quinta-feira, setembro 12, 2013

A PRETENSÃO NEW AGE DE UNIR O MASCULINO E O FEMININO


 

NUNCA POSSÍVEL
Antes da integração das duas mulheres cindidas...

 A dualidade entre feminino masculino só poderá ser superada depois de resgatada a verdadeira essência do feminino sagrado e em si mesma; o que se faz actualmente nesta pseudo-união (yin e yang da psicologia Junguiana) é branquear que a mulher foi cindida em duas espécies de mulheres (a santa e a puta) pelas religiões patriarcais e que antes de tudo - seja qual for o seu caminho - e de se unir ao masculino ela precisa integrar as duas mulheres, e só depois então poderá espelhar a anima (que não tem, asfixiada por um animus exaltado). Integrada a Mulher, resgatadas as forças telúricas e ctónicas, ela poderá assim unir-se ao Cosmos e ligar o Céu e a Terra, como forças complementares. Só então ela poderá espelhar ao homem a sua anima e vice-versa...antes disso é um continuar a branquear e a manter a mulher essência submersa nos escombros das religiões patriarcais em que ela foi apagada e suprimida juntamente com o culto e devoção da Grande Mãe, ou das psicanálises que partiram dessa cisão sem a ter a conta e fazendo da mulher um bicho de 7 cabeças...

Toda a premissa da união dos opostos e do feminino masculino das tradições alquímica ou taoista, está à partida correcta...mas a questão que eu levanto é anterior  a isso, sobretudo no Ocidente, e reflecte-se no erro grave (o Pecado) que divida a Humanidade...e de que ninguém se apercebe ela derivar  da divisão intrínseca da mulher e a sua ferida psíquica milenar quando ela é dividida em duas espécies de mulher e obrigada a corresponder a estes estereótipos da virgem (imaculada e que concebeu sem pecado) e da madalena (a pecadora arrependida)...É nessa corrente de pensamento filosófico e teológico secular que a mulher é por isso denigrida, mal tratada e violada em todas as sociedades patriarcais.

O que eu digo e defendo, quando falo num feminino sagrado, ligado ás forças cósmica e telúricas, é que a mulher para percorrer um caminho espiritual tem de primeiro ser integral e unir em si as duas mulheres cindidas...Não ser mais a "santa e a prostituta" nem qualquer das variantes modernas (mulher fatal, objecto sexual etc.) que para ela se inventaram nas mais recentes culturas; porque este é o mais velho cisma da Humanidade e do qual estamos todos as sofrer dramaticamente as consequências...porque onde não há Mãe e a Mulher não é dignificada...a violência, o crime e a guerra imperam...
 rlp

LUGARES TELÚRICOS..

"Fátima é um símbolo, o símbolo de um fervor popular profundamente ancorado no inconsciente colectivo: mesmo que o não confesse abertamente, a humanidade esta empenhada numa procura incessante da Mãe que alimenta os seus filhos, os consola nas suas desventuras e os guia nas margens que conduzem ao outro mundo." - Jean Markale

5 comentários:

Kris disse...

Ótima leitura. Grata.
Kris

Rosa Leonor disse...

Nâo tem de que Kris...
ainda bem que gostou!

abraço
rlp

arquetipodemim disse...

Gostei muito de ler o seu post Rosa. Já é altura das mulheres aprenderem a não ficarem à margem de uma sociedade e mentalidades patriarcais.
É um peso de milhares de anos, que ainda hoje carregamos. Que venha a tomada de consciência, aceitação e libertação. Obrigada, beijinhos!

Anónimo disse...

Exelente texto. Vale meditar.
Agenor

Anónimo disse...

Exelente texto. Vale meditar.
Agenor