"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, junho 18, 2015

A PORTA DE ENTRADA


A FERIDA DA CONDIÇÃO HUMANA


"A porta de entrada para a terra silenciosa é uma ferida. O silêncio põe a nu esta ferida. Não viajamos longe no caminho espiritual antes de termos algum sentimento da ferida da condição humana e é precisamente por isto que não poucos abandonam uma prática contemplativa como a meditação assim que ela começa a expor esta ferida; eles passam, em vez disso, para algum entretenimento espiritual que irá manter a distracção. Talvez seja por isto que os fracos e feridos, que conhecem muito bem a vulnerabilidade da condição humana, possuem frequentemente uma aptidão para descobrir o silêncio e podem sentir a integridade e cura que estão no fundo desta ferida"


- Martin Laird, Into the Silent Land. The Practice of Contemplation, 2009, p.117.

Sem comentários: