"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, novembro 12, 2009

A FALTA DO VERDADEIRO FEMININO

A CULTURA GAY É MASCULINA E FALOCRÁTICA

Não nos deixemos enganar porque esta “cultura” não tem nada de feminino…bem pelo contrário. Ela é essencialmente falocrática e de domínio masculino. Ela, mesmo que marginalizada pertence e é consequência do Sistema. Mas mais grave é que, de uma forma refinada e subtil, e aparentemente inócua, ela tenta suprimir a existência e o papel da mulher na vida do homem e até na sociedade…Tal como os trabalhos de recurso, das mulheres domésticas, como alternativa que lhes restava, que eram ser costureira, cabeleireira ou prostituta…todos eles foram usurpados, desde há décadas, em grande estilo pelos estilistas da moda, pelos grandes cabeleireiros, pelos travestis … e agora talvez seja vez das "mães"!

Para além de a mulher ser ridicularizada, pela sua caricatura nos travestis
e diminuída enquanto fêmea, atribuindo-se-lhe valores superficiais e estupidez generalizada, caracterizandos de forma mais acintosa os “seus defeitos”, como o faziam os machos latinos, acrescenta ainda uma certa repulsa da mulher, que os machos não tinham.
Isto vem a propósito de um excerto que vi do filme “I love Phill Morris” e bastaram-me uns minutos para perceber como um oficial, homem casado, bom pai e bom amante, descobre que é gay e se apaixona loucamente por outro homem na prisão!
Ao que parece, estamos perante o desenrolar inicial da conversão feliz do homem viril em gay, invertendo os estereótipos da banalidade e as sensualidades, rodeando as personagens da intensidade amorosa e dramática do amor romântico, quando, depois de muitas peripécias de confronto com a sociedade dos homens, ou do Sistema patriarcal, não sei como, vai parar à prisão e lá conhece o grande amor da sua vida.

Parece ser um filme – uma comédia - muito alegre,
divertida e ousadamente erótica (acho que há cenas entre os amantes que foram cortadas no Brasil – um dos actores é brasileiro) que de forma implícita apresenta uma espécie de paraíso para os homens, numa prisão, onde o Sado ou Masoquismo está também implícito nas personagens que representam a ordem policial pela sua agressividade face aos prisioneiros indefesos – mostrando inclusive um negro enorme a chorar como uma criança diante de um filme de amor romântico - e na figura hiper gay da personagem principal (um feminino histérico, cópia da mulher dos antigos filmes de amor heterossexual) que corre aos gritos ”I love you Phillip Morris” atrás da carrinha onde vai o amado que foi extraditado para outra prisão…
É claro que não vi o filme nem o verei, mas vi o suficiente para ver o perigo de uma sub-cultura que nega a mulher e pior do que isso, tenta substituir a mulher não só na relação amorosa como eventualmente noutros casos, como eu já vi, o gay a querer ser mãe… e é canja de galinha: arranja-se uma gaja estúpida e vazia ou disforme para ser a barriga de aluguer, adopta-se a criança e os dois gays são muito felizes, um fazendo de pai e outro de mãe…
Vão dizer que eu estou a ser retrógrada mais uma vez, mas o perigo que ninguém quer ver está lá, tanto como no machismo…porque se os machos espancam as mulheres e as violam ou as banalizam e exploram, o perigo da cultura gay está em viver muito bem sem precisar de mulheres e estender essa mensagem a todos os homens…Todos os gays acham que os outros homens são gays…até Cristo para eles era gay…
E mesmo considerando as mulheres lésbicas que entram e desfilam na cena carnavalesca, estas são perfeitamente ridicularizadas porque no fundo gostariam de ser como os machos e assim se comportam… a verdade é que em geral essas mulheres também desprezam a mulher em si e por isso não os incomodam…
Em suma, queria apenas dizer que constato que “os gays” não são amigos das mulheres…Antes até pensava que eram…E digo-o conhecendo muitos homossexuais que são homens e mulheres e não “gays e lésbicas”.

