembro 25, 2008

O LIVRO...JÁ À VENDA


DIA INTERNACIONAL CONTRA A VIOLÊNCIA SOBRE AS MULHERES



NOTA À MARGEM...

Não sabia que se assinalava mias este dia e foi um mero acaso ter colocado estes dois textos sobre a violência doméstica e social que se abate sobre as mulheres em todo o mundo.

Uma amiga que me telefonou informou-me de um debate a que assistira na Universidade e mais tarde um programa de televisão sobre o tema...

Sobre o que ouvi nada escutei sobre a dita questão essencial que eu saliento no meu texto e no meu livro...Mais uma vez a Causa principal do exercício da violência milenar sobre a mulher não é equacionada...e o meu livro tal com o meu Blogue vai continuar a ser ignorado pelas intelectuais, jornalistas, políticas e activistas das causas das mulheres...
Nem eu espero outra coisa. Essas mulheres estão dentro do sistema patriarcal e são formadas pelas suas universidades...o seu pensamento é linear...racional e masculino! Elas não querem ver que essa causa principal é a religião...mas ninguém ousa ou quer mexer com o Monstro...todas têm medo de afrontar a ordem patriarcal e de perder os seus favores. Elas falam da violência doméstica, mas desconhecem a violência profunda que foi a alienação secular de si mesmas e do Feminino Sagrado. Feminismo sim, mas sagrado não...Deusa? Não que disparate...SÓ DEUS PAI e os santos podres da igreja...
...CÁ POR MIM PREFIRO OS MEUS GATOS, SÃO MAIS FELINOS E INTELIGENTES QUE TODAS ESSAS MULHERES CULTAS...

O ABUSO PSICOLÓGICO

A Violência psicológica
Por Maria da Penha Vieira

"Tem sido dado ênfase à violência doméstica que atinge as mulheres, na forma física. Acontece que, absolutamente mais comum e infinitavemente mais danosa é a violência psicólogica, que não acontece apenas no ambiente doméstico sendo que esta, por ser continuada no tempo, até mesmo sem ser identificada pela vítima, é a forma de abuso mais difícil de ser identificada, porque não deixa marcas evidentes no corpo ( exceto talvez, uma postura corporal ). A agressão psicológica pode ficar camuflada em doenças alérgicas e auto-imunes.

Ela é comumente camuflada pela sutileza das relações intra-familiares mas causa sofrimento e conduz a mulher à alterações de comportamento, postura corporal e/ou reações psicossomáticas. Ainda o fato de esta mulher, acossada, diminuida em sua autoestima, repassar aos filhos, o amargor, mesmo que involuntária e inconscientemente levando à perpetuação, igualmente perversa ao criar modelo deste tipo de violência na vida adulta dos filhos.

O abuso psicológico também permeia todas as outras modalidades de abuso e isto é o mais dramático, pois exacerba o nível de possibilidades de toda a família em apresentar distúrbios de ordem psicológica adentrando nas suas relações afetivas, dificultando-as. O acúmulo da vivência desse tipo de violência, faz elevar os índices de freqüência aos hospitais psiquiátricos, elevar globalmente o nível de disturbios mentais, bem como elevar o índice das estatísticas dos suicidas.
Pode-se considerar que essa forma silenciosa de violência, vivida pela mulher casada no seu cotidiano, é pouco ou nada considerado até agora. Mas essa violência não acontece apenas com as mulheres, muito mais às crianças e adolescentes, vítimas mais disponíveis.

No caso das mulheres casadas, consideramos que se de um lado existe o criminoso, em geral o marido, agindo através do poder financeiro e econômico, cultura do ciúme e mais atual, a evitação da independência da mulher no imaginário que está em formação, da ascendência profissional vista como concorrência, do outro lado está a própria mulher que, principalmente, se ama o marido, aceita a posição de vítima como uma demonstração de amor. Com certeza não é difícil alcançar que o poder econômico e financeiro do marido pode servir de alavanca da medida e do grau de dependência financeira da mulher em relação ao parceiro.
Esta mulher casada, que ama o companheiro, quando vítima de atrocidades psicológicas tende, quase sempre ao sentimento de culpada, invariavelmente. Ou não consegue identificar a capacidade do companheiro em arquitetar e manietar. Sente-se confusa pois não acredita na possibilidade de intenção e mesmo não acreditam ser esta, uma forma de violência. Não acredita que o marido a está fazendo sofrer deliberadamente fazendo-a sentir o sabor do poder que ele detém.
A "confusão" sentida e vivida pela mulher vítima de atrocidades psicológicas reside, na maioria das vezes, no equívoco de "confundir" os sentimentos. Desvalia, ódio, rejeição. Esta mesma mulher que pensa que ama, pode não amar o marido. Muitos outros motivos podem estar contribuindo para que ela viva o sentimento de "confusão". Medo de encarar outra realidade que ela pensa ser mais difícil, que ela pensa que não vai conseguir alcançar. O medo da separação, do divórcio. O medo de ter "fracassado" no seu casamento e por fim, também a possibilidade de ela confudir-se no sentimento de culpa e perder-se no desconhecimento da auto-punição ou auto-destruição.

Essa violência pode estar sendo demonstrada através da ridicularização do físico mulher - gorda, magricela, pele e osso, velha, relaxada, não capaz de ganhar dinheiro para ajudar a família etc - da incapacidade intelectual - burrinha, desinformada, fora da realidade. Atitudes constantes de censura, pressões, cobranças, comparações, a exemplo.

Pode-se considerar que a forte pressão psicológica alcança características de tortura quando movida por objetivo definido da qual a vítima é o meio. Muitos exemplos poderiam ser extraídos. O marido que premeditadamente força a pressão psicológica até que ela chegue a atingir níveis insuportáveis pela vítima que cede diante da fragilidade psicológica e emocional. Esse objetivo pode ser, conseguir o descrédito da mulher ao ser considerada mentalmente incapacitada para administrar patrimônio, por exemplo. Outro tipo de tortura com objetivos de conseguir informações; essa seria a tortura política e objeto de outro enfoque.

-Encontrei esse artigo e achei interessante. Pouco ou quase nada se fala sobre isso.

(texto enviado por uma leitora)

OS MEDOS DAS MULHERES...


A "confusão" sentida e vivida pela mulher vítima de atrocidades psicológicas reside, na maioria das vezes, no equívoco de "confundir" os sentimentos. Desvalia, ódio, rejeição. Esta mesma mulher que pensa que ama, pode não amar o marido. Muitos outros motivos podem estar contribuindo para que ela viva o sentimento de "confusão". Medo de encarar outra realidade que ela pensa ser mais difícil, que ela pensa que não vai conseguir alcançar. O medo da separação, do divórcio. O medo de ter "fracassado" no seu casamento e por fim, também a possibilidade de ela confudir-se no sentimento de culpa e perder-se no desconhecimento da auto-punição ou auto-destruição."

(...) in Violência psicológica, Maria da Penha Vieira


- "Encontro-me em situação de violência psicológica e não sei como sair disso..."
- Esta situação é tremendamente comum e apesar de hoje em dia começar a ser retratada em cinema e telenovelas, mesmo debatida em conferências muito bem-intencionadas, nunca é tratada de forma correcta e em profundidade, com as questões essenciais como referência, que para mim são evidentemente a divisão da mulher em si mesma e a sua falta de consciência do verdadeiro feminino. O que a mulher enfrenta social e familiarmente e por consequência a nível psicológico tem a ver sobretudo e basicamente com essa divisão interna do seu ser como o cerne de toda a questão. Ao olharmos apenas para os aspectos económicos e sociais, a falta de dinheiro, de educação ou de cultura como as únicas causas de abuso sexual e psicológico que a mulher sofre, estamos a afastar-nos do âmago do problema. Todo o ataque verbal ou físico à mulher, por mais cultura que tenha, passa pelos antigos tabus e conceitos religiosos ou preconceitos machistas relacionados com essa divisão das mulheres em duas pela igreja de Roma e o sentido de posse e de direito de ajuizar que o homem, seja ele o marido o político ou o padre, ainda têm sobre a mulher em todo o mundo.
Quantas mulheres de nível social e cultural elevado não são violentadas e abusadas pelos maridos, como citei há dias o caso de uma mulher jovem que a família, católica com certeza, achava que o desentendimento entre o casal e a violência sobre a mulher, são coisas de foro íntimo e não devem ser faladas?
A mulher é como se fosse um ser expiatório de todos os males. A mulher é como se fosse um saco roto sobre o qual recai toda a miséria do Homem como sendo ela a Culpada dos males da humanidade de acordo com o que é apontado na Bíblia (associada ao diabo) e outros livros ditos “sagrados” (Sagrado é o corpo da Mulher e Mãe) e isso se perpetuasse e propagasse ad infinito sem que ninguém queira ver isso porque teria de por em questão a ordem do mundo patriarcal. Mas é esta ideia e este sentimento que o inconsciente colectivo carrega como informação básica dos males do mundo e descarrega impiedosamente sobre a mulher. A mulher tem servido de cobaia para o descarregar todo o tipo de frustrações acumuladas pelo homem e é a vítima principal de todas as desgraças…

O Homem, ao ir à prostituta "em busca de prazer" vai é descarregar a sua raiva até ao ponto de a assassinar, exerce a mesma violência que em casa, esta, digamos, de forma atenuada, desde o exercício “normal” da sua sexualidade à violência doméstica, apreendida e acentuada ainda através da pregação religiosa da submissão da mulher, da publicidade e dos média em geral e da violência cinematográfica. Seja no mito do amor romântico, em que ela é adulada, por suposto numa falsa imagem, seja na abjecção da mulher através da pornografia, em que a mulher é sempre instrumentalizada, o que podemos ver nesses filmes é o reflexo de uma só e a mesma coisa: o ódio e o medo ancestral do homem de um ser que lhe escapa ao entendimento, porque baseado na divisão da mulher entre a santa e a puta…
A mulher é o objecto de descarga emocional e sexual do homem, ela é a causa da sua felicidade nunca alcançada e a causa da sua permanente infelicidade e ele acaba por a possuir pela violência e pelo ódio…Mesmo quando diz amá-la, vinga-se na mulher, na amante e na mãe, na filha, de todos os infortúnios e frustrações e ignorância…Ela aceita e sofre porque não é nada sem o Homem …e ele, que não é nada sem ela de facto, se a não pode amar porque não sabe quem ela é, só a pode odiar e maltratar…porque a mulher que ele quer é inconciliável…ele quer as duas e é obrigado a escolher entre uma metade, a casta esposa e a outra metade, a prostituta.

O ciclo é vicioso e está viciado em todos os sentidos. Mas o mais grave é a mulher que acaba por absorver essa violência física ou psicológica, implícita em tudo ou tácita e acaba odiando-se a si e às outras mulheres. Ela está contra a sua natureza essencial, ela está envenenada de detritos do homem, desde os seus preconceitos, à energia da raiva e do ódio, ao esperma infectado de vírus…e ela, a cobaia, a vítima, sofre e adoece em 90% dos casos de cancro da mama e do útero ou dos ovários.

Porquê urge perguntar? Porque sofre e morre a mulher afectada por doenças de foro sexual e principalmente ao nível dos seus órgãos reprodutores?
E a “ciência”, que não quer saber e também não vai à origem das doenças nem conhece as suas causas, só descobre os “remédios” os químicos e os analgésicos, os anti-depressivos, para todas as dores… que remedeiam, que atenuam os sintomas, mas que acabam por causar maior sofrimento pela alienação do seu ser natural provocando outras doenças a curto ou longo prazo…Ao tomar esses medicamentos, como a pílula desde cedo muito cedo para não engravidar, que alteram o sistema nervoso, ansiolíticos ou calmantes para se manter em pé e outros químicos de prevenção, há uma óbvia fragilização interna na mulher a nível celular, hormonal e endócrina, para além da manipulação psicológica e cultural que se baseia à priori numa inferiorização consentida e ainda propagada por todos os meios de diversão na alienação social da mulher, do seu corpo e da sua sexualidade, servindo-se dela de todas as maneiras como uma espécie feita para o efeito, como há uma centenas de anos era legítimo ter escravos para servir a sociedade feudal. A mulher e a sua imagem continua a ser um ser que se usa para entretenimento a todos os níveis…como um ser de segunda que se descarta ou sobre quem se descarrega a violência e a frustração e isso é o que tem de ser visto à luz de outra verdade, não social nem política, mas espiritual e dentro de um novo paradigma.

Não se pode defender um estatuto da mulher e a sua dignidade de um lado, como pretendem os políticos e intelectuais e por outro ela continuar a servir de caixote de lixo de todas as indignidades…ela é feira da pornografia, ela é cobaia científica, ela é uma boneca insuflável de silicone, escrava do alterne, da moda e dos cosméticos, dos médicos e proxenetas…explorada e morta, no Islão, em África na Índia ou no Ocidente sem apelo nem agravo.

A única maneira de sair desta situação é cada mulher de per se começar a tomar consciência da sua divisão interna e perceber que ela tem um valor intrínseco, um poder pessoal, feminino, um saber ancestral que vem no seu sangue e uma liberdade de ser que só essa consciência lhe poderá dar aos poucos, pela integração das duas mulheres em si e através da sua capacidade de reunir os pedaços, os fragmentos do seu ser dividido. É preciso que a mulher atinja, não o famoso e ignorado ponto G, que não é de um prazer sexual desconhecido, mas o de um poder interno que toda a mulher tem no seu útero, no seu sangue e no seu coração.
Só despertando esse Poder que já está dentro de si, essa consciência do seu ser profundo, a Mulher começará a sentir-se íntegra e confiante em si mesma, deixando de entregar o seu poder pessoal ao homem, ao amante, ao padre, ao médico, aos políticos, aos depressivos, aos ansiolíticos ou às operações plásticas…

MULHER, ACORDA PARA O TEU VERDADEIRO SER, O SER QUE JÁ ÉS.
SÓ TE FALTA ABRIR ESSA PORTA QUE ÉS TU PRÓPRIA PARA PERDER O MEDO DOS QUE NEGARAM O TEU PODER PARA REINAR IMPUNEMENTE SOBRE TI E SOBRE A TERRA.
RLP

A FLOR DE LÓTUS


No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração.

Tagore

segunda-feira, novembro 24, 2008

NO ESPAÇO YOGA LOUNGE

"Há triunfos que só se obtêm pelo preço da alma, mas a alma é mais preciosa que qualquer triunfo."
Tagore
*

Para as pessoas que me leêm do lado de cá do mar...o livro está à venda em todas as livrarias do País...mas quem quiser comprar o livro e encontrar-me pode vir a Carcavelos ao Espaço Yoga Lounge, na Rua do Girassol, Bloco C 3 no BAIRRO DA TORRE, entre as 11Hàs 13H e à tarde das 17 H s 19 H...

(Mesmo ao lado do Café Karma...quase em frente da Praia.)
*
Fico à espera que apareçam...
*
VER EM YOGA LOUNGE: http://www.yogalounge.pt/index.htm

Apresentação do livro na Ponta do Sal


As palavras da Luíza Frazão na apresentação do meu livro
MULHERES & DEUSAS

"Sinto-me honrada por estar hoje aqui a apresentar este livro, feito a partir do blogue de Rosa Leonor Pedro, MULHERES & DEUSAS. Um blogue dedicado ao Sagrado Feminino, seguido por centenas de pessoas ao longo dos seus sete anos de existência, o que representa largos milhares de visitas. São inúmeras as mulheres, e também os homens, que, nos comentários que vão deixando, se dizem agradecidas e agradecidos pelo despertar da consciência e pela força que recebem deste MULHERES & DEUSAS.

Trata-se de um trabalho coerente, resultado duma dedicação praticamente exclusiva da sua autora. Controverso, por vezes, desafiador, mas sempre muito oportuno e inspirador.

Como é próprio desta escrita intimista, a autora vai-se revelando aqui e ali. Com o tempo, ficamos a conhecer os seus desafios, as suas descobertas, as viagens, as amizades, até a sua casa e a sua gata…

É um blogue com um enorme impacto também, ou especialmente, no Brasil, onde a distribuição deste livro faria todo o sentido.

Embora não se insira na cultura dominante, MULHERES & DEUSAS é um autêntico blogue de culto, que, em boa hora, graças à Editora Ariana, ganhou forma neste magnífico livro ".

(...)




QUERIA AGRADECER À LUÍZA FRAZÃO, À HELENA MINEIRO, À MARGARIDA CEPEDA E À MARIA JOÃO, A CONTRIBUIÇÃO QUE CADA UMA DEU Á CONSUMAÇÃO DO LIVRO.

AGRADEÇO TAMBÉM À JULIANA O SEU APOIO INCONDICIONAL E A TODAS AS AMIGAS E LEITORAS QUE CONTRIBUIRAM COM A SUA PARTICIPAÇÃO E COMENTÁRIOS, ASSIM COMO ALGUNS E FIÉIS LEITORES.

AGRADEÇO IGUALMENTE A PRESENÇA DAS MINHAS AMIGAS E AMIGOS E AS ÚNICAS DUAS LEITORAS QUE SE APRESENTARAM EM PESSOA...ASSIM COMO AS AMIGAS DE ALÉM MAR QUE NÃO PODERAM COMPARECER, MAS SEI QUE ESTIVERAM COMIGO E ESPERAM QUE O LIVRO LHES CHEGUE ÀS MÃOS...

domingo, novembro 23, 2008

O QUE EU ONTEM NÃO DISSE...


Sinto-me ligada a algo que me sustem e está acima de tudo o que é bom ou mau…Algo que é Mãe, que é Mar…que é amar. Algo essencial, interior, como um ritmo doce, um respirar. Podia até dizer que me sinto inspirada…inspirada ou respirada. Respirada por algo que em mim se abre como uma rosa de mil pétalas…que é como um rio que corre ou brota da nascente sem saber onde vai desaguar.
As palavras são as margens em que essa água desliza…as palavras que são banhadas pela sua frescura ou doçura ou canto…ouço-a rejubilar.
São as águas matriciais, as águas abençoadas das fontes e dos lagos…as águas da Deusa Mãe.
É ela quem me abraça e embala no seu canto. É a Terra e a Natureza inteira que em mim respira e espera este enlace, este respeito, este amor por todos os elementos, pelas árvores, plantas, flores, animais, peixes; tudo o que habita nesta terra e neste mar; tudo o que nasce e morre ao abrigo das mesmas e eternas leis, desde o princípio dos tempos e que o Homem deixou de respeitar e destruiu pela força da espada…
Mas a Mãe espera, a Natureza anseia este diálogo, este fervor, esta união da Mulher e da Deusa, o restaurar do Feminino Sagrado e a união verdadeira com o homem e o céu.

E é o Cálice, o Cálice da Vida que contém o sangue da Deusa Mãe, que nos regenera todos os dias e liga às profundezas da Terra que hoje devemos erguer nas nossas mãos, no nosso coração, e elevá-lo ao Céu e agradecer.
Agradecer este respirar, este ar, tal com este mar imenso que nos rodeia e que e que é A Mar …

**
Gostaria de ter ontem lido esta mensagem que era a mensagem do meu coração, mas a circunstância não o proporcionou...Estas eram a s palavras que eu gostaria de ter lido...mas disse as palavras que o momento me pediu. Às vezes há um estranho pudor em expor assim o coração...em usar palavras poéticas ou demasiado sentidas...às vezes tem-se de ser formal e responder ao que o exterior nos pede...mas sinto-o como uma certa traição a mim mesma...



sexta-feira, novembro 21, 2008

PERTO DO MAR...

AMANHÃ ESPERO-VOS JUNTO AO MAR...
O CONVITE É DO FUNDO DO CORAÇÃO...

DAR O CORAÇÃO À VIDA PLENA


DAR O CORAÇÃO...

“O centro fisiológico é o coração. Nos tantras do hinduísmo, que são instruções dos deuses aos seres humanos, o coração é o Anãhata chakra, o centro nervoso que abrange o sentimento por outro ser humano, o sentimento por si mesmo, pela terra e por deus (o sagrado).

É o coração que nos permite amar como ama uma criança: totalmente, sem reservas e sem qualquer capa de sarcasmo, depreciação ou proteccionismo.
(...)
...é o coração que pensa e convoca as moléculas, átomos, sentimentos, anseios e o que seja necessário, até um único lugar a fim de gerar a matéria que realize a criação da mulher esqueleto (essência).

Dar o coração para uma nova criação, para uma nova vida, para as forças da vida-morte-vida, é uma descida ao reino dos sentimentos. Pode ser difícil para nós, especialmente se tivermos sido feridos por uma decepção ou pela mágoa. No entanto, ele existe para ser tocado, para dar vida plena à Mulher, para nos aproximar daquela que sempre esteve por perto.”
*
Clarissa Pinkola Estes, Mulheres que Correm com os Lobos, ed. Rocco

quinta-feira, novembro 20, 2008

OS HOMENS SEMPRE DIMINUIRAM AS MULHERES

CÁ FICO deixou um novo comentário na sua mensagem
"A VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA CONTRA AS MULHERES NA POLÍTICA..."

"Não tem a ver com ser mulher...ou esquece-se que a Ministra da educação também é mulher? a chefe laranja não serve para liderar....ponto final..."

Esclareço, meu caro que essa violência é muito subtil e você como homem não a percebe...ALÉM do mais eu não tenho a mania da perseguição. Nem gosto da vitimização! E esclareço o assunto porque há de facto um aspecto que deixei pouco claro:

- É que sendo o discurso da mulher diferente, no modo e na energia ou postura, se a mulher tiver um mínimo de honestidade, como julgo ser o caso desta senhora, por mais "masculina" que a dita política seja de cabeça e a sua expressão agressiva ou seca, há sempre uma parte que não consegue deixar de ser Mulher...e expressar sentimentos e verdade!
Na política, porém só serve gente oportunista e as mulheres que matem ursos e javalins, caçadoras de salto alto e saia travada, que gostem de armas ou que andem à pesca...como a menina Pallin, essa para si seria uma boa lider dos americanos?!
Mas essas não são as verdadeiras mulheres, que há muito poucas, são os protótipos que os homens adoram, são as suas crias...não são insufláveis, mas são quase...
Quer você queira quer não, mesmo a ministra da educação é mais atingida porque ninguém, homens ou mulheres, suportam serem mandados por uma mulher! Basta que esta se destaque, independentemente de ter ou não razão...

A Visão da mulher e a forma como ela reage, é diferente da do homem, por mais que tenha sido engolida e anulada pelo modelo de mulher patriarcal. De qualquer modo os homens não suportam ser liderados por uma mulher por isso elas têm que ter todos os defeitos...olhe só os imbecis que por lá passaram e ninguém os ataca como atacam as mulheres. Acha que os santanáses, os meinezes ou mesmo os mais durões, são líderes ou são apenas mais uns tantos oportunistas cheios de ego à procura de tachos e protagonismo?

Quanto a nós, meu caro, devemos estar nos antípodas da percepção e compreensão do que é emergente e humano...e de mulheres & deusas então, você não entende mesmo nada...você está tão londe da mística da mulher como eu estou do nojo que é a política e as suas querelas e farsas!
Ponto final.
«««»»»
E já agora, se quiser, leia:

..."porque as mulheres têm sido transformadas em ninguém pela história oficial e maltratadas pela história real. Estamos acostumados a condenar com toda razão as atrocidades cometidas pelos fundamentalistas islâmicos contra as mulheres, mas não estamos tão acostumados a inteirar-nos, por exemplo, de que a Igreja Católica – que me formou; eu tive uma infância muito católica – proibiu durante sete séculos e meio, até há bem pouco tempo (até mil novecentos e vinte e pouco), que as mulheres cantassem nos templos.

E proibiu porque as vozes das filhas de Eva sujavam a pureza do ar.

Tão pouco estamos acostumados a inteirar-nos de que a revolução laica por excelência - a Revolução Francesa que chegou para fundar a igualdade de direitos no mundo - proclamou lá por 1793 a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, mas quando uma militante revolucionária, chamada Olímpia de Gouche, propôs uma Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, a Revolução Francesa cortou-lhe a cabeça na guilhotina...
Eduardo Galeano, in Espelhos

Leia mais em: //www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=15375
(enviado por uma leitora)

A VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA CONTRA AS MULHERES NA POLÍTICA..

Não sou de direita nem de esquerda, nem nunca pertenceria a um partido que não fosse socialista, mas percebo que hoje em dia não há tal coisa como não há Democracia há mais de seis meses, muito mais de seis meses e ninguém se escandaliza...$$$$, porque a prepotência e o abuso é secreto e disfarçado de sorrisos optimistas...
*
Os Bancos roubam milhões, desviam centenas de milhares de euros e os seus gestores auferem reformas milionárias e os seus directores vêm por em causa os subsídios miseráveis dos desempregados, daqueles que trabalham uma vida para auferir uma miséria e indignidade? Que socialismo é este?
»»««
Mas vamos antes abordar o assunto que me interessa aqui, um ponto que muitas vezes referi. Basta uma mulher na política, ser deputada ou neste caso agora dirigente de um partido, fazer um discurso diferente que não "o politicamente correcto" ou seja: cínico, calculista e mentiroso, para imediatamente ser arrasada e a sua pessoa denigrida. Passou-se vezes sem conta com a Ana Gomes e agora passa-se com Manuela ferreira Leite.

Não tenho grande simpatia pela senhora, mas vejo que é verdadeira e como uma mulher integra ela expressa-se de maneira diferente dos políticos, manhosos, cretinos, falsos, bajuladores e cobardes. Nunca dizem a verdade, nunca são sinceros e quando uma mulher como é o caso se expressa sem essas manhas nem táticas políticas e diz o que efectivamente é verdade, é esmagada como seria em casa pelo marido...e isto até à violência doméstica, é um pequeno passo, como no caso de uma carta anónima que ontem lia no jornal de uma mulher ainda jovem, formada e com vários mestrados que era violentamente agredida pelo marido, CERTAMENTE POLITICAMENTE CORRECTO, primeiro psicologicamente e depois fisicamente, mas que não ousava denunciá-lo porque a família achava que são coisas de família e íntimas...que tal como em política, não se dizem as verdades!

Este Portugal nojento e retrógado, este Portugal de heróis do futebol com uma mascote exemplar enaltecida na sua vaidade saloia e susceptibidade de provinciano, de novo rico, como o é C. Ronaldo, este país rançoso, miserável e pobre, deslumbrado pelo dinheiro e pelo estrangeiro, que tem o seu melhor retrato no Futebol e em Mourinho, não é democrático há mais, muito mais de seis meses!!!
Mas porque uma mulher o afirmou com ironia, sinceramente ela é espezinhada pelos Media hipócritas e as aves de rapina que são os jornalistas sensacionalistas sem excrúpulos nem ética, para além de ignorantes e estupidificados pela grosseria do seu empenho, sem qualquer discernimento pessoal, só procuram o enredo e o escândalo e destruir pessoas.
RLP

A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES...

ENQUANTO FALAMOS DE DEUSAS...
AS MULHERES MORREM...

"Estudo. Foram 43 as mulheres assassinadas este ano, contra 21 em 2007

Morte de mulheres por violência doméstica mais do que duplicou

O número de mulheres assassinadas às mãos dos maridos, companheiros, namorados e indivíduos cuja relação já havia terminado mais do que duplicou de 2007 para 2008. Entre Janeiro e 15 de Novembro, registaram-se 43 vítimas mortais de violência doméstica, contra 21 do ano anterior, das quais a maioria da região norte.
(...)
"O que sabemos é que as vítimas, assim como os agressores, são cada vez mais jovens, talvez porque reajam à agressão, tentando pôr fim ao relacionamento, o que até aqui não era frequente ", disse aquela responsável, acrescentando que "a mulher de hoje tenta inverter a visão que alguns homens têm de que ela lhe pertence".

AS GERAÇÕES NOVAS NÃO MUDARAM...

"O maior número de vítimas situou--se na faixa etária entre os 24 e os 32 anos,

"abrangendo todas as classes sociais", disse Maria José Magalhães. Segundo os dados ontem divulgados pela UMAR - que dia 22 lança uma petição online dirigida só a homens para que repudiem toda e qualquer violência contra as mulheres -, cerca de 28% dos homicídios foram cometidos por indivíduos cuja relação de intimidade com a vítima já tinha terminado. As 43 mortes até 15 de Novembro representam o número mais elevado desde 2004, ano em foram registados 42 homicídios. Deste então, 182 mulheres perderam a vida, "número que pode pecar por defeito e nunca por excesso", disse Maria José Magalhães.
(JOÃO PAULO MENDES, LEONARDO NEGRÃO)
IN DN

terça-feira, novembro 18, 2008

SEM MÃE O CORAÇÃO TORNA-SE DE PEDRA..


“Quando a Mãe Alimentadora e a Mãe Dançarina abandonam o mundo, deixam um ermo emocional. Na mitologia grega, Deméter, Deusa dos Cereais, a mais dadivosa e generosa de todas as deidades que representava a Deusa-Mãe numa época em que as religiões patriarcais se estavam a tornar predominantes, tornou-se a Deusa de Morte quando se recusou a deixar que crescesse o que quer que fosse na terra e permitiu que a humanidade morresse de fome. O coração e a compaixão haviam-se-lhe transformado em pedra. Tornou-se na Mãe de Pedra. Os camponeses bem poderiam ter-se lamentado – “A Mãe morreu!” – como fez a criança no íntimo do meu paciente.”
*

Jean Shinoda Bolen, Travessia para Avalon
*

AS MULHERES CALADAS

A MÃE DIVIDIDA

AS trevas estavam em todo o lado, envolviam tudo.
Nessa noite, nessa escuridão, a Mãe dividiu-se em duas: pariu uma filha igual a si própria: Ou da Mãe dividida resultaram duas filhas iguais.
Mas as divisões instantâneas tornaram-se impossíveis, tão grandes eram as mães e as filhas. A divisão em duas, ou mais, partes iguais durava um século. Era o século de dor e de morte, até que a vida voltasse a brilhar, agora duplicada.
Para economizar esse tempo de morte, isto é, para que a vida não fosse constantemente interrompida por brutais cisões, as mães – e as filhas, toda aquela imensidão de irmãs gémeas – inventaram um novo processo mágico: uma minúscula parte de si próprias, onde se encontravam as características do todo como linhas convergindo para um ponto, separava-se; nas linhas convergentes o movimento retrocedia. O ponto era arrastado naquele movimento, agora divergente, e nova reprodução da mãe aparecia, igual a tantas outras.
(…)
A Mãe encolheu-se em fundo escuro.

(pag. 41 e 41)

"As mulheres caladas, escondidas atrás das portas, das cortinas. A histeria, discurso do útero, só tem lugar na loucura. A Mãe foi cuidadosamente embalsamada: retiram-se todas as tripas, e rechearam-na com o falo transcendente.”
(pag. 308)

Isabel Barreno, A Morte da Mãe, ed. Caminho

segunda-feira, novembro 17, 2008

A ABERRAÇÃO DA CIÊNCIA...


ELES AINDA NEM COMEÇARAM O RASTREIO...
(NEM EU...COM AS VASSOURADAS!!!)

A PROPAGANDA MÉDICA SOBRE A PREVENÇÃO DO CANCRO...
Não, nada nessa propaganda é a verdade. A verdade é que não há Farmacêuticas nem sequer médicos ou políticos, realmente interessados na saúde da mulher, ou na sua integridade. Mesmo que o 1º ministro ou a sua ministra da saúde digam que sim, isso não corresponde aos factos. Da mesma maneira que todas as pessoas são forçadas a comprar os remédios pelo dobro do preço e dobro da quantidade que precisam, também estes regimes de prevenção são manipulados por interessses económicos, porque quem manda é a industria farmacêutica e as suas mafias e o que eles estão interessados é na doença em si e na sua manutenção. Não na cura.
No caso da mulher ainda há outros desígnios em jogo que consistem na destruição pelos químicos dos seus ovários e sistema imunológico a fim de manter os estados degenerativos que a anulam como pessoa lúcida. Para além de tudo o que se propague, o que conta para o Império farmaceutico é continuar o seu domínio e manipulação da pessoa humana ao serviço dos seus interesses financeiros. Assim como os homens de ciência fazem com a Natureza e os seus produtos químicos manipulados querem fazê-lo e fazem com a s mulheres.

Destruir a Natureza Mãe e a natureza intrínseca da mulher em nome da prevenção do cancro e outros males é um objectivo dos pseudo cientistas, quando sabemos que o verdadeiro cancro desta sociedade é a anulação das mulheres e a melhor forma de as continuar a anular no seu potencial é destruir o seu poder, que está nos ovários, e fazem-no logo desde adolescentes.
Nem as mulheres médicas que deviam saber informar correctamente as mulheres sobre a sua natureza e dar uma verdadeira consciência do valor intrínseco de uma mulher, e ensinar a jovem o que ela devia saber, que só deve fazer sexo quando sentir amor e em harmonia com o seu coração, eles e elas continuam a ver a mulher como um corpo e um sexo, sujeita a este determinismo biológico, como se as mulheres não tivessem uma individualidade nem uma consciência e serem apenas objectos de consumo e prazer ao serviço da sociedade patriarcal.

- 18 a 20 mil jovens já foram contaminadas e poluídas pelos químicos em vez de se dar uma vida digna às mulheres e a consciência do seu valor e liberdade.

