segunda-feira, junho 09, 2014

Olho, assim Fundo e Profundo



« Esfrego os olhos. Olho, assim Fundo e Profundo, para longe do fora. Sou tantas, que não fazem parte de mim. São construções de outras vozes, outros mundos, outras vidas, outras tantas coisas. Sou tudo, menos quem Sou, ou, deveria Ter Sido. Perdi a minha cabeça algures, e com ela a boca que dá toda a expressão de quem se É. Julgarei que, andei, porventura, com uma cabeça invisível, não pertença de mim e que me condenou a uma Terra fatal.
De Bola de Cristal, virei Bloco de Pedra. Estou opaca. A única lucidez que ocupa a mente, é que necessito de uma Escultora que transforme esta Pedra no mais Belo Diamante, onde possa reflectir quem Eu Mesma Sou.
Eu Mesma Sou Sou Eu Mesma!!
- Quero a Cabeça de volta, o Coração, o Sexo... a União do Corpo num só e não aos pedaços, sabe a Vida por onde! Quero Eu Mesma, o Original e não uma Fantasia, ou, o que desejaram que Eu fosse!!»

NãoSouEuéaOutra in «Cadernos Escorpiónicos»

Sem comentários: