quinta-feira, outubro 28, 2010

Os Anunakys...



Os hebreus retiraram o lado feminino da criação.

Mas, como consciência manifesta, aquela força negativa tende a ocultar a sua própria natureza e por isso é que em todos os momentos da história humana ela sempre está procurando apagar os caminhos que possam levar a pessoa ao conhecimento da verdade, ou seja, à “gnosis” e assim torná-la conhecida e devidamente colocada no lugar de origem do mal. Pela “gnosis” (gnosis = conhecimento) a pessoa toma ciência dos meios de atuação daquela força, da maneira de ser dela, e assim, pelo conhecimento a respeito dela, da sua natureza, tornar mais fácil a pessoa evitar os seus laços tentadores.

Um dos meios usados pela força negativa para esconder o processo da criação foi apagar a existência de um Poder Superior transcendente ao Universo, visando trazer o Cosmo para um nível em que ela pudesse se situar como deus e ao mesmo tempo esconder a verdade. Um dos seus propósitos foi tirar da Trindade a polaridade feminina, pois isto equivale a esconder o lugar onde aquela força negativa estivera no processo da criação, e para isso dificultar o entendimento sobre a existência de uma polaridade dentro da Trindade. Por isso aquela força procurou apagar o lado feminino[1] da criação. Apagando este lado da criação, havendo somente o lado masculino, e aquela força sendo da polaridade feminina, torna-se mais disfarçável, mais oculta a sua responsabilidade.

Neste Ciclo de Civilização no planeta Terra, onde primeiro se fez sentir essa manobra de ocultamento do lado feminino foi na religião hebraica através de Jeová. Em todas as “manifestações” de Jeová aos patriarcas em nenhum momento foi dada ênfase à mulher, nenhuma profetisa, ou matriarca, é mencionada, contrastando isso com todas as grandes religiões de todas as épocas.


Os hebreus retiraram o lado feminino da criação. Mesmo havendo eles vivido no Egito por muito tempo, e consequentemente havendo tido contacto direto com todas as religiões egípcias que tinham em suas trindades o lado feminino, mesmo assim a religião hebraica não incorporou a Deidade Feminina. Todas as cosmogonias, todas as doutrinas que não são oriundas do Velho Testamento admitem a Deidade Feminina, tanto as religiões nativas e primitivas quanto as mais metafisicamente elevadas.
Pela força de um arquétipo feminino, já nos primeiros séculos, os cristãos começaram a endeusar Maria Santíssima. Essa tendência tornou-se tão intensa que ocasionou quase uma insurreição popular durante o Concilio de Éfeso, ocasião em que o tema “Maria Mãe Santíssima” estava sendo debatido. Na realidade aquele movimento nada mais era do que uma tendência à reabilitação da “Deusa Mãe” através de Maria, o lado feminino da Trindade, pois que na Trindade de Atanásio Pai e Filho eram masculino e o Espírito Santo neutro.

O Dogma da Imaculada Conceição, de certa forma, foi criado como uma forma encontrada pelo Cristianismo Ortodoxo para acalmar os ânimos dos cristãos que exigiam uma Divindade Feminina. Posteriormente esse panteão foi enriquecido com grande número de “santas”, contrastando com o Cristianismo ortodoxo primitiva que não mencionava qualquer mulher no lugar de Santa.

Até mesmo algumas escolas gnósticas cometeram esse mesmo engano. Vejamos em síntese o que aconteceu no seio do gnosticismo. Nos primeiros anos do Cristianismo mesmo alguns apóstolos ofereceram resistência em aceitar o apostolado feminino. Documentos encontrados em Nag Hamadi mostram que houve forte reação contra Maria Madalena, ao ponto de André e o próprio Pedro tentarem desacreditá-la quando ela afirmou estar recebendo ensinamentos diretamente de Jesus.
No Evangelho de Tomé consta: Simão Pedro disse aos discípulos - “Que Maria se afaste de nós, pois as mulheres não são dignas da Vida”.

No período antecedente ao I Concílio de Éfeso a maioria dos cristãos já tinha Maria como uma “Deusa”, possivelmente uma conseqüência da força do arquétipo feminino no contexto da criação.

O dogma da Imaculada Conceição, que não é exclusivo da igreja católico-romana, teve o propósito de evitar a crítica de ser considerada uma religião unipolar, machista, por não ter uma representação da polaridade feminina em seu panteão. Uma deidade feminina como era aceito pela totalidade das grandes religiões de todas as épocas e que atendia a um forte ímpeto da natureza humana.

Na realidade não existe uma mulher assim como um homens na Trindade e sim potencialidades polarizadas.

As religiões em cujo panteão em que é mencionado o nome de uma virgem esta não é nenhuma mulher, é uma pura abstração, o Nóumeno. ••.

Vemos com esta palestra a razão pela qual a mulher é colocada num plano de inferioridade na maioria das religiões ocidentais têm como base o Judaísmo exotérico.

A força negativa sendo de polaridade negativa e responsável pela penetração do mal no contexto da criação do mundo, como forma de camuflar-se induziu a que fosse retirado o lado feminino da criação. A partir do Concilio de Éfeso a Igreja colocou Maria como “Mãe de Deus”, porém novamente ela foi retirada quando houve o cisma na Igreja Católica originando-se as religiões protestantes.

Naquele trabalho de camuflagem, feito por inspiração através dos séculos, excluindo o lado feminino na Trindade, nas religiões oriundas do Cristianismo Ortodoxo e mesmo do Judaísmo anteriormente, a culpa pela “desobediência” foi atribuída à Eva e não a um dos componentes da Tríade Superior como na realidade correu.

A responsável pela “queda” do ser humano atribuída injustamente à Eva deu margem a um desvio doutrinário, especialmente de conduta dos cristãos o que levou Pelágio a efetivar protestos e contestações o que acabou ocasionando os Sínodos de Jerusalém e de Lydda e o Concilio de Cartago no ano 416 em que Pelágio foi condenado por heresia. Mesmo depois daquele concílio o reflexo da questão ainda se fez intenso no Concilio Plenário de toda a África ocasionado no ano 418.

Autor: José Laércio do Egito - F.R.C.

email: thot@hotlink.com.br

terça-feira, outubro 26, 2010

Um Alerta à Saúde das Mulheres

A manipulação das mulheres através das "doenças"...
***

Heresia Hormonal – A Verdade Mortal Sobre o Estrogênio

LEIA NA ÍNTEGRA..

"A mulher recebe informações erróneas sobre harmónios, em detrimento da saúde, enquanto os fabricantes de medicamentos colhem enormes lucros à sua custa. "

Sherrill Sellman ...

Por mais de 300 anos, começando no século 13 e continuando até meados do século 16, a Inquisição foi um reinado de terror para a grande maioria das pessoas que viviam na Europa e na Escandinávia. As forças políticas, econômicas e religiosas da época se juntaram para consolidar seu poder, eliminando aqueles que eles considerassem empecilhos aos seus objetivos finais.


