"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

domingo, julho 04, 2010

é muito antigo...

-->
O MEDO DAS MULHERES
Haverá aberração mais perigosa do que o desprezo do corpo?
F. Nietzsche

“A atitude depreciativa que muitos homens têm em relação às mulheres é uma tentativa inconsciente de controlar uma situação em que ele se sente em desvantagem; muitas vezes ele procura eliminar o poder da mulher, induzindo-a a agir como mãe. Dessa maneira ele é liberto em grande escala do seu medo, pois na relação com a sua mãe quase todo o homem experimentou o aspecto positivo do amor da mulher. Mesmo assim não está totalmente livre de apreensão, porque ao fazer com a que a mulher seja mãe dele, ao mesmo tempo torna-se criança e está portanto, em perigo de cair na sua própria infantilidade. Se isso acontece ele pode ser dominado por sua própria fraqueza, e uma vez mais deixa a mulher o poder da situação. Consequentemente, a maioria dos homens aproxima-se de uma mulher com medo, não obstante seja um medo inconsciente, ou com a hostilidade nascida do medo ou, talvez, com uma atitude dominadora, para arrebata-la de um golpe. “ *

* In OS MISTÉRIOS DA MULHER M. Esther Harding


-->
“O medo das mulheres, ou ginofobia, é um mal bem conhecido que remonta de muito longe na história da criação. Deus, diz-se, criou o homem à sua imagem. Mas seguramente não a mulher. Senão, ele não seria obrigado a renovar tantas vezes essa tentativa, criando tantos modelos de mulheres aberrantes, a acreditarmos nos múltiplos contos, lendas, mitos, midrashim e haggadah que, entre outros, nos transmitiram os Hebreus.”
In LA DÉESSE SAUVAGE de Joelle de Gavelaine

NOTA À MARGEM:


O que explica nos nossos dias a maior parte das aberrações sexuais do homem, assim como a sua misoginia, ou mesmo a violência doméstico baseada no flagrante exemplo das religiões que retiraram à Mulher toda a sua dimensão ontológica, como no caso da igreja católica, que retirou todo o poder a Maria Madalena, como discípula e amante, para a transformar em “pecadora” substituindo-a unicamente pela Mãe
virgem da Deusa imaculada.

Daí termos uma humanidade infantilizada e uma mulher amputada de metade de si própria!
Daí a agressão verbal contínua dos fanáticos e fundamentalistas a qualquer expressão diferente da liberdade da mulher na afirmação do seu ser original!
É o medo das mulheres e do seu potencial reprimido que mesmo assim os assusta e faz atacar e destruir as mulheres por actos de violência gratuita ou pelo domínio económico, carros, jóias, etc. no caso dos mais ricos e moderados. Os mais pobres, limitam-se a bater nas mulheres ou a usar as prostitutas...a quem podem fazer tudo e pagar.

rlp

1 comentário:

Rejane-Enajer disse...

“A atitude depreciativa que muitos homens têm em relação às mulheres é uma tentativa inconsciente de controlar uma situação em que ele se sente em desvantagem; muitas vezes ele procura eliminar o poder da mulher, induzindo-a a agir como mãe." F A N T Á S T I C O!! esta é uma anáise analítica que só Freu explica (rsrs)

F. Nietzsche era muito visceral.
Abraço!!
Rejane