sábado, janeiro 09, 2010

Nem só corpo nem só biologia...

Portugal

"Orgasmos de Clara Pinto Correia
em exposição no Centro Cultural de Cascais"

in DN de hoje

Deplorável este exibicionismo de uma escritora que devia ser apenas actriz, e digo sem desconsideração pelas actrizes, pois a sua busca de protagonismo mediático, mesmo ao nível da sua maior intimidade, é completamente deprimente...
Há mulheres que se expõem por nada só pelo culto da imagem...
Pobre C
lara Pinto Correia. Lembro-me de a ver garota muito "eXperta" na televisão...
Nunca perdeu o anseio de se fazer ver e notar, tal uma garota que precisa de chamar a atenção do pai para si... e é cada vez mais grotesca a sua encenação de uma sexualidade livre e original...

A Juliana pode dizer que eu não sou solidária com as mulheres, mas como ser solidária com uma mulher que se julga intelectual, é biologista, e expõe os seus orgasmos e a sua nudez sem qualquer pudor.
Dir-me-ão que o pudor não é natural e que é apenas um preconceito, mas eu creio que o pudor é uma forma de dignidade em conservar não só a nossa integridade como o sagrado e secreto da nosso corpo e da nossa alma...
A nudez e a exposição do corpo da mulher de forma gratuita e vulgar dá da mulher uma imagem profanada que os homens usam e abusam sem qualquer respeito pelo ser humano!

É bom referenciar o actor brasileiro Paulo Cardoso que fez um manifesto contra a nudez gratuita das actrizes no Brasil:


FAÇAM UMA REFLEXÃO COM ELE:

"A meu ver, as empresas que exploram a comunicação em massa (e as que dela fazem uso para divulgar seus produtos) apossaram-se de uma certa liberdade de costumes, obtida por parte da população nos anos 60 e 70, e fazem hoje um uso pervertido dessa liberdade.

Uma maior naturalidade quanto a nudez, que àquela época, fora uma conquista contra os excessos da repressão a vida sexual de então, tornou-se agora, na mão dessas empresas, apenas um modo de atrair público. Com a conivência de escritores e diretores (alguns deles, em algum momento, verdadeiros artistas; outros, nunca!) temos visto cenas de nudez, ou semi-nudez, ou roupas sensuais, ou diálogos maliciosos, ou beijos intermináveis, em quase todos os minutos da programaçãos das televisões e nos filmes para cinema, sem falar na publicidade. A constância com que essas cenas aparecem tem colocado em permanente exposição a nudez dos atores, especialmente das mulheres; é sobre as atrizes que a opressão da pornografia é exercida com maior violência, uma vez que ela atende, na imensa maioria das vezes, a um anseio sexual do homem. É raro o convite de trabalho, seja filme ou novela ou programa de humor, que não inclua cenas desse tipo para o elenco feminino.

(...)
Quem se vê submetido a cena pornográfica, sempre sofre, mesmo apesar de seus possíveis compromentimentos subjetivos a tal submissão. O comprometimento eventual de alguns de nós, não legitima o ato agressivo de quem propõe a pornografia.

HÁ quem se afobe em me acusar de exagerado, eu só peço que assista aos filmes recentes e a televisão. Está tudo lá. É só ter liberdade para ver.


HÁ quem se afobe em me acusar de moralista, peço antes que procure conheçer o meu trabalho em teatro e que assista ao filme desta noite. Nele, assim como algumas vezes no teatro, tratei, junto com meus colegas, de assuntos bem distantes da uma moralidade puritana. Quem for me acusar, tente primeiro perceber a diferença entre a liberdade para tratar de qualquer assunto e a intenção de usar qualquer assunto para difundir pornografia usando a liberdade de costumes para disfarçá-la de obra dramatúrgica.
(...)
E para que não digam que estou assim trasntornado com este assunto porque agora estou namorando uma atriz, digo logo eu! De fato, nos dói mais a dor que dói em nós mesmos. Mas saibam que estas idéias, incômodos e preocupações já nos ocupavam, tanto a mim quanto a ela, muito antes do nosso encontro. Agora, ver a mulher que eu amo ter que diariamente se defender no trabalho contra a pornografia reinante, tornou este assunto a primeira ordem do meu dia. Se antes era apenas por responsabilidade profissional que eu me opunha a pornografia, agora é também por amor. Se alguém conhecer um motivo melhor do que este para lutar por uma causa, me diga, porque eu não conheço. E ainda afirmo: o meu afeto não me nubla o discernimento. Ao contrário, acredito que ele me deixe mais lúcido porque mais determinado.
E se ainda alguém quiser me acusar de mais alguma coisa, acho que dificilmente serão atores e muito menos atrizes. As acusações virão certamente daqueles que sempre permanecem vestidos nos estúdios de televisão e nos sets de filmagem ou nem saem das salas de reuniões.
*