.....O azarado alvo de suas investidas eram os guardiões das artes da cura e dos antigos conhecimentos espirituais e culturais. Os historiadores debatem o exato tributo dessa era infernal – se foram várias centenas de milhares ou se chegou a nove milhões de pessoas – mas é inquestionável que a grande maioria das vítimas foi de mulheres. Na verdade, a Inquisição está sendo hoje considerada um período de genocídio contra as mulheres, o qual conseguiu despir a mulher do seu poder, seu auto-respeito, sua riqueza, da arte de curar, bem como da sua proeminência e influência na comunidade.

...A Inquisição garantiu que os patriarcas da Igreja fossem autoridades espirituais incontestáveis. Teve também êxito em preservar os conhecimentos médicos no domínio dos homens, pois a Inquisição decretou que apenas os médicos formados poderiam praticar as artes da cura e, evidentemente, foi barrado o acesso de mulheres às escolas de medicina (aliás, foi barrado o acesso de mulheres a qualquer forma de educação).


...Que bom que essa tão violenta Era de aversão às mulheres tenha acabado há muito tempo. Mas será que acabou? Infelizmente, parece que algumas tradições ainda persistem. A mulher de hoje ainda é vítima de gigantescos interesses políticos e econômicos, com terríveis conseqüências para a sua saúde, independência financeira e poder pessoal. Talvez a Inquisição não tenha acabado afinal, apenas adotou uma forma mais sutil e inescrupulosa. .....As mulheres certamente representam um grande negócios para os interesses médicos e para indústria farmacêutica.

...De acordo com o D. Stanley West – um reconhecido especialista em infertilidade, chefe de endocrinologia reprodutiva no St. Vincent’s Hospital de Nova Iorque e autor de O Golpe da Histerectomia – cerca de 90 por cento de todas as histerectomias são desnecessárias. Consultores ginecológicos do Grupo de Pesquisa de Saúde Pública Ralph Nader chegaram a uma conclusão semelhante em 1991, no livro Um Alerta à Saúde das Mulheres. Segundo o Dr. West, a única razão cem por cento justificada para a realização de uma histerectomia é para tratamento de câncer dos órgãos reprodutivos.3 No entanto, as histerectomias são oferecidas com muita freqüência como tratamento para uma variedade de situações, inclusive para endometriose, fibroses, cistos ovarianos, inflamações pélvicas e prolapso uterino.


...Não é por acaso que os ginecologistas costumam ter a mais alta remuneração entre todas as demais especialidades.


Ao longo de todas as suas vidas, as mulheres são encorajadas a se submeterem continuamente a vários tratamentos e procedimentos médicos. Funções naturais da mulher, desde menstruação até parto e menopausa, são assumidas por intervenção médica e farmacêutica. Bombardeadas por desinformação, mitos, propaganda e, em alguns casos, por pura mentira, não é de admirar que tantas mulheres fiquem completamente confusas acerca de questões relativas aos seus próprios corpos e sua saúde.

Segundo John Archer, autor de Bad Medicine, cerca de 600.000 histerectomias são realizadas anualmente nos Estados Unidos e ao redor de 45.000 por ano na Austrália.1 Em 1994, estimou-se que 45.000 australianas faziam Terapia de Reposição Hormonal (TRH).2 Muitas mulheres são atualmente encorajadas a continuar com a TRH até o resto de suas vidas pós-menopausa.

http://clafilhasdalua.blogspot.com/2010/03/heresia-hormonal-verdade-mortal-sobre-o.html
(Copiado de: http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/)

RE-PUBLICANDO... E ALERTADO PARA ESTE CRIME CONTÍNUO...

segunda-feira, outubro 25, 2010

UMA PÍLULA DE PERFUME…


Até onde vai a ciência?

(…) Cientistas criaram um tipo de perfume, só que você não passa ele, e sim, engole. Uma pílula de perfume, que depois de ser tomada libera um aroma de lavanda através do suor, foi lançada comercialmente pela Universidade Federal do Ceará após três anos de pesquisas. Estão sendo comercializadas pela internet com o nome de Fybersense, em frascos de 90 cápsulas por cerca de 40 reais.

A tal pílula contém quitosana, uma fibra extraída de crustáceos como os camarões e por isso são contra-indicadas às pessoas alérgicas a crustáceos, crianças e grávidas. O mecanismo das pílulas no metabolismo humano é similar ao de quem come muito alho: o cheiro sai pelo corpo em meio ao suor. Os desenvolvedores do produto surpreenderam-se com um efeito colateral do produto: ajuda também a eliminar o mau hálito. Por enquanto, o único perfume disponível é o de lavanda, porque há poucas opções de azeites essenciais comestíveis, mas os pesquisadores dizem que mediante novas pesquisas pretendem diversificar a oferta de aromas. Estranhamente o produto foi licenciado para a comercialização pela ANVISA como auxiliar na perda de peso e de absorção do colesterol, uma das propriedades da quitosana, mas não como perfume.

http://blogdodito.com.br/pilula-de-perfume/

- Só a título de curiosidade e para corroborar o que digo no texto sobre o cancro do útero…

O ÚTERO ESSE DESCONHECIDO...


“Toda a abordagem (da doença ou da vida) é demasiado masculina, demasiado controladora, demasiado agressiva, demasiado invasiva.”

Treya

In GRAÇA E CORAGEM de KEN WILLBER

»»»»

Porque sofrem e morrem tantas mulheres de Cancro?


PORQUE AS MULHERES DESCONHECEM O VALOR DO ÚTERO PARA ALÉM DE GERAR FILHOS E ESTÃO DESCONECTADAS DA SUA NATUREZA PROFUNDA. ELAS SÃO INSTRUMENTALIZADAS PELOS MIDAS E PELAS ORGANIZAÇÕES QUE PROMOVEM OS SEUS INTERESSES À CUSTA DA SUA PRÓPRIA VIDA.

PORQUE É QUE AS farmacêuticas e os médicos, através dos sistemas de Saúde, dos Governos e tão empenhadamente, vacinas de prevenção do colo do Útero…e outras, mas neste caso especificamente aqui o que nos interessa, é saber porquê do Útero?Porque são agora visadas as mulheres mais jovens para “prevenção” da doença? Porque vêm os políticos/as e as políticas defender a sua obrigatoriedade na União Europeia?

Que mulheres-homens são essas, sem entranhas, sem alma, politizadas e científicas, feitas todas as lavagens ao seu cérebro nas faculdades e ao serviço das diferentes Máfias que dominam o mundo e as suas corporações, totalmente esvaziadas de sentimentos e emoções, ao serviço exclusivo do poder falocrático, travestiadas e desumanas?

O QUE PRETENDE O Sistema falocrático?

Ganhar dinheiro destruindo a natureza intrínseca da mulher tal como destruiu a Natureza Mãe e os seus recursos, usando o medo da doença mortal e em nome da prevenção do cancro. Esse é o verdadeiro objectivo dos pseudo cientistas, ao serviço das farmacêuticas, quando sabemos que o verdadeiro cancro desta sociedade e que faz preferencialmente vítimas as mulheres é a sua anulação enquanto indivíduos, alienando-as do principio feminino, sendo essa a melhor forma de as continuar a anular no seu potencial: destruir à partida o seu poder interior, que está no Útero e nos ovários, e querem-no fazer agora logo desde adolescentes, para não correrem o risco de que a verdadeira mulher acorde e se torne una em si!

