sexta-feira, setembro 16, 2011

SERÁ TUDO ISTO, APENAS UMA UTOPIA?

Este texto que se segue foi escrito para o Grupo Mulheres & Deusas no Facebook, mas é igualmente válido aqui apesar de não haver a mesma dinâmica nem conhecer as opiniões das suas leitoras... Acontece muitas vezes que sinto o mesmo em relação ao Blog, por cansaço ou desânimo, apesar de aqui nunca ter sido acusada de manipulação psicológica....
rlp



A SEPARATIVIDADE DAS MULHERES

É verdade que me apetecia apagar toda esta desarmonia vinda das ideias e da separação das mulheres...Que isto que está a acontecer é o contrário do que desejaria e sonho e me choca tanto atrito, tanta incompreensão. Que este sonho de união e de fusão com as nossas forças anímicas, através do feminino sagrado, parece uma utopia apenas...
Não há canto... nem união, nem mãos dadas como eu imaginei que poderia haver; mas parecem prevalecer as acusações e a luta para cada uma fazer vingar as suas ideias, os seus conceitos...entre divisões, confrontos pessoais e ideias adquiridas, práticas ou vivências divergentes. Não estarei de toda isenta, seria loucura pensá-lo…mas procuro ser coerente apenas com o que é este grupo à partida, mesmo que falhando.

Pensei acabar com ele, desligar-me…afinal era tão fácil…Mas vi que é só por mim que devo continuar…por uma questão de integridade e respeito para comigo mesma…mesmo que isso, a minha maneira de ser, por vezes pareça uma ofensa as outras mulheres. Essas outras mulheres que são afinal quem me lê e são tão poucas e inconstantes e não têm qualquer compromisso aqui afinal…e para quem é fácil sair, basta um clike...
Vocês que vão e vêm ou ficam em silêncio….ou então rebelam-se por eu não ser como acham que eu devia ser, acusam-me de todos os mal entendidos?

Mas eu não pretendo mais do que fazer o meu trabalho como eu sei…sigo um trilho…e não me desvio do meu caminho…Por isso finco o pé…não que não creia ou não acredite noutros caminhos…Mas este é o meu caminhar…
Sejam pois bem-vindas todas as Mulheres que vierem por bem, que desfrutam…que tiram partido do que eu escrevo e do aqui publico…senão…que adianta?
Estar do contra…eu nunca julguei o trabalho de nenhuma mulher nem ataquei as suas áreas, nunca invadi os seus espaços…e não confundam com acusação ou negação quando eu digo e apenas digo e insisto que enquanto a mulher não for una consigo mesma e não integrar a sua sombra, e não fizer as pazes com a outra Mulher em si ou fora de si, seja a mãe a filha ou a irmã, em suma, a Rival, ela vai transferir e projectar sempre a MÁ MÃE…e essa á a razão de tanto conflito.

As mulheres estão muito presas no seu intelecto, e no seu sexo...foi isso que lhes ensinaram e aprenderam com os pais; foram essas as faculdades que desenvolveram na sociedade que as domina...As mulheres estão feridas na sua essência e elas não querem ver onde está a sua cisão maior que é na Psique, porventura a ferida mais profunda...É onde a cisão as condiciona mais, onde a mulher está mais dividida. A mulher continua a por toda a energia nas ideais...no corpo e no sexo...é certo que as feridas são do corpo e das emoções, também, mas é preciso ir mais fundo para chegar à alma...pois só na alma a mulher encontra a sua totalidade...
Eu nunca neguei a necessidade de se trabalhar os aspectos distintos da vida e expressão do feminino, apenas ressalto no meu trabalho que é o que apenas procuro desenvolver… Focar os aspectos que são o meu campo de experiência não é negar nem diminuir os outros aspectos que outras mulheres trabalham.
Há muitos métodos e muitos meios, muitas pessoas a fazer trabalho de qualidade...e sendo a mulher um todo há que trabalhar esse todo. Mas respeitemos o trabalho de cada uma...o que cada uma faz, os seus esforços, a sua dedicação. Seja a dança, seja o Tantra, a Kundalini Yoga, as Constelações Familiares, tratamentos energéticos, Reiky, Psicologia etc…Tudo é importante desde que seja verdadeiro e tem o seu lugar. Eu nunca neguei a importância desses trabalhos…salvo quando há manipulação expressa ou deliberada, mas nem disso eu me vi fora de acusações... o que para mim é grave!
Eu apenas disse e digo e ressalvo, que esses trabalhos adiantam muito pouco se a mulher não integrar as duas mulheres…se a cisão das duas mulheres, que é a marca mais dramática da nossa cultura e civilização - haver uma mulher prostituída, uma mulher vendida ou comprada – e essa dicotomia permanecer dentro da mulher, isso sim é o veneno que mata todas as possibilidades da mulher vir a ser Una e íntegra, saudável…

O meu trabalho dirige-se exclusivamente para a tomada de consciência dessa cisão interior da mulher. É nesse sentido que envido os meus esforços. Nunca estive contra ninguém…a única coisa que quis e quero é manter este FOCO.
E gostaria de vos pedir que ficasse quem se sentir à vontade aqui…e com a forma como eu sei fazer ou dizer…pois só sei fazê-lo de uma maneira que é a minha. Pode ser deficiente e por vezes controversa, mas só o sei fazer sendo fiel a mim mesma seguindo um fio condutor que me anima…que me prende à vida…e tomo por minha “missão”. E esse fio condutor…é sem dúvida o meu Amor real e concreto pela Mulher-Deusa. Só esse amor me move, senão era impossível.
Por isso, disse que preciso de respeito, não por mim mas também; preciso essencialmente ver o respeito pelas diferenças de idade, de experiências e tratar as pessoas como elas me merecem…
Por isso exijo, sim exijo aqui e Sempre, onde quer que eu esteja: o Respeito, a Reverência e a Devoção….não a mim, como é óbvio…mas à Deusa em cada Mulher.
Sou elitista na linguagem? Talvez…
Mas ninguém é forçado a ficar e a tolerar ofensas, se as sentir ou as houver...

Rosa Leonor Pedro

3 comentários:

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

Rosa, sempre admirei e continuo admirando o teu trabalho, concordo integralmente com o teu sentir e expressar ,quer por palavras ou açóes, este maravilhoso trabalho de união entrte as mulheres e a consequente transformação de nosso self. Tenho me mantido em silêncio pois estou precisando de recolhimento interior, de estar a sós em minha caverna interior. Estou vivenciando um período de encontro com a Anciã, que tenho certeza me tornará mais fortalecida para enfrentar o meu caminho, mas sabes que no meu coração, estou sempre contigo.
Continua teu trabalho, ele é indispensável para todas aquelas que te escutam em silêncio...

Rosa Leonor disse...

Querida Ana, compreendo e aceito o teu silêncio. A tua interorização e sei que estás de coração comigo...e mesmo à distância e já há já alguns anos eu conto sempre com a tua por vezes silenciosa presença mas muito familiar e presente na minha alma...
Obrigada pelo seu incentivo...porque o que conta no fim é mesmo a empatia de quem nos comhece de cor...ração...abraço grande e um bom periodo esse no seu de recolhimento...dá sempre frutos...e poemas!

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

Na verdade, estou passando por uma introspecção forçada, devido à problemas de caráter pessoal, mas tenho certeza de que a minha alma está sendo lapidada para se libertar de suas impurezas, e com o auxílio de minha Mãe Eterna estarei superando este período. É bom que a vida nos faça reciclar nossas atitudes e nos obrigue a seguir em frente... com as bênçãos da Deusa...

abraços