segunda-feira, março 12, 2012

O QUE ESPERAMOS NÓS DO OUTRO/a?

GESTO MÁGICO

"Certa pessoa comporta-se como quer que o objeto se comporte, movida pela expetativa mágica de que a vista deste gesto forcará o objeto a imitá-lo. Na realidade, o gesto mágico não é antecipação do que o objeto vai fazer, e sim do que a pessoa deseja que o objeto faça. Claro, portanto, que o gesto mágico difere da “empatia” objetiva, a qual consiste em identificação temporária com um objeto para o fim de antecipar aquilo que o objeto vai fazer.


Por forma análoga consiste a empatia, em dois atos: a) identificação com a outra pessoa e b) consciencialização dos sentimentos próprios após a identificação; daí, consciencialização dos sentimentos do objeto."

Otto Fenichel Teoria Psicanalítica das Neuroses Edições Atheneu


Empatia versus gesto mágico, que segundo Fenichel é um conceito de Theodor Reik, filósofo e psicanalista, e que me parece útil para retratar aquelas situações em que por razões diversas como ignorância, insensibilidade, não nos preocupamos em saber o que o outro pensa e sente (e se somos capazes de realizarmos o que pretendemos), e mesmo assim, julgamos que basta um gesto (intervenção sem qualidade), para que ele se comporte como desejamos.

Embora utilizado como estratégia de educação infantil, o verdadeiro gesto mágico pode ser entendido como forma de acalmar consciências, ou então como forma de manipulação, e é inerente aos inúmeros acontecimentos da nossa vida pessoal, profissional e política.

2 comentários:

Else Sch. disse...

gostei desta ideia: se faz com a esperança que o outro faça...

Rosa Leonor disse...

...
verdade...

rl