"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

segunda-feira, novembro 22, 2010

UMA CORRENTE DE VIDA A BROTAR


MULHERES FENOMENAIS, SOMOS SE...

(GRUPO DO FACEBOOK)


Já somos quase mil...diz a Mariana...e se calhar à Maria Ribeiro, que fundou o grupo, não lhe passou pela cabeça esta adesão em massa nem certamente que tomasse estas proporções, nem o tipo de mulheres que aqui se vão juntando, mas tem o imenso mérito de ter começado, mesmo que cada uma de nós se sinta ultrapassada...Isso fará com que cada uma de nós queira dar o seu melhor expondo-se e dando as mãos em vez de julgar as diferenças…

Espero do fundo do coração, mas com alguma reserva, que este rio que começa a correr não pare de aumentar até ir desaguar no imenso Mar de Amor da Grande Mãe Terra porque é dela que - ao tomarmos consciência do nosso ser mulher inteira - nos devemos lembrar.

Lembrar que a Deusa é a nossa Terra Mãe, Gaia, e que ela sofre toda a espécie de violências, toda a espécie de ofensas, toda a espécie de aviltação que as próprias mulheres, a grande maioria das mulheres no mundo, sofrem ainda e diariamente na sua pele. Não se trata só de pensar que somos fenomenais nem fantásticas e que agora temos a nossa vidinha em ordem ou organizada e que a nossa consciência está feliz porque celebrarmos a Deusa em nós…ou ainda porque fazemos parte de um grupo solidário ou porque nos juntamos, dançamos e cantamos e expressamos a mulher soberba que há em nós…
Não. Isso é muito mas não basta!
Enquanto a Terra sofrer tanta dor e humilhação e a mulher como uma sua extensão e reflexo, nenhuma mulher feliz pode dar-se ao luxo de ficar com a consciência tranquila só porque pensa que está a fazer o seu trabalho consigo e a ter a consciência da Deusa. Não. Porque a Terra é quem nos suporta, porque a Terra é que nos dá vida e todas nós vivemos da sua respiração…se ela estiver doente, se ela for mal tratada pelos Tratados e Cimeiras que dividem países bons e maus e que preparam as guerras…somos nós mulheres de todo o mundo que sofremos, são os nossos filhos e netos que morrerão e que não terão futuro, porque a Terra Mãe não suportará mais ofensas…
Por isso é preciso que ao tomarmos consciência do nosso imenso potencial como mulheres e do imenso Amor que há em cada uma de nós, que não fiquemos pelas palavras bonitas nem pelos rituais nem pela teoria…
É preciso que nos juntemos de facto e sejamos unas em Consciência, em espírito de verdade e numa autêntica irmandade…na alma e na essência, não por ideias, porque a nossa Força interior, o nosso Poder interno irmanados em sentimentos, pensamento e acção poderão mudar radicalmente a face da Terra e trazer a Paz que o Mundo precisa.
Dizem-me então como é isso possível?
Através dos círculos de mulheres a trabalhar conscientemente para se encontrarem e ligarem-se a esse Poder, deixando de parte o seu comodismo, o seu egoísmo, e juntas, em vez de competir umas com as outras, pelos namorados, filhos e amantes, superem a sua velha rivalidade, a sua divisão interna, deixando de parte o seu ego e a sua mente e se unam de coração…assim, como na imagem…unidas de coração a coração…estabelecendo essa corrente, podemos mudar a face da Terra e salvar o Planeta!

Rosa Leonor Pedro

2 comentários:

Gaia Lil disse...

Que uniam de todas as mulheres cujo rosto é um aspecto da Deusa, que formam a face da Deusa seja possivel.

Abraços

Rosa Leonor disse...

Obrigada minha querida!!!