sexta-feira, setembro 21, 2012

O NU DA MULHER



A NECESSIDADE DO SECRETO:

Há muito tempo que ando a pensar na forma como hoje em dia  as mulheres se desnudam sem qualquer pudor publicamente. O Ocidente a contrastar terrivelmente com o Oriente, muçulmano sobretudo, onde as mulheres são obrigadas a usar Burkas e mal se verem os olhos, despe as mulheres sem qualquer sentido que não seja a sua utilização como objecto de prazer, às vezes, dizem, estético, mas em geral sem nenhum respeito ou consideração pela intimidade da mulher.

A mulher aparece nua em cartazes publicitários, em filmes pornográficos e não só, em desfiles de moda...quase sempre de forma deplorável, abusiva, libertina, ofensiva mesmo (para a prórpia mulher), mas o pior é que a maior parte das mulheres nem se apercebe disso e julga que isso é um sinal da sua liberdade...
Nestas últimas décadas o corpo da mulher tem sido exaustivamente despido de toda a dignidade, de toda a sacralidade, de todo o seu mistério...e este extremo da nudez excessiva a contrastar com os véus orientais...não significa mais do que um oposto aparentemente libertador para a mulher do Ocidente, mas afinal tão opressor como no Oriente...
É lamentável que a Mulher não se dê conta...e não se dá conta de nada disto porque ela está iludida sobre a sua liberdade e emancipação e não percebeu que essa emancipação em grande parte corresponde sim a servir livremente os homens...que as podem usar sem compromisso e sem pagar... usanda e explorando a sua sexualidade. Até a pílula que a escravisa e altera os seus processos fisiológicos a mulher pensava que a libertava para o seu prazer...quando afinal ela sofreu na pele os distúrbios fisícos ou químicos de um fármaco que só prejudica  a sua saúde...e outras tantos como a tentam mentalizar que a menstruação é suja e que se devem "libertar" desse incómodo... 
Mas a isto está sempre a ser induzida a mulher, ela  é programa pelos midea e pelas farmacêuticas...ela foi e é programada desde criança...e sempre e mais uma vez usada...
A mesma coisa aconteceu com o Nu da Mulher...

Espero agora que me compreendam bem e  não me leiam superficialmente! Porque eu sei que me vão pensar retrógada e reaccionária...mas peço-vos que me leiam com a profundidade e a veneração que a Mulher e a Deusa nos merece...
Isto não é um preconceito nem uma visão retrógada... é a consciência que vem da idade e de cada dia mais me sentir livre sim, de todos os preconceitos e contraconceitos de que a sociedade nos consegue embuir e impedir de ter discernimento próprio...

A Consciência liberta-nos. A Consciência e a integrifdade do SER MULHER!

Por isso hoje eu digo sem medo do que pensam: o nu da Mulher não devia ser nunca exibido de forma gratuita, mas sim em cerimonial...no acto de amor, no casamento, ou em ritual, em adoração e nunca por vaidade ou exibicionismo ...
A agressão à Mulher e até uma certa violência vem muito da exposição profana do seu corpo nos midea e na publicidade e esse é um meio de destruir o seu poder secreto. Essa vulgariação é feita no intuito de banalizar o corpo sagrado da mulher e perverter essa sacralidade. Não é liberdade expor o corpo nu nem ostentá-la sem razão...por mais bonito que seja; eu tenho grande relutância em colocar o corpo nu da mulher aqui ou no facebook...não o meu claro porque sou "velha"...e já pouco guardo da beleza intacta do corpo feminino no seu apogeu...mas o de qualquer mulher.
 
A Deusa é sempre velada...é o Seu Véu, o Seu Mistério  que atrai...e ele desvela-se no acto sagrado do Amor e na plenitude da sua expressão em ritual ou na dança quando a Deusa se manifesta em iniciação ou revelação. O nu da mulher é sagrado e quando representa a alma realizada da mulher pode fulminar quem o vê...infelizmente ou felizmente ninguém - nem mulheres nem homens - vivem essa dimensão do sagrado e do belo e por isso vulgarizam o nu e o corpo sagrado da mulher...

O Nu devia ser secreto...como a alma é secreta...e só devia ser revelado no acto de amor ao ser amado e à Deusa...
rosaleonorpedro

1 comentário:

Else Schumann disse...

Não, cara mestra, não acho-a retrógrada. Sempre pensei da mesma maneira.
Não tem nada a ver com pudor ou moral, mas a utilização do corpo como objeto, pois a mulher já é um objeto, pra sociedade ou até mesmo para si.

Hj conversava com uma amiga sobre Marilin Monroe, como ela usava o corpo e o sexo para "ganhar" amor, atenção ou sentir-se valorizada. A mulher deve sempre fazer "merecer" enquanto o homem o tem por direito.

Respeito é uma atitude consigo que reflete nos outros.