Porque nem as mães nem as mulheres médicas, que deviam saber informar correctamente as mulheres sobre a sua natureza, tal como transmitir uma verdadeira consciência do seu valor intrínseco, não sabem fazer nem dar a noção da necessidade de a mulher manter a sua integridade física e psíquica. Nem a mãe nem a médica sabe ensinar à jovem mulher o que ela devia saber: que a mulher não está ao serviço do prazer do homem em detrimento da sua saúde e que o sexo não é a sua única razão de viver….que só deve fazer sexo quando sentir amor e em harmonia com o seu coração e não deve permitir ao homem o abuso do eu ser, nem servir-se do seu corpo para descarregar a sua frustração… Mas não, eles e elas continuam a ver a mulher como um corpo e um sexo apenas, como que sujeita a este determinismo biológico, ser fêmea e mãe, como se as mulheres não tivessem uma individualidade nem uma consciência e serem apenas objectos de consumo e prazer ao serviço da sociedade patriarcal. É isso que propaga nos media a sua cultura.

Olhemos o anúncio da Zone Fibra…um fio que se desenrola da saia de uma mulher até mostrar o ânus? E os homens sapo, rãs, vermes? Olham “embevecidos”…Isto passa a toda a hora nos diferentes canais: “porque Mãe” pergunta a criança?

Porquê é a mulher a fonte de especulação malsã e doentia dos homens e dos gays?

Porque desviadas que são as mulheres, desde crianças, do sentido da sua vida e da sua verdadeira liberdade de serem elas mesmas, compelidas a imitar e a servir os padrões do masculino exclusivamente, as mulheres com a ajuda da publicidade e da “ciência médica” vão-se transformando aos pouco e à medida que crescem em bonecas de carne e osso, tal e qual o sonho do macho dominante, e que facilmente é substituída por uma de silicone ou por outro homem…Tudo isso em nome da “emancipação” e liberdade da mulher (dizem, escrava da natureza, dos seus ciclos… da menstruação etc.)

Eles não só anulam todo o poder interior da mulher, ao interferir com o seu sistema biológico natural, com o seu desenvolvimento hormonal, como agora querem anular em definitivo o seu centro de prazer e força vital, ovários e útero (e mamas), tornando-a assim mais vulnerável ao seu domínio através do medo da doença e ganhando com isso a dependência de milhões de mulheres sem força e debilitadas, assustadas pelo medo de morrer. Fazem-no me nome do “Bem”…e da saúde…

No mundo muçulmano (?) faz-se a excisão do clítoris, no ocidente civilizado (católico), anula-se científica e higienicamente o Útero das mulheres e faz-se a “excisão” dos ovários…fica tudo limpinho…como prevenção!!!

A verdade, é de que de uma forma ou de outra a “caça às bruxas” continua; desta vez, de acordo com a “evolução” da ciência, de forma médica e científica, sistemática…Assim, a mulher, além de continuar a ser o bode expiatório do Sistema patriarcal e falocrático e exploradas pelas máfias da prostituição em todo o mundo é ainda explorada pela Máfia Médica intensivamente.

O Sistema, através de campanhas publicitárias televisivas e nos “centros médicos”, cada vez mais desumanos e semelhantes a sistemas prisionais…tem como função apenas (de forma subtil e aparentemente com espírito “socialista”) criar o medo e aumentar a angústia nas mulheres. Estas são assim compelidas e ao mesmo tempo forçadas a tomar todo o tipo de drogas e medicamentos, vacinas e pílulas que lhes são vendidas e impostas pelos médicos todos os dias….

Criado que está o terror do

CANCRO DO COLO DO ÚTERO…

É fácil consumir drogas e tomar vacinas para prevenir…

»»»

MAS O QUE É O ÚTERO?

Para além de tecido muscular faz falta ao desejo sexual e a um determinado desenvolvimento da sexualidade da mulher; por isso não nos podemos conformar com o útero dos ginecologistas nem da tecnologia médica que considera a maldição divina de parir com dor. Porque aí está a grande diferença. O útero de uma mulher que não foi sexualmente reprimida desde a infância, funciona perfeitamente, produzindo prazer e não dor; mas o útero de uma mulher cuja sexualidade foi paralisada desde pequenina, funciona de maneira patológica e com dor.”

««

(traduzido do espanhol) El Útero, ese desconocido

De "El asalto al hades" de Casilda Rodrigañez

»»»

O TESTEMUNHO LÚCIDO DE UMA MULHER QUE COMPREENDEU A ORIGEM DO SEU CANCRO…


A FALTA DE CONSCIÊNCIA DO SEU FEMININO!


“No dia seguinte, comecei a sentir que tinha redescoberto uma parte importante de mim. Que talvez a minha via estivesse a emergir do matagal, do espesso enredo de dúvidas e do desejo de adoptar os valores culturais masculinos que enfatizam a vida da mente. A escola enfatiza o conhecimentoos, factos, o conteúdo, o pensamento, a análise. Descobri que era boa nisso. Era uma forma de me notabilizar, de ganhar elogios e atenção. Sinceramente, que mais havia para além daquilo? Por isso, percorri esse caminho essa estrada tão claramente assinalada e de pavimento tão macio. (…) “O que se agita em mim é a emergência de um novo padrão de referências pelo qual posso escolher aquilo que faço.” *

Treya

*In GRAÇA E CORAGEM de KEN WILLBER

sábado, outubro 23, 2010

RECONHECIMENTO


Porque leio mulheres e deusas?

Porque todos os dias após horas de trabalhos exaustivos, lidando com pessoas diferentes, cuidando dos interesses dos meus filhos, às vezes sinto-me imensamente só. Às vezes ouvindo opiniões variadas, receptividades diversas, sinto que minha auto estima não é a mesma. Ao ler os textos do blog Mulheres e Deusas sinto-me como se mais pessoas compartilhassem daquilo que penso, até as imagens postadas nesse blog me transmitem, ora paz, ora força, sinto-me mais conectada comigo mesma!!! Por isso agradeço. Por sentir-me mais inspirada, até para as tarefas do dia-a-dia. O mestre Osho diz que a raiva, o medo a tristeza são sentimentos naturais, são uma forma de dizer não, obrigada, mas, se constantes, eles atrapalham o desempenho de certas atividades necessárias à sobrevivência, então é bom poder ter um refazimento com leituras construtivas como as que tenho nesse blog. Percebo que Rosa Leonor possui um imenso grau de consciência, compreensão e compaixão.

Peço perdão por algum comentário inadequado que inicialmente tenha feito, são os aprendizados em curso para evoluir de certas mediocridades para um maior discernimento.

Como é bom ler Mulheres e deusas.

Tina Mater

Tina, eu agradeço o seu comentário e publico-o porque me dá muito gosto saber que a função deste Blog se cumpre...

