terça-feira, setembro 01, 2009

A IMPORTÂNCIA DO PRINCÍPIO FEMININO

O átomo: "É composto por partículas positivas chamadas protões, por partículas negativas chamadas electrões e por partículas neutras (que não têm carga ou que têm o número de cargas positivas e negativas iguais), chamadas Neutrões. Tanto os protões quanto os neutrões se localizam no núcleo dos átomos, já os electrões, se encontram ao redor, num local que recebe o nome de Electrosfera."

O Conceito da Deusa…
A MULHER É A ALMA DO MUNDO


Nunca para mim a ideia de uma Deusa-fêmea se prendeu com uma imagem a opor à de um Deus-macho, cujo sexo se neutraliza na fusão dos princípios ou união dos dois em Um, por isso Deus/a não tem sexo… É neutro/a…
- Quando falo e evoco a Deusa Mãe não penso num poder que se pretenda igual ou aposto ao de Deus Pai. Um deus pai todo-poderoso no céu e uma deusa mãe toda-poderosa na Terra, semelhante ao mito de Zeus no céu às guerras com as suas deusas menores e ciumentas aqui na terra…

Contrariando aquilo que se pretende ler no Mito ou na Génese,
sabemos hoje, que os arquétipos fundamentais para a psique humana são os dois aspectos que nos compõem enquanto átomos, o negativo e o positivo, ou o Tao, o yin e yang, e que correspondem aos princípios opostos complementares da manifestação da Vida desde o princípio dos tempos, assim como a mulher e o homem o expressam na sua individualidade, enquanto qualidades inerentes a cada um dos sexos e que, para seu bom funcionamento, é preciso estarem em igualdade, criando a neutralidade… e depois a síntese…
O que parece ter acontecido é que, sempre que há um declínio, uma hecatombe, um dos princípios acaba sobrepondo-se ao outro, como, partindo desse pressuposto, foi no último caso, o do princípio masculino, há cerca de cinco mil anos. Por isso não pretendo nem nunca pretendi colocar um princípio acima do outro…

Fossem quais fossem as razões que levaram á oscilação do pêndulo para um só dos lados, seja o da deusa mãe, seja, neste caso, o do deus pai, o facto é que a Humanidade inteira perdeu o equilíbrio com esse desvio social, cultural ou civilizacional que originou a exploração e escravização de metade da humanidade.

Hoje, todos sofremos na pele, de modo evidente e contundente, as consequências desse desequilíbrio – no caos social e económico, na devastação da Natureza e nas guerras que se fazem por interesses de mercados e em que se mata só por dinheiro - e é neste quadro geral, o do princípio masculino dominante, em que as guerras do deus único de cada lado do globo, seja ele cristão ou mussulmano, destroem a humanidade que acho urgente que a parte feminina da humanidade seja respeitada e desenvolvidas as suas qualidades para que seja activado também o lado direito do cérebro (“ver as coisas relacionadas a outras e como as partes se unem para formar um todo - realizar saltos de reconhecimento, em geral sob padrões incompletos, intuições, sentimentos e imagens visuais”); e se manifestem de forma mais justa e abrangente em prol da vida e da Natureza Mãe…Para que não seja só o materialismo, o egoísmo dos detentores da razão e da lógica a perdurar na violência dos mais fortes sobre os mais fracos e a imperarem as desigualdades em que a maior parte da população do mundo morre de fome e na miséria; para que as mães e as mulheres possam intervir com a emoção e a intuição, a receptividade e o afecto, o seu sentido de partilha a fim de permitir uma maior igualdade e paz entre todos os seres humanos.
Acredito que a maior parte dos problemas da humanidade se prende com a desigualdade não dos seres em geral, mas na que começa em casa e à nascença com a desigualdade entre o homem e a mulher e como este facto é e foi completamente ignorado pelos historiadores, sociólogos, psicólogos e escritores em geral, ninguém equaciona esta questão a fundo.

Partindo ainda da ideia de um poder na Sombra, como Matriz de Controlo, o modo usado e defendido pelos grupos privilegiados, que dominam as Religiões, a alta Finança e os Mercados, foi e conseguiram-no, ao longo dos tempos, anulando a mulher, tirando-lhe a sua força e destituindo-a de qualquer poder humano, social e espiritual. NÃO FOI POR ACASO QUE iGREJA PRETENDEU QUE A MULHER NÃO TINHA ALMA...




