terça-feira, novembro 25, 2014

AS MULHERES SÁBIAS



"Por todas as Mulheres inteligentes e corajosas, as Grandes Mães  e avós a as Tias especiais... por todas as robustas Boas Mamas e humildes Mulheres Grandes que se casaram com o próprio Amor e deram à luz cinco filhos insubmissos chamados Paz, Esperança, Sagacidade e, Interferência e Impetuosidade... por aquelas reverenciadas que derramaram dentro de nós vinte, trinta, quarenta, cinquenta, sessenta, setenta e oitenta anos de vida, que derramaram um rio de conselhos, advertências, que enfiaram no nosso bolso mapas de tesouro dobrados para levarmos ao entrar na selva...pelas que nos desafiaram, nos instigaram, cutucaram e empurraram... as ações exatas para nos fazer crescer na direção dos caminhos exatos para que pudéssemos cultivar mais nossa alma... por seus afagos carinhosos, seus olhares ternos, seus estranhos jeitos de nos incentivar a inovar e ter tanta coragem quanto elas... por seus murmúrios no nosso ouvido: Não tenha medo, estou com você, não desanime, siga em frente, brilhe agora, abaixe-se agora, e não, assim não vai funcionar, e sim, desse jeito, sim, desse jeito... por suas piadas secretas e seu gosto malicioso; por comportamentos revoltantes e qualidades enternecedoras, por estipularem limites, manterem limites, transgredirem limites; e por apagarem limites rígidos demais e ajustarem limites muito frouxos. Por essas grandes velhas, Les dames, algumas veneravelmente maduras na idade, algumas velhas no tempo da alma, mas decerto sábias, que atuam como o Norte Verdadeiro para outras — pelo simples fato de existirem...
Por elas...que sempre sejam mantidas em segurança, alimentadas por muitas fontes, que sempre recebam demonstrações de amor e gratidão, que mantenham sua alma vicejante a céu aberto para que todos vejam.”
-Clarissa P. Estés, A Ciranda das Mulheres Sábias.

2 comentários:

Centro Tinkuy disse...

Tanta generosidade e carinho seus Rosa Leonor, ao escolher e partilhar este profundo texto...
Somos uma corrente mães e filhas, irmãs, amigas... vamos passando sem quebrar, de umas às outras, fazendo "conchinha na mão" esta chama acessa chamada VIDA ...

Cálido abraço de Outono,

Isaura Candelaria

Rosa Leonor disse...

Muito obrigada eu minha amiga por ser leitora do blog

abraço
rl