"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

TRÊS ANDAMENTOS...

 
TRÊS ANDAMENTOS, três momentos...

"A veces me pregunto si estas defensas del género masculino por parte de las mujeres no esconde la angustia patriarcal que nos han metido que una mujer no es nada si no tiene una relación..."
ana cortiñas


I

QUE MULHER?

"O eu feminino existe muito mais intensamente nos homens: foi catalogado por Jung como anima. A mulher tem o animus, que é um cara muito chato..."

Resposta a um amigo sempre provocador…

A mulher é a Anima e não o animus e foi aí que o Jung se enganou. Ela espelha a anima para o homem e só depois ele a reconhece em si embora lá estando e vice-versa. ...o problema de Jung  é que ele não viu a divisão intrínseca da mulher (a Virgem e a Maria Madalena) e só viu o seu masculino animus (pudera, a mulher essência, a anima, não está lá) e assim, sendo ele muito feminino, só viu o que pode...mas em certa medida ele está certo, porque os opostos se integram, e casam e diria, invertem: (no bom sentido...) o interior de um é feminino e do outro que é a outra,  é masculino, mas só quando a mulher for completa e chegar a sua individualidade. Atenção… Não digo indiduação...isso é outra cosia. Digo apenas que a mulher é rara...o que é a mulher verdadeira?  Nem o homem nem a mulher sabem como é...ela foi enterrada nos escombros de uma memória antiga, de uma civilização (do Cálice) destruída pela Espada e o que restou dessa mulher sublime e de dom, foi queimada nas fogueiras da inquisição na Idade Média...

Ninguém sabe quem é essa mulher antes de esta divisão começar. E esta divisão não começou entre homem e mulher nem na guerra dos sexos...começou antes e isto é só consequência da sua divisão interna...falta ao homem conhecer a Mulher inteira...e falta à mulher saber quem é... conhecer-se a si mesma - e isto note-se,  também não tem nada a ver com o (Self) Espírito ainda…só com a Alma, a ANIMA  e com a Psique…

II

Há uma questão gritante para mim que é ver como as mulheres reagem quando se lhes pede que se olhem, nem que seja por uns dias, como mulheres apenas e em si sem ser logo a pensar no par, sempre em comparação com o homem ou outras mulheres, nem conseguem ver-se em si sem ser em relação com as suas funções de mãe de esposas ou de amantes...Elas não conseguem...elas correm logo atrás do homem coitadinho (do filho do amante do marido do pai) a defendê-los como se lhes estivessemos a tirar o seu sentido de vida...e aí se vê claramente que a mulher não se sabe relacionar consigo mesma sòzinha e sem ninguém...e ver-se como um indivíduo apenas, um SER INTEIRO...ela não compreende isso...

 Ela não consegue OLHAR-SE a si mesma e pensar QUEM SOU EU?

Ela pensa sempre eu sou a Mãe e a Mulher do homem...é tudo!

E aí está a diferença entre um homem e uma mulher. Um homem olha para ele e vê-se a si como indivíduo e diz...eu sou Eu...vivo em mim... e só depois é que pensa na amante ou na filha ou na amante...A mulher não vive em si porque o seu vazio é total e ela é obrigada a pensar que ela só é enchida pelo filho na barriga (também vazia) ou então pelo falo...
O homem pode viver sozinho, e ser alguém. A mulher não. Ela não é ninguém se não for a esposa ou a mãe ou a filha do papá...
Essa é uma grande diferença...entre outras.

III

 Vejam bem...

O que é a "conversa de mulheres? "assuntos de mulher", "questões femininas" o "mundo da mulher" em todos os canais televisivos, no cinema e nos media etc e mesmo em “bons” livros?
Tudo o que concerne a relação da mulher com o homem o filho a casa a beleza a gravidez a celulite...o trabalho,  a moda os cremes a culinária, etc.
NADA QUE LHE DIGA RESPEITO A SI MESMA, PORTANTO...
Por isso jamais a mulher pensaria falar dela...subjectivamente...da sua existência, da sua individualidade que não a tem, mas sim e apenas do drama com o marido o amante o filho a empregada ou o emprego e sempre no exterior...jamais de si...ou raramente...mas com um enorme complexo de culpa ou ainda se for de uma doença fatal...
O cancro...o doença fatal das mulheres...porquê? Porque será que as mulheres têm a percentagem esmagadora de cancro da mama e do útero?

Sim, PORQUÊ
Já pensaram nisso?
E a fibromialgia e a bipolaridade e a esquizofrenia…o histerismo a depressão?
São as mulheres congenitamente propensas às doenças ditas  “tipicamente femininas” mais do que os homens ou apenas sofrem mil vezes mais do que eles com tudo o que carregam à sua conta – pais maridos filhos etc. - e ainda por cima a frustração e a raiva dos homens que dizem que as amam e as submetem a violência psíquica emocional e física, mesmo para não falar da violência implícita na posse, no sexo, no uso do corpo da mulher como se fosse propriedade sua?

Sim, podemos dizer que a mulher consente, que ela deixa, que ela até fomenta isto tudo, mas não branqueiem centenas de anos de repressão e jugo, de centenas de anos de perseguição e exploração sexual e afectiva…que ainda se mantém com aparência de liberdade…no cinema e na publicidade.
Por Amor da deusa! Só não vê isto quem é cego…
Ah sim...eu sou louca, velha, sim a anciã, pois...sou!


rlp

2 comentários:

Else disse...

Abordei nesta postagem sobre nossa autonomia

http://holisticpoint.blogspot.com/2011/11/autonomia-feminina-e-o-sexo.html

Parabéns!

Rosa Leonor disse...

Beijinho Else! Obrigada..vou visitá-la...
rl.