Note-se assim que eu não estou “contra” os homossexuais, não sou é a favor de uma sub-cultura que deturpa a realidade, que rejeita as mulheres e lhes pretende tirar valor e dignidade, e promove ostensivamente uma caricatura da mulher numa mascarada completa que nada tem a ver com a essência das questões…sejam elas de género, de sexo ou de amor!
Apesar da minha simpatia pelos homossexuais, não tenho qualquer simpatia pela “causa gay” e mais, lamento o relevo e o absurdo que é defender politicamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Primeiro porque o casamento é uma instituição em vias de extinção, religiosa e caduca, que servia para garantir a filiação paterna, atribuído ao homem um papel de proprietário, com papel subalterno e inferior da mulher; segundo, porque é completamente hipócrita defender o casamento sabendo que ninguém hoje em dia aguenta mais de um ou dois anos com a mesma pessoa…principalmente os gays que nem aguentam seis meses, tirando as presumíveis e honrosas excepções…
Ah, mas é injusto porque se adoecem ou morrem quem fica com os móveis ou os bens do falecido é a família e não o amante…estranho móbil esse. Sempre o predomínio da propriedade e do dinheiro…esse é o mote do Sistema alienatório das consciências individuais!
Para mim pois, *“Torna-se cada vez mais evidente diante dos desastres que ameaçam a terra, provenientes do domínio do masculino, que a salvação da humanidade se encontra na restauração dos valores femininos. A mulher tornando-se plenamente mulher, obrigará o homem a assumir a sua verdadeira virilidade. (…) Sem dúvida que não é preciso, em espírito e verdade, ir mais longe buscar “a libertação da mulher”, e do homem, digo eu, porque o equilíbrio dos sexos e dos seres, é (ou devia ser) independente das nossas apetências ou preferências sexuais.
De facto, ser homossexual não significa ter comportamentos estereotipados nem fazer a defesa de grupos fechados, minoritários, mas sim em ser UM SER HUMANO em toda a extensão da palavra e com isso merecer o respeito. É isso que temos de resgatar e para tal, não tenho dúvidas, depende o resgate do feminino verdadeiro, tanto na mulher como no homem, e em dar de novo expressão à dimensão do feminino sagrado na Terra. Porque, *“As grandes realizações naturais seguem o mesmo processo e em definitivo, que não é outro senão o da maternidade, obra de fé e de vida, obra de amor e também de paciência e ternura” que só a verdadeira mulher e a Deusa podem dar.

(* Citado em Contos de Fadas e os Valores do Eterno Feminino – de Maria do Rosário Pontes
)
rlp

15 comentários:

Anónimo disse...

Com certeza é um filme pra rir...
Só a cara do Jim já me dá vontade de gargalhar...

Mas claro hollywood não brinca...
Querem ser gays, sejam, e casem-se, mas continuem patriarcais, isto é: odiando as mulheres e o Feminino...

Nana

Anónimo disse...

Eu poderia concordar com você em quase tudo minha querida mas ha uma coisa que martela em minha cabeça; durante tudos estes anos o que mais tenho ouvido de outros homens são comentarios maldosos olhares de enjoo e nojo e aquelas tipicas perguntas de minha mãe querendo saber quando trarei minha namorada(namora não namorado) para casa.Por isso não posso de todo apoiar seu ponto de vista.Sei que não é contra homossexuais ou qualuer coisa parecida mas se esta nova cltura a margem, esta "cultura(?)gay" esta mesmo se realizando não vem sendo aqui no brasil e tampouco no undo.É muito facil fazer um filme qualquer e alegar que estão todos a favor do gay.Mas minha querida nem eu nem ninguem escolhe nascer no ocrpo que nasce.Mas em respieto a Deusa e a Terra aceito o que ela me ofereceu nesta encarnação.Mas não posso afirmar de todo que uma nova cultura-patriarcal-gay esta nascendo aonde a mulher é totalmente excluida.Não estou a favor dos gayas,estou a favor de mim propria que quase fui estrupada em rua e na escola e que graças a grande mãe tal coisa não me aconteceu.Eu nunca pensei que saber encantamentos e maldições me seria util como sacerdotisa mas quando amaldiçoe os dois homens e estes me soltaram fiquei muito feliz.

O que quero dizer é que o provavel caminho seja o caminho do meio, o caminho de Anukt, a Deusa Que Abraça,A Mãe androgina.Amo a Deusa por ela me amar e me aceitar como sou agora e não como fui a muito tempo em outras vidas.

E amo a mulher porque sempre em minha alma eu compreendia e sentia melhor os ciclos femininos mesmo que estes nem sempre pudesse se repetir em mim.Por isso faço tanta questão de ressaltar o papel da Deusa na Mulher e no mundo.Não uma guerra de sexos,ideologias ou matriarcado e patriarcado e sim o Abraço de Anukt a Androgina...Mesmo assim eu arrisco dizer que um sistema não tão neutral e mais matrifocal não é só justo como amplamente necessario tanto para o homem quanto para mulher.E quanto aos cineastas minha irmã, você já viu algum que fizesse algo que prestasse?

Gaia Lil,
Que a Grande Mãe esteja sempre consigo Rosale Leonor mesmo quando tu duvides Dela porque eu sei e sinto que Ela esta em Todas As Coisas do universo, deste e do outro mundo!

deusa Lótus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
deusa Lótus disse...

Um assunto interessante para se pensar. Seu ponto de vista me tocou. Mas, ainda é cedo para dar alguma opinião. Vou pensar nisso!

Parabéns pelo blog! Sua causa é a minha causa!

Visite o meu Blogue: http://adeusaalquimica.blogspot.com e a minha rede: http://alquimiadoamor.ning.com

Trabalho com o Desenvolvimento e Valorização do feminino voltado a qualidade de vida para mulheres.

A Alquimia do Amor começa quando a mulher descobre o autoamor.

Um abraço!

Claus disse...

"Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho...E não sou nada!..."

(Florbela Espanca)


Com admiração, Cláudia.

Anónimo disse...

Dizem que o menino paga um preço por não poder se identificar com a mãe e ter que rejeitá-la para assumir seu papel de macho dentro da sociedade. Penso que o homossexual é aquele que impedido de se identificar com a mãe (por que teria que internalizar o carinho, o afeto, a ternura) e ao rejeitá-la, acaba por fazer isso de uma maneira radical, ou seja, rejeitando-a em todas as mulheres.

Quanto mais misógina é a sociedade mais a sodomia é praticada, basta que tomemos a Grécia antiga como exemplo da sociedade ideal para os homens: eles amandos-se entre si enquanto as mulheres eram confinadas ao gineceu ou aos prostíbulos. Só que hoje, nossa sociedade rejeita o sexo entre homens e por isso, embora muitos dirão que sou conservadora e reprimida por afirmar isso, acredito que os homens estão cada vez mais exigindo o sexo anal com as mulheres para satisfazer suas fantasias homoeróticas.

E fica ainda mais claro pra mim, quando vemos na pornografia o culto ao sexo anal que existe neste filmes. Aqui no Brasil, diz-se que é a preferencia nacional e as mulheres cada vez mais estão se tornando adeptas dessa prática para satisfazer aos homens. Segundo uma pesquisa a posição preferia pelos brasileiros é a mulher de quatro: mais impessoal impossível. A mulher de quatro, sem rosto, o contato reduzido à fricçao de genitais e o homem podendo livremente fantasiar o que quiser enquanto está ali...

Eu poderia acreditar que o sexo anal é apenas mais uma forma de fazer sexo se houvesse um culto à vagina como existe um culto ao ânus, o que sabemos não é verdade, uma vez que a vagina que só as mulheres possuem é desvalorizada e seus cheiros e formatos ridicularizados, pois aqui no Brasil quando querem ofender uma mulher chamam-lhe de "bacalhau" em alusão ao suposto cheiro da vagina. A brasileira é tratada como uma moldura do c* e seu traseiro exibido de todo jeito em revistas e até há pouco tempo, brasileiras de fio dental eram propaganda para atrair turistas em cartazes.

O seu diágnóstico é corretíssimo e ainda mais alarmante quando constatamos que a misoginia e o sexismo da sociedade não mudou muito nessas décadas e em pleno seculo 21 as mulheres ainda são tratadas com violência e como cidadãs de segunda categoria e por isso mesmo os homens podem agora, já que ainda dominam todos os setores do mundo, acreditar que o relacionamento entre eles é que é o ideal e superior porque entre iguais, já que as mulheres por sua suposta inferioridade não podem ser objeto de amor e sim de desprezo, exatamente como aos antigos gregos acreditavam...

Estou com medo do que pode estar vindo por ai!!!

Rosa Leonor disse...

Pois é Nana...a rir a rir...lá se conta a anedota...

é assim que nós somos enganadas. parece que é tudo a brincar mas a misoginia está lá!

abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

deusa Lotus, Já passei pelo seu Blogue! é um prazer encontrar mais uma amiga da nossa causa. bem precisamos umas das outras!
- quanto à questão do posto dá mesmo que pensar...


um abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

Gaia Lili: não vejo em que é que possamos discordar...eu estou dizendo o que você quer dizer...você não encontra esse mundo gay feminino porque ele não existe em nenhum lado. Por isso eu digo que o mundo gay é falocrático e machista. Faz com os homens mais fracos inclusive o que fazem os homens machos com as mulheres...por isso o quiseram violar, não foi? mas afinal quem são machos? Os que se servem da mulher sem rosto como diz a ? leitora anónima?