Agradeço ainda as suas palavras de apreço à minha pessoa e também lhe quero afirmar que nada tenho a desculpar porque todas as questões são parte integrante da nossa evolução...e por isso pertinentes. É nas diferenças e na liberdade de opiniões que podemos melhor encontrar o que nos espelha...ou serve de padrão ou referência.

NÓS SOMOS TODAS AS MULHERES..E DEUSAS!

RLP

quarta-feira, outubro 20, 2010

AS DUAS MULHERES...NUMA SÓ!


De volta ao jardim...

No Éden existiam duas árvores. Eva, criada para substituir Lilith, agarrou no fruto da outra árvore, a Árvore do Conhecimento. Ela foi acusada pela Igreja, e com ela, todas as mulheres, pelos pecados do mundo. Descodificar o significado simbólico da serpente, antigo e difundido símbolo da sabedoria feminina, é fundamental para compreender os níveis mais profundos da história da humanidade. Na Cabala, a tradição mística do judaísmo, a serpente sobe pela Árvore da Vida para retornar à fonte.

A natureza fragmentada e confusa de Lilith, no mito e na astrologia, pode reflectir as maneiras como as nossas escolhas fracturaram a psique humana, e ela pode deter a chave que poderia abrir possibilidades de cura. Furar o véu da persona enigmática de Lilitih pode dar aos homens e mulheres modernos uma energia que confere poder e que é muito necessária no mundo de hoje. Alguns simbolistas sugeriram que a Idade de Aquário pode ser simbolizada por jardins e por uma Terra mais verde. À medida que a consciência humana se expande, creio que todos beneficiaríamos se redimíssemos a nossas naturezas separadas.

Integrar todas as partes da nossa feminilidade, incluindo a sexualidade e os mistérios da velhice e da morte, poderia tornar-nos mais fortes e sábios ao enfrentar os actuais desafios ambientais.”

“Lilith: Deusa, Demónio ou Lua Negra da Terra” por Julie Loar (Julie Gillentine)

E PRECISO SER-SE MULHER INTEIRA

RESPOSTA A UMA JOVEM MULHER

EM BUSCA DE SI MESMA

Houve e há muitas formas de Busca da Deusa, digamos a nível exterior e a nível interior, mas para mim nenhuma se torna tão definitiva e substancial se a Mulher não estiver EM SI MESMA consciência à partida da causa e origem da sua cisão, da cisão da mulher ocidental…por isso só lhe vou responder a uma questão que para mim é essencial e que é toda a base do meu trabalho de muitos anos e experiência pessoal.

Trata-se da integração e consciência das duas mulheres separadas na psique da mulher, Lilith, primeira mulher de Adão, insubmissa ao macho e Eva mais tarde tirada da costela de Adão por suposto bíblico.

Mais tarde como sabemos, no Novo Testamento, essa cisão consolida-se quando em concílios sucessivos, no princípio do cristianismo, com a divisão das duas mulheres mais próximas de Cristo, a presumível amante, Maria Madalena, companheira de Jesus, e a mãe, a Virgem Santa, considerada imaculada, porque O concebe sem “pecado”. Um facto que pode ter sido extraordinário e mágico é elevado ao céu para rebaixar as outras mulheres…

Há deste o início da religião judaico-cristã, como vemos, uma cisão da mulher em duas…mas essas duas mulheres são afinal de contas…uma só. Uma só mulher que era integra e convivia “sem pecado” com o seu lado maternal em perfeito equilíbrio com o erótico.

Depois de tantos séculos de obscurantismo religioso e dogmas criados pela Igreja católica romana é agora tempo de as mulheres ACORDAREM para si mesmas e para o seu verdadeiro potencial e integrar as duas mulheres cindidas na Bíblia…

Essa integração pode dar-se AGORA, PORQUE ESTE É O TEMPO - na psique e na alma da mulher – na união do corpo alma e espírito – e porque elas coabitam e sempre coabitaram a um nível profundo, celular e fazem ambas parte do SER MULHER inteira. E não bastam rituais…ao luar ou no mar…evocar Iemanjá ou Lilith…ir de joelhos a Fátima… é preciso SER-SE MULHER INTEIRA.

E É urgente esse acordar porque é nessa divisão que a cultura judaico-cristã se baseia ainda para erguer o seu domínio e exclusão de uma delas criando a dicotomia da boa e da má mulher que impregna toda a literatura e hoje está obscenamente patente nas telenovelas. Essas duas mulheres em nós não são antagónicas, quem o decretou foi a cultura patriarcal…e a Igreja de Roma. Foram séculos de perseguição e ódio visceral à natureza instintiva da mulher sedutora, da mulher bela, da mulher sábia, da mulher sensual, da mulher curadora…

A convivência entre ambas ainda que a nível inconsciente é constante, mas no exterior o que se manifesta é o antagonismo entre os dois lados que se tornaram “opostos” em cada mulher, havendo como é natural mulheres mais tipo Afrodite e mulheres mais tipo Hestia ou Atena e um desses lados tem predominância no carácter da mulher – mas que só são opostos porque a natureza instintiva e sexual da mulher foi considerada indigna e perversa e separada da mulher séria e da esposa ou da mística, no caso óbvio das freiras: celibato, castidade e penitências…

Quanto a mim a única solução para o aparecimento de um novo paradigma, é a consciencialização desses dois aspectos básicos da sua cisão senão essa divisão continua a fazer-se no adjectivar uma ou a “outra” mulher de acordo com o lado da vida em que se situa, do lado do conhecimento que adquire e toma como verdadeiro. Se essa cisão não se desfaz a mulher vai viver sempre essa separação e luta consigo mesma e com a sociedade onde quer afirmar a sua verdade. Fa-lo-á nos círculos de mulheres, nas cerimónias ou rituais wiquianos ou noutro grupo qualquer de mulheres. Daí este aspecto ser tão importante. Aliena-lo é compactuar com o Sistema patriarcal e continuar a agir dentro sistema. Ele agradece e até acha graça…

É essa a razão porque as mulheres ditas “nova era” nem sequer querem ouvir falar nisto… no centro das suas esferas ainda está o Deus e o Homem…ainda que consortes da Deusa…elas continuam a ser a mulher do homem…e não senhoras de si mesmas!

Assim, todo o conhecimento intelectual e mesmo espiritual sem essa integração é sempre dual e eu não os nego enquanto informação básica história ou ritual, apenas defendo que há um Conhecimento inato e uma sabedoria intrínseca que passa ou se expressa ou manifesta pela fusão dos hemisférios esquerdo e direito, feminino e masculino, tanto no homem como na mulher, sim, mas nunca antes da integração das duas mulheres na Mulher.

A meu ver só isso permite o acesso à verdadeira Inteligência, a Inteligência do coração, o verdadeiro órgão da Inteligência (sabia que o coração tem dentro de si um pequeno cérebro motor ainda desconhecido da maioria dos cientistas…?) e que se desenvolve pela emoção pura (não sentimental).

Não é separando nem dividindo ou raciocinando que chegamos ao conhecimento do SER, essa é a minha experiência. Mas eu tive outros mestres/as, fora de qualquer sistema ortodoxo académico, que, por mais evoluído e moderno que se pretenda está sempre dentro do Sistema…falocrático e patriarcal. E enquanto ele se mantiver, para mim, tudo o que se fizer, mesmo o melhor, é destinado ao erro, digo à separação da mulher em duas, três, conforme os estereótipos…porque se baseia na aceitação implícita da divisão da mulher em si…Esse foi o erro de todas as ideologias que nunca consideraram a mulher em si nem a sua totalidade…Nunca a viram como um ser integro e total, mas sempre dependente e complementar do homem, (mesmo que economicamente fosse independente) vista mais como um apêndice e nem as filosofias, e já antes desde Sócrates, nem as teorias da moderna sexualidade, viram essa cisão essa separação inicial depois da Queda…claro…Primeiro era só Eva a culpada, depois passou a haver a culpada e a santa, a Virgem que se anulava no casamento-contrato e tinha de ser fiel.

Acha que as coisas mudaram muito? Então olhe para a violência doméstica ou para os crimes sexuais que são não só contra a mulher mas também as crianças ou ainda e principalmente para as doenças de foro feminino…de onde elas vêm?

- Olhe para a maneira como hoje em dia na política os homens falam das ministras e deputadas e fazem chacota delas. Atacam as mulheres na política de meretrizes e vadias e não falam assim dos homens…

Então porque dar razão à sociedade machista e continuar a servi-la contestando aquilo que não tem remédio dentro do sistema? Porque não antes ligar as duas mães – seja Oxum (Lilith) e Iemanjá (Eva ou Nossa Senhora da Conceição) os arquétipos femininos básicos digamos e aparentemente antagónicos; isso foi o que eles fizeram, e fizeram o mesmo com intelectual e a amante, a religiosa e a trabalhadora, mas isso é uma e só a mesma coisa: a santa é a intelectual e a amante a puta…nada varia. E ninguém também lhe diz, de facto, que por seguir uma carreira e os seus interesses científicos e literários que tem de deixar de as unir… eles sim. Eles é que lhe impõem essa condição. Criam à mulher essa confusão tão lógica da sua divisão que faz com que ela não veja o que é tão evidente à partida porque está tudo perfeitamente escamoteado (obnubilado) pela razão deles… o que eles têm é medo justamente que ao Integrar as duas mulheres ou deusas, os dois arquétipos dominantes no mundo católico, a mulher possa tornar-se na nova “Pensadora” ou “Intelectual” se quiser, mas que não usa só a cabeça e o cérebro ou a mente, mas que une e inclui o sentimento e a emoção; digo, o coração, que equilibra os pólos e expressa a sua totalidade.

Sem a totalidade da MULHER não há nada de novo ao cimo do Planeta…

Eu só lhe digo mais uma coisa: o Sistema Académico NUNCA aceitará isso por mais que lute por se afirmar…e isso só verá um dia se não se deixar dominar e subjugar por ele…A sociedade falocrática não aceita as mulheres que não lhes são submissas, não as elegem nem elogiam…não lêem os seus livros…não as ouvem, porque elas são as Cassandras que eles condenaram ao descrédito…falar da Deusa e eleger a Mulher é ridículo mesmo para as mulheres dentro do patriarcado. Desde os gregos e romanos…

E quanto mais cultas e dentro do conhecimento académico, filosófico, científico ou outro as mulheres estiverem mais pensarão como os homens que são seus mestres, desde há séculos e fazem escolas, mais se distanciarão da Mulher autêntica e da sua essência. Porque a haver uma Mulher de Palavra, será Sábia e não intelectual… porque de certeza que a sua palavra será a Profética e de Amor, a do Conhecimento abrangente, do dentro e do fora, do cimo e do baixo, porque a mulher integrada é iniciada por si e une os Opostos…ela une a Terra e o Céu…Tem é de primeiro descobri o seu matrimónio genético e celular a sua memória ancestral…

Eu não a quero convencer de nada nem parecer convencida e menos ainda dissuadi-la do seu percurso. Mas É assim que sinto…é assim que sinto a MULHER e a emergência da união das duas mulheres que se digladiam entre si e dentro de si!

Com todo o meu respeito pelo seu trabalho e desejo do maior sucesso na sua carreira. Não se zangue comigo por eu ser tão afirmativa, mas é mesmo o meu coração que me salta da boca…

rosaleonorpedro


"O retorno à Deusa, para renovação numa base de origem e num espírito feminino, é um aspecto vitalmente importante na busca que a mulher moderna empreende em direcção à totalidade."


De SYLVIA B. PERERA

terça-feira, outubro 19, 2010

UMA HOMENAGEM À LEALDADE FEMININA

ONDA VERMELHA COM MATER MUNDI

Tenho escrito algumas vezes que a mulher na política, dentro do Sistema Patriarcal, está sempre encurralada e por isso pode não ser um exercício do feminino por inteiro, mas é de certo e neste caso, pela dignidade da mulher em si, e pelo seu passado, que considero que uma
MULHER para a Presidência de um País magnífico como o Brasil pode fazer toda a diferença! E entre o fascista ignóbil como todos os fascistas o são, definitivamente uma mulher de coragem e com sentido de justiça faz todo o sentido VOTAR NELA.

TODA A MINHA SOLIDARIEDADE PARA COM OS AMIGOS E AMIGAS BRASILEIROS QUE PARTILHAM DESTA CONSCIÊNCIA.
rlp

ATAQUE À DIGNIDADE DA MULHER, NO BRASIL


Ontem e hoje: uma só mulher


NO PASSADO DILMA FOI TORTURADA PELA DITADURA MILITAR, NO PRESENTE É PELA MÍDEA.

Antes era o pau de arara, agora é o cara de pau


que manda imprimir panfletos com mentiras,

mas antes era no corpo que ficava impressa a dor,

agora é apenas a calúnia; antes era a crueldade física.

A diferença é que agora é uma desconstrução da imagem

E antes era a destruição do corpo. A ditadura continua, não é mais militar, é da mídia.

E, ainda assim, Dilma vencerá, não apenas por ela,

mas por nós que não somos programados pelo pau de arara moderno,

a TV, onde as consciências são subvertidas.


Sinto muito, me perdoa, eu te amo, sou grato!

Fernando Augusto

http://pistasdocaminho.blogspot.com/

(...)
DE PORTUGAL, FORÇA JULIANA
FORÇA FERNANDO AUGUSTO,
POR UM BRASIL DEMOCRÁTICO E LIVRE!


PORQUE,


"Trata-se, na verdade, de escolhermos entre uma candidata que quer e fará o possível para nos preservar do fascismo que se expande em todo o mundo (sobretudo nos países centrais do capitalismo), ou um candidato cuja campanha e cujas declarações e estratégias apontam para um alinhamento exatamente com o fascismo.
E não se trata de figura de retórica, discurso de palanque, o que aqui escrevo.


Enquanto na Europa e nos Estados Unidos cresce a xenofobia, o ódio contra os trabalhadores imigrantes; enquanto na Itália o Congresso aprova uma lei que permite e estimula a criação de "rondas de cidadãos" (leia-se, formação de milícias paramilitares); enquanto na Suécia, a ultradireita conquista cadeiras no Parlamento; enquanto na Holanda, a ultradireita cresce no Parlamento - podendo vir a se tornar maioria; enquanto o Governo de Washington – mascarado pela melanina do seu presidente - barra o acordo Brasil-Turquia-Irã, que poderia abrir um importante canal de negociações pacíficas para aquela região que vive hoje a ameaça de invasão pelos EUA e seus aliados, tipo as que foram levadas a cabo no Iraque e no Afeganistão – ocupados até hoje, a ferro e fogo, pela democracia estadunidense; etc. etc. etc."

(...)
FERNANDO AUGUSTO- PISTAS DO CAMINHO

Ataque à dignidade da maternidade e da mulher

EM NOME DA FALSA LIBERDADE DA MULHER, ESTA IMAGEM MONSTRUOSA DEMONSTRA A ABERRAÇÃO DO APROVEITAMENTO DA PROPAGANDA MÉDICA E OUTRAS CONTRA O ALEITAMENTO DA MULHER-MÃE.

Propaganda baseada nas guerras económicas que promovem a venda de leite com antibióticos em competição com o leite materno...
As vacas alimentadas à força para dar leite a granel e exploradas desumanamente cheias de dor e de sofrimento, e que por isso provocam a maior poluição do planeta, cujo leite está totalemnte envenenado com antibióticos e não sabemos mais o quê, é o que os "especialistas" aconselham às mulheres grávidas...

Nunca a história do homem passou por um período de tamanha alienação e ofensa da mulher...
A Mulher já era "Vaca"...e esse nome carrega uma ofensa e um ataque à natureza instintiva e sexual da Mulher, mas dar a imagem da Mulher como Vaca, por amamentar um filho é a maior das atrocidades. Chegamos a um ponto onde não HÁ qualquer respeito pela vida nem ética nenhuma no Planeta.

É preciso Olhar a que ponto a sociedade patriarcal compactua com isto e permite a cumplicidade dos media e da publicidade em geral para ver o estado doentio e macabro a que a Sistema chegou e concluir que a mulher continua a ser o alvo escolhido para a sua guerra de corrupção e destruição da Vida Natural!

Eles querem alimentar as crianças sim com o leite animal contaminado e redutor da vida autêntica. Eles querem impedir a natureza humana de se expandir naturalmente. Sabemos que o leite da Mãe contem nutrientes únicos que permitem à criança fortificar o seu sistema imunológico que eles querem destruir...e não só!

Eles querem a todo o custo manter o ser humano escravo do sistema...portanto logo que nasce o contaminam...
rlp

El artículo es una muestra más del falso feminismo de la igualdad y su discurso nos habla de la falsa esclavitud que pretende unirse al acto de dar de mamar. Y es que, ahora será que velar porque nuestros hijos crezcan sanos y felices es una forma de esclavitud; pero pasarse 8 horas al día en el trabajo e intentar conciliarlo con la vida familiar y social es una liberación.

AS FOTOS SÃO HORRÍVEIS!!!!

Por favor, MULHERES de todas as idades,
denunciem isto!
Isto é uma aberração total contra a mulher!

sexta-feira, outubro 15, 2010

PARA QUE SE LEMBRE...


A GRANDE DEUSA E A VIRGEM MARIA

(...) “Mais do que nunca, a Virgem Maria ia tomar o lugar de todas as deusas da antiguidade, suavizando os seus traços, abandonando a sexualidade, mas permanecendo sempre aquela que dá a vida e o alimento.”
(...)
Substituindo assim, “uma divindade feminina cuja função materna se desdobrava necessariamente numa função erótica. Sabemos muito bem que essa função erótica iria ser escondida desde o início de um cristianismo inteiramente orientado para uma masculinidade triunfante e uma castidade exemplar, resultante a maior parte do tempo de um terror instintivo relativamente aos mistérios da mulher.”
(...)
” E nunca mais devemos esquecer que o nome de Alá substitui o de uma antiga deusa da Arábia pré-islamita, deusa solar cujo simulacro era a célebre pedra Negra de Caaba, em Meca, um meteorito, portanto um Dom do céu caído sobre a terra, e que simbolizava maravilhosamente, de maneira inteiramente abstracta, a grandeza e o poder da divindade.”


- Excertos do importantíssimo livro: " A Grande Deusa" de Jean Markale.

quarta-feira, outubro 13, 2010

A S DUAS MULHERES

COMO SE PERDEU DE SI MESMA A MULHER E PORQUE SOFREM AS MULHERES DE DOENÇAS GRAVES MAIS DO QUE OS HOMENS?

O Mundo e a sociedade ocidental católica, de influência judaico-cristã, baseia-se em todos os domínios e extensão da sua influência, que é vasta, não só no campo da moral e da religião, como em toda a cultura geral do mundo patriarcal . E, onde quer que se tenha instalado, prega ainda contra a liberdade e contra direitos fundamentais da mulher o que se reflecte na mente dos homens e mulheres e isso pode acontecer de modo semi-consciente ou inconscientemente mesmo nos que não têm sequer cultura ou que se dizem ateus.

A “Fé” católica expandiu-se para países de culturas e tradições tão diferentes para as dominar e sobrepor em nome do Deus único e as impregnar de marcas nefastas de pecado, baseada na negação do ser feminino e da Deusa Mãe e em consequência da desvalorização do ser Mulher.

A mulher, ao ser afastada sua ligação com a Deusa e a Natureza, perdeu o seu referencial primordial. Ao ser desligada da parte vital de si, da liberdade do seu Útero e dos seus ritmos hormonais, diria mesmo da sua “inteligência hormonal”, ligada aos ritmos da própria natureza, ela é separada da sua parte instintiva, digamos da sua força vital e criadora para se tornar um animal reprodutor ao serviço da espécie… ela foi amestrada para servir o dono e senhor como um animal de estimação o é...

O homem ao instituir a lei do casamento criou essa dicotomia na mulher e esse é e foi um dos maiores crimes contra a Natureza e a Mulher.

E assim nasceu a esposa e a puta…

Assim nasceu a maior afronta á Mulher e à Deusa e à Humanidade.

Foi dessa maneira que a sociedade patriarcal, nomeadamente a sacerdotal dividiu a mulher em duas: primeiro, no velho Testamento, fez a inimizade entre a mulher e a Serpente, sendo a Serpente a ligação das suas raízes à Terra Mãe, que representava o seu poder de transformação e metamorfose…A Serpente era ainda o Grande Oráculo, a voz das profundezas da Terra e a Mulher a sua Pitonisa. Depois, no novo Testamento, em concílio ecuménico, condenou Maria Madalena a prostituta por ser uma mulher livre, e a seguir promulgou a ascensão da Virgem Mãe aos céus…

Ao longo dos séculos, radicou-se na mente colectiva a ideia de duas mulheres diferentes, a santa e a puta, nomeadamente no Ocidente, que se antagonizam e opõem em nome dos valores e princípios do patriarcado. Sabemos que a fórmula foi sempre a de dividir para reinar…

Daí nasceu também o antagonismo entre a Mãe e a Filha, criou-se a rivalidade entre a esposa e a amante, fragmentou-se a própria mulher em duas e esse foi o melhor estratagema para manter as mulheres fora do poder e debaixo de sujeição ao pater. Dividir a mulher em duas dentro de si mesma foi “genial”…metade da população do mundo ficou cindida, muito mais grave do que a divisão dos homens em classes… Ao dividir as mulheres assim, colocou metade da humanidade debaixo de controlo e de domínio e fez da Mulher e da Natureza o que quis.

Esses dois arquétipos, expoentes ou fundamentos da sociedade patriarcal, são responsáveis pela dicotomia da mulher: temos a mulher santa e virgem por um lado e a mulher devassa ou pervertida por outro. Uma ascendeu aos céus e a outra caiu no inferno… (já antes Lilith fora condenada aos infernos) mas ambas coexistem persistentemente dentro da mulher e sem perceber isso caiem as duas em luta dentro de si mesmas e essa luta trava-se quer a nível psicológico quer anímico, e manifesta-se ou exterioriza-se na rivalidade e ódio contra as outras mulheres e assim ( que se dividem em vários estereótipos) entram em estados de Histeria, ou depressão, doenças ditas “típicas” das mulheres começam a proliferar os cancros a devorá-las as doenças ditas de foro feminino? Há ainda a fibromialgia, a bipolaridade (embora extensiva aos homens), a anorexia, a obesidade, e as operações “estéticas”, a mais grave das doenças modernas…

Os médicos e a “ciência” querem ter um papel na “evolução” e solução dos problemas da mulher (ou devia dizer um papel na ovulação da mulher?) e descobriram há já umas décadas a pílula anticoncepcional, “revolucionária” para a época, mas ela só foi inventada para o comodismo dos homens em detrimento da saúde da mulher… Muitas doenças são consequência dessas medicações…E não foi só essa pílula, muitas pílulas se seguiram até à última descoberta que era acabar de vez com a menstruação e “libertar” a mulher para sempre desse incómodo…

Por fim e com grandes parangonas publicitárias são as vacinas para “prevenir” o cancro no colo do Útero nas jovens adolescentes e quem me diz que não é para acabar sim de vez com a força vital que resta na Mulher? A força da Mulher está nos seus ovários. Por isso lhes tiram os ovários os médicos...A mulher é novamente manipulada e desta vez pela “ciência médica”; não só serve de cobaia para a experimentação dos produtos como se torna a principal consumidora desses produtos farmacêuticos, induzida pelo medo das doenças a tomar toda a porcaria que eles fabricam e publicitam…

Mas as mulheres acreditam ainda nos homens da ciência e nos médicos, nos padres, pais, professores, escritores, e jornalistas…elas acreditam em tudo…e tornaram-se de facto as suas cobaias, tornaram-se tudo e mais alguma coisa…elas estavam e estão ainda convencidas que todas essas conquistas iam libertá-las não só para trabalhar e ser independente, como iguais aos homens…mas não viam que cada vez estavam mais sobrecarregadas e afrentam agora, no casamento e já em fase de namoro, a violência doméstica crescente em todos os países…

Durante muitos séculos as mulheres andaram à deriva esquecidas de si mesmas, incompreendidas, desfasadas, fragmentadas, inconscientes do seu verdadeiro ser, em lutas umas contra “as outras”…mas mais grave contra si mesmas sem se aperceberem da sua divisão intrínseca!

Só muito recentemente, desde os anos 60 talvez, mas já antes, em décadas anteriores se haviam registado singulares apelos de mulheres visionárias à premência de um acordar das mulheres e da Deusa Mãe, independentemente do movimento das trabalhadoras por direitos e salários iguais que nada tiveram a ver com um fundo de consciência ontológica …

E assim começou para algumas mulheres ou começa agora para outras esta busca da Mulher entre as Brumas de Avalon…e as Sombras da Inquisição…

A Busca das suas raízes e da sua própria História… História que não foi contada e que as mulheres precisam de resgatar para si próprias pois nela está a Chave da sua identidade perdida e da sua liberdade interior, a Chave da sua dignidade e grandeza, a Chave do seu Poder pessoal.

Rosa Leonor Pedro

PS.

Hoje 13 de Outubro realizou-se mais uma cerimónia em Fátima, com a Nossa Senhora a ser transportada por padres e homens, às vezes militares... Homens de mantos e de vestidos compridos, com todos os paramentos, usurpados das antigas sacerdotisas...e a revolta e a repulsa por esta inversão de valores, da manipulação da Deusa e dos seus lugares sagrados por Roma (Amor-invertido) invadiu por momentos o meu espírito...

Quando será que as mulheres livres de todo o mundo, um dia, com os seus mantos enfeitadas e vestidas de branco, cabeças ornadas de flores, com toda a sua legitimidade, caminharão transportando o andar da Nossa Senhora de Fátima, de Lurdes ou de onde quer que a Mãe se tenha manifestado, a Nossa Senhora de todos os tempos?

segunda-feira, outubro 11, 2010

DOS ANOS 70 ATÉ HOJE...


A EXPERIÊNCIA DE UMA MULHER EM BUSCA DA DEUSA...

“Sou filha, mãe, irmã, amante, sacerdotisa, mestra, escritora, artista, pesquisadora, musicista, taróloga, runóloga, artesã, ritualista, curadora e mutante. Sou uma mulher selvagem e aquática, poetisa mística e mágica, feiticeira feminista, lésbica e tecelã de mitos e canções. Sou uma mãe fundadora do movimento da espiritualidade feminina americana, uma das pioneiras que promoveram a actual revolução da Deusa.

Recebi o chamado da Deusa nos idos de 70, quando estava começando o movimento do Seu retorno. Senti que a Consciência da Deusa iria abranger o planeta, pois era a única solução aos problemas mundiais e que as mulheres iam ser as Suas emissárias. Ainda sinto isso, mas não sei quanto tempo o processo irá levar, nem as dificuldades que deverá superar.

Naquele longínquo começo encontrei e trabalhei com muitas mulheres, que, assim como eu, estavam despertando para a Deusa, sentindo amor pela Mãe Terra, por si e entre si. Foi uma lua-de-mel extática, mas poucas de nós estavam preparadas para as batalhas e lutas que iriam seguir. Na minha área (montanhas de Santa Cruz) eu era a única mulher que oferecia grupos de estudos e rituais para celebrar a Deusa. Nos meados da década de 70, descobri que havia outras mulheres fazendo o mesmo trabalho, como por exemplo Z. Budapest começando o movimento feminista em Los Angeles, Ruth e Jean Mountaingrove em Oregon publicando a revista Womanspirit que durante décadas foi o mais importante elo da trama feminina.
Enquanto o sistema patriarcal ensina competir e dominar a Terra, as mulheres dedicadas à Deusa buscam repartir e preservar a abundância dos recursos naturais. Os padrões masculinos e bélicos, incutidos no inconsciente feminino e alimentados por medos atávicos, contribuíram para cisões e divergências no movimento feminista.

