"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

domingo, novembro 25, 2012

NÃO NÃO É ACIDENTE, É CULTURAL...

 
Não, não é acidente a violência contra a mulher.
Ela é secular e tem origem em quase todas as religiões e culturas que se baseiam sempre por princípio na inferioridade e na sujeição passiva da mulher. Essa violência sobre a mulher expressa e exprime um ódio secular à mulher associada à ideia de sexo e de pecado, sendo a mulher "originalmente" a culpada da Queda do Hommem...Posteriormente ao logo de épocas é sempre a negação da Deusa Mãe e do Princípio Feminino no mundo regido pela Espada a guerra e a força bruta consumada por sociedades falocráticas cujo princípio é o poder do falo/espada com domínio absoluto e sobre os mais fracos, feitos escravos, em tempos mais remotos, mas semrpe actual em todo o mundo...essa excravidão continua de forma diferente nomeadamente sobre as mulheres e as crianças e também os homens "afemininados", os que não correspondem aos padrões de virilade e violência. Assim, homem que é "homem" bate na mulher e nos filhos e põe ordem na casa, vai a guerra, mata homens e mata animais e destrói as florestas  ... Tudo isso de acordo com os seus deues ou o Seu deus Pai todo poderoso e único filho...de acordo com as escrituras, de acordo com as palavras santas de Alá e de Jeová...
 
Não faltam no Corão e na Bíblia exemplos de incitação ao ódio à mulher ao seu domínio e à violência sobre as mesmas...desde que elas não se calem ou não obedeçam aos seus maridos...
Podem-se  mudar as leis...e escrever tratados...mas tudo não passa de ficção, porque a força dominante e o princípio de funcionamento do próprio Sistema e a sua sobrevivência é sempre a lei do mais forte que vence sobre o mais fraco e a isso todos assistimos de todas as maneiras e feitios: na crise política financeira, austeridade, abuso social, desrespeito pelo indivíduo  etc.-
 
Temos textos e frases famosas de homens famosos e justificarem exactamente essa prática. pensar que vivemos em sociedades justas e democráticas e que chegámos à igualdade é mentira e por mais que as propagandas nos queirma dizer isso a verdade está a vista de todos em todo o mundo. A forma como a mulher é usada na publicidade, os livros e os filmes pornográficos,  os filmes de violência sexual e  crimes em série sobre as mulheres, as Mafias que exploram mulheres em todo o mundo os crimes contra as meninas mortas à nascença na India e as meninas obortadas na China etc. etc.
Não há igualdade de género nem respeito pela mulher ainda.
E as ideias que circulam nos meios de comunicação social só servem para tentar iludir e enganar as próprias mulheres e as sociedades pretensamente livres...
 
 rosaleonropedro

2 comentários:

Else Schumann disse...

sim, tudo continua igualzinho!
e não tem nada a ver com erudição ou classe social.

Rosa Leonor disse...

...vamos valendo-nos da nossa consciência individual...
abraço

rl