segunda-feira, fevereiro 08, 2010

A IMPORTÂNCIA PESSOAL MATA

TAISHA ABELAR - UMA MULHER XAMÃ "— Sempre que Florinda dá uma palestra, pelo menos uma mulher no público pede divórcio! — Isso levou a perguntas sobre amor e sexo. Taisha nos contou que "um beijo apaixonado ou dar as mãos com grande sentimento, grande desejo, pode ter mais energia que uma relação sexual", e nos aconselhou a não ouvir canções de amor. Estas, explicou, eram propagandas para a "ordem social", levando uma pessoa a desejar ser cortejada, acabando sentenciada à prisão­ do casamento. Até fantasiar sobre um ator ou músico de rock pode­ria impedir o movimento de uma pessoa em direção à liberdade, ela advertiu, despendendo energia valiosa que os feiticeiros devem conservar para sonhar e espreitar."
(...)
Encarem o infinito e a morte no espelho através da noite!
Apenas fazendo isto, tomando a morte como uma conselheira desta maneira, muitas coisas cairão por terra, muitas coisas desaparecerão em vocês.
Assumam a responsabilidade de sua percepção do mundo. Não apenas a simples percepção na qual nasceram. Em lugar de intentar o movimento de seus pontos de aglutinação a outras áreas do ovo luminoso, se ajustam o seu próprio cinto (!), se cortam o supérfluo em suas vidas, o ponto de aglutinação se deslocará por conta própria sem ajuda de rotinas ou exercícios por parte de vocês. A lâmpada da consciência, brilhará forte quando cortarmos o excesso de bagagem que carregamos (preocupações, autopiedade, etc), brilhará sobre todas as outras possíveis posições do ponto de aglutinação.
A segunda regra para ser um guerreiro é pagar suas dívidas. Um guerreiro é muito generoso. Ele ou ela não olha o mundo em termos do que as outras pessoas lhe devem. O guerreiro olha o mundo em termos de oportunidades para saldar suas dívidas com outras pessoas e assim não estar completamente atado para sempre.
Isto de pagar as dívidas conduz a um afeto imparcial por todas as coisas. Muito do que consideramos afeto é comércio de favores com outras pessoas. O guerreiro, por outro lado, dá afeto sem esperança de devolução. Não que o guerreiro esteja tratando de eliminar o afeto ou ser uma pessoa insensível . O afeto do guerreiro é tão imparcial que se libera das relações de todos os dias. O afeto do guerreiro é tão imparcial que se o guerreiro vai a outra realidade completamente diferente desta, seu afeto estende-se à todos os outros novos seres que existam nessa realidade.
Se alguém realmente nos feriu, isto também necessita ser devolvido. O conceito de pagar as dívidas não é uma idéia sentimental, limitado a corresponder as boas relações. O ponto é liberar-se de todas as relações. Se estão apegados a alguém que os feriu, podem necessitar desligar-se dessa relação devolvendo o dano. Assim não é uma questão moral; é uma via de mão dupla .
O sendeiro do guerreiro é uma escotilha de escape, um lugar onde se pode ir depois de ter desmantelado sua vida diária. Não há lugar para o medo, para a indulgência (pena de si , para a culpa ou a nostalgia quando se está rumando para o desconhecido.
Uma determinação inquebrantável é o único caminho que podem tomar ou lhes acontecerão coisas terríveis uma vez que tenham acumulado suficiente energia (mediante o uso da morte como conselheira para cortar o excesso de bagagem).
Não podem estar meio dispostos ou com apenas parte de sua energia pois lhes acontecerá coisas piores (antes não tivessem enveredado por esse caminho) .
Recuperem a energia usada para sustentar o mundo da vida diária. O mundo da vida diária é um edifício gigantesco, porém apóia-se apenas sobre três pilares:
 
1 - Como nos apresentamos ao mundo . Como nos encaixamos na estrutura da ordem social. A recapitulação nos permite pensar em tudo isto; como nos encaixamos é um espelho de como os outros nos vêem em suas esperanças e temores. Tudo isto requer ENERGIA. O guerreiro em transformação nota que ele ou ela está de cara com a morte e então percebe que conduta e que intensidade é apropriada sob esta luz .
O segundo pilar é nossa necessidade biológica de encontrar um par e nos reproduzirmos. Somos animais sociais. Os bruxos dizem "deixem que outros o façam". Os bruxos necessitam da energia para parar com a dança social e a necessidade biológica para alcançar a Liberdade. Nós não queremos ser a flor que floresce e morre para propagar a espécie. A segurança da família é uma das mais fortes atrações da ordem social. Existe um tremendo medo a estar só, a morrer só. Os bruxos tem que aprender a estar sós, por longos períodos. Esse é o motivo pelo qual Don Juan sempre nos provou deixando-nos sós, por nossa conta, para ver como manejamos a solidão. Porque temos tanto medo de não ver filmes, não ter amigos? É também muito importante aprender a ter silêncio mental, solidão mental, por longos períodos. O mundo então irá colapsar por si mesmo sem o diálogo interno! Sonhar também é muito solitário, encarando os perigos no mundo dos sonhos sozinhos.
Estamos falando acerca de "parar" esta noite e de ter que usar a solidão. Como mulheres, nós não queremos ser uma solteirona, uma amarga solteirona, com um lunar (?) e costeletas nas bochechas (?). Nós aprendemos essas coisas, a necessidade de ser formosas para apanhar um bom marido e temos fundado a indústria cosmética inteira com nossos medos e preocupações. Na recapitulação temos uma chance para ver ist o e buscar alternativas.
O caminho do guerreiro (é não ser apanhado no imperativo biológico de formar um par e na dança social motivada pela solidão) é uma transformação que envolve uma afeto sem limites. Não contar o número de romances que temos ou estar em uma relação e sonhar com alternativas que seriam inclusive melhores para nós. O afeto do guerreiro transcende tanto a ordem social que o guerreiro pode mover-se a outra posição do ponto de aglutinação, inclusive um universo desconhecido, e estar todavia cheio de afeto. Assim não tenham medo de fazer em pedaços esse segundo pilar da realidade diária, pois se o fazem não vão deixar afeto ou sentimento algum .
 
3 - O terceiro pilar da realidade diária é muito sutil; é a importância pessoal. Nós brincamos a respeito de colar um adesivo(?): "a importância pessoal mata", por que o falso sentido de importância pessoal nos mina, é uma grande causa de suicídio, sem mencionar que nos tira o prazer de viver. Qualquer um manifesta a importância pessoal de uma maneira ou de outra, seja querendo ser o melhor em algo ou querendo se fazer de mártir ou sendo o pior - a síndrome do "usa meus ossos como degraus para tua própria glória". Não substituam a falsa humildade ou a falsa modéstia pelo orgulho de sua importância pessoal.
Uma coisa importante para dar-se conta é que vocês não são mais nem menos importantes que qualquer coisa viva. Para dizer de outra forma, somos como formigas em um formigueiro, levando sua carga especialmente grande e pensando que é a mais importante, a melhor, quando em um momento alguém pode pisar nessas formiga e suas companheiras e todas elas serão iguais em sua morte. Algo vai pisar em todos nós algum dia da mesma maneira. Todos somos iguais e a importância pessoal não é nada, exceto um prêmio da ordem social da realidade diária, como droga destilada dentro de seus cérebros para mantê-los escravos da ordem social. É melhor mudar, tomem sua energia agora mesmo e rumem em direção a Liberdade.

(…)
Conferência de Taisha Abelar (Janeiro de 1994)
  

Sem comentários: