quarta-feira, março 05, 2014

CELEBREMOS O SANGUE DA VIDA

Temos de estar alerta contra esta manipulação da mulher pela ciência que quer acabar com a menstruação...
Este é um ataque sem precedentes à natureza sagrada da Mulher e do Sangue...

“A menstruação é um momento de poder para a mulher.

As nativas abençoam a menstruação mas, infelizmente, na nossa sociedade, é cada vez maior o número de mulheres que sofrem por TPM, também às que pedem aos seus médicos que interrompam esse ciclo sagrado e saudável.

Para as culturas nativas, cada vez que alguém amaldiçoa uma determinada parte do corpo ou de suas funções naturais, o corpo reage com desequilíbrio.

As mulheres que maldizem sua condição funcional, a menstruação, certamente reduzem os niveis energéticos que divinizam as mulheres a ponto de gestarem, e isso possibilita de sentirem dores e sofrerem de problemas como TPM e outros.
As nativas americanas realizam ritos de passagem da criança a puberdade. Estes ritos se realizam depois da primeira menstruação e é um momento importante porque a menina se transforma em mulher. Ela deve entender o significado desta mudança e conhecer seus deveres. É um momento sagrado e, assim como a Mãe Terra, ela poderá ter filhos e ensiná-los a viver de uma maneira sagrada. Ela também deverá saber que a cada mês, quando chega sua menstruação, ela recebe uma influência, que deverá observar e tomar cuidado, pois nessa condição ela poderá neutralizar o poder de um xamã.

O sangue está muito relacionado com a Lua . Para os nativos americanos, quando as mulheres estão menstruadas eles dizem que estão "de lua". Os nativos reconhecem que menstruar é um acontecimento importante na vida de uma mulher, um ritmo vital para a saúde psíquica e física femininas. Eles reconhecem que, na menstruação, a mulher atinge o nível mais alto do seu poder espiritual onde a atividade mais apropriada é o descanso e recolhimento para acumular sabedoria.

Uma mulher menstruada tem potencial místico de ser mais poderosa do que qualquer mulher ou qualquer homem, em qualquer momento. Em algumas tradições, a menstruação ainda é vista e sentida como um tempo especial e sagrado, divino, mágico e místico. Nas culturas matriarcais o sangue reverencia a Deusa por ter poderes mágicos. Em algumas tradições, o sangue menstrual era oferecido em cerimônias. Era sagrado para os Celtas, Egípcios, tântricos etc.
Uma cerimônia simples, onde a mulher cava um buraco na terra e, de cócoras, deixa o sangue menstrual fluir na terra, ela coloca os pensamentos negativos sobre a feminilidade para serem desprezados e pede a Mãe Terra para transformar a energia negativa em equilíbrio e consciência.

Os mistérios do sangue recordam o imenso poder da mulher, o poder do sangramento, o poder de sentir e prever as coisas e, assim, estar mais próximas dos mundos superior e inferior. Quando sangram e jogam na terra o poder dos fluidos corporais, se reencontram consigo e com as divindades da Terra enquanto o sangue corre através do chakra pessoal da raiz, na terra. As mulheres sangram como a terra desbravada, sangram como nutridoras da vida, como doadoras, como doadoras da maternidade universal; e seu sangue é do tempo, da lua, da terra, das estrelas, da vida.

Quando uma mulher entra na idade da sabedoria - menopausa -, seu sangue sábio é retido no interior do corpo. Esse "sangue sábio” dá a mulher a força, a sabedoria e a sensibilidade para seguir a vida e desafiar a morte; e só a mulher possui esse dom.”

Autor desconhecido

Sem comentários: