terça-feira, novembro 04, 2014

UMA GRANDE SENHORA DA MAGIA

 
 
RESGATANDO A LUCIDEZ DA “MAGIA”
PELA BRUXARIA TRADICIONAL
Atualmente dentro do modismo da Bruxaria, as palavras "magia", alquimia, transmutação, feitiçaria e correlatas, passaram a exercer um enorme fascínio nos jovens e em um grande número de pessoas adultas, acreditando, muitas vezes, que teriam o poder manipulando "poções mágicas", caldeirões, varinhas, encantos, etc. E que o seu uso numa determinada hora, em um circulo fechado, em bosques, parques, na praia ou até em uma caverna, obteriam resultados de efeitos mágicos desejados.

Alguns(a) "esquisotéricos"(a) se orgulham ou são idolatrados(a) por "produzirem” algumas ações mágicas e se acham grandes magos e verdadeiros agentes dos Deuses. Mas o que temos observado nos últimos anos, é que os(a) referidos mensageiros magos dos Deuses não entendem que transmutar energias para movimentar o ar, expandir o fogo, contrair a água e interagir com a terra é fácil, pois são magias que se processam externamente, manipulando-se "coisas concretas" e de fácil acesso. Agora, difícil mesmo é realizar a magia "interior", onde se trabalha com as "energias abstratas", procurando transmutar a ira em paciência, a leviandade em firmeza, o receio em esperança, à soberba em humildade, a luxúria em simplicidade, o arrebatamento em prudência e o egoísmo em generosidade.

Eu costumo dizer aos Iniciados e Postulantes da Casa Telucama que o caminho da Bruxaria Tradicional é fácil, entretanto ao mesmo tempo muito complexo... Fácil porque se trata de caminho inverso: De fora para dentro, e complexo porque é prioritário antes do conhecimento que se busque a autodescoberta e o autoconhecimento. Impossível se desenvolver uma Formação Tradicional na Bruxaria sem uma real compreensão e definição pessoal do que é SER UM(A) BRUXO(A) TRADICIONAL.

O que desejo dizer, a nível filosófico/religioso, a necessidade de começar primeiramente pela mudança interior, desconstruindo os condicionamentos culturais de origem cristã, a necessidade de TRANSFORMAÇÃO para O SER NATURAL, ser realmente um Bruxo(a), pois caso contrário, o conhecimento mágico só serve para satisfazer o ego.

Precisamos enfatizar e compreender que no caminho da Bruxaria Tradicional, na maioria das vezes, os grandes conflitos e "demandas" são interiores, ou seja, nós mesmos criamos os emaranhados de situações que ficam se movimentando em nossos pensamentos, sentimentos e, por decorrência, nas nossas ações mágicas.

Num primeiro momento, considerando as naturais dificuldades de tempo, Guianças, Templos, Colegiados, poderá dificultar a compreensão natural dos mistérios dentro de uma linha só teórica e literária. Daí o porquê da busca precisar ser justa e disciplinar, concretizar o que busca conscientemente, sem pressa, sem queimar etapas, pois o conhecimento é vasto, muito rico e profundo. Cabendo uma alerta para a simplicidade, (A simplicidade de SER e não de pobreza, afinal nós Bruxos (a) não fizemos votos de pobreza e sim de PROSPERIDADE).

Com a CONSCIÊNCIA CÓSMICA expandida disciplinarmente e vivencialmente ao invés de manipular as energias etérea, eólica, ígnea, hídrica e telúrica, terá condições de irradiar, mover, expandir, conduzir e coerir, na sua essência e forma e na busca do autoconhecimento, a fortaleza, o respeito, o entendimento, a sabedoria, a delicadeza, a justiça, a perfeita confiança, que traduzem os atributos dos nossos Deuses (Na Essência Divina): agindo através do Sol, (O poder oculto da palavra, O poder do verbo): agindo através da força da Lua, (O poder do útero): agindo através do planeta Mercúrio, (O poder do conhecimento): atuando através do poder de Júpiter (O poder positivo da verdade): Celebrando a beleza da vida com Vênus (O poder da beleza das Artes, o poder do pensamento criador) num nível mais positivo, interagir com Marte (Para restabelecer a Paz entre os Deuses), e de Netuno num nível mais negativo ou passivo; (O poder da palavra da lei): agindo através da energia astrológica de Saturno/Urano, (O poder da vontade): agindo através da energia do planeta Plutão ( O poder do desacelerar, de se permitir o estado de inércia, para transitar entre mundos). Ao conseguir harmonizar-se com esses princípios e vibrações o (a) Bruxo (a) tem um contato muito mais direto e perfeito com a Verdadeira Magia Hierárquica.

Antes, porém, esforçando-me para compreender esse momento de transmutação da Bruxaria, principalmente no Brasil, o que poderá parecer pretensão ou mesmo intransigência minha, visto não realizar ou mesmo não concordar com algumas práticas, que por deturpação, desinformação, ignorância ou mesmo dolo, alguns querem travesti-las de Bruxaria Tradicional.
Sinto-me impelida a direcionar minhas palavras a aqueles que se dizem(a) Bruxos(a), e que devido à própria natureza humana, ainda não lapidada e tosca, perdem tempo com acusações vãs e comentários agressivos, sobre as práticas mágicas dessa ou daquela Tradição, que por não terem sustentação no conhecimento das mesmas ou mesmo consistência energética, são impingidas ao movimento da falta de ética e decoro religioso.
Um grande erro existente em muitos seguimentos da Bruxaria hoje é um apego ao que as “outras tradições fazem” para copiar ignorantemente, pois sabemos que a criatividade, a desenvoltura e a prática de cada Clã ou Família são a rigor muito peculiares às tradições hereditárias, sendo muito importantes como expressões criativas e são os pilares de toda civilização humana, promovendo assim a riqueza da diversidade cultural.

