"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, janeiro 18, 2013

A MÃE DO MUNDO

 
 
Não. 
 
Hoje, não vou fazer prosa nem poesia...
não vou falar do fogo nem da paixão,
da fé e de devoção...
Ou da extrema solidão d' alma
que me enche o peito...
...
Não vou falar de Lilith...
ou da Imaculada Concepção...

Vou falar da dor que me atravessa
como uma espada de  sete pontas
o corpo da cabeça aos pés
que se crava no meu coração...
Ela não sangra...mas é vermelha
e cobre-me há muito 
como um manto iniciático...
 
Eu conheço-a desde que me lembro...
Era eu ainda criança...quando ela se anunciou
e nunca a vida inteira me deixou.
Não conheço companhia mais leal...
nem amiga mais fiel...
E sempre que me dizem: ri-te,
eu choro por dentro,
porque me lembro dela desde que nasci...
e nunca, nunca a trairia...
Ela é uma amante sagrada a que tenho...
A Mãe do Mundo
Colou-se a mim na sua dor infinita
e nunca me deixou "ser feliz"...
2013
rosaleonorpedro
 

1 comentário:

Filho de Jacó disse...

http://jacksongamapai.blogspot.com.br/2011/11/maria-de-nazare-o-lado-feminino-de-deus.htm