"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, abril 16, 2010

LEALDADE FEMININA


Rosa, minha deusa…aceita meu amor…

Meu amor de filha, minha Ceres Iluminada...

Meu amor de aprendiz, rebelde às vezes... mas leal...

Às vezes, nós, meninas
mais crescidas, ainda demoramos muito tempo a perceber toda essa intricada trama patriarcal, com as suas fantasias-armadilhas... ainda nos deixamos enredar por elas, ainda nos sufocamos e ficamos com os pés no ar, no cadafalso... Só quando sentimos de novo a chama ardente, e o grito que coa de dor dentro de nós, lembramos quem nós verdadeiramente somos...

Ainda serei rebelde muitas vezes, como uma filha perdida no inferno de Hades...

Ainda, se calhar, cairei na armadilha, vou desmaiar de medo, fazer xixi na cama, vou voltar com a cabeça cheia de piolho... kkkkkkkkkkkkkk... coisas q só uma mãe sabe cuidar...

Você ainda vai ralhar comigo, ficar zangada e rabugenta, praguejando as suas bruxarias.... kkkkkkkkkkk... mas eu estou aprendendo... eu, como tantas irmãs... e a caçulinha Gaia Lil...

Já posso me sentar de noite na mesa da cozinha e beberiscar qualquer coisa, delirar, voar com minha vassoura... Vamos rir de madrugada, aquelas risadas de bruxa e fofocar das meninas ainda perambulando pelos reinos dos Hades modernos... tão perdidas, tão tontinhas... kkkkkkkkkkkkkkkk... vamos rir risadas de bruxa, fazer uma fogueira de madrugada no nosso quintal e dançar nuas, na chegada de alguma primavera.


... e não vamos dançar sozinhas... da sua semente, da minha, e de outras... novas flores e frutos irão ser ofertados a Ostara, à Ceres, a todas as deusas diânicas que zelam pelo feminino do mundo e preparam seu retorno...

Acho que eu só conheço uma mulher que não tem medo de ser bruxa, que não tem vergonha; muitas são ainda aprendizes como eu, algumas se apegam a receitas, alegorias, vassouras e chapéus, mas não são bruxas no essencial... são cinderelas brincando de bruxa... completamente submissas ao patriarcado, ainda dedicadas aos homens... e não estão de verdade ligadas às mulheres... nem à mulher em si mesma, nem à mulher ancestral... Queremos isso, mas ainda não chegamos lá... é que algumas mulheres, mesmo despertas, só tem coragem de seguir, segurando a mão do homem, ele é quem dá segurança, ainda não estamos religadas com as deusas altivas, fortes, poderosas, ainda não estamos no ciclo sagrado, apenas queremos entrar... Sonhamos com ele, desejamos a tenda sagrada das velhas sábias, desejamos de todo coração, tocar suas mãos, ajoelhar e pedir a bênção, como eu fazia com minha avozinha quando era pequena... Queríamos ao menos espiar, como meninas ainda, de pés no chão, que acordam de madrugada curiosas e ouvem o buchicho vindo da tenda, o burburinho das vozes, as melodias dos instrumentos, o cracalhar da fogueira... vemos os vultos, da dança... indecente, libidinosa, daquelas deusas safadinhas e serelepes...


Hoje, me sinto uma menina, que acordou a meio da noite, junto com outras, e espiamos as velhas bruxas, dançando nuas, para além daquela fogueira, e nós só vemos os vultos, esperamos o dia em que também estaremos em volta da fogueira... acho que eu ainda tenho tanto a aprender que nem sei andar ainda, estou engatinhando... mas tenho muita sede... sede de aprender e de fazer parte desse trabalho, de leva rosas para o altar, e descalçar minhas sandálias, para dançar nua, festejar a chegada da primavera... e homenagear deusas como você, Rosa Leonor, a Ceres de todas nós, ainda perdida nos subterrâneos de Hades, nós, Persefones virtuais... todas q queremos ser bruxas de verdade... e ainda estamos engatinhando, dando os primeiros passos... desejo de todo coração viver o dia em q as mulheres finalmente serão de fato leais umas com as outras, sem medo... essa força feminina, essa rede de amor fraterno, essa rede de luz, q fará de todas nós mulheres verdadeiras..

. muito diferente do que hoje em dia se considera ser mulher (se deitar debaixo de um falo...)


Seremos mulheres, deusas e bruxas... dançando descalças em volta da fogueira...
Celebrando mulheres como você, incansável Sacerdotisa...
Aceita-me, como uma menina de joelhos, com a mão estendida, esperando a sua bênção, como adulta, na mesma posição, expressando o meu reconhecimento ao seu valoroso trabalho em prol

de todas nós e do feminino do mundo... o meu agradecimento por todo esse percurso em q me ensina tanto...

Aceita meu amor, minha gratidão e minha lealdade... te amo Rainha Rosa...

http://lealdadefeminina.blogspot.com/

MATER MUNDI

A Juliana partiu hoje para o Brasil...ela voltou à sua Terra Mãe depois de 7 anos de provação na Terra das Serpentes...Ofiusa... Terra distante das iniciações secretas, Terra Mãe fiel da Grande Deusa nunca esquecida e que vibra no coração dos poucos despertos que a defendem dos políticos, dos burocratas e dos estrangeirados...

Esta Terra mariana da fé e da Senhora de Fátima, Terra de deusas antigas pagãs, traída pelos homens que a governam há muito, mas como Rainha de Portugal é Ela a Senhora que ainda reina nas cavernas secretas, guarda a sua Coroa e ergue este Porto do Graal, canto longínquo das antigas aventuras da alma na procura do verdadeiro SER...

Aqui nasceu creio o seu "blogue" Mater Mundi e o seu filho cresceu e foi iniciado aos mistérios da língua portuguesa que ama e jura não esquecer...e ele fala tão bem que é quase inacreditável numa criança de 8 anos apenas...

Eles partiram hoje de manhã rumo ao Brasil, e um dia irei lá revisitá-los e ver se o TEO não esqueceu a pronúncia de cá... de que ele tem tanto orgulho. Que ele seja no futuro uma ponte amorosa de melhor compreensão entre os nossos países e a nossa língua materna, porque é filho de um Mãe que lhe dá todo o seu amor sem se esquecer quem Ela é...

Grata pelo seu reconhecimento (só não sei se mereço), aceito com humildade a sua homenagem do fundo do meu coração.

rlp

3 comentários:

Beto disse...

quando vc vier cá para a Terra de Vera Cruz [rss!] por favor, me avise e dê uma passada em Sampa City.

Rosa Leonor disse...

e quando eu for aí à Terra de Vera Cruz, aviso-o sim e faremos uma festa pagã!

um abraço grande

- Assim que tiver notícias da juliana me diga...caso ela não entre em contacto comigo logo...

Beto disse...

Rosa, a Juliana/Nana ligou para mim [imagine minha alegria] para avisar que volta jájá em atividade. Ela está em Minas Gerais.