domingo, junho 22, 2014

UM EXCELENTE TEXTO...



AH DEVORAR VOCÊ...

"(...) Estou mortinha para comer você! Devorar cada célula do corpo que te concebe e forma. Não quero que reste nada do que você é. Nada mesmo. Nenhum fio de cabelo pode existir. Não te suporto, seja na esquina, na piscina, no jardim, na discoteca, na ‘’vernissage’’, na escola, no banco de namoro, em casa. Quero que você suma da minha vida, e por isso vou comer você todinha. Não me interessa o seu género. Não me interessa se é gorda ou magra, bonita ou feia..., alta ou baixa, jovem ou adulta, até idosa; se é homem ou mulher e, até pode ser macaco. Pode querer que não estou minimamente interessada. Quero apenas que você se vá tal como apareceu e que, nem sei mais quando, à minha janela veio e entrou e foi se sentando em toda a poltrona. Ocupou a cozinha, os quartos, as casas de banho e tudo o mais. Você apenas invadiu tudo. Rasgou meus melhores vestidos, minhas jubilosas saquetas de maquilhagem. Rasgou meus sapatos, envelheceu o que amava. Você estragou o melhor e pouco se importou se havia uma vida para ser vivida. Você, você não é boa. Você é o demónio que encontrou a janela perfeita para entrar.
Há quanto tempo me conhece? Quanto tempo?? Tem vergonha de dizer, mas não tem vergonha de brincar e fazer o que quer e como entende?! Entenda, preciso de comê-la; primeiro preciso de estrangulá-la, para depois poder comer tudo sem a sua voz, as suas mãos e a sua respiração. Você não pode mais ter vida própria! Ouviu? Deixe-se de mostrar escondida e agarrar pelos dedos dos pés e virar para baixo as coisas. Só posso chamar as coisas, porque são tantas as coisas. Você gosta do cansaço, não é? Gosta de fazer o que faz? Pode ao menos nessa sua demência, porque não sei como hei-de rotulá-la ou até etiquetar, qual é a sua pretensão? Você beira a grosseria, é que nem tem estilo, logo não posso respeitar a sua condição que é abjecta. Que consideração você tem? Nenhuma. O seu estado é completamente zero. Teimou que haveria de me enterrar na desgraça! Por isso, você vai ter que entender, que preciso de saber quem você é?! Que intenções a fazem agir desse modo. Você sabe ao que me refiro e porque refiro. Se você é pura energia, então você sabe exactamente neste momento o que lhe estou perguntando?
Se lhe habita alguma superioridade, revele-se condignamente em toda a sua natureza abjecta. Revele-se! Não venha com discursos de que tem um objectivo hermético!! Que é segredo!!! Estou cansada do seu negócio... e por isso estou mortinha para a comer. Todinha!!... (...)"


NãoSouEuéaOutra in ''Demónios vivos e mortos. Quem sabe quem são?''
29/03/2010

2 comentários:

Maria Lúcia disse...

NOSSA QUE TEXTO ENQUANTO LIA PENSEI EM TANTAS COISA E NO FINAL.......NÃO SEI A QUEM SE REFERIA....PODE SER TANTAS COISAS COMO VELHICE IDADE SEI LÁ MAS MUITO BOM.. VOU REFLETIR OBRIGADA.......

Rosa Leonor disse...

a autora refere a Sombra...ou uma possessão...
mas o texto é magnífico e pode ser como diz qualquer coisa...

rlp