quarta-feira, setembro 23, 2009

EM QUE MUNDO É POSSÍVEL "AS NOIVAS" MENINAS...

NUM MUNDO EM QUE AS MULHERES SÃO SILENCIADAS E ENTREGUES A UM ESTRANHO DESDE CRIANÇAS...QUE PODE FAZER DELAS O QUE QUISER...E ONDE A MULHER NÃO É MAIS DO QUE UMA ESCRAVA. É A RELIGIÃO QUE SUSTENTA E DEFENDE ESSA ABERRAÇÃO.
***

"UM DEUS QUE DEBILITA MULHER"


“A religião sustenta e perpetua
a organização social que reflecte.

Em muitos antigos textos religiosos subsistentes, é a Deusa – e não qualquer das divindades masculinas já então dominantes – que é identificada como a entidade que deu ao povo as “dádivas da civilização” (1). Os mitos atribuindo as principais invenções físicas e espirituais a uma divindade feminina podem assim reflectir a sua real invenção pelas mulheres (2).


Uma hipótese destas é praticamente inconcebível sob o paradigma prevalecente. Pois este representa a mulher como dependente e secundária em relação ao homem, não apenas lhe sendo intelectualmente inferior como, de acordo com a Bíblia, espiritualmente tão menos desenvolvida do que o homem que lhe cabe a culpa da nossa queda do estado de graça.

Porém, em sociedades que conceptualizavam o poder supremo do universo na forma de uma Deusa, venerada como fonte sábia e justa de todos os nossos dons materiais e espirituais, as mulheres tenderiam a interiorizar uma imagem muito diferente. Com um modelo de comportamento tão forte, tenderiam a considerar ser seu direito e dever o participar activamente e tomar a liderança no desenvolvimento e uso das tecnologias, tanto materiais como espirituais. Elas tenderiam a considerar-se competentes, independentes e, com toda a certeza, criativas e inventivas. Na verdade, existem indícios crescentes da participação e liderança das mulheres no desenvolvimento e administração das tecnologias materiais e não materiais, às quais se sobrepôs mais tarde uma ordem dominadora.”*

Notas (da autora):
(1) Lucy Stone, When God Was a Woman
(2) Para alguns académicos anteriores que aludiram ao contributo primordial das mulheres para as nossas principais invenções físicas e espirituais, ver Robert Briffault, The Mothers, e Erich Neumann, The Great Mother.


Riane Eisler, O Cálice e a Espada, Via Óptima, Porto

* TEXTO COPIADO DE: www.saberdesi.blogspot.com

5 comentários:

Anónimo disse...

eu ja tinha visto a foto, mas ao mesmo tempo tbm recebi a informação de q não são as noivas, e sim q seriam damas de honra... e as noivas estariam em outro lado... q isso seria uma deturpação da cerimônia pra gerar conflito...

ja vi isso em alguns blogs mas ainda não sei exatamente do q se trata...

ainda aguardo pela verdade...

nana

sofia disse...

as damas de honra acompanham as moivas e não os noivos...além disso nós sabemos que se passa assim em todo o mundo muçulmano...incluindo a India! Essa é a tradição e eles ficaram com medo foi de perder a simpatia do ocidente, mas neste caso fizeram uma festa pública e deu nas vistas do ocidente que, a direita ou a esquerda, tanto faz, reparou...
É inconcebível - a menina maquilhada também não é dama de honra, mas evidentemente noiva...Não é preciso pensar muito no caso. É só olhar as evidências!

abraço

rleonor

sofia disse...

Respondi no pc da sofia e deu esse nome..
rosa leonor

Anónimo disse...

Veja ou leia o livro A Água de uma escritora paquistanesa sobre as viúvas de 8 anos que são encurralas em casas para toda a vida sem direito a nada...é um filme maravilhoso...e pungente. Ali vê como a mulher nada vale... Apesar de se querer fazer passar como a vida era antes de Gandhi, em 1938, na realidade tudo continua na mesma...é só na aparência que os costumes mais enraizados "mudam" nestes países atrazados...e o mesmo se passa no ocidente a um certo nível: nós não somos o exemplo das mulheres de nenhum país...seja portugal frança ou o brasil...nós somos previligiadas.

abraço

rosaleonor

Anónimo disse...

eu fiquei na duvida pq disseram q eram radicais republicanos americanos q teriam usado a foto pra incitar o ódio contra os muçulmanos, deturpando a cena ali retratada... e não achei nada em lado nenhum a respeito desse caso especifico... sinceramente sei q há merdas dessas e até coisas bem piores, mas não quis me pronunciar sem ter certeza...

Nana