"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

terça-feira, setembro 28, 2010

O QUE É SER MULHER


REESCREVENDO O TEXTO…


ESCREVER MULHER":

Sou mulher mas tenho certa dificuldade em entender essa prática recente de endeusar as mulheres. Mulheres, uni-vos? Por que não conclamar todos os seres humanos a unirem-se uns aos outros e esquecerem essa bobagem de ser homem, mulher, branco, índio, gordo, homossexual, trissexual? Porque os homens devem se unir com os homens, as mulheres com as mulheres, os ateus com os ateus, os esotéricos com os esotéricos? Não vejo sentido nisso! Acho que você não vai gostar desse meu artigo: http://cadeaminhavida.blogspot.co, mas se puder, leia. De qualquer modo, um beijo pelo seu blog.

UMA GRANDE ESCRITORA ESCREVEU:

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo." *

Isto...diz tudo sobre a mulher que somos e não somos e agora a questão que nos resta é perguntar-se porquê?
Porque não sabe de si a mulher, nem dizer-se?
Se se aprofundar a questão, pois trata-se de aprofundar a questão do SER MULHER EM SI precisamente e não do SER HOMEM, porque à partida são naturezas diferentes, que se manifestam por emoção e intuição e razão acção respectivamente e independentemente de cada um destes seres, que se completam ou não, e poderem ser amantes, vemos que há uma supremacia de um, um domínio histórico e social e uma anulação e sujeição de outro e que ambos estão em conflito há muito e nada mudou em profundidade, mesmo que na superfície da vida moderna que vive de aparências e de estereotipas fabricados e fictícios se pense que sim...
A Mulher não sabe de si como a um certo nível o homem também não sabe, dir-me-ão…falando do plano metafísico, mas é aí precisamente que a questão se levanta. Talvez a Mulher e o Homem não saibam de si ontologicamente porque a Mulher se perdeu na História do Homem. A mulher foi aglutinada, foi reduzida a um simulacro de mulher, foi abduzida, desventrada, transformada num objecto de uso e consumo comercial…


“A mulher não está sabendo, mas ela está cumprindo uma coragem. A coragem da mulher é a de não se conhecendo, no entanto prosseguir, e agir sem se conhecer exige coragem”. *

Basta olhar o que se passa à nossa volta…ou ver as telenovelas; aí pode-se ver que as mulheres e os homens estão em conflito permanente, E SOBRETUDO AS MULHERES UMAS CONTRA AS OUTRAS A LUTAREM PELO AMOR DOS HOMENS...e aqui tem de se olhar e ver com olhos de ver... não se pode falar pelo homem e pôr-se a mulher na sua pele, mas falar de si mesma e sentir-se na pele de mulher. NÃO PELO QUE SENTE PELO HOMEM mas pelo que ela é enquanto mulher...

Esse é o erro comum das mulheres em geral: amam os homens ou projectam-se no ideal do homem porque NÃO SÃO NADA EM SI...SÃO O QUE O HOMEM QUIS QUE ELAS FOSSEM E ISTO EM TODOS OS DOMÍNIOS...e infelizmente elas pensam que são apenas isso e tratam de viver a “sua” vida só em função dos homens e para lhes agradar! Sacrificam tudo em função do Homem que as preencherá…que lhes colmatará os sonhos, pensam…os homens que lhes darão filhos, riqueza, sucesso, dinheiro…Os homens que darão sentido à sua vida porque a sua vida em si não tem nenhum sentido!

OLHEMOS BEM À NOSSA VOLTA E VEJAMOS SE NOS DAMOS MAIS IMPORTÂNCIA A NÓS MESMAS OU AO HOMEM QUE SE PROCURA PARA NOS "COMPLETAR"? Vão me dizer que é o espírito abnegado da mulher…ou é antes a forma como foi forçada a anular-se? O que nos mostram os filmes, os romances e as telenovelas senão a subjugação da mulher ao homem em nome de qualquer coisa como a família e o “amor”… ou hoje em dia que se chama paixão, desejo…tesão…

Olhar e ver a realidade sem medo não significa defender as mulheres ou acabar com os homens !!! Trata-se só de ver o que é e acontece quando a mulher não sabe dizer o que é porque se desconhece ontologicamente...porque não só foi anulada na sua natureza profunda, alienada de si mesma, como permanece divida, fragmentada...a “mulher” comum é mais como um homem “de saias” como se diz ou pró-homem do que Mulher-mulher ela mesma.
Sim, a mulher não se ama a si mesma...não se conhece na sua intimidade que não seja a sexual justamente em função do homem e mesmo assim mal…ou fala da sua maternidade forçada…Não sabe da sua Natureza integral e é por isso que a Deusa é a parte da mulher esquecida, a sua natureza intuitiva, selvagem, ligada à natureza e à Terra e que através de um processo de consciencialização dessa dividsão pode revelar-se em si essa sua natureza intrínseca e assim revelar então ao homem o seu deus interior...que ele próprio matou ao matar a deusa e a mulher na cultura e na história da Humanidade homem…uma vez que a mulher foi subordinada e anulada nas suas funções inatas em quase todo o mundo patriarcal.

