terça-feira, julho 07, 2009

UMA VISÃO PESSOAL E INTRANSMISSÍVEL...?

GOSTO DO MEU PENTEADO...
Hoje dei uma volta pelos Blogues portugueses..."os sérios", claro. Não o fazia há muito tempo. Fiquei impressionada...
Os blogues portugueses são todos muito filosóficos, pretenciosos, sorumbáticos, eruditos, cépticos ou jocosos e outros bem cretinos. Mas em geral são blogues muito sérios que versam arte, literatura, política e homossexualidade...assumidamente, ou não...
Não são de todo como os brasileiros, a que estou mais habituada, actuais, dinâmicos, ligeiros ou mais profundos, soltos e variados...
Neles não há nada sobre o clima e as mudanças do Planeta, nada de transcendências nem de "new age"! Só coisas económicas, concretas e objectivas! Falo dos sérios, claro, porque também há cada vez mais blogues alternativos, até demais: de reiky, meditações e mantras e yoga, de astrologia e mística, canalizações e profecias, curas e terapias várias; já há mais oferta que procura e mais terapeutas que pacientes...mas, infelizmente de deusas ninguém fala...
Por cá parece que só eu...
Sim, por cá, as deusas estão muito mal vistas e desacreditadas, e portanto tudo o que lembre videntes, bruxas, sacerdotisas ou feiticeiras são desprestigiadas ou nem merecem qualquer atenção.
É o caso de Mulheres & Deusas!
A Inquisição portuguesa foi duradoura e doirada...os patriarcas portugueses continuam fiéis a Roma, seja ao papa seja a Berluscone, mesmo os agnósticos ou os maçónicos continuam a servir o espírito misógino dos gregos e romanos. Mulheres só as deles…e as aderentes, as “bem comportadas”, como sempre…as que obedecem ao Sistema e estão dentro dele!
Os blogues portugueses são tão sérios e intelectuais, que metem respeito e medem as devidas distâncias...são muito viris, muito didáticos e muito machos, os que o são, mas patristas obviamente são-no todos e mais papistas do que o papa. Todos são mais ou menos misóginos: deles estão ausentes as mulheres intelectuais e escritoras, irrelevantes no panorama nacional e se aparecem são fotos sugestivas de mulheres quase nuas ou são apenas “as gajas”...que ilustram um poema de desejo do macho…o que é raro, pois os poetas de hoje e de renome parece que são todos gays.
Poetisas ou escritoras nem pensar...claro que também há blogues de mulheres escritoras, jornalistas e políticas, doutoras, muito eruditas, sempre fiéis ao Pai ou ao patrono e outros mais divertidos como a Bomba Inteligente, (uma loura que não é estúpida) por exemplo e escolho este porque o título diz tudo; este como outros têm todos umas pitadas de erotismo e artistas de classe, sempre as melhores...são muito modernos, falam de música e de moda e dos filmes da berra...(já nem sei se usa este termo que esteve na berra o meu tempo de mulher jovem e já madura) ou a Rititi, muito cotado ou apreciado pelos congéneres masculinos, que diz palavrões como os homens e é desassombrada na sua linguagem, muito influenciada por Espanha e a sua cultura: o seu símbolo é um touro preto com t...vermelhos...Já foi a entrevistas à televisão e também publicou um livro do blogue como eu...mas não é feminista nem nada...e não tem papas na língua, mas falar-lhe de deusas devia-se ficar a rir à gargalhada uma noite inteira…
Eu percebo que um Blogue que não tenha o selo da vigência patrista, machista e intelectual ou político, não tem valor no panorama nacional. Tal como um livro ou uma pessoa, assim em ordem decrescente...E quem não aparecer ou não for falado nas televisões, nas notícias por destaque o mais banal que seja, então nem existe...é um zero À ESQUERDA E À DIREITA.
Por todas estas razões eu sei que não existo para os blogues caseiros ou para os média e portanto quer como mulher quer como deusa ou bruxa, eu própria sou uma espécie de Cassandra votada ao descrédito pelos machos, pelos apolíneos e pederastas, e ainda pelo lobby gay e lésbico...
Assim vou sobrevivendo, como blogue, claro, do Brasil e das minhas amigas/os anónimas brasileiros...
Se calhar devia também mudar de país e de nacionalidade como a Maria João Pires, a viver no Brasil, que sendo uma das maiores pianistas da actualidade, como mulher, claro, o Governo não lhe liga nenhuma, nem quer saber de uma pianista genial...
Isto aconteceu sempre com as grandes mulheres e há razões explícitas para tal acontecer ainda

…O feminino teve de ser suprimido pelos poderes ancestrais e apagado da superfície da terra para reinar a força do homem e dominar a terra…isto acontece há muitos séculos e não mudou assim tanto!
Esta é só mais uma prova de como as mulheres verdadeiras e com coragem neste país, se não forem políticas ou a mulher ou a amante de um político na ribalta…não lhes dão importância nenhuma ...
Na verdade nunca me considerei escritora nem poeta e por isso nunca serei uma “grande portuguesa”, nem terei direito a uma Biografia na net...Mas se tivesse casado com um homem importante, o caso seria diferente. Sim se eu fosse íntima de um Presidente, ministro, escritor, banqueiro ou coisa que o valha com certeza que já tinha uma Fundação...

... enfim, isto pode parecer que tenho pena de não ser cotada como escritora ou referenciada como poetiza pelos críticos de vanguarda...mas não. A mim a Deusa não me deixou qualquer protagonismo nem eu me outorgo esse direito. Ela tirou-me toda a vaidade pessoal e toda a inutilidade que é a literatura e a poesia sem Ela ou sem a Musa...
Foi certamente o meu destino ou a minha sina, nascer sem nome sonante, de preferência de ascendência estrangeira, sem Biblioteca paterna nem herança intelectual, e portanto, sem um marido nem um amante erudito, nada feito.
O meu defeito, juro, foi só ser fiel à Deusa e amar as mulheres... as novas e as velhas, as santas e as prostitutas, as lésbicas, as negras e as asiáticas… as videntes, bruxas, etc…
Com isso fui proscrita e se calhar ainda não estou salva de uma fogueira qualquer...Com os tempos que correm nunca se sabe!

Rosa Leonor Pedro

4 comentários:

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

Oi Rosa,peço que dê uma olhada no post http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/2009/07/alquimia-interna-feminina-na-visao.html

acho que interessa aos leitores do Mulheres e Deusas,e também gostaria de ouvir tua opinião

Abraços

Rosa Leonor disse...

jÁ LI O que postou e escreveu. Respondi no seu Blogue hoje.
...e mais uma vez obrigada pela sua sintonia.

um abraço grande

rleonor

Mondego disse...

Olá Rosa Leonor Pedro,

Venho acompanhando o seu blogue que muito aprecio e quero agradecer-lhe este seu trabalho.

A situação do tratamento peculiar dado ao feminismo não é exclusivamente portuguesa. Por exemplo, a França - país onde vou vivendo desde há uns anos em parceria com Portugal, que tem uma história singular com o feminismo e que agora vai vivendo um revés - que é uma das mais antigas democracias contemporâneas é extremamente machista em termos institucionalizados. Embora os homens em casa participem muito mais, no que diz respeito à vida pública parece-me ser até mais machista que a sociedade portuguesa.

Também é verdade que sendo os blogues um reflexo da sociedade civil (pelo menos daquela que pode aceder às tecnologias digitais de comunicação), a comunidade portuguesa parece expor mais doses de machismo e de desrespeito pela natureza e pela deusa Terra. Contudo eu não tenho dados suficientes para fazer um estudo comparativo estatístico e científico da situação nos dois países.

Cumprimentos e bem haja,
Catarina Eufémia

Rosa Leonor disse...

Acho que tem toda a razão e compreendo isso que diz da França. É fácil de entender. Nós ainda estamos na teoria da democracia e da igualdade enquanto que a frança já passou essa fase e mostra melhor a realidade de algo que nunca mudou verdadeiramente. Não precisamos de estatiscas nem mestudo científico minha amiga...basta vermos com os nossos olhos!às vezes face à teorização das ideis as pessoas ou as mullheres em particular julgam ou dão por garantidas certas conquistas, mas de um momento para o outro tudo pode mudar. Em portugal a realidade é a violência doméstica em maior grau que em frança e menos ajuda na casa...portanto mais pancada por cá e por aí menos conversa. No trabalho é que os franceses já não brincam às democracias...enfim, h+a um livro de uma escritora francesa muito curioso sobre o tema e chama-se "A puta do diabo"...leia...e dê notícias.
Agradeço que escreva e me dê as suas opiniões.
Também vivi em tempos por aí...

um abraço fraterno

rleonor