VER MAIS EM: http://lealdadefeminina.blogspot.com/

6 comentários:

MOLOI LORASAI disse...

CPR é a fraude dentro da fraude. é evidente.

Gaia Lil disse...

O que é mais chocante na cultura patriarcal na qual estamos inseridos é que as mulheres não são vistas como individuos, seres humanos e sim como objetos na maioria das vezes totalmente descartaveis.Lembro me da frase de uma atriz:
" Beleza e juventude pagam tudo até a a inteligencia e dignidade"

Não é pois desse tipo de mentalidade que a mulher precisa, muito pelo contrario isso é extamente o que a gente tem de descartar.
Urge uma nova cultura não mais centrada no homem nem no ego e sim na parceria de homem e mulheres.Não em mulheres masculinas que procuram ser iguais aos homens anulando seu feminino e sua identidade unica mas sim em mulheres-mulheres exercendo seu feminino de forma plena , tendo os mesmos direitos sociais, direitos igualitarios, que os homens tem.E podeno exercer cargos politicos sem serem tão hostilizadas pela sociedade.

Priscilla Valdragon disse...

o que mais doi e me machuca é que é justamente essa exposição cruel que a maior parte do publico parece querer ver.
afinal, o que mais fazem os produtores de entreterimento que tentar dar aos espectadores o que esses querem?

Priscilla Valdragon disse...

o que mais doi e me machuca é que é justamente essa exposição cruel que a maior parte do publico parece querer ver.
afinal, o que mais fazem os produtores de entreterimento que tentar dar aos espectadores o que esses querem?

Juliana Xavier disse...

Não conheço a referida atriz nem o conteudo do livro mas bem posso imaginar...

Nem me espanta muito menos...

Vou arriscar dizer q as mulheres em Portugal q se acham na vanguarda sexual fazem hj em dia, o q faziam as brasileiras nos tempos da pornochanchada... ou seja: querem ser putas!!!

Pra romper definitivamente com o papel submisso das mães elas acham se muito espertas por atrair os homens com sexo facil... com a "desculpa" de q é ela q quer desta vez, q é ela q tem o poder, q é ela q manda...

E o q ela consegue de fato, ser usada como objeto, mas por vontade própria... claro, dependendo da situação, ela é uma pessoa, mas sexualmente é uma atriz q representa a mulher q povoa a fantasia masculina... ela se veste e se movimenta, com caras e bocas, tal como grandes mestras da sedução, elas compram vibradores e bolinhas, elas fazem strip tease, elas experimentam "novidades"...

Oxalá seja um passo a mais, entre a completa submissão e repressão e uma nova mulher q surgirá... mas ainda muito mais perto da velha submissa e anorgástica do q de uma mulher livre... livre ra dizer sim e pra dizer NÃO!!!

E pq? pq ela anda mesmo é nos calcanhares umas das outras disputando o macho... macho provedor blablablá, aquela velha historia... e o macho tbm pode ser outra mulher... é o androcentrismo de sempre, sem tirar nem por... "meu amor não vá às putas, q agora a puta sou eu!" mais ou menos isso...

a questão não é ser-se pudica ou andar nua, nem é fingir orgasmos ou publicita-los... a questão é, fingindo ou ublicitando, recatada ou nua, ela o faz pelo homem, não por si mesma, e este é o mal...

Se fosse por ela mesma, se fosse a sua deusa lasciva e fogosa, uma deusa ninfomaniaca, q fosse nua e q até colocasse a cama no meio do shoping e fizesse shows de sexo ao vivo, mostrando os orgasmos ali, em tempo real, ao vivo e à cores no meio da multidão... mas não é por ela, é para o homem... para atrai-lo, para adorá-lo e glorificar o santo falo...

Eu gosto de sexo, quero as minhas festas bacantes... mas pra mim e por mim, e para minhas deusas bacantes loucas e sagradas... não para endeusar ainda mais um fétido falo masculino, piroso e meia bomba...

Apoio o Paulo Cardoso, e ganhei renhidos combatentes da falsa moral etc... em debates quentes pelo orkut afora... mas não apoio a censura ou o moralismo puritano... o puritanismo religioso simplesmente e a exploração q coisifica a mulher são no fundo, uma coisa só, tem a mesma base patriarcal, e o mesmo deus falocrático...

uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa...

e concordo com a Rosa, tbm tenho muita pena das mulheres q se dão assim tão barato, q se violentam na realização de praticas q não gostam ou não fariam, se não precisassem tanto marcar essa diferença nas disputas pelo macho, na rivalidade com as outras mulheres, na exibição de tecnicas e performances e tal... a q se reprime é tão submissa com a q se libera só pra prender o macho, ra chmar sua atenção...

Sim, são tempos de transição... mas essa carência feminina, essa dependência tão avassaladora me faz confusão, me mete nojo...
não ando com paciência para mulheres androcêntricas, nem tenho tempo pra elas... elas q se danem, seja fingindo orgasmos, seja anunciando pra atrair a freguesia...

(fui...)

Juliana Xavier disse...

Fui ver do q se tratava...
coloquei o nome dela no google e veio pouca coisa... aí coloquei e orgasmo na frente e bingo! achei!!!
claro se quer fazer alguma coisa pra chamar atenção, põe a sexualidade da mulher ou por outra, a nudez da mulher, a intimidade da mulher e já está...

por dever "profissional" fui ver as tais fotos... pessoalmente nao gostei, engraçado q os dentes dela me faziam impressão não sei pq... ou são falsos ou sei la me incomodaram... enfim...

apareceu tbm um outro site, onde essa moda ja pegou faz tempo, tem mil pessoas lá, homens e mulheres, com seus orgasmos clicados e filmados... me lebrou a Rita Lee comparando o visual da cena orgastica com um ataque epilético...

orgasmo é bom de sentir, mas não é muito estetico, na minha opinião... não perderia meu tempo pra ir ver... ainda se fosse a Scarlett Johansson... kkkkk... mesmo assim não iria, pq está muuuuuuuuuuuito frrrrrrrrrrrrrio...

Ah gente fala sério ver caras de orgasmo, não sei a q será q se destina...

eu adoro (nem vou usar a expressão mais rasteira em respeito a Rosa...) sexo... muito... é uma coisa, por vezes irracional, é instinto mesmo... eu faço as coisas, com mil preceitos e justificativas, mas levada pelo desejo sexual, as vezes faço besteira... se estou ovulando então, melhor ficar amarrada em casa... minha libido é furiosa, imperiosa, atravesso oceanos por ela, e mesmo q ja nem tenha mais nada q justifique... (e me ferre!) lá vou eu... amo sexo... adoro sentir prazer, adoro me sentir desejada... mas daí a fazer fotos na hora... como assim?

era um trio, um estava com ela e o outro fazia as fotos? não, era a mesma pessoa, pelo angulo se ve bem, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo...

nesse caso, seria mais pose, não é tão natural... já se sabe q vai ser fotografad e tal...

prefiro antes os flagrantes dos casais em ação... kkkkkkkkkkk... tbm dessa fauna o youtube está cheio... de milhões de acessos...

Pra mim, sexo é ao vivo mesmo... e com melhores orgasmos, múltiplos, de preferencia... as minhas fotos ficariam todas tremidas... kkkkkk