sábado, fevereiro 15, 2014

MULHERES: "Sejam melhores, liderem a mudança que a humanidade necessita."


"UMA REVOLUÇÃO FEMININA
Nós não estamos cientes disso, mas agora estamos a viver uma tragédia. A grande tragédia ignorada e silenciada de nossos tempos. Porque apesar de acontecer diante de nossos narizes, a nossa estreiteza mental e nossa patética falta de perspectiva esconde a sua enorme magnitude e as terríveis consequências que resultarão do presente e do futuro. Podemos dizer, sem hesitação, que estamos a perder a última grande oportunidade de transformar a humanidade e criar um futuro melhor. E quando percebermos a oportunidade perdida, será tarde de mais ... o pior é que ninguém está ciente do que está a acontecer e o que realmente significa para todos nós.
O que queremos dizer? Qual é a oportunidade?
Para entender isso melhor, devemos primeiro responder a uma pergunta:
Quem tem o poder de transformar as sociedades?
Tem sido evidente ao longo da história que apenas os grupos oprimidos e abusados conduziram revoluções, eles são os únicos que combinam a necessidade e a força moral capaz de gerar grandes mudanças nas estruturas de organização social, económica ou política. Seja qual for a sua origem ou condição, recai sobre eles a responsabilidade e mudar as coisas. A esperança de criar um mundo melhor e mais justo. Obviamente, que quem detém a posição dominante numa situação de injustiça social ou desequilíbrio, não tem interesse em mudar a situação que o beneficia.
Não vamos ver grandes banqueiros e empresários a clamar os direitos dos trabalhadores, como vimos nem a realeza nem nobreza a em seu tempo lutaram pelos direitos dos camponeses e das classes mais pobres. Isso é evidente. Se pudéssemos quantificá-lo de alguma forma, poderíamos dizer que o poder transformador de um grupo oprimido está directamente relacionada com poder e potencial que alberga e que lhe é negado.
Assim, os escravos, camponeses ou proletários, todos foram os motores das maiores revoluções dos últimos tempos, exerciam a força de trabalho da sociedade. Seu potencial era portanto imenso assim como as suas capacidades de transformação social e económica e a esperança de justiça depositada neles. Da libertação desse imenso potencial reprimido surgiram as grandes transformações sociais, económicas, ideológicas e políticas dos últimos séculos da nossa história. E tais avanços foram gigantescos.

O MAIOR COLETIVO OPRIMIDO DA HISTÓRIA

Mas ao longo da história tem havido um grupo oprimido com um potencial muito maior do que qualquer outro, tão imenso que transcende os limites das hostes sociais, econômicas e políticas, como, nada mais e nada menos, do que a chave da sobrevivência da espécie humana: o sexo feminino. Nunca na história da humanidade houve um grupo com tanto potencial para transformar a nossa realidade. Seu poder é tão grande que realmente custa tomar plena consciência dele.
Para começar, as mulheres representam maior e mais longo coletivo oprimido de todo o grupo história humana. Neste não era apenas a subjugação social, econômico e político, mas também mental, sexual e moral, negando o desenvolvimento integral e gratuito a limites inconcebíveis.
A repressão das mulheres não conheceu fronteiras políticas, físicas ou ideológicas. Nem, tão pouco, temporais, culturais ou religiosas.

 REVOLUÇÃO FEMININA
Trata-se de uma opressão geração após geração e século após século, na latitude e longitude de todo o globo, perdendo-se remotamente no início da civilização.Consequentemente, o seu poder de transformar o mundo também transcende todas as fronteiras imagináveis, que abrigam a capacidade de transformar o ser humano até à sua essência.

 Muito além das estruturas circunstanciais e temporais representadas por diferentes conjunturas sócio- económicas com as quais todas as revoluções estão relacionadas. E eis que um camponês ou proletário representava a força que mantem em funcionamento toda a estrutura económica e produtiva. Mas o sexo feminino representa directamente a existência e longevidade da própria espécie humana.
Existe, portanto, maior poder no mundo?
Tal era o poder inconcebível de uma possível Revolução das Mulheres.
E tais eram as esperanças de transformação profunda à escala humana que poderia ser depositada em uma tal revolução.No entanto, a revolução das mulheres parece ser uma grande oportunidade perdida, talvez para sempre.
O grande cataclismo esquecido e ignorado em nosso tempo.
A desgraça da magnitude, nunca pode estar ciente.
Porque é, sem dúvida, uma revolução que está a ser abortada muito antes da poder ocorrer. Abortado sob a bandeira da suposta "igualdade de género ", uma verdadeira aberração conceitual criado pela máquina do sistema, a fim de canalizar a força imparável que poderia levar o sistema para sua própria destruição total.

Porque, na realidade, o que é a igualdade de género?
 O que significa a participação igualitária das mulheres nas estruturas sociais, econômicas e políticas?
É, realmente, mudar a essência do mundo em que vivemos?
Para responder a isso, precisamos apenas observar que nos rodeia.
Note, por exemplo, as mulheres que entram no mundo da política.
Elas são menos ambiciosas do que um homem?
Estamos presenciando uma profunda transformação globalmente à medida que as mulheres incorporam cargos de responsabilidade? A resposta para todas essas perguntas é tão triste quanto óbvia.

 A ARMADILHA DA IGUALDADE
Qual tem sido a maior queixa das mulheres para defender seus direitos? Igualdade. Ou seja, o acesso livre aos cargos e funções que os homens ocupam no sistema. Seja parte do sistema corrupto e desastroso, em maior medida, criado pelo próprio sexo masculino.
Um mundo selvagem, violento, injusto, perverso como uma máquina fria e metódica que destrói tudo no caminho, nas asas de ideologias políticas absurdas, crenças religiosas ou ganhos económicos. Longe de tentar transformar este mundo vil às suas raízes, para destruir as estruturas psíquicas que causam sérios danos ao próprio sexo feminino desde tempos imemoriais, a grande reivindicação da mulher tem sido tornar-se uma grande peça desse mecanismo, tal como o homem o é.
Apenas isso.
 Ser uma parte da máquina, simplesmente.
Isso é o que realmente representa a chamada "igualdade de género ".
 E, chegando aqui, devemos nos perguntar por que o sexo feminino se contenta com tão pouco?
Por que não tem focado os seus esforços em derrubar as estruturas injustas do sistema, criando novos conceitos, radicalmente diferentes, muito mais desenvolvido e profundo?
Em suma, porquê que a mulher não se tem esforçado para criar e liderar um mundo radicalmente novo e melhor?
Criar e liderar um novo mundo. Isso representaria uma nova esperança para a raça humana, tão cega e perdida nestes dias.

Sem dúvida, alguns irão argumentar que para mudar o mundo as mulheres devem incorporar antes os cargos da sua gerência.Mas isso é uma falácia completa. Porque é justamente aí que está a armadilha.Como vimos, o poder transformador só vem dos grupos oprimidos que lutam para mudar as coisas e sonhar com novas realidades, ser utópica.
A necessidade de construir um futuro.
No entanto, a promessa de igualdade não abriga ao sonho de novas realidades.
Na verdade serve para matar esse sonho realmente profundo e reforçar as realidades existentes como únicas opções possíveis.
E a igualdade de género, uma vez alcançada, efectivamente eliminou a necessidade de essa transformação porque, presumivelmente, termina com a opressão que gerou essa necessidade.
 Esse foi o grande sistema de armadilha para abortar a grande revolução das mulheres que poderia ter mudado a humanidade para sempre.
E com isso perdemos provavelmente a última chance de faze-lo.
Porque todos nós sabemos que uma mulher pensa e sente diferente do homem.
Experimentando coisas que um homem não pode jamais compreender.
Existe entre ambos os sexos uma enriquecedora e profunda diferença, tanto a nível biológico como a nível psicológico.
Um património natural inestimável.
No entanto, parece que o sexo feminino renunciou a estas valiosas diferenças, à sua forma particular de sentir e compreender o mundo e tornou-se também um homem, juntando-se, da mesmíssima forma que ele, à máquina do sistema.

REVOLUÇÃO FEMININA
Parece que a grande luta do sexo feminino, seu objetivo principal está limitado a alcançar os mesmos cargos de poder que um homem e ter a oportunidade livre para usar calças, fumar, beber, usar drogas e fazer sexo, tal como o sexo masculino.
 Uma grande conquista na escala cósmica, sem dúvida.
Elevação espiritual e intelectual em sua forma mais pura.
Um marco que deve ser objecto de admiração profunda para todo o sempre.
 Porque, na verdade, onde estão as mulheres que mudam o mundo?
Quem são elas?
Foi a Lady Gaga, Madonna, Miley Cyrus ou a atriz da moda?
 É mandatárias corruptas?
Talvez as jornalistas e tertulianas que obedecem a seus mestres, assim como qualquer jornalista do sexo masculino?
Ou talvez os milhões e milhões de mulheres escravas do consumismo, da moda e da televisão, exactamente como os homens?
E eis que a mulher se tornou incapaz de escapar do programa do sistema e de criar e liderar uma nova realidade escala humana.
Um exemplo claro disto é encontrado na religião.
É difícil encontrar uma instituição mais tradicionalmente masculina/ machista que a Igreja Católica.
Seu recorde de desprezo pelas mulheres listra níveis insalubre, chegando a considera-la, a qualquer momento, um ser impuro e pecaminoso.
Ainda hoje, as mulheres são tratadas quase como seres espiritualmente inferiores, não tendo acesso a quaisquer cargos com poder real na estrutura eclesiástica.
Mas qual é a reacção maioritária por parte do sexo feminino a uma instituição tão torcido e distorcido em seus preceitos?
 Por acaso derrubamos as estruturas opressoras e definimos um novo conceito de espiritualidade que superasse todas as barreiras das diferentes religiões?
Não.
 Parece que o grande objectivo das mulheres é reivindicar o direito ao sacerdócio, o direito de aderir a mesma estrutura obsoleta e ultrapassada que foi suprimida por dois milénios e que tem servido tão obedientemente.

REVOLUÇÃO FEMININA
Tem sido incapaz de criar algo novo.
Incapaz de desistir da programação mental do sistema.
Um exemplo claro de como o sistema habita nas profundezas da nossa mente humana, como um programa de auto-limitação que impede qualquer alteração substancial e profunda.
É doloroso aceitar, mas o que realmente significa um avanço para o mundo que uma mulher chegue a governar?
 Sim?
Por quê?
 Se o seu governo envolve as mesmas injustiças, a corrupção e os abusos de um homem, então o que o ser humano ganhou?
 Nada.
Em vez disso, todos nós perdemos.
Porque nós perdemos a oportunidade de mudar tudo.
A oportunidade de transformação que apenas brinda os grupos oprimidos.
E o sexo feminino foi o maior grupo oprimido na história da humanidade.
 Nossa última grande esperança.
 Todos nós devemos sentir pena por ele.
E uma profunda vergonha .
E mesmo que seja mínima respiração o poder transformador no gênero feminino, se ainda existem mulheres sonhadoras fora da armadilha da suposta igualdade de gênero, aqui está o nosso apelo, quase oração:
Reajam!
Revelem-se !
Revertam e mudem verdadeiramente o mundo real!
Para os vossos fundamentos mais profundos!
Arranquem as teias de aranha que o sistema em teceu nas nossas mentes e sonhem uma nova realidade, uma nova humanidade.
Não se conformem simplesmente a ser iguais aos homens e a tomar as suas posições.
 Sejam melhores, liderem a mudança que a humanidade necessita .
Pois vocês são a última esperança ...
E fazê-lo é o vosso dever .

 GAZZETTA DEL APOCALIPSIS"

1 comentário:

Ana Nazaré disse...

Revolução feminina.Sim !
Pois me disseram muitas vezes que o mundo nunca vai mudar, que o ser humano é um problema, até que temos "algum defeito" já ouvi.
Quanto mais a Deusa entra no meu coração, menos eu acredito nisso. Porque nós, principalmente nós mulheres, podemos fazer o que quisermos.........