domingo, março 23, 2014

AJUDAR A HUMANIDADE?



REFLEXÕES...

"Em 1989, numa consulta astrológica, Flavia Monsarraz disse que Moloi tinha que ajudar a humanidade. Moloi ajuda dizendo da FRAUDE DE 2012, da FRAUDE DOS QUE RECEBEM CANALIZAÇÕES FRANCESAS, INGLESAS E AUSTRALIANAS, ETC. e nisto é apontado que é contra tudo e contra todos; É DE MORRER DE RIR! "

Este Moloi, era o nome falso de um amigo polémico, que já faleceu...

RESPOSTA ANÓNIMA...

"Moloi está com nova crise de afirmação pessoal.
Gosta do papel de ser apontado, que é uma das feições da vítima, ou cruxificado ( arranja a cruz, os algozes, os pregos, deita-se na tábua e implora). a vítima, o cordeiro, em qualquer das suas feições é a posição da desonestidade pura. É representar a história ao contrário. Já que ninguém dá conta que eu existo, vamos aqui fazer algum ruído, "Ó pra mim a ser isto, Ó pra mim a ser aquilo"
Ajudar a humanidade será se calhar ajudar a humanidade dentro de si a poder aparecer. Quem se coloca no papel de que pode ajudar outrém que não a si, ainda não percebeu para que é que foi posto cá. A ajuda não se auto proclama é silenciosa.Quando é sublime apaga mesmo os seus vestígios.

A fraude mais perigosa é a que mora em nós e ver fraude à nossa volta é signo certo da fraude maior e mais importante , a nossa, a tal para que somos cegos e nos escapa totalmente.
Mas se seu espirito superior e cientifico vive para ajudar nas fraudes, leia sobre a fraude de pitlledown, e compreenda que para falar de fraude, se tem de investigar, reflectir sobre cada dado encontrado, escrever, ver os argumentos, demonstrar à exaustão e com rigor cada prova . E se não, começar tudo de novo, até se ter uma acusação, condenação, litígio de monta. Se gosta desse campo, das fraudes, escolha uma mais relevante e dedique-se a ela com afinco. Dê tudo, sangue, suor lágrimas, até à sentença final. Leia o Processo.Interprete. E recorra a obras botânicas, de como pregar uma borboleta viva num papel, ou de como observar a reprodução das moscas num frasco. Método eficaz ás vezes é desvio. Entretanto, espalhe rumor e intriga nos claustros das academias net, ou zen, ou eso, ou exo, ou psico, onde escolher massacrar.

E Esse morrer a rir... sinta esse morrer a rir e veja onde está a humanidade que precisa de ser ajudada... Leia o que escreveu como observador imparcial que diz ser, use para aquilo que vem de si o que usa para os outros, esse olhar altaneiro de sobrevoo e pense, já que julga que sabe pensar, no teor do que escreve.
Ah! Flávia diz isso a todos e faz ela muito bem...

O que você está a milhas, é de entender o ponto de Mulheres e Deusas, a ideia nuclear, e cá para mim, mesmo num homem, isso é incapacidade de detectar uma ideia, quando ela está lá. A ideia de que falo, nucleo deste blog, é importantíssima para os dias presentes, mesmo que algumas vezes se apresente num formato menos conseguido.

Acho que quem não reconhece a manifestação do essencial nas suas imperfeições, por entre as palavras, não se encontra em condições internas de ajudar porra de humanidade nenhuma, muito menos a parte da humanidade que vive no próprio, quer ele queira quer não. "

Leitora anónima
2009

4 comentários:

Gaia Lil disse...

Se ajudar é tão difícil, me parece tão pretensioso querer ajudar toda a humanidade com palavras apenas...O que palavras afinal podem fazer, elas que não quebram ossos, mas também não construem casas nem abrigos. Palavras são apenas palavras sem uma ação por detrás delas nada significam. Estou tão enfadada que por vezes sinto como se tivesse perdido a capacidade de pensar: repito sempre as verdades obvias que as pessoas não querem ouvir.

Anónimo disse...

Quem sabe uma ajuda não viria de coisas simples? Um sorriso, um bom dia, no respeito e na solidariedade?
Um gesto de ajuda, um estender de mão, na misericórdia. A palavra misericórdia deriva de dois termos latinos: Miserere e cordio. Miserere significa sentir com; sentir por;apiedar-se. Cordio significa coração. Misericórdia significa sentir com no coração. Simplificando, no amor. Ora não é exatamente esta a mensagem principal das religiões; não foi o que pregou o crucificado?
Creio que as mulheres foram dotadas pela natureza de condições favoráveis a esta filosofia. Logo penso serem elas as mentoras desta iniciativa. Confio nelas. Agenor.

Rosa Leonor disse...

É verdade Gaia Lil...

Um abraço
rl

Rosa Leonor disse...

Obrigada Agenor

Obrigada pela sua confiança nas mulheres e em si mesmo!

Um abraço

rleonor