quarta-feira, dezembro 21, 2011

A GRANDE ABERRAÇÃO...

PORQUÊ ESTA ALIENAÇÃO DO SER MULHER?

Cirurgia para Aumento dos seios X Câncer de mama

"Pensa-se que no mundo cerca de 300 mil mulheres tenham este tipo de implantes."

"A mamoplastia de aumento, o famoso implante de silicone já foi realizada por mais de dois milhões de mulheres em todo o mundo, e a maioria delas têm necessidades puramente estéticas.
São vários os motivos que levam uma mulher a realizar uma cirurgia para aumento das mamas: está descontente com os seus seios porque são pequenos, são desproporcionais em relação ao corpo ou cada seio tem um tamanho diferente e também por motivos de reconstrução devido a doença ou acidente. De acordo com o Journal of Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery, em cerca de 80% dos casos não há nenhuma necessidade médica e as pacientes buscam apenas mudanças na aparência. Os outros 20%, indiretamente, também intentam melhorias estéticas, mas se referem às cirurgias de reconstrução, pós-tratamento para o câncer mamário.
Ao pensar em colocar a prótese, uma das maiores dúvidas que as mulheres têm é se ela pode levar ao câncer de mama. A doença é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, com cerca de 50 mil novos casos por ano no Brasil e uma incidência estimada em 51 casos a cada 100 mil mulheres. Dra. Cristiane Mendes, médica que atua no diagnóstico por imagem e intervenção em mama no Lavoisier Medicina Diagnóstica/ DASA, explica que não há nenhuma comprovação científica entre colocação de implantes mamários e aumento do risco de câncer de mama, mas orienta as mulheres que venham a fazer esta cirurgia estética, que procurem conversar com o médico responsável sobre a melhor forma de colocação da prótese.
"Pensa-se que no mundo cerca de 300 mil mulheres tenham este tipo de implantes."


AS CONSEQUÊNCIAS NEFASTAS

"As autoridades de saúde francesas prometem decidir até ao final da semana se pagam ou não a remoção de 30 mil implantes de silicone, que alegadamente podem provocar cancro mamário.
523 mulheres já os retiraram por iniciativa própria.
O cirurgião Laurent Lentieri refere: “eu penso que estamos agora numa fase de prevenção e não apenas de cautela. Conhecemos os riscos: estes implantes podem rebentar. Mas não há qualquer ligação com o cancro da mama. Estas mulheres não estão em perigo. Podem passar o Natal e o Ano Novo descansadas. Mas devem visitar o cirurgião regularmente”.
Por outro lado, as mulheres afetadas exigem uma cirurgia de remoção gratuita.
As dúvidas na classe média após a morte de 2 mulheres que tinham colocado este tipo de implantes.
“Esta intervenção custa cerca de 2 a 3 mil euros, é muito cara. Somos da classe média mas bem próximas da classe baixa, o que significa que é impossível por dinheiro de lado”.
Pensa-se que no mundo cerca de 300 mil mulheres tenham este tipo de implantes.
Além da França algumas mulheres espanholas estão também a exigir a cirurgia de remoção."

A Mutilação Genital Feminina é um costume sócio-cultural que causa danos físicos e psicológicos irreversíveis, e ainda, é responsável por mortes de meninas. Pode variar de brandamente dolorosa a horripilante, e pode envolver a remoção com instrumentos de corte inapropriados (faca, caco de vidro ou navalha) não esterilizados e raramente com anestesia. Viola o direito de toda jovem de desenvolver-se psicossexualmente de um modo saudável e normal. E, devido ao influxo de imigrantes da África e do Médio Oriente na Austrália, no Canadá, nos EUA e na Europa, esta mutilação de mulheres está se tornando uma questão de Saúde Pública.
***
A Mutilação Genital Feminina é considerado no mundo ocidental um dos grandes horrores do continente africano. A sua prática está cercada de silêncios e é vivida em segredo. Manifestar-se contra esse costume é difícil e, às vezes, perigoso para mulheres ou homens que se opõem. Em muitos casos, são acusados de ser contra as tradições ancestrais - dos valores familiares, tribais, e mesmo de rejeitar seu próprio povo e sua identidade cultural.
***

NOTA:

No mundo muçulmano as mulheres são mutiladas para não ter prazer e no mundo cristão as mulheres mutilam-se para dar prazer... 
Implantam seios de cilicone, cortam-se em retalhos...para diminuir pés e cintura...para corresponder a uma imagem de beleza plástica imposta pela moda: a loucura é geral e mundo civilizado Nunca existiu...a "ciência" é tão macabra na sua publicidade e prática como os rituais mais maléficos dos povos mais atrazados...
Qual destas práticas é mais horrenda? Aquela que é infligida à mulher no Islão e em África ou no Ocidente a prática consentida a que as próprias mulheres se submetem para ter mais ou menos seios? Sim, eu comparo as mutilações das mulheres em Àfrica e no Islão às das mulheres ocidentais que pagam fortunas para ser torturadas, embora anestesiadas... 
Qual é o maior horror? As mulheres que são submetidas a essa violência ou as que se submentem por "estéticas" e se deixam retalhar por vontade própria?
Os movimentos ocidentais consideram primitivas e bárbaras estas práticas do mundo Oriental...mas  no Ocidente estas práticas tão aberrantes e bárbaras não são observadas como tal...Onde o poder do dinheiro e do media se impôem já não há moral...
rlp


Sem comentários: