sexta-feira, setembro 28, 2012

A MÃE...


Diálogos com Mirra Alfassa

 

“Os homens não se apercebem...

Eles tecem, ao contrário (da vida), eles tecem todas as malhas possíveis que os amarram e aprisionam à Morte. Eles tecem esses fios de todas as maneiras: através dos jornais, das televisões, pela sua ciência, pelas suas boutiques e farmácias, pelos seus romances, pelas suas aventuras, pelas suas… Eles tecem, verdadeiramente eles tecem com prazer a morte à sua volta – eles não fazem mais do que tecer essas malhas. Então quando uma pessoa começa a ver que tem de se desfazer dessas teias todas…ela diz: “Mas como é que é possível meu Deus, o que é que eles fazem? O que é que eles fazem?”

Porque todos os seus meios FAZEM PARTE da Morte!! São os seus Truques da Morte: a sua cirurgia, a sua física, a sua ciência – são os truques da Morte, as INVENÇÕES da Morte, truques para vos enrolar bem.
Os seus médicos FAZEM PARTE da Morte!”*

 
*In La Vie Sans Mort - Satprem – Luc Venet

quarta-feira, setembro 26, 2012

O PODER DA DEUSA...

 

JEAN SHINODA BOLEN

Mulheres & Deusas: O SIGNIFICADO DA MENOPAUSA FOI DEGRADADO

Mulheres & Deusas: O SIGNIFICADO DA MENOPAUSA FOI DEGRADADO:

Quando uma mulher compreende que o verdadeiro significado da menopausa foi invertido e degradado, como muitos outros processos do corpo da mulher, consegue fazer o seu caminho durante o resto da vida, fortificada com objectivos e discernimento.

In“CORPO DE MULHER SABEDORIA DE MULHER”
de Christiane Northrup

sábado, setembro 22, 2012

Porque não sou cristã e me digo pagã de corpo e alma…

"O Cristianismo retirou-lhe o seu aspecto divino desfigurando-a numa mulher feia e decrépita, de longos nariz e dentes exagerados, de espessos e irisados cabelos. Nascia assim a mítica imagem da bruxa ma que amedrontava o sono inocente das crianças."
 
 

 

HOLDA
 
A FEITICEIRA DE INVERNO
(…)

A cavalgada selvagem varria os ares à procura de almas errantes como se fossem impurezas que entupiam a energia produtiva imanente dos solos. A verdadeira e original função da tétrica comitiva era a renovação das forças espirituais da terra, repondo uma nova camada e de células frutíferas, ao mesmo tempo que purificava a atmosfera infestada pela invasão de defuntos atraídos pelas noites invernais. Da inofensiva e generosa Divindade, Holda foi vulgarizada pelas escrituras cristãs num ser maligno e diabólico, sem espaço na etnografia reescrita sob o novo credo. O nome Holda passou a a anunciar pavor e castigo e tudo o que com ela estivesse relacionado seria sinónimo de delito. A palavra holde catalogava seres fantasmagóricos e as sombras errantes pelas densas florestas. Holda aparecia na companhia de espíritos simpáticos, holden o povo silencioso que habitava os meandros subterrâneos. Uma relação proibitiva e incómoda por  manter  os vínculos do ser humano (homem no texto) ao mundo numinoso da Natureza. O Cristianismo retirou-lhe o seu aspecto divino desfigurando-a numa mulher feia e decrépita, de longos nariz e dentes exagerados, de espessos e irisados cabelos. Nascia assim a mítica imagem da bruxa ma que amedrontava o sono inocente das crianças.

 

In AS MÁSCARAS DA GRANDE DEUSA de Cristina Aguiar

Pag. 143/144

sexta-feira, setembro 21, 2012

O DESPERTAR DA MULHER



"É um previlégio estar viva como mulher neste momento crucial de despertar. Você é parte desta re-emergência, eu também sou. Isto está acontecendo nos mais diversos contextos culturais. É um fenómeno global.

O processo de criação de uma nova cultura onde o poder, beleza e mistério coexistem não é algo que possa ser adiado. Para tal precisamos de nos comprometer na jornada interna que leva à profunda transformação do registo patriarcal na psique feminina. A arte atemporal de participarmos de círculos, articulada de forma essencial por Jean Shinoda Bolen, renova a visão e revela um caminho."


May East

Mulheres & Deusas: O CORPO DA GRANDE MÃE

Mulheres & Deusas: O CORPO DA GRANDE MÃE:

O TEMPO E O ESPAÇO  

“O tempo e o espaço estão absolutamente ligados. Eles são o corpo da Grande Mãe que se vos dá para vos permitir experi...

O NU DA MULHER



A NECESSIDADE DO SECRETO:

Há muito tempo que ando a pensar na forma como hoje em dia  as mulheres se desnudam sem qualquer pudor publicamente. O Ocidente a contrastar terrivelmente com o Oriente, muçulmano sobretudo, onde as mulheres são obrigadas a usar Burkas e mal se verem os olhos, despe as mulheres sem qualquer sentido que não seja a sua utilização como objecto de prazer, às vezes, dizem, estético, mas em geral sem nenhum respeito ou consideração pela intimidade da mulher.

A mulher aparece nua em cartazes publicitários, em filmes pornográficos e não só, em desfiles de moda...quase sempre de forma deplorável, abusiva, libertina, ofensiva mesmo (para a prórpia mulher), mas o pior é que a maior parte das mulheres nem se apercebe disso e julga que isso é um sinal da sua liberdade...
Nestas últimas décadas o corpo da mulher tem sido exaustivamente despido de toda a dignidade, de toda a sacralidade, de todo o seu mistério...e este extremo da nudez excessiva a contrastar com os véus orientais...não significa mais do que um oposto aparentemente libertador para a mulher do Ocidente, mas afinal tão opressor como no Oriente...
É lamentável que a Mulher não se dê conta...e não se dá conta de nada disto porque ela está iludida sobre a sua liberdade e emancipação e não percebeu que essa emancipação em grande parte corresponde sim a servir livremente os homens...que as podem usar sem compromisso e sem pagar... usanda e explorando a sua sexualidade. Até a pílula que a escravisa e altera os seus processos fisiológicos a mulher pensava que a libertava para o seu prazer...quando afinal ela sofreu na pele os distúrbios fisícos ou químicos de um fármaco que só prejudica  a sua saúde...e outras tantos como a tentam mentalizar que a menstruação é suja e que se devem "libertar" desse incómodo... 
Mas a isto está sempre a ser induzida a mulher, ela  é programa pelos midea e pelas farmacêuticas...ela foi e é programada desde criança...e sempre e mais uma vez usada...
A mesma coisa aconteceu com o Nu da Mulher...

Espero agora que me compreendam bem e  não me leiam superficialmente! Porque eu sei que me vão pensar retrógada e reaccionária...mas peço-vos que me leiam com a profundidade e a veneração que a Mulher e a Deusa nos merece...
Isto não é um preconceito nem uma visão retrógada... é a consciência que vem da idade e de cada dia mais me sentir livre sim, de todos os preconceitos e contraconceitos de que a sociedade nos consegue embuir e impedir de ter discernimento próprio...

A Consciência liberta-nos. A Consciência e a integrifdade do SER MULHER!

Por isso hoje eu digo sem medo do que pensam: o nu da Mulher não devia ser nunca exibido de forma gratuita, mas sim em cerimonial...no acto de amor, no casamento, ou em ritual, em adoração e nunca por vaidade ou exibicionismo ...
A agressão à Mulher e até uma certa violência vem muito da exposição profana do seu corpo nos midea e na publicidade e esse é um meio de destruir o seu poder secreto. Essa vulgariação é feita no intuito de banalizar o corpo sagrado da mulher e perverter essa sacralidade. Não é liberdade expor o corpo nu nem ostentá-la sem razão...por mais bonito que seja; eu tenho grande relutância em colocar o corpo nu da mulher aqui ou no facebook...não o meu claro porque sou "velha"...e já pouco guardo da beleza intacta do corpo feminino no seu apogeu...mas o de qualquer mulher.
 
A Deusa é sempre velada...é o Seu Véu, o Seu Mistério  que atrai...e ele desvela-se no acto sagrado do Amor e na plenitude da sua expressão em ritual ou na dança quando a Deusa se manifesta em iniciação ou revelação. O nu da mulher é sagrado e quando representa a alma realizada da mulher pode fulminar quem o vê...infelizmente ou felizmente ninguém - nem mulheres nem homens - vivem essa dimensão do sagrado e do belo e por isso vulgarizam o nu e o corpo sagrado da mulher...

O Nu devia ser secreto...como a alma é secreta...e só devia ser revelado no acto de amor ao ser amado e à Deusa...
rosaleonorpedro

segunda-feira, setembro 17, 2012

AS DUAS MULHERES NA MULHER

QUEM É A OUTRA MULHER?

 
 
Marina Tsvetaeva é uma das mais importantes poetisas russas: não só por ter tido a coragem de se opor em versos ao regime soviético, mas pela força de seus poemas, quer falem de política ou de amor. Seus versos se alternam da severidade à suavidade, numa espécie de magia difícil de ser encontrada em qualquer poeta.  (…) (Milu)

 

UMA TENTATIVA DE CIÚME

 
Como é tua vida com outra mulher?
Mais simples, não? Uma simples remada!
Na linha do horizonte
a minha memória recuou,
uma ilha flutuante
(no céu, não nas águas).
Almas, oh almas! Vós sereis irmãs,
não amantes!

Como é a tua vida com uma mulher vulgar? Sem o divino?
Agora que destronaste a tua rainha
e tu próprio renunciaste ao trono,
como é a tua vida? Que fazes?
Hesitas? Como te levantas?
Como consegues, pobre homem,
pagar o preço da trivialidade imortal?

"Chega de convulsões e palpitações!
Vou alugar uma casa!"
Como vai a tua vida com uma mulher normal,
tu, que foste escolhido para mim!

A comida é mais adequada
e estável? Não te queixes se te fartares...
Como é a tua vida com a tua imagem -
tu, que pisaste o monte Sinai?

Como é a tua vida com uma estranha,
uma mulher deste mundo? Diz-me - agradável?
A vergonha, como as rédeas de Zeus,
não te fustiga a testa?

Como é a tua vida? A tua saúde?
Passável? Como cantas?
Como enfrentas a consciência imortal
que te assalta, pobre homem?

Como é a tua vida com um produto
do mercado? O preço é caro, não?
Depois do mármore de Carrara,
como é a tua vida com um bocado
de gesso estilhaçado? (Deus talhou-a de um bloco e estilhaçou-o?)
Como é a tua vida com uma qualquer,
Tu, que conheceste Lilith?*

O teu apetite satisfez-se?
Agora que a magia
perdeu o seu poder sobre ti,
como é a tua vida
com uma mulher deste mundo?

sem um sexto sentido? És feliz?
Não? Num poço sem fundo -
como é a tua vida, meu amor?
Pior do que a minha com outro homem?

* Lilith, na literatura rabínica, a primeira mulher de Adão.

 

(extraído do livro Poetas Russos, com tradução de Manoel de Seabra)

A GRATIDÃO...

 
 
“…a sensação de riqueza interna que tem origem na capacidade para sentir gratidão e apreciar os outros…”.

Otto Kernberg Agressividade Narcisismo e Auto- destrutividade na Relação Psicoterapêutica Climepsi

Algo de bom dentro de nós, que sentimos como vivo no interior do nosso espirito. É a sensação de riqueza interna. Procuramo-la na alegria das pequenas coisas simples que acreditamos que encerram a perfeição. Não se pode pedir mais.
Por sermos ainda capazes de nos surpreender, esperamos alcançar harmonia e paz. Dizem-nos que há ferramentas (palavra horrível quando os assuntos são humanos), que nos ajudarão a alcançar a dimensão espiritual, tais como a meditação e a oração, proporcionando um melhor relacionamento connosco e com os outros. Mas nesta viagem que é a vida, não parece ser possível sentir riqueza interna sem a atitude de gratidão e de apreciação das outras pessoas, das suas coisas boas, que valorizamos e que a partir desse momento guardamos dentro de nós, como nossas. Somos inábeis a reconhecê-las perante o outro, muitas das vezes, e também poderemos não saber recebê -las. E quando isto nos acontece, é inevitável pensarmos que arriscamos a possibilidade de renascimento da saúde psíquica e espiritual.
A gratidão é a cura para o nosso narcisismo, e ajuda a superar sentimentos negativos, tais como a inveja (a maligna).




segunda-feira, setembro 10, 2012

VIVER EM FUNÇÃO DO OUTRO


PORQUÊ O SOFRIMENTO INTENSO DA MULHER?

....

Não há dúvida de que a mulher sofre de uma espécie de alienação congénita...uma espécie de paralezia da intuição...uma anulação do seu próprio sistema natural...um bloqueio da sua sensibildade profunda, uma formatação psiquíca que resulta numa desvalorização em termos de si mesma enquanto pessoa...
Sonhando e vivendo exclusivamente na quimera e no sonho desse encontro com o outro - uma programação celular - sem que nunca a sua vida seja colmatada por nada...
Senão fosse algo assim ela não projectaria a sua vida toda, tendo como única realização a paixão ou o amor do outro, do amante ou dos filhos, sem nenhum outro propósito, sem nenhuma auto-estima, sem nenhum outro sentido que não seja a sua própria anulação...


rlp

(a desenvolver)

A MULHER NÃO EXISTE E VIVE EM FUNÇÃO DO "OUTRO".

 
 
 
AS DUAS MULHERES...

 "Embora cada lado da natureza de uma mulher represente uma entidade separada, com funções diferentes e capacidade de discernimento, eles devem, à semelhança do cérebro com seu corpo caloso, ter uma tradução um do outro e, portanto, funcionar como um todo. Se a mulher esconde um dos lados ou privilegia um dos lados em demasia, ela tem uma vida desequilibrada que não lhe permite acesso ao seu pleno poder. Isso não é bom. É necessário desenvolver os dois lados."

Clarissa Pinkola Estés
 

As vezes eu fico perplexa como é que a mulher não se pensa em termos de uma  identidade própria que seja só sua...como é que a mulher se vê em termos da sua fragmentação e aceita essa fragmentação de si nos esterótipos mais comuns - desde a esta e aquela às deusas em cada mulher - e por vezes tão superficiais obedecendo a cada um deles à risca, tentando ser conforme lhe é sugerido, seguindo a moda, as revistas e todo o tipos de modelos que de si são apresentados nos midea e no cinema, tentando ser como aquela actriz ou cantora  etc. sem nunca se questionar porque é a mulher tão multifacetada na sua imagem e tão dividida em diferentes padrões com que a sociedade a qualifica e a procura interpretar...? Como é que ela não vê como a forçam a viver segundo padrões, definindo-a e forçando-a a viver fragmentariamente de acordo com todos esses padrões: o da mulher "assim" e da mulher "assado" o da mulher mais e o da mulher menos, semrpe  rotulada de - gorda magra feia bonita elegante sexy etc., sendo sempre vista e consideranta a partir do seu aspecto exterior,  do seu corpo, das partes do seu corpo, (que ela submete a operações estéticas para agradar, ao ponto e ao cúmulo de já o fazer ao seu sexo!!!)  e sempre vista através do seu comportamente sexual e tendo sempre que  corresponder mais ou menos aquele ou a este padrão. Mas a questão não é meramente essa, não se fica por aí, pois padrões também os homens os têm e vivem de acordo com eles, mas a questão da mulher vai mais longe e a diversificação da sua natureza, a divisão do seu ser, em mulher séria e mulher infiel, esposa ou prostituta, vadia ou bem comportada etc. porque esta qualificação não toca o homem, sendo uma questão secundária para ele, enquanto que na mulher essa padronização corresponde a uma carga tremenda, depreciativa e quase sempre demolidora da integralidade da pessoa humana. Ora como sabemos bem nesse campo o homem não sofre nada de semelhante, daí eu fazer esta distinção. O homem mantem uma identidade mais ou menos coesa, coisa que precisamente falta à mulher por falta de uma identidade que lhe dê a unidade do seu ser, não sendo, como bem sabemos o homem nunca  afectado seja social e psicologicamente pelo seu comportamente sexual nem posto em causa por isso e menos ainda se é gordo ou baixo ou velho etc.  O homem vive em função de si e mantem uma individualidade. A mulher não. Ela anula-se em função do homem do filho ou da sociedade. E isso tem uma razão de ser...uma causa...
 
Não há dúvida de que a mulher sofreu e sofre de uma espécie de alienação congénita...uma espécie de paralezia da sua  natureza como ser...uma anulação do seu próprio sistema natural...um bloqueio da sua sensibildade e intuição profunda, recebendo uma formatação psiquíca que resulta numa desvalorização do seu ser em termos de si mesma enquanto pessoa...
Sonhando e vivendo exclusivamente na quimera e no sonho desse encontro com o outro - uma programação celular - sem que nunca a sua vida seja colmatada por nada...partindo do princípio de que ela por si mesma e sozinha  não vale mesmo nada. Como se a mulher por si só não tivesse razão de ser...Ela chama a isso "amor"...Mas é como se a mulher em si não pudesse existir sem ser para aquela função à qual foi identificada socialmente, mãe esposa  ou prostituta e as suas variantes, que vão hoje de um extremo ao outro. Senão fosse algo assim ela não projectaria a sua vida toda, tendo como única realização possível a paixão ou o amor do outro, do amante ou dos filhos, sem nenhum outro propósito, sem nenhuma auto-estima, sem nenhum outro sentido que não seja a sua própria anulação...
Claro que não estou aqui a considerar a mulher profissional...porque aí também e como sabemos a mulher estende como por predestinação profissional para  essa área,  o campo da educação e da decoração ou medicina enfermagem  tendo sempre funções nessa área restrita como mulher-mãe-enfermeira-professora...E ainda assim, ela luta entre a paixão do outro e a paixão do exercício de uma profissão-vocação, ela continua a precisar colmatar a sua vida como mãe e esposa e lar e aí devide-se e fragmenta-se mais ainda do que antes quando não exercia qualquer profissão e era meramente dona de casa.
Só muito recentemente a mulher é infelizmente projectada também na guerra e na polícia...
Passo em branco sobre o "feminismo" que mais não fez do que aumentar essa fragmentação em nome da igualdade e dos direitos...
Porque o que falta a mulher de hoje como a de ontem é sem dúvida a sua identidade Mulher como base, A mulher Essência, o recusado eterno feminino, partindo da sua existência própria, independente de qualquer função mas para isso  ela  tem de começar por se consciencializar dessa sua cisão e fragmentação interior, que é interior e física/sexual e tambem cultural e histórica e só na medida em que essa consciência de si se vai desenvolver e  integrando todos esses pedaços de si, todos esses fragmentos do seu ser, apontados como características, ela irá juntando como parte de um puzzel todas as peças do seu ser e unir as duas mulheres cindidas a partida pela sociedade patriarcal ao longo de mais de cinco mil anos pelo menos...e de onde partem todos  os conflitos e dramas da mulher de hoje.
Essa cisão das duas mulheres é a cisão mais velha do mundo. Antes de ser a "profissão" mais velha, deu-se precisamente o corte intrínseco dentro da mulher, como se dá a excisão das mulheres no mundo muçulmano para que não tenham prazer...neste caso, para não terem uma identidade coesa, para não viverem uma integridade substancial.  Em termos de princípios, masculino e feminino como ordem do universo, ao dividir-se a mulher em duas espécies de mulher, o  lado masculino  reinou soberano e impune sobre pouco mais de uma escrava, a esposa e concubina ou a prostituta...