A Ciência "preventiva" é uma aberração do sistema capitalista e uma exploração macabra do SER HUMANO pela sociedade de exploração e consumo que só visa ganhar dinheiro e a continuidade do seu poder através da manutenção das doenças. Eles não querem acabar com as doenças nem se interessam pelas suas verdadeiras causas! A INdústria farmaceutica quer vender a todo o preço e utiliza o MEDO das mulheres e das pessoas em geral mas em particular as mulheres por estas serem as suas vítimas preferenciais porque além do mais convem mantê-las presas do medo do cancro e assim não há dúvida que as atacando no seu centro de força, O Útero e os ovários, as mulheres serão anuladas na sua força interior e inata e assim mais submissas.

É isso que os senhores do mundo querem ...São eles que controlam o mundo pelo dinheiro e pelas doenças! São eles os senhores da crise mundial e das guerras. Os Governos são os seus fantoches assim como os Media...os médicos apenas uns comerciantes que se vendem por viagens e favores e inconscientes do valor da vida humana. Eles tiram os avários e o útero às mulheres mesmo quando não há nenhum cancro, só para prevenir...

E eu sou apenas uma Bruxa, uma louca, reaccionária...para queimar na fogueira do julgamento científico e mediático, a nova Igreja em ascenção...as próprias mulheres vão achar que eu deliro e invento...mas

EU CÁ SEI BEM O QUE ELES PRETENDEM... e o que eles merecem...

A PUBLICIDADE ENGANOSA DAS FARMACÊUTICAS


NA exploração das mulheres através do medo do cancro e uso dos químicos...Para vender eles fazem tudo. Vejam só os títulos e os números...todos eles a tentar divulgar a vacina e a sua compra, seja pelas pessoas seja pelo Estado.
O grave nisto é que são meninas em plena formação que tomam o veneno sem saber nada a não ser o medo que lhes é incutido da doença... pelos médicos ao serviço das farmaceuticas!
A sinistra propaganda médica ao serviço da mentira global. A mulher continua a ser a cobaia.

As doenças das mulheres tem como causa elas não saberem de facto quem são, nem saberem do seu potencial humano, não poderem ser elas mesmas, nem estarem conscientes do valor do seu útero e da sua integridade física. Vem do facto de elas continuarem a ser divididas em si mesmas, sujeitas ao homem e usadas pelo sistema patriarcal sem qualquer pudor nem excrúpulos; eles continuam confiantes da sua ignorância, que tentam manter a todo o custo, e desse modo as mulheres estão inconscientes da influência nociva das propagandes e do veneno dos medicamentos que lhes aplicam.
Não é prevenindo quimicamente que se cura a doença, mas indo às suas causas profundas, às causas verdadeiras da doenças ditas femininas. As verdadeiras razões das doenças das mulheres é o domínio sexual a que é sujeita, o abuso secular do seu corpo físico e emocional ao serviço do poder do dinheiro e dos que dominam o mundo.
»»«
A propaganda para difundir o medo começa assim:

A "Vacina já evitou 42 mortes por cancro do colo do útero
(in diário de notícias)
DIANA MENDES, em Nice ("A jornalista viajou a convite da Sanofi Pasteur MSD")

Prevenção. 216 casos evitados em mulheres que compraram a vacina

Mais de 30 mil mulheres vacinadas fora do plano nacional

Pelo menos 42 mortes por cancro do colo do útero já terão sido evitadas com a vacinação. Entre Fevereiro de 2007 e Setembro de 2008, 30 100 mulheres optaram por receber a vacina que protege contra quatro tipos do papilomavírus humano. Tendo em conta os dados da patologia em Portugal, é possível calcular os ganhos para a saúde. Além das mortes, terão sido evitados 216 casos de cancro.

Os dados foram divulgados pela Sanofi Pasteur, que produziu a vacina Gardasil, actualmente integrada no Programa Nacional de Vacinação, e que tem 97% do mercado. Mas estes dados apenas são referentes aos casos de mulheres que decidiram adquirir a vacina. Fonte do laboratório avançou que esta opção permitiu ainda prevenir "1951 condilomas genitais".


A vacina é gratuita para as adolescentes de 13 anos, esperando-se que a incidência de cancro venha a cair entre cinco a dez anos. Graça Freitas, subdirectora-geral da Saúde, diz que foram vacinadas entre 18 a 20 mil jovens até agora, números abaixo das contas apontadas pela ministra Ana Jorge para a primeira semana, ou seja, cerca de 23 mil.

Antes do congresso de ginecologia, decorreu, em Nice, o Fórum de apresentação da Women Against Cervical Cancer, uma plataforma composta por mais de 30 organizações europeias dedicadas ao cancro do colo do útero e que conta com a participação da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

Os objectivos são fundamentalmente informar as mulheres sobre a doença. Durante o fórum concluiu-se que há cada vez mais mulheres a ter acesso a informação. No entanto, há ainda um longo caminho a percorrer.
(...)
Campanha vai arrancar...
"
(...)
ELES AINDA NEM COMEÇARAM OS SEUS OBJECTIVOS...