sexta-feira, abril 12, 2013

O INDIZÍVEL SEGREDO



ENCONTRO COM LILITH…


(...)

- Porque é que eu não te encontrei antes?

- Porque, olha, para chegar lá onde tu estás hoje, foi preciso sentir o apelo do desejo. Foi preciso reconhecer o vazio, a falta de qualquer coisa que te liga ao Grande Todo. É essa carência que faz com que as nossas entranhas fiquem estéreis, os nossos desejos vagabundem, e a nossa existência se torne uma solidão amarga…Para poder deixar um espaço a esse vazio, uma chance dele existir, é preciso primeiro parar de querer fugir, ou de o preencher a qualquer preço. É preciso ousar sentir o vazio. O vazio é a terra fértil sobre a qual poderá germinar o teu desejo. E esta é uma bem difícil tomada de consciência, não é verdade?

- Não é muito agradável com efeito…Mas como fazer de outra maneira? Eu não me habito. Sinto-me fora de mim mesma, ou antes ao lado. Eu não sinto a vida a correr nas minhas veias, e o vazio de que tu falas assusta-me.

- Já não agora. Senão, tu não estarias aqui. Vê, é quando não se duvida mais desse vazio que ele se pode tornar a fonte de vida. O reencontro com o feminino. Enquanto tu esperares desesperadamente que qualquer coisa aconteça, tu serás como uma criança que espera que a mãe a salve. Mas quando tu estás pronta a olhar o vazio face a face, acolhê-lo, a reencontrá-lo, a explorá-lo, então, tu começas a fazer a experiência do mistério feminino. Tu entras na tua dimensão de mulher.

A sua voz é doce e pousada. Ela parece vir da noite dos tempos. O nome “mulher” ressoa em mim como uma promessa. Como a chave de um caminho por percorrer, a construir, a criar. Sentada ao seu lado, eu começo a ouvir ressoar no mais profundo de mim mesma os ecos de um universo submerso, prestes a vir a superfície. Eu sinto que é aí, no fundo dessa gruta, ao abrigo dos olhares e dos falsos semblantes que eu encontrarei o meu indizível segredo…

(…)

Tradução de rlp

Do livro E DEUS PERDEU A MULHER

De Anne Shwartzweber

2 comentários:

Deolinda Blathorsarn disse...

Muito verdadeiro e expressivo..Obrigada por compartilhar..

Rosa Leonor disse...

Não tem de quê Deolinda. Eu é que agradço a sua visita...

um abraço

rleonor