É por isso que só o estudo profundo e o autoconhecimento formam o (a) Bruxo (a): mudam-se os costumes; os preconceitos, as crenças, os julgamentos, etc. todas essas mudanças são necessárias para que a vida se adapte as circunstâncias a ela impostas.

São necessários alguns esclarecimentos para as práticas inerentes à peregrinação para dentro de si mesmo (o), pois são chegados novos tempos, onde algumas novas técnicas para interiorização pela oralidade são de absoluta necessidade. E, por estar comprometida em orientar àqueles que não têm o necessário esclarecimento e estão "navegando" por "mares virtuais" sem o Farol da lucidez, alerto para evitarem sucumbir perante algumas hordas não muito nobres nem confiáveis. Assim: Não pratiquem ações que fujam ao bom senso; Não questionem as origens das pessoas, em quaisquer sentidos: filosófico, étnico, religioso, social, econômico, político...; Não se impressiona, e não se assusta a pessoas que por ventura não estejam dentro desta ótica; Não se estimula e não leva as pessoas às exposições constrangedoras ou mesmo ridículas, na realização de atos mágicos; Não se realiza celebrações em locais inadequados; Não se pratica quaisquer atividades que possam prejudicar as pessoas ou mesmo interferir no livre escolha; E, não se agride o meio ambiente, pois temos de ser cônscios da necessidade de preservação dos sítios naturais (praias, cachoeiras, matas, rios, lagos e campinas, etc.), não só pelo fato de serem centros energéticos e sagrados, mas também absolutamente necessários à vida.
Em determinados momentos da vida, especialmente quando nos lançamos nos grandes desafios ou quando surgem obstáculos, por algum motivo muitos se acham sozinhos ou abandonados, ampliando aquilo que se interpõe à nossa frente, desestimulando transformar os nossos sonhos, quer sejam espiritual e materiais, em realizações.

Magia "é ação da vontade", mas precisa de sincronia.

A magia é única, ela está no todo. A determinação da magia não é dualística tal como sendo branca ou negra boa ou má, dependerá única e exclusivamente do direcionamento dado por cada um (Vontade) e ainda dos elementos usados no ritual. A magia pode ser ritualizada ou íntima, e poderá ser encontrada nos elementos da natureza. Cabendo apenas a utilização inteligente, visando a sua aplicação adequada, em benefício próprio e de terceiros, buscando forças interiores, visto que ao fazermos algo para o bem, o "universo conspira a favor", pois trabalha a favor da ordem. Já se buscarmos fazer o mal “universo conspira contra”, pois trabalha a favor do caos.
Quando se pratica magia, deseja-se que sejamos envolvidos pelas energias das Vibrações Originais: (Deuses); vibrações astrais (planetas) ou Vibrações espirituais (Guias, espíritos ancestrais, elementais), dependendo bem de como se tenham reforçados os seus atributos e ações positivas e aliviadas as ações negativas. Por sua vez, quando se trabalha a magia, temos de considerar que suas formas são interdependentes, ou seja, utilizamos os nossos recursos físicos e abstratos, conscientes e inconscientes de modo a aplicar nossas habilidades mentais, visuais, auditivas, olfativas, degustativas e de tato.
Bom, para não ficarmos no redundante, pois magia pressupõe movimento, poderia denominá-la de ritual, ação, magia, encantamento... Denominemos magia, como sendo o exercício da transformação porque nos induz a uma atividade dinâmica para mudança, bem com a utilização de recursos físicos. Sabemos, pois, se realizarmos ações por motivos considerados justos, com certeza, os estímulos necessários e adequados ocorrerão. Dependendo é claro e exclusivamente da liberação das forças cósmicas governantes. Pois ao contrario do que muitos pensam o (a) Bruxo (a) não pode fazer o quer quando e bem entende sem obedecer a uma ordem universal.

Ter conhecimento sobre Magia, implica em se ter poderes pessoais de ação e reação no plano astral, com ou sem a participação dos guias, ou seja, entidades espirituais. Assim, quanto maior o conhecimento dos mistérios da “magia” maior a RESPONSABILIDADE.
Mas há quem tenha conhecimentos e não consiga movimentá-la por que não tem a outorga necessária. Enquanto outros são dotados de poderes espirituais, psíquicos e astrais, mas não tem conhecimentos necessários. E é por isso que muita deturpação e corrupção acontecem através da manipulação.
Por sua vez, alguns aspectos devem ser levados em consideração, visto que ao movimentarem-se "Forças Sutis", para uso próprio ou de terceiros, deve-se levar em consideração o que é passível de merecimento. Ações deletérias podem até surtir efeitos, entretanto ficarão registradas em "nossos arquivos".

Com votos de profunda paz nos pensamentos, que se irradie alegria pelos sentimentos e harmonia nas ações, com prosperidade, força e bênçãos dos nossos Deuses, desejo a todos muita iluminação através da busca, lúcida e consciente.

Graça Azevedo/Senhora Telucama
Suma Sacerdotisa do Templo CASA TELUCAMA

2 comentários:

Simone Índio disse...

Muito bom o texto!!!

Rosa Leonor disse...

sem dúvida Simone!