 
Não creio também que uma tomada de consciência “espiritual” só por si – ou um caminho de ascese seja qual for a religião por detrás - e que não seja baseada na Consciência da Deusa, e no seu principio criador, na sua manifestação, através da elevação do Princípio Feminino, ou da Alma feminina, como expressão da própria valorização da Terra e valorização da natureza e dos seus elementos fundamentais, possa valer só por si e liberte quer a mulher quer o homem…
Não creio na espiritualização da pessoa no sentido da sua realização "anímica" (afinal e só o corpo mental ou corpo emocional) sem a integração dos princípios opostos e complementares – processo alquímico, o processo da Alma - porque, como falta activar e desenvolver o princípio feminino, só dando agora primazia ao lado feminino - a verdadeira alma - da humanidade é que podemos caminhar equilibrados; é nesse princípio que temos de por toda a ênfase nos próximos tempos se queremos viver em Harmonia e adquirir a paz duradoira. Ninguém pode caminhar com uma só perna…ora se é uma só perna que na humanidade (homem) está desenvolvida, a humanidade (mulher) não pode avançar. Os dois lados da humanidade têm de caminhar ao mesmo nível e em paridade, mas esse equilibrío depende principalmente da mulher. Apesar disso não podemos voltar a cometer o mesmo erro pretendendo que a Mãe e a Mulher seja a única força e motor da vida…assim como eles, patristas, fizeram com o seu deus único e prepotente com o qual incutiram o medo e a separação entre o homem e a mulher entre a Terra e o Céu…
Temos de unir os princípios, masculino e feminino dentro e fora de nós, em cada ser humano, mas temos de começar pelo menos desenvolvido, pelo mais atrasado, pelo lado que foi apagado e esquecido…Por estas razões AGORA MAIS DO QUE NUNCA É URGENTE dar à mulher a importância que ela TEM e corrigir a visão que temos do lado feminino, NEGADO pelas religiões, e por isso ausente e atrofiado em todos os aspectos da vida na Terra nomeadamente na manifestação do SER MULHER completo.A RELIGIÃO SÓ FEZ SEPARAR A MULHER DA SUA ESSÊNCIA OU DA ALMA:

A mulher, foi sempre dividida em dois ou mais estereótipos, fragmentada entre duas partes essências de si, dividida, como eu digo sempre, entre a mulher virtuosa e a mulher promíscua, a frígida e a sensual, pelos poderes religiosos e políticos e não avançou tanto como se pensa… Embora os conceitos mais vulgares da “santa e da puta” tenham sido de algum modo alterados, estes foram apenas trocados por outras imagens estereotipadas de mulher, mas igualmente divididas e com um mesmo fundo de preconceito e desprezo. Continua a haver a mulher que se porta bem e a que se porta mal de acordo com os velhos conceitos e de acordo com os interesses do patriarcado em manter a mulher fora da sua alma, longe da sua essência e que ainda prevalecem de forma deliberada por parte dos poderes ou inconsciente na população que acabam por ser mais fortes do que todas essas ideias modernas que apenas disfarçam a questão e o preconceito-intenção que no fundo continua o mesmo. Manter a Mulher distante na sua natureza, distante do seu potencial que é ligar os princípios e unir o que está separado. Convém ao sistema detentor do poder manter a separação entre a Alma e o corpo e fazer acreditar no deus e no diabo que eles criaram...
A mulher que vemos a actuar nos nossos dias e depois de duas a três décadas se expressa e se impõe no mercado de trabalho e nas instituições públicas e privadas, é uma mulher que não se afirma sua verdadeira feminilidade, mas actua apenas como uma réplica do macho, axibindo uma sexualidade deformada pelo conceito que o homem tem da mulher e desvirtuada da sua essência - porque sem alma - impelida pela força do imaginário masculino que a transforma num seu travesti…de mil faces, todas fictícias...Como as mulheres que vemos nos filmes e as modelos dos estilistas gays que são sem dúvida as mulheres que eles sonhavam ser …e que nada têm a ver com a verdadeira mulher. É essa mulher estereotipada e masculina feita à imagem e semelhança do homem que as mulheres fazem esforços desesperados para se tornaram e poucas ou raras souberam ou puderam desenvolver as suas qualidades intrínsecas de um verdadeiro feminino.

É justamente aqui que se torna imperativo para a mulher tomar Consciência da Deusa dentro de si, da grandeza da sua ALMA, do seu poder interior e ancestral, que é um poder inato em cada mulher, e que se pode tornar numa manifestação de poder de amor nas sociedades, através de valores reais do feminino essencial, o que significaria uma nova relação com o seu corpo e o seu sexo e o seu sangue, criando uma nova dinâmica com a Natureza viva, as árvores, as plantas, as flores, em suma, toda a flora e a fauna. Sendo a Mulher de novo livre como amante e mãe, poderia organizar a vida de forma mais equitativa e justa e distribuir as riquezas do Planeta sem olhar o lucro e a posse e fazer prevalecer o amor e o afecto, paz duradoira que só pode acontecer quando a mulher a tiver dentro de si assim como o homem e por isso mesmo se respeitarem mutuamente.
A Deusa é o Princípio Feminino e os seus aspectos de harmonização e inteligência que faltam desenvolver e fazer actuar no Planeta para que possamos sair do caos actual.
Sem estabelecer o equilíbrio dos pólos opostos complementares dentro de cada indivíduo não haverá Obra realizada, nem Humanidade verdadeira!


Rosa Leonor pedro

Sem comentários: