segunda-feira, janeiro 03, 2011

UMA REALIDADE DOLOROSA


“O planeta Terra encontra-se envolvido num conflito sem fim. A vida colocou o homem e a mulher como eternos rivais, digladiando-se na arena da vida.
Estamos na era atómica, o mundo está quase a desabar. Outro aviso ao criador: se tiver que reconstruir o Éden que todos os seres sejam completos, incluindo a humanidade. Que sejam hermafroditas. Masculino e feminino no mesmo ser, para se atingir a perfeição suprema e com ela a paz por todos nós desejada, sem disputas, nem desilusões, nem desgostos de amor.” *

COMO FOI NO INÍCIO?
“No princípio era Lilith. Digam o que disserem,na origem era o Andrógino. E depois do seu exílio, senão mesmo do seu desterro, o Éden nunca mais voltou a ser o que era antes."
(...)
"Eva é a mulher muda, a sombra da mulher, quase um fantasma.
Eva está incompleta, falta-lhe alguma coisa: trata-se do aspecto Lilith que ela por vezes toma quando se revolta" .
««««««
Esta é uma realidade dolorosa em todo o mundo apesar de muito bem disfarçada no Ocidente pelas elites políticas e intelectuais. Nada de novo para mim, mas o mais grave é que agora são os pretensos espiritualista a querer escamotear o assunto branqueando toda a questão na sua origem e ignorar um cisma milenar, um desvio histórico e cultural, um crime contra a humanidade, como o foi a crime da anulação das mulheres, mas ainda mais grave que o mais grave é quase todas as abordagens "nova era" pretenderem dar o assunto por encerrado considerando que a mulher a partir desse vazio e o homem cheio de si são iguais e que na alma não há separação...

Isso é verdade ao nível da essência, é uma verdade absoluta ao nível do SER em Si, mas o caminho para essa realização é que ainda não está feito e por isso é que é mais grave, pois se parte do pressuposto que a mulher é a Mulher e o homem é o Homem...mas não é bem assim. Um e outro estão muito longe dessa Essência. Ao nível da encarnação e no caminho da evolução de cada indivíduo existem as particularidades e as especificidades de cada género e a necessidade de integrar os polos opostos complementares para a obra se realizar...esse é o princípio da Grande Alquimia. E não é agora que todos esses pressupostos fantásticos e fantasistas que vêm como por milagre colocar a mulher e o homem em plano de igualdade porque o erro de base é que eles não são iguais. São efectivamente diferentes, opostos e complementares, isso sim. E não estão de modo algum no mesmo patamar...porque à mulher falta-lhe a parte instintiva e a voz do útero, e ao homem falta-lhe conhecer a mulher que inicia e dá à luz...falta-lhe conhecer a Amante plena e a Mãe total.

Quanto mais a mulher for Mulher mais o homem é homem, mas isso não pode acontecer antes da mulher unir as duas partes de si separadas e antagónicas...a mulher que se perdeu dos Mistérios de Euleusis para ser aglutinada ao Homem e esvaziada de entranhas e banida do vocabulário humano desde a pré-história...
Poderemos voltar a ser andróginos, não ser nem macho nem fêmea no final de um processo inicático, mas não sem que primeiro a mulher seja mulher...e o homem homem. Só depois da união dos dois em Um, pela integração dos polos opostos complementares, dentro de cada ser se poderá a Humanidade transformar em Hermafrodita talvez...sim voltar ao Eden, voltar a unir Hermes e Afrodite...como eles foram criados desde o começo dos tempos e viviam no Paraíso.
Mas agora o grande perigo, a grande armadilha para a mulher será ela acreditar que, fragmentada como está neste mundo, entrará no Caminho Espiritual sem primeiro se Unir a si mesma, sem resgatar a mulher selvagem, a Mulher ancestral, a Xamã! E passar pela consciência dos mistérios profundos indo ao fundo da sua Sombra-Mãe, voltar aos Mistérios da Mãe-Filha/o. Porque é no quadro do mundo do poder do mais forte, do Pai-filho que ela é excluida dos mistérios antigos e votada ao pleno descrédito, escravizada e hoje violada e abusada em casa.

Por isso é que a Matriz de Controlo usa e abusa dos conceitos "nova era" para continuar a manter as mulheres na ignorância delas mesmas e dessa cisão. É precisamente para essa omissão que se reveste toda essa abordagem "espiritual" que a mulher tem de estar atenta!

rosa leonor pedro


*citação incial do livro O SÉTIMO JURAMENTO
DE PAULINA CHIZIANE
Da Ed. CAMINHO – uma terra sem amos

1 comentário:

Ana Nazaré disse...

"Quanto mais a mulher for mulher mais o homem será o homem.."LINDO, muito bom ! Os desejos de nossos corações, os prazeres físicos,a amizade, a presença, nossa identidade, não é ai que se encontra o fogo, a energia, da vida..a própria vida? Pq estamos todos como mortos, nos divertindo com jogos eletrônicos de celulares