sábado, dezembro 11, 2010

SHAME ON YOU ILUM INAME



A morte de uma mulher É um mau estandarte,
diz Ilum Iname…

“Não escolheu o ocidente neste caso um mau estandarte?”

Ilum Iname (anónimo)
11.12.2010/07:58 (in DN)

"Este é um caso absolutamente paradigmático de como impera o vale-tudo na guerra psicológica com que se confrontam o mundo cristão e o mundo islâmico. A sra. Sakineh Ashtiani matou o marido em cumplicidade com o seu amante. Foi condenada à morte segundo as leis do País que nesse aspecto são perfeitamente iguais às dos EUA. Independentemente de sermos a favôr ou contra a pena de morte - e eu sou fervorosamente contra - não escolheu o ocidente neste caso um mau estandarte? Como se pode ser contra a condenação da sra Ashtiani? Pode-se ser contra a pena de morte, e aqui lute-se contra todos os países onde é aplicada, não só contra o Irão, mas não vejo como se pode ser contra a condenação em si ."
"Como se pode ser contra a condenação da sra Ashtiani?"

Este comentário, absolutamente repugnante, é simplesmente abjecto...
Trata-se de um comentário de hoje e de um jornal diário e este indivíduo que assim escreve português, parece ser uma pessoa “esclarecida”, mas note-se a sua extrema “coerência” e a sua “humanidade”….ele é contra a pena de morte, mas a morte de uma mulher culpada de adultério é para ele justa…e ele não vê como se pode ser contra a condenação da sra Ashtiani.
Note-se a certeza com que este homem aceita as justificações da lei islâmica para a mulher adultera…é que ele, no fundo, pensa exactamente assim e pelo "petit nom" – ilum Iname - que ele mesmo é pró-islâmico "moderado", para quem naturalmente as mulheres não têm a menor importância.

Nem por um segundo ele se questiona se a mulher matou ou mesmo praticou o adultério; não, ele tem a certeza e é categórico…A MULHER DEVE SER CONDENADA E MORTA (não é a mesma pena de morte para quem mata a dos EUA? pergunta ele…).
Sim este homem pequeno e repulsivo não considera que os homens lá na "sua" terra podem ter legitimamente 4 mulheres (ou mais) mas põe em causa e castiga a mulher adúltera…basta a mais leve suspeita ou uma intriga para a mulher ser condenada…
Um "fervoroso" contra a pena de morte, diz este ser imbecil, igual a tantos no nosso mundo, mas não a morte “justa” de uma mulher que (supostamente) matou o marido… E nem sequer se importa em que condições e porque motivos, caso isso tenha sido verdade, não, ele parte do princípio de que essa morte aconteceu…
Nota-se o quão este homem é implacável com as mulheres, como quase todos os homens ofendidos na sua “honra” de machos feridos, mesma pela suposta traição das mulheres dos outros…
São estes os dominadores do mundo, os homens da fé islâmica os da fé cristã…Quando muito, alguns, importam-se com os seus semelhantes Homens, mas as mulheres são lixo, são pecado, são para abater…

Estaremos assim tão longe do Irão?
No Irão onde as mulheres são apedrejadas e mortas a frio pela multidão e a própria família e em que não têm qualquer VALOR ou direito de defesa ?
Este documentário foi escrito hoje por homem que vive em Portugal…
PS.
Eu sei que estou a dar demasiado importância a um imbecil anónimo...mas é um bom exemplo de como pensam os homens em geral...
Rosa Leonor Pedro



2 comentários:

Beto disse...

o que não se fala nem se divulga é que o "processo" contra a Ashanti está com tantos erros e vícios que as acusações perderam toda a credibilidade.

Rosa Leonor disse...

Claro, os sistemas são identicos todos no que cncerne a indiferença e o castigo à mulher...

abraço

rl