"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quarta-feira, março 03, 2010

A PAZ SEM VENCEDORES NEM VENCIDOS

SINAIS DE ...MEDO!

Para meu espanto escutei Miguel Sousa Tavares falar com grande apreensão sobre o facto de as mulheres no nosso País estarem em maior percentagem nas Universidades e perante a possibilidade de, num futuro próximo, ganharem posições de importância, destaque ou chefia e os homens coitadinhos a ficar com os trabalhos inferiores ou subalternos…

Ele parecia avisar o País dessa IMINENTE catástrofe…o seu ar era perfeitamente constrangedor…e assustado.


Primeiro eu pensei que ele ia falar e elogiar as mulheres por se estar a aproximar o dia Internacional da Mulher…mas quando comecei a perceber o que ele queria dizer com aquilo fiquei estarrecida…


Como é que este homem pode estar preocupado com a ascensão das mulheres ao poder social? Mais médicas, mais advogadas, mas magistradas, mais filósofas…mais poetisas, mais escritoras como se esse facto fosse uma ameaça para os homens e a sociedade? Ele até falou da paridade…a favor dos homens!


Independentemente de essa ascenção não se fazer no verdadeiro feminino, uma vez que o que as mulheres aprendem é o conhecimento ao serviço do Sistema patriarcal e dos homens, elas nunca serão um “perigo” verdadeiro pois serão iguais aos homens e pensarão como eles…daí não advém o perigo. O perigo advém que elas usando o poder masculino podem de facto fazer como os homens e “vingarem-se” tornando-se déspotas e sobreporem-se aos seus pares… Na linha do mais forte pela inteligência e trabalho, a prova está dada, as mulheres podem dentro de vinte anos dominar a vida a pública do País, mas será o mundo mais justo e fraterno mais equilibrado?

Não. Com essas mulheres saídas das escolas e Universidades patriarcais, tirando a excepção à regra, elas não serão senão travestis do homem…e os homens, A CUIDAR DOS FILHOS E na cozinha ou no lar… travestis das mulheres e aí há um perigo de inversão de poderes. Há…mas não era isso que parecia assustar M.S.T….mas sim e apenas a Mulher, de acordo com os conceitos masculinos, ser “superior” ao homem…e dominar as posições de chefia eventualmente...


Portugal não mudou dizia eu ontem em nada…esqueci-me dos cursos superiores e das estatísticas que mostram o grau de universitárias superior ao dos homens, mas isso não significa nenhuma mudança INTERIOR VÁLIDA…e a prova que não mudou nada na essência é o medo da Mulher que persiste, o medo da Mulher autêntica que é o QUE NO FUNDO os homens temem e este exemplar de escritor e intelectual não foge à regra!

Mas vejam a reportagem e a cara do homem…um verdadeiro Buldogue do patriarcado!

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/sinais-de-fogo/2010/3/mulheres-em-maioria-nas-universidades-portuguesas01-03-2010-22827.htm

Porque será que o M.S.T. tem assim tanto medo das mulheres? Não devia porque a sua Mãe foi uma grande poetisa, A Sophia de Portugal…a Voz do Feminino profundo, o Dom da mulher e de profetisa com rigor e ousadia…a Voz e a força da Vidente…

Aquela que Via e pedia:



A paz sem vencedor e sem vencidos

 
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
 
A paz sem vencedor e sem vencidos
 
Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos 
 
A paz sem vencedor e sem vencidos
 
Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor paz que vos pedimos
 
A paz sem vencedor e sem vencidos
 
Sophia de Mello Breyner Andresen
 
Dual (1972)

6 comentários:

Iony disse...

Rosa, por tudpo o que vc representa ao mundo real e virtual lhe faço um convite!!!

Faço um convite a todos amigos e amigas blogueiros:O tema é: "100 anos de Dia Internacional da Mulher: celebrar o quê?".

A proposta é discutir o que aconteceu no dia a dia das mulheres em 100 anos de lutas e conquistas..Saiba mais aqui:
http://rubraalma.blogspot.com/2010/03/blogagem-coletiva-100-anos-de-dia.html

Participe,divulgue, comente!Sua participação é importante!

Com carinho e respeitoIony/Alma Rubra

Gaia Lil disse...

Rosa, quando eu vi o texto eu não soube se ri ou se chorava...Senti um grande desconforto e se tivesse visto em outro lugar, como por exemplo no youtube, iria achar que era brincadeira ou montaqem e daria gargalhadas...Mas não...
Como pode?
Como pode tanta ignorancia, quero dizer burrice...

é como aquela frase que li outro dia aqui

"homens de pés pequeninos a dar com a cabeça nos pés"

Nana Odara disse...

É o q eu falo muito...
nós, mães de meninos temos de estar atentas...com a educação dos filhos homens... pq mesmo q em casa eles não aprendam essas idiotices, aprendem na sociedade...

Imagina a vergonha q ela sente de ter parido isso...

Ainda não tinha visto... alias não vi... vou ver agora... mas gostei da ideia de paridade para os homens... oxalá se torne uma realidade... kkkkkkkkkkkkkk...

Rosa Leonor disse...

Obrigada Yoni:

vou tentar fazer o melhor...mas para já propus as minhas leitoras que cada uma escrevesse algo...

um abraço amigo

rosaleonor

Rosa Leonor disse...

A Mãe do dito infelizmente já morreu...mas se calhar o facto de ter tido uma mãe tão extraordinária fez dele um frustrado com as mulheres...

...mas não deixe de escrever o que lhe pedi.
Depois desenvolve melhor no seu blog.
abraço

rosa leonor

Juliana Xavier disse...

Eu sei... em Loulé tem uma biblioteca com o nome dela... tive a oportunidade de ver alguns recitais e uma peça de teatro - amador - sobre a obra dela...

Digo q ela deve ter sentido vergonha, onde quer q ela esteja...

ja tentei ver o link, mas não abriu aqui ainda... de todo jeito, é o desespero do masculino, do patriarcal, medo de não ser capaz de se integrar na mudança, ficar de fora...