segunda-feira, março 08, 2010

O MUNDO NAS NOSSAS MÃOS...

FELIZ DIA DAS MULHERES...

100 ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS?

O que é isso face a milhares de anos de sofrimento inaudito e sem limites?

Milhares de anos de ofensas, sacrifícios e perda de dignidade e valor...milhares de anos de abuso e dor. Centenas de anos de exploração e desonra...centenas de anos de negação da Mulher...

Se este dia for de consciência desse passado recente e houver uma diferença significativa na vida da Mulher eu regozijo-me com isso, mas se for apenas as aparências e falarmos de lutas e conquistas invisíveis, sempre na SOMBRA...com medo da nossa sombra, com medo da outra que somos, e se não integramos a Mulher inteira...então não há nada a festejar!

E nada mais tenho a acrescentar do que escrevi o ano passado nesta mesma ocasião...
****

“ Na tentativa de incrementar uma mudança nas sociedades contemporâneas, reivindicamos um processo de feministização dos domínios político, económico e sociocultural. Exigimos a erradicação das práticas discriminatórias que transformam as mulheres em indivíduos de segunda. Levantamos a voz pela consecução da Igualdade de Género.A militância feminista trouxe conquistas indubitáveis para a arena dos direitos das mulheres ocidentais, reflectidas designadamente no direito ao voto, à propriedade e ao divórcio, no acesso ao ensino e ao mercado de trabalho, na autonomia sobre o seu corpo. Contudo, a igualdade entre homens e mulheres não existe em nenhuma parte do planeta, prevalecendo repudiáveis violações dos direitos fundamentais.”*

*UMAR: http://www.umarfeminismos.org/index.htm

“A igualdade entre homens e mulheres não existe em nenhuma parte do planeta, prevalecendo repudiáveis violações dos direitos fundamentais.”

Apesar de esta afirmação ser totalmente verdadeira, e eu concordar com ela no plano prático, a igualdade entre homens e mulheres não pode ser estabelecida como as feministas pensam, só através da defesa dos direitos e deveres iguais e sociais porque esta se faz apenas através da afirmação do seu lado masculino, o lado esquerdo do cérebro, o lado racional da humanidade.
Falta precisamente à humanidade o lado feminino que a mulher deixou de representar há muito tempo porque ela adoptou, à força das circunstâncias que lhes foram impostas pelo poder falocrático, o lado masculino apenas sem abranger o lado feminino essencial nem aceder á consciência ontológica do ser humano. As feministas pecam por ser marxistas e comunistas e não englobarem outra visão do ser humano que não seja a visão materialistas do poder económico ou social e sexual.

Elas assim o afirmam:
“reivindicamos um processo de feministização dos domínios político, económico e sociocultural”, mas a essência da mulher e o seu universo próprio, totalmente negado, a intuição, a emoção ou o lado afectivo e transcendente da vida, a essência da própria vida, a mística da Mulher, a concepção e gestação como um acto sagrado, é completamente ignorada e a questão do feminino e masculino serem complementares e a expressão de uma verdade maior ela é igualmente ignorada e A VIDA cingida aos aspectos MATERIAS (o sexual como prazer e o da reprodução da espécie sem mais).
Ora o que está em causa para mim neste momento crucial de evolução da humanidade, em plena crise do Sistema, não é apenas a mulher ser igual ao homem e ter os mesmos direitos! Porque esses direitos, no caos em que o mundo se encontra, se calhar vão acabar até para os homens…

O que está em causa é a Consciência Ontológica da Mulher,
a mulher SER MULHER na totalidade, é a mulher encontrar a sua sombra (a outra mulher rivalizada, a mulher que se nega em si própria e recalcada a níveis inconscientes) e integrá-la.
É a mulher desenvolver as características da sua natureza profunda e também o hemisfério cerebral direito, o lado feminino da humanidade, que corresponde ao lado atrofiado do cérebro, seja na mulher seja no homem. Enquanto a questão dos Princípios Universais, o Yin e o Yang, o feminino e o masculino, o equilíbrio entre o Céu e a Terra não forem feitos e compreendidos como forças inerentes ao desenvolvimento da espécie e integrados em cada ser humano, a mulher e o homem não chegarão a nenhum lado.

Mas esta questão é tabu para as mulheres quase todas marxistas e comunistas e que fossem religiosas seria parecido pois o seu deus é um dogma e sempre Homem, e nem se atrevem a colocar-se a questão da sua essência cósmica, nem da sua verdadeira natureza associada à Natureza mãe, ao Planeta Terra, de tal forma estão alienadas por conta do patriarcado que as reduziu a uma metade de si mesmas, a um seu travesti. As mulheres nem sequer compreendem esta questão nem nunca me ouviriam e se o fizessem era para rechaçar implacavelmente qualquer hipótese de verdade das minhas palavras.

Digo isto por causa da manifestação das mulheres e desfile marcado para o dia 8 de Março, o dia Internacional da Mulher em Lisboa.

Quem me dera acreditar e poder participar de alma e coração, mas eu sei que enquanto às mulheres faltar a dimensão do coração e a alma for uma metáfora elas não chegarão a nenhum lado porque elas só se atolam no Pântano da mente e do poder económico do patriarcado e poluem o mundo como eles. E eles continuam a fazer delas o que querem…porque elas continuam a ser as suas marionetas…
rlp

2 comentários:

Nana Odara disse...

Talvez a nossa liberdade e relativa autonomia dentro de um sistema de direitos garantidos seja um passo no caminho da iniciação... Sem eles é de fato, ainda mais dificil...
Se eu tivesse despertado, mas ainda fosse escrava, sem direitos, de q adiantaria?
A sociedade vai despertando lentamente, tanto homens qto mulheres, seja de q gênero for... a caminho de alguma androginia talvez, mas temos de ser todos... como no principio da Kymatica, a evolução é do todo...
Por isso precisamos ver de todos os angulos, não apenas daquele q nos é mais próximo ou confortável... ver com os olhos das outras mulheres, pq com todas temos sempre a aprender...
Assim como todas sempre passamos por aqui e lemos o mundo com seus olhos sempre atentos... a olhar por todas nós... obrigada pelo incessante trabalho de lamparina, a nos alumiar o caminho de religação com a Grande Mãe...
muitos beijinhos pra fada-bruxa Rosa Leonor...

Gaia Lil disse...

Concordo com Nana Odara, precisamos dos seus olhos sempre atentos para a falsidade e os eufemismos que o patriarcado usa como disfarce...Precisamos sempre de ti Rosa Leonor, para nos iluminar o caminho em direção a Grande Deusa.

Abraços cheios de carinho.