sábado, maio 12, 2012

A mão sobre o peito segura as lágrimas.




HA UMA MULHER QUE CHORA...

Há uma mulher que chora dentro do vestido da terra.
Uma mulher nuvem que se dissipa e morre tocada de ausência.
Uma mulher que semeia na terra o nome do que sem nome brota.
A mão sobre o peito segura as lágrimas.
Porque as lágrimas têm um caminho que não se confina na terra nem no azul do vestido do céu.

No jardim onde as almas se sentam no banco de pedra da sua mesma morte corre um rio sem tempo agarrado aos torrões da luz.
O corpo é uma lembrança fugidia e a realidade é um traço de vento no caderno das liliputianas palavras.


maria sarmento

Sem comentários: