sábado, abril 30, 2011

NO TEMPO DOS BÁRBAROS...




MINHA AMIGA:

HOJE RESOLVI ESCREVER-LHE DIRECTAMENTE A SI...

Lurdes Oliveira:

Não sei se continua a ler esta página, se vem aqui com frequência ou se nunca mais aqui veio...

Acontece que há dias resolvi publicar no facebook, no grupo Mulheres e Deusas, este seu texto email, datado de 2006 e que eu encontrei por acaso... Imagine...já passaram quase 6 anos e as suas palavras continuam de uma actualidade incrível...fez-me pensar em que é que realmente nós mulheres estamos e continuamos apostadas...a competir eternamente umas com as outras, hoje de forma muito subtil ou disfarçada - porque já lemos sobre as deusas em cada mulher - mas mesmo assim...o que prevalece é esta inveja subtil, esta competição arraigada e até uma raiva quase surda da outra mulher, que nos confronta, seja da amiga e da filha ou qualquer outra, que, com o seu exemplo, seja ele qual for, nos fere ...

E é quase sempre esta velha disputa pelo homem, pelo pai, pelo filho, pelo marido, pelo médico...ou pelo Mestre...e pelo lugar que ocupamos na sua Hierarquia-religião...

Fico a pensar que essa união das mulheres, essa lealdade feminina, ou esse apoio umas às outras que tanto apregoamos ou desejamos, continua a ser uma vaga ideia, agora que muitas de nós frequenta cursos e workshops de Deusa e vamos a Avalon em procissão, fazemos rituais do solsticio, temos altares à deusa afrodite...ou somos videntes de profissão...astrólogas ou curadoras...e por isso já não ostentamos a diferença ou a competição, mas ela está lá e sente-se no ar...está camuflada pelas ideias de uma nova ordem de valores...que é falsa! Porque a única realidade que eu vejo é que isso não é real nas nossas vidas de forma interiorizada ou integrada! Sim, lamento ser tão céptica, mas esta é a minha experiência - tirando óbvias e dignas excepções - mas eu não vou na farsa, afinal só palavras, nem na teoria de que somos irmãs porque não somos, de que nos amamos porque não amamos, e continuamos com a primeira pedra na mão pronta para atirar à cabeça da "outra"!
E quando somos chamadas a juntarmo-nos, a ajudar e a dar realmente de nós e gratuitamente, não vamos...Estão sempre primeiro os nossos interesses económicos, de família ou vamos sempre à procura (caça) do Homem...ou do sexo, que pode também ser outra mulher...

Infelizmente A DESUNIÃO ENTRE AS MULHERES E A UNIÃO ENTRE OS HOMENS ao nível das relações humanas é uma realidade ainda, quase absoluta...

E você tem toda a razão quando diz que "As mulheres no contexto social actual são rivais entre si perante o masculino e portanto desunidas na sua base sendo muito comum tomarem o partido do homem em detrimento de outras mulheres..." isto é a mais pura verdade. Em seis anos decorridos era de esperar uma pequena mudança, algo mais concreto e actuante, era natural haver mais irmandade, mais sinceridade, mais abertura, mas estou em crer que ela é apenas aparente...porque as mulheres ainda não perceberam que forma moldadas exclusivamente para servir os homens e a espécie...e que eles estão sempre em primeiro lugar e alguns até as deixam brincar às deusas...e sair com as amigas...mas quando o seu ego de macho fica em perigo vem o controlo!
E eu tenho-me indagado e sei que as causas desta divisão e luta na mulher contra as outras mulheres tem a ver com a "escolha" do Homem que está implantada no seu ADN ...seja do pai, seja do Filho... e essa escolha nem é uma escolha deliberada sua ou consciente, ela foi induzida, foi programada: e é uma prisão, uma condenação biológica, uma escravização da mulher indivíduo em função da mulher milenar procriadora e serva sexual do homem.

E a ilusão que a mulher tem de que o homem espiritual dos nossos dias a liberta e lhe dá essa liberdade interior também não é verdade, porque a vampirização do seu ser é feita a nível energético e também nos planos subtis...É a esse nível que o homem não consegue perder o controlo da mulher e com toda a sua aparente liberdade, ele acaba por a assassinar e violentar para se vingar...é assim nas guerras e nós pensavamos que era só no tempo dos Bárbaros, mas essa táctica é implementada hoje pelos chefes militares e se calhar governos do mundo e não é só no 3º mundo....

Por isso a evolução da Mulher e a sua Consciência de e como SER HUMANO tem de se fazer no plano individual e na união dos dois em UM, dentro de si e pela união das duas mulheres divididas pela religião, e também dentro de cada ser - MACHO OU FÊMEA - e não fora...

Porque pensam que os Reis e Nobres, presidentes e banqueiros - os Controladores do Mundo - criam este cenário do casamento do Príncipe Willian, (depois da sua mãe morrer perseguida pelos vampiros todos das mafias ao serviço deles) com a burguesinha, a Cinderela, a pobre (rica) da Gata Borralheira, a este nível mundial, com toda a Pompa e gastando milhões, com milhões de pessoas a chorar de emoção, senão para manter a humanida presa a um Mito?

Milhões em todo o mundo a ver uma grande Farsa!

O mito do casal já foi...agora é o tempo de cada indivíduo ser livre e não haver nenhum ser humano prisioneiro de outro...como é o caso da mulher em relação ao homem ainda. Mesmo que os costumes tenham mudado na aparência os velhos instintos estão lá e imperam na realidade e na desordem do mundo actual...em que a mulher é a sua vítima principal...
Fora de nós qualquer propósito é uma ilusão e uma armadilha para a mulher enquanto ser espiritual e, a não ser que seja uma escolha sua consciente e se ela quiser servir o homem ou o seu deus, ela pode fazê-lo. Mas é preciso não confundir as coisas...

Deste modo...se por acaso ainda me lê...gostaria que me voltasse a dizer o que pensa...e o que sente que mudou ou não...ou se uma qualquer outra amiga aqui se sentir com disponibilidade de o fazer que o faça sem pruridos...faça-o da maneira que sente e sabe. Não pense que para se expressar tem de ter o dom da plavra...tem só que ser sincera consigo e basta.

Eu agradeço do fundo do coração a sua participação activa...e vamos lembrar o que a Lurdes nos disso há 6 anos atrás...o que é que acham que mudou?

..."diria até que um dos grandes trunfos masculinos é de facto a poderosa força de união e cumplicidade relativamente ao feminino, em contrapartida a forma como as mulheres se relacionam umas com as outras é por vezes de uma extrema dureza. As mulheres no contexto social actual são rivais entre si perante o masculino e portanto desunidas na sua base sendo muito comum tomarem o partido do homem em detrimento de outras mulheres. A propria sociedade porque baseada nos modelos de actuação masculinos fomenta esta desunião e torna-nos enfraquecidas e isoladas umas das outras. Parece-me que a fim de superar este desiquilibrio a primeira onda tem que partir de nós individualmente, somos nós mulheres que necessitamos mudar o nosso comportamento umas com as outras e apoiar-nos mutuamente. Na prática do dia a dia isto requer uma atenção constante, um olhar critico sobre nós proprias e sobre os nossos preconceitos.
Esperando que se encontre já recuperada saudações amigáveis
"

lurdes oliveira Email 27-07-2006 21:31:36


rosa leonor pedro

4 comentários:

Ju disse...