rlp






 

terça-feira, setembro 04, 2012

MULHERES E HOMENS...

 
 A IGNORÂNCIA HUMANA...
 
 
A incapacidade da mulher (e não só, mas neste caso particularmente a mulher) que não sabe interagir com a sua outra parte, que dela não tem consciência e não  chega nunca a integrar a sua sombra, que inclusivé a nega, gera grandes conflites dentro de si e projecta-os  sempre invariavelmente para o exterior, culpando os outros e ainda muito particularmente a outras mulheres dos seus "defeitos e incapacidades", dos seus desequilibrios emocionais, das suas paranóias culpas e medos...
 
Portanto,
 
“Quanto mais conhecimento de psicologia do inconsciente o leitor possuir, tanto mais fácil se tornará seu trabalho. Mas uma dificuldade diferente e mais decisiva consiste na ignorância generalizada, que é constituída, em grande parte de complexos reprimidos. Acontece muitas vezes que a personalidade consciente se volta contra todas as suas forças contra conteúdos, descarregando-os sob a forma de projecções sobre os seus semelhantes. Só vemos perfeitamente o argueiro que está no olho do nosso irmão e não enxergamos a trave que está no nosso próprio olho. O facto de sermos muitas vezes acometidos por uma cegueira sistemática em relação aos nossos próprios defeitos revela-se extremamente prejudicial, prejudicando o estudo e a compreensão do I CHING.”
In Psicologia e Religião Oriental – C.G.Jung

segunda-feira, setembro 03, 2012

SOU RADICAL...?




NOTA:

Recebi de uma leitora que traduziu à sua escolha alguns textos meus para o espanhol, no blog criado por ela em espanhol, e  que por sua inicativa abriu, acusando-me mais tarde de ter sofrido uma influência negativa com os textos que traduziu e que a afectaram, pedindo-me para os apagar, como verão na mensagem que vos apresento em baixo.

Gostaria POR FAVOR de saber se por acaso alguma mulher que me leia em português ou em espanhol já sentiu que o que escrevo as prejudica ou afecta gravemente.


"He estado pensando en el blog durante mucho tiempo, en el de mujeres y diosas en español, y te pido que borres las entradas que yo traducí el mes de febrero. Me parece que tu blog es demasiado peligroso y provocador, y realmente me hizo daño. No quiero decir que a todas las mujeres les pase igual, pero mi experiencia no fue agradable y no quiero tener nada que ver con eso.
Si eres tan amable, de borrar mis escritos traducidos, te lo agradecería muchísimo, así podría quitarmelo de la cabeza."
"(...) los articulos no son mios, y no queria sentirme responsable por ellos. Yo los hubiera escrito de otra forma, con otro enfoque que no fuera tan radical."
( recebido por email)

A MULHER REALIZADA EM SI...