“Sou tão misteriosa que não me entendo.”*

Depois, Só depois, de se conhecer a fundo, de conhecer o seu mistério e de se afirmar por si, a Mulher será verdadeiramente humana ou verdadeiramente livre; só depois, quando a mulher em todo o mundo for respeitada como a mãe e a amante, livre e sem divisões dentro de si...seremos todos humanos, brancos, pretos e amarelos, vermelhos...

O reflexo de tudo isto nos nossos dias é o que vemos na nossa “cultura” e por todo o lado…Olhemos com olhos de ver e vejamos o quão lamentável é as mulheres odiarem-se umas às outras – elas detestam-se, confrontam-se, irritam-se, invejam-se e lutam desesperadamente umas contra as outras...porque amam só os homens, os amantes, os maridos, os filhos...e todas as mulheres as outras são potenciais rivais. Foram assim treinadas como animais de estimação...farejam o dono e adoram-no...só falam de homens e esquecem-se de si mesmas, perdidas do seu ser essencial...

Claro, acham que eu sou uma radical…uma fanática da Mulher…
Sou o que quiserem, mas ninguém me tira a lucidez que me fere os olhos (e o coração) diante desta realidade do Ser Feminino traído e reduzido a uma imagem de plástico…

Rosaleonorpedro

* Citações de Clarice Lispector

8 comentários:

Iôrrane Ferreira disse...

Adorei o texto e s citações... Engraçado os textos da Clarice... às vezes ela, às vezes eu e às vezes todas nós :)
É Rosa... cada dia sei mais que, de verdade, somos únicas e ainda sim ligadas.
Beijos imensos e até o próximo post :D

Gaia Lil disse...

Existem certas mulheres cuja sabedoria desafiam o conhecimento racional. Clarice Lispector é uma delas.

Creio que de modo geral uma mulher comum costumada a definir-se pelos padrões masculinos da sociedade que são tidos como naturais pode-se sentir confusa ou ameaçada ao deparar se com a feminilidade sábia, ativa, saudável e forte da Deusa. Elas sentem se confusas porque não estão acostumadas a definir a força ou a sabedoria instintiva como características femininas. A também o costume da generalização de tudo ou universalização como se apesar de terem direitos iguais homem e mulher não fossem intrinsecamente diferentes. É isso que mata ou anula a essência feminina.

Rosa Leonor disse...

Gaia, muito bem vista a questão...obrigada! É isso mesmo a sabedoria inata da mulher transcende o conhecimento racional!E as mulheres masculinizadas e racionalistas ficariam espantadas com o que no fundo sabem...

um grande abraço

rosa leonor

Rosa Leonor disse...

Iorrane,
Pois é a nossa ligação ultrapassa as fronteiras da mente e as distâncias...obrigada pela cumplicidade manifesta!

Um grande abraço para si!

rosa leonor

Nana Odara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nana Odara disse...

de novo?

Nana Odara disse...

É Rosa, querida
quanto mais a gente fala, mais parece ser preciso falar... e vamos em frente...
Um abraço carinhoso da MULHER q hj sou, graças a vc e seus ensinamentos e paciência... hj amo profundamente as mulheres, TODAS, inclusive as q não se abem mulher, ou q não entendam o q é ser mulher, nesse novo milênio...

que DANAT resplandeça e q com ela essa nova consciência desperte cada vez mais mulheres para um novo feminino sagrado, e sejamos plenas de lealdade feminina... amor fraternal e solidariedade...

cheia de suadades de ti... minha linda...

Rosa Leonor disse...

Querida Nana...é isso mesmo...e vamos em frene, mesmo quando nos acham desagradáveis por dizer as verdades que elas não querem ver...

Também tenho muitas saudades...mas um dia a gente se vai voltar a ver e espero para festejar algo...
desejo que tudo lhe corra bem e que todas as portas se abram para você. Um grande beijinho ao Teo...e um imenso abraço para si. Nunca desista...


rosa leonor