Olá. Li e pensei nos exemplos femininos próximos, digo que já vi de tudo. Uma coisa que eu não costumo ver é a admissão da deslealdade masculina. Vamos olhar o mundo no qual vivemos. Cadê a união masculina? Eu não vejo. Eles não podem admitir que a desunião entre eles é grande também, não é à toa que eles são a parte da população que mais mata e morre. Isso é o oposto da união. Quem fomenta guerras, produz armas, levanta muros e cria empresas de vigilância não sabe o que é isso.
Essa coisa de dizer que só mulheres são traíras umas com as outras faz parte do discurso, é uma cortina de fumaça, é uma projeção, uma atitude infantil. Mentem tanto que eles próprios acabam por acreditar.
Perdi a conta das cantadas que levei de 'amigos de infância' de namorados meus. A união entre eles é baseada no 'não vejo, não ouço, não falo'. Nunca contei por sabia que nenhum 'acreditaria'. Um desses 'amigos' depois de muito me assediar, disse que mesmo que eu contasse, meu namorado não me daria razão. É esse tipo de 'união' que tanto invejamos?
Mulheres são mero reflexo disso, nada mais. Querem saber o que é um bando de homens unidos? Visualizem um monte de avestruzes juntos com a cabeça enterrada na areia. Pintaram o quadro? Perfeito. Nós mulheres precisamos parar de nos autovitimizarmos, de achar que nós somos as problemáticas e que os homens atuais são um exemplo a serem seguido. Não são! Nunca foram! Eles não são unidos! Nunca foram! Não podemos mais continuar contando suas histórias como se fossem nossas.

Rosa Leonor disse...

Pois Ju...não lhe tiro a razão, mas à partida sabe, não penso nos homens nem falo em relação aos homens porque o objectivo aqui é a da consciência das mulheres em relação a elas mesmas e não em relação aos homens. Creio que não disse que os homens são unidos...eu nunca disse isso, poderei quando muito ter dito que eles são cúmplices, mas como lhe disse eu não escrevo nada em comparação com os homens. Não tenho nenhuma luta com os homens e o meu intreresse é de facto unir as mulheres e foco o apenas o que motiva a sua desunião. A sua divisão interna entre dois esteriótipos básicos...a santa e a puta e você (independentemente dos gays ou dos travestis a fazerem papéis de puta) não tem essa divisão nos hoemns e essa divisão é que é a origem de quase todos os dramas da mulher. Assim aproveito este comentário e vou desenvolvê-lo e pubçicar...porque esta é uma confusão enorem que se estabelece nas mulheres e eu não quero que me pensem ou julguem em luta ou em afirmação perante os homens, e aindaa que pudesse nem sequer os culpo de nada...a História e a Cultura falam por si...e nós sabemos como o mundo nos fere e não é uma questão de fazer de Vítima...nem pensar TER COPNSCIÊNCIA NÃO É FAZER DE VÍTIMA. Como diz uma escritora que eu muito gosto digo mais uma vez: "eu não sou feminista, sou antrolpologicamente lúcida" e nada mais está em causa aqui o mue Bolg. Muito obrigada por ter comentado !

um abraço
rleonor

Rosa Leonor disse...

adenda:

Queria também dizer-lhe que no refere as palavras da lurdes Oliveira sobre a cumplicidade dos homens contra a mulher é verdade factual e simples de observar e da rivalidade das mulheres por causa dos homens também é absolutamente evidente...nos paises latinos pelo menos a não ser que no Brasil seja de certo modo atenuado...

Edilene Santos disse...

É dessa "vigilância constante" que carecemos , creio que no Brasil e no mundo.Aqui,(periferia de São Paulo,Brasil)vejo mulheres lutando,buscando melhoras nas comunidades, escrevendo, tentando reagir a essa opressão, mas a maioria desconhece as raízes de seu sofrimento...desconhece o que nos leva a esse desequilíbrio e a essa tristeza infinita de que padece a Terra, sob o domínio machista...a mim só resta esse trabalho de formiguinha de indicar nomes, livros, blogs e de vir aqui vez por outra pra alimentar minha alma e não cair sempre na velha tentação de me acomodar.

bjs no coração de todas vocês