UM TRABALHO PELA CONSCIÊNCIA DO FEMININO INTEGRAL


Como devem saber tenho um grupo de Mulheres & Deusas no Facebook que seria uma maneira mais directa de interagir, mais fácil e imediata do que no Blog…e a verdade é que também lá me apercebi que ao longo dos meses (mais de um ano) muitas mulheres foram adicionadas ao grupo mas que começando por postar coisas ditas positivas, muito bonitas, sobre deus e os anjos...ou sobre a espiritualidade etc. desapareceram em pouco tempo pelo facto de eu referir a importância de manter um FOCO na Consciência do Feminino Integral e basicamente só isso, sem me desviar do assunto que aqui também se trata, que é a Mulher Essência, a mulher Una e dentro de uma bem diferente perspectiva das alternativas e todos estes processos new-age…ou mesmo psicológicos…

Embora considere que todos os testemunhos e experiências de mulheres neste processo sejam válidos eu não falo aqui, notem, de processos de emancipação nem de liberdade ou de evolução espiritual, reparem bem, mas sim de Consciência de si como mulheres, e isso é que é importante, pois sem essa Consciência de si a mulher não consegue integrar qualquer outra experiência de vida pois como sabemos bem, ela parte sempre fragmentada, dividida em partes de si que nunca consegue unir e por isso só nos interessa COMO FUNDAMENTAIS aquelas experiências que nos dêem consciência precisamente que essa separação existe, que existe uma ferida ancestral na mulher, que a mulher está dividida em si mesma e que precisa antes do mais integrar-se como Mulher!

Assim, antes de querer “realizar deus” ou enveredar por uma qualquer espiritualidade, COMO CAMINHO DE SAÍDA PARA A SUA CRISE de identidade profunda, antes da dita “evolução pessoal”, há uma integração a fazer das duas mulheres cindidas, senão elas vão continuar cindidas e antagónicas dentro e fora de si, em todos os demais processos e por isso eles acabam em separação, contenda, raiva e ódio e muitas vezes em agressão de uma mulher a outra, aquela que é suspeita de a trair e "cobiçar o seu homem"...Isto acontece não só na vida familiar como social e de trabalho, como em competição na suposta via espiritual e muitas vezes em competição pelo "mestre" e a sua atenção...se for só isso...

O problema das mulheres anda sempre a volta dos homens e da sexualidade, o seu corpo de “desejo” (ou não) e as suas relações, e logo a seguir a rivalidade com as outras mulheres e pouca ou nenhuma importância se dão a si mesmas enquanto indivíduos com vida própria, conscientes de si...e aqui é que está a grande ferida e este é que é o nó da questão que as mulheres têm cada uma de per se resolver.

Enquanto a Mulher não se vir como um Ente com existência própria e sentir que ela vale por si mesma, independentemente de ser filha do pai, amante, mãe ou esposa...escritora ou terapeuta, etc. ELA não vai se realizar nunca. Esse é o ponto fulcral de toda a questão! E lamento muito que as mulheres em geral lhe dêem tão pouca importância e continuem a viver em função da família e das religiões, da profissão, do voluntariado, dedicadas aos cães e aos gatos (e eu adoro animais com sabem) e dos outros seres, podem ser extraterrestres ou mestres ascenços e missões do espaço... sem considerar a sua própria existência como máxima importância...por si e para si.
Eu não estou "contra" os homens, de maneira nenhuma, nem das relações sexuais relações...apenas dou prioridade à mulher em si mesma, como um todo e não mais a mulher dividida entre a sua alma à deriva, um corpo objecto de desejo sujeito ao prazer do “outro” e uma mente subjugada...e as emoções em confusão…

Eu aposto na descoberta da Mulher integral pelo seu SER INTERIOR, e na fusão das duas mulheres em si para e a conquista da Mulher Absoluta!
Nada mais nem nada menos do que isso…

rlp

O SIGNIFICADO DA LUA CHEIA DE 31 de agosto


 


LUA CHEIA NO GRAU 8 DO EIXO PEIXES/VIRGEM ....

A VERTIGEM DA SENSIBILIDADE...



É a essência da energia deste ciclo lunar...

Contactarmos com todo o campo de vulnerabilidade versus sensibilidade.... Num plano evolutivo este é o grande momento de fazermos UMA GRANDE ESCOLHA mesmo... e que vai requer uma consciência brutal no centro da única verdade que temos em comum.... o campo da responsabilidade do nosso crescimento emocional...
Mas o campo de resistência a seguirmos a vontade da Alma, também vai ser equiparadamente poderoso... pois reparem, sintam, se existe toda a exposição ao campo emocional de uma forma incontrolável e se usarmos essa sensibilidade para ficarmos presos aos nossos medos, iremos querer usar todo o controle e manipulação... todos os campos de fuga possiveis e imaginários para não nos rendermos... mas se por outro lado nos entregarmos à verdade da responsabilidade de que a nossa densidade emocional é a criadora de tudo o que nos oferece tristeza e frustração, então saberemos render em Paz e uma profundo reencontro connosco ... é um encontro muito intimo... requer silêncio interno... tocar o mais subtil de cada emoção e banhá-la com a verdade da nossa libertação... requer uma escolha inteiramente nova, liberta de qualquer sombra de vitimização ou complexo de mártir....

Aquilo que nos está a ser devolvido é o útero cósmico da auto fecundação de uma nova Identidade....
Vejam esta imagem....
Uma criança renascendo dentro de Vós, sendo fecundada pelas águas da renovação do corpo emocional... despir qualquer controle de medo... só assim será possível tornar essas águas límpidas....

Ciclo lunar de pura purificação, onde a mente só conseguirá ser uma ferramenta de criação, se estivermos centrados no mais intimo de nós, observando e compreendo o nosso sentir... sem meias verdades....
Chegou o momento da vulnerabilidade ao limite.... a velha identidade tem que se entregar , deixar todas as vestes da dor , da manipulação , da vitimização , do julgamento, da passividade morta , entregá-las ao pantano e partir para um novo CAMINHO....
Chegou ao limite a indecisão...
Onde vos levou?...
Que conquistaram?...
Vale a pena ficar aí?...
Podem ficar... quietos sem nada fazer. mas também serão responsáveis por o que vos for devolvido, por vossa escolha....
Confusão será o grande labirinto.
Sabedoria será a escolha de recolher dentro de cada emoção e buscar a verdade da criação da mesma...
O que em mim e nas minhas escolhas, me faz sentir isto....
Deixem o que outros devem fazer para processo deles....

Esqueçam toda essa projecção de limitação e frustração criado por vós, na crença do condicionamento...
Entreguem-se... rendam-se à verdade absoluta e Universal....
Vocês podem mudar tudo em Vós e na vossa vida. e nunca usarão o vosso poder na sua essência, enquanto acreditarem que para isso o mundo lá fora teria que mudar...
A cada um caberá as suas escolhas...
Centrem-se nas VOSSAS...
Mergulhem nas novas águas. E fecundem-se ...

Um profundo Abraço em comunhão e fecundação da nova identidade...
Ruth Fairfield

sábado, setembro 01, 2012

HÁ HOMENS QUE DUVIDAM...




Nas mãos da mulher está a salvação da humanidade
e do nosso planeta...


"Poderiam os terrores e crimes de hoje serem possíveis se ambos os Princípios se tivessem mantido equilibrados? Nas mãos da mulher está a salvação da humanidade e do nosso planeta. A mulher deve conscientizar-se do seu significado, a grande missão da Mãe do Mundo; ela deveria preparar-se para assumir a responsabilidade do destino da humanidade. A mãe, a que dá à luz, tem todo direito de dirigir o destino de seus filhos. A voz da mulher, da mãe, deveria ser ouvida entre os líderes da humanidade. A mãe sugere os primeiros pensamentos conscientes de seu filho. Ela dá direção e qualidade a todas as suas aspirações e capacidades. Mas a mãe privada da cultura do pensamento, desta coroa da existência humana, só pode contribuir para o desenvolvimento de expressões inferiores dos desejos humanos."

HELENE ROERICH - CARTAS 1927