Estamos com a Deusa e essa é a melhor tomada de consciência mas independentemente disso o feminino e o masculino têm que se equilibrar no ser humano, pois esse é o andrógino que vem...

um abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

Obrigada Cláudia pelo poema da Florbela e pelas suas palavras.

um grande abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

Minha amiga, arranje um nome para eu a identificar, mesmo que não seja o seu...e continue a ajudar-me com a sua clareza. Percebo e penso exactamente o mesmo. Creio que o que é mais óbvio no brasil é camuflado em portugal, mas essa prática e preferência do homem pela relação anal com a mulher é como você diz uma forma de satisfazer um desejo homossexual... aqui tudo é mais regrado e hipócrita e estas questões nem são politicamente correctas. Não publico o seu texto porque é muito explícito e levaria o tema para um lado que eu não quero entrar, mas não poderia estar mais de acordo consigo!!!
Não me leve a mal, nem ache que é cobardia minha, mas por cá, de facto, tenho de ter cuidado com certos tabus...Não deixe porém de escrever tudo o que sente e como sente!!!
Um grande abraço

rosa leonor

André Louro (o outro) disse...

Olá Rosa,

Federico Garcia Lorca, o grande poeta andaluz, por exemplo, não era gay, mas tinha uma frustração erótica com as mulheres. Desejava as mulheres, mas elas rejeitavam-no. Li isto na biografia dele de Ian Gibson. Ao contrário do que muitos estudiosos pensam, Lorca continuou sempre com esperanças de um amor heterossexual até à morte, quando foi executado por um playboy homossexual dos Camisas Negras. Os outros homens é que o massacravam, metendo ideias de homossexualidade na cabeça dele. Lorca era um devoto da Lua e do misticismo cigano. A Deusa ocupava muita da poesia dele.
Isto tudo para dizer que os homossexuais surgem precisamente onde há muitos homens, por exemplo, na tropa, na prisão, na Guerra, na Marinha, na polícia, em grupos de extrema direita...Precisamente porque o ideal da Dama, trovadoresco, desaparece nesses grupos. A virilidade é algo muito presente e a virilidade leva a perversões, sado-masoquismos. Vejamos por exemplo o caso do Aleister Crowley, o mago, com o poeta Victor Neuberg, ao iniciar o poeta que era heterossexual, nos mistérios da homossexualidade e dos desequilíbrios resultantes do sado-masoquismo. Assim tentou também com Fernando Pessoa, mas Pessoa bem que escapou!

Um abraço,

André Louro

Anónimo disse...

Eu quero pedir desculpas, pois depois que enviei meu texto, me arrependi por achá-lo muito agressivo.

Mas ainda bem que vc entendeu o que quis dizer e se fui enfática e agressiva demais, é porque fico indignada com isso e com a obrigação que nós brasileiras temos de satisfazer os homens com essa prática. Em revistas femininas, sexólogos (homens como não podia deixar de ser) exortam as mulheres a essa prática dizendo que nós não devemos nos privar desse prazer, quando na verdade querem pregar que não devemos é deixar os homens serem privados disso.

Enfim, da proxima vez, eu vou reler o que eu postar e se for o caso, reescrever pois não quero causar embaraços no seu espaço.

Eu sou devota da deusa Isis, então daqui por diante vou assinar Tesenisis, que quer dizer "presente de Ísis".
Tesenisis (Anonima)

Rosa Leonor disse...

Tesenisis...não tem nada que pedir desculpa eu concordo inteiramente consigo. Por vezes eu posso parecer também agressiva, mas não creio que seja isso. E eu só tenho que agradecer-lhe, mas há pequenas cosias que eu não quero focar e expor para não provocar conflitos inúteis. Por outro lado tento elevar as questões, sempre que possa, para uma dimensão mais espiritual e menos mental ou intelectual...mas sem evitar a realidade como ela é...

um grande abraço

rosa leonor

Também sou devota de Isis...portanto considere-se minha irmã...

Ana Nazaré disse...

Abençoado esse texto !!! Sua consciência , a verdade em suas palavras, Rosa Leonor, são RARAS!!! Se pelo menos 1% do povo desse mundo tivesse essa consciência...teríamos uma Terra mais bonita, alegre, sensual, feliz e prazeirosa!!!!