Mas a espiritualidade feminina sobreviveu aos ventos contrários e agora está florescendo em toda parte, com centenas de livros e revistas com orientação feminista, círculos, rituais e festivais no mundo todo, estudos universitários, produtos e terapias. “A Deusa está viva e sua magia se espalha sobre a Terra”, antigo lema das pioneiras está se tornando a realidade que compensa os esforços e sacrifícios das iniciadoras.

Mas, nesta era de sucessos e expansão, o nosso movimento enfrenta outros desafios: como vender produtos e imagens da Deusa sem nos vender, como criar e manter uma base cooperativa em lugar da competição, como formar alianças e acordos sem criar dogmas e embates, como ter certeza de que a Tradição da Deusa está nutrindo as mulheres e não correndo o perigo de se tornar outro meio de opressão? Tenho certeza de que um movimento leal à Deusa deva resistir ao dogmatismo, rigidez e conformismo. Mas enquanto a Donzela ama a liberdade, a Mãe cria formas estáveis e duradouras e a Anciã ensina verdades eternas e sempre presentes. As premissas para a continuação e expansão deste processo do qual fiz parte, são a sacralidade da vida e a reverência da divindade feminina, o movimento circular e o poder compartilhado, o respeito à Mãe Terra e a conscientização dos seus filhos sobre a imanência e eterna presença da Deusa em todos os seres e níveis de criação”.

Shekinah Mountainwater - IN “Ariadne’s Thread”

Copiado de: http://sagrado-feminino.blogspot.com/

sábado, outubro 09, 2010

RESGATEMOS A DEUSA E AS SUAS SERVIDORAS



"A grande maioria dos homens no nível cultural presente nunca avança além do significado maternal da mulher e esta é a razão pela qual a alma raramente nele se desenvolve além do nível infantil, primitivo da prostituta. Como consequência, a prostituição é um dos principais produtos do casamento civilizado."

C. G. Jung

(...)

Me gusta mi cuerpo- mujer.


Paseando por las playas turquesas de nuestra isla, unas amigas y yo reconocíamos como nos excita el sol, el color del mar, el contacto del agua, el sabor a sal...paseando desnudas en un día tormentoso alcanzábamos a sentir como simplemente sentándonos en la orilla y dejando que nos lamieran las olas, conectamos con la fuerza de Eros.

Venus, Afrodita, son Diosas, paganismo, herejía para nuestra sociedad judeocristiana.

¿Por qué hemos dejado que nos constriñan en una sexualidad reproductiva que pertenece a los hombres?

Milenios de sexualidad patriarcal nos han confinado a ser receptoras de la semillas de los hombres, dándoles placer en su penetración. De su desobediencia al Pater-Dios tenemos nosotras la culpa. La manzana -creo que debieran haber elegido un higo o una granada por su simbolismo sexual- es el símbolo de la tentación de Lilith-Eva que expulsó del Paraíso a los hombres. Nosotras somos Eros, y ellos son los tentados, pobres hijos de Dios-Padre, a los que conducimos al pecado.

Mucho daño nos han hecho a todos, hombres y mujeres, con esta visión erotofóbica de la sexualidad y el placer. Los hombres no salen mejor parados. Su sexualidad es genital, donde orgasmo y eyaculación son lo mismo, y quedan identificados como los esparcidores de semillas. Las abejas de la humanidad. Ya se dice..."es un libertino que va de flor en flor". Lo peor es que no tienen cerebro: las mujeres son las provocadoras de su pecado y de sus violencias. Las mujeres que sentimos Eros nos convertimos en zorras, putas, pendejas. Somos robanovios y merecemos una piña. Ellos no eligen: sólo reaccionan a nuestros escotes y minifaldas. Nuestra única función es ser elegidas para hacernos las madres de sus hijos. Claro, luego la doble moral está servida y el placer lo buscan en las putas, las amantes, las ciberamantes...en aquellas mujeres que pagando el precio del desprecio, están dispuestas a ir guiadas por Afrodita defenestrada ya, de sus pedestal de Diosa. Hijas de una Diosa Menor, herejes, brujas, paganas.

Y tanto que el cerebro es un pene, que el grandioso Psicoanálisis nos define por una ausencia. Lacan, l'enfant terrible, más papista que el Papa, alrededor del "revolucionario" 68 francés, decía que la mujer no existe. En el inconsciente sólo existe el falo, dando la razón así a los popes de la iglesia católica como San Agustín, que nos llamaban "varón fallido". En una película de Woody Allen, uno de los personajes es una mujer que le cuenta a la otra que cuando por fín había tenido un orgasmo, su psicoanalista le había dicho que no era el tipo de orgasmo que toca...El clítoris- el órgano que conozco y venero- no proporciona el orgasmo definido como bueno por el psicoanálisis patriarcal. Pero el clítoris -¡ni siquiera los pechos!- existen en el inconsciente humano.
Por qué Freud con su líbido no nos rescató? Deberemos matar a Freud, como Nietzsche hizo con Dios, aunque no sé si él matándolo nos rescató tampoco...Ninguno de ellos cuestionan profundamente el Génesis, la Ley y el Logos que nos hace ser sólo una costilla de Adán.

Rescatemos a la Diosa y sus servidoras. Aquellas zorras sagradas que daban placer a los estranjeros para que fueran reconectados con Eros, la fuerza vital.

La prostituta Sagrada es la mujer que sacraliza el placer y lo eleva a la categoría de Eros, fuerza vital que une y agrega, no disgrega. La sensualidad que recorre el cuerpo y que gesta cuando es necesario o deseable, es despertada por ella, tras siglos de dominación patriarcal que ha conducido a los hombres a venerar el poder, no el placer ni la unión. La zorra sagrada no tiene que ver con la dominación-sumisión que subyace en nuestro mundo patriarcal, no sólo en las relaciones afectivas y sexuales, sino también en la relación económica y política que lleva a las desigualdades sociales y económicas.

Rescatemos a la zorra sagrada. No sólo nosotras las mujeres, sino también los hombres que quieren ser guiados y orientados a un mundo donde el placer es unión, celebración, goce, no sumisión o dominancia. Para hombres y mujeres, la prostituta sagrada representa la Beatriz que guía al alma en la Divina Comedia de la evolución personal. Por ella salimos de los infiernos del pecado. Porque Eros es Dios, fuerza. Dejemos el pecado en aquello que somete, pervierte y abusa. Los hombres también celebrarán el poder ir más allá de lo fálico y lo genital. Eroticemos el cuerpo, la vida. Erradiquemos de nuestras mentes cualquier forma de dominancia y sumisión.

El aspecto del ánima que corresponde a la prostituta sagrada está conectado con la Diosa del Amor. Ella transforma la expresión sexual instintiva en un acto de amor, en una experiencia llena de vitalidad que no es incompatible con la naturaleza espiritual sino todo lo contrario. En nuestro mundo moderno, la imagen de la prostituta sagrada está enterrada debajo de los valores religiosos, políticos y económicos del patriarcado. Ella aún vive y puede ser redescubierta como compañera de viaje por cualquier hombre que tenga la voluntad y el coraje de sacrificar los estereotipos masculinos, los roles de la persona y los valores colectivos externos.

Nancy Qualls-Corbett

Copiado de: http://www.anamariacor.blogspot.com/