quinta-feira, novembro 05, 2009

MULHER RECORDA-TE...




"Houve um tempo em que não eras escrava, lembra-te disso. Caminhavas sozinha, alegre, e banhavas-te com o ventre nu. Dizes que perdeste toda e qualquer lembrança disso, recorda-te...Dizes que não tens palavras para descrevê-lo, dizes que isso não existe. Mas lembra-te. Faz um esforço e recorda-te. Ou se não o conseguires, inventa."

Citação tirada de “O Livro de Lilith” – Bárbara Black Koltuv
*

“Revela-se na mulher a natureza do Eterno Feminino, que transcende todas as suas encarnações terrenas – cada mulher e cada símbolo individual. A emergência do arquétipo da Feminilidade em todas as culturas, em todas as épocas e entre todos os homens, desde a pré-história, constitui também a realidade da mulher moderna, seus sonhos e visões, suas fantasias e impulsos, suas projecções e relações, suas fixações e mutações.

*
A Grande Deusa encarna o Ser Feminino, que se manifesta tanto na história do género humano quanto em cada mulher individual; a sua realidade determina a vida individual e colectiva. Esse universo psíquico arquetípico está contido no poder subjacente que, ainda hoje – em parte com os mesmos símbolos e na mesma ordem de desenvolvimento, em parte com modalidades e variações dinâmicas -, determina a história psíquica do homem e da mulher actuais”.

Erich Neumann


6 comentários:

Juliana Xavier disse...

nossa eu virei seu livro do avesso procurando esse texto...
revirei o blog tbm... e nada...

felizmente vc postou de novo...

bjuuuuuuuuuux

eu te adorooooooooooooooooooo

jozahfa disse...

Bonito...

Anónimo disse...

"Mulheres que querem ser iguais aos homens, carecem de ambição." Desconheço a autoria
****************
"Se as mulheres entenderem por emancipação a adoção do papel masculino, então estamos na verdade perdidos. Se as mulheres não puderem contrabalançar a cegueira da arremetida masculina, a velocidade agressiva descambará para seus extremos lunáticos numa velocidade sempre crescente. Quem salvaguardará as desprezadas faculdades de compaixão, simpatia, inocência e sensualidade?

(...)Poder da mulher significa a autodeterminação das mulheres, e isto quer dizer que toda a bagagem da sociedade paternalista terá de ser jogada fora. A mulher deve ter oportunidade e campo para idear uma moralidade que não a desqualifique para o aprimoramento e uma psicologia que não a condene ao status de uma aleijada espiritual. As penalidades por tal delinqüência podem ser terríveis, mas ela tem de explorar a escuridão sem nenhum guia. Pode parecer de início que ela meramente troca um modo de sofrer por outro, uma neurose por outra. Mas ela pode, por fim, reivindicar, ter feito uma escolha definida que é o primeiro pré-requisito de ação moral. Pode ser que ela mesma nunca veja o alvo básico, pois a estrutura da sociedade não é desenredada num único tempo de vida, porém ela deve estabelecer isto como uma crença e nisto encontrar esperança.
'A grande renovação do mundo consistirá talvez nisto, de que o homem e a mulher, livres de todo o falso sentimento e aversão, buscarão um ao outro não como opostos, mas como irmão e irmã, como vizinhos, e surgirão juntos como seres humanos.'"
In A mulher eunuco de Germanine Greer

Rosa Leonor disse...

Obrigada Jozahpa...

um abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

pois é juliana...quem procura semrpe encontra!!!

abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

obrigada pelo texto. Tenho o livro mas nunca o acabei de ler...é estranho. Vou voltar a pegar nele!

um abraço

rosa leonor