"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, abril 11, 2014

RAIZES NA TERRA


...E como as árvores que nos dão sombra e sorvem a luz a Mulher terá de novo as suas raízes bem fundas na Terra e o corpo erguido para o céu...
Não será mais a mulher subjugada à maternidade e ao sexo, vendida, escravizada, violada, abusada no mundo inteiro...a mulher reduzida a um verbo de encher...(rlp)
E ... ...

"Para que isso aconteça, a mulher terá de estar plenamente consciente e preparada para enfrentar os focos de resistência. A sociedade está ainda muito estereotipada e muralhada para não deixar a mulher entrar. Há um brilho especial na mulher que amedronta e coloca o homem em sentinela para lhe ceifar as raízes do seu crescimento. Mais do que consciente, a mulher terá de envergar a armadura e apontar a lança para destruir esses alvos de resistência. As enfermidades psicológicas desta sociedade só terão cura, quando a mulher resgatar a função arcaica de curandeira. Somos o depósito da água lustral que nos permite renascer, como a serpente, só temos de deixar sair a pele morta, que nos adoece e nos atrasa na caminhada da libertação."*
 

* Cristina Valquíria Valhalladur Aguiar - autora d' As Mascaras da Grande Deusa

1 comentário:

Anónimo disse...

Tenho tentado ajudar nesta tarefa; acredito sinceramente ser este o único caminho possível para a sobrevivência humana.