"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, abril 02, 2015

A Grande Deusa encarna o Ser Feminino



“Revela-se na mulher a natureza do Eterno Feminino, que transcende todas as suas encarnações terrenas – cada mulher e cada símbolo individual. A emergência do arquétipo da Feminilidade em todas as culturas, em todas as épocas e entre todos os homens, desde a pré-história, constitui também a realidade da mulher moderna, seus sonhos e visões, suas fantasias e impulsos, suas projecções e relações, suas fixações e mutações.
A Grande Deusa encarna o Ser Feminino, que se manifesta ...tanto na história do género humano quanto em cada mulher individual; a sua realidade determina a vida individual e colectiva. Esse universo psíquico arquetípico está contido no poder subjacente que, ainda hoje – em parte com os mesmos símbolos e na mesma ordem de desenvolvimento, em parte com modalidades e variações dinâmicas -, determina a história psíquica do homem e da mulher actuais”.


in A GRANDE MÃE de Erich Neumann

1 comentário:

Ana Nazaré disse...

Lindoooooo ! aaahh eu qro esse livro tb