"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sábado, junho 16, 2012

UMA ESPÉCIE VIRADA CONTRA SI MESMA

EM QUE MUNDO VIVEMOS NÓS?

- Às vezes a ênfase na nossa crise económica, a perda de poder de compra, a cultura e a expansão da arte…a literatura e o cinema, a importância desmedida da psicologia ocidental sobre as relações amorosas, as nossas neuroses, depressões e maquinações, a exacerbada e pretensa importância do amor do pai para a criança ocidental…e todas as nossas doenças mentais e classificações psíquicas entre sádicos e masoquistas, narcísicos e bipolares etc. etc. me dá uma raiva imensa...como se nos pudéssemos dar a este luxo doentio de nos sentirmos coitados perante quadros abomináveis de seres humanos que vivem neste planeta…ao nível mais básico e miserável da expressão humana, quase ao nível da besta…
Não seremos nós todos, esses animais pré-históricos, ou descendentes desses deuses estrambólicos e loucos, agora tão sofisticados e convencidos de uma qualquer progresso tecnológico, que a ser real impediria toda esta discrepância de vidas na Terra e nem um só SER HUMANO verdadeiramente evoluído poderia permitir jamais esta convivência de perto com a fome e a guerra, a violação de mulheres e crianças, a matança de animais e todas as aberrações de uma espécie virada contra si mesma? Atacam-se os animais selvagens uns aos outros mais do que a raça humana?
Mas não é justamente da índia que vêm as grandes escrituras, de onde provêm essas cosmogonias dadas como sabedoria milenar e que nos dizem que tudo é Maya e Karma e Kaliyuga e as castas uma necessidade e toda esta miséria faz parte de uma só realidade que é a Roda da Fortuna…com os macacos a girar para cima e para baixo? E que todos nascemos em castas ou classes de acordo com a nossa necessidade de evolução ou nível de consciência e assim também o Ocidente será uma casta especial, como o vinho…de mesa?

rlp

Rosa querida,

Hoje falo um pouco sobre o humilhante " Dote"...

Há na cultura védica, referencias ao dote, mas sempre como algo nobre, em que a noiva levaria para a casa da família do marido (No Ramayana, Sita leva um belo dote, para Ram e familia) Mas, era uma espécie de agrado. Nunca exigido.

Hoje em dia, e engraçado, desde que cheguei à Índia , a situação alterou-se sensivelmente. Antes, algumas famílias, nada pediam à família da noiva, hoje em dia, e um pedir que não acaba mais. Imagine, um individuo que vive de pedalar uma Ricksaw, (valor 100 US Dolares) se quiser casar sua filha tem, por obrigação dar uma motocicleta (1.500 US dólares ) ao noivo e mais toda a mobilia, electrodomésticos. Senão, a filha não se casa e cai na prostituição. Por isso tentam casar as meninas o mais cedo possível, quanto menor a idade, menor o dote. Algumas coisas a também influenciam, se a menina for de pele mais escura que o noivo, o dote fatalmente será maior. Eles são obcecados, os indianos, em ter a pele clara, devido ao sistema de castas, pois a casta superior Os Brhamanas têm a pele mais clara, que vai escurecendo de acordo com a queda na casta. Os intocáveis têm a pele muito escura. Então há essa loucura de clarear a pele, por aqui, chama-se "bleaching", não importa o quanto isso estrague a pele, pois e muita amónia, mas elas se submetem...

Voltando ao dote, (estou falando dos mais pobres e classe media)

No casamento, que passa por varias cerimonias, no dia do casamento em si, tudo o que a noiva trouxe como dote e exposto no meio do salão. Constrangedor. Mesmo se for um bom dote. O problema, e que em uma família, com 2 ou 3 filhos homens, esse dote será distribuído e substituirá tudo o que estiver já velho na casa da sogra, que e aonde a pobre noiva vai morar. Lá, muitas vezes, ela conhece o noivo no momento do casamento, ela será estuprada na mesma noite, pois há que mostrar o sangue no lençol no dia seguinte para toda a família. Horror!!

(continuando, porque a electricidade acabou)

Na "casa da sogra, há uma hierarquia. Ela devera se for esposa do mais velho cuidar da sogra, cozinhar, fazer tudo. Se for esposa do mais novo, e pior ainda, pois alem da sogra, terá que ser vir a "Babi", como chamam a esposa do irmão mais velho. Sem dizer que nunca ira usar o pouco ouro (em ornamentos) que levou consigo. Vai para a família do noivo. Se , depois de algum tempo, o marido encontrar outra, que possa contribuir com maior dote, a pobre e colocada de molho em casa, como segunda escolha, ou assassinada(queimada com querosene ou enforcada), pois ela sabe q se voltar aa casa paterna, nao sera aceita. Vira prostituta. Ela tem um ano para ficar grávida e gerar uma criança, se for menina, será um inferno, normalmente são 3 chances. Se não gerar um menino, ela simplesmente será mandada embora de casa. Para aonde? Vira prostituta.

Ao menos, os muçulmanos têm o direito de possuírem varia esposas, e aceito pelo Koran. Elas vivem como podem, mas o ambiente e melhor, menos ódio. Conheço a comunidade islâmica aqui, e muito pobre e ignorada. Depois falarei das muçulmanas.

À noite escrevo mais, se houver electricidade.

A cidade esta em meio "estado de sitio" devido a um problema entre hindus (sempre começam o problema, esteja certa) e islâmicos, que esta se alastrando por todas as cidades próximas. Hoje está tudo fechado, lojas, comércio.
Só como curiosidade, o ódio é tamanho, que, há 10 dias atrás, em um dia especial para os muçulmanos, quando eles distribuem agua com um refresco de rosas para todos, na rua, (e claro que hindu não aceita), um velho, hindu, safado, aproximou-se das panelas com o suco e lavou suas mãos no liquido, pronto, foi o bastante. Resultado, vários mortos, hindus e islâmicos, comercio destruído e o problema se alastrando. O governo não faz nada.

Na Índia, Rosa, há um grande e silencioso sistema de liquidar a população pobre. Esse e um deles. Nada fazer. Deixar as criaturas se destruírem ate cansar. Isso não vai para as noticias nem aqui na Índia, ficamos sabendo, porque tudo se sabe por aqui.

Beijoca. Ate à noite!!!!!
A L

Sem comentários: