quinta-feira, agosto 20, 2009

Mulher: a iniciadora do amor

(...)

Todas as culturas antigas com uma forte base esotérica tem tradições que louvam o poder de iniciatico da mulher.

Egito, Grécia, Arábia, Índia, Tibete e China compartilhavam desta crença. A mulher era considerada a personificação da sexualidade e a protetora do potencial criador. Todo ser humano nasceu através da Yoni de uma mulher; todo homem esforça-se para entrar outra vez neste reino de feminilidade pelo contato sexual.
(...)
Os ensinamentos Tântricos acentuam a mesma coisa. Embora a beleza física seja altamente valorizada, ela sozinha, no entanto, não basta. A força e o significado da beleza da alma suplantam a beleza superficial, como nos mostra o exemplo do próprio Sócrates. Os ideais de beleza estão delineados em certos textos indianos como o Kama Sutra e o Ananga Ranga. Os diferentes tipos de mulheres e homens são classificados segundo características físicas, emocionais e mentais. O Nayika Sananda Tika declara que a mulher com quem alguém deseja praticar a Arte do Amor deve ser de esplendida beleza e ter semelhante corpo e mente. Seu aparecimento súbito abrirá a porta da emoção e cativará a mente. Um outro texto afirma poeticamente que a mulher deve estar na plenitude da juventude, com olhos que refletem flechas de amor, traços expressivos de todas as coisas boas, lábios cheios de néctar, um corpo que se assemelha a uma planta trepadeira delicada e cheia de curvas, e vestida com sedas muito coloridas.
(...)
Este poder feminino está muito bem confirmado em numerosas tradições mágicas arcaicas. Acreditava-se que os imperadores chineses, por exemplo, tinham nove consortes comuns a cada noite e a Imperatriz por duas noites durante a Lua cheia. 0 poder de iniciação da mulher é enorme, e baseia-se essencialmente na atitude mental quanto ao misticismo sexual. Assumindo um papel ativo e explorando toda uma variedade de segredos sexuais durante o ato sexual, a mulher pode conceder poder transcendental a seu amante. Este poder, a forma elevada de Shakti, e a expressão direta da intuição aberta, uma “energia da Sabedoria”, espontânea e alegre, que pode romper todas as barreiras. A mulher deve confiantemente iniciar o seu homem na experiência mística. O sucesso depende de pura espontaneidade, da capacidade de confiar e render-se a ideais mais elevados, e ao desejo sincero de dar “algo especial” ao seu amor. A autoconfiança e o ingrediente essencial em todos os rituais de iniciação, e é a deusa interior de cada mulher que dá a iniciação.
(...)
A mulher faz a iniciação através da mesma Yoni da qual, numa vida anterior, o homem nasceu. A mulher inicia através dos mesmos seios que, numa vida anterior, o homem sugou. A mulher inicia com aquela mesma boca que em certa ocasião acalmou gentilmente o homem. A mulher é a iniciadora suprema do Tantra.

KAULARAHASYA

A rainha Dakini Secreta absorveu todas as divindades pacíficas e iradas dentro do seu corpo, Ela transformou o Iogue Padma em um som-semente que descansou em seus lábios, onde ela conferiu a Benção Duradoura. Ela então engoliu este som-semente e, dentro do seu estômago, Padma recebeu a iniciação secreta da Compaixão Infinita. Na região da Kundalini, no centro sexual, ela conferiu a iniciação do corpo, da fala e da mente. A.D.

LER NA ÍNTEGRA EM: http://pistasdocaminho.blogspot.com/

2 comentários:

Anónimo disse...

Só as belas e jovens é que tem o poder da iniciação? Isso me soa sexista e totalmente inserido dentro de uma cultura religiosa patriarcal. Do homem não se exige nada disso. Basta que queira receber as dádivas da mulher para poder se apresentar con toda sua feiúra física e velhice que ainda assim estará apto para o ritual. A mulher não. Tem que ter beleza super-humana. E só assim.

Como nos relacionamentos amorosos e sexuais, onde as mulheres tem que disputar a preferencia por seus dotes físicos e juventude e os homens só tem que se dar ao trabalho de escolher com quem ficarão, sejam velhos, feios ou não. O texto ameniza, dizendo que a beleza física só não basta. Balela... Se o primeiro requisito que a mulher tem que ter é agradar aos olhos do homem(...a mulher com quem alguém deseja praticar a Arte do Amor deve ser de esplendida beleza e ter semelhante corpo e mente...a mulher deve estar na plenitude da juventude...), uma feia de grande beleza da alma e sem nenhum atrativo físico, ficará encalhada, como ficavam as sacerdotisas que serviam à Deusa na Suméria e que se não eram bonitas ficavam presas nos templos por até três anos, até conseguirem que algum homem concordasse em fazer amor com elas.

Como as religiões todas que conhecemos foram feitas pelos homens e para os homens, é claro que eles exigiriam esses requisitos da mulher, pois só são esses requisitos que são valorizados nas mulheres ainda hoje!
Arttemia Arktos

Wicca_A Bruxa em Mim disse...

CONCORDO COM Arttemia Arktos....