"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, janeiro 01, 2009

A LIMPEZA NO ANO COMEÇA...


Bruxas unidas vamos varrer á nossa frente tudo o que podermos...


"Nos tempos antigos, as curandeiras (posteriormente chamadas de bruxas) cuidavam dos doentes da aldeia, faziam os partos, colhiam ervas, adivinhavam o futuro.

Os espaços eram limpos de energias nocivas, varrendo o ar e empurrando para fora, com o auxílio de ramos de giesta (em inglês, broom, nome dado também às vassouras, por analogia).

Para quem não pratica as artes de wicca (religião moderna, ligada à natureza, que espero ajude a combater o preconceito que perseguiu aquelas mulheres), há várias alternativas para, por exemplo, preparar a casa para o novo ano.

Um bom incenso, uma prece, o arejamento da casa e uma boa exposição solar, contribuem para equilibrar o nível energético do espaço que habitamos.

Proponho também que se faça uma infusão de alecrim (Rosmarinus officinalis) - como a giesta, o alecrim é uma excelente planta para limpeza energética - e com a ajuda de uma esfregona e um balde novos se limpe o chão, promovendo assim um começo de ano positivo.

Feliz ano novo! "
*
ENVIADO POR EMAIL


VAMOS VARRER TODAS AS ENERGIAS NOCIVAS DO PLANETA E NÃO SÓ EM NOSSA CASA...

VAMOS ESTAR ATENTAS E VOAR PARA ONDE FORMOS NECESSÁRIAS E SOLIDÁRIAS COM TODAS AS MULHERES DA TERRA QUE LUTAM PELA SUA DIGNIDADE E INTEGRIDADE FÍSICA, ANÍMICA E ESPIRITUAL.
SÓ ASSIM FAZ SENTIDO UM NOVO MUNDO. E ELE CADA VEZ MAIS PRECISA DE NÓS...

2 comentários:

Anna Paim disse...

Concordo plenamente que precisamos nos unir e sermos solidárias,pois o poder das sombras é real,está manipulando e dirigindo o mundo,através do medo e da alienação.Penso nos meus tempos de universitária,em que a juventude era tão ativa politicamente,sem medo,engajada.Fazíamos festa sim, sabíamos nos divertir de uma maneira saudável,mas de forma alguma éramos alienados.E o que o poder do escuro que está nos governando fez com a energia dos jovens de hoje?Vejo meus filhos agora todos na universidade e posso claramente sentir a diferença.Tenho um sobrinho de 5 anos que é uma criança índigo.
Tenho até medo do que possa já estar sendo feito com essas maravilhosas crianças,que vieram para preparar a chegada de uma nova humanidade.Tenho medo por meus filhos,por meus futuros netos,pelo futuro de toda uma geração,pela humanidade.Peço desculpas pelo longo desabafo,pelo saudosismo,mas hoje estava particulamente depressiva,e agradeço a você Rosa,e a amiga leitora que enviou este e-mail por terem levantado o meu astral.Se temos que caminhar por entre a escuridão,o caminho será bem mais fácil e iluminado se todas estivermos juntas.Com a força da Grande Mãe,vamos dizer NÃO ao poder que está tentando nos cegar.
Abraços e que a Deusa esteja sempre nos amparando durante este ano que se inicia

Anónimo disse...

Anna fez muito bem em desabafar e em se alongar...faça-o sempre que sentir necessidade. Eu percebo o que você diz e tenho também muitos momentos de desânimo e falta de fé...mas porque nos damos coragem umas às outras é preciso dizer o que sentimos; tantas vezes através de um simples comentáro eu me ergui... um comentário ou outro foi o suficiente para me fazeram continuar por aqui...
Nós somos uma rede invisível, e quem sabe mais forte do que pensamos...
um grande abraço

rleonor